Home Abate Há 60 anos, o sistema de mísseis terra-ar SA-2 estreava em combate

Há 60 anos, o sistema de mísseis terra-ar SA-2 estreava em combate

9624
152
Mísseis S-75 Dvina, de fabricação chinesa, designados HQ-2, em exibição no Museu de Aviação da China

Em 7 de outubro de 1959, aconteceu a primeira destruição de uma aeronave inimiga por um míssil terra-ar, com o abate de um Martin RB-57D Canberra de Taiwan sobre a China, atingido a uma altitude de 20 km (65.600 pés) por uma salva de três mísseis V-750 (1D), lançados por um sistema S-75.

O S-75 (em russo: С-75; SA-2 “Guideline” na designação da OTAN) é um sistema de defesa aérea de alta altitude, projetado pelos soviéticos, construído em torno de um míssil terra-ar com orientação de comando. Após sua primeira implantação em 1957, tornou-se um dos sistemas de defesa aérea mais amplamente empregados da história.

Esse sistema ganhou fama internacional quando uma bateria S-75, usando o míssil V-750VN (13D) mais novo, de maior alcance e maior altitude, foi empregada no incidente do U-2 de 1960, quando derrubou a aeronave pilotada por Francis Gary Powers sobrevoando a União Soviética, em 1 de maio de 1960.

O sistema também foi desdobrado em Cuba durante a Crise dos Mísseis, quando abateu outro U-2 (pilotado por Rudolf Anderson) sobrevoando Cuba em 27 de outubro de 1962, quase precipitando uma guerra nuclear.

As forças do Vietnã do Norte usaram o S-75 extensivamente durante a Guerra do Vietnã para defender com sucesso Hanói e Haiphong dos ataques dos EUA. Também foi produzido localmente na República Popular da China sob os nomes HQ-1 e HQ-2.

Subscribe
Notify of
guest
152 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
RENAN
RENAN
7 meses atrás

Não sei porque humilhar tanto o contribuinte brasileiro, faz 60 anos que existe um modelo funcional de sistema Antiaéreo de 20km de altitude e nos não temos a capacidade de produção de nada similar.
Que vergonha.
Por favor não nós humilhe mais com este tipo de reportagem, pois nossos militares tem prioridade melhor para torrar o dinheiro público, o 13° orçamento de defesa do planeta.
Por favor não nós humilhe.

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  RENAN
7 meses atrás

Renan,

Voce tocou na ferida. Ha 60 anos atras os russos criaram esse missil fenomenal, mortifero, e repeitado pelos adversarios.

E o Brasil que? Parado na estaca zero. Entao eu pergunto: Quanto custa desenvolver um missil tipo SAM, como o S-75?

E olha que naquela epoca, a Russia nao era tao desenvolvida em electronica, o missil nao possuia computador, e muito menos GPS.

Nos dias de hoje ate parece primitivo, mas naquela epoca, foi um salto tecnologico impressionante.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Tadeu Mendes
7 meses atrás

Rapaz!
Concordando com o Tadeu de novo?!?!?!?!
Vai que a moda pega.
kkkkkk

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  Antoniokings
7 meses atrás

Kings,

Sinal dos tempos. O fim do mundo se aproxima….kkkkkkk.

Eu reconheco qualidade tecnolgica e o poderio dos misseis russos, comecando pelos SAMs. ate chegar aos ICBMs.

A China nem chega perto da Russia, em numero de ICBMs. e poderio nuclear.

Mas a Russia, e’ a unica que possue suficiente estoque de armas nucleares, as quais poderiam arrasar com as grandes cidades americanas e destruir a infraestrutura industrial e operacional deste pais.

paddy mayne
paddy mayne
Reply to  Tadeu Mendes
7 meses atrás

A Rússia perdeu parte de sua capacidade de lançar tais armas. Mas continua inegavelmente perigosa.

Farroupilha
Farroupilha
Reply to  Tadeu Mendes
7 meses atrás

Tadeu, Até a década de 60 a matemática russa era a mais competente do planeta. Nesta época o que determinava o acerto no alvo desses mísseis era simplesmente um rigoroso cálculo de trajetória. As vitórias espaciais russas (primeiro satélite, primeiro astronauta) se deram mais por sua matemática do que por uma tecnologia sofisticada. Sendo que o programa espacial americano se atrasou em relação ao russo, pela matemática americana ser mais fraca e não por seus recursos e tecnologia. Caso não esteja enganado (fazem muitos anos que li) a fonte dessa informação está no livro: Sombra Sobre as Estrelas de Peter… Read more »

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  Farroupilha
7 meses atrás

Farroupilha,

Concordo contigo. A Matemática foi o instrumento intelectual mais poderôso que a Rússia possuía aquela época.

Mas se não estou enganado, os cérebros da União Soviética eram os ucranianos.

A Rússia era a locomotiva industrial comunista , muito peão e muita política e o grôsso do poder militar.

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  Farroupilha
7 meses atrás

Farroupilha,

Concordo com voce, que o melhor instrumento intelectual com que contava a Uniao Sovietica naquela epoca, foi a Matematica.

Mas se nao estou enganado, a Russia era como que uma locomotiva industrial e politica das Republicas Socialistas Sovieticas.

Mas os cerebros estavam na Ucrania, tanto no que se refere a tecnologia de foguetes e misseis, como tambem na area de projeto de ogivas atomicas e/ou termonucleares.

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  Tadeu Mendes
7 meses atrás

Tadeu.
E pelos aviões abatidos se percebe que ele era muito eficaz. Abater um alvo a vinte mil metros naquela época.

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  Antonio Palhares
7 meses atrás

Antônio Palmares,

Exatamente.

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  RENAN
7 meses atrás

Renan, Voce tocou na ferida. Ha 60 anos atras os russos projetaram e desenvolveram um missil letal, preciso, e temido pelos adversarios. E o Brasil que? Quanto custaria desenvolver um missil como este? Quantas vezes o Brasil perdeu, e vai continua perdendo o bonde? Veja bem; o missil parece primitivo, se comparado aos aos de hoje em dia. Sem computador de bordo, sem GPS, e mesmo destruir um U-2 a 60 mil pes de altura, ou seja; o dobro da altitude de cruzeiro das aeronaves comerciais (30 mil pes). Eu penso que foi o mais avancado missil, naquela epoca. Esse… Read more »

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
Reply to  Tadeu Mendes
7 meses atrás

70 mil pés para ser exato.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  RENAN
7 meses atrás

Até parece que existem dezenas e dezenas de sistemas similares. Me desculpe, mas não existe a real necessidade de desenvolver isso, nem o Vietnan, Egito, Iraque, etc etc, etc desenvolveram

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  Ricardo Bigliazzi
7 meses atrás

Ricardo Bigliazzi,

Talvez nao exista a necessidade de desenvolver sistema semelhante.

Mas quando a necessidade chegar, poderia ser tarde demais.

Esse tipico pensamento brasileiros como voce, ajudam a manter o Brasil sempre atrasado, defasado e desarmado.

Sérgio Luís
Sérgio Luís
Reply to  RENAN
7 meses atrás

Toda razão!

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  RENAN
7 meses atrás

Nem desenvolvemos e nem compramos algo assim! Eu gostaria muito de ver algum tipo de sistema de médio e de longo alcance feito aqui nem que seja fabricado com licença. Já que estamos vendo tantos projetos saindo bem que poderia sair cadê a parceria da Avibrás com a MBDA para um sistema de média altitude?

Mauricio R.
Reply to  Fabio Araujo
7 meses atrás

Não necessitamos da Avibrás para termos um sistema SAM de média altitude.
Basta adquirir de prateleira, de quem tem.
Sai mais barato e é entregue funcionando, e no prazo.
Se depois de tanta tecnologia comprada pela União, a BID não sabe fazer, então temos que deixa-la de lado; morrer seca.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
Reply to  Mauricio R.
7 meses atrás

Israelense.

Mauricio R.
Reply to  Carlos Alberto Soares
7 meses atrás

Os sistemas israelenses estão mais para C-RAM e BMD, do que
para SAM.
Israel também é operador do Patriot.

Adriano RA
Adriano RA
Reply to  RENAN
7 meses atrás

Não me lembro do motivo de não termos fechado a compra dos Pantsir, alguém se lembra?

100nick-Elâ
100nick-Elâ
Reply to  Adriano RA
7 meses atrás

Porque Bardini, Bosco, Rinaldo Nery, Agnelo e cia nos acusaria de comunistas, foi por isso.

Bosco
Bosco
Reply to  100nick-Elâ
7 meses atrás

Me inclui fora dessa.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  100nick-Elâ
7 meses atrás

Uma coisa é ideologia, outra coisa é qualidade de equipamento. Teria sido excelente. Não fosse assim não teríamos o MI38. Mas, como já postei ¨n¨vezes, graças ao ¨jeito russo¨ de fazer negócios (pós venda horroroso), o projeto vai ser ENTERRADO!

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
Reply to  Rinaldo Nery
7 meses atrás

Vai ser Israelense.

RENAN
RENAN
Reply to  Adriano RA
7 meses atrás

Amigo qual o motivo do gigante está adormecido? Qual o motivo de sabotagem no programa nuclear brasileiro? Qual o motivo de negarem a tecnologia militar ao Brasil? Qual o motivo da base de Alcântara explodir? Qual o motivo do convertiplano não ser feito pelo Brasil?qual o motivo do Brasil não fazer um transistor, diodo,etc? Qual o motivo de não termos uma bomba nuclear? Muitos acham apenas lenda, mas este país tem um potencial gigante se as forças ocultas que controla o planeta, não impedir sabem que este país terá potencial para se tornar a maior potência do planeta. Então para… Read more »

Atirador 33
Atirador 33
Reply to  RENAN
7 meses atrás

Meu caro, concordo com tudo que vc mencionou, somos boicotados com tecnologias militares, isso eu acredito que todos os entusiastas concordam. Porém acho que não podemos culpar outras nações pelos nossos atrasos e mazelas, temos um problema crucial que é orçamentária seguida das disfunções da máquina pública. Assim sendo, somos os únicos culpados pelos nossos atrasos, temos de parar de vitimismo e arregaçar as mangas e pesquisar, desenvolver tecnologia e patentear, e não esperar que os países que fazem seus deveres de casa, nos socorram. Vamos nos esforçar para debater as causas. Abs

RENAN
RENAN
Reply to  Atirador 33
7 meses atrás

Atirador 33 ( minha opinião) A causa número 1) é a falta de gestão visando a atividade fim, gastar o orçamento da defesa em defesa nacional e não em milhares de pessoas e benefícios. Isso já todos concordamos. A causa número 2) é o problema de destinar ao setor de defesa baseado no PIB. Vamos lá: teria que ter no planejamento orçamentário de defesa por força de lei um valor estipulado em dólar (visto a necessidade de compras internacionais), por 10 anos, assim a cada 10 anos se revisa este valor. E não em porcentagem como é hoje. Este valor… Read more »

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  RENAN
7 meses atrás

Meu caro, a maior força oculta, o cancro mor estão nos nossos políticos(congresso) e estes fazem e fizeram mais estragos que um ataque nuclear, são traidores da pátria, assim como no judiciário e executivo. Falta-nos patriotismo, respeito e amor a pátria mãe Brasil, um escoamento de recursos caótico, que está nos levando a insolvência(incluindo as pensões efetivo muito acima do necessário, além das mordomias) e ONDE ASSINO? abraços

Bosco
Bosco
Reply to  Adriano RA
7 meses atrás

Adriano, O Pantsir é muito bom mas não passa de um sistema SHORAD superdimensionado. Um sistema de médio alcance preferencialmente deve ter uma configuração modular e não ser um sistema integrado a um só veículo. O fato do desempenho do Pantsir ser condizente com um míssil de médio alcance pretendido pelo EB não fazia dele um sistema com a conformação ideal. Nada contra ele compor um sistema de defesa AA brasileiro, seja no EB ou na FAB, mas ele não é um sistema de médio alcance legítimo. Já o seguinte no portfólio russo, seria o BUK, mas que acho muito… Read more »

Adriano RA
Adriano RA
Reply to  Bosco
7 meses atrás

Interessante…. Talvez um BARAK MRAD….
Abraços

FoDeFo
FoDeFo
Reply to  Bosco
7 meses atrás

Então pagar preço de sistema de curto alcance e receber um com desempenho de médio alcance, autônomo ou operado em rede, com ótimo desempenho comprovado em combate real, e com proposta de transferência de tecnologia; isso tudo é ruim?
É…
Pode ser…
Antes que digam que é caro, procurem saber o preço de cada munição do Pantsyr e do CAAM, por exemplo.
Ou pensem qual seria munição (míssil ) mais crível de ser fabricada aqui.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
Reply to  Bosco
7 meses atrás

Tio Jacó.

JPC3
JPC3
Reply to  Adriano RA
7 meses atrás

Porque não era o que as forças armadas queriam?

pangloss
pangloss
Reply to  RENAN
7 meses atrás

Esse é um aspecto que não passa pela cabeça dos que defendem que o Brasil tenha armas nucleares.
Mísseis antiaéreos são apenas um exemplo do que nos falta.
Antes de ter um arsenal nuclear, deveríamos desenvolver muitos outros sistemas.
Até mesmo para proteger nosso eventual arsenal nuclear.

Émerson Gabriel
Émerson Gabriel
Reply to  pangloss
7 meses atrás

Não podemos ter armas nucleares porque o Brasil assinou o tratado de não-proliferação de tais armas, salvo engano no governo FHC. Sair desse tratado nos dariam muita dor de cabeça com o conselho de segurança da ONU (EUA…Rússia…China…França…) Esqueçam isso e voltemos a realidade. Não tem dinheiro para o 2º lote de Gripen, nem para as 4 (eu disse 4) tamandarés temos $$$ e pior ainda. pagamos 55 milhões por cada caracal que custa o dobro do Black Hawk e 4x mais que um Mi-17 e para a gente chorar o preço de um Apache… E querem bomba nuclear? rs

Elton
Elton
Reply to  RENAN
7 meses atrás

Talvez depois de saber o que é o horror da guerra total ,sofrer com destruição total de suas principais cidades,ver as atrocidades que acontecem com um povo derrotado sob ocupação estrangeira e ter seus homens humilhados com suas mulheres sendo tomadas por soldados inimigos ,talvez só depois de um dia sofrer isso nossos governantes,militares,políticos e sociedade civil vão entender a necessidade de ter uma indústria de defesa forte,com forças armadas capazes de ser tão fortes quanto a economia do país e ter poder real de dissuasão estratégica.

Émerson Gabriel
Émerson Gabriel
Reply to  Elton
7 meses atrás

Sem contar que pegaria mal para o governo (qualquer governo) desenvolver armas nucleares. O Brasil está quebrado com todos os ministérios contingenciados; não há dinheiro nem para pesquisa em ciência e tecnologia. Desenvolver armas nucleares sem nenhum apoio popular seria um suicídio político. PS: Não sou de esquerda, sou apenas racional.

Thulio manhaes
Thulio manhaes
Reply to  RENAN
7 meses atrás

Até q enfim 1 comentário na qual concordo c vc Renan!…rs

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  RENAN
7 meses atrás

Se você for pesquisar e verificar na destinação do orçamento público da união vai ver que 40% vai para pagamento de juros da divida pública, junte isso mais contingenciamento então sobra muito pouco para considerar o setor defesa como prioridade.

Rodrigo
Rodrigo
Reply to  RENAN
7 meses atrás

Nossos militares “para que isso , vamos investir em festas, banda de música(todo quartel tem uma), e lutarmos pela nossa aposentadoria”.

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  Rodrigo
7 meses atrás

Esqueceu de mencionar judiciário, legislativo e executivo

Bispo
Bispo
Reply to  RENAN
7 meses atrás

Realidades diferentes … URSS x EUA .. Brasil x Corrupção/soberba etc….

Diego
Diego
Reply to  RENAN
7 meses atrás

poderiam começar efetivamente cancelando a pensão para filha de quem ainda não recebe mas tem direito

RENAN
RENAN
7 meses atrás

Segue bastante dados técnicos do míssel https://www.ausairpower.net/APA-S-75-Volkhov.html

Tomcat
Tomcat
7 meses atrás

Caros editores, o primeiro parágrafo está estranho:

Martin RB-57D Canberra de Taiwan sobre a China , atingido por uma salva de três mísseis V-750 (1D) “lançados” por um sistema S-75 a uma altitude de 20 km (65.600 pés).

Ao invés de lançados, não seria atingido pelos mísseis a 20 km de altitude?

Émerson Gabriel
Émerson Gabriel
Reply to  Alexandre Galante
7 meses atrás

Ficou melhor agora

Mauricio R.
Reply to  Tomcat
7 meses atrás

Outra vítima de SA-2, foi na 1ª Guerra do Golfo.

Space Jockey
Space Jockey
7 meses atrás

E pensar que hoje ainda não possuímos nada pra essa altitude/alcance.

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
7 meses atrás

Esse missil foi um icone durante os anos 60. Causou consideravel estrago em jatos de combate e bombardeios americanos, especialmente durante o conflito no Viet Nam.

Foi sem sombra de duvida uma surpresa total para os EUA, quando o S-75 abateu o U-2 voando sobre o territorio russo.

100nick-Elâ
100nick-Elâ
Reply to  Tadeu Mendes
7 meses atrás

Elogiando arma russa? você está doente, Tadeu?

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  100nick-Elâ
7 meses atrás

Nick,

Nao estou doente nao. rsrsrs…

Mas quando falamos de misseis, eu tiro e sempre tirei o chapeu para Russia, a qual esta’ no mesmo patamar que os EUA, ou pelo menos a letalidade dos misseis russos nao deixa nada a desejar aos misseis americanos.

Chris
Chris
Reply to  100nick-Elâ
7 meses atrás

Pelo que eu percebo… Quando um “ocidental” fala a respeito de determinado assunto… Ele realmente acredita naquilo, ou seja, isso não o impede de elogiar o “inimigo”….

Eu por exemplo… Fiquei mesmo de boca aberta com o desfile militar da China.

E no caso dos “vermelhinhos”… Acho que continuam insistindo em algo, mesmo qdo sabem que estão errados ! Porque na verdade, defendem é uma doutrina !

carcara_br
carcara_br
7 meses atrás

Famoso poste voador, a ogiva desse míssil é uma coisa descomunal.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
7 meses atrás

Como já disseram anteriormente:
A 60 anos os misseis AAA estrearam em combate.
E durante todo esse tempo, um certo país dos trópicos onde “tem palmeiras onde canta o sabiá” nunca teve nada igual, em suas 3 FA’s.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
7 meses atrás

Defender com sucesso Hanoi??? Veja o volume de bombas atiradas pelos Americano anos após anos em Hanoi…

Impuseram dificuldades, num primeiro momento preocupantes mais podemos considerá-los os fomentadores dos eficientíssimos aviões Wild Wessel americanos.

Pode contar a historia, mas não pode modificá-la

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Ricardo Bigliazzi
7 meses atrás

Levando-se em conta que no final os EUA foram derrotados, todo esforço pode ser considerado vitorioso.
Inclusive os milhares de abates de aviões americanos, em que pese algumas cidades bombardeadas.
Como analogia podemos citar o bombardeio alemão a Londres.
Alguns aviões passaram, a cidade foi bombardeada, muitos aviões alemães foram derrubados e no final a Alemanha foi derrotada.

Bosco
Bosco
Reply to  Antoniokings
7 meses atrás

Toinho,
A Guerra do Vietnã foi uma batalha da Guerra Fria. Os EUA venceu!

100nick-Elâ
100nick-Elâ
Reply to  Bosco
7 meses atrás

Os Estados Unidos venceram a Guerra Fria sim, mas não essa batalha específica do Vietnã.

Chris
Chris
Reply to  100nick-Elâ
7 meses atrás

Não existiu uma guerra dos EUA contra o Vietnã ! Existiu um guerra entre Vietnã do Sul contra o Vietnã do Norte… E os EUA apoiaram o sul ! Como era, literalmente, uma “guerrilha” que não acabava nunca (Durou oficialmente 20 anos). E não habituados a conflitos “medievais” no meio da floresta, muitos americanos morreram. A guerra não era deles, a opinião pública americana caiu em cima e eles caíram fora. Só depois disso o Vietnã do Norte venceu a guerra! Se a guerra fosse mesmo “americana”… A história seria outra obviamente, e poderia até terminar em bomba nuclear !

Rene Dos Reis
Rene Dos Reis
Reply to  Bosco
7 meses atrás

Sei não ein no futuro os historiadores podem não considerar a queda da união soviética como sendo o fim da guerra fria.

Bosco
Bosco
Reply to  Rene Dos Reis
7 meses atrás

Rene,
Aquela guerra acabou. Agora o inimigo não é mais tão aparente como no passado, sendo muito mais esquivo e maquiavélico, mas é igualmente perigoso.

Aldo Ghisolfi
Reply to  Bosco
7 meses atrás

Mais perigoso, penso eu. Agora podemos agregar a China, a Coréia do Norte, o Irã e a Rússia, que continua na parada.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Rene Dos Reis
7 meses atrás

A guerra fria não acabou.
É evidente que agora é com a China e ela está vencendo.
Muito provavelmente por ela ser de um porte muito maior que a antiga URSS.
Não por outro motivo, a China já possui 40% da produção industrial do Mundo.

Bosco
Bosco
Reply to  Antoniokings
7 meses atrás

O maior inimigo do Ocidente não é a China nem a Rússia ou o Irã e muito menos a CN. O maior inimigo é interno.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Bosco
7 meses atrás

Engano seu.
Quem está corroendo os EUA é a China.
Devagar. Lentamente.
E não há mais como retroceder.
Mas, vale a sua torcida.

Chris
Chris
Reply to  Antoniokings
7 meses atrás

Fica tranquilo… Rússia ainda é muito mais “perigosa” que a China, que jamais atacará o ocidente, pois só as sanções comerciais destruiria sua economia em poucos meses, de tão dependentes de exportações que são.

Com uma canetada do Trump na Huawei e alguns impostos, olha a quantidade de fábricas que estão fugindo da China, que nem se atreveu a revidar ! E sua economia já sente os efeitos…

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Bosco
7 meses atrás

Isto está parecendo gol anulado pelo VAR.
Quando começa a jogada e quando acaba.
Se vc considerar que a China ajudou o Vietnã, e ela está assumindo a ponta no Mundo, então ela ganhou.
Mas, para todos os efeitos, foi a maior derrota americana em todos os tempos.

Chris
Chris
Reply to  Antoniokings
7 meses atrás

A única verdade nisso… É que os americanos não eram habituados a conflitos medievais no meio da floresta e lá eles sofreram…

De resto, o vietnã do Norte só venceu a guerra, depois que os EUA deixaram de apoiar o Vietnã do Sul !

Mauricio R.
Reply to  Antoniokings
7 meses atrás

Os americanos perderam a 10000 Km do litoral da Califórnia.
Os soviéticos perderam do outro lado do rio.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Mauricio R.
7 meses atrás

O único problema é que os EUA têm mais de uma derrota, né?

Antonio Lopes
Antonio Lopes
Reply to  Bosco
7 meses atrás

Só você acredita nisso!

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  Antonio Lopes
7 meses atrás

Os EUA fizeram os norte vietnamitas a sentarem na mesa de negociacoes. O que os combates no meio das florestas nao conseguiu dobrar os norte vietnamitas, os bombardeios aereos, praticamente colocaram os comunistas de joelho. Foi somente depois que os EUA sairam do Viet Nan, foi que o norte invadiou o sul. Nenhum pais foi tao severamente bombardeado pela USAF e pela US Navy, como foi o Viet Nam do Norte.. Se o Viet Nam fosse um pais industrializado, teria regressado a idade da pedra depois de tantas bombas. Praticamente o Viet Nam era um matagal imenso, sem valor estrategico… Read more »

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  Antoniokings
7 meses atrás

Kings,

Nao me decepcione.

Contabilizando o numero de mortes durante a guerra do Viet Nam, os EUA sairam vitoriosos, A derrota americana no Viet Nam foi mais politica do que militar.

Alias, ja’ nao tinha muito mais o que bombardear. Uma guerra assimetrica, travada contra um exercito regular (NVA) e a guerrilha campesina (Vietcong),

O Viet Nam nao tinha uma infraestrutura para ser destruida, o pais quase todo vivia da economica de substencia, nas areas rurais.

Antonio Lopes
Antonio Lopes
Reply to  Tadeu Mendes
7 meses atrás

A decisão militar de entrar em guerra ou se render ou abandonar o campo de batalha é uma decisão política. O Vietnã ganhou a guerra por abandono do oponente que fugiu, por uma decisão política de que era impossível vencer militarmente. Ok?

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  Antonio Lopes
7 meses atrás

O oponente nao fugiu. Voce esta muito mal informado sobre o conflito.

Aceita a verdade que doi menos.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Tadeu Mendes
7 meses atrás

Caro Tadeu Vitória ou derrota pode e deve ser determinada pela avaliação crítica em relação aos objetivos estabelecidos como metas. Fica evidente que no caso da guerra do Vietnã os meios militares estadunidense não foram capazes de alcançar os objetivos estabelecidos. Indiferentemente ao colossal poder bélico utilizado e os danos conseguentes impostos aos norte-vietnamitas nenhum objetivo foi alcançado. Militarmente a maior derrota estadunidense foi justamente o fato de que sua absoluta superioridade bélica e sua superlativa capacidade de promover danos e destruição, não foi capaz de neutralizar o inimigo, muito menos derrota-lo. A retirada dos estadunidense foi efetivada mediante essa… Read more »

Antonio Lopes
Antonio Lopes
Reply to  Tadeu Mendes
7 meses atrás

Para vencer uma guerra você tem que alcançar e controlar o poder político do local.

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  Antonio Lopes
7 meses atrás

Anontio Lope,

Isso nao e verdade. Para vencer uma guerra voce tem empurrar o inimigo para a beira do abismo.

Veja o exemplo da Alemanh nazista. Ninguem pode alcancar e controlar o poder politico local dos nazistas.

Foi o imenso poder destrutivo do inimigo, e a quantidade apocalipitca de mortos fizeram os nazistas se renderem.

A maquina de guerra da Alemanha ja estava praticamente dizimada, os recursos exauridos, as cidades em ruinas, a vontade de lutar evaporou.

Sua teoria esta errada.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Antoniokings
7 meses atrás

Levaram taquarada dos papa arroz e em outros lugares também não se deram bem, acho que o paspalhão americano pelo menos em termos de conflito está vendendo as armas mas participar ta fora.

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  Antoniokings
7 meses atrás

Kings,

Nao houve milhares de abates de de aeronaves americanas. Revisa a sua estatistica.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Tadeu Mendes
7 meses atrás

Eu me baseio por esta estatística.
Acho que está bem detalhada.

https://en.wikipedia.org/wiki/List_of_aircraft_losses_of_the_Vietnam_War

Evandro
Evandro
Reply to  Ricardo Bigliazzi
7 meses atrás

Tem uma frase que diz “A política é o cachorro e a guerra é o rabo”, é o cachorro que balança o rabo e não o contrário.

Otto Lima
7 meses atrás

E até hoje o Brasil não tem sistemas de defesa antiaérea de área para médias e grandes altitudes, apenas mísseis e canhões para curtas distâncias e baixas altitudes.

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
7 meses atrás

Nao me lembro de nenhum U-2 abatido sobre Cuba.

Alguem pode confirmar isso?

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Tadeu Mendes
7 meses atrás

Foi na crise dos mísseis, inclusive no filme ” Treze Dias que Abalaram o mundo” relata o fato!

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  Fabio Araujo
7 meses atrás

Eu tenho o DVD em casa. Vou assistir novamente. Eu ja havia assistido varias vezes, Voce tem razao.

Mas esse U-2 ja havia voado antes sobre Cuba sem incidentes, porque foi devido a esse mesmo U-2, descobriram os misseis nucleares russos estacionados na ilha.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Tadeu Mendes
7 meses atrás

E foi por conta desses voos e prevendo uma possível reação dos EUA que os soviéticos instalaram esses mísseis

paddy mayne
paddy mayne
Reply to  Fabio Araujo
7 meses atrás

Mas foi justamente um U-2 pilotado pelo major Richard Heyser que identificou as instalações de misseis em Cuba.

Aldo Ghisolfi
Reply to  Fabio Araujo
7 meses atrás

27 de outubro de 1961, dito “Sábado Negro”…

Manuel Souza
Manuel Souza
Reply to  Tadeu Mendes
7 meses atrás

Foi abatido. Também não sabia e fui pesquisar. Tem o motor do U-2 no museu militar de Havana.

Antonio Lopes
Antonio Lopes
Reply to  Tadeu Mendes
7 meses atrás

Os destroços do U2 estão no museu de Havana para qualquer um ver, entrada dois dólares.

paddy mayne
paddy mayne
Reply to  Tadeu Mendes
7 meses atrás

O major Rudolph Anderson pilotava o U-2 abatido, e foi a única vítima fatal conhecida da crise dos misseis de Cuba. Seu corpo foi devolvido após algum tempo.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
Reply to  Tadeu Mendes
7 meses atrás

Não teve.

Sérgio Luís
Sérgio Luís
7 meses atrás

Batismo de fogo no Vietnã foi sobre um A-4 do USN!

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Sérgio Luís
7 meses atrás

Lieutenant Everet Alvarez foi o primeiro piloto norte americano abatido na guerra e feito prisioneiro. Foi ele a primeira vítima.

Antoniokings
Antoniokings
7 meses atrás

Esse realmente fez história.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
7 meses atrás

Hoje passou num canal por assinatura o filme ” Ponte dos Espiões ” que tem o abate U2 e a negociação para a troca do piloto por um espião soviético que estava preso nos EUA!

Bruno Vinícius Campestrini
Bruno Vinícius Campestrini
7 meses atrás

Não querendo ser chato, mas já sendo, “defender com sucesso Hanói e Haiphong” é forçar um pouco a barra né? Só ver que as operações Linebacker conseguiram forçar os norte-vietnameses a aceitarem um acordo de paz, tivessem os S-75 “defendido com sucesso” não acredito que isso teria acontecido. Agora, que causou danos, certamente causou, ainda que não tão extensivos (a frota de B-52s teve uma taxa de perda de apenas 3,43% na operação Linebacker II e de 12,75% no geral).

Pedro
Pedro
Reply to  Bruno Vinícius Campestrini
7 meses atrás

Olhe o tamanho e o custo destas operações e vera que o SA-2 foi sim muito eficaz! A eficiência e eficacia de um sistema de defesa não esta apenas em não permitir completar uma missão ou destruir o inimigo e sim em forçar o mesmo a abrir mão de recursos que poderiam ser utilizados para outras frentes.

Elton
Elton
Reply to  Bruno Vinícius Campestrini
7 meses atrás

O SA-2 era um sistema de armas para defesa aérea, a medida de sussesso de uma arma não e pelo resultado geral de uma batalha mas sim pela efetividade,kill ratio,realibidade e maleabilidade além de capacidade de adaptação há um determinado TO sem falar em efeito sobre o inimigo,por exemplo foi pela ameaça do SA-2 que nasceu as operações SEAD e foi acelerado o desenvolvimento do B1 e criado o F117

Bruno Vinícius Campestrini
Bruno Vinícius Campestrini
Reply to  Elton
7 meses atrás

O kill rate do SA-2 foi péssimo, 3,43% numa operação que durou 11 dias, contra duas das cidade mais protegidas do mundo, é um resultado quase que risível. Mas concordo que de fato moldou para sempre a doutrina americana.

carcara_br
carcara_br
Reply to  Bruno Vinícius Campestrini
7 meses atrás
Elton
Elton
Reply to  Bruno Vinícius Campestrini
7 meses atrás

1 acerto para mais de 30 lançados e um bom número sendo que o prêmio seria um caríssimo B52 com meia dúzia de tripulantes e o custo dos mísseis lançados versus o custo do bombardeiro foi muito vantajoso para o SA2.

Bruno Vinícius Campestrini
Bruno Vinícius Campestrini
Reply to  Elton
7 meses atrás

3,43% não é o PK do SA-2, mas sim a taxa de perdas do B-52. Com esse número é impossível saber se o PK foi de 100% ou 0.00001%, pois para isso seria preciso saber quantos mísseis foram lançados.

Bruno Vinícius Campestrini
Bruno Vinícius Campestrini
Reply to  Bruno Vinícius Campestrini
7 meses atrás

Juro que eu queria entender o motivo dos dislikes no meu último comentário, sendo que eu falei uma coisa ÓBVIA! Uma taxa de perda de 3,43% significa que 3,43 em cada 100 B-52s foram abatidos, não que o PK foi de 3,43% (para isso ser verdade os vietnamitas teriam de ter lançado apenas um míssil por B-52). Para saber o PK seria preciso saber quantos mísseis foram lançados. Por exemplo, se os americanos perderam 10 B-52s de 100 e os norte-vietnamitas lançaram 10 mísseis, isso é um PK de 100%, mesmo que os 10 bombardeiros representem apenas 10% da frota.

Elton
Elton
Reply to  Bruno Vinícius Campestrini
7 meses atrás

Segundo fontes dos vietnamitas foram disparados 266 mísseis SA2 durante a operação linebacker 2 com 16 B52 abatidos e outros 9 danificados.o que da cerca de 15 mísseis por aeronave destruída.

Bruno Vinícius Campestrini
Bruno Vinícius Campestrini
Reply to  Elton
7 meses atrás

Grato pela informação. Então o PK foi de 6%, mais do que os 3,43% da taxa de perda.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Bruno Vinícius Campestrini
7 meses atrás

Caro Bruno Qual era o objetivo do acordo de paz? Esse objetivo foi alcançado? As negociações fazem parte de uma estratégia política, e no caso de uma guerra, sustentadas por meios bélicos. No caso específico, o resultado foi um fracasso, pois mesmo com todo poder bélico por trás das negociações a paz não foi estabelecida! Quanto aos s-75 , teve sucesso no sentido de que impos restrições e obrigou os estadunidense a modificar protocolos e procedimentos que por sua vez alteraram as táticas de engajamento, o que por sua vez impactou fortemente nos resultados de suas ações!

Bruno Vinícius Campestrini
Bruno Vinícius Campestrini
Reply to  Alexandre
7 meses atrás

O objetivo do acordo de paz era poder retirar as tropas americanas do Vietnã sem parecer uma derrota total (o que incluía a liberação de POWs). Era óbvio para qualquer um que o Vietnã do Sul não sobreviveria ao que viria a seguir.

Elton
Elton
Reply to  Bruno Vinícius Campestrini
7 meses atrás

Os norte vietnamitas sabiam que o objetivo dos bombardeios na operação linebaker 2 eram preparar o caminho para retirada norte americana negociada que o que aconteceu na prática no arcodo de Paris e também sabiam que o ARNV não era páreo para o NVA e combate convencional sem apoio aereo norte americano.

Roberto
Roberto
7 meses atrás

O Brasil hoje não consegue produzir algo que se fazia há 60 anos, quando nem computador existia, imagine uma situação de guerra nuclear que só o Brasil fosse poupado, voltaríamos a idade média

Elton
Elton
7 meses atrás

Quem passou 4 anos apanhando feio da luftwaffe e sabendo que os B47,B52 e B58 poderiam penetrar com relativa facilidade no seu território sabia que tinha que desenvolver o melhor sistema possível antiaereo.

100nick-Elâ
100nick-Elâ
Reply to  Elton
7 meses atrás

A Rússia apanhou feio de quem? a Luftwaffe não foi aquela que prometeu abastecer os soldados alemães presos em Stalingrado? a Luftwaffe conseguiu? quem foi que apanhou feio, afinal?

Elton
Elton
Reply to  100nick-Elâ
7 meses atrás

As perdas de tripulações aéreas e aeronaves da VVS eram enormes quando enfrentavam a Luftwaffe registrado pelos próprios soviéticos que só conseguiram fazer interdição e apoio aereo aproximado de maneira sustentável e eficiente quando os alemães começaram a retirar esquadrões de caça do front oriental para combater as crescentes ondas de bombardeiros estratégicos ingleses e americanos.

Pedro
Pedro
Reply to  Elton
7 meses atrás

A RAF, USAAF e a Força Aérea Francesa, Holandesa, Belga e Canadense também apanharam feio da Luftwafe e jamais fizeram algo semelhante nos anos 50! Alias, antes mesmo do SA-2 estar operacional em 1954-1955 ou do abate relatado, o B-47 ja tinha sido abatido por jatos (Mig-17 e Mig-19) ao tentar penetrar o espaço aéreo soviético e Norte Coreano em missões de reconhecimento. O B-58 entrou em operação nos anos 60 em uma época que o tal tipo de bombardeio nao era mais eficaz. O U-2 gozava de relativa tranquilidade devido a sua altitude operacional apenas. O desenvolvimento dos Sa-1… Read more »

Francisco Herês
Francisco Herês
Reply to  Elton
7 meses atrás

Os russos talvez sejam o povo mais inteligente da face da Terra, fizeram (e fazem) tudo isso sozinhos e ainda depois do comunismo assassinar dezenas e dezenas de milhões do próprio povo, é admirável! Imaginem os senhores se eles não tivessem passado pelo comunismo que freou seu desenvolvimento, se eles fossem capitalistas desde sempre talvez hoje estivessem conquistando outros mundos.

JT8D
JT8D
Reply to  Francisco Herês
7 meses atrás

A maior qualidade que vejo nos russos é que eles não são vira-latas. Venceram Napoleão, Hitler e encararam os EUA. Não é pouca coisa

Antunes 1980
Antunes 1980
7 meses atrás

Não foi um sistema destes que abateu o F-117 na Iugoslávia?

Felipe
Felipe
Reply to  Antunes 1980
7 meses atrás

Não, foi um S-125 Pechora (SA-3 Goa).

Rene Reis
Rene Reis
Reply to  Felipe
7 meses atrás

creio que o voo da malaysia abatido na Ucrania foi esse pechora também correto?
vi na simulação o estrago que essa ogiva causa.

Dr. Telêmaco
Dr. Telêmaco
Reply to  Rene Reis
7 meses atrás

Rene, no abate sobre a Ucrânia foi utilizado o sistema Buk (SA-11 para a OTAN).

Mazzeo
Mazzeo
7 meses atrás

Vi um SA-2 no The Australian Armour And Artillery Museum em Cairns. O míssil é ENORME. Os sistemas de operação instalados no TEL e no caminhão são bem toscos e simples mas, baseado no desempenho dele em combate eram muito funcionais.
Realmente o míssil impressiona, mesmo com sua cor azul bebê desbotada. Parece estar a mach 2 mesmo parado.
Assim como o museu, ver um T34, um Matilda MK II e um Pzkpfw IV um ao lado do outro entre outras máquinas é algo que nos deixa de boca aberta.

Mauricio R.
7 meses atrás

A BID não conseguiu desenvolver nem o alvo e menos ainda a arma que o abateu.
Mas a União insiste em lhes comprar tecnologia.
Se não fosse pela fúria dos elementos, não saberíamos da impunidade com que os Camberra peruanos passeavam pelos céus do Brasil.

Farroupilha
Farroupilha
7 meses atrás

O que não bate é o fato de que se a escolha de nossas FFAA é por mísseis de ombro, já há vários anos vem sendo isto, então que se os produzam aqui mesmo. E pare essa dependência externa, que é super limitante. Outra coisa que não bate é o tal planejamento anunciado até 2039. Ora! Em dois anos muita coisa tecnológica muda, até lá nem mais celulares teremos, periga termos vários tipos de implantes pelo corpo. Quando o General falou do planejamento até 2039 quase cai da minha cadeira. Ou seja tudo muito vago e fluido… … Não levo… Read more »

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  Farroupilha
7 meses atrás

Ninguem pode planejar nada pensando que em 2039 o cenario tecnologico vai continuar o mesmo, especialmente em sistemas militares.

Muitos cambios no futuro imediato; agora imgagina no futuro longinguo, ou seja, daqui a 20 anos, chega a ser imprevisivel.

A aceleracao tecnologica faz todo mundo tentar manter o passo. O Brasil nao pode buscar atualizar-se em tecnologia que ja esta comecando a ficar ultrapassada.

Jeff
Jeff
7 meses atrás

Comecei a ler a matéria e pensei a mesma coisa que a maioria aqui: meu Deus, 60 anos e nós ainda aqui patinando na merd@?
Com raras vitórias tecnológicas, que a cada uma delas, por menor que seja, causa um grande alvoroço e festejos aqui na trilogia.
Não é questão de dinheiro e planejamento, é vontade mesmo.

Poderíamos ter muita coisa desenvolvida e produzida aqui.

Mas infelizmente nos revezamos na lambeção de botas internacional, ora um, ora outro.

Triste realidade.

Bosco
Bosco
7 meses atrás

O SA-2 era guiado por um sistema de comando sem linha de visão (COLOS) puro, o que na época exigia pelo menos dois radares, um para acompanhar o míssil e outro o alvo. O erro era imenso e por isso a ogiva precisava ser grande (200 kg), com raio letal de 100 metros.
Esse sistema não é mais utilizado de forma isolada e os poucos que o utiliza o combinam com um seeker terminal por radar semi-ativo. Ex: PAC-2 e 48N6 (S300).

Nostra
Nostra
7 meses atrás

Somebody above was asking for Brazil to develop hypersonic weapon systems . Well let me say this , Brazil if she desires hypersonic systems, needs to start it’s hypersonic program fast and have it functional within 5 years. Why ? Because preliminary negotiations are going on between US China and Russia to form a exclusive club of above 3 countries who will only be allowed to keep hypersonic weapon systems of greater capabilities by restricting sale of dual use systems , rare earth material etc and restricting dissemination of know how relating to same. Same like MTCR but for hypersonic… Read more »

Nostra
Nostra
Reply to  Nostra
7 meses atrás

India conducted the ASAT test few months before exactly for the same reason that is to pre emotive any move to exclude India from testing and deploying it’s ASAT capabilities by forming a exclusive club like NPT. Kinetic ASAT weapons have no utility in real world but nevertheless it was done because it was easier for India to do so since had the required technologies already in place and time was running out. Soft kill ASAT systems are still in research phase. In 2016 itself indian external intelligence have reported on meetings going on between think tanks of US ,… Read more »

Farroupilha
Farroupilha
Reply to  Nostra
7 meses atrás

A coisa todo se resume a possuir 3 tipos de armas a partir do ano de 2020, para garantir real soberania no século XXI:
>Armas com grande alcance.
>Armas com altíssima velocidade.
>Armas de energia dirigida.
Forças Militares que não possuam estes 3 itens serão inócuas.

E o pequeno clube, profetizado acima, provável vir a estabelecer mais coisas além das armas hipersônicas.

O mundo não para (bem acelerado até) e nossas FFAA em incrível passo de tartaruga.

RENAN
RENAN
Reply to  Farroupilha
7 meses atrás

Farroupilha
Perfeito em seu comentário

RENAN
RENAN
Reply to  Nostra
7 meses atrás

Com razão está possibilidade foi levantado na audiência pública, da proibição do desenvolvimento de armamentos hipersônico.
Ou fazemos logo ou não fazemos mais

GEN Escobar
GEN Escobar
7 meses atrás

Impressionante como as FAs e nossos políticos não querem resolver o problema de não termos um sistema de mísseis anti-aéreo de médio e longo alcance, né?! Temos o míssel, temos os lançadores, temos os radares mas ninguém junta tudo isso e faz a coisa funcionar! Ok, não é tão simples, faltam algumas melhorias sim e não quero entrar no mérito de gastos de pessoal, partido A ou B…mas impressionante como eles não sentem a menor necessidade deste desenvolvimento! Acham que os Iglas e os RBS estão de bom tamanho. Não sei não…tem coisa aí!

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  GEN Escobar
7 meses atrás

GEN Escobar.
Porque nossos dirigentes e nossos políticos não vivem o mundo real.

João Adaime
João Adaime
7 meses atrás

Como muitos disseram aqui, o Brasil não é sabotado por estrangeiros. Ele próprio se auto sabota. Tanto que não é mais levado a sério pelos países do primeiro mundo. Vou dar apenas dois exemplos mais recentes: 1) Fomos excluídos do programa do Observatório Internacional de Astronomia, instalado no Chile, por não cumprirmos nossa parte no acordo. Nossos astrônomos poderão continuar usando os telescópios, mas como inquilinos e não como sócios. E com todas as implicações que isto acarreta, como fila de espera. 2) Fomos excluídos do projeto da Estação Espacial Internacional, por não cumprirmos nossa parte no acordo. O País… Read more »

RENAN
RENAN
Reply to  João Adaime
7 meses atrás

Isso é Brasil

sergio ribamar ferreira
Reply to  RENAN
7 meses atrás

Não, Sr. Renan, isto é canalhice, incompetência e malversação de dinheiro público. Puro mal -caráter. Se um dia acontecer de sermos bombardeados em nossas instalações: como usinas nucleares, hidroelétricas e parque industrial sem aviso; aí eu quero ver o “deus- nos -acuda” desses senhores que não investem ou subsidiam em indústria de defesa. Grande abraço. “Quem não tem e não quer se defender tem mais é que baixar a cabeça”. Você é grande e não tem nada, sou pequeno e tenho porrete na mão. Vai encarar? Grande abraço.

paddy mayne
paddy mayne
7 meses atrás

Sem duvida uma arma impressionante, embora nem sempre efetiva na mesma medida. Observem as grandes e muitas superfícies de guiagem, para compensar o ar rarefeito aos 20 km. Para derrubar o U-2 de Gary Powells foram lançados 14 misseis, embora digam que o primeiro já acertou o alvo. O curioso é que como não havia IFF na época, um caça soviético também foi atingido, matando o piloto.

Jhon
Jhon
7 meses atrás

Os 60 anos nosso passamos a frente da TV assistindo novelas e o $$ dinheiro foi gasto na construção e reforma do Maracanã? Ou a tv passou no influenciando negativamente contra investimento militar, para governo patrocinar a cultura novelista na tv brasileira?

Tamandaré
Tamandaré
7 meses atrás

Eu queria mesmo é saber por quê um sistema como o SA-2 (da matéria acima) tem dificuldade de, nos tempos atuais, acertar uma aeronave pequena como o F-16 ou ainda o Mig-29. Seria somente pela questão da manobrabilidade, ou algo a mais influi nessa questão?

Mestre Bosco, cadê vossa excelência? rsrsrsrsrsrsrsrsrsrs help me, please! 🙂

Delfim
Delfim
7 meses atrás

Não havia RWR no Vietnã.
O piloto precisava ver o SA-2 subindo para começar a cabrar, quando percebesse o míssil virar em sua direção empurrava o manche para mergulhar e sair do míssil, mais aí caía no alcance da AAA de tubo, o piloto ascendia e saía dos canhões mas os viets aprenderam a lançar o SA-2 em salvas espaçadas e o piloto logo caía numa armadilha.
Mesmo que não fosse atingido precisava alijar as bombas e com isso a AAA ganhava.

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
7 meses atrás

Infelizmente, a maioria dos militares brasileiros querem um cabide emprego. Pensar em guerra e estar preparado para uma eventual guerra, os assusta. Entao eles devem pensar assim: melhor nao estar preparado para uma guerra, e com isso, ter a desculpa para nao entrar em uma. Nao iriam largar a boa vida, para ir ao combate e defender o Brasil. Eu ja escutei isso da boca de militares, tanto com os quais eu convivi no Exercito, quanto os militares membros da minha propria familia. Durante varias vezes, eu estive nas tribunas assistindo desfiles no 7 de Setembro, vendo as tropas desfilarem… Read more »

RENAN
RENAN
Reply to  Tadeu Mendes
7 meses atrás

Belo depoimento, sinto muito pela dor que sente em ver algo bom corrompido.
Será tarde quando a nação acorda
Mas um dia seremos cobrados por deixar meia dúzia de covardes controlar o futuro da nação.
Este povo vai sofrer muito.
Infelizmente

sergio ribamar ferreira
Reply to  RENAN
7 meses atrás

Concordo como Sr. Renan. Sofreremos pela imprudência, ganância e incompetência pelos covardes que controlam a nação.

sergio ribamar ferreira
Reply to  Tadeu Mendes
7 meses atrás

Concordo como Sr. Tadeu. a guerra aqui é para ver quem se aposenta e leva algum a mais para casa sem esforço. serviço militar fajuto que não ajuda em nada o jovem, só atrapalha. Uma decadência de sessenta anos. O que se aprende em nove meses? Digo: fazer faxina, dar quatro a cinco tiros por ano, marchas, desfile sete de setembro …Engajado , tem de comprar uniforme, aprende na marra, sem incentivo, Material velho…E assim caminha nossas Forças armadas inchadas com os profissionais: sargentos e oficiais. Cabos e soldados, escória. Malvinas foi um exemplo clássico. Valentia dos soldados recrutas frente… Read more »

Guizmo
Guizmo
7 meses atrás

Pobre Canberra….imaginem 3 monstros de mísseis desses vindo em sua direção, num avião pouco manobrável e com pouca energia de evadir. Eu ejetava antes kkkkk

Matheus
Matheus
7 meses atrás

Excelente livro. Mostra como cada sistema funciona de maneira breve.

O SA-2 não era de viagem automática. Era telecomandado.

Fato pitoresco: os militares vietnamitas queria reportar q mais mísseis tinha sido disparados, do q o real. Desse modo, a URSS os reporia coma qtd reportada os vietnamotas teriam mais mísseis nos estoques. Já os militares soviéticos nas baterias, queriam reportar o número abaixo, para “melhorar” a probabilidade de acerto…..

F-105 Wild Weasel vs SA-2 ‘Guideline’ SAM: Vietnam 1965–73 (Duel)
https://www.amazon.com/F-105-Wild-Weasel-SA-2-Guideline/dp/1849084718

José
José
7 meses atrás

Estava lendo os comentários do pessoal e resolvi comentar um pouco do que lembro sobre as tentativas de desenvolvimento de mísseis antiaéreos no Brasil. Deixo as conclusões para quem ler. 1-) O Exército Brasileiro operou lançadores Roland sobre o chassi do Marder, não me lembro a quantidade, mas era bem pequena, houve uma tentativa de se realizar uma reengenharia do sistema, o que parece ter resultado em um boicote de assistência do fornecedor, causando a perda de operacionalidade. Creio que a Avibrás iria participar do projeto. Sendo que a ideia de um míssil desse tipo levou inclusive a estudos e… Read more »

RENAN
RENAN
Reply to  José
7 meses atrás

José
Basicamente nada é bom o suficiente para nós e acabamos sem nada.
Parece que sempre teremos especialistas de plantão para olhar o defeito das coisas. E isso faz com que nunca tenhamos nada.
Devemos nos atentar as qualidades os defeitos poderemos mitigar quando tivermos algo para nos defender
Obrigado pelo seu relato

Otto Lima
Reply to  José
7 meses atrás

O EB teve quatro lançadores Marder Roland e um deles está preservado no Museu Militar Conde de Linhares, próximo à Quinta da Boa Vista, em São Cristóvão, no Rio de Janeiro.

Dr. Telêmaco
Dr. Telêmaco
7 meses atrás

Esse míssil nos anos 1960 e também o SA-6 na década seguinte modificaram o rumo das guerras contemporâneas e seguintes.
Os mísseis, para todos os usos, são as mais eficientes armas de dissuasão. Uma pena o Brasil não enxergado essa mudança e ter investido seriamente e continuamente nesse nicho. Os exemplos de Israel e China, de diferentes formas, são os melhores nesse campo. Países cuja defesa conta com mísseis em todos os níveis e funções como uma fatia importante do seu poderio.