Home Aviação de Caça Caças Su-30 indianos ‘jammearam’ mísseis AMRAAM disparados pelos F-16 paquistaneses

Caças Su-30 indianos ‘jammearam’ mísseis AMRAAM disparados pelos F-16 paquistaneses

47558
164
Su-30 MKI da IAF

Pilotos de caça paquistaneses dos aviões de combate F-16 dispararam de quatro a cinco mísseis AMRAAMs americanos (AIM-120 advanced medium-range air-to-air missile) contra aviões indianos (incluindo o Su-30 e o MiG-21 Bison), a uma distância de 40 a 50 km.

Em uma grande conquista, a Força Aérea Indiana (IAF) revelou na terça-feira que as aeronaves Sukhoi Su-30 conseguiram “jammear” (bloquear eletronicamente) vários dos avançados mísseis ar-ar de longo alcance AMRAAM guiados por radar disparados pelo F-16 do Paquistão em 27 de fevereiro. A IAF disse que o Paquistão alegou falsamente que derrubou um Sukhoi Su-30, da Índia, em 27 de fevereiro, que estava envolvido em repelir o ataque da Força Aérea do Paquistão (PAF) ao país.

“A falsa alegação do Paquistão de abater um Su-30 parece ser um encobrimento da perda de sua própria aeronave (F-16)”, disse um comunicado da Força Aérea Indiana (IAF). “Todas as aeronaves Su-30 envolvidas em combate pousaram de volta em segurança”, disse o comunicado.

A Força Aérea do Paquistão realizou um ataque aéreo malsucedido em 27 de fevereiro como uma retaliação ao ataque aéreo da Índia a um campo de treinamento de terroristas.

A IAF informou que na manhã de 27 de fevereiro, o sistema de Defesa Aérea da Índia estava em alerta total. “A formação de aeronaves da PAF no seu lado da LoC foi notada a tempo e aeronaves adicionais foram acionadas para enfrentar o adversário”, disse o comunicado.

Do lado da IAF, as aeronaves Mirage 2000, Su-30 e MiG-21 Bison estiveram envolvidas no engajamento.

“As aeronaves do PAF foram forçadas a retirar-se às pressas, o que também é evidente a partir de grandes distâncias das armas lançadas por elas”, disse. “Durante o combate, o uso do F-16 pela PAF e vários lançamentos de AMRAAM foram conclusivamente observados. A pronta e correta ação tática das aeronaves Su-30, em resposta ao lançamento do AMRAAM, derrotou o míssil ”, afirmou. Partes do míssil caíram no leste de Rajouri, acrescentou.

FONTE: Defence News India

164
Deixe um comentário

avatar
51 Comment threads
113 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
86 Comment authors
Manacespaulo sergioScarface 1AlmeidaMercenário Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Ricardo N. Barbosa
Visitante
Ricardo N. Barbosa

Não achei q parte em que “jammearam os AIM-120”, alguém achou ? Ações táticas pode significar apenas manobras evasivas contra mísseis BVR fora do NEZ, algo relativamente simples.

Ricardo N. Barbosa
Visitante
Ricardo N. Barbosa

No fim do dia o AIM-120 conseguiu mais um Kill, enquanto o R-77 continua virgem.

Vinicius Momesso
Visitante
Vinicius Momesso

Verdade! Quem derrubou o F-16 foi um passarinho no bocal de ar!

Ricardo N. Barbosa
Visitante
Ricardo N. Barbosa

R-73 foi quem supostamente abateu o F-16D. Curioso foi o R-77 não ter dado as caras. Dizem que a Índia possui alguns problemas com a arma, isso explicaria o não uso da mesma, nem pelo MiG-21 e nem pelos Su-30MKI.

Kemen
Visitante
Kemen

Os problemas relatados em 2009 foram solucionados.

Mário - SEAE
Visitante
Mário - SEAE

Correto. Segundo as informações liberadas pela Índia, o míssil utilizado para abater o F16 foi um R73

Munhoz
Visitante
Munhoz

O que ocorre é que esses misseis são orientados pelo caça sobre a posição do alvo, são lançados e num determinado momento quando estão próximos ligam o radar que os guia para o momento final. Bom precisamos analisar a historia deste tipo de míssil e os sistemas de interferência nos aviões ao longo da historia, tanto eu como qualquer um aqui não conhece a fundo o desempenho de um AIM 120, no entanto podemos deduzir que aquele minusculo radar na ponta do míssil não vai resistir muito a uma interferência, sendo que em alguns caças os sistemas de guerra eletrônica… Read more »

Bosco
Visitante
Bosco

Munhoz, Sem dúvida o radar na cabeça de busca de um míssil é de baixa potência mas há de se ter em mente que ele é feito para ser ativado a 15 km no máximo. Nessa distância ele se torna suficientemente potente. Só pra gente ter uma ideia do milagre que a curta distância faz, o míssil isca MALD-J com capacidade de interferência ativa pesa menos de 200 kg e tem capacidade de interferir em radares com 500 km de alcance quando se aproxima deles. Por outro lado, se partimos do princípio de potência x potência, o radar do míssil… Read more »

PauloSollo
Visitante

Verdade sim porque segundo os indianos foi um R-73

igortepe
Visitante
igortepe

Acho que foi uma ave de rapina Klingon.

Kemen
Visitante
Kemen

Uma andorinha…vinda do lado da India.

Pedro
Visitante
Pedro

Daqui a pouco o Paquistao vai dizer que o F-16 foi abatido por um AIM-120 disparado erroneamente pelo ala e que o avião abatido esqueceu de ligar seu IFF! Parece piada, mas em 1987 foi essa mesma historinha que usaram para encobrir um F-16A abatido por um Mig-23MLD soviético.

Antonio Palhares
Visitante
Antonio Palhares

Foi um passarinho que estava voando em direção ao Brasil para brincar o carnaval e namorar as passarinhas tropicais. Que dificuldade admitir e reconhecer uma verdade. Isto faz parte de um combate aéreo e os Indianos melhores preparados levaram a melhor. O Paquistão, país imoral que protege terroristas que se explique com o Tio Sam sobre o uso do material sem autorização.

Artur
Visitante
Artur

Certíssimo amigo viva a Índia, país com moral anti terrorismo, viva Israel também. Que o Eterno de Israel os proteja.

Dodo
Visitante
Dodo

Assino embaixo Antonio

QAPMike
Visitante
QAPMike

até poderia concordar com você, mas aí seriam dois falando mer**!

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

Muita propaganda e uma guerra de informações com cada lado dizendo isso e aquilo mas os fatos falam por si:

01 Mig derrubado por um míssil AIM-120 AMRAAM
01 F-16 derrubado por um míssil R-73

E Fato que o caça Russo Sukhoi Su-30 é O Caça e domina naquela região e a tendencia é so piorar para o lado do Paquistão porque nao tem nenhum caça a altura do Sukhoi Su-30 ja que tanto o F-16 americano como o JF-17 chines sao muito inferiores.

Ricardo N. Barbosa
Visitante
Ricardo N. Barbosa

Na verdade o F-16C/D do Paquistão são inferiores, as últimas versões oferecidas no mercado possuem aviônica superior a do atual Su-30MKI.

francisco
Visitante
francisco

Para os fanzocas dos yankes, o SU-30 não serve pra nada. Mas, estamos vendo que a realidade é outra. Imaginem as versões deste vião produzidas especialmente para as FA da Russia.

teropode
Visitante

Contra muslins sou hindu desde criancinha, espero que a IAF derrote mais f16 e toda tranqueira operada pelos provedores de terrorismo .

Rustam
Visitante
Rustam

Everything falls into place! Su-30MKI is the best in that region!

Paulo
Visitante
Paulo

Just bullshit.

As usual.

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

He is right. The Su-30 was the best fighter in this fight.

Paulo
Visitante
Paulo

Theory. Just theory.

Willber Rodrigues
Visitante
Willber Rodrigues

Caso seja verdade que os AMRAAM foram jammeados, isso não deveria ser secreto, ao invés da Índia estar se vangloriando disso?
E quais as prováveis medidas que o Tio Sam tomará com relação ao Paquistão por terem usados os F16?

Bosco
Visitante
Bosco

Vai reclamar e … só!

nonato
Visitante
nonato

E não vendem mais nem dão manutenção…

Dimas
Visitante
Dimas

Vai oferecer um retrofit dos aviões e mísseis mais modernos.

Brunow Basillio
Visitante

Não duvidaria desta capacidade dos Su-30MKI , não esqueçam que eles possuem eletrônica Israelense..

caio thomas dos santos bernardo
Visitante
caio thomas dos santos bernardo

E francesa também .

Adriano RA
Visitante
Adriano RA

A capacidade dos Su-30/35 de bloquear o AMRAAM é abertamente declarada pelos russos. Só não tinhamos visto isso até agora… E se os indianos estiverem dizendo a verdade? O resto de AMRAAM-5 mostrado na internet pelos indianos não foi o que derrubou o Mig-21. Isso vai ao encontro do que estão falando.

nonato
Visitante
nonato

Para os EUA não seria boa notícia.
Seus mísseis sendo jammeados por caças russos.
Se bem que um colega falou em eletrônica israelense…

JPC3
Visitante
JPC3

Aparentemente o jammer é de fabricação israelense.

Ricardo N. Barbosa
Visitante
Ricardo N. Barbosa

Observar dois fatos. A IAF não falou nada em jammear AIM-120, como supõe o título. E a EW do Su-30MKI é made in Índia/Israel. Mais precisamente RWR Tarang MK2 e pod jammer Elta EL/L-8222.

JPC3
Visitante
JPC3

Estranho os Su-30MKI não terem abatido nenhum F-16.

Chevalier
Visitante
Chevalier

No que entendi, quando os F-16 viram que o caldo ia engrossar, dispararam seus mísseis e deram meia volta. Acho que não deu tempo dos Su-30 se aproximarem.

JPC3
Visitante
JPC3

Claro, pode ser.

Porém, se os F-16 tiveram chance disparar os Su-30MKI também teriam tido pois contam com mísseis BVR de alcance similar. Sem contar a vantagem de performance dos Sukhois que daria maior alcance os mísseis indianos.

Certamente não tenho informações para fazer uma análise, só levantei uma dúvida

Kleber Peters
Visitante
Kleber Peters

Bom, não sabemos as RoE indianas. No Vietnã, por exemplo, os americanos só podiam disparar depois de identificação visual do alvo, o que tornou o Sparrow praticamente inútil.

Almeida
Visitante
Almeida

“Porém, se os F-16 tiveram chance disparar os Su-30MKI também teriam tido pois contam com mísseis BVR de alcance similar. ”

Você está levando em consideração que os Su-30MKI estavam à mesma distância que os Mig-21. Não estavam, basta ver o mapa. Os F-16 tinham alcance para engajar os Mig-21 e vice-versa, mas não tinham alcance para alvejar os Su-30MKI e vice-versa. Os Su-30MKI provavelmente jamearam os mísseis lançados contra os Mig-21.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

E isso tudo é uma terrível propaganda para as armas americanas na região.
Posso estar engando, mas se os americanos estavam querendo vender isso para os indianos, podem esquecer.

JPC3
Visitante
JPC3

Acho que nessa batalha o F-16 abateu mais caças que o Sukhoi….

PauloSollo
Visitante

Como pode ver na foto, o Pod que os indianos usaram para jammear os mísseis é israelense, por isso foi tão eficiente. Se fosse russo estes Sukhois estariam no chão aos pedaços. Os indianos foram inteligentes o suficiente para comprar um caça russo mas confiarem na tecnologia israelense.

Leonardo
Visitante
Leonardo

Como pode ver na foto, o Pod que os indianos usaram para jammear os mísseis é israelense, por isso foi tão eficiente.

Se não tivesse essa foto qual seria a sua desculpa, mãe Dina?

Só financiou porque não era russo? Rsrsrsrs

Dodo
Visitante
Dodo

Poxa Paulo, que coisa né …. deve ser tao legal ser você…. tem tanta certeza das coisas da vida…. ou vc tem super poderes de adivinhação ou você realmente mora no seu mundinho da fantasia…. aliás, tá ganhando quanto pra ficar fazendo propaganda de país aqui no blog ? Tu é a versão do antoniokins só que americano, chega a ser vergonhoso o nível do fanboyinsmo em certos forristas…. onde estao os analistas sérios que costumavam comentar por essas bandas ??

Bosco
Visitante
Bosco

Só uma curiosidade sobre os Amraams. Eles operam de 3 modos: 1- LOBL, fire and forget, contra alvos de curto alcance (menos de 15 km) com o radar do míssil já trancado no alvo antes dele ser ejetado do lançador, com a vantagem do lançamento ocorrer dentro da NEZ; 2-LOAL, fire and forget, contra alvos mais distantes (mais ou menos entre 15 e 30 km) onde o míssil é lançado e segue por meio do sistema inercial até o ponto chamado de “janela de aquisição”, onde o míssil espera encontra o alvo e ativa seu radar. Nesse caso o lançamento… Read more »

100nick-Elã
Visitante
100nick-Elã

Bosco, um míssil, assim como qualquer outra máquina, está sujeito a falhas; o problema, na minha visão, é que a porcentagem de erro dos mísseis ocidentais são muito grandes. Compare o desempenho dos tomahawks com os kalibre: enquanto este teve um percentual de erro próximo de zero na Síria, aquele tem um percentual médio de 25% de falha. Solta pecinha?

Bosco
Visitante
Bosco

100,
Desconheço esse índice de falhas do Tomahawks.

100nick-Elã
Visitante
100nick-Elã

Sorry, o correto é 5%, não 25%

PauloSollo
Visitante

Pode compartilhar o link com matéria que ateste este percentual de falha? E um detalhe relevante é que não dá para fazer comparações diante da pifia quantidade de Kalibr que os russos usaram na Síria e os milhares de Tomahawks que os EUA já empregaram em combate. Sem dúvidas que em milhares alguns poderão falhar mas esta sua porcentagem não procede. Além disso, em países democráticos e de imprensa livre estes dados são divulgados, em países governados por déspotas e que assassinam jornalistas ao milhares como a Rússia, nada ou quase nada é divulgado.

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

E, assim como aconteceu com o AIM-9X contra o Su-22 sírio, erra-se o alvo e, caso tenha que ir para um combate dog fight puro, vão precisar de outros meios, isto te lembra algo, caro Bosco?!

Ah, o canhão….. Como é mesmo aquela nossa antiga conversa sobre o F-35 precisar ou não de canhão orgânico?! Rsrsrsrs

Grande abraço e até mais!!! 😉

JPC3
Visitante
JPC3

Algum caça usou canhão nessa batalha?

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Ninguém sabe de muita coisa do ocorreu, de repente….. Ou tu consegues cravar que não?!

Bosco
Visitante
Bosco

Wellington,
Não é isso que demonstra as estatísticas. http://sistemasdearmas.com.br/ca/aamgrafico2.jpg

Adelino
Visitante
Adelino

Concordo com Bosco plenamente, essa bobagem de dizer para os mísseis bvr, dispara e esqueça e a maior idiotice, em um combate aéreo pode existir várias situações, isso serve para o r77 também.,…

Bosco
Visitante
Bosco

Adelino, O único fator repetitivo no fato de “todos” os amraams lançados a mais de 40 km e os caças lançadores terem dado meia volta é a possibilidade de não ter havido correção via data-link, que se tivesse sido implementada iria impedir os caças lançadores de se evadirem. É quase impossível: 1- todos os mísseis serem defeituosos; 2- todos os mísseis terem sido desviados por despistadores; 3- todos os mísseis terem sido jammeados; 4-todos os mísseis não terem acompanhado as manobras dos alvos. – Não digo que o Amraam é infalível e nem que ECM não funciona contra ele, mas… Read more »

carcara_br
Visitante
carcara_br

Me lembra inclusive o conflito Eritreia vs Etiópia em que caças su-27 e mig-29 se enfrentaram utilizando mísseis R-27 obtendo baixíssimas taxas de acerto. Sendo este um míssil de guiagem semi-ativo sofre ainda mais com a movimentação da aeronave lançadora, que precisa travar o alvo até o momento do impacto. Curiosamente o aim-120 quando lançado a longa distância parece também sofre uma enorme degradação do kill-ratio. Observa que se os F-16 não conseguiram atualizar a posição dos MKI é mérito dos últimos por imporem risco inaceitáveis, e ameaçar um contra ataque quase certo e com melhores parâmetros de lançamento. De… Read more »

Bosco
Visitante
Bosco

Conclusões comumente jogadas neste blog, mas não por mim. Nunca fiz análise do R-27 e não sei do seu histórico operacional. Os parâmetros de engajamentos que eu analisei são os relatados no post e não tirados da minha cabeça. Eles levam de per si à conclusão que os mísseis foram utilizados de forma equivocada do mesmo jeito que as baterias de mísseis SA-3 dos iraquianos que nunca conseguiram abater um F-117 enquanto os sérvios conseguiram. Falha de treinamento? Falha de doutrina? Não sei! Vale salientar que o AIM-120 tem um histórico altamente favorável e até agora sobre essa alegação de… Read more »

Leo Neves
Visitante
Leo Neves

Bosco
Segundo você o AIM-120 trava no alvo a cerca de 15 km de distância , saberia dizer a qual distância o R-27T1 com cabeça de busca IR pode trancar em um alvo ? Sei que isso vai depender das condições climáticas e altitude do alvo, mas esse dado é divulgado ?

Bosco
Visitante
Bosco

Leo,
Os mísseis ar-ar de curto alcance, com seeker IR, operam em geral no modo LOBL, ou seja, só podem ser lançados quando trancam no alvo. Essa distância não passa de 10 km.
Não há razão para crermos que o seeker IR de um míssil BVR tenha sensibilidade maior. Deve ser por aí.
Esse site cita o alcance de trancamento do R-77 e fala dos buscadores térmicos do R-27. http://www.ausairpower.net/APA-Rus-BVR-AAM.html
Há outros que citam o do Amraam (provavelmente a versão inicial “A”) como tendo um alcance de 10 a 15 km para um caça com RCS de 3 m².

Pedro
Visitante
Pedro

Sobre os R-27 nas batalhas entre Eritreia e Etiópia, o uso do R-27 foi severamente criticado mas tal mal desempenho se deu pelas péssimas condições de manuseio, estocagem e uso dos mesmos (existia uma imagem onde alguns R-27 eram levados até os jatos em pickups Toyota, sem qualquer cuidado). Alem disso, os pilotos de Mig-29 na maioria das vezes eram pilotos locais com baixo nível de treinamento, dado por mercenários ucranianos e bielo-russos. A chance de algum R-27 ter sido disparado dentro de seus envelopes de operação certamente foi baixíssima ou nula. Os Su-27 da Etiópia na maioria das vezes… Read more »

Fabio Jeffer
Visitante
Fabio Jeffer

Ricardo N Barbosa

E se a eletrônica fosse russa, qual o problema.
Fanboy é fogo

Ricardo N. Barbosa
Visitante
Ricardo N. Barbosa

Nenhum problema, mas como é israelense, achei importante informar já que a aeronave é russa.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

A eletrônica americana tem se revelado frágil. Deficiente.
Os iranianos já conseguiram ‘invadir’ um drone americano e capturá-lo.

JPC3
Visitante
JPC3

E a Israelense está sendo um sucesso.

Agora só falta nos explicar porque os Sukhois não abateram nenhum dos F-16 que como você diz são velharias obsoletas

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Se para abater um F-16 um MIG-21 é suficiente, para que usar um poderoso S-30?

JPC3
Visitante
JPC3

E por que não fez?

Errou os mísseis??? Não consegui solução de tiro???

Ou vai dizer que os indianos são incompetentes como os árabes?

JPC3
Visitante
JPC3

Então preferiram perder um mig do que o usar os Sukhois que estavam lá?

Por que mandaram os aviões se não era para eles lutarem?

Será que mandaram o Mig-21 na frente para não arriscar perder um Flanker?

Tem sentido isso?

Rustam
Visitante
Rustam

Antoniokings 6 de março de 2019 at 17:21
Se para abater um F-16 um MIG-21 é suficiente, para que usar um poderoso S-30?

——

+ 100% ))))

Kkkkkkkkk

Valdez
Visitante
Valdez

“Se para abater um F-16 um MIG-21 é suficiente, para que usar um poderoso S-30”

kkkkk boa

PauloSollo
Visitante

Um SU-30 foi enviado pelos indianos para fazer sua estréia em combate……..contra um drone paquistanês…. e o míssil lançado falhou…..

Felipe
Visitante
Felipe

A India confirmou que nenhum outro missil, além do R-73 do MiG-21, foi lançado.

Felipe
Visitante
Felipe

Porque um MiG-21 abateu antes…

JPC3
Visitante
JPC3

E outros que atiraram nos sukhois?

Se você ler as matérias vai ver que havia vários aviões paquistaneses para os Sukhois abaterem. Alvos não faltaram.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Realmente, não é possível entender o desespero para defender um simples avião.
Foi derrubado. Qual o problema?
Só porque é americano?
Isso é só uma pálida ideia do que pode acontecer em guerra contra países poderosos.
Imagine contra Rússia ou China. É daí para pior para os americanos.
Muito pior.

AAA
Visitante
AAA

Aconteceria o mesmo que ocorreu durante a Operação Rimon 20…

Bosco
Visitante
Bosco

Antônio,
“A eletrônica americana tem se revelado frágil. Deficiente.
Os iranianos já conseguiram ‘invadir’ um drone americano e capturá-lo.”
Meu caro, nesse momento deve ter cerca de 200 grandes drones voando, foram os minis.
Não é que a eletrônica americana é frágil,mas sim que eles usam demais, em grande quantidade. Aí, favorece um ou outro cair, ser derrubado, ser interferido, ser capturado ciberneticamente, etc.
Pode ter certeza que nenhuma drone de Ruanda (só pra citar um exemplo) será capturado e isso não quer dizer que a tecnologia de Ruanda é extremamente avançada.

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Vamos lá. O Su-30 MKI é equipado com sistemas embarcados russos, franceses e israelenses e que, por causa disso, tiveram alguns problemas iniciais de integração, mas ao que parece estão funcionando muitíssimo bem agora. Isto derruba alguns mitos e fortalece outros. Mas outros pontos mais interessante sequer foram lembrados pelos colegas, que preferiram defender suas ideologias políticas, do que necessariamente entender o desenrolar do combate. Um deles foi o fato de apenas dois M200 e quatro Su-30 MKI afugentarem os quatro M3 e quatro M5, além de quatro JF-17. De que apenas dois Mig-21 enfrentaram quatro F-16 e que, além… Read more »

JPC3
Visitante
JPC3

Parece que fica claro que os Su-30MKI enfrentaram os F-16, mesmo que a longa distância, caso contrário não poderiam ter interferido nos mísseis.

Se os Sukhois disparam e também erraram não sabemos.

JPC3
Visitante
JPC3

Pelo menos na versão inicial que li os sukhois não teriam participado.

Ou seja, os indianos vão contar a versão que interessa para eles. Mas eu concordo que os Su-30 MKI são superiores sim aos F-16 bolco 50 ou 52.

Filipe Prestes
Visitante
Filipe Prestes

Depois dessa se os americanos pensavam em vender o “F-21” pra IAF podem esquecer. E ponto pra Israel que fabrica material de muito boa qualidade. Mas fica o porém de terem vendido aos russos…

Ricardo N. Barbosa
Visitante
Ricardo N. Barbosa

Não existe depois dessa, IAF não falou nada de jammer e o único caça que não conseguiu um Kill neste confronto foi o Su-30MKI com seu R-77, que continua sem ser atestado em combate enquanto o AIM-120 somou mais 1 Kill. Além disso, o F-21 é muito superior ao F-16 do Paquistão, supeior inclusive ao Su-30MKI no estado atual.

Filipe Prestes
Visitante
Filipe Prestes

Leia a matéria em inglês se puder.

Kemen
Visitante
Kemen

Misseis lançados a grandes distancias, notadamente BVR pelo tempo que levam até o alvo, são mais faceis de “jammear” é do conhecimento de todos os aficionados que o índice de “kill” dos BVR é baixo! Me parece que foi utilizado o R-73 pela escolha do piloto com certeza porque o F-16 estava dentro do limite de alcance. Os problemas apresentados por alguns lotes do R-77 na India em 2009 foram resolvidos pelos russos na India.

rommelqe
Visitante
rommelqe

Então só para injetar querosene no after burner: se um Kfir dotado com AMRAAM de ultima geração se defrontar com um Flanker com missil desatualizado qual a chance de cada um deles? E vice versa?

Sidney
Visitante
Sidney

Me atualizem. Já apareceram as fortes evidências e provas de que o F-16D foi mesmo abatido? A PAF já admitiu a perda? Destroços já foram encontrados? O inventário da PAF já foi contado e notou-se a falta de um F-16D? Testemunhas e pilotos da PAF admitem a perda? Ou, temos apenas as alegações da IAF de que mesmo perdendo um MIG-21 foi a grande vitoriosa do dia porque “teria” abatido um F-16D? Para mim a grande vitória da IAF foi impedir que o pacote de ataque atingisse seus alvos e isto devesse mais aos AWACs e Radares de solo que… Read more »

Lucas
Visitante
Lucas

O que existe eh uma sequencia de fatos que acabam por compravar a derrubada do F-16.
Agora me atualize voce, a PAF opera somente 6 aeronaves tipo D do F-16. por que eh tao difcil alinha-los no taxiway e tirar uma foto?… em 15 mins a PAF derrubaria a versao indiana. por que nao o fazem?

Sidney
Visitante
Sidney

Verdade! Não havia pensado nisso. E bem fácil seria sendo essas as quantidades operadas.

Vítor
Visitante
Vítor

Não entendo porque haveriam os americanos de questionar o uso dos caças F 16 pela força aérea paquistanesa…..
Quem são os proprietários desses aviões? O estado paquistanês não os comprou?
Então podem usá-los como quiserem e contra quem quiserem sem problemas….
Só faltava essa agora, dar satisfação para terceiros …

Pedro
Visitante
Pedro

Nome disso se chama contrato! Assinou, tem que cumprir. Se qdo recebeu estava la escrito que so pode ser usado com o ok dos EUA, agora aguenta e siga o que assinou. Nao tem nada de estranho ou errado nisso. Se o Paquistão achou ruim, desenvolve seu missel e nao use mais dos EUA, simples!

Marcello
Visitante
Marcello

Questão contratual, amigo…. se não concorda, não compre, simples assim

Bosco
Visitante
Bosco

Vitor, “Não entendo porque haveriam os americanos de questionar …” É fácil de entender. Os paquistaneses adquiriram dos americanos um produtod militar (no caso, caças F-16) e no processo , de livre e espontânea vontade, assinaram um contrato onde eles se comprometiam a usarem o caça de “tal” modo e não de outro modo. É o chamado “acordo de usuário final”. É ridículo, mas eles aceitaram. Deviam ter comprado de outro fornecedor que não lhes impusesse tais condições, mas fato é que não o fizeram. E também não sei até onde isso é fato ou boato. Até agora não vi… Read more »

vitor
Visitante
vitor

Não faz qualquer sentido adquirir equipamento se depois por ” questões contratuais ” não o poder utilizar….
Eu não faço isso no meu dia a dia com nada. Se compro, é com intenção de usar da forma que quiser. Só faltava agora a Samsung por exemplo ditar como devo ver a TV ou não…..
Duvido muito que um Estado também o faça. Tem muitos que vem comentar aqui coisas que não fazem o menor sentido e nem sabem o que realmente aconteceu.

Marcelo Machado
Visitante
Marcelo Machado

A cláusula contratual pode ter sido feita para “indiano ver”. Diminuiria o desgaste dos EUA com os indianos, e permitiria o apoio que os EUA precisam do Paquistão, principalmente no combate aos Taliban. No mais, parece mesmo que não é muito fácil conseguir mísseis no mercado. Os paquistaneses foram atrás de nós na compra dos antirradiação em 2008, não foram?

Brunow Basillio
Visitante

“Sidney 6 de março de 2019 at 17:06
Me atualizem.”
Ja tem vídeo em que populares locais filmaram três paraquedas caindo no dia em que o Mig-21 caiu; se o Mig-21 Indiano não era “triposto” é possível que eram do F-16D.

Dod
Visitante
Dod

A palavra ”jammearam” significa o que ?

Bosco
Visitante
Bosco

Jammear = interferir eletronicamente no sinal de retorno do radar ou em alguma emissão de RF com fins de controle ou comunicação.

Dod
Visitante
Dod

Muito massa, os F-5 BR tem essa capacidade ?

BILL27
Visitante
BILL27

nao

Bosco
Visitante
Bosco

Dod e Bill,
Os F-5M possuem RWR e lançadores de chaffs/flares e podem operar o pod de ECM israelense Sky Shield.
O pod Sky Shield fornece capacidade de ataque eletrônico em missões SEAD, sendo até mais capaz que esse do post.
Seguindo a regra de que “quem pode mais, pode menos” o Sky Shield deve ser capaz de prover autodefesa à aeronave que o leva, mas em tese é um pod de ECM ofensivo.

Elton
Visitante
Elton

A eficiência de sistemas de armas depende do treinamento,estratégia e táticas de quem as emprega ,até agora vimos apenas caças ocidentais se sobressaindo sobre adversários de origem soviética mas a Índia já tem tradição em operar sistemas de armas russos tem doutrina própria, estratégia própria de uso e faz customizações em seus caças alem de intercâmbio constante com as mais, avançadas forças aereas do mundo ,bem diferente do Paquistão que podem até ter aviões americanos modernos mas sua versão e tipo exportação, seu treino e uma incógnita e sua estratégia e táticas de uso provavelmente e ruim já que colocou… Read more »

André
Visitante
André

Sou novo no assunto mas de longe o melhor comentário sobre o incidente… Parabéns.

Chico Novato
Visitante
Chico Novato

O Paquistão cometeu um erro estratégico e pagou por isso.
Foi revidar o ataque indiano pouco tempo depois do ocorrido, era óbvio que os indianos estavam preparados para isso, foram sem nenhum elemento surpresa.
Diferentemente dos hindus que entraram e saírem impunes do território paquistanês, na ocasião do ataque ao solo.
No controle da situação do combate, a Índia logrou abater um F16D ao preço de um MIG21.

Nilton L Junior
Visitante
Nilton L Junior

Conta estranha ganhou perdendo 1?

Chico Novato
Visitante
Chico Novato

No comparativo, sim, neste episódio a Índia logrou atacar uma base terrorista e derrubar um caça.
As perdas dos adversários da Índia não se resumem a um caça e sua tripulação.

Nilton L Junior
Visitante
Nilton L Junior

Então vamos esperar o seguinte: Os EUA tem a confirmação do abate do F16 ou pelo inventário ou por outra forma ( os sionista confirmam o abate ) por canais de inteligência, caso confirmado é empate pois abate é abate não é relevante para o resultado se foi pelo Mig ou teco-teco.

Ghutoz
Visitante
Ghutoz

Pessoal negando que derrubaram um f16 tão no mesmo nível daqueles caras que negam que já estiveram na lua ou até mesmo dos terraplanistas.

Elton
Visitante
Elton

E que tem pessoal que acha que o Paquistão opera o F16 no mesmo nível da USAF:organização inferior,treinamento inferior ,suporte tático inferior e liderança inferior,e capacidade operacional inferior,o Falcon pode se fantástico mas operando com um suporte de primeira linha :nos moldes da USAF,OTAN e aliados e Israel mas outros países…aí pode ser bem diferente.

JSilva
Visitante
JSilva

Um alerta pra quem confia demais nos BVR, historicamente o índice de acertos não é tão alto, se não me engano fica na casa dos 60%… O combate começa no BVR mas termina na curta distância, a não ser que os caças desengajem antes, como fizeram os paquistaneses… Só tem vantagem o stealth, que pode lançar na zona de NEZ, mas se for stealth vs stealth acredito que vai morrer na curta distância do mesmo jeito, ou ninguém acertará ninguém…

Antunes 1980
Visitante
Antunes 1980

Olha, está pra nascer governo mais mentiroso que este tal indiano.
É avião abatido que não aparece os destroços, ações do inimigo totalmente desmanteladas e agora jamming de F-16 e seus AMRAM. Difícil de acreditar..

Lucas Campos
Visitante
Lucas Campos

Muito engraçado ver o pessoal viajando, sem saber o que aconteceu de fato em combate. E tem uma galera chata que acha que tudo russo é ruim. Minha opinião pessoal é que contra ammram, os israelenses devem ser bons, já que operam esses mísseis e podem testar seus sistemas contra eles, mas é só achismo.

Mauro Oliveira
Visitante
Mauro Oliveira

Acredito. Guerra eletrônica é uma das coisas mais poderosas que existem. Já tive o desprazer de ser jameado em um simulador. Perdi o Lock justo na hora que iria lançar, e o avião inimigo sumiu da tela por alguns segundos

Roberto da Silva Rocha
Visitante

O Red Flag era só para consumo interno, como pode o nosso especialista se calar diante das evidências de que seria impossível ao F35 magic não conseguir ilaquear toda eletrônica e informática dos caças irmãos que conhece intimamente? Por favor, menos não é! Tá ok?

Alessandro
Visitante
Alessandro

Jammer com tecnologia israelense, não me surpreendeu!

Edimur
Visitante
Edimur

Tem pessoas aqui que deve ganhar para ser fanboy KKK não é possível uma coisa dessa !!!

Juarez
Visitante
Juarez

E tem outros que deveriam pensar antes de digitar, ou pelo menos ler o que o Bosco escreve para evitar pérolas, suposições, adivinhações e abduções alienigenas, tudo combinado com elocubracoes masturbativas alucinógenas
Ninguém sabe até agora, o que realmente aconteceu lá.Os indianos jamais sacrificaram um piloto experiente em detrimento de proteger seus SU 30.Os indianos podem ter jameado os AIM 120?
Podem, assim como os Paquistaneses podem ter se precipitado no envelope de lançamento e não terem feito atualização de alvo durante a corrida.
Fatos nos temos dois até agora:
Um Mig 21 e um F 16 abatidos.

Oiseau de Proie
Visitante
Oiseau de Proie

A BOMBA DE PULSO ELETROMAGNÉTICO (EMP) SERÁ USADA? – PARTE 01 :

https://www.youtube.com/watch?v=rGYZsX5aayI

A BOMBA DE PULSO ELETROMAGNÉTICO (EMP) – PARTE 02 :

https://www.youtube.com/watch?v=KuoJAFmmP1k

kornet
Visitante
kornet

“Fatos nos temos dois até agora:
Um Mig 21 e um F 16 abatidos.”
Mas o problema tá ai, alguns não querem aceitar a verdade.
Espero que o nosso Gripen tenha um Jammer desses.

Agnelo
Visitante
Agnelo

Então, o melhor caça da região não caçou…. atuou com guerra eletrônica…. israelense…. Capacidade BVR comprovada: 0%
Velho F-16 disparou 5 AIM -120 e acertou 1… vergonha…
Capacidade BVR comprovada: 20 %
Abatido (sem comprovação) por um MiG-21 modernizado… vergonha…
Opa!!!!! Não é supertrunfo!!!!

Fernando Preto
Visitante
Fernando Preto

Se bloquearam ou não bloquearam o fato é que 1 atingiu o alvo. Da mesma forma que, aparentemente, um dos interceptadores indianos também atingiu seu alvo. 1 x 1. Segue o jogo, próximo movimento.

Delfim
Visitante
Delfim

Tio Jacob, o “grande parceiro estratégico dos EUA”, fabrica e vende jammers que bloqueiam os AIM-120 aos rivais dos EUA ? Sério isso que eu li lá em cima, produção ?

Nilson
Visitante
Nilson

Desde quando a Índia é rival dos EEUU??

Delfim
Visitante
Delfim

Já li que há modelos de Flanker que saem de fábrica com aviônica israeli.

Bosco
Visitante
Bosco

Delfin, Os interferidores de autoproteção, todos eles, de qualquer fabricante, atuam nos radares de controle de tiro, iluminadores e das cabeças de radar ativo dos mísseis e todos operam nas bandas K e X (e C, eventualmente) seja o míssil que for, seja o fabricante que for. Os mísseis Amraam, assim como os R-77, Mica RF, Meteor, Derby, etc. todos operam nas faixas de frequência que os sistemas de autoproteção atuam e todos são passíveis de serem jammeados. Vai depender da capacidade de cada míssil em implementar ECCM, o que inclui o salto de frequência, o modo HOJ, compressão de… Read more »

Delfim
Visitante
Delfim

Tks Bosco.

CM
Visitante
CM

Só um breve comentário. Se o que disseram é verdade, os F-16 lançaram os AIM-120 e deram a volta, recuando/fugindo. Ora, qualquer míssil lançado em condição Head on tem seu alcance otimizado, ou seja, o seu melhor desempenho. Por outro lado, os SU-30MKI, se quisessem lançar QUALQUER MÍSSIL, teriam que fazê-lo com os alvos já em fuga e pela retaguarda destes, o que empiricamente diminui em 3/4 o alcance de qualquer míssil que tivessem. Então, um míssil hipotético qualquer com 100 Km de alcance máximo, por exemplo, teria esse mesmo alcance reduzido para meros 25 Km num tiro em pursuit.… Read more »

Felipe
Visitante
Felipe

A India confirmou que nenhum outro missil, além do R-73 do MiG-21, foi lançado.

Bosco
Visitante
Bosco

CM,
Não foi o contrário não? O AIM-9 errou e o Amraam acetou?

Pedro
Visitante
Pedro

Amigo, acho que vc se enganou…..o AIM-9X foi ludibriado pelos flares do Su-22 Sírio e em seguida atingido por um AIM-120 (tanto que o AIM-9X foi muito criticado por isso). Sobre o Su30 não ter disparado, ele poderia (hipótese) estar apenas monitorando a formação inimiga enquanto outros atacavam (Mig-21), ou seu papel foi justamente jogar os jatos paquistaneses em um local onde outros jatos indianos estariam em condições de ataque melhores. Concordo que o rumo que um avião toma muda radicalmente o alcance de seus misseis, e lembre-se que, disparar um BVR em um alcance muito longo diminui sua precisão.… Read more »

Sérgio Luís
Visitante
Sérgio Luís

AIM-7 Sparrow melhorado!

Bosco
Visitante
Bosco

Sérgio, É mais que um Sparrow melhora. rsrss Por isso o fato de um caça incorporar o conceito stealth o coloca na frente de qualquer outro no tocante ao combate BVR. Um avião atingir outro a dezenas de quilômetros tá longe de ser tarefa fácil e o melhor é que isso seja feito de forma furtiva. Um caça furtivo pode se dar ao luxo de ficar relativamente despreocupado com a oposição enquanto “controla” seus mísseis e utiliza de diversas táticas como por exemplo o engajamento cooperativo, modo do radar LPI, aquisição do alvo via ELINT por triangulação com outro caça… Read more »

Edimur
Visitante
Edimur

Juarez eu não citei seu nome mais se a carapuça serviu pode pegar fique a vontade kkkk Sr. Juareboy bjs. Em momento algum falei mal de equipamentos dos EUA até sei que são tops ,mas também sei que um revólver 22 não de um atirador treinado e mais eficiente que uma calibre 12 na mão de um mané ! Essa e só a minha opinião não se ofenda vivemos em um país democrático ou estamos na China ?

Juarez
Visitante
Juarez

Cidadão, antes de ofender alguém va limpar seu traseiro. Tu não.passa de um gurio insolentee que não sabe que não. sabe.
Comece tendo humildade lendo o que gente inteligente e que conhece, como o Bosco escreve.

Edimur
Visitante
Edimur

Na mão de um atirador

jack
Visitante
jack

Prezado Bosco,
Se não em engano, uma vez disse que não era engenheiro e nem militar! Por acaso você trabalha na Wikipedia ?? Brincadeira a parte! Seu comentários ajudam esclarecer e direcionam ao entendimento correto de certos assuntos.
Abraço.

Arariboia
Visitante
Arariboia

Não podemos esquecer que esses R-77 indianos são não russos… Os R-77-1 russos são completamente diferente que os milhares de R-77 exportados. Vale lembrar que eles só os colocaram em operação em 2014.

Mauricio R.
Visitante

Se até os suecos já sabem…

“The authors added that “analyzis of air operations over Syria likewise suggest that even late-model Russian manufactured air defence systems can be vulnerable to a range of countermeasures.” They cite Israel’s air strikes in Syria while under the threat of modern Russian air defense missile systems as an example.”

(http://alert5.com/2019/03/07/swedish-defence-research-agency-says-russias-a2-ad-bubble-can-be-defeated-israelis-have-done-it/)

Nostra
Visitante
Nostra

WC Abhinandan is originally a senior SU-30MKI pilot hence the agressive cockiness , only a few months back he was posted to a MiG-21 squadron so that he could teach the pilots of the MiG-21 squadron additional tactics , especially those which involve MiG-21 and SU-30MKI operating as a team. For example in the USAF and IAF exercises, to counter the Superior air situational picture available to the American pilots who were getting feed from their AWACS, IAF used some of the “active” SU-30MKI to bait the American fighters, while some acting as the eyes and guiding the “passive” MIG-21… Read more »

Nostra
Visitante
Nostra

Coming to effectiveness of WVR engagement versus BVR engagement , there is lot of misconceptions due to marketing tactics by OEMs. For example 1. if a BVR missile is fired at an aircraft and if the said missile travels at Mach 3 and the target fighter aircraft travels at Mach .6 which is the normal corner speed of modern fighters and also if the target aircraft is rated to pull 9 G maneuvers, then the missile needs to pull 225 G to match the turn radius, or 100 G if fighter is traveling at Mach .9 , since G forces… Read more »

Bardini
Visitante
Bardini

Great!

Augusto L
Visitante
Augusto L

Se o Paquistão tem o f-16 block 52+, eles tem sim um caca com eletrônica comparável ou ate superior ao Flanker.
E a versão comum block 50/52 apesar de ser inferior, não é tanto assim, equipada com um bom missil bvr da trabalho.
Eu acho que todas as versões paquistanesas foram modernizadas para os padrões block 50/52 e 52+

Dodo
Visitante
Dodo

Para quem diz que o R73 não foi testado em combate e3nem abateu nenhum alvo, sugiro que leiam a respeito dos combates aéreos na guerra Etiópia Eritreia entre o ano de 1998 e 2000. Lá poderão ler histórias bastante interessantes de amigos combatendo em lados opostos, ex instrutor vs ex intruendo(lembrando que a Eritreia era parte da Etiópia e assim o mesmo país) combatendo em doghfights e migs 29 lutando contra Su 27

Mercenário
Visitante
Mercenário

Dodo,

Acredito que a maioria dos foristas tenha se referido ao R-77 e não ao R-73, já que este último teria sido utilizado no combate.

Scarface 1
Visitante
Scarface 1

Galera não sou fanboy de nenhum lado,mas acho engraçado comentários de pessoas que adoram meter o pau em material russo se justificando “ah mas não era operado pela USAF”,”ah o Paquistão tem um treinamento pífio”,”ah é a versão A/B”,mas o mesmo não vale pros mig 29 dos árabes,abatidos por ser de uma versão degradada,por forças de treinamento bem inferior à coalizão,sem apoio de AWACS…Mas aí é pq equipamento russo é zoado e americano é bom. Fica difícil aturar fanboy tanto russo ou americano. Como já falaram guerra não é super trunfo.

Elton
Visitante
Elton

O mesmo raciocínio também é válido para os combates aéreos que aconteceram nas guerras árabes israelenses e guerra do golfo.os arabes recebiam treinamento inferior aos dos soviéticos e equipamento consideravelmente degradado comparado as versões utilizadas pela Rússia por exemplo os MIG29 iraquianos não tinham mira montada no capacete e o R73 alem de não terem o datalink que os ligariam ao GCI com muito mas informações, já as versões utilizadas pela Rússia tinham tudo isso ,os pilotos iraquianos de MIG29 eram oriundos de unidades de MIG23 e MIRAGEF1 de defesa aérea e mesmo com experiência em combate ainda estavam se… Read more »

Almeida
Visitante
Almeida

Colocando a discussão super trunfo entre material russo x americano x israelense de lado, podemos notar algo de extrema importância na doutrina de guerra aérea moderna: Se realmente os AMRAAM podem ser jameados, seja pela eletrônica israelense, seja pela russa ou indiana, com tamanha facilidade (vários mísseis lançados, apenas um acertou) pode-se concluir que em todos aqueles exercícios simulados onde os F-22A e F-35ABC abatem dúzias de aeronaves de geração inferior são fora da realidade. Pois todos se baseiam no caça stealth detectando o inimigo sem ser detectado e lançando seus AMRAAM em posição vantajosa para consumar o abate, bastando… Read more »

Bosco
Visitante
Bosco

Almeida, Mas não é assim que funciona com os stealths. Os stealths não seriam nada não fossem duas coisinhas: radares AESA e mísseis de longo alcance. Toda o conceito stealth está vinculado a uma operação furtiva do início ao fim, dando poucos segundos de reação ao inimigo, se tanto. Mesmo em relação aos caças convencionais, a combinação com radares AESA e mísseis de longo alcance se mostra muito mais mortal que as configurações anteriores, com radares mecânicos e mísseis de médio alcance. Só o fato dos mísseis utilizados hoje não serem do tipo “semiativos” já permite atirar e fugir, sem… Read more »

Bosco
Visitante
Bosco

Muitos criticam o F-22 por ele não ter um IRST, mas em tendo ele teria que se aproximar a cerca de 60 km para que fosse útil, nessa distância as chances do F-22 com as portas abertas ser detectado são maiores e os próprios mísseis poderiam ser detectados, dando alerta ao inimigo que implementaria sua táticas evasivas e entornaria o caldo. Os americanos mesmo sabendo que podem se aproximar a distância NEZ (imediata) do inimigo sem ser detectado prefere agir de longe para que a cadeia de destruição se complete de maneira completamente furtiva. Em se a aproximando e correndo… Read more »

paulo sergio
Visitante
paulo sergio

se jamearam ou não, não importa. o que importa é que os russos analisarão com todo o carinho essas manobras e haverá novidades no médio prazo. não subestimem os russos.