Home Aviação de Ataque Preço do F-35A está agora abaixo de US$ 80 milhões, em novo...

Preço do F-35A está agora abaixo de US$ 80 milhões, em novo acordo entre Pentágono e Lockheed Martin

5815
219

Custo da variante da Força Aérea é menor que o de aeronaves de 4ª geração

FORT WORTH, Texas, 29 de outubro de 2019 / PRNewswire / – O Escritório do Programa Conjunto F-35 e a Lockheed Martin (NYSE: LMT) finalizaram um contrato de US$ 34 bilhões para a produção e entrega de 478 caças F-35 ao menor preço de aeronave durante a história do programa. Este contrato inclui todas as aeronaves dos EUA, parceiros internacionais e vendas militares estrangeiras nos lotes 12, 13 e 14.

No contrato, o Programa F-35 cumpre e supera suas metas de redução de custo há muito estabelecidas para cada variante – e o preço unitário do F-35A, incluindo aeronaves e motores, está agora abaixo de US$ 80 milhões no Lote 13 e Lote 14, o custo unitário do F-35A representa uma redução geral estimada de 12,8% dos custos do Lote 11 para a variante de pouso convencional e uma economia média de 12,7% nas três variantes do Lote 11 a 14.

“Reduzir os custos é fundamental para o sucesso deste programa. Estou entusiasmado por o Escritório Conjunto do Programa do F-35 e a Lockheed Martin terem concordado com este acordo histórico de três lotes. Este acordo obtém uma redução de custo média de 12,7% nas três variantes e nos coloca abaixo de US$ 80 milhões para um F-35A da USAF do lote 13 – um lote antes do planejado”, disse o general da Força Aérea Eric Fick, diretor executivo do programa do F-35. “Este acordo de US$ 34 bilhões é um marco verdadeiramente histórico para o Programa F-35”.

O contrato inclui 291 aeronaves para os Serviços dos EUA, 127 para os F-35 International Partners e 60 para os F-35 de Foreign Military Sales. Os detalhes do preço incluem:


Variante

Lote 12

Lote 13

Lote 14

% Redução
do Lote 11*

F-35A

$82.4M

$79.2M

$77.9M

12.8%

F-35B

$108.0M

$104.8M

$101.3M

12.3%

F-35C

$103.1M

$98.1M

$94.4M

13.2%

* Observação: preços finais das variantes do F-35 após ajustes para
Acréscimos no Congresso e outros acordos contratuais são os
seguintes: F-35A – US$ 89,3M; F-35B – US$ 115,5M; e F-35C – US$ 108,8M


“Com estratégias de aquisição inteligentes, forte parceria entre governo e indústria e um foco incansável na qualidade e redução de custos, o Programa F-35 reduziu com sucesso os custos de aquisição do F-35 de 5ª geração para um preço igual ou inferior a aeronaves herdadas da 4ª geração”, afirmou Greg Ulmer, Lockheed Martin, vice-presidente e gerente geral do Programa F-35. “Com o custo unitário do F-35A agora abaixo de US$ 80 milhões no Lote 13, fomos capazes de exceder nosso compromisso de longa data de redução de custos um ano antes do planejado”.

O custo de sub-unidade recorrente de US$ 80 milhões para um F-35 representa um preço de aquisição integrado para o Sistema de Armas de 5ª Geração. Com sensores incorporados e pods de mira, esse preço unitário do F-35 inclui itens que adicionam custos adicionais de aquisição e manutenção às aeronaves de quarta geração herdadas.

Progresso do programa

Com mais de 450 aeronaves operando em 19 bases em todo o mundo, o F-35 está desempenhando um papel crítico no atual ambiente de segurança global. Mais de 910 pilotos e 8.350 mantenedores foram treinados, e a frota de F-35 ultrapassou mais de 220.000 horas acumuladas de voo. Oito nações têm F-35s operando a partir de uma base em sua terra natal e sete Serviços declararam Capacidade Operacional Inicial.

Além de fortalecer a segurança e as parcerias globais, o F-35 fornece estabilidade econômica aos EUA e parceiros internacionais, criando empregos, comércio e segurança e contribuindo para a balança comercial global. O F-35 é construído por milhares de homens e mulheres na América e em todo o mundo. Com mais de 1.400 fornecedores em 46 estados e Porto Rico, o Programa F-35 suporta mais de 220.000 empregos diretos e indiretos somente nos EUA. O programa também inclui mais de 100 fornecedores internacionais, criando ou mantendo milhares de empregos.

Sobre a Lockheed Martin

Sediada em Bethesda, Maryland, a Lockheed Martin é uma empresa global de segurança e aeroespacial que emprega aproximadamente 105.000 pessoas em todo o mundo e atua principalmente na pesquisa, design, desenvolvimento, fabricação, integração e manutenção de sistemas, produtos e serviços de tecnologia avançada.

Fotos F-35A Lightning II Demonstration Team da USAF

FONTE: Lockheed Martin

219
Deixe um comentário

avatar
36 Comment threads
183 Thread replies
3 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
89 Comment authors
Guilherme PoggiofrapalFighting_FalconMortadela FailSalim Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Kommander
Visitante
Kommander

Tá aí, só não compra quem não quer. Quanto custa um Gripen?

John
Visitante
John

Quase esse valor mesmo, mas com transferencia tecnologica e desenvolvimento conjunto, alem de ter parte dos aeros montados aqui.

Gino A. Piva
Visitante
Gino A. Piva

Mas o F-35 tbm tem partes montadas em vários países diferentes e o desenv. tbm é em conjunto com esses países.

Fernando "Nunão" De Martini
Visitante
Fernando "Nunão" De Martini

“ Mas o F-35 tbm tem partes montadas em vários países diferentes e o desenv. tbm é em conjunto com esses países.”

Países que investiram muito dinheiro nesse desenvolvimento, valores que tem que ser somados, em cada caso, com o que vão pgar pelos caças em si.

Cristiano de Aquino Campos
Visitante
Cristiano de Aquino Campos

Países que participam do programa desde o começo e não compradores de prateleira como seriamos. Aliás, e sempre bom lembrar que caças de prateleira tem um preço superior para venda.
Lembrabdo que na epoca do F-X os EUA não nós ofereceram nem os F-15 , dirá o F-35 com a justificativa que o Brasil não precisava de caças desse nivel.

Alfredo Araujo
Visitante
Alfredo Araujo

O custo de aquisição é muito importante… Mas tão importante quanto, ou até mais, é o custo de operação.
Quanto custa manter um F-35 ?

Eduardo Ribeiro
Visitante
Eduardo Ribeiro

Exato. Qual o valor da hora-voo disso daí ? N

Jodreski
Visitante
Jodreski

E… taxa de disponibilidade tb!

GFC_RJ
Visitante
GFC_RJ

Caro Alfredo, Apenas acrescentando sua linha de raciocínio, já faz um bom tempo que a avaliação de custo de equipamentos militares de ponta é feita pelo seu ciclo de vida. Grosso modo, estima-se o custo de aquisição, operação, manutenções, meia-vida, modernizações etc. ao longo, por exemplo, de 30 anos e joga o montante à valor presente. O estudo mais clássico do assunto estimava o custo de aquisição de um F-16 em apenas cerca de 15% a 20% do custo de todo seu ciclo de vida. Há de se ter em conta que esse da matéria é o valor que os… Read more »

Alfredo Araujo
Visitante
Alfredo Araujo

Interessante essa informação a respeito do F16…
Agora.. imagina em um moderno 5th gen ? Com pintura ram, fusão de sensores, e etc… Será q o valor de aquisição é menor do q uns 10% da soma do custo do ciclo de vida da aeronave?!?

Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

Cerca de U$ 32 mil dólares, mas caindo para a meta de U$ 25 mil. Muito próximo dos U$ 22 mil do F-16 C. Isso na metodologia dos EUA que incluem tudo, até salários dos pilotos e mecânicos.

nonato
Visitante
nonato

O salário dos pilotos e mecânicos da FAB já serão pagos, não importa se é um F5 ou F35. Então, se o custo de aquisição é baixo…

Alfredo Araujo
Visitante
Alfredo Araujo

Boa lembrança !
O piloto é pago pela patente né ?!?! Será q importa, se ele pilota C130 ou F22 ?

Tiger 777
Visitante
Tiger 777

Boa pergunta pro Coronel Nery…

Washington Menezes
Visitante
Washington Menezes

Custa outro tanto do preço original, com problemas de entrega nas peças, aqui no PA tem matérias falando a respeito.

Tomcat4.0
Visitante
Tomcat4.0

Com certeza se voa muuuuuito mais um Gripen E/NG do que um F-35 com o valor de sua hora/voo .

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Quanto custa manter um F-35?
Só pelos relatos dos ‘retoques’ constantes no revestimento, que é caríssimo, pode-se ter uma ideia.
Nem tente imaginar o resto.

Tadeu Mendes
Visitante
Tadeu Mendes

Kings,

Voce comenta, simplesmente pelo fato de que voce acha que tem que comentar sobre, incluindo o que voce sabe e o que voce nao sabe.

retoques de revestimento????

Sua necessidade de se fazer presente aqui no blog, ultrapassa o seu bom senso.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Mas, é menos do que os que tentam defender o indefensável.

JPC3
Visitante
JPC3

Fica botando defeito nos caças dos EUA e quando a China e Rússia fazem igual diz que é um espetáculo ou que é uma revolução no combate aéreo???

Por que não reclama dos custos do Hangar refrigerado para J-20?

JPC3
Visitante
JPC3

Sabe quanto custa a manutenção daqueles Sukhois que precisam manter distância dos F-16 com eletrônica inferior?

Kemen
Visitante
Kemen

Inferior… inferior…. E os MIG-21 indianos modernizados, muito inferiores aos F-16 do Paquistão? Hora muitos fatores determinam os resultados.

Kemen
Visitante
Kemen
Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Pois é, Kemen

Esse assunto do revestimento do F-35 já foi abordado aqui.
Na verdade, as falhas e os custos excessivos em geral são assuntos recorrentes.

Tadeu Mendes
Visitante
Tadeu Mendes

Kemen,

Olha a fonte; Daily Mail? Tabloide

Chris
Visitante
Chris

Caro Antonio… Você vive discutindo QUALIDADE…

Você tem noção da diferença que existe em QUANTIDADE ? Da uma pesquisada…

E depois imagine os EUA e seus aliados… Indo com todos os seus caças contra a Rússia ou China !!! Mesmo que fossem meros F-5 (E passam longe de ser)… A surra duraria minutos !

Após a 2a guerra mundial… O ocidente apenas “brincou” de guerra !

JPC3
Visitante
JPC3

A mesma coisa que ele critica nos caças ocidentais ele elogia nos caças chineses e sem nenhum conhecimento técnico, apenas por fotos.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Prezado Chris

Fique calmo que isso nunca vai acontecer.
A OTAN é uma abstração da mente de alguns.
Tenha certeza que quando algo acontecer, ela não estará presente.
E não é opinião minha.

Chris
Visitante
Chris

Estou é me lembrando de alguns cumpanheros…. Afirmando que o F-35 é uma catástrofe….

220.000 horas acumuladas de voo !!!!

Fernando "Nunão" De Martini
Visitante
Fernando "Nunão" De Martini

A catástrofe do F-35 é o custo e o tempo de seu desenvolvimento. Já perdi a conta das centenas de bilhões de dólares que ele custou para desenvolver ao longo de cerca de duas décadas, e quem paga hoje esse custo atual de cerca de 80 milhões de dólares por caça é porque já pagou, em lotes anteriores ainda não plenamente desenvolvidos, mais de 200 milhões por aeronave. Então é bom não deixar os 80 milhões por caça, conseguidos agora com aumento da escala, obscurecerem a catástrofe dos custos gigantescos de desenvolvimento e dos lotes iniciais. Fora isso, promete ser… Read more »

ghutoz
Visitante
ghutoz

normal esses custos, o projeto é ambicioso, no fim da vida útil é que se deverá fazer os cálculos e chegar no veredito

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

No fim da vida útil dele, vc poderá comprar um radar para detectá-lo no AliExpress.
Bola fora.
Caríssimo e pouco efetivo.

Alfa BR
Visitante
Alfa BR

“No fim da vida útil dele, vc poderá comprar um radar para detectá-lo no AliExpress”

Então o T-50 e o J-20 são inúteis.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Logo serão.

JPC3
Visitante
JPC3

De onde você sabe a efetividade algum caça, kings?

Kemen
Visitante
Kemen

AK – Reparei na coincidencia da Turquia comprar o S-400 (e não o Patriot), justamente após Israel ter recebido seus F-35. Muita coincidencia… sera que compraram sem conhecer o S-400? E tem Patriot operando pela OTAN na Turquia, mais estranho ainda.

Marcelo Machado
Visitante
Marcelo Machado

Tem vendas feitas para países que não participaram do desenvolvimento via FMS, é o caso do Japão, Coreia e Israel.. Ao que parece, não se cobrou mais caro de quem não pagou o desenvolvimento. O Brasil entraria nessa. Sou muito crítico dessa visão de transferência de tecnologia. Melhor comprar de prateleira e investir em pesquisa.

Fernando "Nunão" De Martini
Visitante
Fernando "Nunão" De Martini

“ Tem vendas feitas para países que não participaram do desenvolvimento via FMS, é o caso do Japão, Coreia e Israel.. Ao que parece, não se cobrou mais caro de quem não pagou o desenvolvimento.“ Os valores dos pacotes para países que não faziam parte do consórcio estão aqui no site, em matérias anteriores, e tirando o caso de Israel que é uma situação à parte, pois recebe ajuda financeira dos EUA para defesa, os custos não foram exatamente de prateleira. Eles incluem os caças e outros itens (logística, peças, treinamento etc) e o valor pode até dobrar. Caso da… Read more »

Tiger 777
Visitante
Tiger 777

Nunão, há de se pensar também na necessidade da venda ser aprovada pelo Congresso dos EUA, ok???
Eles poderiam alegar que a venda ao Brasil, afetaria o equilíbrio regional…

Marcelo Machado
Visitante
Marcelo Machado

Entendo que é muito difícil chegar num valor base para comparar. De qualquer modo vale a reflexão: 160 mi num F35 pacote completo (preço mais caro que se pode pensar) vs os 130 mi que o Brasil pagou por Gripen (4,68 bi / 36) deve nos levar a alguma reflexão. Mesmo considerando o custo a hora de vôo. São aeronaves incomparáveis!

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Mais de 80% das vendas são para o Governo americano.
E a tendência é que esse percentual amente, visto o pouco entusiasmo no mercado internacional com relação ao projeto.

JPC3
Visitante
JPC3

Engraçado dizer isso, todo o mês vem notícias novas sobre vendas de F-35.

É o caça com mais encomendas no mercado internacional.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Sim.
10 encomendas do Japão.
5 da Coreia do Sul.
E 300 da USAF.
Continuem assim.

JPC3
Visitante
JPC3

Só as vendas externas são maiores que as encomendas russas de Su-57 e Mig-35 pelos próximos dez anos.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

A necessidade (ou seria desespero) de empurrar armamentos para os outros países sempre foi dos EUA.
Sua indústria de armamentos precisa muito disso.
Significa muitos dólares e empregos para eles.
A Rússia e a China não têm culpa de estarem aumentando suas vendas, inclusive de clientes que eram exclusivos dos americanos.

JPC3
Visitante
JPC3

E agora o kings fica sem resposta e some como sempre.

Tadeu Mendes
Visitante
Tadeu Mendes

Kings,

140 para o Japao,

75 para Israel,

40 para a Coreia do Sul.

Quer que eu siga, ou paro por aqui.

Que problema horrivel. Voce nao fala nada que sirva.

O F-35 chegou para ficar, chegou para dominar e para derrubar as banheiras da Russsia e da China.

JPC3
Visitante
JPC3

Primeiro ele diz que não vende, depois inveta uma justifica para centenas de vendas.

Sempre assim.

Chris
Visitante
Chris

Ja vi matéria falando que nesse custos, incluíram até o custo das mais de 2.000 aeronaves programadas para serem produzidas.

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
Famed Member

Sim, tem matérias sobre custos globais do programa, mas eu estou falando especificamente sobre os de desenvolvimento, para que se coloque no devido contexto esses 80 milhões por caça atingidos agora, pois já são quas duas décadas de programa eisso acaba sendo esquecido por muita gente.

Quando se soma tudo, incluindo custos operativos previstos ao longo da vida útil de todos os caças, as estimativas ultrapassam 1,5 trilhão de dólares, de longe (muuuuuito longe) o programa de avião de combate mais caro da história, em termos absolutos e relativos.

Luiz Antonio
Visitante
Luiz Antonio

O fato inconteste é simplesmente um projeto que não é e não foi para “Zé biriba”.

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
Famed Member

Certamente. Por isso mesmo não contesto isso.

Alfa BR
Visitante
Alfa BR

“Já perdi a conta das centenas de bilhões de dólares que ele custou para desenvolver ao longo de cerca de duas décadas…”

Quais os valores Nunão? Quantas “centenas de bilhões de dólares”?

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
Famed Member

Alfa BR, se eu escrevi que perdi a conta, que adianta perguntar pra mim? 😀😀😀

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
Famed Member

Achei as contas!
E vi que cometi um erro, segundo essa fonte, que foi baseada numa matéria do Bloomberg:

https://www.investors.com/news/lockheed-martin-f-35-cost-stabilizes-at-406-billion-pentagon-says/

Então eu corrijo para “dezenas de bilhões de dólares”, pois segundo essa reportagem são 406 bilhões de dólares gastos e estimados em desenvolvimento e compra dos caças, dos quais cerca de 60 bilhões são da conta de desenvolvimento, sendo o resto da conta de aquisição.

Seis dezenas de bilhões de dólares para desenvolvimento, subindo para quatro centenas de bilhões somando desenvolvimento e aquisição e 15 centenas de bilhões somando os custos totais ao longo do ciclo de vida até 2070.

Ivan
Visitante
Ivan

Nunão,
.
Palavra mágica: “caça-bombardeiro”.
Ok, duas palavras. 🙂
Concordo inteiramente e já faz muito tempo…
.
O F-35 qualquerletra será, ou melhor, é o melhor caça-bombardeiro do mundo, seja qual for a geração da aeronave.
Sua baia mais profunda para maior quantidade e volume de armamento é um enorme diferencial, que por sua vez cobra o preço no formato gordinho penalizando o desempenho dinâmico da aeronave.
.
Para quem pode dispor da combinação F-22 Raptor + F-35 Lightning II, ótimo.
Para quem não pode… tem que combinar com outros meios.
.
Forte abraço,
Ivan, o antigo.

Tadeu Mendes
Visitante
Tadeu Mendes

Ivan,

Perfeito comentario. Nada a acrescentar.

Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

Ivan, eu discordo. O único caça operacional que pode ser considerado melhor que o F-35 em superioridade aérea é o F-22. E isso no 1×1, em quantidade o F-35 é até melhor.

Portanto se você tem o F-35, não precisa combinar com nenhum outro caça para a missão de defesa aérea, interceptação, superioridade aérea. Ele é melhor que qualquer outro.

Ele foi sim otimizado para ataque/bombardeiro, mas devido à furtividade e aos sensores que possui, ele é excelente em combate aéreo também, melhor que qualquer 4a geração. Não precisa de muleta não.

Tadeu Mendes
Visitante
Tadeu Mendes

Luis Henrique,

O F-22 tem os seus segredos que ninguem sabe. Portanto, eu concordo com o Ivan nesse aspecto.

Uma ataque/combate binario (F-22 + F-35) seria uma tragedia para qualquer forca aerea inimiga.

O F-22 pode muito bem funcionar como um doberman no dogfight, e o F-35 como um Pitbull . rsrsrsrsrs.

Desculpe a metafora. Nao pude resistir..rsrsrsrs.

Kemen
Visitante
Kemen

T. M. – O F-22 é superior ao F-35, e devido a descontinuação do software utilizado e seu custo, a produção parou, mas usando a sua colocação eu diria que o F-22 esta para um Fila-brasileiro e o F-35 para um buldogue ingles (gordinho pesado e lento com forte mordida). O melhor para operações que envolvesem risco de combate aéreo e se conhecesem as posições das baterias terrestres de misseis seriam os Strike Eagle escoltando os F-35 para eventuais combates aéreos que pudessem surgir.

Kemen
Visitante
Kemen

Interceptação com certeza não, mach 1.5/1.6 precisa voar com escolta dependendo da missão! Ele é bom pela furtividade e principalmente em ataque ao solo, se o F-35 tiver a informação de onde estão as defesas aéreas no momento da operação. Tem condições para uma boa defesa aérea à distancia, próxima correria perigo em se tratando de aviões de 4.5 geração.

JPC3
Visitante
JPC3

Seria melhor parar de procurar fontes que criticam o F-35 e começar a procurar fontes que expliquem as reais capacidades do caça.

Kemen
Visitante
Kemen

Já procurei, a maioria é puro marketing ao constatar que muitas alegações colocadas como coisas novas já existem em outros aviões a bastante tempo, mas veja… é só mudar o nome ou a simbologia para dar a impressão que é coisa nova, não é ?
Além de alguns ainda colocarem um computador representativo para simularem os processadores e barramentos que existem nele, e outros ainda acreditam que montaram um desktop dentro dele! Haja!

Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

Kemen, essas informações de velocidade máxima, principalmente em Mach confundem e precisam ser melhor explicadas. O Mach é a velocidade do som, porém essa velocidade varia conforme a altitude e temperatura. Para exemplificar a velocidade do som a 60 mil pés de altitude é 1.062 km/h. E ao nível do mar é 1.225 km/h. A Dassault e a Boeing sempre divulgaram a velocidade máxima de Mach 1.8 para seus respectivos caças Rafale e Super Hornet. Já a Lockheed Martin divulgou Mach 1.6 para o F-35. Porém o F-35 é mais rápido que o Rafale e que o SH. São 1.930… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
Famed Member

“Outra coisa, acionar o pós combustor para realizar uma interceptação é raríssimo.” Pelo contrário, Luís Henrique. Interceptadores foram criados para decolarem com o pós-combustor acionado e atingir a altitude e o raio máximo de interceptação supersônica com PC. Tenho aqui comigo o manual do Mirage IIIE, por exemplo, e ele mostra exatamente isso. As missões de interceptação com máximo desempenho, excetuando-se os MiG-25 e MiG-31 que são realmente pontos fora da curva, são feitas em velocidade supersônica e PC ligado. Estou com preguiça de procurar e abrir o pdf do Mirage III, mas tenho alguns dados do Mirage F1 à… Read more »

Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

Sim Nunao. Agora que eu percebi a maneira que eu escrevi. Os caças supersônico foram criados para atingirem velocidades supersônicas. O que eu quis dizer é que a velocidade máxima é raramente atingida. Como você mesmo mostrou o Rafale faz interceptação a Mach 1.4 e não a 1.8 E como os exemplos deixam claro, essas interceptações só são possíveis quando o alvo está relativamente próximo. Outra coisa, se um bombardeiro está fugindo a 1.000 km/h você precisa de um interceptador voando mais rápido para alcanca-lo. Mas se o bombardeiro está vindo de encontro, ou parcialmente de encontro, já não é… Read more »

kemen
Visitante
kemen

L. H. – Colega sugiro que reveja alguns de seus conceitos e informações. Certamente já houviu falar em “thrust toweight ratio” F-15 : 1.04 carregado com combustivel e armas nominais. Rafale: 0.988 carregado com combustivel e armas F-35: 0.87 carregado só com combustivel Eurofighter : 1.15 carregado para interceptação. É o mesmo que ter dois carros um com 100 cv e 1 tn. e outro com 150 cv e 2 tn, mesma relação de marchas. O de melhor desempenho, menor consumo, é o primeiro, não tem outra! “Aircraft with thrust-to-weight ratio greater than 1:1 can pitch straight up and maintain… Read more »

Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

Caro Kemen, Sim, eu já ouvi falar. Agora eu te pergunto: O F-35 com os 0,87 de twr que você colocou estará levando 9.261 kg de carga, como o máximo de combustível é 8.391 kg, ainda sobra 870 kg para armas. O Rafale com os 0,98 de twr que você citou estará levando 5. 604 kg de carga. Se estiver com o tanque cheio (4.700 kg), terá 904 kg de armas. Agora sim, a pergunta: você acha a comparação justa? O F-35 está levando 3.657 kg a mais. Coloque a mesma carga de 5.604 kg no F-35 e seu twr… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
Famed Member

Ivan mapento, há quanto tempo!
(Rimou!)

JPC3
Visitante
JPC3

Não precisa combinar com outros meios obrigatoriamente, até porque não existe outro meio que possa acompanhar o F-35 nas missões para as quais eles foi projetado.

Caça bombardeiro também é caça. Não é mesma coisa que aeronave de ataque.

Kemen
Visitante
Kemen

“Caça é um tipo de avião militar concebido para combate aéreo (com outros aviões), em oposição ao bombardeiro, desenhado para atacar alvos terrestres através de bombas.”

Um pouco estranha essa definição, mas em síntese indiretamente se refere à função de interceptar, e é exatamente para o que o F-35 não foi projetado, para interceptar.

Tadeu Mendes
Visitante
Tadeu Mendes

Kemen

The F-35 is a fighter bomber (multi role) . It can enter a dogfight without a problem.

The USAF and US Navy > F-35 >Interceptor (jetfighter)

The USMC > F-35 > fighter bomber.

The F-22 is a jetfighter primarily.

Kemen
Visitante
Kemen

O F-35 também deve em desempenho, é Stealth tudo bem, mas é tudo que realmente oferece, o que mais tenho para descobrir a seu respeito, tem um mundo de norte americanos (e veja que adoram sua pátria) se referindo a problemas e deficiencias do F-35 desde que foi finalizado e que algumas tem sido corrigidas, mas nós brasileiros conhecemos tanto dele, que o achamos uma maravilha! Esquisito pacas!

JPC3
Visitante
JPC3

Stealth é tudo o que o F-35 oferece?

Então o colega tem muito ainda para saber sobre ele.

Por outro lado, o Gripen também não atende os requisitos da USAF, da USNavy (se houvesse uma versão naval) e mais um monte de forças aéreas pelo mundo. Inclusive por causa de desempenho como alcance e capacidade carga.

Se existem caças pesados é porque os leves tem sim sérias limitações.

Kemen
Visitante
Kemen

O colega se refere ao Gripen C com certeza, para seu melhor conhecimento foi desenvolvido o Gripen E com maior alcance e velocidade que o F-35, e também sera desenvolvido o F, feito mediante especificações da FAB, é um caça interceptador, bombardeiro, e de combate aéreo (multimissão) que atende plenamente às requisições de nossa força aérea, é um caça de 4.5. geração não furtivo mas com baixo RCS, podendo integrar uma panóplia de armas sem limite, é só solicitar as integrações dos misseis existentes ou futuros que se desejam, não precisam desenvolver misseis especiais para “encaixar nele” o limite é… Read more »

JPC3
Visitante
JPC3

Não atende porque é um caça leve de menor alcance.

Está se esforçando para não entender?
Quer que eu bote os links de alcance tudo de novo?

Quem sabe começa a usar fontes sérias aos invés de ficar apenas procurando defeitos.

Não é possível que você não entenda o que são requisitos de projeto.

Não sabe do alcance.
Não sabe do IRST.
Não sabe do DAS.
Não sabe o Towed decoy.
Não sabe da capacidade de guerra eletrônica

Aí fica difícil….. Muita má vontade para entender as coisas.

Kemen
Visitante
Kemen

JPC3 o colega apela sempre, eu não sei nada… pode ser existe muita coisa entre o céu e a terra, com certeza o colega sabe tudo ainda não contribuiu para me ensinar algo, apenas para me confundir, e até agora não provou o que escreve, eu tenho mostrado sempre, com aportes os mais diversos. O colega sabe tanto que DAS não é assim é assim DASS. E la vem com que o F-35 e sua incrivel velocidade e performance, suoerior a tudo e a todos. Guerra eletrônica existe a anos! Colega como venho seguidamente mostrando e provando aqui, o F-35… Read more »

Kemen
Visitante
Kemen

Quais são essas series limitações de todos os caças leves de 4.5a. geração?

JPC3
Visitante
JPC3

O F-35 deve em desempenho porque tem ênfase em ataque, precisa ser furtivo, volumoso e pesado para carregar muito combustível e voar longe dentro do espaço aéreo do inimigo.

Enquanto o nosso Gripen é um reprojeto de um caça leve de curto alcance planejado para defesa aérea de um país pequeno.

São projeto diferentes, tem que saber onde terminam os defeitos e onde começam as diferenças de requisitos.

Se oferecem Gripen para a USAF, Força Aérea Francesa ou do Japão eles vão dizer que ele não satisfaz as necessidades. E não satisfaz mesmo.

Kemen
Visitante
Kemen

1- F-35 voa longe, mas menos longe que o Gripen E.
2- Enfase em ataque terrestre.
3- Gripen C, para pais pequeno. Gripen E para pais extenso.
4- Sobre o Gripen E, ainda não se conhecem defeitos, até pode vir a ter algum, mas ainda não foi diagnosticado nenhum.
5- Qual o peso político de um pais como a Suecia no ocidente? Qual o peso politico de um pais como os USA no ocidente?
Gostaria que você detalhase por que a França que produz seus caças compraria Gripen? O mesmo vale para o japão que é aliado dos USA, nunca vai comprar nenhum caça europeu.

JPC3
Visitante
JPC3

Não e já te coloquei os links aqui.

Só fazer o cálculo da relação peso combustível

O Gripen precisa de no mínimo dois tanques externos para ter o mesmo alcance, já coloquei o link.

Vou ter que colocar de novo???

Se alguém quisesse um caça da categoria do Gripen teriam projetado assim. simples

Tem três pessoas aqui te explicando com educação.

Quem sabe para de procurar fonte ruins que falam mal e começa a procurar as fontes que falam bem para equilibrar as coisas.

Tadeu Mendes
Visitante
Tadeu Mendes

Kemen, Tem um mundo de Americanos criticando o F-35, porque estao resentidos com o Texas, que levou os empregos para la’. Tem um mundo de politicos Americanos, que gostariam de ter levado a fabrica do F-35 , para os seus respectivos estados. Oportunidade de empregos que nunca mais voltara. Tem um mundo de Americanos na Boeing, chorando ate’ hoje, porque perderam, o contrato militar mais ambicioso e lucrativo da historia da industria de armamentos Americana. A Lockheed Martin e o Estado do Texas sairam lucrando em todos os sentidos. Portanto; a lista de gente para criticar o F-35, seja por… Read more »

JPC3
Visitante
JPC3

Tem críticas justas de verdade e tem outras feitas por pessoas sem noção. Muitas das críticas são feitas por pessoas que nem são da área de aviação e sabem menos que a maioria de nós.

Tem cara lá sugerindo que a USNavy compre Gripens que é feito com requerimentos totalmente diferentes.

Tipo, qualquer um escreve o que quiser.

JPC3
Visitante
JPC3

Orgulho não deixa a pessoa admitir que a está errado. Podemos botar links aqui e amanha vai ser a mesma coisa.

Não sei a dificuldade para entender que aviões maiores com o dobro da potência e 150% mais combustível tem obviamente maior capacidade.

É mecânica quântica…

Kemen
Visitante
Kemen

Colega, duvido que saiba algo de mecânica quântica não tente aparentar para todos que é um sábio ilustrado.

Sugiro que aprenda sobre.

– Thrust to weight ratio – para parar de escrever coisas sem sentido a respeito da superior performance do F-35 sobre o Gripen E. Quem se der ao trabalho, vai perceber o que isso representa em relação ao absurdo que o colega escreve e não prova.

Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

Kemen, se você se der ao trabalho de pesquisar o F-35 mais a fundo, vai perceber que pode instalar refletores Lunemberg para tornar sua RCS grande, e mesmo assim ele continua sendo superior à todos os caças de 4a geração.

Kemen
Visitante
Kemen

L H – certamente é superior mas só na furtividade, mas nisso também perde para o anterior F-22.

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

por volta do mesmo preço o Brasil, vai pagar cerca de 150 milhões de dólares, o Gripen tem o valor de cerca de 80 milhões de dólares, o Brasil comprou motores extras, armas, manutenção e ToT,

francisco Farias
Visitante
francisco Farias

Quem comprou primeiro se ferrou.
Os norte-americanos empurraram o F-35 a preços exorbitantes nos seus vassalos. Agora se dão ao luxo de comprar bem barato.
A fabricante não terá prejuízos, pois os gastos no desenvolvimento do projeto foram quitados com as primeiras vendas.

teropode
Visitante

Vassalos ? Não consigo ver vassalismo no Japão, CS , Israel , Itália, Austrália, alguma coisa não se encaixa neste adjetivo quando ele se refere a estas nações com alto grau de desenvolvimento humano . 🤔

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Não consegue ver vassalismo?
Japão é ocupado militarmente pelos EUA.
Coreia do Sul depende do guarda-chuva americano.
Já a Austrália bloqueou a Huawei de operar no País por ‘sugestão’ dos EUA, quando praticamente todos os outros países aceitaram a chinesa.
Basta pesquisar que teremos dezenas de outros exemplos.

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
Famed Member

“Os norte-americanos empurraram o F-35 a preços exorbitantes nos seus vassalos. Agora se dão ao luxo de comprar bem barato.” Os EUA também pagaram preços exorbitantes nos primeiros lotes, isso estava nos contratos assinados pelos participantes do programa. “A fabricante não terá prejuízos, pois os gastos no desenvolvimento do projeto foram quitados com as primeiras vendas.” Não terá prejuízos porque o contrato (cuja modalidade é hoje altamente contestada por gerar uma bola de neve em gastos adicionais, e que não pretendem repetir em futuros programas) dá lucro para a fabricante tanto no desenvolvimento quanto nas vendas. As primeiras vendas nem… Read more »

Tadeu Mendes
Visitante
Tadeu Mendes

Francisco Farias,

Falando besteiras outra vez? Da um tempo.

Vassalos? Quem compraram os primeiros, foram os diferentes ramos militares americanos, USAF, USMC, US Navy.

O primeiro cliente receber os F-35 foi Israel, que de vassalo nao tem nada.

Salim
Visitante
Salim

Francisco, VC ta meio enganado, quem comprou e só pais serio, com populaçao vivendo bem e tranquila e que entende que na hora guerra o que segura e equipamento primeira/superior e forças bem treinadas. Triste pais que relega a segundo plano a segurança da pátria.

Cleber Freitas
Visitante
Cleber Freitas

A questão não fica apenas no valor unitário, vc deve considerar o custo por hora de voo, mais o acesso a tecnologia…

TOM
Visitante
TOM

Colega eu acho que esse valor é apenas para os EUA devido às negociações com o Pentágono e a quantidade de aeronaves negociadas nesse lote.

Fighting_Falcon
Visitante
Fighting_Falcon

Esse é o preço para os americanos…
Só o casco. E o restante?
Quanto custa a hora de voo e o ferramental para manter a fuselagem com RAM?
Conta de padeiro para comprar aeronave não é assim.
Você tem R$ 100 mil, vai comprar um Corolla zero ou uma Mercedes com três anos de uso e 90 mil km rodados? O preço é semelhante, mas manter como é esses custos?
Conta parecida.
Ter é uma coisa, já manter…

Edison Castro Durval
Visitante
Edison Castro Durval

Economía no valor de venda, ok!!
Mais e a economía na manutenção e no uso vai rolar??
Eu particularmente acho que não vai rolar, vai ser uma avião caro de se mandar durante todo o ciclo da sua vida útil.
Avião para quem pode pagar cifras astronômicas.

SmokingSnake 🐍
Visitante
SmokingSnake 🐍

Vai ser barato também, ele é monomotor e pela quantidade que vai ser produzido peça é o que não vai faltar. Ainda tem a vantagem de todas as versões serem construídos na mesma base.

Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

Porque? Com mais de 3.000 unidades tem tudo para ter um preço razoável de hora vôo no futuro.

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

É por aí, esse é o novo F-16 do seculo XXI. É outra prateleira, a régua definitivamente esta subindo de nivel.

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Avião para gente grande, nem os Russos tem um treco igual a esse

Ricardo
Visitante
Ricardo

A Rússia não tem expressão econômica que lhe permita fazer isto. Sua economia é pequena. Menor que a brasileira… Seu esforço orçamentário, é proporcionalmente maior que o americano. Os EUA gastam cerca de 700 bi Dólares. A Rússia, 50 vi….Os EUA, desenvolvem um pib de 20 trilhões de dólares…. Diferença astronômica…

Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

Ricardo, não é bem assim. A economia russa aparenta ser menor que a brasileira porque sua moeda está super desvalorizada frente ao dólar. Em PPP Paridade do Poder de Compra, seu PIB é maior que o brasileiro, inglês e francês. Ficando muito próximo do PIB alemão. A diferença é que a Alemanha investe Pouco mais de 1% do PIB em Defesa e os russos investem entre 4 e 5% do PIB em Defesa. Portanto o mercado Interno para aquisição de armas da Rússia é gigantesco, 4 à 5 vezes maior que o alemão. As indústrias de defesa da Rússia se… Read more »

Chris
Visitante
Chris

O pessoal vive discutindo QUALIDADE (Como nunca temos certezas das reais capacidades dos caças, a verdade é que nunca saberemos quem é realmente melhor, só acreditamos bem mais nos EUA, pela vanguarda tecnologica e orçamentaria) !

Mas esquece da QUANTIDADE ! E nisso… Os EUA dá uma surra real na Rússia e na China !

Nem o F-22 daria conta de uns 2.000 caças (Mesmo que fossem F-5) vindo em sua direção, fora os aliados .

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Ricardo

Os EUA também não têm US$ 700 bi.
Eles têm um déficit anual de US$ 1 tri.
Estão indo ao cinema com dinheiro emprestado.
Um dia, terão de devolver aos donos.
E esse dia está próximo.

Kommander
Visitante
Kommander

Cara, eu sei que você tá se fazendo de burro. Porque todos sabem que a Rússia tem o SU-57.

Super Tucano
Visitante
Super Tucano

Corrigindo… “em breve a Russia terá o SU-57”.

teropode
Visitante

A conversa é sobre Ferrari e vc vem colocar Lada no assunto !

Salim
Visitante
Salim

SU57, este sim uma grande incógnita, ate aos chineses, inclue incógnita ai.. Tem furtivo( alega 2 tipos avião) produz aos rodos outros aviões e depois coloca pedido para mais SU35, baita incógnita.

Tadeu Mendes
Visitante
Tadeu Mendes

Ricardo,

Nem a China tem um treco igual a esse.

DOUGLAS TARGINO
Visitante
DOUGLAS TARGINO

Que negócio de saber quanto custa a manutenção, o negócio é comprar e depois deixar encostado para não tirar o camarão dos generais… kkkk

M.@.K
Visitante
M.@.K

Bonitas imagens…

Rui Chapéu
Visitante
Rui Chapéu

Mas ele é demais pra nós!

Quem acaba com o Brasil é o próprio brasileiro…. poderiamos ter comprado o dobro de F-35A pelo preço pago pelos Gripens.

Isso sim que é queimar dinheiro.

Mas ah… transferencia de tecnologia…..

BLZ!

Vamos transferir a tecnologia da Saab pra……….. Boeing que comprou a Embraer!

Eeeeeeeeeeee…… alegria heim!

Por isso eu sempre fui contra esses treco de transferencia de tecnologia!

Diogo
Visitante
Diogo

“Vamos transferir a tecnologia da Saab pra……….. Boeing que comprou a Embraer!”
Isso não vai acontecer. A Embraer segurança e defesa não foi adquirida pela Boeing.

Émerson Gabriel
Visitante
Émerson Gabriel

Mas o que a Embraer segurança e defesa vai fazer com essa ToT? Precisa de verba do estado para se fazer algo; verba que não existe tanto que nem dinheiro para um 2º lote do Gripen existe. No caso do Projeto AMX foi muito útil para Embraer que ajudou a desenvolver os E-jets, mas agora não vejo sentido

francisco Farias
Visitante
francisco Farias

Mas será privatizada. A EMBRAER S. E DEFESA começará a dar prejuízo, ai um presidente neo-liberal vai vendê-la.
Esse filme é antigo: Sucateia-se a estatal diminuindo as verbas para pesquisa e investimentos, ao mesmo tempo reduzem os salários dos empregados (muitos vão embora para a iniciativa privada). O dinheiro economizado com a diminuição das verbas é utilizado para pagar campanhas publicitárias, na Globo, a favor da privatização.
Feito isso colocam a venda por preço de banana. E o povo fica feliz pelo pais ter conseguido vender uma empresa que só estava causando prejuízos.

Milton
Visitante
Milton

ja é privada…

Lucianno
Visitante
Lucianno

Você está 25 anos atrasado Francisco. A EMBRAER já foi privatizada em 1994 pelo então presidente Itamar Franco.

GFC_RJ
Visitante
GFC_RJ

Pois é… Esse amigo aí está entendendo muito!

teropode
Visitante

Agora vc me deixou confuso! 😂😂😂😂😂

Mortadela Fail
Visitante
Mortadela Fail

É você AntonioKings? Parece ele comentando com vários nomes distintos…

teropode
Visitante

Mas venderam justamente a parte que poderia transformar o aprendizado em lucros , a executiva vai ser vendida também em 3 anos .

Diogo
Visitante
Diogo

Os EUA jamais venderiam o F35 para o Brasil.

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Antes sim…

Tadeu Mendes
Visitante
Tadeu Mendes

Diogo,

Foi oferecido, mas o MD da epoca rejeitou a proposta.

Kommander
Visitante
Kommander

Esse papo de transferência de tecno é furada. A empresa pode transferir toda sua tecnologia prp Brasil, mas chega aqui ela é engavetada e não é utilizada, não sofre evoluções. Um exemplo clássico é as classes de navio do qual a marinha possui direito de construir, estão todas paradas no tempo e alguns projetos nem prosseguiram.

FAB
Visitante

O próprio Gripen teve grandes evoluções graças a parceria com o Brasil e empresas brasileiras no display e cabine do Gripen, e foi até padronizado pro Gripen de modo geral

francisco Farias
Visitante
francisco Farias

A transferência de tecnologia só funcionaria se fosse disseminada entre várias empresas brasileiras (grandes e pequenas). Escolher somente uma não é a solução, pois as grandes concorrentes multinacionais adquirem o controle da empresa “escolhida” para receber a tecnologia e o Brasil continua na mesma.

Fernando EMB
Visitante
Fernando EMB

Primeiro disse que a Embraer defesa & Segurança será privatizada (quando já é)… Depois fala que a ToT deveria ser disseminada em várias empresas… (Quando já é)… Putz, vc não sabe de nada, não checa a informação e vai postando como se fosse verdade! Infelizmente existem pessoas assim que derrubam a qualidade dos fóruns…

Tadeu Mendes
Visitante
Tadeu Mendes

Fernando EMB,

O Francisco e’ outro papagaio que aparece por aqui, falando asneiras.

Maurício Vaz
Visitante
Maurício Vaz

Hum.. Queria alguns na FAB u.U

Pedro
Visitante
Pedro

Opaaaaa já vejo ele nas cores da FAB… 🤣🤣🤣🤣🤣

RENAN
Visitante
RENAN

Pedro a FAB já fez sua escolha Gripen
E deve focar nesta aeronave pá garantir a operacionalidade e números relevantes.

Mas a marinha ainda não escolheu o seu novo brinquedo e pode tranquilamente avaliar a aquisição da versão B

Super Tucano
Visitante
Super Tucano

Não, não vê!

Rodrigo Maçolla
Visitante
Rodrigo Maçolla

e pra manter ? se o preço de aquisição baixou, sera que pra manter também seguira essa tendencia ?

Mais independente disso, As imagens são D+ , Até parece um caça “puro sangue” !!!

DOD
Visitante
DOD

Isso que eu nunca entendi pq ñ trocar todos os aviões pelo o de 5 geração ao invés de manter os 4/5 no caso da USAF

Fernando "Nunão" De Martini
Visitante
Fernando "Nunão" De Martini

Porque isso não se faz do dia pra noite. E tem uma quantidade razoável de caças de quarta geração ainda na meia vida na USAF. Vai levar provavelmente mais uma década até chegar a vez deles.

Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

Mas a ideia é exatamente está. Ocorre que a produção do F-35 está planejada para até 2037. Em 2037 as 3 forças americanas terão 2.663 F-35. Na USAF é provável que todos os caças F-15 e F-16 estarão aposentados, menos os F-15X se realmente forem adquiridos. E em 2037 é provável que o F-22 já estará sendo aposentado e substituído por um caça de 6a geração que formará um mix com os F-35. Na Us Navy em 2037 é provável que a frota de Super Hornet já estará em substituição há uns 12 anos, portanto Metade da frota já terá… Read more »

Aviador
Visitante
Aviador

Tinha que aparecer alguém pra comparar com o preço do Gripen… Meu Deus… Se fosse pra compra 2.000 Gripens, ou outro, quanto seria o preço unitário? as vezes é cansativo discutir com esse tipo de pessoas… ARREGOOOOOO

Juarez
Visitante
Juarez

Cansativo mesmo é tentar justificar a compra do Gripen na antevéspera de uma eleição presidencial, e ainda inisitir em um projeto que provavelmente não terá escala de produção e lá adiante a gente sabe o que vai acontecer…
a história do AMX vai parecer um conto de fadas perto do NG…….
Eu sei, eu sei, não adianta falar, estamos em banárnia, a terra do faz de conta……

Adriano Madureira
Visitante
Adriano Madureira

Como não tem escala amigo?!

A saab começará a fabricar os nossos e os caças deles, nós iremos começar a pagar quando o último caça for entregue, não há drama algum, são 36 aeronaves.

Acho mais vantagem construir o caça aqui do que comprar de prateleira, há não ser que estejamos na eminência de uma guerra, oque não estamos, nem venezuelanos, nem chilenos ou argentinos não irão nós atacar…

Kommander
Visitante
Kommander

Então tá.

Rene Reis
Visitante
Rene Reis

Que maquina de geração de empregos e bons empregos , Parabéns aos EUA pela coragem e pioneirismo.

Tomcat4.0
Visitante
Tomcat4.0

Máquina fantástica, pra quem tem muuuito dindin pra manter e operar. Continuo feliz da vida com nosso Gripen E/F que, pra nossa realidade TO está mais que ótimo e capaz pois até onde sei, nenhum “possível” agressor de nossa soberania (países da região) possuem caças 5g e o Gripen se aproxima demais desta categoria ,perdendo basicamente apenas pra questão furtividade pois em eletrônica embarcada ele está no estado da arte. Teremos muita eficiência por muito menos gasto em manutenção e hora/voo.

Eduardo dos Anjos
Visitante
Eduardo dos Anjos

Concordo plenamente meu caro!

FAB
Visitante

Esse sim entende

Kommander
Visitante
Kommander

Nosso T.O? A gente sabe que nenhum país da América Latina vai peitar o Brasil, o nosso problema é com as grandes potências.

Elton
Visitante
Elton

Só existe uma arma que pode dissuadir grandes potências,o Iraque tinha o 4 maior exército do mundo em 1991 e uma das maiores forças aéreas do oriente médio e não conseguiu ,o Vietnan mesmo com apoio de superpotências e milhões de mortos só dissuadiu os americanos porque eles se cansaram da guerra mas custou um praticamente uma geração inteira perdida ,se a coisa feder de verdade não vai ser uma ala de caças modernos,um par de submarinos nucleares ou uma divisão de infantaria de selva que vai dissuadir uma superpotência ou mesmo uma coalizão de paises

Super Tucano
Visitante
Super Tucano

Ou uma bomba atômica!

Leonel Testa
Visitante
Leonel Testa

Concordo a unica arma que uma naçao tem pra ser respeitada de verdade em nivel mundial sao armas nucleares . E quanto a esse preço do f35 duvido , parece propaganda Russa e Chinesa

Tomcat4.0
Visitante
Tomcat4.0

Qual a grande potência com a qual temos problema meu caro Kommander ???

Adriano Madureira
Visitante
Adriano Madureira

Não se precisa ter problema com potência, basta que nós metamos entre eles e seus interesses…
Não existe essa de parceiros ou aliança entre países amigos, CHINESES, RUSSOS, AMERICANOS, nenhum é confiável, ao contrário do que muitos fanboys sino-russos e americanos queiram que acreditemos.
Alguns exaltam agora a relação Bolsotrump, dizendo que agora vai, que somos parceiros e países irmãos, que teremos armamento assim e assado, como se o amor de Washington fosse duradouro, e sabemos que não é, os interesses estão acima da amizade…

Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

Qual país da América do Sul que temos problemas meu caro Tomcat?
Então podemos fechar as forças armadas?
O Kommander tem razão, um país grande como o Brasil precisa ter poder de dissuasão contra grandes países. Ter poder de dissuasão contra países minúsculos é fácil. Nem precisa de forças armadas. Só as forças policiais já quase garantem isso.
Precisamos de vergonha na cara e fazer um trabalho bem feito.
Acabamos de levar desaforo da França.
Sorte que o Bolsonaro é amigo do Trump, que segurou a barra e acabou a repercussão.
O Macron teria coragem de falar o mesmo contra a Rússia ou a Índia? Duvido.

Super Tucano
Visitante
Super Tucano

Exatamente! O Gripen está ótimo para o Brasil. O que precisamos é de mais caças. Triplicar o número inicial seria muito bom.

Tadeu Mendes
Visitante
Tadeu Mendes

Tomcat 4.0

Para o bolso do Brasil, o Gripen saiu barato. A pergunta chave, e’ se o projeto (a compra) vai ser efetivada com sucesso.

O Brasil vai realmente ter dinheiro para pagar pelas encomendas?

Mesmo financiando, ser’a que o Gripen estaria obsleto antes de pagarem a ultima parcela?

Adriano Madureira
Visitante
Adriano Madureira

Haverá uma atualização antes dos nossos entrarem em linha, é o padrão MS-22, acho que será em 2020,não haverá nenhum problema quanto a obsolescência de sistemas…

Tomcat4.0
Visitante
Tomcat4.0

Tadeu , na minha visão o Gripen foi a jogada de mestre da FAB em todos os sentidos possíveis pois além do próprio caça nós poderemos entrar em projetos junto com a SAAB para vetores de próxima geração.

Nelson Junior
Visitante
Nelson Junior

Mas a compra dos Gripens não quer dizer que o Brasil não possa comprar umas 20 unidades do F35-B (a um preço justo) para compor o PHM Atlântico… Seria uma ótima oportunidade de se aproximar ainda mais dos EUA e de quebra resolver temporariamente uma “lacuna” enorme no poder aéreo Brasileiro

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Nelson, no Atlãntico , esquece, mas acredito sim que no futuro, a MB operará um Porta-aviões menor com F-35B sim, Quem viver verá! Até lá os custos de produção e horas de voo terão caído. Mas, cada coisa na sua hora! No momento precisamos de escoltas e submarinos.

Tomcat4.0
Visitante
Tomcat4.0

Bem mais racional a MB ir de Gripen naval. Manterá a cadeia de produção do avião e toda sua cadeia logística já que a FAB já estará a todo vapor no uso do caça.

Tadeu Mendes
Visitante
Tadeu Mendes

Tomacat 4.0

Qual e’ a diferenca entre a FAB e a MB, nessa estoria?

Que pilota os jatos navais sao os pilotos da FAB.

A FAB nao deveria ter o monopolio nesta area.

Os pilotos navais da MB nao deveriam prosceder da FAB.

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
Famed Member

“Que pilota os jatos navais sao os pilotos da FAB.”

Hein?!?!

Tadeu Mendes
Visitante
Tadeu Mendes

Fernando,

Voce esta’ querendo insinuar que a MB tem os seus proprios pilotos?

Eles aprederam a pilotar aonde? Na AFA, ou em alguma escolar de pilotos aeronavais, que eu desconheca?

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
Famed Member

Tadeu, não estou querendo insinuar, só fiz uma pergunta porque estranhei sua afirmação, que está errada e desatualizada em cerca de 20 anos, apenas. Sim, a Marinha do Brasil tem seus próprios pilotos de asa fixa desde o final dos anos 90, quando o porta-aviões da Marinha ainda era o Minas Gerais. A FAB deixou de voar aeronaves naquele navio também no fim dos anos 90, com a aposentadoria do Tracker. Os primeiros pilotos navais de asa fixa dessa retomada, no final dos anos 90, fizeram cursos na Armada Argentina e na Marinha dos Estados Unidos (incluindo os pousos e… Read more »

Tadeu Mendes
Visitante
Tadeu Mendes

Fernando de Maritini,

Obrigado pela atualizacao.

Em algum momento bem distante no passado, eu vi uma reportagem aonde se entrevistava um piloto da FAB, pilotando o A-4.

Voce saberia me dizer em jatos da US Navy, esses piltos fizeram treinamento?

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
Famed Member

“Voce saberia me dizer em jatos da US Navy, esses piltos fizeram treinamento?”

Nos mesmos que os pilotos da USN se formam. Os primeiros voaram nos próprios A4 modelos biposto da USN, mas logo em seguida ele saiu de serviço, e o treinamento passou a ser feito no T-45 Goshawk, que entrou em operação e continua assim desde então.

Greyjoy
Visitante
Greyjoy

O Atlântico não foi feito para operar esse tipo de aeronave. Não operava nem o Harrier.

FAB
Visitante

Nosso Gripen ainda vai surpreender o mundo e muita aeronave mais cara ainda vai temer o Gripen, pode anotar

teropode
Visitante

Esqueça Atlântico, se for para operar caças a médio prazo embarcados , tem que ser PA Skyjumps fabricado na China .

nonato
Visitante
nonato

O Brasil poderia comprar uns 12 e colocar empresas nacionais na produção, tipo Embraer para substituir os turcos.
Bolsonaro tem que pedir a Trump.

Super Tucano
Visitante
Super Tucano

Adoraria substituir os turcos na fabricação (principalmente) e na compra de 100 F35, só que o Brasil nem escolas tem…

RENAN
Visitante
RENAN

Mais um motivo para a marinha do Brasil verificar a viabilidade de comprar 24 unidades da versão B

Gabriel BR
Visitante
Gabriel BR

Quem sabe futuramente não compremos umas 12 unidades para colocar em Anápolis …

Kemen
Visitante
Kemen

Ótimo que vai abaixar o preço, mas continua um beberrão e o custo de manutenção nas alturas, proibitivo para muitos paises. Sem comentar as restrições de uso ou futuros embargos de peças de reposição que eventualmente possam advir aos seus operadores externos, sinistro. Aposto que se algum pais da America Latina quisesse comprar, seria alegado o desequilibrio estrategico de forças como impedimento para sua venda.

JPC3
Visitante
JPC3

Existe algum estudo que indique que o F-35 é mais “beberrão” que outros caças de peso semelhante como F-15 ou Super Hornet ou até Mig-35? Pois alcance igual os outros só tem com tanques conformais ou externos.

É meio natural que o motor mais potente consuma mais, principalmente com pós combustão.

Kemen
Visitante
Kemen
Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

Kemen, estes custo e são Irreais. A África do Sul já divulgou custos de mais de U$ 20 mil para o Gripen C.
Cada um análise de uma forma, um inclui somente combustível o outro inclui até a comida é água que os militares consomem, a conta de luz, de internet, de papel sulfite, o salário do piloto, do mecânico, da faxineira, os mísseis e bombas utilizados e disparados, aí fica complicado comparar.

Kemen
Visitante
Kemen

L. H. – As informações que colei são de fontes sérias, vc tem essa informação de consumo do Gripen da Africa do Sul e como foi calculado? Tks a lot.
Outro detalhe, o que um piloto de F-35 gasta e consome pouco diferente é do que um piloto de F-16 gasta ou consome. Não entendi a sua lógica! Custo operacional se refere ao avião e nada mais.

Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

Kemen, no estudo divulgado pela Janes o F-16 aparece logo atrás do Gripen, com custo de U$ 7 mil. A USAF informa U$ 22 mil e o F-35 hoje está próximo de U$ 30 mil, mas a meta é atingir U$ 25 mil nos próximos anos. Ou seja, pela metodologia do estudo que você postou o F-35 terá custo de hora voo muito próximo de U$ 7 mil nos próximos anos. Está é a minha lógica. O que foge da lógica é acreditar em custo de 4,7 mil para o Gripen E comparar com 25 ou 30 mil de custo… Read more »

JPC3
Visitante
JPC3

Não tenho dúvida que o Gripen é mais barato de operar, mas comparando com avião basicamente de uma categoria diferente fica ainda mais fácil.

O F-35 seria melhor comparado com avões do mesmo peso e potência dele, algo entre Eurfighter e super hornet, mesmo com ele sendo monomotor.

Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

Melhor ainda seria comparar entre SH e F-15, pois o F-35 é mais de 8 toneladas mais pesado que um Eurofighter em peso máximo.

Antunes 1980
Visitante
Antunes 1980

Ganho de escala que a Saab jurou que aconteceria com Gripen……
Em resumo, o F-35 venderá mais que o F-16.

F-35A
Austrália
Bélgica
Coreia do Sul
Dinamarca
Israel
Itália
Japão
Noruega
Holanda
Polónia
Estados Unidos
Canadá (provável aquisição)

F-35B
Coreia do Sul
Itália
Japão
Reino Unido
Estados Unidos

F-35C
Estados Unidos

Fernando "Nunão" De Martini
Visitante
Fernando "Nunão" De Martini

Antunes,
Se bem me lembro dos esforços de marketing da Saab, eles focaram em divulgar que mantinham baixos os custos de desenvolvimento e de operação, não me lembro de algum momento em que a Saab “jurou que aconteceria” ganho de escala como principal diferencial. Posso estar enganado.

Guilherme Poggio
Visitante
Guilherme Poggio

Nunão, já faz algum tempo que a Saab entendeu que no ramo de caças a economia de escala deixou de existir. O foco é em desenvolvimento acelerado, eliminação de protótipos, uso pesado de computação para simulação antes de voar qualquer coisa.

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
Famed Member

Pois é.
É isso que eu sei também sobre o que a empresa divulga.
Mas questionei o colega para o caso dele ter alguma declaração (ou juramento, no caso do comentário) da Saab a respeito de economia de escala. A gente sempre pode perder alguma coisa no meio de tanta informação.

Kemen
Visitante
Kemen

Ainda falta bastante, foram produzidos mais de 4.500 F-16, sem considerar que muitos compraram usados.

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Da decada de 70 até hoje… quase 50 anos… podemos projetar os próximos 50 anos do F-35…

Kemen
Visitante
Kemen

Até lá vão existir novod projetos e vão existir concorrentes de outros paises, ultrapassar o F-16 seria muito dificil.

Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

Não precisa ultrapassar. Com mais de 3.000 unidades até 2037 já se tem um ótimo ganho de escala. Se estender a linha de produção até 2050 para alcançar a produção do F-16 Não vai aumentar ganho de escala. Na verdade vai reduzir, pois a produção anual cairá.

Mais de 150 F-35 por ano até 2037, está aí o ganho de escala.

EduardoSP
Visitante
EduardoSP

Algum país de terceiro mundo nessa lista?
Porque deveríamos entrar nela?

JPC3
Visitante
JPC3

Não deveríamos, o Gripen atende melhor as nossas necessidades. Avião no solo é alvo.

teropode
Visitante

EU acrescento Espanha , Israel e França na versão B , Grécia e Chile na versão A.( ex USAF ) .

Denis
Visitante
Denis

O interessante é que, poucos meses atrás, os caras do pentágono disseram que não tinha como o preço cair.

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Muito bom…

Adriano RA
Visitante
Adriano RA

Meu sonho ainda é ver o F-15EX com as cores da FAB, mesmo saindo a 100 – 110 mi US$ a unidade.
Só sonho mesmo…

Renato
Visitante
Renato

O que impressiona é ter mais de 450 unidades entregues, 220 mil horas de voo, mas ainda não estar com a capacidade operacional final. Ou seja, ainda não entrega a capacidade contratada para o que foi projetado. Sem falar nos índices de disponibilidade abaixo da crítica para aeronaves novas.

Fábio Bueno Vinholo
Visitante
Fábio Bueno Vinholo

Ótimo! Estava esperando por este momento e agora vou pedir duas “carretas fechadas” de F-35A. Nada como esperar o momento certo e economizar um dinheirinho!

Rommelqe
Visitante
Rommelqe

Quanto é o preço médio hoje de cada unidade da versão A considerando os preços efetivos já pagos nos lotes anteriores e trazidos a valor presente? E das outras duas? E o custo de ciclo de vida de cada um? O preço da versão B é, logicamente, muito maior e, principalmente, quando comparado o custo do ciclo de vida!
Aliás comparando os preços das tres versões é que se tem mais uma demostração de que, de fato, são tres aeronaves muito distintas entre si! Quando comparamos custos de desenvolvimento temos que considerar, entre outros, mais esse fator!

Rommelqe
Visitante
Rommelqe

Só reforçando: existem mais diferenças entre um F35- A e um B do que entre um Gripen C com um E, um Hornet com um Super Hornet.

Delfim
Visitante
Delfim

Adicione treinamento, suporte, sobressalentes, armamento, etc., pra ver onde vai parar.

bjj
Visitante
bjj

Eu iria comentar quase isso. Ao que parece esse custo citado é para países que já operam o F-35 e estão recebendo novas aeronaves. Acredito que para um país que fosse adquirir um primeiro lote, considerando treinamento, criação de doutrina, estabelecimento de toda a cadeia logística, manutenção, entre outros, o preço deve ser bem maior. Da mesma forma que, se a FAB no futuro encomendar um segundo lote de Gripens, o preço unitário deve ser menor que das unidades do primeiro lote por já se ter estabelecido todas as bases para a operação e integração da aeronave.

MÁRIO FILHO
Visitante
MÁRIO FILHO

Sem querer ofender ninguém , mais de me lembrei de Monteiro Lobato ” A raposa e as uvas ” .

JPC3
Visitante
JPC3

Mas isso não tem que adicionar com todos?

Gerson
Visitante
Gerson

Parem de reclamar o Gripen também é um ótimo avião de combate !!!

ALEXANDRE
Visitante
ALEXANDRE

Gnt n viaja em imaginar f35 na marinha…nem nossa FAB tem caça direito.
E caso tenhamos PA no futuro,serão gripens m nele

Daniel
Visitante
Daniel

Galera.
Vamos ser mais “pé no chão” e parar de sonhar.
Já vimos que aeronave de caça na marinha não vem dando certo, nem porta aviões temos.
Brasil operando um PA é queimar recursos do contribuinte.
Investir em fragatas, submarinos, aeronaves de asas rotativas, aeronaves SAR de ponta, sim, concordo.
Aeronave de caça tem que ficar restrita à FAB.

Rico Zoho
Visitante
Rico Zoho

Não adianta somente comprar. Tem que ser capaz de manter. O custo do F-35 baixou, baixou bem, mas quanto custa a hora voo? Quanto vai custar manter por 30 anos mais modernizações? Dizer que vai custar 80 milhões é interessante, mas insuficiente. Precisamos de mais informações, desde o custo de treinamento dos pilotos, peças de reposição e custo operacional. Muito provavelmente todos estes custos devem baixar, mas quanto e em que condições cambiais (economia política de defesa importa!). O Gripen foi a solução da FAB num determinado momento (na primeira metade desta década) levando em conta não apenas o preço… Read more »

Tomcat
Visitante
Tomcat

OFF topic: um Embraer 170 planou por 100 km nos Estados Unidos após pane nos dois motores, religou um deles depois e conseguiu pousar em segurança:

https://aeromagazine.uol.com.br/artigo/aviao-perde-dois-motores-em-voo-e-plana-por-aproximadamente-100-km_4739.html

Sérgio Luís
Visitante
Sérgio Luís

Ñ vale o que se presume valer!
Limitado demais!

Delfim
Visitante
Delfim

E o preço é fruto do “acordo”, entenda-se imposição, do Pentágono. Já custou muito do contribuinte americano.
Na base do livre mercado não sairia por menos de US$ 150 milhões.

PS pq estou sendo bloqueado no ForTe ? Aqui e no PN posto e sai na hora.

TeoB
Visitante
TeoB

É um preço baixo, mas como dizia um amigo meu, não existe nada mais caro que uma BMW barata! o custo de operação ainda o torna caça de grife… Agora imaginem essa escala de produção no F-39, ia custar o valor de um kiwd, e o ´´Tião´´ daria assistência na esquina. na minha opinião foi o melhor negocio a FAB ir de F-39, mesmo sem ter a uma produção enorme consegue ter um preço aceitável de operação, veremos o valor que fica no próximo lote, mas eu chuto menos por volta de uns $60m

Wardog1
Visitante
Wardog1

Se a força aerea nao tivesse sido inventada, como seriam os exércitos e marinhas hj?

tadeu54
Visitante

Bem, depois dos rios de $$$ gastos nesse programa, o mínimo é haver reduções de custo claro, mas em minha modesta opinião ainda é pouco !
Agora, é importante também verificar se o custo hora-vôo e manutenção também sofrerão reduções substanciais !

ednardo curisco
Visitante
ednardo curisco

– 80 milhões é preço de ‘prateleira’. Zero transferencia de tecnologia
– Não compra o F35 quem quer. compra quem pode ($$$) e quem é amiguinho especial.
– Ao Brasil não foi oferecido

Gabriel BR
Visitante
Gabriel BR

O f-35 nos foi oferecido , o ministro Jobim não quis.

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
Famed Member

Gabriel, não foi uma recusa formal de Jobim a um oferecimento formal, foi uma opinião declarada a um jornal no já distante mês de março de 2008 (aliás, isso saiu numa matéria cheia de erros), após conhecer o F-35 e outros equipamentos, incluindo o F-22, numa visita aos Estados Unidos junto com o brigadeiro Saito:

https://www.aereo.jor.br/2009/12/01/o-dia-em-que-o-ministro-jobim-descartou-o-f-35/

Caberia à Lockheed Martin oferecer oficialmente o F-35 na disputa do F-X2, caso a empresa achasse que ele teria chances de atender aos requisitos do programa, mas a empresa optou por entrar naquela concorrência com o F-16.

Guilherme Poggio
Visitante
Guilherme Poggio

Entrou com o F-16 exatamente porque ele atendia aos requisitos da FAB e porque tinha custo mais competitivo.

frapal
Visitante
frapal

Esta matéria não passa de um “press release” descarado. Destaca as supostas qualidades de um produto a mando do fabricante. Pura propaganda.