Home Aviação de Ataque F-35: Lockheed Martin recebe contrato de upgrade de aviônicos

F-35: Lockheed Martin recebe contrato de upgrade de aviônicos

6307
43

A Lockheed Martin recebeu um contrato de US$ 712,5 milhões em apoio à atualização aviônica Technology Refresh 3 (TR3) do F-35 Lightning II.

O contrato, que foi concedido pelo Departamento de Defesa dos EUA (DoD) em 27 de dezembro, abrange o desenvolvimento de hardware avançado relacionado ao esforço de TR3, que deve ser lançado a partir da LRIP (Low-rate inicial) de produção inicial em 2023.

A atualização TR3 faz parte do programa de modernização de acompanhamento do Bloco 4 (capacidade de combate total) para o F-35, também conhecido como Continuous Capability Development and Delivery (C2D2). A capacidade mais ampla do Bloco 4 deve ser implementada em quatro incrementos (Bloco 4.1, 4.2, 4.3 e 4.4).

Para isso, em junho de 2017, a Lockheed Martin anunciou que selecionou a Harris Corp HRS para atualizar aviônicos do sistema de missões para o F-35 Lightning II como parte do programa Technology Refresh 3 (TR3), aumentando significativamente o armazenamento de dados da aeronave, processamento de display e capacidade de processamento.

Cockpit do F-35

43
Deixe um comentário

avatar
19 Comment threads
24 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
29 Comment authors
FulcrumDelfimAndersonMaurício_SilvaVinicius Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
The Musketeer
Visitante
The Musketeer

Upgrade já???
Mal entrou em operação….
Tá voando?

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Existe ameaças por aí… é sempre bom estar um passo a frente.

Antunes 1980
Visitante
Antunes 1980

A atualização aviônica Technology Refresh 3 (TR3) do F-35 Lightning II são somente para as unidades da USAF? E como ficam os vetores já exportados para os países parceiros?

DOUGLAS TARGINO
Visitante
DOUGLAS TARGINO

Fica mais ou menos assim: se lasquem, os dos EUA tem que serem melhores que os vossos! kkkk Brincadeira, eu acho que eles tem que pagar também, né?

Eduard Sasha
Visitante
Eduard Sasha

Provavelmente os outros países entrarão em um acordo com os Estados unidos para a disponibilidade de um versão um pouco inferior com alguns recursos limitados, ou essa atualização sera disponibilizado por um baixo preço aos seus parceiros.

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Basta pagar…

JT8D
Visitante
JT8D

Eu só fico imaginando como os acionistas da Lockheed Martin devem rir à toa. Fala sério, dá para concorrer com uma empresa tão “bem relacionada” ?

Washington Menezes
Visitante

Impossível

Willber Rodrigues
Visitante
Willber Rodrigues

Eu disse o mesmo numa matéria sobre o quanto os países compradores vão ter que pagar pra resolver cada problema do F35, a despeito dela ser uma aeronave fantástica.
Queria ser acionista da LM agora…

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Veja pelo lado positivo, não é um “problema”, é apenas a expansão da capacidade do avião.

Brincadeiras a parte, do jeito que a tecnologia anda (evoluindo em ritmo de progressão geométrica) essas atualizações serão mais constantes.

Vale a pena lembrar que nos dias de hoje os EUA devem derrotar sozinhos dois oponentes e não apenas o seu tradicional oponente.

Estar preparado para a Guerra pode ser o caminho mais curto para se manter a Paz.

Carlos Campos
Visitante

bom isso é pq eles começaram a fazer a aeronave antes de terminar o sistema operacional, deveriam colocar o Android ou IOS, também tem o fato de que quiseram fazer um sistema operacional gigantesco, com milhões de linhas de códigos, pelo visto esse avião é igual um celular, de vez em quando precisa atualizar o sistema, mas de qualquer forma a LM ganhou na loteria, deram um cheque em branco para ela, e parece que ela tá sabendo se aproveitar disso.

igortepe
Visitante
igortepe

Seria melhor instalar o sistema Linux Apache. Esse não tem tela azul.

RenanZ
Visitante
RenanZ

Quais seriam as probabilidades de toda essa gastança no programa do JSF/F-35 for intencional para paralelamente financiar projetos de “Black Budget”, como os da Skunk Works (SR-72) ou armamentos mais futuristas?

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

É muito mais simples do que se possa parecer, agora os caras tem “inimigos” e os aviões sempre serão levados a sua capacidade máxima disponível. Certamente será a primeira de muitas.

Superioridade aérea é um treco que custa caro, desde 1950 os EUA optaram por essa estratégia e já gastaram rios de dinheiro com isso.

Seria interessante analisar quantos “up-grades” o B-52 já sofreu, o meninão é tudo, menos um projeto problemático.

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

Essa notícia confirma algo que eu já suspeitava. A aeronave está demorando tanto a amadurecer que a parte eletrônica (CPU, memória e afins) ficou obsoleta antes da aeronave ficar operacional.

Não me surpreenderia se alguém da área soltasse a informação que a eletrônica embarcada do Gripen E é mais nova que a dos F-35 voando por aí. 10 anos equivalem a um século em tecnologia de silício.

Rodrigo Martins Ferreira
Visitante

ahahahaaha

Tenho certeza disto…

Não fala bobagem cara…

Vocês podem implicar com o projeto do F35 o quanto vocês quiserem, mas o que se faz ali é a quebra de muitos paradigmas e de evolução de sistemas de combate.

Ali ninguém é tonto de investir bilhões em um projeto furado, isto é coisa de Brasil.

HOJE 02 de Janeiro de 2019 de longe ele já é mais avançado que qualquer coisa que exista neste planeta.

Aceitem que dói menos.

Vinicius
Visitante

“HOJE 02 de Janeiro de 2019 de longe ele já é mais avançado que qualquer coisa que exista neste planeta.” Explique em qual universo(Aviação!?) essa afirmação é válida por que se não, leva a pensar que este é o objeto mais complexo já produzido pelo homem o que “de longe” não é verdade.

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

Caro Rodrigo, se importa em elaborar como um sistema computacional concebido 15 anos atrás é, citando o caro colega “HOJE 02 de Janeiro de 2019 de longe ele já é mais avançado que qualquer coisa que exista neste planeta.” ?

Ou vai ficar só nas bravatas?

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

O avião já é operacional. Quer queiram ou não já estão a voar algumas centenas deles por aí. Inclusive na Síria ele andou zanzando por tudo quanto é lado, é que ninguém viu.

Vovozao
Visitante
Vovozao

02/01/19 – quarta-feira, btarde; não consigo entender avião tão novo, já tendo que fazer atualização, se você aqui diriam que estão tentando ganhar din din, avião vendido com aviônicos desatualizados??? Muito estranho???

Sidy
Visitante
Sidy

Põe estranho nisso. No entanto, aparentemente chegou-se a um ponto sem retorno, não existindo alternativas a não ser ir em frente gastando rios de dinheiro e fazendo funcionar a contento na marra.
De qq forma, vale lembrar que isso não parece ser um problema para os japoneses, dada a compra que pretendem fazer.

Marcos10
Visitante
Marcos10

Cada lote fabricado é diferente ao anterior, com mais sistemas operacionais, o que requer por vezes necessidade de atualizações de outros sistemas e mesmo alterações de componentes nas aeronaves mais antigas.
A cada seis meses nasce uma nova geração de computadores. Para um avião no estado da arte, que foi concebido em 1996, fez seu primeiro voo em 2006, receber atualizações de hardware e software é uma coisa normal.

Robsonmkt
Visitante

“Para um avião no estado da arte, que foi concebido em 1996, fez seu primeiro voo em 2006, receber atualizações de hardware e software é uma coisa normal.”
O problema é que estamos em 2019, o tal avião ainda não alcançou sua plena capacidade operacional e vai consumir 712 milhões adicionais para atualização de software.
Esse avião é um sorvedouro de dinheiro público.

Eduardo
Visitante
Eduardo

Tenho certeza e acredito que você pode supor que existam pessoas no DOD capazes de fazer uma simples conta de ROI

Marcos10
Visitante
Marcos10

Os problemas que provocaram que esse projeto se arrastace e tivesse esses gastos exponenciais são conhecidos. Mas Pegue o Eurofighter com seus T1, T2 …. Novos sistemas são desenvolvidos e as aeronaves vem recebendo as atualizações.
Mas não questiono sua argumentação de perda de controle dos custos.

Washington Menezes
Visitante

Ele é uma espécie de Iphone, tem o 6,7,8,9,X e ai todo ano troca para atualizar o sistema e tirar fotos mais bonitas.

Tadeu 54
Visitante

Ou seja: O poço sem fundo F-35 continua sugando recursos a não poder mais !

Flávio Henrique
Visitante
Flávio Henrique

Sei que poderei ser massacrado. Mas de quem foi a brilhante ideia de começar a produzir sem o projeto tá pronto??? Se fosse em tempo de guerra, convencional contra um inimigo forte, porque até um avião de treinamento militarizado serve para atacar insurgentes, até entendia mas não é o caso..

PS.: Falei do AT-802

Eduardo
Visitante
Eduardo

Flávio do ponto de vista dos novos métodos de desenvolvimento de produtos é comum o lançamento de produtos inacabados ou que tenham foco em algumas capacidades, são os famosos MVPs (produto mínimo viável), e na sequência o desenvolvimento entra no estágio incremental/evolutivo onde novas capacidades são adicionadas a plataforma ao mesmo tempo que erros são corrigidos.

O benefício disso é que você consegue identificar funcionalidades/capacidades inúteis nas quais você gastaria milhões e no final não seriam úteis.

Precisaria escrever muito.mais, mas no mundo de software (sei que tem muita gente aqui desse mundo) isso é chamado de desenvolvimento Lean / Agile

Marcos10
Visitante
Marcos10

A brilhante ideia foi do Pentágono.

Eduardo
Visitante
Eduardo

Acho muito legal isso, prova que o projeto cumpre o requisito de ser plataforma de evoluções ao longo dos anos, com capacidade de ser evoluída rapidamente por um custo baixo. Não entendo porque tantas críticas, se o projeto foi desde o início concebido para ser isso, uma “plataforma”. O iPhone é uma plataforma, você pode usar para pilotar drone ou fotografar. No.mundo da engenharia de software isso é excelente onde, agora que grande parte dos sistemas são software e controlados por software e felizmente a engenharia de software chegou a um nível onde os controles.de software podem ser evoluídos sem… Read more »

JT8D
Visitante
JT8D

A única forma de detectar o F-35 é seguindo o rastro de dinheiro atrás dele

Madmax
Visitante
Madmax

Kkkkk

Vinicius
Visitante

Pelo dinheiro investido tem de estar no mínimo 20 anos a frente de seus concorrentes.

Marcos10
Visitante
Marcos10

E obviamente tudo que envolve a LM é mais caro, mais demorado, se precisar correções é o contribuinte americano quem paga e se tudo der errado, nada acontecerá à empresa.
Sei lá, não sei o motivo, mas me parece bastante similar com uma empreiteira brasileira.

Fabrício
Visitante
Fabrício

Não sei se tem a ver com o lançamento do caça russo su-57 que em algumas avaliações foi superior ao f-35. Então, os americanos resolveram lançar uma novo atualização para não ficar para trás. Esses caças são desenvolvidos com equipamentos de última geração que deve ter recursos praticamente infinitos, basta atualizar para expandir mais.

Maurício_Silva
Visitante

Olá.
Usando uma “boa desculpa”, toda ação é válida/viável.
Admirável Mundo Novo, onde armamentos e celulares funcionam sob a mesma lógica de desenvolvimento/implementação.
A Lockheed Martin mostra que é uma empresa “visionária”. Ou a maior “picareta/cara de pau” que existe.
SDS.

Eduardo
Visitante
Eduardo

Tem uma reportagem sobre os novos SubNuc da Inglaterra, eles entrarão em operação daqui a 15 anos!! Não é concebível que eles estejam daqui a 15 anos usando pacote eletrônico que hoje existe.

A certeza que a RN tem é que o pacote eletrônico que o SubNuc deles usará, ainda será criado. O projeto do F35 é do século passado, então acho que os EUA hoje, pagam feliz este upgrade, caso contrário esta aeronave estaria obsoleta frente a QQ caça de 5 geração projetado depois dele e teriam que construir um novo caça.

Anderson
Visitante
Anderson

F-35 sendo atualizado, tá ok. Me preocupa a dependência extrema da Aeronave no quesito eletrônica. Fico pensando sobre os sistemas de redundância, caso o vetor sofra uma pane eletrônica. Será que ele consegue se defender nesse cenário? Ou pelo menos pousar? Algumas funções analógicas caíriam bem caso os sistemas eletrônicos falhassem.

Delfim
Visitante
Delfim

Enquanto isso qual o processador do F-22, alguém sabe ? Acho que é o 486.
.
Críticas à parte, vai ser assim mesmo. Todo ano haverá modernizações, de soft e/ou hardware. Mesmo que haja necessidade nenhuma, pois o que faz rodar $$$ em TI é a obsolescência programada.
.
Daí que se não nos mexermos vamos ficar nas mãos dos “aliados”, americanos, suecos ou israelis.

Fulcrum
Visitante
Fulcrum

Qual ataque é mais eficaz, uma seringada venenosa bem precisa ou uma enxurrada de pauladas?