Home Aviação Militar China testa modelo de bombardeiro stealth em túnel de vento

China testa modelo de bombardeiro stealth em túnel de vento

10289
114

Fotos divulgadas na Internet mostram um modelo de bombardeiro stealth em forma de asa voadora sendo testado em túnel de vento na China.

A similaridade da aeronave com o B-2 Spirit americano é óbvia, mas ainda não há certeza se o modelo chinês representa a configuração definitiva do futuro bombardeiro H-20 chinês.

A nova geração de bombardeiros H-20 da China está sendo desenvolvida pelo Instituto de Pesquisa e Design de Aeronaves de Xangai desde 2008. O trabalho de pesquisa e desenvolvimento da aeronave é altamente confidencial e nenhum detalhe havia vazado anteriormente.

Em janeiro de 2019, o site americano The Drive noticiou que um braço da Comunidade de Inteligência dos EUA confirmou publicamente a existência de dois programas de desenvolvimento de bombardeiros furtivos chineses pela primeira vez em um novo relatório.

Além do muito divulgado programa de bombardeiros pesados ​​furtivos H-20, a China também estaria trabalhando em um bombardeiro furtivo menor, com foco regional, comumente chamado de JH-XX.

114 COMMENTS

    • Todos são cópias da Asa voadora Alemã projetada pelo Major da Luftwaffe Walter Horten e seu irmão.
      Os norte-americanos levaram o protótipo e copiaram.

      • Francisco,

        Sim, na geometria existe semelhança, entre o B-2 con a asa voadora alemã, e para por aí.

        Os Estados Unidos foram além, mas a China não. Ela só consegue copiar a geometria; coisa que qualquer nação com conhecimentos elementares de aritmética pode fazer.

        • Na verdade as pesquisas com asas voadoras nos EUA foram conduzidas por Jack Northrop, que era um entusiasta do assunto. Isso antes do Horten.
          Ele teve alguns protótipos menores (N1M, N9M), mas após a 2GM foram construídos dois modelos, a hélice e a jato. Foram testadas e até concorreram para bombardeiro do Comando de Bombardeio Estratégico.
          Mas a tecnologia não estava madura, na época, havendo dificuldade no controle das aeronaves.
          O B-2 da Northrop tem a mesma envergadura do XB-35 e do YB-49.

          • paulo cesar, Eu ia falar isso, os americanos não roubaram a idéia dos alemães. E se não me falha a memória, um francês construiu a primeira asa voadora, um bi-plano em forma de triângulo, nos anos 10. Pena q não lembro o nome do avião.

          • Existe um equívoco aqui, asa voadora no é o mesmo que uma asa voadora furtiva, asa voadora existe a muito tempo, agora o diferencial do projeto alemão era ser algo pouco reconhecido pelos radares e que pudesse penetrar em território inimigo sozinhos sem apoio de escolta e atacar de surpresa.

        • Tadeu, você pode até não ter tido acesso ao projeto chinês, mas com certeza você está correto em afirmar que é uma cópia, pois eles já partiram do desenho externo copiado para iludir as ondas de radar, que a época do projeto do B-2 era inédito. Se eles aperfeiçoaram o restante, não é óbvio, é obrigação, já que tudo evolui muito rápido nesta área, agora no dia que a China apresentar um perfil furtivo totalmente inovador e fora dos padrões existentes, aí sim poderá se dizer que foi desenvolvido localmente. Como os EUA fez com o F-117, B-2, F-22, todos diferentes e baseados em estudos próprios.

        • Liga pro Pentágono e tranquilize-os então. Por que ao contrário de você eles estão bem preocupados com os avanços tecnológicos da China. Você não é especialista em nada é só um cara com acesso a internet.

    • Isso não é cópia é Engenharia, Física, Matemática e Química. Os EUA teriam obtido a mesma solução sem nunca terem colocado a mão no avião alemão, a unica coisa que fizeram foi enaltecer a ciência alemã. A Boa Engenharia gera soluções que convergem para modelos similares que se diferenciam pela doutrina e outras características da FA que o encomenda. Chineses são tão capazes quanto Alemães ou Estadunidenses, e olhar o modelo dos EUA assim como estes olharam o modelo alemão é apenas sinal de inteligência, competência e humildade. A forma em si é óbvia, a questão ai é o material da fuselagem, motores e a eletrônica embarcada. Essas coisas dificilmente se cópia, e mesmo para se copiar exige uma planta industrial tão moderna quanto a de quem fez o original.

      • Gordo, desculpe discordar, engenharia, física e etc. convergem para modelos similares num determinado momento, mas as ciências estão sempre evoluindo, conhecimentos novos, novos entendimentos, descoberta de novos efeitos físicos, novas tecnologias e novos materiais, que tornam os desenhos anteriores ultrapassados, tanto que o design dos aviões stealth já mudou consideravelmente, não pararam em asas voadoras. Portanto, quem avança na ciência cria novos desenhos, quem copia fica nos desenhos antigos dos outros. DU-VI-DO que a China tenha plantas industriais da mesma capacidade americana, eles copiam a forma, o interior é outra história, não acredito que a China esteja no mesmo domínio tecnológico americano.

    • Mas para quem acha que os EUA estão parados no tempo…

      Essa semana… A aeronave FX-37B da USAF bateu recorde e aterrisou após 780 dias em órbita. A Aviation Week publicou uma longa matéria sobre o secreto RQ-180 (Drone stealth)…

      Fora mais supostos avistamentos do suposto TR-3B Black Mantra… Que teria a capacidade de voar na atmosfera e no espaço, inclusive podendo parar no ar, por ter um motor “anti-gravity drive”. heheh

    • A hora de deter já passou, há 50 anos que eles fazem isso. Só lembrando que a da cópia foi do Mig-21 resultando no F-, e depois o F-7M Aiguard e pasmem, com eletrônica britânica. Há também o A-5 Q fantan com aviônica italiana e o JH-7A com motores Spey. Ou seja, o ocidente deu uma bela mão aos Chinas. Agora não tem volta. Até reatores nucleares do ocidente eles compararam

  1. A China está avançando muito.
    Já desenvolve e produza rodas as classes de armamentos possíveis.
    Estão de parabéns pelo enorme progresso.

  2. Aeronaves furtivas e meio dificil de sair do escopo geral. Se e para ter longo alcance e levar muitas armas, é obrigatório ser uma asa voadora. Isso desde do primeiro projeto dos alemães na 2 guerra.
    Tente imafinar uma forma econômica e eficiente de asa voadora muito duferente do B-2 só para não ser igual para ver como e dificil.

    • “Nós escolhemos ir à Lua, não porque é fácil, mas porque é difícil”.
      John F. Kennedy

      Logo, quem copia sempre vai estar na dependência de quem realmente desenvolve.

      https://youtu.be/TuW4oGKzVKc

      “We choose to go to the moon. We choose to go to the moon in this decade and do the other things, not because they are easy, but because they are hard, because that goal will serve to organize and measure the best of our energies and skills, because that challenge is one that we are willing to accept, one we are unwilling to postpone, and one which we intend to win, and the others, too.”

      John F. Kennedy 1962 Rice University

      “Non c’è miracolo”

          • E o pior é que se trata de um comentário raso, porque uma coisa é imitar a “forma” outra é o conteúdo, aliás a forma é apenas parte da furtividade que é o objetivo central do projeto, além de um sistema extremamente avançado de FBW para o vôo controlado sem estabilizador vertical, desculpe, mais colocar uma maquete do B2 em um túnel de vento até minha avó faz …

          • Vários comentaristas alertaram que Já havia projetos anteriores aos nazistas. O que viabiliza este tipo avião e o avanço tecnológico. Ideia todo mundo teve, quem fez produto confiável foram americanos. Da Vinci teve ideia de helicóptero e Ícaro do avião que só náo foram viáveis pela falta tecnologia. Tem que esperar pra ver asa chinesa fique operacional.

        • E vale salientar que os irmãos Horten copiaram o conceito de avião dos irmãos Wright .
          Parece que os irmãos americanos chegaram na frente de qualquer maneira.

          • Os mais sentimentais devem ter ficado tristinhos de eu não ter citado o Santos Dumont. É porque queria fazer uma relação com
            os EUA e fazer uma comparação com “irmãos” em contraposição aos desconhecidos “Irmãos Horten”, da Alemanha.
            Vale salientar que a “briga” entre as torcidas de Santos Dumont e dos Irmãos Wright é no sentido de definir quem foi o “pioneiro” da aviação. Ou seja, qual dos dois primeiro colocou pra voar uma máquina mais pesada que o ar, e não, definir quem foi o inventor do avião. O avião não foi inventado e sim , desenvolvido.
            O conceito de aerodinâmica já era conhecido desde o século 17. O que se buscava era uma melhor configuração de peso/potência e isso era perseguido por dezenas de equipes ao redor do mundo e todas elas invariavelmente conseguiram num período próximo de tempo (2 anos) sem que o projeto de uma equipe tenha interferido no projeto da outra equipe.
            Então , em relação ao avião não há o que se falar em “inventor” e sim em “pioneiro”. Ou seja, quem conseguiu primeiro realizar a façanha.
            Igual por exemplo colocar satélites em órbita. Os soviéticos foram os pioneiros mas não foram os inventores dos foguetes transportadores orbitais.
            *Já a discussão em quem foi o pioneiro da aviação é de uma sandice que beira à imbecilidade e só serve para alguns ficarem correndo atrás do rabo ad eternum discutindo sexo de anjo.

      • “When americans reach the moon…They would have to pass at the russian imigration.

        Quando os americanos chegarem na lua. Eles terão que passar pela imigração russa”

        Werner Von Braun, Diretor do programa Apollo, Antes de conseguir o primeiro vôo.

    • Concordo, mas mesmo assim dá pra fazer melhor, pois já foram mais de 20 anos de avanços tecnológicos.

      Isso, contudo, não significa que os chineses estão atrás. Esse modelo pode ser apenas um estudo dos engenheiros para conhecer melhor as características aerodinâmicas e stealth do melhor bombardeiro stealth que existe. Com essas informações em mãos eles podem verificar onde o avião se sai bem e quais são os pontos fracos daquele projeto. Assim, quando chegar a hora de realmente construir o modelo deles, o novo avião poderá ser ainda melhor.

      Se bem que apenas contar com uma capacidade igual à dos americanos já é um grande passo.

      • Mesmo porque em se tratando de uma máquina estratégica para operações furtivas , o inimigo a quem se pretende combater já conhece seu perfil de vôo, a não ser que os Chineses consideram a Rússia como sendo o inimigo de fato.

  3. 30 anos depois do Voo inaugural do B-2 Spirit, a China testa a cópia no túnel de vento. O investimento chines é pesado, mas o custo de manutenção de todos esses brinquedos depois é muito alto tb… Brincadeira pra gente grande.. muito grande.

    • Os norte-americanos tambem copiam, só o Brasil que por pura burrice não copia.
      A Asa Voadore foi projetado pelo Major da Luftwaffe Walter Horten e seu irmão. No final da guerra os norte-americanos levaram o projeto e copiaram.

    • O problema que pode surgir é se a cópia sair melhor que o original… porque eles até podem introduzir pequenas alterações não previstas no projeto original e que poderiam melhorar a furtividade, ou ao contrario até, não ter os materiais necessarios para fabricar as extruturas necessarias do projeto original resultando em péssimas adaptações. Logo logo, não vão nem se publicar mais fotos dos projetos originais para evitar ou retardar possiveis cópias.

  4. Nessas de ctrl+C e ctrl+V, a tal da reengenharia reversa, o avião embarcado no NAE deles, que é uma cópia de uma avião russo, é todo “torto”, instabilidade altíssima, cheio de problemas… é a típica coisa né, fácil copiar, queria ver criarem algo novo, do zero, aí que diferenciamos meninos de homens!

  5. Se a stealthability é algo tão próximo da obsolescência, o que levaria os sábios chineses a investir nela?
    Outra dúvida: a Revell produz na China? As cópias estão ficando bem parecidas com as originais…

    • Por falar em stealthability, tanto o B2 quanto o H20 diferem muito do conceito do F22 e sucessores em relação às superfícies aerodinâmicamente ativas. Portanto, os principais parâmetros deste ponto de vista são a eletronica de bordo, revestimentos especiais, etc…No caso do modelo reduzido cuja foto foi publicada notar que os bocais de admissão de ar para as turbinas são fechados porque assim melhor representam o comportamento geral no prototipo mas é um ponto a ser melhorado.

  6. Esta aeronave chinesa e a forma do B-21 (projetada para ataques em altas altitudes, ou seja, confiando ao máximo na tecnologia stealth) mostram que aqueles apostando na obsolescência do stealth estão apostando errado.

  7. O design está descaradamente igual ao B2, B2 que vai se aposentar na próxima década dando lugar a um bombardeiro mais furtivo, acho que os Chineses não deviam clonar o design do B2 ele foi feito numa época em que os computadores eram menos potentes e hj dá para fazer mais com o design de asa voadora.

  8. Mas esses Made in China não tem motor de qualidade igual os aviões americanos, la em Itacarambi norte de Minas tem um cara fera nascido no mato esta construindo um mais avançado com motor de corcel 2 invisível a radar, a China e Estados esta de olho nele para trabalhar em suas fabricas. E comprar o seu projeto e ele só tem terceira série de grupo, mas formou em engenharia pelo Instituto universal brasileiro…

  9. Parabéns os Chineses que continuam suas pesquisas, sempre com inovação e criatividade, não precisaram pegar emprestado dos alemães.

  10. O avanço tecnológico chinês é fabuloso. A China foi devastada pela Segunda Grande Guerra e ao fim desta, a guerra civil perdurou por mais alguns anos. A China se reergueu é uma potência. O Brasil permanece uma república banana capturada pelo lobby dos políticos e servidores públicos. Nossas Forças Armadas se contentam em comprar sucata dos ingleses, alemães e norte-americanos. Nossas elites são medíocres e não se incomodam com o subdesenvolvimento social e atraso tecnológico. Depois do 7 x 1 para a Alemanha, nem para o futebol serve mais.

  11. A distância tecnológica entre a China e o Ocidente é cada dia menor…em poucas décadas os chineses estarão liderando em diversas áreas do conhecimento e da engenharia.

  12. No que se refere a asas voadoras,
    quem teve a ideia inicial foi um alemão chamado Hugo Junkers, que patenteou o conceito em 1910. Mas isso só se tornou em realidade em 1933 com o francês Charles Fauvel que desenvolveu o planador AV3, nesse mesmo ano voou o Horten H1 com sucesso parcial e o subsequente H2.O primeiro planador norte-americano, usando o conceito de asa voadora voou somente em 1937.
    O B2 não é cópia de ninguém, mas o mérito do conceito de asas voadoras continua sendo dos alemães.

  13. Admiro o crescimento tecnológico e industrial da China em todas as áreas. Contudo, o roubo das tecnologias e cópias similares dos produtos ocidentais limitam sobremaneira a criação de produtos originais e 💯% chineses diferentes de outras nações.

    • Chineses não estão preocupados com o conceito de ética ocidental que herdamos dos gregos. Chineses estão focados apenas em vencer a próxima guerra.

  14. Pelo que estão falando aí, “qualquer nação com conhecimentos básicos de aritmética” pode copiar geometrias como a do B2.

    https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn%3AANd9GcQEXXC5GOncCYxV2Hff3Jw8UblW55YAvpnlk-EfE7YN_amkho8g

    Bom, se os Chineses estão testando no túnel de vento, certamente terão dados para modelarem a aerodinâmica desta forma “simples” e desenvolverem um sistema FBW capaz de controlar ela. Diga-se de passagem, eles dominam a tecnologia FBW: basta ver a enormidade de papers e teses de doutorado emitidos por chineses egressos de universidades americanas.

    Admiro esses caras neste aspecto. Eles vão lá e fazem acontecer – do jeito deles, mas fazem.

    • Não é cópia, é conhecimento. Alguns países ocidentais achavam que só eles que podiam ter essas tecnologias. Não é a toa que estão tentando prejudicar a China economicamente e limitar o crescimentos deles por medo. Porém, as sanções não está surtindo efeito.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here