segunda-feira, maio 10, 2021

Gripen para o Brasil

Mirage F1, da Draken International, faz voo inaugural

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

A Draken International concluiu com sucesso a viagem inaugural do seu primeiro Mirage F1 regenerado em 12 de novembro no Aeroporto Internacional de Lakeland Linder, Lakeland, FL. O F1 supersônico e equipado com radar é uma das 24 aeronaves de combate ex-militares atualmente sendo regeneradas pela Draken, assistida pela Paramount Aerospace Systems (uma subsidiária do Paramount Group)

A antiga frota de Mirage F1 da Força Aérea Espanhola se juntará em breve aos 11 jatos A-4 Skyhawk da Draken e aos 18 L-159 Honey Badgers que atualmente apoiam a USAF na Nellis AFB.

Com a aquisição de 24 Mirage F1s e 12 Denel Cheetahs na primavera de 2018, a Draken espera operar todas as 36 aeronaves de caça avançadas em contratos do DoD em 2020. Com o recente contrato de US$ 6,4 bilhões do Combat Air Forces Adversary Air da USAF, a Draken continuará crescendo em um esforço para fornecer soluções abrangentes que aprimorem o treinamento de prontidão de combate de nossos militares.

“Este voo inaugural dos nossos Mirage F1s é apenas o começo”, afirmou Sean Gustafson, vice-presidente da Draken International. “A Draken está totalmente comprometida com o avanço do setor e a prestação de um serviço que fornece replicação de ameaças segura, crível e realista”.

Sobre a Draken International

Sediada em Lakeland, Flórida, a Draken International estabeleceu um novo padrão no suporte tático a vôos. A frota de aeronaves da empresa é usada para apoiar vários tipos de objetivos de treinamento militar em todo o mundo, proporcionando uma enorme economia de custos em relação ao uso de ativos tradicionais de caças militares. Para informações adicionais, visite www.drakenintl.com.

- Advertisement -

13 Comments

Subscribe
Notify of
guest
13 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Clésio Luiz

Mirage F1: o F-104 feito corretamente.

Maurício Vaz

Verdade maninho xD. eu gosto muito do f1 e do F8 desse estilo. Muito bom caçar migs no Stricke Fighters 2 com o f8 haha

nonato

A Suécia poderia produzir gripens para treinamento e alugar.
Talvez o Brasil pudesse usar.
Ou a Embraer produzir alguns para alugar.
Não seria possível alugar aviões no caso de guerra?
Um país alugar maís aviões só quando for necessário?

Willber Rodrigues

Mas alugar de quem?
E se esse país que alugar sofrer punição por ter alugado a um inimigo?
E se o país que alugou perder a guerra e tiver os caças que foram alugados destruídos?

Flanker

O Brasil emprestou um ou alguns P-95 a Argentina durante a guerra das Falklands. Há muitos outros exemplos mundo afora.

Rinaldo Nery

E Xavante também. O Peru cedeu Mirages V.

Guilherme Poggio

Se não me engano os EMB-111 foram emprestados e os Xavantes foram doados.

pangloss

E todos foram devolvidos, ou algum ficou pelo caminho?

Rinaldo Nery

Só os P-95.

Guilherme Poggio

A FAA fez uma matéria interessante sobre os P-95 em ação nas Malvinas. Qualquer dia desses eu traduzo e publico aqui.

Guilherme Poggio

Alguns Gripen D são anualmente alugados para a ETPS. Além disso a Saab está promovendo o Gripen Aggressor para a USAF.

Luiz Trindade

O dono da Draken foi visionário. Vai faturar uma grana bonita com a USAF e outras Forças Aéreas do mundo que a contratar para fazer treinamento de combate. Muito Show.

Guilherme Poggio

E pensar que esses caças poderiam estar voando com as cores da FAA…

Reportagens especiais

Infográfico: Caças a jato dos Estados Unidos da América – 1945 a 2015

Os aviões de combate dos Estados Unidos da América continuam na liderança tecnológica No infográfico de autoria de u/numante, podemos relembrar...
- Advertisement -
- Advertisement -