Home Acidente Aéreo Caixas-pretas do Boeing 737 MAX 8 que caiu na Etiópia são encontradas

Caixas-pretas do Boeing 737 MAX 8 que caiu na Etiópia são encontradas

3440
76
Boeing 737 MAX 8 da Ethiopian Airlines

157 pessoas morreram na queda da aeronave que deixou a capital da Etiópia, Adis Abeba, com destino a Nairobi (Quênia). China, Indonésia e Etiópia suspenderam a utilização do modelo após o acidente

As caixas-pretas do avião que caiu após decolar da capital da Etiópia, Adis Abeba, foram encontradas, informou a companhia Ethiopian Airlines nesta segunda-feira (11). Os gravadores de dados de voo digital e de voz da cabine podem ajudar a esclarecer a tragédia, que deixou 157 mortos.

O Boeing 737 MAX 8 caiu no domingo (10) perto da cidade de Bishoftu, 62 km a sudeste de Adis Abeba, seis minutos depois de decolar. A aeronave seguia na direção de Nairobi, no Quênia. Os 8 tripulantes e os 149 passageiros que estavam a bordo morreram. Entre os passageiros, estavam cidadãos de mais de 30 países (não havia brasileiros).

A Organização das Nações Unidas (ONU) anunciou que entre as vítimas estão mais de 20 de seus funcionários. Muitos viajaram para uma conferência da organização sobre o meio ambiente em na capital queniana.

O piloto do voo 302 da Ethiopian Airlines, identificado como Yared Getachew, tinha mais de 8 mil horas de voo. Ele pediu para voltar para o aeroporto após encontrar alguma dificuldade para guiar a aeronave.

A empresa ressalta que o avião era novo. “Como eu disse, é um avião novo em folha, sem registros de problemas técnicos, comandado por um piloto sênior, e não há nenhuma causa à qual possamos atribuir [o acidente] neste momento”, disse o presidente da empresa aérea, Tewolde GebreMariam Medhin.

Suspensão dos voos
As autoridades de aviação da China e da Indonésia ordenaram que as companhias aéreas de seus países suspendam os voos com o Boeing 737 MAX 8 , que é a versão mais recente do avião comercial mais vendido no mundo, de acordo com a agência Associated Press.

A companhia Ethiopian Airlines e a Cayman Airlines também anunciou que interrompeu “por precaução” a utilização desse modelo após a queda da sua aeronave no domingo (10).

A Boeing informou ao G1 que 350 aeronaves desse modelo são operadas por cerca de 50 operadoras no mundo.

No Brasil, apenas a Gol possui aviões da Boeing modelo 737 MAX 8 e opera com sete deles em rotas para os Estados Unidos, América do Sul e Caribe, preferencialmente. A empresa disse ao Bom Dia Brasil que acompanha as investigações sobre o acidente e que, por enquanto, não cogita a suspensão de voos.

Outras empresas, porém, operam esse modelo em rotas que incluem o Brasil, como a Aerolíneas, por exemplo, de acordo com a Boeing. .

O avião era do mesmo modelo do que caiu na Indonésia em 29 outubro, deixando 189 mortos. A aeronave pertencia à companhia Lion Air e tinha três meses de uso – a investigação ainda não chegou a uma conclusão sobre a causa da tragédia.

FONTE: G1

76
Deixe um comentário

avatar
26 Comment threads
50 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
41 Comment authors
@27curiosoFernandoEMBThiago Macena de FreitasMarcelo Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Tudo indica que os dois acidentes vão virar documentário no History Channel. Um piloto com 8.000 horas de voo já acumula o minimo de experiencia para lidar com situações difíceis, com 6 minutos de voo a fase critica da decolagem já havia ficado um pouco para trás, as coisas devem ter se complicado bastante no avião.

Que Deus ampare os que ficaram a chorar aqui na Terra.

Luiz Trindade
Visitante
Luiz Trindade

Não é History Channel e sim National Geographic em Mayday, Mayday…

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Como é mesmo aquela estória de que a Boeing iria salvar a Embraer?!?!

luiz antonio
Visitante
luiz antonio

Todos esquecem do fato que em qualquer acidente nenhuma falha isolada é capaz de causar um acidente, portanto, me abstenho de comentar de forma infantil e irresponsável sobre esse acidente antes de conhecer os fatores que levaram a ele. Quanto à Boeing “salvar” a EMBRAER como um colega postou, digo que trata-se apenas de uma transação comercial entre duas empresas privadas, onde ambas possuem acionistas e todos os acionistas de ambas aprovaram o “salvamento”. Como não sou acionista de nenhuma delas não me interessa, além do que, esse assunto ja encheu o saco. Voltando ao acidente, é intrigante o fato… Read more »

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Dependendo da pane, 8, 10, 12 mil horas de experiência não controlarão a aeronave. Li que, nas informações iniciais coletadas acerca do acidente da Lion Air, uma falha no indicador de AOA levou a um comando abrupto de pitch down. Tenho 10.300 horas e não sei se controlaria.

Maurício Vaz
Visitante
Maurício Vaz

Rinaldo, Inclusive já assisti a um documentário sobre acidentes onde dados incorretamente interpretados por dois sistemas de controle de inclinação fizeram com que o avião mergulhasse duas vezes bruscamente quase tendo falha estrutural. Por sorte os pilotos conseguiram o controle, a aeronave aguentou o tranco e eles tinha altitude suficiente para isso…

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Ah claro!

Thiago Macena de Freitas
Visitante
Thiago Macena de Freitas

Esse Wellington Góes só escreve besteira…

Da vergonha alheia

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Então fique com ela guardada para si, pois eu não tenho.

O engraçado é que uma série de companhias aéreas pelo mundo, que usam o B737 MAX, também não tem a menor vergonha de parar estes aviões. Aliás, a USAF a mesma coisa com os KC-46, dentre outros projetos, ou tu esqueceu dos problemas do 787?! Ou do atraso no lançamento dos 777X?!

Só mostra que tu é do roll de medíocres que batem palmas e ficam balançando a cabeça. Tu deveria ter vergonha de si mesmo, isto sim.

mcremp
Visitante
mcremp

Não é questão de vergonha, é questão da histeria da imprensa e das redes sociais, onde todo mundo agora é especialista em aeronáutica.

Neste mundo moderno onde todo mundo é um coitadinho que quer ser protegido e tutelado pelo governo, um caso destes é um prato cheio para os políticos demagogos.

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes
mcremp
Visitante
mcremp

O que só confirma a histeria.

Afinal, os EUA não são aquele país governado por um lunático e que só fazem coisas erradas?

Aladaf
Visitante
Aladaf

Perfeito comentario.

Fabio Araujo
Visitante
Fabio Araujo

Eu li que a Boeing sofre com falta de engenheiros especializados e um dos interesses da Boeing na Embraer é o quadro de engenheiros da emoresa.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Ou esse avião tem algum erro de projeto ou estão ocorrendo falhas no controle de qualidade.
Pelo sim, pelo não, a China e outros países proibiram o voo desse modelo de aeronave.

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

Parece que a Boeing está falhando na aplicação de automação e eletrônica numa plataforma que foi criada com muito pouco disso, meio século atrás.

Aliás, eu tenho a impressão de que a industria aeronáutica americana está sentindo a aposentadoria de veteranos. No século 21 tem muito projeto com problemas em empresas que são pioneiras no riscado, o que é perturbador. Dizem até que a aquisição da Embraer é para lidar com a criação do substituto do 737.

luiz antonio
Visitante
luiz antonio

Do 737 de meio seculo atrás, para o 737 de hoje existem diferenças abissais. São aeronaves completamente diferentes. Apenas o “737” ficou para manter o nicho de mercado. Quais são os projetos com problemas que comprometem os resultados?
A próxima aeronave que substituirá p 737, certamente deverá ter projetistas ex-embraer, isso é muito lógico e funciona assim em qualquer área e levarão seus expertises em aeronaves até 150 lugares.

Junior
Visitante
Junior

Pelo sim, pelo não, eu que não vou por os pés em um MAX da Gol, pelo menos até a Boeing resolver esse problema

Antunes 1980
Visitante
Antunes 1980

Um atentado terrorista, detonando uma bomba no avião ou mesmo na bagagem já foram totalmente descartado?

Jota
Visitante
Jota

Antunes, a disposição dos destroços no solo fornece muitas informações: destroços espalhados em grande área indicam desintegração estrutural ainda em vôo, típico de uma explosão. Destroços concentrados numa cratera indicam aeronave colidindo com solo. Claro que é bem mais complexo que isso.

Jota Ka
Visitante
Jota Ka

Está entre as possibilidades.

Juggerbr
Visitante
Juggerbr

Pelas imagens não houve fogo, o avião deveria estar com os tanques cheios, uma bomba provavelmente causaria explosão com fogo.

Diego K
Visitante
Diego K

Foram descartados, o piloto relatou dificuldade em pilotar e solicitou voltar. Ta mais pra um desgaste de algum sistema critico da aeronave, pode ser uma coisa mínima mas vão ter de olhar tudo nesse modelo, estão deixando passar um erro grave.

Delfim
Visitante
Delfim

Os 737 MAX já utilizam FBW ou ainda usam sistemas hidráulicos comandados diretamente pelo piloto ?

Aerococus
Visitante
Aerococus

Caro Delfim, Os 737 MAX não são “FBW” no sentido mais completo da palavra. Os profundores, ailerons e o leme são acionados por atuadores hidráulicos comandados por cabos. Os spoilers são também acionados por atuadores hidráulicos mas são comandados eletronicamente (FBW). Não há leis de controle em malha fechada com plena autoridade sobre as superfícies de controle, apesar de haver algumas leis em malha aberta e alguns sistemas de aumento de estabilidade que, em princípio, deveriam ter autoridade limitada sobre as superfícies de controle (como o tal do MCAS). Resumindo, em sua essência, o 737 MAX é praticamente o mesmo… Read more »

mcremp
Visitante
mcremp

Claro que esta bagunça toda tem pouco a ver com “preocupação com segurança”. A China não ia perder uma chance de fazer pressão comercial sobre os EUA. Outros países vão na onda, até para barganharem descontos no futuro. A imprensa “ajuda” com o sensacionalismo e a desinformação de sempre. Aqui no Brasil, o PROCON, órgão altamente especializado em engenharia aeronáutica e com vasta experiência em investigação de acidentes aéreos já mandou notificação para a GOL suspender o uso de seus 737MAX. A possibilidade do acidente da Etiópia ter a mesma causa do acidente da Lion Air é quase nula. Na… Read more »

Rene Dos Reis
Visitante
Rene Dos Reis

Coloca sua família de boa nele então? eu na duvida to fora.

mcremp
Visitante
mcremp

Viajo nele sem problema, até porquê todos os outros modelos também já sofreram acidentes.

fernandosc
Visitante
fernandosc

não viaja mais.
não tem mais nenhum voando.

Dodo
Visitante
Dodo

Então vai lá e fica voando ida e volta Rio só Paulo nele tá ok ! Eu É que não entro nesse modelo até que a companhia verifique os o que está dando errado nele

Marcelo
Visitante
Marcelo

Eu acredito que o PROCOM, um órgão de defesa do consumidor, tem autoridade sim para determinar que uma empresa aérea deixe de utilizar um avião, por precaução, afinal estamos falando aqui de centenas de vidas envolvidas! Justamente por não saberem as causas do acidente em 2 aviões novos, de projeto novo, num espaço de cinco meses, é que precisa parar tudo para avaliar os dados. Se após a análise das caixas pretas, se chegarem à conclusão que não há erro de projeto, que as causas de um acidente não tem nada a ver com a do outro, façam-se as recomendações… Read more »

mcremp
Visitante
mcremp

Muito fácil falar “pode ser que tenha problema, ou não” e prejudicar milhares de pessoas, para não falar dos prejuízos às companhias e a todos que ficam sem poder viajar e perdem seus compromissos.

Rene Dos Reis
Visitante
Rene Dos Reis

Justamente por não saberem as causas do acidente em 2 aviões novos, de projeto novo, num espaço de cinco meses,
falou tudo .

LUIZ
Visitante
LUIZ

Apresentaçao do Boeing 737 da Gol
https://www.youtube.com/watch?v=l6SxPsk5K-U

Melky Cavalcante
Visitante
Melky Cavalcante
Fligth_Falcon
Visitante
Fligth_Falcon

Explicado porque as ações dela hoje cairam.

luiz antonio
Visitante
luiz antonio

Se decidiram manterem as aeronaves no chão é porque não estão seguros quanto as operações. As razões são várias e não apenas confiabilidade de equipamento. O velho e bom diagrama causa x efeito sendo aplicado. Os 6 M’s velhos de guerra.

Junior
Visitante
Junior

Fizeram certo, para que ariscar, com uma frota de 122 aeronaves, deixar 7 no solo temporariamente não vai fazer a companhia falir

mcremp
Visitante
mcremp

Relações públicas. Se não fizesse isso, a imprensa farejadora de carniça ia ficar em cima sem parar, e qualquer ínfimo incidente seria transformado em uma tragédia.

luiz antonio
Visitante
luiz antonio

Correção: “…decidiram manter…”. Desculpem a falha.

Samuca
Visitante
Samuca

Já deu no portal UOL: a Gol também resolveu imobilizar no solo seus 7 aparelhos deste modelo sinistrado.

Charles Dickens
Visitante
Charles Dickens

Off-topic. Tenho o livro “Aviação Militar Brasileira – 1916-1984”, de Francisco C. Pereira Netto, edição de 1984. Não sei se tem algum valor monetário, além do óbvio valor como documento histórico. Alguém saberia dizer algo sobre este tema? Obrigado.

XFF
Visitante
XFF

Tem que suspender mesmo esse modelo 737 MAx. È uma bomba esse avião. Duas quedas em 6 meses, tem algo muito errado. Tem que suspender toda frota até concluir a investigação. Isso é questão de segurança e não de ideologia.

BILL27
Visitante
BILL27

E ambos logo depois da decolagem

Jefferson B.
Visitante
Jefferson B.

Para quem não é da área, para quem é pica fumo como eu, favor, vamos ficar quietos e ler os comentários de quem tem algo a agregar, quem vive de avião…chega de politicagem de 5 categoria e coisas do gênero.
Agradeço o apoio!

Luiz Floriano Alves
Visitante
Luiz Floriano Alves

Estão atribuindo estas quedas, ao mau uso da tecnologia de programas de gestão de voo. Mas, não se descarte problemas estruturais. Esse aparelho tem grande parte das asas executado em fibra de carbono, e essa tecnologia ainda não foi bem experimentada em peças de alto stress. Sempre que novos sistemas entram em uso aparecem “surpresas” imprevistas. Lembro o Comet da De Haviland. A fadiga nas molduras das janelas teria causado o colapso de toda a aeronave. Os DC-10 tiveram portas mal projetadas, e que se desprendiam em voo e antes de descobrirem o defeito centenas ou milhares de vidas se… Read more »

Charles Dickens
Visitante
Charles Dickens

Centenas de milhares? O número de vítimas com acidentes de DC-10 superaram 100 mil?

Jacinto Fernandes
Visitante
Jacinto Fernandes

Charles
O que o Luiz escreveu não foram centenas DE milhares. Foi “centenas OU milhares”.

mcremp
Visitante
mcremp

“Estas quedas”, você está incluindo o avião da Lion Air? Já foi investigado, não tem nada a ver com as asas. E no caso da Ethiopian, se o avião tivesse perdido as asas, alguém já teria percebido, também.

curioso
Visitante
curioso

Asas em fibra de carbono? De onde você tirou isso? As asas do MAX são praticamente as mesmas do NG, com pequenas mudanças aerodinâmicas e winglets diferentes. Não tem fibra de carbono nenhuma.

André Bueno
Visitante
André Bueno
Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Pilotos e Eng:

Software…. excelente.

Geometria da anv tem problemas ? A ser investigado.

Hardware….. aqui há uma certeza, eles não “conversam” com os sistemas na ponta.

Palavras de um Hindu Eng Aeronáutico que participou do programa.

Onde ?

Assisti a entrevista na Tv Índiana ao vivo pela internet.

XFF
Visitante
XFF

6 minutos ante de cair, o piloto comunicou a torre que estava com problema mecânico. Isso já prova que não é erro do piloto. Pode ser problema de software ou de estrutura.
A gente sabe que a Boeing não vai abrir o bico tão cedo, porque são centenas de bilhões de dólares em jogo e além da reputação da empresa. vão dá todos os tipos de desculpas, menos assumir o erro.

mcremp
Visitante
mcremp

O piloto informar um problema mecânico não prova nada, até porquê o piloto está lá justamente para resolver os problemas. Se nunca acontecessem falhas mecânicas, não precisaria de piloto.
Veja, não estou dizendo que FOI erro do piloto. Só estou dizendo que não se pode afirmar que NÃO FOI.
Infelizmente há muitos casos em que um acidente ocorreu por quê o piloto não fez o que deveria fazer quando ocorreu um problema. Caso típico: o piloto da Air France que derrubou um A330 em perfeitas condições de vôo porque puxou o sidestick feito um desesperado.

jodreski
Visitante
jodreski

Pelos dois acidentes e pelos últimos acontecimentos acho que os engenheiros da Boeing vão fazer muita hora extra nos próximos meses.

fernandosc
Visitante
fernandosc

Europa aplica suspensão geral ao Boeing Max 737
https://www.publico.pt/2019/03/12/economia/noticia/apertase-cerco-boeing-reino-unido-proibe-737-max-1865077

Metade da frota mundial parada
Na prática, toda a frota de 370 aparelhos destas gerações da família 737 fica impedida de usar rotas que utilizem espaço aéreo de países relevantes com hubs estratégicos do tráfego aéreo, como Londres, Frankfurt, Paris, Amesterdão ou, fora da Europa, Singapura.

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Com a luta do atual CEO da Embraer, de vender a todo custo a empresa à Boeing (por uma ninharia, diga-se de passagem), perdeu-se uma ótima oportunidade de ofertar uma nova solução Embraer para este mercado do B737 e, até mesmo, A320Neo. Ambos projetos datados e, no caso da Boeing, sérios problemas de engenharia e temos lido nos últimos meses notícias que corroboram minhas afirmações, o quadro técnico da Boeing e seus projetos são pura dor de cabeça. Mas é aquela estória, quando alguém só tem pensamento de empregado, nunca será patrão, nem sabe como é isto. E os administradores… Read more »

Marcio
Visitante
Marcio

Teoria da Conspiração O Sistema MCAS não por mera coincidência, tornou -se público somente após o acidente na Indonésia, inclusive nem os pilotos sabiam da existência desse sistema ativo de vôo, ai vem a pergunta, o MCAS foi introduzido na aviônica do 737-MAX-8 a fim de tentar realizar em tempo real correções na aeronave devido algum problema de carga aerodinâmica em razão do novo posicionamento dos motores, inclusive mais pesado devido o aumento de potencia, afetando o centro de gravidade da aeronave, e, consequentemente o seu controle. Em relação a esses dois acidentes, obvio que somente após analise das caixas… Read more »

mcremp
Visitante
mcremp

Márcio, o acidente da Lion Air já tem relatório preliminar e conteúdo do FDR divulgado. Seu resumo não é preciso: o MCAS existe para evitar que o piloto leve o avião ao estol em situações específicas. No caso da Lion Air, um sensor defeituoso fez o MCAS atuar erroneamente e o piloto não seguiu o procedimento correto, que é desativar a trimagem automática. Acredita-se que o fato de o MCAS não ser do conhecimento do piloto tenha contribuido para o erro. Depois de todo o barulho que o caso provocou, é dificil acreditar que o piloto da Ethiopian não sabia… Read more »

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Recebi pelo Whats um comentário de um engenheiro aeronáutico norte americano e, pelo conteúdo, corrobora o que vocês dois comentaram. Diz o gringo que o Max deveria ter 3 sensores (acredito que de AOA) ao invés de dois, e que informações do sistema de proteção (acho que do MCAS) não estavam no manual (AFM), e essa falha não consta do sylabus de treinamento em simulador. Os novos motores deixaram o CG muito dianteiro, favorecendo o estol. A informação de pitch trim down automático é correta. Tudo foi feito, segundo o gringo, para “cortar custos”. A AIRBUS agradece. Ainda bem que… Read more »

mcremp
Visitante
mcremp

Rinaldo, o tal do MCAS aparentemente é uma gambiarra de software para compensar os problemas decorrentes dos novos motores maiores, mais pesados, e montados mais à frente das asas. Ele deveria funcionar como um “stick pusher virtual” para evitar situações de risco. Para esclarecer: em condições normais, o MCAS não faz nada, quem faz é o ajuste automático de trim, que existe em todos os aviões. Os problemas da Boeing são dois: – O software do MCAS só usa a informação de um dos sensores de AoA, sem redundância. (Causa provável: redução de custos de desenvolvimento e de homologação) –… Read more »

@27
Visitante
@27

Eles se perderam e desligaram o piloto automatico …aí que foi o “erro ” pois o MCAS só funciona com o pa ligado

Fulcrum
Visitante
Fulcrum

E agora como tá o coração dos acionistas da embraer? Boeing vai miar com o banimento do max. Se fosse possível prever o futuro era a chance da embraer fazer um concorrente para o 737.

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

Não da tempo da Embraer desenvolver um avião antes da Boeing sanar os problemas no 737 MAX, seja quais forem os problemas. Quem tem que aproveitar é a Airbus para fechar vendas do A320 NEO neste periodo.

BILL27
Visitante
BILL27

E o NEo esta vendendo muito .

mcremp
Visitante
mcremp

A Embraer perdeu a chance quando a Airbus anunciou que ia fazer o NEO. Havia a expectativa de que ela anunciasse um avião inteiramente novo para a categoria single-aisle. A Boeing também estava esperando a decisão. Se a Airbus fizesse um A320 novo, a Boeing teria que fazer também. Como foi só um upgrade, a Boeing fez só um upgrade para não deixar a concorrente sozinha no mercado. Naquele momento, a Embraer poderia ter anunciado um projeto novo de tamanho similar ao C-series da Bombardier. Em teoria, seria um sucesso. Mas acho que a Embraer achou que não era prudente… Read more »

FernandoEMB
Visitante
FernandoEMB

Só o que ninguém fala seria como desenvolver um novo single aisle… Com que dinheiro? Como bater de frente com os grandes? E lembre que a Bombardier fez o CSeries e na prática quebrou. Praticamente está saindo do mercado de aviação comercial.
Se a Embraer tivesse trilhado este caminho, a aeronave ainda estaria sendo desenvolvida. Ela optou por proteger seu mercado e morrer a beirada do mercado das grandes. Para mim, a decisão, na época, foi acertada ao se desenvolver uma nova aeronave para dar continuidade ao sucesso da família EJets.

mcremp
Visitante
mcremp

A Airbus anunciou que não faria um novo A320, e sim uma nova versão, em 2010. Naquele momento, havia uma janela de oportunidade para a Embraer anunciar um concorrente, especialmente se fosse mais leve e econômico para vôos curtos. Creio que tecnicamente a Embraer teria condições e hoje o projeto já estaria voando.

Claro que em termos financeiros e de “pressões”, é outra história. Eu como não estou lá dentro não posso falar nada.

Aerococus
Visitante
Aerococus

A Bombardier quebrou pois não sabe fazer avião direito. Precisou de 10 anos e de dinheiro “infinito” de Quebec pra fazer o C-Series.
Esses mesmos caras estão “puxando” o MRJ (pena que para a direção errada).

Uma pena…

Rene Dos Reis
Visitante
Rene Dos Reis

Uma curiosidade , e como fica o prejuízo que essas empresas aéreas vão tomar com as aeronaves ?

Rene Dos Reis
Visitante
Rene Dos Reis

digo sem poder voar.

Fulcrum
Visitante
Fulcrum

Até acharem algum correlação, pararam porque quiseram, prejuízo delas.

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

Agora com a oroibição de voar em vários países a coisa mudou, não é mais a vontade dos operadores.
Com certeza caberá uma indenização como a que a Sukhoi pagou a Interjet mexicano pelo tempo parado dos Superjet até fazer o reforço estrutural na cauda.

mcremp
Visitante
mcremp

As companhias aéreas vão arrancar o couro da Boeing, com ameaça de processos judiciais e tudo o mais. A grande maioria dos casos será resolvida com acordos discretos e longe da imprensa, geralmente grandes descontos nos futuros negócios.

Rene Dos Reis
Visitante
Rene Dos Reis

sim ,lembrei aqui que como tem seguro pra tudo nesse mundo, talvez ate a fabricante deve estar de alguma forma segurada.

fernandosc
Visitante
fernandosc

https://g1.globo.com/mundo/noticia/2019/03/13/donald-trump-manda-suspender-imediatamente-os-voos-do-boeing-737-max.ghtml

EUA suspendem voos do 737 MAX após encontrarem semelhança de acidentes na Etiópia e na Indonésia
Medida vale tanto para o modelo 8 quanto para o modelo 9 da aeronave. FAA disse ter coletado provas necessárias para interromper os voos com o avião