Home Aviação de Ataque Índia recebe seu primeiro caça Rafale

Índia recebe seu primeiro caça Rafale

6287
102

NOVA DELI – Quase duas décadas depois que a Força Aérea Indiana (IAF) solicitou novos caças e acirrou os “dogfights” políticos nos últimos dois anos, a Índia finalmente recebeu o primeiro caça omnirole Rafale que pode superar qualquer rival existente da China ou do Paquistão, além de desempenhar um papel estratégico no lançamento de armas nucleares, se necessário.

“Disseram-me que a palavra francesa Rafale significa ‘rajada de vento’ … tenho certeza que a aeronave fará jus ao seu nome”, disse o ministro da Defesa Rajnath Singh, que realizou a cerimônia “Shastra Puja” no primeiro Rafale depois de ter sido formalmente entregue à IAF em Merignac na Região de Bordeaux, na França, na presença de seu colega francês Florence Parly na terça-feira.

Rajnath realizou um voo no Rafale biposto, que tem o número de cauda “RB-001” para marcar o papel desempenhado na IAF pelo
Air Chief Marshal R K S Bhadauria na finalização do mega acordo.

Mas ainda não dá para comemorar. Os quatro primeiros dos 36 caças Rafale, sob o acordo de Rs 59.000 crore (US$ 8,3 bilhão) assinado em setembro de 2016, aterrissarão na Índia somente em maio do próximo ano, após a equipe de pilotos, engenheiros e técnicos da IAF treinar na França. Todos os 36 jatos chegarão até abril de 2022, com 18 sendo implantados em Ambala e 18 em Hasimara, nas frentes ocidental e oriental respectivamente.

Além disso, as 13 melhorias específicas da Índia (ISEs) ou atualizações nos 36 jatos para melhorar a superioridade tática na região, que inclui a capacidade de “partida a frio” do motor em regiões de alta altitude como Ladakh, ficará totalmente operacional apenas em outubro de 2022, após a “certificação de software”, depois da chegada à Índia.

Mas, como reiterou o marechal Bhadauria, na semana passada, o Rafale bimotor certamente será um “game changer”, junto com o míssil russo S-400 Triumf de superfície-ar que também serão entregues à IAF a partir do próximo ano.

Com um alcance de combate de 780 a 1.650 km, dependendo da missão, os Rafales vêm equipados com armas mortais e sistemas aviônicos avançados, radares e sistemas de guerra eletrônica para evitar interferência de adversários e garantir superior
capacidade de sobrevivência no espaço aéreo contestado hostil.

Por um lado, seus mísseis Meteor além do alcance visual (BVRAAMs), propulsados por motores ramjet para um alcance acima de 120-150 km na velocidade Mach 4, são sem dúvida os melhores do mundo para o combate aéreo. Os jatos Sukhoi-30MKI acionados para interceptar o caças paquistaneses em 27 de fevereiro, junto com o comandante de ala Abhinandan Varthaman e outros pilotos de MiG-21, tiveram dificuldades para engajar os F-16s a longas distâncias durante a escaramuça aérea.

“Os Rafales com seus mísseis Meteor teriam derrubado os F-16 paquistaneses, que estavam armados com mísseis AIM-120C AMRAAM (mísseis ar-ar avançados de médio alcance). Se tivermos de desdobrar dois Sukhois para enfrentar um F-16, que tem mísseis de 80 a 100 km de alcance, eles terão que desdobrar dois F-16 contra cada Rafale”, disse um oficial sênior.

O Rafale também possui mísseis de cruzeiro ar-terra Scalp, que podem atingir alvos fortificados de alto valor a 300 km de distância. Cada caça pode carregar dois mísseis Scalp para ataques de precisão nas profundezas do território inimigo sem cruzar o espaço aéreo rival. “O Paquistão e a China não têm nenhum míssil na classe do Meteor, nem mesmo o Scalp”, disse o oficial.

Equipada em grande parte com caças de origem russa, com baixa disponibilidade, a Índia garantiu que os Rafales chegassem com todos peças de reposição e custos com 75% de disponibilidade da frota e “suporte logístico com base no desempenho” por cinco anos no contrato geral.

“Nossos caças existentes podem realizar três missões por dia. Mas, com um tempo de resposta mais rápido, os Rafales podem fazer cinco surtidas em um dia”, acrescentou.

O governo Modi citou a “necessidade operacional crítica” da IAF, que está com apenas 30 esquadrões de caça quando são necessários pelo menos 42 esquadrões, bem como a necessidade de economizar tempo e custos para a aquisição direta de 36 Rafales em 2016, após o cancelamento do projeto original (que estava em um impasse) de US$ 20 bilhões, para a aquisição de 126 aeronaves de combate de médio porte – MMRCA.

Sistema de Armas do Rafale. Clique na imagem para ampliar
Sistema de Armas do Rafale. Clique na imagem para ampliar

FONTE: Times of India

102 COMMENTS

  1. “…primeiro caça omnirole Rafale que pode superar qualquer rival existente da China ou do Paquistão…”
    O J-20 manda lembranças ao Rafale…
    Fora os Sukhoi que se não são superiores, são bem similares…
    Evidente que o discurso era pra consumo interno, pra justificar a fortuna gasta, mas não consegue ser nem perto da realidade…

      • Se a gente não sabe, o figurão da Índia também não…
        Então não deveria falar sobre o que não sabe…
        A gente pode, somos apenas trolls da Internet…
        O J-20, segundo a propaganda chinesa é melhor que o Tie Fighter e o X-wing, juntos… ahuahuah

    • JuggarBR

      You got to understand the difference between an ” official statement ” made by ” bonafide named government sources ” and a sensational article written by a click bait newspaper quoting ” unnamed sources “.

      It’s like comparing earth with the sky

    • O que é um J-20??? é alguma nova versão da família Galxy da Samsung? tipo o J-8?? rapaz, nem sabia que já tinha chegado nessa versão, a falsificação dos “xing-ling” tá indo longe demais kkkkk

  2. “Se tivermos de desdobrar dois Sukhois para enfrentar um F-16, que tem mísseis de 80 a 100 km de alcance, eles terão que desdobrar dois F-16 contra cada Rafale”, disse um oficial sênior.”
    Frase de jogador de SuperTrunfo…

    • Ou o Sukhoi deles não é tudo isso que a gente pensava.

      Já vieram várias notícias da mídia indiana afirmando que o Rafale possui umas boas vantagens sobre o Su-30MKI, embora tenha desvantagens também.

      • Podemos afirmar que os pilotos indianos é que não são tudo o que pensavam…?
        Que a doutrina paquistanesa é superior? Talvez pelo treinamento americano que veio junto dos F-16?
        Não é apenas uma questão de Supertrunfo…

        • É, pode ser.

          Porém sabemos que os indianos são bem treinados e possuem aeronaves AWACS. Mas certamente as táticas e os números devem ter dito a importância.

        • É isso que estou dizendo, se fosse por supertrunfo era obrigação do Su-30 ter abatido dois ou três F-16 com seus R-77( pois o F-16 possui radar de tecnologia mais antiga e com muito menos alcance, sem contar o AMRAAM que, segundo alguns, é inferior ao R-77).

        • Superior porque? Porque abateram um mig21? Mal deles se não o fizessem.
          Que eu saiba, o encontro entre flanker e Falcon se deu à distância e não deu em nada. Pelo que se sabe, os indianos de facto tiveram sucesso na empreitada aérea que realizaram….atacaram o alvo, mas no meio das escaramuças perderam um mig 21 pilotado por um louco (louco, que, se estivesse a pilotar algo melhor, sem dúvida armaria a put@) e um helicóptero desavisado.

    • Muitas declarações indianas afirmam que o Rafale é superior a versão MKI em determinados aspectos, principalmente com armas ocidentais como o Meteor.

    • I won’t blame you lolzzz

      But nevertheless welcome to the world of ” Times of India ” and their nameless ” sources ” .

      Their unnamed officials / senior officers could be anybody from the next door tea shop vendor to a love sick 15 year old kid to a retired 60 year old grandma. And I am being dead serious here.

      You guys won’t believe me but these idiot media and their unnamed official sources cannot differentiate between a transport aircraft and a fighter aircraft . They printed the pic of An32 and labelled it as Mirage-2000.

      And funnily this very same newspaper was in the forefront alleging corruption in rafale without evidence and now they are dancing over the same.

      Back home no serious minded people give a fu*k to what these english newspapers publish.

    • O Su-30 enfrentou o F-16 (obsoletos para os padrões de hoje) e a única coisa que se sabe é que ele teve que desviar de mísseis. Claro que um engajamento é pouco para tirar qualquer conclusão realista, mas não foi aquele show que muitos esperavam.

      • O que limitou o SU-30mki foi a versão do R-77 empregada, com alcance inferior ao aim-120c. Os F-16 manterem o foco nos Sukhoi que teve que manter distância e quem engajou foi o bom e velho Mig-21.

          • Exacto, o que pecou dos dois lados foi os misseis e a distância a que se engajaram…. Mesmo os misseis mais modernos, a partir do momento em que o piloto sabe que está a ser engajado, torna se bastante difícil abate lo.
            Havendo distância, para um caça escapar de um míssil só precisa de ser moderno o suficiente para pelo menos saber que está a ser atacado.

        • @ Matthew wolf

          What limited was a combination of factors

          1. The Pakistanis had the element of surprise since they laid the ambush.

          2. The Pakistanis were at higher altitudes , while the SU30 which was scrambled for interception from another sector was coming in at lower altitudes when the AMRAAMs were fired at them from across the border at DMAX-1.

          3. After the SU30s had evaded the AMRAAMs , they were still at lower altitudes relative to the F16s and hence there was further reduction in range of R77 and the fire control system could not generate a positive fire solution.

          4. Old Government of India RoE forbade approach within 20km of border and firing across the same without prior permission. The MiG-21 broke rules when in the heat of the moment he crossed the border. He was warned by GCI controllers to go cold but it seems either he failed to comply with orders or he did not receive the message .

          Now RoE have been changed , IAF now fully authorised to cross border in persuit of targets and fire missiles across the border without prior political authorisation.

          The IAF played clever by using the excuse of ineffectiveness of R77 to get the government to sanction funds for buying new missiles.

          In a democracy the military is always short on funds to buy necessary hardware.

      • O F16 é obsoleto? Uma porrada de anos depois do primeiro ter sido integrado ao serviço ainda se vendem deles novos, mas é obsoleto. Ok

        • A versão que o Paquistão utiliza seria obsoleta em comparação com os Rafales e Su-30MKI. Não a aeronave, mas sim os seus sistemas embarcados.

  3. O Rafale é um caça muito moderno, não há dúvida. E será um ótimo reforço para a IAF.
    Mas esse Times of Índia escreveu muita baboseira.
    Game changer é muito exagero.
    E 2 Su-30 para cada F-16 E 2 F-16 para cada Rafale parece texto de adolescente que gosta de aviação.

  4. Tenho certeza se a india pagou caro e quer comprare mais 36 tem alguma razao. Talvez a frança le vendeu os mesmos misseis que ela utiliza sabe-se que o meteor de l’armée de l’air tem alcam-se superior a 300km e o scalp a mais de 1000km sera uma razaô ??? Ou o caça e mesmo bom !!!

    • Some of the possible deciding factors according to me ( allows for plausible deniability lol )

      1. Operational sovereignty , other aircrafts like F16 / Gripen are missions limited as defined in the so called documentation agreement between nations, so cannot be used for nuclear delivery. France has no objection regarding the same.

      2. Back door access to codes for Anti hack measures and cyber warfare hardening . Also to check for embedded sleeper codes at sub system level. One cannot trust anybody. Sometime ago Su30 component found with backdoor.

      3. Safransied Kaveri that is replacement of kabini core with M88 core in Kaveri engine and hand holding to rectify the kabini core later on.

      4. LCA MKXX program under French help as a proper replacement of Mirages and as a bonus a cheaper LWF option for many Airforces which can act as a export revenue potential for joint India and France marketing and geo political deals.

      Note :
      When a country offers its aircraft for trials and enters into negotiation for the same , non disclosure agreements are signed between the 2 .

      So one in the public will ever get to know the actual details which are part of the contract.

        • AFAIK the INFRA proposal is to co-develop a next generation higher thrust engine 125-132KN which will be used for rafale F4.2 India Specific Enhancements (ISE) and AMCA. It will be absorbed into the DRDO project Ganga which was doing preliminary research into developing 125-132KN thrust engines.

          And the Kaveri proposal is for replacing the kabini core with the Core of the M-88 which can accept a turbine inlet temperature of 1850 degree, next iteration with the launch of a co-development of a new Core which would be able to accept 2000 degree in a first step and 2100 degree in a second step. SAFRAN has already developed some of the technologies to make the Core at 2000 degrees but has not yet applied them to an engine, and want to implement it in Kaveri engine. So as to increase the thurst of Kaveri to about 110+ KN in afterburning thrust and about 75+ KN in dry thrust for ISA conditions.

    • Filipe,

      Meteor com alcance de mais de 300km? Scalp/Storm Shadow com mais de 1000Km de alcance?

      Quais as fontes?

      O forista Nostra talvez tenha identificado um ponto muito importante na venda gaulesa: eles não se importam em impor restrições ao uso do equipamento. Só querem saber de dinheiro…

      • Mercenario 150km e o que os ingleses chamaô no scape zone quer dizer quando o aviaô estiver dentro desta zona mesmo que faça meia volta naô escaparà ao meteor e a prova que tem alcançe superior. E os testes foraô feitos a penssar na velocidade do caça mais rapido du mundo o mig russo

        • Filipe,

          Não estou criticando a sua afirmação, porém solicitando, caso tenha disponibilidade, que disponibilize as fontes.

          Encontrou informação de fonte segura de que a NEZ estimada do Meteor é de 150 km?
          E a respeito do Storm Shadow/Scalp?

          Saudações,

          • Mercenario sobre o meteor foi o dite défense news que publicou o artigo quanto ao scalp o alcance oficial e de 560km mas nos testes efectuados em frança o alcance foi muinto superior ao esperado os medias na altura falaraô em perto de 1000km

  5. Parabéns ao povo indiano
    Pois estão montando uma força militar de respeito mundial.
    Que bom que levam a sério a soberania de seu país
    Com certeza é um excelente caça e um ganho operacional. Além de lindo avião.
    Parabéns índia
    E boa sorte pois vão precisar

    • Sim, é mais comercial. Omnirole é pelo fato de poder executar vários tipos de missão ao mesmo tempo (em parte por causa do radar de varredura eletrônica que podia intercalar os modos de forma extremamente rápida), na época em que o Rafale foi lançado era praticamente o único a fazer isso.

      Nosso Gripen provavelmente também será, assim como outros com radares AESA.

      • Multimissão seria multirole o que muitos caças modernos são desde o fim dos anos 70, omnirole seria a capacidade de fazer tudo ao mesmo tempo, coisas diferentes uma sem interromper a outra. O que, na prática, fica meio limitado pela capacidade de carga da aeronave.

        Isso por causa do radar PESA principalmente, que pode executar varredura em diversos modos de forma tão rápida que para o piloto parece que modos ar-ar e ar-terra ocorrem simultaneamente.

        Uma vez conversei com um analista americano e ele disse que qualquer caça (multirole) com radar AESA pode ser considerado Omnirole ao menos em teoria. Mas quando o Rafale foi lançado isso era novidade.

  6. Falando exclusivamente de beleza, o Rafale é fantástico! Na minha opinião está entre os 5 mais bonitos de todos os tempos, falando-se de caças à jato.
    Considero esses 5:
    – família Su-27/30/35 (o 34, não)
    – F-14
    – Rafale
    – F-15
    – Mirage 2000

    Se considerar os 10 mais, eu incluiria:
    – Hornet e Super Hornet
    – Mig-29
    – F-16
    – F-5
    – Mirage III

  7. Remember, it was 8 Indian Fighter vs 24 Pakistan’s and result came out 1-1, the F16 were flying much higher, hence longer range for missiles.

  8. “…recebeu o primeiro caça omnirole Rafale que pode superar qualquer rival existente da China ou do Paquistão”.

    Como se pode saber isto, oh grande Oráculo, se ninguém conhece de fato as capacidades dos novos vetores chineses? Sem confrontos reais, não há comparações reais. Pode até ser verdade, mas é uma forçação de barra da “borra”.

    Bah, tô cansado de ouvir marketing e especulação.

    • No combate moderno não tem barato. Caça abatido não tem preço. Se o preço for o fator decisivo no equipamento das forças aéreas vamos de PA-18 armado com uma RPG nos montantes das asas. Fica bem barato e da tiro. Se acertar faz um estrago….

      • Podemos dizer que o preço é relativo para um país que tem vizinhos belicosos, como Paquistão e China. Mas para um país como o Brasil o preço importa sim, ou alguém consegue imaginar a FAB operando 72 Rafales ou Super Hornets em quatro bases espalhadas pelo país?
        Já o Gripen, com muito esforço, tem uma chance… Enquanto o orçamento for quase todo para o contingente o Gripen é o céu, e devemos por a mão pra cima por ele ser tão capaz, com radar aesa, meteor, datalink e guerra eletrônica de ponta.

  9. Não sou fã incondicional, mas também não faço críticas por criticar. O Rafale é um excelente vetor, mas é caro ou os franceses cobram muuuito caro, tanto faz. Julgo, como, leigo que sou, que ele teria melhores condições de estar com as cores da FAB se os franceses e, especialmente a Dassault, não fossem tão ambiciosos na negociação e no pós-venda.

    O que pude perceber nessa matéria é que o Times of India pegou meio pesado na propaganda, desmerecendo todos os demais vetores. Aceito de boa a superioridade do Rafale sobre o F-16, dada a idade dos projetos naquela região e as respectivas ordens de batalha, mas desconfio de tal superioridade inconteste frente aos Su-30 e a alguns dos caças chineses.

    Há algum vetor hoje em dia sobre o qual se possa dizer que é insuperável? F22? J-20? Esse papel caberia apenas aos furtivos de 5ª geração ou um 4,5ª geração ainda faz bonito? Não considero o Rafale como o game changer da região, mas se a India souber explorar a dupla Rafale/meteor/scalp e Su-30mki/R77, vai dar trabalho, ainda mais com S-400 e AWACS por trás. Eu diria que, em 2022, eles terão uma ordem de batalha muito consistente e capaz.

    • Eu não tenho dúvidas que o Rafale é consideravelmente superior ao SU 30, F16 e todas as aeronaves da região…
      Eventualmente o J20, por ser stealth, e porque não duvido da tecnologia deles, pode ser superior ao avião francês.

      • E é até natural que seja assim, qual a idade do F-16 paquistanês? Quanto tempo já tem essa versão do Flanker MKI? O Rafale está chegando agora, assim como o Meteor… a tendência é que seja superior mesmo.
        Teríamos uma dúvida maior se a comparação fosse contra um Su-35S ou Su-57 ou a versão do F-16 oferecida para os indianos…

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here