Home Aviação de Caça J-20 da China versus F-35A do Japão

J-20 da China versus F-35A do Japão

18079
132
J-20 encontra um F-35 do Japão - Arte de huihui1979
J-20 encontra um F-35 do Japão – Arte de huihui1979

Por Alexandre Galante*

Com a notícia recente de que o caça stealth Chengdu J-20 está agora em esquadrões operacionais na Força Aérea do Exército de Libertação Popular da China (PLAAF) após o fim da fase de testes, é só uma questão de tempo até que o caça chinês encontre seu rival Lockheed Martin F-35A operado pela JASDF – Japan Air Self Defence Force.

O caça furtivo J-20 da China foi oficialmente enviado ao Comando do Teatro Leste do país, sugerindo que o foco será o Estreito de Taiwan e as atividades militares entre o Japão e os Estados Unidos, disseram observadores.

A China colocou em serviço seu primeiro caça furtivo avançado antes do previsto usando motores russos, diante dos crescentes desafios de segurança na região.

Mas isso significa que suas capacidades serão estão um pouco limitadas, afetando sua manobrabilidade e eficiência de combustível, bem como sua furtividade em velocidades supersônicas.

Como o primeiro caça furtivo de quinta geração da China, o J-20 foi originalmente planejado para ter um motor turbofan WS-15 de fabricação local, comparável ou similar ao motor americano turbofan F119 americano. Mas problemas de desenvolvimento obrigaram a instalação dos turbofans russos AL-31FN-SER3.

É um motor de cerca de 13 toneladas de empuxo, no entanto seu desempenho geral só pode ser considerado de médio a alto.

Como o motor Taihang WS-10 produzido domesticamente avançou, sendo instalado no caça J-16 e passou em testes práticos, a Força Aérea da China decidiu substituir o AL-31FN-SER3 pelo motor WS-10 para alcançar a produção em massa do J-20 com antecedência, antes da prontificação do WS-15.

Como os motores atuais, o J-20 ainda não pode alcançar voo “supercruise”, o que será possível com o WS-15 com melhor relação peso-potência.

O “supercruise” permitirá ao J-20 alcançar velocidades supersônicas sem usar o afterburner (pós-queimador), minimizando sua assinatura infravermelha.

Que seria superior em um combate aéreo, o J-20 ou o F-35?

O programa americano F-35 é considerado o projeto mais caro e possivelmente o mais cheio de falhas da história militar dos EUA. O Departamento de Defesa (DOD) prevê que deve gastar US$ 1,5 trilhão nos 55 anos de vida do programa.

Mas, apesar dessas questões, os pilotos militares americanos têm feito ótimas críticas ao F-35, alegando sua extraordinária consciência situacional no campo de batalha. Alguns especialistas dizem que uma esquadrilha de F-35s dizimaria qualquer oponente dentro de um teatro operacional.

F-35A do Japão

Porém, o general David L. Goldfein, chefe do Estado-Maior da Força Aérea dos Estados Unidos, disse que caças da era da informação como o J-20 são projetados para se conectarem a redes nacionais de defesa, o que permite que esses aviões de ponta acessem informações em tempo real fornecidas por satélites e veículos aéreos não tripulados.

Desta forma o J-20, como o F-35, deve ser avaliado como parte de uma “família de sistemas” em vez de uma aeronave autônoma.

As opiniões variam sobre as características comparativas do J-20 como um caça de superioridade aérea (ar-ar) ou de ataque (ar-solo). Alguns analistas acreditam que a ênfase do J-20 no stealth frontal o torna um interceptador efetivo de longo alcance, destinado a engajamentos ar-ar

Outros vêem o J-20 como um avião de ataque de longo alcance, mais adequado para penetrar nas defesas aéreas inimigas e danificar a infraestrutura crítica no solo.

Informes também diferem em relação ao alcance do J-20, que deve ficar entre 1.200 e 2.700 quilômetros.

Independentemente dessa incerteza, o raio de combate do J-20 provavelmente se estenderá bem além do continente chinês. O US Naval War College sugere que o J-20 poderia ser uma “plataforma de ataque de superfície efetiva para várias centenas de milhas náuticas no mar”.

O site Air Power Australia observa que o J-20 seria uma escolha adequada de aeronaves para operar na “primeira cadeia de ilhas” da China e na “segunda cadeia de ilhas”.

O J-20 também é capaz de reabastecimento em voo, possivelmente ampliando ainda mais o alcance operacional do caça furtivo em toda a Ásia-Pacífico.

Quanto a qual aeronave seria melhor em um duelo, o analista sênior de defesa australiano Malcolm Davis, do Instituto Australiano de Políticas Estratégicas, diz que se inclina em direção ao F-35.

Por outro lado, Fu Qianshao, um especialista chinês em defesa aérea, disse que o J-20 é agora mais sofisticado que o F-35.

Davis diz que o F-35 é melhor em integração de dados e tem a capacidade de reunir várias fontes de informação e de atuar como um nó na rede para compartilhar informações.

“Em um tradicional combate aéreo entre o F-35 e o J-20, é difícil saber, mas o F-35 tem a vantagem de ser mais furtivo e em consciência situacional. Porém o J-20 é mais rápido e tem maior alcance e maior carga útil”, disse ele.

F-35A do Japão passa pelo monte Fuji
F-35A do Japão passando pelo monte Fuji

*Com informações do Global Times, CNBC, ChinaPower, The Australian

Subscribe
Notify of
guest
132 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Heinz Guderian
Heinz Guderian
1 ano atrás

A verdade é que cada país que “vender” seu caça como o mais poderoso e formidável, mas um fato é, só iremos comprovar de fato quem é ou não superior quando um eles se confrontarem num campo de batalha, e espero muito que essa dúvida nunca tenha uma resposta concreta, porque ai estariamos numa possível terceira guerra mundial.
Agora tá liberado a guerra de torcidas nos comentários.

Ironcop
Reply to  Heinz Guderian
1 ano atrás

De fato, “Por outro lado, Fu Qianshao, um especialista chinês em defesa aérea, disse que o J-20 é agora mais sofisticado que o F-35.” é no mínimo engraçado, como se o vendedor fosse falar mal do próprio produto.

marcus
marcus
Reply to  Ironcop
1 ano atrás

Por dificuldades no desenvolvimento do turbofan WS-15, podemos entender que, eles não conseguiram hackear a empresa Pratt & Whitney, para copiar o projeto do F119 Americano ou não conseguiram fazer engenharia reversa em um Turbofan Russo?

Tiago
Tiago
Reply to  marcus
1 ano atrás

Mesmo que eles conseguissem hackear e copiar o projeto, isso ainda os deixaria longe do PW F-119. Ter o projeto completo sem os materiais utilizados acaba deixando a cópia praticamente na estaca 0. E já há anos que a indústria chinesa busca aumentar seu padrão de qualidade em matérias primas, um fator crítico nesse caso.

Não é fácil produzir lgas de aço que são usadas em motores de aviões precisam ser ao mesmo tempo leves, resistentes ao calor, pressão, vibração, entre outros fatores importantes – e tudo isso em escala ainda maior num motor de caça.

marcus
marcus
Reply to  Tiago
1 ano atrás

Fiz curso técnico de metalurgia.Não atuo mais na área.Se a indústria aeronáutica Chinesa a tiver em seus quadros, engenheiros Metalurgicos e técnicos em metalurgia, é possível identificar a composição de qualquer liga metálica, com os percentuais de cada metal não ferroso que compõe essa liga. Portanto identificar do que é feito uma peça não é um mistério insondável. Vale salientar que o aço é uma liga metálica do ferro com o carbono, dependendo da utilização da chapa ou da peça aumenta-se ou diminui-se o carbono na liga. Aço Inox: Formado por 74% de aço, 18% de cromo e 8% de… Read more »

Heyarth
Heyarth
Reply to  marcus
1 ano atrás

Marcus, o problema não é a composição em si da liga, isso eles já devem saber, através de espionagem, o problema é a forma de produzir a liga. A China hoje já detém a tecnologia dos motores, porém ainda é fraca na criação de materiais compósitos. Os fabricantes ocidentais possui muitos anos de experiencia no desenvolvimento de motores e materiais, os Chineses ainda estão na metade do caminho, acredito que eles cheguem ao nível dos Russos em breve, mesmo assim o nível ocidental é um pouco mais demorado.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Ironcop
1 ano atrás

E vc acha que um australiano vai criticar os EUA?
Ainda mais a Austrália operando o F-35 e ajudando no desenvolvimento (se é que se pode chamar assim).

JPC3
JPC3
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Air Power Australia, que é citado na matéria, é um dos sites que mais critica o F-35, muitas vezes com informações erradas.

Até é um site bom para conhecer equipamento russo, mas quando chega nos americanos se perde totalmente.

JPC3
JPC3
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

O site australiano usado como referência na matéria é um dos que mais critica o F-35. Erra feio pois usa informações equivocadas ou distorcidas para baixo, mas é interessante como fonte sobre tecnologia russa.

Chris
Chris
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Austrialia é democrática.

Muitos americanos xingam os EUA tbem. Agora vai fazer isso na China ou Russia, pra ver só. Kkk

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Chris
1 ano atrás

Que democracia, o quê?
Negócios são negócios.
VC nem sabe se esse sujeito recebeu um ‘faz-me rir’ da L.M para dizer que o caça é ‘mais furtivo’ e tem ‘melhor integração de dados’.
Provavelmente ele nunca viu um J-20 de perto e certamente não conhece seus sistemas eletrônicos.

Chris
Chris
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Caso não tenha percebido… Eu só fiz a afirmação que no ocidente vc pode contrariar e está tudo bem… No comunismo, não !

Eqto isso… A própria China reconhece que ainda não conseguiu fazer nem sequer um motor do nivel ao do F-35 !

JPC3
JPC3
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Engraçado dizer e ao mesmo tempo viver criticando o F-35 sem nunca ter chegado perto de caça nenhum e nem se dar o trabalho de ler um pouco para saber do que está falando.

Piada.

JPC3
JPC3
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Como não apareceu o que eu escrevi vai de novo.

O site Australia Air Power, citado na matéria, é um dos que mais critica o F-35 com informações erradas e incompletas muitas vezes. Até já perderam a credibilidade mas continuam sendo usados como referência.

kaleu
kaleu
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

O australiano pelo menos não é um americano, porém o mais improvável é um chinês falar mal de suas “cópias”, até porque isso faria muito mal a sua própria saúde, considerando as liberdades do regime daquele país

Chris
Chris
Reply to  Heinz Guderian
1 ano atrás

Ate a SAAB fala que o Gripen é o melhor. Heheh

Sobre a reportagem.. Acho que um nunca verá o outro, se são stealth ! Heheh

Rafael Silva
Rafael Silva
Reply to  Heinz Guderian
1 ano atrás

Vou dizer apenas o simples. Quem tiver o melhor radar e melhores armas será o melhor caça!

O radar mais potente para avistar ameaça e se defender será o vencedor. Agora precisa ter um míssil ao nível. Ficam pondo muito misticismo em cima dos caças. Depois “cai” um aí abatido por uma bateria anti aérea da antiga URSS aí quero ver kkkkk

Frank
Frank
Reply to  Rafael Silva
1 ano atrás

Manjei a referencia kkkk (f117)

JPC3
JPC3
Reply to  Rafael Silva
1 ano atrás

Nem no supertrumfo chegou ainda…..

JPC3
JPC3
Reply to  Rafael Silva
1 ano atrás

Tem diversos fatores além dos mísseis e do radar.

Ricardo Mendes
Ricardo Mendes
Reply to  Heinz Guderian
11 meses atrás

Desde quando o j 20 top mach perto de 1.7 é mais rápido que o f 35 A top mach perto de mach 1.7 testado em laboratório e testes de vôo. E aceleração agilidade a altas velocidades em curva é igual sendo que o f 35 a a baixas velocidades é superior .

Ironcop
1 ano atrás

Convenhamos que a China é um país em ascensão tecnológica, mas o tio sam faz os melhores caças desde a década de 70, ou anterior a isso. Além do mais, é de quase certeza de que a China roubou tecnologia americana para o projeto do J-20. Dou meus créditos a China, mesmo que na minha laicidade, por seu desenvolvimento tecnológico ter se ‘desprendido’ da Rússia, a China realmente alcançou sua independência técnica, diferente de um velho conhecido na América latina.

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  Ironcop
1 ano atrás

Não nos esqueçamos de detalhes legais sobre a espionagem e roubos de dados: isso já é velho, tão velho que já existem diversas contramedidas, como por exemplo dar a isca com informações propositalmente defeituosas. Já ocorreram casos assim entre EUA e URSS.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Fernando Turatti
1 ano atrás

Espionagem industrial é mais velha que andar para frente.
Os americanos sempre fizeram isso.
O problema é quando o ‘copiador’ melhora o produto e quebra o copiado.
E isso é bem comum na indústria mundial.

Gabriel
Gabriel
1 ano atrás

Enquanto o F-35 é usado pelos países (inclusive já usado em missões reais) com grande grau de liberdade da imprensa e de divulgação de informações, o que proporciona um conhecimento maior e mais preciso, principalmente ao público que não é Militar, o caça chinês é até o momento mera especulação daquilo que é e poderá talvez ser.

Assim, qualquer comparação não passa de publicidade de um ou outro lado.

Ironcop
Reply to  Gabriel
1 ano atrás

O J-20 pode ser uma salada de ‘equiplamentos’ ou tecnologia de ponta a por em cheque a supremacia dos EUA, só o tempo nos dirá…

Kommander
Kommander
Reply to  Gabriel
1 ano atrás

O que você quer dizer com missões reais: bombardear inimigos sem defes aérea? Jogar bomba num bando de jihad de ak e chinelinho?

Entendo que o F35 já está operacional, mas não podemos esquecer dos seus inúmeros problemas que precisam ser solucionados, ainda mais por se tratar de um projeto em desenvolvimento a quase duas décadas, diferente dos chineses e russos que são mais recentes.

JPC3
JPC3
Reply to  Kommander
1 ano atrás

As missões de Israel na Síria não são fáceis. Uma foi confirmada por fontes oficias mas tem relatos de algumas outras. No Irã, deve ser boato mesmo.

Lúcio Sátiro
Lúcio Sátiro
Reply to  Kommander
1 ano atrás

Se, com seus ” inúmeros problemas” o F-35 já foi fotografado sobre áreas bem perigosas de se levar um missilaço nos couros ,tendo ido e voltado sem ser molestado, imagine você quando o F-35 estiver completamente desenvolvido, já bem amadurecido e com todos os problemas resolvidos.

LBacelar
LBacelar
Reply to  Kommander
1 ano atrás

Ak, Chinelinho, Pantsir e S-300 kkkk

Millenium
Millenium
Reply to  Gabriel
1 ano atrás

Acredito sim que o f35 tenha sido usado em missões reais, mas com certeza foi dentro de um envelope restrito e sem oposição aérea. Não foi combate, foi missão. Fica a minha dúvida, será que ele já está liberado, ou seja, sem limitações dos seus inúmeros problemas, para entrar em combate? Se ele estiver pronto, aí a conversa entra em outro nível. Se não estiver pronto, bom, aí é figuração.

JPC3
JPC3
Reply to  Millenium
1 ano atrás

Foi usado na síria onde tem uns 30 caças e diversos sistemas anti aéreos.

Millenium
Millenium
Reply to  Gabriel
1 ano atrás

Tudo bem que f35 deu umas voltas na Síria, mas ele foi disposto a sair na mão ou levou escolta? A minha dúvida é se ele vai no mano-a-mano ou ele ainda está naquela de pelada de várzea onde o cara canta de galo porque o resto do time dá apoio. Digo isso porque em uma missão ou combate pode haver imprevistos, e em uma situação dessas, ele já consegue se garantir sozinho? Se sim, ótimo, taí uma aeronave pra sair na pancada com qualquer um. Se não, então só está cantando de galo, e aí tá pedindo pra levar… Read more »

JPC3
JPC3
Reply to  Millenium
1 ano atrás

Pelos resultados dos exercícios consegue. Na vida real não sei.

Luís Henrique
Luís Henrique
1 ano atrás

Eu votaria no F-35 pela experiência americana de longa data. Mas na verdade, ninguém sabe aonde a China está em termos de tecnologias Stealthy e sensores. Que reduziram o gap nos últimos 20 anos de forma assustadora e rápida, todo mundo sabe, mas onde chegaram, ninguém sabe.
O F-35 Já tem muitas informações sigilosas. Já o J-20 não sabemos praticamente nada, só sabemos que voa. Rss.
Aí não tem como comparar.

Salim
Salim
1 ano atrás

Na real ninguém sabe o que e o J20 , vamos esperar primeiros batismos de fogo para comentar algo que seja relevante. Agora parece supertrunfo ( e maior, tem dois motores.etc… ) parece propaganda para entusiastas desinformados.

Jose
Jose
Reply to  Salim
1 ano atrás

Primeiro batizo do J20 deve ser derrubando os f16 que Taiwan pretende comprar.

Luis Henrique
Luis Henrique
Reply to  Jose
1 ano atrás

Você estaria no f16 pilotando que legal ne kkkkk

Black Typhoon
Black Typhoon
1 ano atrás

Não se pode confrontar um caça monoturbina com um biturbina. Para o J-20 seria mais sensato um confronto com o mais “antigo” F-22 “Raptor”

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  Black Typhoon
1 ano atrás

Nem o mais ufanista defensor da China ousaria afirmar que J-20 é páreo na arena ar-ar para o F-22. Já começa pelo refinamento stealth, passando pelo radar ridiculamente poderoso e por último mas num evento stealth vs stealth, temos os bocais da turbina com refrigeração.

Kommander
Kommander
Reply to  Fernando Turatti
1 ano atrás

Não há dúvidas que o F22 é o caça mais stealth atualmente, até mais stealth que o F35. Pois o primeiro já é um projeto concreto, enquanto o segunda ainda está em desenvolvimento.

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  Kommander
1 ano atrás

F22 foi projetado pra ser a bala de prata na arena ar-ar. Certeza que o F35 será melhor ar-terra, mas a manobrabilidade, velocidade, radar e a assinatura IR do F22 o colocam em outro patamar, algo incomparável ainda hoje, uma década e meia após estar plenamente operacional.

Augusto L
Reply to  Fernando Turatti
1 ano atrás

O F-35 é mais stealth nas bandas de radar de alta frequência e o F-22 nas de baixa frequência.
Um radar de um caça que opera na banda X, o usual de caças, detectaria o F-22 primeiro.

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

Com toda a energia necessária pra isso, ele seria detectado antes pelos sensores passivos do F-22, essa é a graça dos stealths. E novamente, boa sorte pra travá-lo na mira dos IR. O F-22 é o melhor caça comparado a sua época de toda a história humana até então.

Augusto L
Reply to  Fernando Turatti
1 ano atrás

Fernando o F-35 tem mais sensores passivos que o F-22 e mais modernos.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Kommander
1 ano atrás

Isso ja mudou. Já existem informações oficiais que atestam que o F-35 é bem mais furtivo que o F-22. 1) Declaração do General Gilmary Michael Hostage (Head of Air Combat Command): The F-35′s cross section is much smaller than the F-22′s, but that does not mean, Hostage concedes, that the F-35 is necessarily superior to the F-22 when we go to war. MUCH SMALLER significa BEM menor. Traduzindo: A RCS do F-35 é MUITO menor que à do F-22, isso não significa necessariamente que ele é superior ao F-22 quando vai para a guerra. (por causa de outras características do… Read more »

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  Luís Henrique
1 ano atrás

Acho que tudo o que precisa se saber sobre o caso é: os EUA não exportam o F-22 nem pra aliados como Israel e Japão, ambos interessados mesmo com o F-35 disponível.

JPC3
JPC3
Reply to  Fernando Turatti
1 ano atrás

Mas o F-22 nem é fabricado, como poderiam exportar?

Heyarth
Heyarth
Reply to  Luís Henrique
1 ano atrás

Se o f22 fosse menos stealth que o f35, os americanos não teriam problemas em exporta-lo para o Japão. Essa informação “Oficial” é somente pra encher a bola do F-35, afinal foram gastos muitos bilhões de dólares, os aliados precisam pensar que estão pegando um caça no estado da arte, tão bom quanto o f22, no entanto o raptor continua lá, com as restrições. Vale lembrar também que em um cenário de Stealth vs Stealth em que a situação possa culminar em um dog fighter o f22 tem grande vantagem em cima do f35.

WVJ
WVJ
Reply to  Fernando Turatti
1 ano atrás

Não sou ufanista defensor da China mas, sinceramente, não sei se o F-22 é superior ao J-20 ou vice-versa. Acho o F-22 o mais lindo de todos, mas de lá pra cá tanta tecnologia passou embaixo da ponte que não sei qto ao desempenho em batalha. As táticas contam muito, a integração dos sistemas, etc. E vamos pensar juntos, acha que um bocal de turbina a jato pode ser resfriado enquanto cospe fogo? Eu falaria isso pro meu adversário gastar uns anos uns milhões tentando.

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  WVJ
1 ano atrás

Não se esqueça que o F-22 já participou de exercícios com estrangeiros, logo, se fosse uma mentira dessas com certeza já teria vazado.
O F-22 provavelmente só será superado na função ar-ar quando for de fato substituído.
De fato muita tecnologia já mudou, mas a questão é: a China ainda está sofrendo pra copiar os motores russos, por aí você pode imaginar o quão atrás estão.

WVJ
WVJ
Reply to  Fernando Turatti
1 ano atrás

Porque o F-35 não tem seu ‘escape’ refrigerado? Física não dá mole pra ninguém.
A questão dos motores, até onde eu sei, passa pela liga metálica das lâminas. Imagino que em pouco tempo eles encontrem a fórmula ideal para o WS-15
Enfim, vamos esperar pra ver o que acontece.
Torcer nem tanto pois sabe-se lá quem estará ao nosso lado no futuro.

JPC3
JPC3
Reply to  WVJ
1 ano atrás

Ele tem o escape refrigerado.

WVJ
WVJ
Reply to  JPC3
1 ano atrás

Ok, mas quis dizer ao modo do F-22 com os defletores.
Pelo que já li não há muito o que fazer com o calor das turbinas. A sensibilidade dos sensores IR é suficiente pra não se deixar enganar.

JPC3
JPC3
Reply to  WVJ
1 ano atrás

Esses sistemas servem mais para reduzir a eficiência de sensores térmicos a médias e longas distâncias.

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
1 ano atrás

Vai começar os baba ovo dos EUA e os especialistas, engenheiros aeronáuticos, aviadores a informar que um é melhor ou não que o outro…

Beto Santos
Beto Santos
1 ano atrás

Sinceramente, a China pode ser grande e super tecnológica e até ser superior ao EUA mas sofre do mesmo problema que os Russos sofriam, ou seja, nunca teve seus produtos testados num conflito e o fato de isso ser muito importante é ver que os Russos modificaram todos os seus produtos depois dos combates na Síria e os EUA tem muita experiência neste quesito, enfim, só posso deseja muito desenvolvimento pra China, que ela seja grande e competitiva pois se tiver pelo menos um país capaz de ser grande ou de rivalizar com os EUA então o mundo vai continuar… Read more »

Jose
Jose
Reply to  Beto Santos
1 ano atrás

O Assad continua presidente e praticamente domina toda a Síria, então, os equipamentos russos funcionam bem.

JBS
JBS
Reply to  Beto Santos
1 ano atrás

Quanta besteira!

Heyarth
Heyarth
Reply to  Beto Santos
1 ano atrás

Os equipamentos Russos foram testados na Syria, alguns deles até ganharam exportações depois do marketing gerado. Já outros tiveram um efeito negativo, como é o caso do Pantsir, que era tido como um dos melhores sistemas antiaéreo móvel de médio e curto alcance, foi totalmente sobrepujado pelos israelenses, que destruíram várias baterias sem maiores dificuldades. Hoje nem a Russia acredita mais na eficiência desse sistema. Já os aviões su34, os s300/400 e outros sistemas tiveram seu batismo na Syria e tiveram um desempenho muito satisfatório. Depois da Syria, podemos ver novos desenvolvimentos na industria de defesa Russia, resultado da experiencia… Read more »

Leo Neves
Leo Neves
1 ano atrás

No quesito sensores , motores , radar , manobrabilidade o Su-57 Russo é bem melhor que o J-20 , talvez perca só na furtividade , mas o Su-57 já tem certa capacidade supercruise que o J-20 não tem.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Leo Neves
1 ano atrás

olha em se tratando de radar eu acredito muito nos russos mas de resto será mesmo que eles estão tão bem? os Chineses tem fábricas fabricando produtos eletrotônicos de ponta Vide Xiaomi e Huawei

Luiz Trindade
Luiz Trindade
1 ano atrás

Eu vou complementar aqui dizendo que só o tempo dirá. Agora que teremos encontros usuais entre o J-20 chinês e F-35 japonês é certo. Repetição do que acontecia na guerra fria do século XX entre EUA x URSS aonde cada um rosnava para o outro e iam embora cada um para sua casa.

Munhoz
Munhoz
1 ano atrás

Vou analisar de um modo mais simples!

Provavelmente os 2 seriam alvos difíceis para os mísseis AIM 120 e PL 15, pois são alvos stealth, sendo que os chaff teriam uma eficácia muito maior neste caso!

Restaria o combate a curta distância onde o DAS + AIM 9X aliado ao motor F 135 que produz bem menos calor que o motor do J 20, levariam vantagem!

JPC3
JPC3
Reply to  Munhoz
1 ano atrás

Depende de qual F-35, o C tem performance bem inferior ao A. Mas é bem difícil que os chineses tenham alcançado eles em eletrônica, não apenas pelo know how adquirido em décadas,mas também pela falta de experiência da China em guerras reais.

Ninguém pode afirmar muita coisa, só que, por enquanto, acreditar mais no J-20 não passa de apenas fé ( que às vezes dá certo).

Augusto L
Reply to  Munhoz
1 ano atrás

Pl-15 é para alvos maiores.
Talvez você queria se referir ao PL-21.

Augusto L
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

Quanto a detecção, eu colocaria acima do combate WVR.
Hoje sabe-se que um radar de um SU-35 detecta um F-22 a 20km.

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

mísseis com 20km de alcance não são considerados BVR. Aliás, 20 milhas são onde começam a chamar dessa maneira, o que dá quase o dobro dos 20km. A essa distância já é bem mais interessante disparar mísseis IR.

Augusto L
Reply to  Fernando Turatti
1 ano atrás

Fernando, estou a considerar o radar do J-20 e do F-35 acima do SU-35, bem como a maior furtividade do F-35 ao F-22

Brummbär
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

“estou a considerar o radar do J-20 e do F-35 acima do SU-35”
O radar do J20, o Type 1475, tem um alcance de 220km contra um alvo de 5m2, o APG-81, do F35, tem um alcance de 285km contra um alvo de 10m2, já Irbs-E do Su-35 tem um alcance 400km contra um alvo de 3m2.

Augusto L
Reply to  Brummbär
1 ano atrás

Não o alcance do Su-35 é de 200km, o do F-35 350 km, quanto ao J-20 não faço a mínima ideia.

Há confusão no alcance do radar do Su-35, porque os russos divulgam os dados do radar em seu modo de busca restrita e mesmo assim não chega a 400 km, é de cerca de 280 km para um alvo de 1-3 RCS.

Brummbär
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

Não, não ha confusão, o alcance do Irbis-E é de 350-400Km contra um alvo de 3 m2. È a propria empresa que o fabrica que afirma isso:
https://www.niip.ru/catalog/eksportnaya-produktsiya/rlsu-irbis-e/
Sim o alcance do APG-81 pode chegar a 350 Km, mas contra que tipo de alvo? um bombardeiro?
https://defence.pk/pdf/threads/radar-ranges-of-different-fighters.94948/

Augusto L
Reply to  Brummbär
1 ano atrás

Contra alvos de 5m^2 de rcs, o APG-81 pode detectar. Da concepção do projeto a conclusão o radar cresceu bastante, era para ele ter menos alcance que o radar do F-18 SH, acabou que é quase tão poderoso quanto um APG-77 em termos de alcance.
Sim, o fabricante russo, mas da uma olhada nos módulos de radar dele e compara com outros radares existe. É assim que os analistas de defesa comparam e determinam as especificações, nenhum fabricante da o valor exato. É só você procurar tem vastos documento sobre o Irbis-E na internet.

Brummbär
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

Contra alvos de 5m2 de rcs, o APG-81 tem um alcance de 240km…
E mesmo o radar do J20 tendo 300 módulos a mais que o APG-77, ele acaba tendo um alcance inferior quando comparado ao mesmo, que detectara a 200km um alvo de 1 m2 de rcs.
Sendo assim a análise de desempenho dos radares não pode ser tão simplória assim, bastando comparar os modulos.

JPC3
JPC3
Reply to  Brummbär
1 ano atrás

Por que eles iriam divulgar o alcance do APG-81?Ainda mais em 2011.

Esses números não estão certos, amigo.

Brummbär
Reply to  JPC3
1 ano atrás

E porque não?
Esse radar ja tem 20 anos de historia, e em 2010 ja tinha passado mais de 300 horas em vôo:
https://archive.is/20160123050256/http://investor.northropgrumman.com/phoenix.zhtml?c=112386&p=irol-newsArticle_print&ID=1440869

JPC3
JPC3
Reply to  Brummbär
1 ano atrás

Esses números aí não são muito úteis, amigo.

Evgeniy (RF).
Evgeniy (RF).
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

Quanto a detecção, eu colocaria acima do combate WVR.
Hoje sabe-se que um radar de um SU-35 detecta um F-22 a 20km.

—–

Esta faixa de detecção do F-35 é baseada apenas em especulações não confirmadas sobre o F-35 EPR (RKS). Que circulam pelos fóruns e sites ocidentais.

Augusto L
Reply to  Evgeniy (RF).
1 ano atrás

A documentação detalhada, os russos que se negam à aceitar, por causa, da sua política de diminuir a importância das aeronaves furtivas.

Evgeniy (RF).
Evgeniy (RF).
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

Uma política de reduzir a importância da baixa visibilidade de aeronaves promissoras pelos próprios russos existe apenas na Internet ocidental. Na própria Rússia, o real, a importância da baixa visibilidade é plenamente reconhecida.
Mas isso não substitui de maneira alguma o fato de que, na realidade, não há evidência real de declarações da área efetiva de dispersão para aeronaves americanas.

Augusto L
Reply to  Evgeniy (RF).
1 ano atrás

Não não é, há pouquíssimo artigos científicos de oficiais de staff e pesquisadores sobre a furtividade, inclusive nas importantes modelagens de cenário.

Augusto L
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

Inclusive nos próprios artigos, eles diminuem sem muita base científica a furtividade.

Evgeniy (RF).
Evgeniy (RF).
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

Provavelmente, são erros de tradução do idioma russo ou simplesmente uma interpretação incorreta do significado do texto. Isso também é bastante comum.

Augusto L
Reply to  Evgeniy (RF).
1 ano atrás

É sim, uma palavra ou referência inexistente é erro de interpretação.

Antoniokings
Antoniokings
1 ano atrás

E o agravante, para os EUA, é que a China tem muita bala na agulha para construir muitos J-20s.

Ghost
Ghost
1 ano atrás

Segundo algumas noticias o desenvolvimento do J-20 e J-31 foi bastante acelerado devido ao roubo de dados dos EUA, sendo boa parte do projeto do F-35. E que por isso ele provavelmente seria bem próximo dos caças americanos tecnologicamente.

Só que o projeto do F-35, como diz a matéria, é considerado o mais problemático da historia militar dos EUA. Então fica a pergunta. Se os caças chineses são ,em parte, baseados nesse projeto eles também não deveriam estar suscetíveis a alguns problemas similares?

JPC3
JPC3
Reply to  Ghost
1 ano atrás

Certamente, não só por roubar mas sim porque é difícil mesmo.

Chen
Chen
Reply to  Ghost
1 ano atrás

Acho q não . Os problemas do F35 são devido aos altíssimos parâmetros de exigência que não estão sendo cumpridos. A China não é tão sofisticada entao deve colocar em sensores, eletrônica e motor mais confiável. Embora parecidos devem ter desempenho com clara vantagem do F35 mas com novas atualizações dos caças é provável que no futuro tenham desempenho mais parecidos a medida que a China alcança o patamar tecnológico americano.

Carlos Campos
Carlos Campos
1 ano atrás

J20 que ninguém sabe nada demais, a não ser que vc seja um militar Chinês de alta patente e o F35 que sabemos até que parafuso deu defeito, e sabemos que ele em combates simulados derrubou uma média de 20 Caças de 4ºG antes de ser abatido, ou seja dizer que o J20 é melhor que o F35 é uma aposta cega, pois a mídia e o governo do país são bem manipulativos sobre as informações.

Carlos Gallani
Carlos Gallani
1 ano atrás

Fácil, em um combate quem gostaria estar no F-35 da um like, quem gostaria estar no J-20 da um dislike!

Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  Carlos Gallani
1 ano atrás

Depois de aproximadamente 24h da postagem do meu comentários acima, contabilizo 9 comentaristas mortos no hipotético combate! AHHAHAHAHA

teropode
1 ano atrás

Nossa , se os Russos não apertarem o pé jaja somem do retrovisor , alias isso vai ocorrer na próxima curva .Infelizmente 😭😭😭😭😭

JPC3
JPC3
1 ano atrás

Outro ponto é que a maior parte das críticas ao F-35 vem dos EUA onde as pessoas podem dar opinião mesmo sem saber do que estão falando.

Algumas Críticas são sérias e tem fundamento sim, enquanto muitas são besteiras escritas por pessoas de outras áreas ou patrocinadas pela concorrência.

Pedro Vila Nova
Pedro Vila Nova
1 ano atrás

A maior falha foi trocar os aviões na foto principal..tratando se de uma página de experts em aviação..colocaram o símbolo da USAF no chinês e. O F 35 está com insignia da China com seu motor único e o J20 com dois motores..Alguem pode esclarecer..??????

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  Pedro Vila Nova
1 ano atrás

Pedro, a falha aqui é sua. Parece que você não conhece a insígnia das fôrças armadas americanas.

Eduardo dos Anjos
Eduardo dos Anjos
Reply to  Pedro Vila Nova
1 ano atrás

O F-35 esta com a insignia da FA do Japão e o J20 com o da FA da China… seguindo o contexto hipotético do encontro entre as duas forças como diz no texto… não há nenhuma insignia da USAF…

Matheus
Matheus
1 ano atrás

[OFF] SU-30MKI Indiano caiu, ambos pilotos ejetaram em segurança.

https://zeenews.india.com/india/iaf-su-30-fighter-jet-crashes-in-assams-tezpur-pilots-safe-2225923.html

Salim
Salim
Reply to  Matheus
1 ano atrás

Tem uma matéria aqui no PA sobre a troca dos motores do SU30 que a Rússia irá receber, esta noticia reforçada por declarações do Ministério Defesa Indiano indicam que o motor atual tem problemas de confiabilidade e falha. Sugere que os Russos tiraram a mão deste motor e irão utilizar os novos, teoricamente melhor. Problema sera dos operadores deste avião que terão um gasto substancial para a mudança, que talvez financeiramente inviabiliza estes caças. Problema serio que Sukoi terá que resolver para náo perder vendas e participação mercado.

Thiago Aiani
Thiago Aiani
Reply to  Salim
1 ano atrás

Sem querer puxar sardinhas pros russos, mas no caso indiano acho muito mais provável a
famigerada negligência Hindu. Vide o desastre feito pela HAL com o Sitara, uma situação assustadora pior que o Tejas. Tanto é que agora depois da grana torrada para desenvolver esse treinador que a própria IAF classificou com “não apto ao serviço ” estão tratando com os russos a aquisição dos YAK 130 , praticamente admitindo a falência do programa HAL HJT-36.

Thiago Aiani
Thiago Aiani
Reply to  Thiago Aiani
1 ano atrás

P.S. Estante as declarações de um oficial de alta patente a Índia voltou a avaliar a participação ou aquisição do Su 57 mas a decisão será tomada só após que o avião será operacional .

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
1 ano atrás

O J-20 não terá batismo de fogo, mas sim entêrro de pobre.

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
1 ano atrás

O Photoshop do J-20 até que ficou bonito.

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  Tadeu Mendes
1 ano atrás

Vocêis são cegos ou ingênuos?
Até o número de série das duas aeronaves lado a lado são os mesmos.

Antunes 1980
Antunes 1980
1 ano atrás

A China está se esforçando muito para equiparar a capacidade militar ocidental.
Se fizer as alianças certas, no âmbito tecnológico e militar, com certeza dará muito trabalho aos Estados Unidos e aos europeus.
Hoje ainda acredito na superioridade do F-35.
Mas logo teremos novidades do lado chinês.

Antoniokings
Antoniokings
1 ano atrás

Como dito acima, negócios não têm pátria nem ideologia.
Vide os Governos de SP e do Brasil contentes com o anúncio da Huawei de uma noa fábrica bilionária no Brasil.
Huawei da comunista China.

Juliano
Juliano
1 ano atrás

Sei lá , duvido muito das extraordinária qualidade desse caça , também desconfio do caça norte americano , tem muitas críticas pesada contra o caça yanke , software, limitações em combate , carga , velocidade , a vantagem só sobressai se for além do alcance visual e tiver um avião radar dando alpio , caso contrário sua vantagem cessa , os chineses até hoje penam com o motor , não consegue fabricar um nacional com qualidade , confiabilidade ocidental e o motor e crucial para voar uma aeronave , até o seu desempenho depende do motor e os cara contam… Read more »

Andrigo
Andrigo
1 ano atrás

Como eu já disse outra vez, não subestimo o J-20, não duvido que seja um formidável meio de combate.
Mas ainda prefiro acreditar que os mais de 30 anos de uso de aeronaves furtivas pelos EUA pesem a favor do F-35. Quando os chineses chegaram na festa, os norte americanos já tinham “passado o rodo”.

Kemen
Kemen
1 ano atrás

Combates aéreos entre aviões similares dependem não só dos caças, mas também do treinamento dos pilotos, da estratégia, do apoio terrestre e aéreo e da situação em que ocorre. Só saberemos quem é quem depois de alguns embates aéreos e um só também não garante muito. Eu saio com a opinião que o F-35 pderia se sair melhor em situações parelhas de confronto, entretanto se confrontos ocorrerem perto da China tende a ser mais favoravel aos J-20. Outro asunto a comentar, a RAF voltou a operar Eurofigther FGR-4 na base de Ramat-David, norte de Israel. Mais próximo do Iran, mera… Read more »

Bueno
Bueno
1 ano atrás

Evidência a evolução tecnológica Chinesa.
Impensável uma comparação de Caças 5G Chinês e EUA há 20 anos.
Os chineses estão focado e sabendo investir a grana que tem.

Fabio Mayer
Fabio Mayer
Reply to  Bueno
1 ano atrás

Há 20 anos não havia nenhum caça 5G…

Bueno
Bueno
Reply to  Fabio Mayer
1 ano atrás

e o F22 é de 4G

JPC3
JPC3
Reply to  Bueno
1 ano atrás

Se excluir o radar, os motores e a furtividade.

Bueno
Bueno
Reply to  JPC3
1 ano atrás

kkk, Tem que retirar o revestimento stealth tmb… , esqueci de colocar a interrogação, há 20 anos o F22 já cortava os Céus dos EUA.

Bueno
Bueno
1 ano atrás

Será China compartilharia o novo motor com a Rússia, TOT reversa?
Parabéns pela matéria…
Lendo os comentários para entender e aprender

Chen
Chen
Reply to  Bueno
1 ano atrás

Não . Embora aliados já estiveram em guerra na fronteira. Da mesma forma que os EUA não compartilham a tecnologia com os ingleses ou franceses .

Chen
Chen
1 ano atrás

Finalmente todos saberão das capacidades do j-20 e F35. Uma coisa era lutar com países subdesenvolvidos e simulações outra é saber se enfrentando uma potência militar do mesmo nível ambos entregam o que prometem. Com o encontro frequente desses caças a nova atualização será necessária rapidamente já que ambos são steath e possuem o melhor da tecnologia. No caso eu voto no j-20 pois mesmo não sendo tecnologicamente superior , no teatro do pacífico, os dois obterão dados um do outro mas o Japão depende da boa vontade dos EUA pra essas atualizações e quanto a China. Está pegará os… Read more »

alexandre
alexandre
1 ano atrás

Primeiro , vai soltar peçinha, segundo: não se sabe o nível dos sensores, pois na propaganda, são sensores fotônicos, terceiro: o nível de treinamento, qual a experiencia em combate, das forças armadas chinesas ?, são bons defensivamente, as ondas de soldados , se jogando na frente da metralhadora, não vai resolver, igual na guerra da Coréia, hoje dificilmente se invadiria a china, mas eles invadirem outro pais, exceto taiwan, não vejo meios, nem experiencia, ainda faltam 20 anos para equilibrar.. sozinho , não encaram os americanos…

Entusiasta Militar
Entusiasta Militar
1 ano atrás

“Em um tradicional combate aéreo entre o F-35 e o J-20, é difícil saber, mas o F-35 tem a vantagem de ser mais furtivo e em consciência situacional.” so isso ja disse tudo

Sergio Prado
Sergio Prado
1 ano atrás

– O projeto do J-20 parece-me ser mais recente que o do F-35; – O J-20, como mostra a reportagem, “entrou em cena” meio que “as pressas”, visto a instabilidade geopolítica na região do esteiro de Taiwan. Portanto a verdade é que o atual J-20 não dispõe de todos os recursos a que foi projetado; – Não se fala nada sobre disponibilidade do J-20, mas sabemos “de berço” que o F-35 ainda não é confiável chegando em alguns casos a 11% de disponibilidade; – Preciso comentar sobre os custos de cada projeto? – Preciso falar sobre os problemas de cada… Read more »

Denis
Denis
1 ano atrás

Bom, o Japão vai ter que primeiramente tirar os seus “F-34” do chão (foi, soltou uma pecinha). No primeiro round, deu J-20 (que está voando).

“Alguns especialistas” dizem isto, “alguns analistas” afirmam aquilo, e blá, blá, blá. Fontes, por favor.

Quero só ver a cascata de thumbs down. 🙂

kaleu
kaleu
1 ano atrás

“”Alguns especialistas dizem que uma esquadrilha de F-35s dizimaria qualquer oponente dentro de um teatro operacional. … o J-20, como o F-35, deve ser avaliado como parte de uma “família de sistemas” em vez de uma aeronave autônoma.”” Mas não é esse exatamente o conceito aplicado ao Gripen, com suas incríveis capacidades de NCW e seu incomparável sistema de Data Link tático (TIDLS) ? … sobretudo se operado juntamente com o AEW&C Ereye (E/R-99) ? … some-se a isso o sistema EW no estado da arte e o melhor sensor passivo IRST … “Predadores letais caçam em grupo” como se… Read more »

Sergio Prado
Sergio Prado
Reply to  kaleu
1 ano atrás

Kaleu !!!!
Eu estava lendo a matéria e indagando JUSTAMENTE isto……

ECosta
ECosta
Reply to  kaleu
1 ano atrás

Cara, muito bom !!!
Mas meio que teria que ser um certo “cenário perfeito” !
Imagina F-35 atacando as bases aéreas do oponente sem que o mesmo os tenha detectado pelos radares de solo.

Rodrigo
Rodrigo
1 ano atrás

Não tem comparação, e o mesmo que comparar um Mustang com um JAC S11 (esportivo chinês)…Apesar de toda evolução tecnológica notável da China, eles ainda estão uns 10 anos atrás, mais para um país que na década passada tinha uma atraso tecnológico de 50 anos em relação aos EUA e um grande avanço… Ainda vai levar uns 20 anos para a China revalidar em igualdade tecnologicamente com os EUA.

Leopoldo
1 ano atrás

Não subestime o J-20, pois se a própria USAF está priorizando o desenvolvimento e melhoras na sua força de caças é porque o J-20 impõe respeito e os chineses não estão para brincadeira. Lembrando que a China já domina muita tecnologia de ponta.

MMerlin
MMerlin
1 ano atrás

Difícil definir a melhor aeronave baseado na probabilidade quando as informações técnicas são escassas. O Galante tirou água de pedra. A minha opinião é baseado nas características do projeto. O F-35 tem os EUA como coordenador do projeto. É indiscutível o nível técnico em se tratando de tecnologia stealth. Se os Russos foram os primeiros a descobri-la, os EUA tomaram o dianteira a muito tempo. O J-20 tem a China como coordenadora do projeto. Sem dúvida seu nível de evolução tecnológica foi maior (e mais rápida) que a dos EUA. Mas a alcançou? Acredito que não. Mesmo com o grau… Read more »

ECosta
ECosta
1 ano atrás

Pessoal, será que o Gripen tem chance contra caças de 5ª geração em um combate BVR ?

Observador.
Observador.
Reply to  ECosta
1 ano atrás

Ao que tudo indica, pode ser que sim, não só os Gripen como outros caças. Se forem comprovadas capacidades de radares capazes de detectá-los a certa distância (nem precisa ser propriamente os do Gripen). Até a entrega dos primeiros Gripen, muita água já terá passado por debaixo da ponte. Lembrando que, quando o primeiro Stealth entrou em ação, os americanos tinham previsão, que esta tecnologia seria a vanguarda, mas ficaria degradada, ou até obsoleta por volta de 2030. E já havia desde aquela época, um cronograma de desenvolvimento de um caça de 6ª geração.

Observador.
Observador.
1 ano atrás

Se os dois caças entregarem as capacidades propagadas, e forem usados com doutrinas corretas de caças furtivos, acredito que eles só se encontrarão, quando uma guerra já estiver começado. Já ví relatos de membros da USAF e USNAVY dizendo que há toda uma doutrina de operação, para explorar as capacidades furtivas ao máximo, que seriam: Batalhas com ataque BVR, usando os próprios sensores e radares avançados ou via informações passadas por outros vetores via network. Ou penetração, com degradação do espaço aéreo, usando jamming dentro e fora do alcance de interceptação dos sistemas de defesa antiaérea conhecidos. Usando vários vetores,… Read more »

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Observador.
1 ano atrás

Concordo contigo. A grande diferença dos EUA para o resto é a efetiva ação militar nos últimos 30 anos. Treino é treino… jogo é jogo.

As Doutrinas já saíram do papel faz tempo, as melhorias são aplicadas de forma continuada e a tropa sabe o que tem que fazer.

Nos últimos 30 anos estou cansado de ver aviões do lado de lá caírem como moscas.

Observador.
Observador.
Reply to  Ricardo Bigliazzi
1 ano atrás

É inegável o avanço dos chineses, e também dos russos. É imaturo subestimar o inimigo, quem quer que seja. Mas também é inegável que os Estados Unidos possuem mais aprimoramento tecnológico, visando as forças armadas como um todo. Caças furtivos são ótimos, e por ser uma tecnologia dominada por poucos países, pode ditar as regras do jogo. Mas não são tudo, principalmente nas batalhas modernas, onde tudo é conectado e interdependente. Acredito que o sucesso das missões, nunca foi tão dependentes das capacidades, e números de operadores e equipamentos, de todas as forças armadas, quanto nos dias de hoje.

gordo
gordo
1 ano atrás

Se é melhor que o F-35 japonês dificilmente saberemos, e espero que continue assim, acredito que no somatório total acabem se equivalendo.
O que não se pode passar despercebido é o fato que a China fico sobe coturnos japonês por muito tempo, e hoje tem um caça que é contra posto por um dos EUA e não do Japão. Queira ou não é muito difícil negar a acensão Chinesa no mundo da tecnologia, e isso não se resume a área militar, vai do setor metal mecânico a celulares dignos de bloqueio nos EUA.