Home Aviação Comercial Boeing e Embraer vão anunciar nome da parceria comercial

Boeing e Embraer vão anunciar nome da parceria comercial

3180
41

Na próxima quinta, as fabricantes anunciam o nome da joint venture que absorverá a aviação comercial da Embraer

Em encontro com o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), no final da tarde desta segunda-feira, o vice-presidente sênior da Boeing e presidente da Parceria com a Embraer, Marc Allen, disse que a companhia americana fará, na próxima quinta-feira, o anúncio do nome da parceria comercial com a fabricante brasileira.

“Estamos ansiosos. São José dos Campos se tornou essa incrível parceria campeã na indústria global, com a junção da Embraer e a Boeing. Vai valer a pena. Vamos anunciar nesta semana, na quinta-feira, a nova parceria comercial”, afirmou o executivo.

Em 24 de janeiro deste ano, Embraer e a Boeing assinaram o contrato que define as regras da operação envolvendo a venda do controle da aviação comercial da fabricante brasileira para a empresa norte-americana. No final de dezembro de 2018, as duas companhias haviam firmado os termos da parceria.

Desde então, a fusão comercial vem sendo tratada como NewCo (Nova Companhia), ainda sem um nome específico, que será revelado nesta quinta.

Empregos

Após o encontro com Allen, Doria publicou um vídeo nas redes sociais no qual afirma que haverá aumento de empregos na fábrica da Embraer em São José, que servirá exclusivamente à fusão com a Boeing, que pagará US$ 4,2 bilhões para controlar todo o segmento de aviação comercial da fabricante brasileira.

“Ficamos otimistas com a perspectiva de investimentos desta gigante norte-americana na indústria aeronáutica de São José dos Campos”, disse o governador.

“O incremento na produção de jatos comerciais vai empregar mais trabalhadores, qualificar ainda mais a mão de obra e contribuirá de forma significativa para o desenvolvimento regional”, completou.

Procurada, a Boeing confirmou o anúncio. A Embraer ainda não se manifestou.

FONTE: O Vale

Subscribe
Notify of
guest
41 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
NEI
NEI
1 ano atrás

Embroing kkk. Desejo sucesso na parceria, principalmente para EMBRAER.

Canarinho
Canarinho
Reply to  NEI
1 ano atrás

Parceria???? huahuahauhauhuahuah

Eita Brazilzaocolonia

Gustavo
Gustavo
Reply to  NEI
1 ano atrás

Eu também, porém o sucesso só vai chegar para uma empresa.

André Zanatti
André Zanatti
Reply to  NEI
1 ano atrás

Boinger o novo nome kkkk, já vi matérias por aí que os empresários estão querendo levar o parque industrial de São José dos Campos pra os EUA um absurdo, o Brasil tem que cancelar a parceria se isso for ocorrer de fato, é um desastre pra nossa indústria, se os novos donos forem fazer isso, agora se a produção continuar no Brasil blz 😉

Pedro S.
Pedro S.
1 ano atrás

Em menos de 5 anos, eles virão à Colônia buscar a EDS e o setor de jatos executivos. onde já se viu Colônia exportar aviões? Parabéns aos envolvidos.

Canarinho
Canarinho
Reply to  Pedro S.
1 ano atrás

Exatamente. So a EDS que acho dificil porque ainda tem alguns na caserna que tem o mínimo de amor por essa terra explorada e surrupiada chamada Brasil. Mas os jatos executivos, esses tbm nao dou 2 anos na hora dos nossos amados executivos começarem a reclamar que ta dificil ( lógico a única parte lucrativa da empresa foi entregue a potencia) e ai meu amigo eh só a continuação desse escárnio.

Matheus
Matheus
1 ano atrás

Acho que não tem muito o que esperar. Talvez seja apenas um nome de fachada, mas o restante a gente sabe. Os E2 vão pro portifólio da Boeing possivelmente vão receber outro nome e a Embraer fica chupando dedo.

Pedro Rocha
Pedro Rocha
Reply to  Matheus
1 ano atrás

Olá senhores! Talvez os E-170 e E-190 iniciem a nova numeração tipo 818 ou 616 (pulando o 666 – rs). Porém acredito que as designações serão mantidas justamente pela boa visibilidade dos produtos no mercado!

Mauricio_Silva
Mauricio_Silva
1 ano atrás

Olá.
Pelo percentual de participação de cada uma das empresas na “Joint Venture”, não estranharia se fosse algo como “Boeing do Brasil”. O que ocorreu com o nome da antiga “de Havilland Austrália” pode dar uma boa indicativa para o nome da empresa fruto da “parceria”.
SDS.

Pedro Rocha
Pedro Rocha
Reply to  Mauricio_Silva
1 ano atrás

Mestre Mauricio_Silva saudações! No meu ponto de vista é mais importante é que os empregados da “De Havilland Austrália” foram todos para a “Boeing Austrália” apesar de não ter os números eu acho que houveram novas contratações! Eu acredito também que nenhum empresário que quer ser bem sucedido mudaria uma linha de montagem produtiva de um local para outro, somente se houver um fato relevante ($$$$) o que justifique. Mesmo que venhamos vender para o Governo do EUA as aeronaves serão fabricadas aqui e montadas nos EUA cumprindo a legislação das compras governamentais dos EUA!

Mauricio_Silva
Mauricio_Silva
Reply to  Pedro Rocha
1 ano atrás

Olá.
Minha referência só se fez no nome da nova (“nova???”) empresa. Não me enveredei por qualquer outro aspecto, além de que, tradicionalmente, a Boeing coloca seu nome nas empresas por ela adquiridas.
Dito e feito.
[]s.

Rafael Cordeiro
Rafael Cordeiro
Reply to  Mauricio_Silva
1 ano atrás

Mauricio Silva, acertou mizerávi! kkkk.

Andrigo
Andrigo
1 ano atrás

Parceria caracu, é claro….

Gabriel
Gabriel
1 ano atrás

A Embraer vai pode comercializar aeronaves comercial com a marca dela por fora da parceria?

EduardoSP
EduardoSP
Reply to  Gabriel
1 ano atrás

Gabriel, não existe parceria. A Boeing comprou todo o negócio de aviação comercial da Embraer. Ficou com 80% e o resto da Embraer, responsável pela aviação militar e de jatos executivos, ficou com os outros 20%. Pelo acordo a Boeing tem o comando do conselho de administração e da diretoria executiva da nova empresa.
Deixam de existir aviões comerciais com a marca Embraer.

RICARDO
RICARDO
Reply to  EduardoSP
1 ano atrás

Errado.
A EMBRAER tem 20% da Joint Venture apenas na divisão comercial.
Defesa, executiva e outros seguem 100% EMBRAER.

O problema aqui é que as pessoas não veem o todo mas em parte.
Existe 100% de 1.000 e existe 20% de 1.000.000 …

EduardoSP
EduardoSP
Reply to  RICARDO
1 ano atrás

Sim Ricardo, foi exatamente o que eu escrevi.

Celso
Celso
Reply to  EduardoSP
1 ano atrás

Nao foi nao…..leia voce outra vez e ve se entende e compreende o que escreveu.

Conan
Conan
Reply to  EduardoSP
1 ano atrás

Engraçado mas sempre pensei que “todo” fosse igual a 100% mas nestas reformas pedagógicas que tem ocorrido por ai a coisa deve ter mudado e 80% passou a ser “todo” e 100% passou a ser o “todo” mais alguma coisa

Fernando Lacerda
Fernando Lacerda
1 ano atrás

Parceria lesa a pátria….
Fim de um orgulho nacional.
Nos resta juntar os cacos

Canarinho
Canarinho
1 ano atrás

Se fôssemos um pais serio, com consciência nacional da nossa realidade, iríamos todos nas ruas protestar, fazer qualquer tipo de pressao que o governo freie essa iniciativa. Somos um pais essencialmente rural, nossa chance de podermos desenvolver a nação passa por desenvolver empresas nacionais, com capital, de preferência, nacional, para podermos entao reinjetar dinheiro na economia fazendo prosperar nosso pais. No caso da embraer eh ainda mais critico, porque se trata de uma das poucas empresas brasileiras (afinal a sede ainda eh aqui…) com grande volume de exportacao de produto de valor agregado. Para piorar, venderam a única parte que… Read more »

BARTUS FERNANDO TEIPEL
BARTUS FERNANDO TEIPEL
Reply to  Canarinho
1 ano atrás

Certo, e quem paga a conta dessas isenções? Venderam a única parte que alguém poderia se interessar. E se os 20% resultarem em um retorno maior que os 100%?

Marcos10
Marcos10
Reply to  Canarinho
1 ano atrás

Não tem jeito, o sonho de todo brasileiro é ter uma estatal para chamar de sua. Ou pelo menos pagar a conta. E reclamar.

FernandoEMB
FernandoEMB
Reply to  Canarinho
1 ano atrás

Não sei com qual funcionário vc conversou, provavelmente um sindicalista. Sem noção é você com seu comentário. A Embraer não é privada só na sua cabeça. Seus donos são privados e é a composição acionária não é segredo. Então é privada. Sim conta com financiamento e com empréstimos, como qualquer empresa. O nível alto de financiamentos aos clientes da empresa via BNDES é normal em empresas deste ramo no mundo inteiro. Falar que a aviação comercial é o que sustenta a empresa é uma verdade hoje, mas também é onde estão os maiores gastos. Ou seja, se a empresa vai… Read more »

Carlos Miguez - BH
Carlos Miguez - BH
Reply to  FernandoEMB
1 ano atrás

Curioso é que foi trocado o presidente da Embraer, faz 02 ou 03 meses, e quase ninguém especulou este assunto. Foi uma troca quase secreta.

FernandoEMB
FernandoEMB
Reply to  Carlos Miguez - BH
1 ano atrás

Quase secreta bem divulgada na imprensa.

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Carlos Miguez - BH
1 ano atrás

Como bom vendedor, ele foi escalado apenas para isto. Embolsou um bom trocado e picou a mula. Simples assim.

RICARDO
RICARDO
Reply to  FernandoEMB
1 ano atrás

LFNV, é jogar pérolas aos porcos … a visão da maioria é turva …

Fernando Lacerda
Fernando Lacerda
Reply to  Canarinho
1 ano atrás

Só eu que vejo que essa venda foi lesa pátria ?

Perdemos o orgulho de dizer que produziamos aviões, antes enchíamos o peito para dizer que a Embraer era Brasileira, que era do Brasil
E agora, o que restou ??
Ainda vejo pessoas defendendo esse absurdo, é de magoar qualquer coração

Fernando EMB
Fernando EMB
Reply to  Fernando Lacerda
1 ano atrás

Isto ocorre porque alguns conhecem e vivem a realidade da empresa e do mercado… E outros não, e se baseiam no que podem ver da sua cadeira atrás do computador.
Engraçado que muitos que criticam o negócio do os mesmos que sempre cercarem a empresa.
Como eu sempre disse… Só saberemos se o negócio foi positivo para a empresa e até para o país com o tempo. Mas muitos aqui já tem uma visão clara de futuro pois devem possuir uma bola de cristal.

Cavalo-do-Cão
Cavalo-do-Cão
1 ano atrás

Prestem atenção como a cartilha de alguns aqui se foca só em defender interesses estrangeiros…mesmo quando isso vai contra os interesses da nossa própria nação…reparem como o propósito deste pessoal é só difamar/denegrir tudo o que produzimos ou desenvolvemos…de como o intento é sempre de depreciar, inferiorizar ou rebaixar tudo do nosso país…qual é a orientação deste pessoal?…para quem ou o que eles estão a serviço?…e para que?… Todas as nossas empresas e indústrias mais importantes estão sendo desmanteladas ou tomadas para abrir caminho para os estrangeiros tomarem o monopólio e o controle de tudo daqui…é pavorosa e dramática a… Read more »

Celso
Celso
Reply to  Cavalo-do-Cão
1 ano atrás

aproveite que voce tem um maravilhoso ponto de vista e sem embasamento razoavel e diga ou escreva o como e o porque disso estar acontecendo. Quem foram os resposaveis em sua visao curta ? Outra coisa, tais ciclos da economia mundial sao e sempre serao previsiveis. Centenas de medias e pequenas corporacoes mundo afora estao iniciando novos ciclos de negocios no mundo inteiro, nao e so aqui no Brasil…..e assim mesmo que esta se formando um novo quadro de forcas economicas , se o Brasil esta fora desse ciclo atualmente, e por pura cegueira, distorcoes e absurdas politicas de protecao… Read more »

Conan
Conan
Reply to  Cavalo-do-Cão
1 ano atrás

A Natura acabou de comprar as instalações e operações da Avon no mundo todo , um negocio de biliões de dólares. Os americanos prometem fazer grandes passeatas em varias cidades nos EUA por se sentirem lesados. kkkkk

teropode
1 ano atrás

Ótima aquisição da Boeing , natural uma vez que o mercado americano responde por quase 60% das vendas da EMBRAER, além de toda eletrónica vir de lá, um caminho natural , espero que a Avibras também tenha um destino semelhante , há divisão da Boeing que poderia adquirir a Avibras e talvez transferi-la pra Flórida .

Amaro de Souza
Amaro de Souza
1 ano atrás

– Concretizado o absurdo dessa fusão que transformara a Embraer em satélite do governo dos Estados Unidos, a Boeing é controlada pelo Pentágono,o valor pago corresponde 10% do valor do avião presidencial norte americano de U$ 40 bilhões de dólares.

Marcos10
Marcos10
1 ano atrás

Natura compra Avon por US$ 4 bi.
Uma vergonha isso. Vão vender tudo para os outros. Crime lessa pátria.
Ops! É uma brasileira comprando uma americana.
Absurdo! A Natura pagou mais pela Avon que a Boeing pela Embraer.

João Adaime
João Adaime
Reply to  Marcos10
1 ano atrás

Caro Marcos10
Na verdade a aquisição se dará por troca de ações. Não envolve dinheiro. A Natura ficará com 76% do capital. O faturamento previsto é de 10 bi de dólares anuais, 40 mil funcionários e presença em 100 países.
Agora vamos aguardar as passeatas de protesto nos EUA.
Abraço

Marcos10
Marcos10
Reply to  João Adaime
1 ano atrás

Tem chance de o Trump impedir?

João Adaime
João Adaime
Reply to  Marcos10
1 ano atrás

Prezado Marcos10 Como não se trata de uma empresa estratégica, é uma questão que envolve apenas os acionistas. Lá nos EUA eles sempre dizem: negócios são negócios. Só lembrando que eles já perderam o controle da Anheuser-Busch (cerveja Budweiser) com a participação da nossa Ambev e da centenária Heinz, também com a participação dos sócios da Ambev. Lá os proprietários vendem, embolsam o dinheiro e geralmente criam um fundo de investimentos e vão em busca de novas oportunidades. Bem dentro da máxima: negócios são negócios. Abraço

Fernando EMB
Fernando EMB
Reply to  Marcos10
1 ano atrás

Só lembrando que foi por parte da Embraer, não ela toda.

Rafael
Rafael
1 ano atrás

Embraera do Brasil…
Só pra não perder a piada.