Home Aviação de Caça VÍDEO: Projetos estratégicos da Aeronáutica na CREDN

VÍDEO: Projetos estratégicos da Aeronáutica na CREDN

6212
177

A Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional (CREDN) recebeu ontem explanação a respeito do atual estágio dos Projetos Estratégicos da Aeronáutica, com ênfase nos FX-2  e KC-390.

Os expositores foram o tenente-brigadeiro do Ar Carlos Augusto Amaral Oliveira, chefe do Estado-Maior da Aeronáutica – EMAER; e o brigadeiro do Ar Valter Borges Malta, presidente da Comissão Coordenadora do Projeto Aeronave de Combate – COPAC.

A apresentação mostra que a disponibilidade financeira para o Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) 2020 está aquém das necessidades do Comando da Aeronáutica para tocar os programas ora em curso.

Os programas Gripen (F-X2) e KC-390 são dois dos programas afetados pelo contingenciamento de recursos e cuja entrega das aeronaves foi atrasada para se ajustar à nova realidade orçamentária.

O Gripen da FAB necessitaria do aporte de R$ 1,5 bilhão em 2020, mas terá menos da metade desse valor (ver gráfico abaixo).

F-X2 Gripen – Desembolso contratual por ano

Por conta dos contingenciamentos, a entrega dos Gripen será esticada até 2026, um atraso de dois anos.

O KC-390 também sofreu atrasos por conta dos desembolsos menores que os previstos. O Programa precisaria de R$ 1 bilhão em 2020, mas terá menos da metade desse valor.

177 COMMENTS

    • Que mundo a FAB está só em 2020 com o kc e com o gripen está pedindo 2,6 bilhões de reais.
      Eu duvido que os dois projetos sigam conforme o atual planejamento. Para 2024 é impossível se ter o dinheiro planejado.

      • Orçamento solicitado em 2020 pela FAB dos projetos estratégicos:
        Gripen 1,6
        Kc390 1,1
        E99. 0,15
        HxBR 0,7
        Arponis 0,1
        14x 0,02
        Só a FAB 3,62 bilhões de reais.

        Uma ilusão sem tamanho, jamais um deputado irá cortar previlégios, reduzir fundo eleitoral para isso.
        E jamais um militar irá recusar um aumento de privilégios e remuneração para isso, jamais a FAB irá cortar militares, vender ou doar instalações para reduzir custos, jamais será feita uma investigação séria para ver se pensionista militares não tem união estável.
        Resumindo
        14x não irá andar, apornis esquece, HxBR toda a transferência de tecnologia será perdida os cabeças do projeto irá arrumar outro emprego, Kc390 corre o risco de perder a oportunidade de substituir o C130 Hércules no mundo.
        O gripen pode sofrer redução do número inicial de aeronaves.
        Eu não duvido uma nova negociação reduzir de 36 para 24 unidades até 2030.

      • Sabe o que é mais triste ?

        Não se surpreender com a notícia ! Voltamos para a nossa realidade!

        E o pior… A compra está na justiça, com Lula sendo acusado de tráfico de influência, lavagem de dinheiro e de organização criminosa nas negociações para a aquisição dos caças. heheh

        Talvez tivesse sido melhor baixar a bola mais ainda… E ir de F-16 mesmo, onde o custo de aquisição seria muito menor !

    • Citando a maior fonte de fake news do mundo? Em que quer que acreditemos, no poste ou no cachorro?
      Putz, por isso esse país está esse mar de M%$#@ com notícias de desinformação…
      Triste por esse país ser ainda tão pobre, o povo ainda continua consumindo lixo!!!

  1. Ontem estava conversando com o Galante sobre essa apresentação na CREDN.

    Como desde meados de 2016 as necessidades acadêmicas me obrigaram a sair da edição dos blogs, parei praticamente de acompanhar o assunto de perto (exceto uma ou outra cobertura de evento), eu ainda tinha na mente a proposta original de pagamento, feita pela empresa antes da assinatura do contrato, que dava carência de vários anos e que teria o primeiro pagamento só depois da última entrega.

    Pelo que entendo dos gráficos e da fala do chefe da COPAC, o que efetivamente negociaram foi pagamentos durante o desenvolvimento e até a última entrega, ao longo de 12 anos. Pela fala do brigadeiro Malta, intuo que essa mudança se deva a conseguir juros mais baixos (afinal, quanto maior a carência, maiores os juros).

    Fiz a conta das 12 parcelas anuais do contrato original e comparei com a conta das renegociadas, somando as que já foram pagas Com as projetadas.

    O original, se não errei a soma, deu 21,08 bilhões de reais no total.

    O que foi renegociado para compensar as reduções orçamentárias somou 21,46 bilhões de reais. Ou seja, a renegociação dos pagamentos, jogando os mais pesados mais pra frente, já acarretou cerca de 380 milhões a mais no total do contrato. E isso acarretou ampliar em dois anos a finalização das entregas.

    Realmente a economia precisa voltar a crescer, consistentemente, para o orçamento da FAB não ser tão contingenciado nos próximos anos e se conseguir pagar as parcelas mais caras. E a FAB vai ter que encontrar outras coisas pra cortar, e bastante, pra garantir isso e não levar a novas renegociações.

    A contratação de um eventual segundo lote de caças, nesses mesmos moldes financeiros, só teria espaço no orçamento a partir de 2025-26.

    • Nunão, uma das possibilidades comentadas lá na Suécia semana passada foi a possibilidade de aproveitar o momento dos juros negativos na Suécia para a aquisição do segundo lote. Sendo assim teríamos condições de juros muito melhores quando comparado à negociação do primeiro lote.

        • Na mosca Marcelo Danton. Dinheiro tem sim. Afinal a Ancine foi fechada?
          Os militares ainda não se acordaram que a maioria de nossos políticos jogam sujo. Não adianta falar manso com eles.
          A obtençao de maiores verbas para armamento tem que ser dirigida à população, com o argumento de que determinados politicos e partidos sao traidores da nossa soberania e nos causam fraqueza comercial, ao não apoiarem FFAA brasileiras de respeito. Nomes precisam ser ventilados, caso contrário, os parlamentares vão eternamente fazer ouvidos moucos. Assisti, ontem, parte dessa apresentação da Força Aérea no Congresso. Simplesmente uma vergonha o descaso dos parlamentares ali presentes.

          Nos EUA a estratégia dos milicos é uma permanente constatação de um aniquilamento total do país a qualqjer hora. Incluindo, todo tipo de ameaças, ETs, asteroides, armas do capeta desenvolvidas por inimigos etc. O importante é apavorar seus políticos e não os deixar numa zona de conforto.
          Enquanto aqui nossos próprios militares falam que estamos numa região pacífica. Aí fica difícil mesmo!

          • Sr. Farroupilha, Perfeito comentário!! Perfeito!! Uma salva de palmas de milhares de pessoas!! Estou falando sério! Foi o mais lúcido dos comentários até agora!! Perfeito, Perfeito!!!

      • Está desconsiderando a desvalorização cambial. O contrato original era de R$13,4 bilhões quando o dólar estava a R$2,50; hoje está acima de R$20 bilhões e o dólar custando hoje R$4,15; isto porque o real se desvalorizou perante as outras moedas. Não posso ter certeza disso, mas os juros pode ser o menor dos nossos problemas, a questão cambial na minha opinião é o que terá efeito no valor final do contrato. Pegue a diferença do dólar em 2014(quando foi incluído a venda) com a cotação de hoje, depois compare o valor do contrato inicial da compra com o valor do contrato final anunciado ontem, verá que o aumento aritmético é quase estritamente semelhante, um aumento de 1,65 do seu preço.

        Isto, pela razão de nosso financiamento envolver instituições externas, por tanto, o valor do contrato aumenta de acordo com a desvalorização da nossa moeda, porque temos que pagar com mais moeda(real) a mesma quantidade da moeda que usamos para o financiamento(coroa sueca ou dólar dependendo do contrato já que deve haver cláusulas sobre desvalorização da moeda, mas não sei se é encorado a coroa sueca ou dólar, mas a prerrogativa é a mesma já que nossa moeda se desvalorizou perante todas as outras). Ou seja, nosso passivo(financiamento) é ancorado a outra moeda – que não seja o real.

        Os empréstimos e financiamentos pagáveis em moeda estrangeira, estes são atualizados pela variação cambial ocorrida, qualquer contrato internacional a longo prazo envolve essa cláusula.

    • Caro Nunão,

      A questão ali na apresentação não é nem contingenciamento.
      Explicando de forma mais fácil, o contingenciamento é a verba já aprovada na LDO na qual o governo segura a liberação que estava prevista inicialmente naquele exercício, por não contar com o montante naquele momento.

      Aqui no caso, ainda é o Projeto de LDO. No caso, a FAB mandou suas demandas de 2020 ao MD e o MD consolidou todas as demandas do ministério para a Fazenda. A Fazenda devolveu um valor muito mais baixo para o MD, que devolveu uma parte à FAB, distribuindo entre os projetos desta forma. O que eles estão fazendo é ir ao congresso e chorar: “Tá f…a! Me ajudem aê!”.

      Abs.

      • Sim, GFC_RJ.
        Quando falei de contingenciamento, me referi ao estrago causado nos anos anteriores (que levou à renegociação dos contratos mostrados), opinando que os próximos não podem passar pelo mesmo processo, pois a própria LOA de 2020 já não comporta os pagamentos que tiveram que ser reduzidos nos anos anteriores.

        E também não descarto a possibilidade dessa LOA de 2020, já extremamente enxugada, ter que passar por novo contingenciamento para atender a alguma demanda emergencial em alguma outra área – sabendo que a Defesa, por ter um orçamento global grande, acaba sendo contingenciada de forma proporcionalmente grande em diversos anos (a Educação também é, e muitas vezes mais ainda, em termos absolutos, até o limite legal, mas em termos relativos a Defesa costuma sofrer cortes proporcionalmente maiores).

        Por isso disse que só com a economia crescendo mais do que o esperado, combinado com mais ajustes radicais que possam ser feitos pela FAB em sua estrutura, será possível reverter o estrago previsto para 2020, porque não vejo muito espaço para mudar esse orçamento de forma a atender a todas as demandas expostas.

  2. E a reestruturação da FAB? O fechamento de bases? E a diminuição do efetivo? E a reforma da previdência dos militares?… É disso que deveríamos estar tratando

    • Sim, Zorann, vão ter que cortar bastante itens de custeio pra conseguir arcar com a diferença entre o renegociado no contrato e o que a LOA está autorizando – sem levar em conta eventuais contingenciamentos desse valor já insuficiente.

      A reestruturação da FAB está em curso. Algumas desativações / reduções em bases já foram feitas, mas terão que fazer muito mais, reduzindo pessoal, extinguindo mais esquadrões, reunindo alguns outros numa mesma ala etc, aprofundando o processo já apresentado de reestruturação.

      E semana que vem será a vez de assistirmos a apresentação da Marinha, que promete trazer mais problemas ainda.

      Como escreveu o Juarez outro dia, na aviação de caça uma possível atitude de redução será desativar o Esquadrão Pampa, e de quebra toda a Ala 2, ficando o Sul com caças apenas na Ala 4 (com um esquadrão de A-1/A-1M, o Centauro, extinguindo o Poker ou reequipando com VANT). O 1º GAvCa eu duvido que desativem, mas seria um candidato também se a coisa piorar ainda mais (falando apenas em desativações na caça).

      • “E semana que vem será a vez de assistirmos a apresentação da Marinha, que promete trazer mais problemas ainda.”

        Meu Deus do céu….

      • Restruturação da FAB, para mim significa acabar com os poucos recursos que possuem.

        Porquê não obrigam a Venezuela e Cuba a pagarem o que devem ao Brasil?

        Deveriam sim, é restruturar congresso e extinguir êsse inútil zoológico multi partidário.

        • Não só Cuba e Venezuela. O que não falta são devedores contumazes do Governo Federal, principalmente sonegadores de impostos e da previdência social, passando pelo perdão de dívidas de empresários dos mais diversos matizes, incluindo, é claro, as eternas renegociações de dívidas do agronegócio, que são de pai para filho.

          • A próxima: The Reich.

            Ein land, ein volk, ein fuhrer. Kkkkkkkkkkk.

            Melhor um parlamento do que um congresso de inúteis e lesa pátria.

          • O problema não é apenas o sistema, Tadeu. O problema são as pessoas, e isso inclui aquelas que irão montar esse sistema hehehehe

          • Até parece que com um parlamento iria impedir que figuras grotescas como Eduardo Bolsonaro, que vota projetos sem ler, façam parte.

            Acabar querem que o “garoto” seja embaixador. Embaixador deveria ser eu, que tenho 30 anos de experiencia em negociação. Dudu tem 30 anos de mamata estatal.

        • Meu caro, esquece Cuba e Venezuela, exija que os devedores e sonegadores internos paguem suas dívidas, que o governo pague a dele (por exemplo, é o maior devedor da previdência, deve mais de 2 trilhões em recursos utilizados fora do sistema para obras, pagamento de dívidas, negociatas).
          Reforme TODAS as Previdências e não apenas do regime geral, acabe com as mamatas de milhares de parlamentares e tudo se resolve.
          Agora, num país no qual todos querem garantir e seu e contribuir apenas com o alheio, nada dará certo!

          • Então vc quer uma ditadura? Trabalhe para isso e escolha o sistema político e ideológico dessa ditadura!!! Simples!!
            Porém, o socialismo já provou que não dar certo em lugar algum do mundo!!
            E ai, vc aceita voltar ao idos de 1964? Com uma ditadura capitalista, livre mercado, porém, como vc mesmo sabe, apenas um e seu grupo manda em todos? E isso mesmo que vc quer?
            Trabalhe para isso então!!

      • O 1ºGAvCa, por razões históricas, deveria ser transferido para Anápolis no lugar do GDA, que seria extinto. Concentraria todos os F-5EM/FM (os seus, os que estão no próprio GDA e os do Pampa e do Pacau), que operariam em rodizio reduzindo seu desgaste até a chegada do último Gripen. Para redução de custos, poderia dar baixa dos A-1A/B e vender os poucos modernizados para algum país amigo. Os esquadrões Pacau e Pampa receberiam A-29A/B que guarnecem o Escorpião, Grifo e Flecha, além do 2º/5º GAv. Para o futuro, mais um lote (de 24 ou 36) F-39 e mais A-29A/B.

  3. Então… O cronograma não será cumprido…. Mas talvez, um dos 3 poderes use esta diferença para comprar o essencial (vinhos, caviar, criar um auxilio pet ou de implante de cabelo….) Realmente não levamos nada a sério, principalmente no que tange a segurança, mas…. como não temos inimigos…. para que se preocupar, quando podemos torrar por congressista mais de 150 mil reais por mês fora as “bolas” . Tá difícil…

  4. A equipe econômica mandou um proposta MUITO agressiva de orçamento com foco em diminuir o risco de contingências ao longo do ano que vem. Na parte de defesa, que é o que nos interessa, isso está afetando demais os programas estratégicos que podem gerar muitos retornos futuros.
    Segurar $$$ do KCtão significa adiar as certificações militares do avião e, com isso, diminuir muito as chances de ganhar novas concorrências internacionais, exportações, emprego etc.
    O satélite óptco Carponis tem R$0,00 na proposta do ano que vem. Isto é, continuaremos pagando por imagens de fora por muito tempo.

    Quarta que vem tem apresentação da Marinha… MEDO!!!

    Abs.

    • Com relação à Marinha, temos que rezar para que o Macron não fique com muita raiva do Brasil e rasgue o acordo de cooperação técnica para a construção dos submarinos, de tanto ouvir chamarem sua mulher de “feia”.

        • Acho pouco provável. Talvez o Scorpène convencional. Há mais de 45 anos eu ouço a conversa do “submarino nuclear” brasileiro. Infelizmente, somos um País que tem forças armadas incapazes de vigiar adequadamente suas fronteiras (aéreas, marítimas, terrestres, fluviais e lacustres), cuja tarefa necessita apenas de equipamento convencional, imagine construir submarinos nucleares. Senão me engano, essa tecnologia se restringe à Rússia, EUA, Reino Unido e França.

  5. O orçamento pode ainda aumentar um pouco, pois pode ser que haja uma re-expectativa de crescimento econômico em 2020. Especula-se que nos números do próximo trimestre, poderemos ter crescimento anualizado em 2% e há sérias expectivas dos investimentos aumentarem.

    Mais uma vez, rezemos por um bom ágio no leilão da seção onerosa de Dezembro. Esse imbróglio Irã-A.S. pode ajudar.

    Abs.

  6. O interessante desses slides é que eles respondem várias curiosidades que surgiram dos cronogramas de entrega do Gripen, do KC-390 e do E-99M. Ao menos as expectativas previstas na FAB…

  7. E ontem mesmo, o congresso aprovou aumento do fundo eleitoral!
    Uma vergonha sem tamanho! A diferença entre o que era para o que propuseram dava para cobrir os custos das aquisições, e olha que financiamento público de campanha já é uma coisa ridícula que não deveria existir jamais!

  8. Eu sempre imaginei e trabalhei com a ideia de que o Gripen só começaria ser pago depois da entrega do último, conforme bastante comentado à época do contrato. Porém, vemos que optaram por pagamento parcelado desde o início da contratação. Menores juros? Com certeza….mas, parece que quem negociou não conhece os contingenciamentos que ocorrem TODOS os anos…..seria melhor se tivessem optado por começar os pagamentos a partir da entrega do ultimo exemplar…..assim, teríamos todos os exemplares entregues dentro do cronograma original e, se tivesse contingenciamentos posteriores, pelo menos as aeronaves já seriam da FAB….

  9. Pelo que se vê no gráfico, desculpem minha ignorância financeira, mas os pagamentos coincidem com os prazos de entregas das aeronaves….tanto no contrato inicial como no atual. Logo, pergunto: para que foi feito financiamento?? Se a coisa funciona na modalidade de dinheiro pra lá e caça pra cá, para que precisa de financiamento?? As aeronaves são pagas e entregues, nessa ordem, e as entregas seguem a proporção dos pagamentos….paga mais, recebe mais e paga menos, recebe menos….pra que financiamento? Quando eu financio um carro, eu recebo o carro e depois pago….sei que caças e carros são bem diferentes em matéria de tudo…inclusive em sua aquisição….mas, não entendi a moral do financiamento…..seria para ter uma garantia? Mas, se não pagar, não recebe….logo, não precisa de garantia…..sei lã, vai ver que sou burro….mas, não entendi….mesmo!

    • Caro Flanker,

      Sou economista, com mestrado, e tenho vários projetos de implantação de sistemas para controle de orçamento empresarial no currículo…
      Dentro do que já estudei e vivi eu te respondo: Também gostaria de saber! Não faço ideia de como ocorrem esses desembolsos bilionários nos contratos de defesa! Sua dúvida é mesma que a minha e não vejo a menor lógica na explicação deste processo.

      Espero ter ajudado… rs.

    • O financiamento é a chave para a viabilização dos projetos da área. A falta de previsão orçamentária de longo prazo é incompatível com o desenvolvimento de projetos de defesa. O tempo de projetos de defesa envolve vários anos ou até décadas, mas o orçamento governamental pode variar anualmente. Outro fator que também gera impacto no desenvolvimento é o valor, e Defesa só envolve valores muito alto.

      A Suécia detém uma agência própria de fomento a exportação e isso permite oferecer taxas mais competitivas e o custo de financiamento mais baixo, isto porque o modelo sueco é definido e integralizado entre as instituições envolvidas na negociação, utilizando uma fundação estatal própria(SEK – Swedish Credit Export Corporation) que coopera de maneira muito próxima com o exportador(SAAB), e a Agência de Crédito para a Exportação Sueca(ECA) com os bancos, existe uma cooperação muito grande entre essas instituições.

      Mas a pergunta, por qual razão do financiamento?

      Novamente, eu volto ao primeiro parágrafo. Questões orçamentárias de Defesa envolvem transações multi-bilionárias, há de se ter um dispositivo contra o risco de calote por envolver grandes somas para não prejudicar as empresas, aí que entra a questão do financiamento. O financiamento dos caças é 100% garantido pelo Conselho de Garantia de Crédito à Exportação Sueco, porém o governo brasileiro deve desembolsar valores anuais para o pagamento do financiamento dos caças, uma transação envolvendo o Tesouro brasileiro e autoridades suecas. O contrato pode ser alterado conforme ao longo do tempo, mas a SAAB não é incluída nesse assunto, isto é tarefa exclusivamente de autoridades suecas e brasileiras.

      Pelo que eu entendi, se houve renegociação do contrato(isso pode ser feito), não optaram por ter a carência de oito anos e o financiamento em 25 anos, a FAB queria começar a pagar logo o financiamento, isso faz sentido, porque a longo prazo, o efeito da desvalorização cambial pode aumentar o valor do financiamento, o que gera prejuízo para o Tesouro, certamente essa foi uma decisão acertada. O contrato original era no valor de R$13 bilhões, porém com o efeito da desvalorização cambial, o valor hoje pelo gráfico apresentado é de cerca de R$21,460 bilhões, aumento de mais de R$5 bilhões, ocasionado apenas pelo efeito monetário pela valorização da coroa sueca frente ao real brasileiro.

      Voltando a questão dos desembolsos, o próprio Ministério da Defesa alegava, contudo, que o desembolso só teria início quando entregasse a última aeronave. A previsão era de que todas as 36 aeronaves seriam entregues até 2024. Mas pelo que foi divulgado ontem na Comissão, a FAB já estaria pagando desde o início do contrato em 2015, o que seria duvidoso e merece explicações.

  10. Eu já desconfiava que esses desembolsos do governo para o Gripen estavam altos demais para serem apenas para preparo das instalações de produção dos aviões no Brasil. Lado outro, já que não existe dinheiro agora e que os juros de fato estão negativos na Suécia, o presente momento é o ideal para se negociar um segundo lote, justamente nas condições que seriam as do primeiro: início do pagamento após a entrega do último exemplar. Em troca, o Brasil poderia forçar a Suécia a fazer a compra de alguns KC-390 como acordo de compensação “offset”, além de exigir aprofundamento da transferência de tecnologia de outros itens essenciais do Gripen.

  11. O problema dos militares em suas reivindicações salariais é que como são ligados ao governo federal, eles comparam seus salários com outros servidores federais. Com os políticos, com os juízes, com os auditores fiscais.
    E concluem que ganham pouco.
    Mas se eles comparassem com a iniciativa privada e com a média do brasileiro, eles veriam que ganham Muito Bem.
    Existem milhares e milhares de brasileiros com curso superior ganhando menos que sargento do exército. Milhares e dezenas de milhares. Nem vou citar os salários dos oficiais, que aí é covardia. Somente em multinacionais, em cargos de gerência para cima que o brasileiro consegue ganhar igual ou melhor que um oficial das forças armadas com mais de 10 anos de carreira.

    Porém, como eles se comparam com políticos, juízes, auditores, eles pedem aumento.
    O poder militar, poder dissuasorio fica sempre em último lugar. Pois não imaginam uma guerra.

    A verdade é que o atual salário dos militares já é bom e bem acima da média nacional. A priorudade das forcas deveria ser os equipamentos modernos e em quantidade que irão refletir no aumento do nosso poder militar. E não nessa merda de corporativismo.
    De que adianta o Brasil ter os militares mais bem pagos do mundo se temos o poder militar de um país anão?

    • ¨Bom e bem acima da média nacional…¨. Eu, como cmte de A320 na Azul, ganho BEM MAIS que um 4 estrelas com 40 anos de serviço, com milhares de subordinados e milhões de reais para gerenciar. Não, não imaginamos uma guerra: o F-39 e o KC-390 são só nossos brinquedos novos, para pura diversão. Militar não consegue nem adquirir patrimônio, a não ser que vá para o exterior. Quanto às demais carreiras do funcionalismo federal, sim, TEM QUE HAVER ISONOMIA, gostem ou não. Sorry se seu salário é baixo.
      Voar F-39 devendo cheque especial… Ótimo. Eu cansei de voar E/R-99 devendo cheque especial. Nunca mais!

      • Infelizmente, o entusiasta comum desconhece completamente a carreira militar, particularmente os gastos envolvidos na manutenção de uma estrutura necessária para os contínuos anos de formação, especialização, aperfeiçoamento, etc necessários para que o militar possa desempenhar a sua função de maneira razoavelmente satisfatória.

        De maneira contraditória, “defende” armamentos e equipamentos “modernos”, mas é contrário aos enormes gastos que envolvem, entre outras coisas, a manutenção e logística necessária para que sejam operados de maneira eficiente.

        E para piorar, acredita que o militar que ira operar com equipamentos, com valor agregado de “milhões”, deve receber salário igual ou menor do que um civil que faz uma graduação “Ead”.

        Difícil compreender a falta de coerência.

        • Obrigado, Gabriel. Infelizmente, tenho uma reação ¨figadal¨ com comentários imbecis acerca da remuneração dos militares, que, há anos, são postados aqui, diuturnamente, por civis que NADA entendem da atividade militar. NUNCA cruzaram o portão de um quartel ou Base Aérea.

          • E nenhum militar entende a pressão que os trabalhadores civis sofrem para cumprir as metas exigidas pelas empresas.
            Só para exemplificar: Minha cunhada trabalha em uma revenda de automóveis (em uma cidade do interior do Ceará) e cada um dos vendedores tem que vender 25 carros por mês. Aquele que não consegue cumprir esta meta é demitido. Ela vive na corda bamba, estressada e com medo de ser demitida. Vários de seus colegas já foram pra rua.
            Esta é a vida dos trabalhadores civis. Agora o militar que estiver insatisfeito, basta pedir a baixa e tentar a sorte nas empresas privadas.

          • Sei e quando tivermos 220 milhões vendedoras de automóveis , quem vai dormir na base aérea esperando o dia de levar um míssil na rabeta???!!!

          • Olá Francisco, eu sou de Fortaleza/Ce. Bem se sua cunhada está se sujeitando a esta situação ou é por extrema necessidade, acomodação ou gosta de viver em constante tensão (adrenalina vicia). Sugiro ela mudar de revenda de carros. É um absurdo a comparação de formação de um militar de carreira com a de um civil. É como se diz: Coisa boa, é a dos outros…..

          • Qualquer gerente e comissionado da CEF e Banco do Brasil só podem passa no máximo dois anos em uma agência. No fim deste período são transferidos ou perdem o cargo.

        • Militar no Brasil não é carreira é empreguismo. O cara vai ser militar visando só o que vai ganhar. Quer ser militar para morar nas capitais e ganhar muito com estabilidade e segurança.
          Eles (militares) dizem que não podem fixar residência e que com isso a família sofre. Entretanto, gerentes e comissionados de qualquer banco estatal só podem passar 02 (dois) anos em uma agência. São realocados sumariamente no fim deste período e, nem por isso vivem reclamando.

          • Não confunda desemprego com empreguismo!

            Existem desempregados em que uma das opções é carreira militar.

            Mas o investimento é alto e se de fato profissionalizou, é porque então sua formação ficou robusta. Se o valor desta formação é mais reconhecido em remuneração no meio civil, então é besteira dizer que militar é bem remunerado. Se o sujeito sai, é porque onde está se paga menos.

          • Lembrando que, estabilidade, aposentadoria integral com promoção, assistência medica full ate fim vida, alem de outras e mais 50% efetivo esta rio e Brasília. Todos são importantes na construção e manutenção Brasil, por que privilégios para alguns, qual diferençá: gari, motorista ônibus, caminhão, portuário, vigilante, empresário. Sofre mais acidente e morre motorista uber/taxi que funcionario faas no Brasil.

      • Ô Coronel, a Azul não vai abrir vaga para ‘peões’ aqui no RJ não? Só abre vaga para VCP 😛

        Mas sério, existe sim uma necessidade de deixar o militar tranquilo em relação à grana, que na verdade é a tranquilidade mental para que se possa concentrar no trabalho. Por mais incrível que seja uma afirmação dessas, militares lidam não apenas com equipamentos caros, mas lidam com armamento. Eu já acho um absurdo certas polícias estaduais Brasil afora não pagarem decentemente seus integrantes. Mas enfim, eu geralmente fico quieto em relação à essas coisas justamente por conhecer alguns jovens oficiais do EB que já passaram por algumas dificuldades.

        Acho que existe muita carne para cortar sim dentro das FFAA, e o desperdício pode ser combatido de diversas maneiras diferentes. É difícil cobrar coisas assim quando não vemos os representantes do povo dando exemplos de como se combater desperdício. E falo isso em todos os níveis, desde o municipal até o federal.

      • Quantos brasileiros são comandantes de A320 num universo de 210 milhões ? Não tem cabimento fazer essa comparação. E se todos os militares efetivos tiverem que ser nivelados com os salários de altos servidores federais ficaremos sem FAs, pois a defesa exige grande quantidade de efetivos, diferente de auditores fiscais e magistrados que são em bem menor número. O que muitos entusiastas cobram é o mínimo para que num (bem possível) futuro não sejamos violados por hordas invasoras. Conheço muita gente que voaria o F-39 por metade do que pagam hoje, possivelmente eu. Que o diga a concorrência que é pra passar na AFA. Infelizmente o Brasil não é os EUA, então não temos como pagar 30.000 pra todos os oficiais. Por esse raciocínio de salário então os recrutas desertariam todos.

        • Qualquer oficial ja ganha mais de 5 mil reais em qualquer força é dinheiro suficiente para viver sem dividas, nem vou contar os benefícios, só não da viver na maionese de num sonho americano.
          A maior parte da população não ganha nem 3 salários mínimos, ou seja, os militares reclamão de boca cheia.

          • A maior parte da população não sabe escrever uma frase direito e quer comentar assunto que não tem conhecimento, simplesmente porque “acha” que sabe.

          • Sim… ouvimos o mesmo papo em 64: “o povo não sabe nada, quem sabe somos nós, os militares”. O resultado? O poder, que deveria ser devolvido ao povo depois de eleições, manteve-se no colo dos militares por 20 anos! Essa arrogância misturada com positivismo formam uma sopa fétida e asquerosa que faz parte da alma do oficial militar brasileiro médio.

            Que ousadia a sua de dizer que a maior parte da população brasileira não sabe escrever uma frase direito! O senhor não é melhor do que ninguém e, se é militar, recebe dinheiro desta mesma população que zomba! Vocês não são imperadores romanos para acharem que são “pais” do povo brasileiro e devem comandá-lo.

          • Desculpa, me enganei, a maioria da população brasileira é culta e alfabetizada.
            Todos estudos, estatísticas, informações, pesquisas, documentos, documentários, reportagens, etc a respeito do tema estão errados.

            Astenolvaldo, você quer ser “politicamente correto”?, problema é seu! acha que é feio dizer que o Brasil é formado por uma maioria de analfabetos “funcionais”?, o problema é seu!
            Eu não sou assim! não tenho nenhum problema em escrever verdades.

          • Por outro lado os militares são super preparados. PHDs em tudo, só tem gênio.
            Vá estudar e deixe de escrever besteiras.

          • R$ 5 mil eh remuneração de analista pleno em grandes empresas…nem coordenador é…aí vem o sr. O especialista, o coordenador, o gerente em varios níveis, o diretor, o superintendente e finalmente o presidente….

            Um General com benefícios e complementos, está na faixa de um Gerente…

        • “Conheço muita gente que voaria o F-39 por metade do que pagam hoje”.

          Eu conheço muitos que até pagariam para voar.

          A questão não é “querer”, é ter capacidade e formação para “tal”.

          Um profissional assim, que demora anos para formar e aperfeiçoar, você paga e paga muito bem sim!

          E desculpa a sinceridade, só fala esse tipo de bobagem quem não entende do “riscado”.

          • Realmente Sr. Gabriel para pilotar um caça necessita-se de instrução, formação enfim , uma ótima aprendizagem. Porém quem paga os impostos que são realocados para as Forças armadas, para seu salário são da maioria que não sabe escrever uma frase, não tem um Hospital da Aeronáutica ou HCE a disposição. não possuem uma educação adequada, visto o dinheiro ser desviado para outros fins. Quem paga seu salário(caso seja oficial ou praça) sou eu e mais milhões que lutam todos os dias com o inimigo impiedoso, a vida. Lembrando, você ficará até os cinquenta e três anos , sem guerra, dizendo que é guerreiro, fazendo guerra com conscrito, pois você e outros bizonhos não sabem a diferença em ser militar ter humildade e honrar seu compromisso na defesa da pátria(= povo) . Espero que venha a ser mais um esnobe que passará a vida no ostracismo. Lembre-se: o verdadeiro militar respeita o seu povo e não o aniquila.

          • Meu camarada, está escrevendo linhas endereçada a categoria de Agentes Públicos errada.
            Não gaste tempo escrevendo esse monte de bobagens (o bota capacidade para escrever bobagens juntas), de quem desconhece completamente as Leis e normas referentes a profissão militar.

          • Gabriel
            Realmente eu não entendo mesmo do ‘riscado’ de ser oficial ganhando 10 salários, pois quando eu fui recruta eu ganhava somente 1 salário mínimo que com vários descontos perdia metade; eu nunca pude operar equipamentos de milhões, a mim me foi dado apenas um FAL com o qual nas muitas e muitas guardas tinha que ficar grudado 24 horas somente podendo ir pro colchão a partir das 22h pra dormir no máximo 4 horas, eu nunca pude comer em refeitório próprio com uma comida diferenciada; nunca o Estado me deu uma casa pra morar enquanto servia, ou dormia na Companhia ou pegava o Buso pra outra cidade a 50 km de distancia; 20 anos atrás eu também nunca pude ganhar 35 mil por uma transferência, somente uns 5 reais para a passagem do ônibus no meu último dia de caserna; eu nunca pude mandar, só obedecia então eu não entendo mesmo desse ‘riscado’… ainda assim era voluntário. Não morri, não me endividei, não fiquei revoltado, era o que o país podia me dar e eu aceito as regras. Corri atrás, hoje sou formado, servidor público e com a vida estável e não fico chorando pelos quatro cantos por causa que o governo vai me fazer trabalhar 5 anos a mais pra me aposentar. Quem quer ganhar muito que faça outro concurso ou vá montar um negócio, Forças Armadas é vocação.

          • Qual a contribuição que um piloto F-39 dá para o pais? nenhuma, só dá despesas. Esse piloto passa anos se formando às custas dos trabalhadores civis. Eles comem, bebem e estudam às custas dos civis e no final das contas eles se aposentam sem nenhuma contribuição ter dado para a Nação.

          • Porque acham que as companhias aéreas adoram, adoram e adoram contratar ex pilotos militares???

            Porque na mão de um militar, as chances do voo airfrance 447 não cair no mar são muito, muito maiores….não voam videogame de simuladores 100% do tempo, e o dito cujo sabe se está subindo ou descendo mesmo sem painel de instrumento no escuro…

        • Exato. Quantos brasileiros são cirurgiões plásticos, ganhando horrores? Eu também gostaria, mas não cursei medicina. Fui pra AFA. Ralei, e MEREÇO estar na posição de comandante de A320. Passei na seleção, onde muitos tombaram.

      • Cel Nery, essa visão, totalmente equivocada, que uma força aérea é feita só de pilotos vem de quem não tem ideia do que é a vida militar. Até hoje ouço isso mesmo na minha familia que, tento, esclarecer a respeito dos percalços da caserna.
        Pilotos são apenas a ponta da cadeia, mas sem intendentes, sem mecânicos, sem controladores de voo, sem quem cuide da pista e do hangar, todos os anos de formação e de investimento no piloto e na aeronave são apenas dinheiro jogado fora.
        Ainda tenho a visão que as forças deveriam extinguir esse sumidouro de dinheiro que é o Serviço Militar Obrigatório. As FFAA não são ONG pra ter “consciência social” e “formar jovens para a nação”. Precisamos de um quadro de efetivo enxuto, profissional, equipado com luxo, treinado a exaustão e remunerado de acordo com as características impares da vida militar.
        Quem já recebeu o aviso “Passa no S-1 que querem te ver” e acabou a 2000 km da vida que tinha, tendo que levar filho, esposa, achar escola, escolher morar em uma vila com casas decrepitas ou gastar metade do soldo com aluguel sabe como é.
        O oficialato precisa ouvir as criticas do meio civil e, deixar claro que geralmente são apenas preconceitos de quem não conhece a caserna e/ou revanchismo de quem não gosta de militares. Se existem erros devem ser extirpados, as ferramentas para isso estão nos princípios de Hierarquia e Disciplina das FFAA.
        A FAB tem tentado se adequar aos novos tempos e merece todo nosso apoio e confiança até que se prove o contrário.

        • Não entendi o comentário. Fui cmt de UAE. Acha que eu não sei que a FAB é bem maior que os aviadores? Nunca mudei de cidade junto com a família? Matricular filhos na escola? A FAB, com a reestruturação, não está se adequando aos novos tempos? Mas, ninguém esqueça: quem MANDA em QUALQUER Força Aérea são os aviadores.

    • Não ganham pouco,ganham muito pouco,um policial do CN inicial ganha 15 mil,um capinha do STF tb,fora motoristas,assessores,garçons e etc.
      Os militares são muito mal pagos.

  12. Parabens pela cobertura. Informação essencial. A da marinha sera um show de horrores. Tem muito mais coisa. Base Itaguai, tamandaré, sub convencional, sub nuclear, renovação de escoltas, patrulha.
    E todas ainda penam por causa dos helicopteros.
    So pra lembrar MB 76.000. FAB 67.000.
    Ai está o que cortar.
    E o EB deve suspender o sisfton e focar no guarani, na defesa AA, modernização dos helicopteros e IA2 e cortar parte dos 44.000 efetivos concentrados no RJ.

    • “E o EB deve suspender o sisfton e focar no guarani, na defesa AA, modernização dos helicopteros e IA2 ”
      Péssima escolha e falta de visão, troca de projeto para lidar com ameaças atuais para outros que nunca serão empregados.

    • Haha eu também estou ansioso pelo da Marinha, promete. Quanto ao sisfron pelo Guarani não estou de todo convencido. Mas o melhor que podemos fazer é imaginar cenários reais de invasão e como se opor a eles.

    • Caro, Colombelli,

      Parece que o Exercito está contigo… Na semana passada, o choro na CREDN foi para pedir mais $$$ na LDO para o Guarani.
      Segue o Link: https://www.youtube.com/watch?v=GuQllsmT7JI

      Para complementar,

      Essa questão de contingente é polêmica demais! As FAs (as 3) fazem muitas funções secundárias no Brasil! Especificamente na FAB, vai de transporte de órgãos humanos e de autoridades (muitas autoridades)… até o controle de todo espaço aéreo civil que usa muito recurso humano. Aliás, isso é uma dúvida que eu tenho… é comum em outros países que o controle do espaço aéreo civil seja feito exclusivamente pela respectiva força aeronáutica?

      • Sim, é comum nalguns países. Dilma queria ¨apaisanar¨ o DECEA, até quando os controladores espanhóis entraram em greve. Daí mudou de idéia. Imaginou uma greve de controladores no Brasil? Viaja de avião?

  13. Os deputados também tem os seus “projetos estratégicos”, aumento de salário, benefícios e fundo partidário, desculpem milicos, passem amanhã!

  14. Queria o que em um país de ladrões? Da casta mais baixa a casta mais alta, ladrões. Brasileiro e o seu jeitinho que tanto lhe orgulha. Tudo e todos, todos e tudo.

    Não falta dinheiro para as eleições. Fundos bilionários para pagar santinhos, comícios, publicidade, advogados e toda a farra necessária para assegurar o “espetáculo da democracia” que é a eleição.

    Parabéns

    #SomosTodosOtários

  15. Interessante notar o desinterêsse e o desrespeito do plenário para com a exposição de temas importantes para a defesa nacional.

    O pessoal usando celulares, batendo papo com outros parlamentares. Parecendo um encontro para o cafezinho.

    Ninguém liga para a defesa.

  16. Desculpem o que eu vou dizer:

    O Brasil vai precisar de ser invadido, sofrêr danos na infraestrutura e perder milhares de vidas, e só assim acordar para as prioridades geopolíticas e militares.

    Quando chegar a guerra, manda congresso para o campo de batalha.

    • Você realmente acha que em caso hipotético de invasão perderemos milhares de vidas ou danos na infraestrutura? Não temos forças armadas capazes de nos defender. Vamos ter rendições em massa…. deserções em massa. No fim, tomam isto aqui fácil, com perdas mínimas, com dano colateral zero, e sem precisar de causar danos a nossa infraestrutura.

    • Tadeu, a História corrobora o que você fala nesse sentido. Se não me falha a memória, de todos os conflitos em que o Brasil se meteu, em todos fomos pegos despreparados. Realmente não me lembro de houve alguma exceção.

      • Leandro,
        Considero uma das exceções a Marinha no início da Guerra do Paraguai. Ela vinha se reequipando desde a década de 1850 com navios a vapor, e também buscava capacitar o Arsenal para manter e (depois de alguns anos) construir navios do tipo. Aliás, a própria atuação desses novos navios da Marinha, intervindo no Uruguai em 1864, foi um dos fatores que ajudaram Solano Lopez a desencadear o conflito (outras causas vieram dele mesmo, evidentemente). E se não houvesse uma esquadra suficientemente forte, pensada justamente para agir no Prata e contribuir para aumentar a influência do Império ali, não creio que a intervenção no Uruguai seria tentada da forma que foi.

        Riachuelo, por exemplo, foi uma batalha vencida por navios que já estavam em serviço, adquiridos nos anos anteriores. E a Marinha tinha o seu primeiro encouraçado a caminho, encomendado à França (além de outros mais simples, em projeto, para construção aqui), e que só não chegou a tempo de participar da batalha porque sua liberação foi atrasada pelo próprio governo francês…

        O mesmo não se deu na Segunda Guerra. Às vésperas do conflito, a Marinha estava despreparada, ainda que em pleno reequipamento, com a construção de navios aqui e encomenda de outros lá fora. Por poucos meses não conseguiu receber seis contratorpedeiros que havia encomendado ao exterior pois, com o início da guerra, a Inglaterra ficou com eles (e devolveu o dinheiro já pago, que acabou sendo usado para construir seis navios semelhantes aqui mesmo, mas que só ficaram prontos depois do conflito).

          • SardaukaR,

            Talvez você tenha se confundido com os grandes encouraçados (em suas épocas) comprados na penúltima década do Século XIX, Riachuelo e Aquidabã, e na primeira do XX, o Minas Gerais e o São Paulo, que de fato foram construídos em estaleiros ingleses.

            Mas no comentário eu me referi ao primeiro dos encouraçados brasileiros, incorporado muito antes: a corveta encouraçada Brasil, encomendada a um estaleiro francês e entregue em 1865. Era um navio relativamente pequeno, mais adequado a operações fluviais, mas que não fazia feio em mar aberto.

            Ainda durante a Guerra do Paraguai, além de 9 encouraçados e monitores de pequeno porte construídos no Arsenal de Marinha da Corte, houve cerca de meia dúzia de outros comprados de estaleiros da Inglaterra e da França (eram navios construídos originariamente para o Paraguai e que o Império conseguiu reverter para nós). E um último encouraçado, iniciado durante a Guerra no Arsenal de Marinha da Corte, foi entregue após o conflito, o Sete de Setembro (como os outros construídos aqui, ele tinha casco de madeira, ainda que algumas partes estruturais fossem de ferro, e blindagem de grossas chapas de ferro, importadas)

            Em meados da década de 1870, dois grandes monitores encouraçados (de borda livre baixa, adequados apenas para operações costeiras e fluviais) foram encomendados a um estaleiro francês, o Javari e o Solimões.

            Aí sim, na década de 1880, vieram dois encouraçados capazes de operar plenamente em mar aberto, encomendados na Inglaterra, o Riachuelo e o Aquidabã. No fim da década seguinte, já na República, dois pequenos encouraçados guarda-costas foram encomendados na França, Deodoro e Floriano. E, por fim, em 1910, foram recebidos dois modernos encouraçados tipo Dreadnought, o Minas Gerais e o São Paulo, de estaleiros ingleses.

            Enfim, antes da Primeira Guerra, a Marinha do Brasil incorporou, ao longo de décadas, não só encouraçados construídos na Inglaterra, mas também na França (além de alguns, da primeira geração e de pequeno porte, construídos aqui mesmo).

            Mas isso tudo é assunto para o Poder Naval…

          • Prezado Nunão: é incrível alguem negativar o seu abalizado comentário de pesquizador e profissional qualificado na área.
            Grande abraço

          • Kkkkkkk, valeu Rommelqe.

            Mas na real não estou nem aí com negativação de comentários, apesar de achar uma atitude, no mínimo, curiosa. Algo que precisa ser estudado, mas definitivamente não por mim, rsrsrs

      • Aproveitando o gancho sobre despreparo p/ a guerra, me lembrei de um filme ( April 9th ) sobre a invasão da Dinamarca em 9 de Abril – daí o título – de 1940 e mostra uma cia de infantaria equipada com … bicicletas! Existia uma outra equipada c/ motos, mas essa era no pedal mesmo. As bicicletas tinham até suporte p/ levar metralhadoras mais pesadas c/ tripés, em partes. Isso contra a Blitzkrieg. Outra curiosidade: o capacete deles parecia uma versão em metal do chapéu do Napoleão, rs
        Esse é um dos muitos capítulos pouco conhecidos da 2ªGM.

    • Ou fazer como Primeiro-Ministro Rupert “Bobo” Mountjoy de Fenwick e atacar os EUA, e esperar retaliação, perder e pedir financiamento para a “recuperação pós-guerra”, hehehhe

  17. Enquanto isso tem dinheiro para os partidos politicos gastarem sem necessidade de fiscalização. E tem gente que defende esta democracia cleptocrática.

  18. Falta dinheiro para projetos militares, mas dinheiro para fundo partidário, para dar uma gorda vida boa a parlamentares e magistrados sobram bastante, dinheiro para emendas parlamentares e alguns luxos desses senhores do Olimpo.

    Tem que se rever muita coisa, inclusive aposentadoria e pensão para filhas gordas de militares, que não se casam para não perder a boca das mas muitas tem família constituída.

    Vendo a CRE&DN, é nesses momentos que acho que o Brasil deveria ser atacado por um safado como Maduro, para quem sabe abrir a cabeça dessas múmias velhas e de beiço caído do nosso parlamento…

    Um que eu gostei, que até tentou ou pareceu estar preocupado com a situação, foi o Eduardo bolsonaro, que focaram muito na imagem dele, apesar que acho que só estavam tentando pintar uma imagem dele como parlamentar ativo.

    Mas enfim, a situação é grave, e parece que daqui a pouco irão se apresentar na CRE&DN os militares da MB

    • “Um que eu gostei, que até tentou ou pareceu estar preocupado com a situação, foi o Eduardo bolsonaro, que focaram muito na imagem dele, apesar que acho que só estavam tentando pintar uma imagem dele como parlamentar ativo.”

      Adriano,

      Nesse caso específico, não há nada a se estranhar com o fato do Eduardo Bolsonaro ter aparecido mais: ele é o presidente da CREDN. Apareceu principalmente porque tomou a palavra para pedir aos colegas que diminuíssem o volume da conversa para respeitar a exposição do chefe da COPAC. E depois passou às deliberações – enfim, é o papel dele.

  19. Senhores, acertar gastos vai demorar e redução efetivo por temporário também, todo funcionalismo chora, porem ganha muitas vezes mais e tem estabilidade do que um de nos, não adianta a casta pública pensa assim. Em outros países e ao contrario, talvez explique o nosso atraso.
    Poderiam , no caso kc390, antecipar entrega para outros compradores e fazer esforço de vendas do mesmo. Portugal será grande vitrine e se conseguirmos homologar todas as possíveis capacidades o kc e fazer propaganda e esforço político eficiente resolveriamos em parte a indisponibilidade atual recursos. Temos nesta linha adarter, Msnsup , astros, napa500, subs, ia2, marrua, iveco, supertucano, etc…. poderia se antecipar entrega com royalties a receber. Faas seriam vitrine vendas, seria ótimo Brasil e paras forças defesa.

    • Colega pesquise quantos auxiliares cada ministro do STF possui. Irá ficar de queixo caído.
      Antes de diminuir o efetivo de nossas FFAA (ideia aparentemente boa, mas que é um tiro no pé) precisariam é de mais armamentos e bases pelo país. Sem falar em mais presença brasileira na Antártica e África.
      Entretanto a malícia é dexar nossas forças mais fracas inclusive no seu número de tropas.
      Abram seus olhos! O inimigo é ardiloso.

      • Farroupilha, náo preconizo nem redução efetivo nem redução gastos faas. Comento, com base em experiencias e gastos de outros paises que tem desempenho muito superior ao nosso com gasto menor ou equivante, lembrando que os custos e salários são bem maiores que os nossos, náo só para uma parcela da sociedade mais para todos. Serviço de 8 anos para maioria tropa, treinados e pagos como profissionais. Ressalto que Israel possuem efetivo na forca aerea de 34000 homens e cerca de 700 aeronaves de ponta.

  20. Acho que está faltando aos militares fazer um convencimento dos políticos (Congresso) do que pode resultar o descaso com a defesa, e o momento é esse em que alguns atores estrangeiros deram com a língua nos dentes e revelaram um antigo desejo deles para com o Brazil.

    • Os políticos brasileiros são uma das raças mais safadas que já pisaram aqui nesta terra de zé ninguém. Quando explodir uma guerra eles vão ser os primeiro a fazer as malas e se mandar do país

    • Enquanto isso os parlamentares rindo a toa com mais regalias ainda. Vai sobrar dinheiro para eles.
      Nosso problema esta no Congresso vampiresco e não nas FFAA.

  21. Nossa quando recebermos e se recebermos as 36 unidades do Gripen em 2026 ele será o mais moderno das velharias existentes.
    Pelo jeito sempre teremos uma aeronáutica Brasileira e nunca uma verdadeira Força Aérea.
    Deveriam mudar as siglas da FAB para AEB (Aeronáutica Brasileira).
    Quanto ao “avião de papel” seguirá o mesmo caminho de seus antecessores.
    Em 2026 comprarão novo projeto mirabolante para torrar o dinheiro nacional.
    Quanto aos políticos nacionais e o filho metido a Base boy do bobo da corte, não vou nem gastar saliva para contar.

  22. Os gráficos demonstram o quanto os contratos dos militares são feitos em bases ilusionistas. Vejam que os contratos têm uma curva ascendente de gastos, crescimento muito superior do que a inflação, que deveria ser o limite do crescimento do gasto. Fazem o contrato jogando o grosso da despesa para a frente e decerto começam a rezar para a economia melhorar ou para entrar um presidente que priorize a defesa. Assim não funciona, é um péssimo planejamento, o certo é ter despesas em fluxo constante, compatível com o crescimento possível do orçamento, e não esse fluxo ascendente, que claramente é impossível de ser cumprido, ainda mais porque as demais despesas não caem, só aumentam.
    Sinceramente, fica claro que os comandantes vivem num país de sonhos, jogando com a possibilidade de conseguir mais verba depois que o contrato esteja assinado. Triste, mas isso só leva a prejuízos, renovações de contratos com multas elevadas, frustração de cronogramas, etc, etc.

  23. Alguem jah cantou a pedra aqui e faco coro: em tempos de aperto, se nao houver pesados impedimentos contratuais, cancela-se a versao biplace do Gripen e substitua pela mesma quantidade de monoplaces.

    Entra ano, sai ano e a historia eh sempre a mesma: verbas para as Forcas serao sempre contingenciadas dadas outras prioridades que competem pelo mesmo bolso (e oferecem melhores resultados eleitorais).

    Pragmatismo economico parace ser um conceito pouco aplicado em projetos que requerem compromissos financeiros de longo-prazo. “Querer” e “poder” sao verbos diferentes e no Brasil a distancia entre eles eh abismal.

  24. #Reforma política já… se todos devem reduzir o orçamento incluindo setores estratégicos de defesa que é de grande importância então meros parlamentares não são uma exceção, reforma política já cortes no número de deputados e cargos corte nas regalias redução dos gastos já…
    Eu apoio e vocês também devem apoiar…

  25. Senhores, muitos de nós sonhamos com um segundo (e terceiro) lotes de Gripen. 108 aeronaves. Sei que o assunto aqui é aéreo, mas no naval é a mesma coisa, 2º e 3º lote de S-BR, mais um (ou dois ou 3) submarino nu-cle-ar! Mas agora a realidade começa a bater, e bater com força.

    Historicamente o Brasil não cumpre os seus programas de reequipamento militar. Foram raríssimos os casos que um programa prolongado foi mantido. Adquirimos muito menos AMX do que o inicialmente contratado, planejamos 16 Inhaúmas, completamos 4.

    Vão dizer que estou sendo pessimista, mas se até 2026 tivermos 24 Gripen, 18 KC-390 e 2 S-BR (e uma única Tamandaré) entregues já vai ser um milagre. Nenhum órgão público quer fazer a reestruturação necessária pra se tornar eficiente. E ai do Ministério da Economia que quiser forçar isso por asfixia.

    “Vamos contratar um 2º lote agora que os juros suecos estão negativos…”
    Os senhores realmente acham que os suecos são tão ingênuos que vão abrir um segundo financiamento quando claramente não estamos nem conseguindo pagar o primeiro?

    • “Nenhum órgão público quer fazer a reestruturação necessária pra se tornar eficiente” – pra que isso, o importante é a ISONOMIA no salários dos servidores públicos e oficiais militares, sorry se nós somos uns ferrados meros trabalhadores de segundo escalão…

    • No mínimo teremos mais 36 Gripen, muita histeria velho, tem até tem até 2026 para assinar o segundo lote, os F-5 começam a dar baixa em 2025

  26. Só não quero ver choro de politico, quando nosso país for invadido e Brasília for destruída.
    ai será tarde para nossa população que só se preocupa com futebol e cerveja.

    • 1. Quem, hipoteticamente, invadiria?

      2. Possivelmente, “Brasilia” seria uma linha auxiliar da invasão. Basta ver o comportamento dos políticos em geral, que pensam mais em si e seu grupo político do que no país e sua população.

      • André

        1 – Uma coalizão liderada por potências européias com apoio velado dos EUA, mas não é pra amanhã, é uns 20-30 anos ou mais. Eles esperarão o momento oportuno que serão as crises ambientais e climáticas, pois este cenário dá um ar de legalidade a operação, e a guerra híbrida ja começou, o objetivo dela é nos enfraquecer, nos tornar párias preparando o futuro. Desembarcando aqui fatiariam tudo em novas capitanias hereditárias entre eles, o espólio de guerra. Hoje não é viável, mas nas futuras décadas com o agravamento das crises ambientais e humanitárias vai haver apoio suficiente. Quero crer que vc não imagina Rússia ou China fazendo isso, nem tampouco nossos vizinhos pobres, seria muita ingenuidade. Pra encerrar, se nenhum desses cenários que sugeri forem verossímeis então não há necessidade de forças armadas.
        2 – São além de ratos muito mal esclarecidos.

        • Contra coalizão paises, náo teríamos muitas chances, a náo ser que parem gastar mais 80% com pessoal e passem a investir em equipamentos ponta, nacionalização itens consumo/armas ponta em quantidade e profissionalização da tropa.

      • Bom, já estamos vendo movimentos descarados da França e seus aliados discutindo sobre a soberania brasileiro em relação a Amazônia. Água mole em pedra dura…… Isso não seria do dia para noite, mas nossos inimigos estão esperando nossos vacilos, e o que não falta e o monte de motivos que estamos dando. Você crer seria mente que o mundo gosta mesmo do nosso povo, você crer que se na hora “H” esses caras não nos invadiriam para garantir sua sobrevivência. Americanos eram amigos do Saddan contra o Iran, eram amigos do grupo do bin laden na guerra contra a URSS. Amigos mudam de lado muito fácil nesse mundo e o que nos garante são nossos dentes. E para tal demora muito para crescer dentes de respeito. Quando acordarmos será tarde demais. Ai não adianta chorar, pois os ocupadores iram cancelar nosso feriados.

      • quando você quer deixar um povo de joelhos não precisa de uma invasão militar. Mas quando você quer os recursos, você acho um pretexto bem idiota como “estão destruindo a Amazônia” ai forma uma coalizão (uma divisão dos espólios) ai invade faz o que quer e ninguém te impede. Quer paz, se prepare para a guerra com simulação contra qualquer um. Esteja preparado.

  27. Um aspecto básico a respeito do qual gostaria de ter maior clareza consiste no fato de que o planejamento demonstrado contempla básicamente os desenbolsos a serem realizados no âmbito da FAB
    Entendo que ali estejam considerados todos os custos diretos. Por exemplo, no caso do KC390, os montantes declarados são utilizados para remunerar a EMBRAER e todos os subforencedores, tais como as turbinas que, em particular, devem responder por algo em torno de 30 a 40% dos custos!
    Se estendermos o mesmo raciocínio para o programa do GRIPEN, nos recursos contemplados certamente estão parcelas a serem pagas não somente à SAAB/EMBRAER propriamente, mas também outros envolvidos. Entre estes outros, por exemplo, em qual rúbrica estão lançados os custos de instalações novas em Anápolis? Quanto deste montante é destinado aos proprios quadros da FAB? Quanto custa treinar um piloto de caça? Quais são os componentes que são pagos em Reais, em Coroas Suecas e em Dolar?

    Por outro lado, como toda equação há pelo menos dois membros! Há o lado das despezas? Claro! Mas e os ganhos para a Nação? Quanto qualquer um destes programas acrescenta de positivo à nossa economia? Acho que os profissionais da FAB devem reforçar este lado. Os prejuizos economicos pelo redução destas atividades são imensos. Esse lado é que eu acho que poderia ser mais enfático!
    No caso da aviação acho que vários players poderiam apresentar argumentos adicionais. Por exemplo, no próprio caso da EMBRAER e programa do KC390, quanto que a venda para Portugal ajuda neste contexto! Não poderiam ser antecipadas entregas para Portugal e de certa forma compensar o lapso na cadeia de produção?

    Não que estas considerações resolvam os problemas orçamentários da FAB, mas entendo que pelo menos conscientizando melhor a maioria dos cidadãos pagantes de impostos – e, diga-se, desempregados – isso pode ajudar em muto a reverter esse quadro extremamente negativo.

  28. Todas essa baboseira para dizerem que esses dois programas vão para o beleléu (aliás já tinham dito isso aqui e somente os inocentes, incluído eu não acreditaram). F39 somente primeiro lote a duras penas (em 10 anos vem a canibalização). KC 390? A FAB ficará com uns 10 e olha lá e o resto do pedido vão empurrar para alguém, tentando reduzir o prejú!
    Brasil é a eterna piada pronta.

    • Nossos militares (principalmente eles na nossa sociedade) têm que pararem em suas declarações e estudos estratégicos de afirmarem que o Brasil não possui inimigos e que estamos numa região sem ameaças… Ora! Depois que inventaram o ICBM não existe esta hipótese de lugar seguro no planeta.
      Que parem de vez com isto. É uma total patetice essa mensagem de paz que passam para o público e políticos.
      E pior que ainda tem coisa pior…
      É falarem, proporem em seus estudos, que com guerrilha podemos defender o país e a amazônia.
      O que esperam com isto?
      Que sejam dados a tropa (e que seja minúscula) apenas revólveres e algumas bananas de dinamite, algumas canoas, e apenas dois ou três tucanos? Ou como FHC queria, que deixemos de ter FFAA?
      Mudem o discurso milicada amiga!

      • O que deve ser insistentemente repetido nas FFAA para seu pessoal e à sociedade…
        ….O Brasil vive num mundo extremamente perigoso.
        Várias guerras foram feitas com alianças. Uma aliança pode surgir contra nós a qualquer momento.
        Possuímos território sem invernos rigorosos, apto a ser atacado e ficar sob ataque o ano todo.
        Nosso território é passível de ataque tanto via oceano como por terra, não possuímos nenhuma cordilheira verdadeira para nos proteger, ou para servir de guarita.
        Todo nosso território possui riquezas, acima ou dentro do solo.
        Nosso litoral é amplamente favorável a desembarques.
        Nosso tamanho territorial ajuda na nossa defesa, mas igualmente ajuda o inimigo a se apropriar e controlar nacos.
        Não temos nenhuma Potência em nossas fronteiras apta a nos fornecer real ajuda, de armamentos, num conflito.
        Somos grandes, ricos, de clima bom, de relevo bom, de grande litoral, sem vizinhos poderosos, e desarmados, ou seja, somos uma conveniente presa para os grandes fazedores de guerras no mundo, tanto como alvo, como para sermos obrigados a lutar ao lado de algum deles.
        E para completar…
        Nosso mar territorial, também é cheio de riquezas na água, no leito marinho e sob o leito marinho…
        …As FFAA brasileiras não podem virar as costas para sua obrigação constitucional de defender o país, assim por todas essas riquezas e fragilidades apontadas, se faz urgente a necessidade de nosso real fortalecimento, frente as enormes ameaças que nos espreitam.

        • Farroupilha, perfeita colocação. Se você é um país pequeno e de poucos recursos, uma Nova Zelandia da vida não há muito com o que se preocupar, a Austrália é um, país gigante, mas ao contrário de nós eles não tem tantos recursos, a maior parte do país é deserto. Somente existe no mundo um único país rico em recursos naturais e indefeso: Brazil ! Eu não acredito que potências militares com território insignificante vão se contentar no futuro com isso, temos que antever potenciais agressores. E o agravamento de crises ambientais é um pano de fundo perfeito para aventuras além-mar.

  29. Semana passada eu disse que “No money no fighter” e fui execrado aqui. Talvez o primeiro caça ainda vem em 2022. Quem viver verá. Beijos

  30. Não sou militar, apesar de querer ter sido, especificamente na Força Aérea Brasileira e acho uma tremenda injustiça, desconhecimento e parcialidade quando justificam a falta de recursos pelos salários dos militares. Tenho parentes militares e não estão rasgando dinheiro. Falam dos salários de militares que ganham muito, porém, esquecem que estes são oficiais superiores e já quase no final de suas carreiras. Porque não justificam a falta de recursos causadas pelo inchaço da máquina pública nos tres níveis? Porque não falam dos US$ 200 milhões anuais (se não for mais) para pagar as farras apenas dos políticos de Brasilia, sem contar os assaltantes nos níveis municipais e federais. Essas análises são daquele tipo que se aponta o culpado da enchente por ter deixado a torneira da pia aberta.
    É muita infantilidade (ou esperteza para desviar da causa verdadeira). Sempre foi assim e não tenho esperanças que isso mude, nem mais tarde. Essa droga da “mamata” esta no DNA brasileiro, infelizmente. São anos, décadas, séculos de roubalheira e assaltos e mesmo com tudo isso o dinheiro existe, porém, muito bem direcionado para a farra. O que sobra são para custear precariamente as necessidades, apenas para manter o moribundo vivo.

    • Luiz, o site e para discutir assuntos relativos a nossas faas, portanto cobramos e comparamos desempenho das mesmas. A discrepância dos salários e regalia dos funcionários públicos Brasil e vergonhosa, em paises com IDH muito superior ao nosso os salários e benefícios são equivalentes, talvez explique em parte nosso atrasos.Ressalto que temos mais 80000 militares marinha e pouquíssimos meios operacionais ( números de 2017).

        • Então de 2017 para hj mandaram embora 6000 praças, alem de falta meios aumentamos a NR de oficiais sem meios e comandados. Triste cabide ineficaz.
          Deveria ser 60% salários e benefícios e 40% para custeio e investimento, acredito que o valor hj gasto e suficiente, falta gerenciamento eficaz e foco na defesa do Brasil

  31. O mais decepcionante não é nem a falta de $$$, mais sim, os militares que não conseguem ter uma visão moderna de como modernizar as forcas, as mudanças de conceitos na força são extremamente demoradas e só acontecem por forcas extrema dos fatos e não por um planejamento a longo prazo.

    Resumindo os militares apesarem de se acharem o último biscoito do pacote, os salvadores do cenário político nacional, não são nadas diferentes da classe política brasileira, quando há uma economia em crescimento traçam planos mirabolantes, ai ciclo econômico se inverte, os planos vão por água abaixo são obrigados a fazer um planejamento decente e coerente para se adequar a realidade e quando a economia volta a se expandir jogam esse planejamento no lixo por fantasias megalomaníacas e assim se repete.
    É duro falar isso, alguns podem se sentir ofendidos mas é a realidade.

    • Qual seria essa ¨visão moderna de como modernizar a Força¨? Brinde-nos com o seu conhecimento de planejamento estratégico de alto nível. Fiquei curioso. Quem sabe a Sexta Subchefia do EMAER aprenda alguma coisa. E o TB Amaral, CEMAER e 01 de turma.

  32. Mas o pagamento pelo gripen não começaria apenas depois da entrega da última aeronave?
    E aquele pessoal que foi fazer treinamento lá por volta de 2015, 2016, serviu para quê?

    • “Mas o pagamento pelo gripen não começaria apenas depois da entrega da última aeronave?”

      Pelo jeito, essa proposta inicial oferecida pela Saab foi renegociada. Há vários comentários lá em cima discutindo o assunto, você pode ler e, se ainda achar que vale a pena, levantar mais questões a respeito.

      “E aquele pessoal que foi fazer treinamento lá por volta de 2015, 2016, serviu para quê?”

      Nonato, se você se refere a dois pilotos da FAB que se tornaram pilotos de Gripen, alguém tem que começar a voar os aviões das primeiras entregas, certo? Veja o gráfico da mudança nas entregas: apesar das últimas serem postergadas por dois anos, as primeiras, ainda que em menor quantidade, continuam ocorrendo a partir de 2021, como o previsto inicialmente. Isso inclui o primeiro entregue na semana passada, que não será voado apenas por pilotos suecos durante os testes.

      Se você se refere a engenheiros e técnicos, o treinamento iniciado anos atrás continua com novas levas de pessoas, que trabalham não só no desenvolvimento mas na produção de componentes (alguns participam da produção na Suécia e em breve voltarão ao Brasil para produzir aqui).

  33. Sobre gastos públicos, soube há pouco sobre um ‘ótimo’ exemplo: projeto da Funai p/ criação de criptomoeda p/ os índios, custo 44 milhões!
    Gostaria de conhecer o autor do projeto e quem o aprovou.

  34. Saudade dos governos militares, época em que os bandidos do congresso não freiavam o Brasil, por algo o BR crescia muito naquelas décadas, ia sem freio de mão puxado.

    • Nas guerras do Prata que mais impactaram o Brasil, a Coroa mandava oficiais e armas e os gaúchos faziam a guerra por formação e patriotismo. Até Canudos teve a intervenção decisiva da cavalaria gaucha. Mas, os tempos mudaram. O cavalo não é mais arma de guerra. Serve apenas como efeito decorativo e de pretexto para que cavaleiros ganhem verba de alimentação do rocinante, superfaturada, claro. Incrível, mas é verdade. As forças armadas precisam de um choque de realidade para receberem a devida atenção.

  35. A única coisa que acho dos militares, não só no Brasil, como no mundo inteiro como um enorme problema, é que o mundo moderno trouxe uma inflexão galopante na expectativa de vida e assim, a medida que o trabalho intelectual avança e o braçal reduz, a faixa de aposentadoria aumenta no civil pela própria expectativa de vida produtiva.

    Pois bem, no meio militar, tirando exceções de função, um militar de 50 anos não tem condições de exigências físicas a que lhe é inerente. No entanto, o dito cujo está no auge de sua formação técnica e intelectual.

    A verdade é que hoje o homem só morre se for por epidemia ou guerra. Vivível ou militar. Então, para os enormes estoques de cabeças militares fora da idade limite do combate, deveriam ser disponibilizados para o serviço público civil e seguir lá até seu final produtivo como um civil.

    Assim você mais de um coelho com uma só cajadada. Acaba com os cabides públicos, ocupa com mão de obra realmente treinada é formada, continua a remuneração do militar integral ou isonomia pelo cargo civil ocupado.

    Eu realmente faria isto, e no lastro do serviço público de cargos iniciais, de base, estenderia o conceito de serviço militar obrigatório para Serviço Público Obrigatório bifurcado em militar e civil, ambos os sexos, cada qual seguindo sua aptidão

  36. Caraca, desse jeito vamos mal, sempre atrasando tudo, mas não tem outra saida enquanto não regularizarmos e dinamizarmos a nossa economia. Eu não acho que criar um imposto tipo CPMF vá resolver os nossos problemas de gastos maiores que a arrecadação, antes quando foi criada a CPMF para uma finalidade especifica, a arrecadação foi utilizada em sua maioria em outras coisas, não há garantia que o fato não se repetisse.

  37. “Projetos estratégicos da Aeronáutica na CREDN”.
    Roteiro: “-Boa noite, senhoras e senhores. Estamos sem dinheiro, e mais uma vez atrasaremos as nossas metas. Obrigado.”

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here