Home Aviação Militar ‘Derrotar, não apenas competir’: a visão da China em relação aos Estados...

‘Derrotar, não apenas competir’: a visão da China em relação aos Estados Unidos

7570
111
Caça furtivo chinês J-20
Caça furtivo chinês J-20

Nas últimas duas décadas, o Exército de Libertação Popular da China (PLA – People’s Liberation Army) fez avanços rápidos na construção de novas capacidades e conceitos operacionais. O poder aeroespacial tem sido uma característica central da rápida modernização do PLA. Em particular, desde 2004, a Força Aérea do PLA (PLAAF – People’s Liberation Army Air Force) buscou uma estratégia de serviço destinada a desenvolver a capacidade de “processar simultaneamente operações aéreas e espaciais integradas, ofensivas e defensivas”.

Este relatório explora a medida em que o desejo de “competir” com a Força Aérea dos EUA – USAF (ou outras forças aéreas avançadas) influencia o pensamento do PLA sobre o desenvolvimento do poder aeroespacial militar. Ele examina como a China escolhe entre as opções de “copiar” as potências estrangeiras e “inovar” suas próprias soluções para vários problemas militares operacionais, bem como as áreas nas quais a China decide não competir.

Principais conclusões

  • O objetivo do PLA é derrotar, não apenas competir
  • O principal impulsionador do desenvolvimento do poder militar aeroespacial chinês é a visão do PLA de que ele precisa estar preparado para impedir e, se necessário, derrotar os Estados Unidos em um confronto de alto nível.
  • O PLA parece copiar militares estrangeiros quando pode encontrar conceitos organizacionais, operacionais ou de hardware de baixo custo que possam se adaptar do exterior para resolver os desafios operacionais que enfrenta. Em contraste, quando as capacidades externas ou práticas organizacionais são irrelevantes para os conjuntos de problemas aeroespaciais militares chineses, o PLA ou inova sua própria solução ou se recusa a replicar a capacidade externa (embora continue a rastreá-las e estudá-las).
  • O PLA parece não competir em certas áreas porque não precisa de certas capacidades para realizar sua missão dirigida, ou tem outros meios para resolver o problema militar em questão.

Recomendações

  • A USAF deve entender os avanços que a China está fazendo em domínios específicos relacionados à ISR, elevação estratégica e tática, e plataformas e ativos de ataque, bem como projeção de energia no espaço e contra as arquiteturas de satélite baseadas no espaço.
  • Além disso, a USAF deve monitorar uma série de outros investimentos e mudanças do PLA, inclusive nos campos da doutrina, organização, treinamento, recursos humanos, logística, aquisições e instalações.

Clique aqui para o relatório completo (73 páginas em PDF) no site da Rand Corp.

FONTE: Rand Corp

111 COMMENTS

  1. O Exército chinês conseguiu empatar com os EUA na década de 1950, criando o famoso Paralelo 38.
    Isso porque a China era recém saída de uma guerra devastadora e com aspectos de uma sociedade semi-feudal. Já os EUA eram a maior potência econômica do Planeta.
    Agora, que tem a maior produção industrial do Mundo, enorme desenvolvimento tecnológico e continua com seu gigantesco potencial humano, creio que as chances de sucesso dos EUA em um conflito seriam ZERO.

    • Aí acabou a luz e o seu videogame apagou né Xings!?

      Fica assim não! Liga para a concessionária de energia! Mas enquanto a luz não vem aproveite para pesquisar mais, aí você verá que desempenho chinês na guerra da Coréia foi sofrível,especialmente seus pilotos, que perderam a guerra de fronteira para os indianos em 1962, os conflitos de 1969 com a antiga URSS e também a guerra com o Vietnã em 1979. Ou seja, a chance de sucesso dos chineses em um conflito oscilam entre ZERO e -1

      Aceite a realidade Xings, pare de poluir os sites de defesa com torcida histérica e vá fazer algo mais útil! Acho que você deveria ir ao acampamento de CWB, parece que estão fazendo uma vaquinha para o Reveillon….rs!

      • Em apertado resumo:
        1) A Guerra da Coréia ficou quase três anos estagnada na linha onde foi assinado o Armistício. Em relação à questão aérea, temos o conhecido Mig Alley, área onde era proibida a presença de pilotos americanos e nem eles se atreviam a ir.
        2) A derrota indiana contra a China foi patética e li artigos de jornais da época onde corriam comentários sobre apostas de em quanto tempo os chineses chegariam a Nova Deli.
        3) Realmente, as escaramuças na fronteira com a antiga URSS não foram muito favoráveis aos chineses, mesmo porque a URSS tinha o exército mais poderoso do mundo à época.
        4) A invasão chinesa no norte do Vietnã também terminou em um impasse visto que os excelentes soldados vietnamitas, calejados após uma vitória contra os EUA, souberam enfrentar a força numericamente superior dos chineses que se retiraram.

        O fato é que nos dias de hoje a diferença tecnológica entre China e EUA diminuiu bastante, só que o potencial humano chinês é avassalador.

        • O Mig alley não era inacessível, aliás no final da guerra a USAF tinha a superioridade aérea na guerra.
          O problema era a tecnologia e o terreno que empediam de fazer um interdição aérea eficaz.
          Mas uma vez vc espalhando inverdades

        • “Em relação à questão aérea, temos o conhecido Mig Alley, área onde era proibida a presença de pilotos americanos e nem eles se atreviam a ir.“

          Os pilotos norte-americanos não apenas iam ao Mig Alley como ainda obtiveram a superioridade aérea por lá! E alguns ainda derrubaram migs chineses e russos na Machúria nas famosas missões “Maple Special”.

          E ainda perderam para os indianos em 1962….

          Não tente mudar a história Xings!

          Ps: já ligou para o “Relojoeiro “ para tratarem da vaquinha para o réveillon em CWB?

          • Sente-se no seu sofá, abre um refrigerante e assista. A tempestade perfeita está se formando. Não que estejamos torcendo, mas nós vamos soltar uns fogos.
            E pelo andar da carruagem, será muito mais trágico e rápido do que imaginamos.

          • Rio de janeiro e Tel Aviv, principalmente, terão festas mais animadas. Principalmente no que diz respeito à explosão de fogos.

          • Está mais fácil a queima de fogos ser mais animada em Teerã ou por cima dos prepostos da teocracia fascista na Síria…

            Aceite a realidade Xings! Arrume logo as malas para o reveillón em CWB!

    • Do que o fanatismo cego não é capaz!
      Um individuo que mal conhece o seu teclado,do alto de sua¨sabedoria¨ousa dar o seu veredito antecipado de um resultado de uma guerra imaginaria,porém,diga-se de passagem, provável em um futuro.Pelo visto e dito é como disse alguém:um ponto de vista é apenas a vista de um ponto.
      Mas além,como já foi dito,o seu ponto de vista casa com a afirmação:nós aprendemos da história que nós aprendemos nada da história.
      Bom proveito!

      • Não é preciso ser pitonisa para saber que se o Brasil enfrentar a Zâmbia no futebol, vai vencer.
        Bem como o EUA no basquete com a Namíbia.
        Ou a seleção de vôlei da Rússia contra as Ilhas Maldivas, né?

  2. Ainda não me mostraram o q mais interessa…
    O mais importante nem a China e nem a Rússia ainda tem, q a flexibilidade e possibilidade de iniciativa em todos os escalões.
    Uma coordenação extremamente rígida em sua cadeia de comando, q impedem o sucesso em uma operação de grande vulto.
    A China na década de 50 teve um apoio soviético inimaginável, e perdeu (em mortos) mais de 300.000 homens para empatar…

  3. Guerra Fria 2.0
    Será que minha geração vai ser igual as gerações entre os anos 60 e 80 que viviam com medo de uma ameaça nuclear entre 2 ( hoje 3 ) superpoténcias?

  4. AntonioKings
    .
    Acompanho teus comentários e gosto do teu contraditório, mas tem horas que eu não sei se você está no perfeito juízo, ou é um fanfarrão.
    .
    Sds

  5. EUA e China estão economicamente entrelaçados, e um dependente do outro nesse instante, mas quem tem mais poder de BOICOTAR a economia do outro a médio e longo prazo ?

    Digo de criar dificuldades com tarifas como por exemplo de importação, ter mais cacife de retirar suas indústrias do inimigo e oferecer melhores condições, maior poder de criação tecnológica e vendas, sanções, depender menos de importações de commodities, ter mais boca pra alimentar e ser dependente de outros países correndo risco de ser um aliado do seu inimigo, e etc.

    Analisando essas questões que citei acima, apesar de ser muito mais complexo que essa avaliação simplória que fiz, na minha humilde opinião, acredito que os EUA tem mais poder de criar dificuldades econômicas, e talvez por ter muito mais influência e confiança do livre MERCADO (que é o fiel da balança), possa dificultar tbm a alimentícia para os chineses ao longo do tempo, claro, se o capital financeiro permanecer firme e forte nos EUA como sempre foi desde o começo do séc. XX, se tem uma coisa que banqueiro não faz é rasgar dinheiro, se perceberem que um lado está enfraquecendo e o outro saíra vitorioso mesmo que tardiamente, eles não excitarão em ficar do lado do vencedor

    Ae vem a questão, a China vem crescendo (não como antes) constantemente nos últimos 30 anos, e os EUA desacelerou, a economia americana passou por vários turbilhões e algumas bolhas financeiras, e mesmo assim o mercado financeiro continuou acreditando nos EUA, já a China ainda não foi testada, será que o mercado vai dar a mesma chance a eles quando essa guerra entre os dois se ACIRRAR como os sinais indicam ?

    os EUA é um pugilista veterano testado e comprovado nesse jogo geopolítico econômico, já a China eu vejo como aquele jovem forte e com muito vigor, mas sem experiência que nunca foi testado realmente, e principalmente, NEBULOSO!! Pois seus “hábitos” não são nada saudáveis e tem uma péssima reputação.

  6. Vamos ver ate onde vai a China quando não poder vender mais nada.. Da onde vai vir a grana ja que 70% do que ela produz acaba lá no na america… Só vejo dois caminhos a guerra já que a guerra movimenta qualquer economia ou a queda do Regine chines em no maximo 10/15 anos … Uma economia falida não ataca ninguém.

    • A China enfrentou o Gengis Khan, o Shogun, o imperio Mughal, os Sikhs, a maior guerra civil da história do mundo, o império britânico, o Império Japonês, o Vietnã, o Império Russo, a União Soviética, umas 200 guerras civis e vai ser derrotada pelo Playboy laranja comedor de hamburguer? kkk

        • O interessante é que essa semana, o New York Times fez uma reportagem de capa dizendo que já era. A China vai assumir o poder. Queiram os americanos ou não.

          • Antes de ter iniciado a tal ¨competição¨,já diziam que os USA estava inferiorizado e era questão de tempo para ser superado.
            Aos russian e china fanboys tal fato se dará no dia de são nunca!
            Bom proveito!

          • Na prática em termos de comércio isso já aconteceu (https://atlas.media.mit.edu/pt/profile/country/chn/). Quando do Brexit para aonde May correu primeiro para buscar uma alternativa à Europa?
            É só verificar quem é o principal parceiro econômico do países mundo e verás que isso já é realidade a afdfdlguns anos. O Brasil é exemplo, o nosso maior parceiro comercial e a China (https://atlas.media.mit.edu/pt/profile/country/bra/). O Chile que muitos imaginam irrestritamente alinhado aos EUA, não é bem assim e o principal parceiro comercial também é a China (https://atlas.media.mit.edu/pt/profile/country/chl/). O PIB real chinês também já é o maior do mundo (https://en.m.wikipedia.org/wiki/List_of_countries_by_GDP_(PPP)). Os EUA estão na vanguarda do poderio militar! “Ainda”.

          • Informações erradas, primeiro que comércio não significa aliança, o Chile é alinhado aos EUA e o RU continua alilinhado a Europa e Otan inclusive já se preocupar com o investimento chinês, criando políticas para diminuir os efeitos do mesmo.
            Quanto ao PIB, Pararidade de poder de compra não significa PIB real é um erro comum falar isso, pra quem não entende de economia.

          • O PIB PPP virou a panacéia da turminha pró-China para defender o regime, mas esquece que ele não reflete a realidade visto que o “poder de compra” da moeda pode muito bem ser manipulado pelo governo visto que o tesouro pode absorver determinados gastos “inflando” artificialmente o poder sendo que testes econométricos têm apresentado grandes questionamentos quanto à validade do modelo.

          • HMS o mas importante é que não dá pra comparar valores de sociedades diferentes.
            Todos os PPCs de economias de baixo salário tendem a ser a infladas e quando elas se tornam ricas o PPC abaixa se equilibrando com o PIB “normal”.
            Por exemplo, PIB PPC chines entre 2000 a 2008 diminuí pq os salários aumentaram, isso não quer dizer que a economia chinesa diminuiu. Com a crise de 2008, ele começou a crescer de novo pq o governo chinês está controlando os salários e em alguns casos abaixando-os a força.
            Mas a tendência do PIB PPC é diminuir quando os salários aumentarem.
            Por isso essa comparação de economias de altos salários com as economias de baixo através do PPC é errada.

    • Augusto L a moeda nacional faz com que gastos internos determinem que a economia do mercado nacional não seja simplesmente “dolarizada”. A exemplo a Rússia mantêm um poderio militar excepcional com um gasto militar em dólar dez vezes menor que dos EUA. Com isso quero dizer que PPP é sim considerada para determinar o real poder de compra de uma sociedade. E como eu disse “Em termos de comércio”. E eu trabalho com “economia”. Rsrs

        • Parece que quem tá confuso aqui é você. Leia lá o que eu disse, “em termos de comércio”. Maior exportador do mundo China 2,27 trilhões, segundo EUA 1,32 trilhões. Simples! Em momento nenhum me referi a alinhamento estratégico isso o senhor tirou de onde?

  7. Brasileiro não entende.

    A China planejou tudo isso na década de 40. Está apenas executando o plano. Se vão vencer os USA? Claro que vão, é óbvio. Terão mais dinheiro, maior população, sem uma democracia para bagunçar o país. A democracia tem colocado nações importantes na mão de apedeutas. O futuro dos USA é ser um museu a céu aberto com alto padrão de vida, como a europa ocidental é hoje.

    • “sem uma democracia para bagunçar o país.”

      É a democracia que lhe permite vir aqui fazer a defesa de uma ditadura totalitária corrupta meu caro “relojoeiro”! Experimente fazer isso na China que você e outros tanto veneram para ver como rapidinho você some do Censo…

      Ps: entendo sua frustração pois quando aqui os canhotos tentaram suprimir a democracia ela própria tratou de puni-los. Bendito impeachment, mas você pode se juntar ao Xings na vaquinha!

      • Caro HMS, é muito chato ler seus comentários desvirtuando um assunto de esfera militar apenas com estes comentários ideológicos, vale lembrar que todos podem lançar seu ponto de vista e é interessante para o debate, deve-se respeitar a opinião de todos, o importante é seguir o assunto e não descambar para outros sem interesse.

        É é muita falta de educação desqualificar o comentários dos outros como se fosse o dono da verdade, seja mais humilde e respeite os demais.

          • Não enxerguei maldade no comentário do colega a ponto de você ser tão deselegante e imprimir um viés ideológico tão claro, levando para o lado pessoal, isso tudo por uma pessoa simplesmente pensar diferente de você.
            Você não vai mudar o mundo desta forma, terá mais sucesso se debater respeitando a opinião do colega ao invés de ataca-lo levando para o lado pessoal e lembrando que aqui não é lugar para isso…
            Fico muito triste em ver que você não entendeu o que eu quis dizer… voltemos ao assunto do post do PA…

    • China não planejou nada disso na década de 40, a china era um favelau a céu a aberto, cachorrinha da França e da Inglaterra nos anos anteriores, com a segunda guerra mundial os comunistas estavam mais preocupados em matar o lado contrário para o obter o poder, passaram anos na fome e miséria, até que os próprios camponeses passaram a dividir a terra entre eles, e não a socializando, a produtividade no campo que era baixa, depois que foi implementada um método mais capitalista de que o que é meu é meu e o que eu ganho é meu o país começou a subir, começou no campo, depois alguns já tinham dinheiro para montar um comércio, outros já tinham dinheiro para montar fábricas precárias, o governo chinês ainda controlava demais a economia, essa produção tinha que ir para algum canto, e foi assim que a China começou a inundar o mundo com tudo que ela produz, durante esse processo o governo passou a ajudar os empresários, permitiu capital externo em certas cidades e temos como resultado a China brigando com EUA pelo pódio do mundo.

  8. Se é da Rand é bom. Sempre leio seus relatórios.
    No mas, é mais do mesmo, o que a Rand esta falando é o que os EUA sempre fizeram, que é conhecer seus inimigos nos detalhes, para derrota-los neles.

  9. Para a USAF a preocupação maior deve ser o substituto do F-22, pois o F-35 não foi concebido para ser uma aeronave de superioridade aérea. Como a linha de montagem do Raptor foi desativada, esta deve ser a prioridade no momento, além de continuar a fabricação do F-35.

    • O F-35 é um avião omnirole.
      Ele sozinho garante uma superioridade contra qualquer outro avião moderno, até mesmo contra o F-22.
      Já que o F-35 é mais stealth e tem IRST.
      Não sei da onde vcs tiram essas coisas.
      Não estamos mais na década de 80 onde os F-15 que levavam o cabo com e os F-16 ficava com missões de interceptação e ataque ao solo.

      • A própria USAF. Eu tentarei recuperar o artigo onde um comandante responsável pelo programa do F-35 na USAF diz isso. Infelizmente eu não guardo os arquivos de tudo que leio, mas eu me lembro desta entrevista.

        • A própria USAf vai usar uma versão do F-35 com 6 mísseis para superioridade aérea.
          O que não quer dizer que os outros não façam.
          Você tem que entender que não se combate como antigamente.
          Hoje 92% é BVR, e os 8% restantes um capacete com mira e um míssil WVR de 5° geração com um elevado grau engajamento é mais do que suficiente.

          • Eu não consegui achar a entrevista que citei, mas há outras reportagens que dizem o mesmo.

            Veja a seguir:
            https://nationalinterest.org/blog/the-buzz/why-f-22-raptor-would-crush-f-35-dogfight-25868

            “Ultimately, the Air Force does need a new air superiority fighter—particularly for the Pacific theater. The service is currently studying a new extremely long-range Penetrating Counter-Air (PCA) fighter that would replace the F-22 and F-15C as America’s primary air superiority aircraft. However, it is likely that the F-22, F-35 and PCA will all serve together in the coming decades. But at the end of the day, the F-35 is no F-22 substitute.”

          • Dogfight são 8% das missões.
            E um avião com mísseis de 5° geração com alta ângulo de engajamento e alta capacidade de manobra G mais a mira no capacete resolvem a questão.
            Não é necessário supermanobrabilidade

          • Leia com calma o artigo que postei.
            Para facilitar, a pergunta é:
            Why an F-22 Raptor Would Crush an F-35 in a ‘Dogfight’?
            E a resposta é:
            The F-35 cannot match the F-22 as an air superiority fighter—it was never designed as such.

          • MARCOV o F-22 foi idealizado com uma mentalidade dos anos 80 o F-35 com uma do século 21.
            Dogfight e coisa do passado.
            Não irão mais existir isso de super manobrável.

          • Não, USAF nunca afirmou isso, ate pq o F-35 será usado em superioridade aérea, assim como usa hoje os F-16 em superioridade aérea também.
            Nós balcans por exemplo faziam CAPs juntos com os F-15 ou até os substituindo.
            O F-35 vai fazer tudo pq ele pode fazer tudo, ele é omnirole.
            São novos conceitos.
            A diferença é que o F-35 pode fazer um ataque tão bem como missões de superioridade aérea coisa que o Raptor não faz hoje, apesar do mesmo ter mas espaços para crescimento, hoje ele é inferior ao F-35. Que tem mais sensores e uma fusão de sensores melhor e mais moderna, ou seja o F-35 vai ver primeiro e atacar primeiro.

          • Não, a USAF necessita de uma nova aeronave de superioridade aérea, sim. E diz isso.
            A dificuldade é que não vale a pena reativar a produção do F-22 porque o dinheiro a ser gasto e o tempo para se desenvolver o novo F-22 (levaria no mínimo mais cinco anos) não o justifica, já que tanto a Rússia quanto a China estariam com aeronaves tecnologicamente semelhantes quando este novo F-22 pudesse ser produzido. Esta é a razão do programa PCA (Penetrating Counter-Air). O objetivo é que quando esta aeronave estiver pronta, os EUA continuarão na frente dos oponentes em superioridade aérea e tecnologia.
            https://nationalinterest.org/blog/the-buzz/new-report-reveals-why-there-wont-be-any-new-f-22-raptors-25736

          • Isso (Penetrating Counter-Air) só é criar uma plataforma mais stealth, com mais sensores, uma fusão melhor e autonomia maior, masss é pra daqui a 15-20 anos, quando as ameaça seram outras.
            Hoje um F-35 faz tudo que o F-22 faz e melhor.
            Não existe mais plataforma específica como o F-15 c/d era na década de 80.
            Pegue todos caças na atualidade e bote contra o F-35, e ele vai ganhar.
            É por isso que fecharam a linha de montagem de F-22 era desnecessário ter 2 linhas de aviões, sendo que os 2 são onminirole e o F-35 é melhor.

          • Não, Augusto. Essa é apenas a sua opinião. Como mostrei nos sites que postei, a produção do F-22 foi fechada porque não previam, naquela época, os desafios aos EUA (o crescimento bélico da China e da Rússia).
            Leia esta passagem:
            “Former U.S. Defense Secretaries Donald Rumsfeld and Robert Gates—neither of whom foresaw the rise of great power challengers to the United States—discounted the need for air superiority, and as a result, truncated the F-22 buy at 187 aircraft.”

  10. Ainda falta muito para a China fazer frente aos EUA,eles tem uma marinha gigante concentrada no pacífico e os americanos ainda tem uma marinha bem maior espalhada pelo mundo,sem contar com a experiência em conflitos.
    A economia da China ainda é a que mais cresce no mundo mas vem diminuindo o ritmo.Sonhar não custa nada mas planejar custa muito…

    • A marinha americana está espalhada, e demorará pra ser reunir.
      No começo a China estará na iniciativa e os EUA e aliados na defensiva, mas no médio e longo prazo os EUA ganhar.
      Agora quanto tempo vai demorar para os EUA reverter a ofensiva chinesa e partir para ofensiva, vai depender da situação nas outras áreas do mundo. Que provavelmente os chineses vão escalar deliberadamente.

  11. Não vejo a possibilidade de “derrotar” os EUA sem ser atráves da quebra da economia (tornando o país pobre, de modo que fique pior do que a Rússia está hoje) ou através da devastação de sua população por um agente biológico (virus, bactérias) que cause uma pandemia e assim devaste o país, pois, no campo militar, qualquer ação resultaria na destruição global, não ficaria “mundo” para ser governado… seria o fim.

    Será interessante ver como os EUA iram aproveitar a guinada do governo brasileiro para criar uma aliança onde além de fortalecer o continente americano de modo geral, irá enfraquecer também o suprimento de matéria-prima e alimentos que movem o motor da economia chinesa.

    • A China é a maior parceira comercial (importação + exportação) de vários países do mundo. Na relação temos EUA, Coreia do Sul, Japão, Brasil, Rússia, Arábia Saudita, Irã, Paquistão, África do Sul e dezenas de outros em todos os cantos do mundo. Quando não é a maior é a segunda ou terceira. Incluindo quase todos os países da Europa e do Oriente Médio. Como se vê, a estratégia de ganhar a guerra sem disparar um tiro está dando certo. Mas, se for necessário, poderão disparar quantos tiros forem necessários. Melhor não pagar para ver.

      • Com o retrospecto chinês de perder guerras podem disparar quantos tiros quiserem que não vai adiantar de nada….

        _________

        COMENTÁRIO EDITADO. MANTENHA O RESPEITO.

    • Não viável a curte e médio prazo esta questão dos commodities, já que o Brasil na verdade concorre com os americanos em vários deles, é melhor ter pragmatismo e fazer uma aliança local com o USA aqui na AL e no mundo continuar fechando acordos bilaterais e tentar se reindustrializar.

      Acho que ir contra a CHina, vai ser um tiro no pé do setor que mantém o superavit fiscal em positivo ao Brasil.

  12. A estratégia que eu vejo na China é ser ofensivamente superior às forças americanas e aliadas no Pacífico e não contra os EUA como um todo.
    A China se apóia numa visão de que numa guerra das 2 maiores economias, a pressão vai ser grande para um cessar fogo, pois o mundo ficará com medo da guerra quebrar o sistema capitalista global, ou seja, quem alcançar ganhos no curto prazo vai se sair melhor.
    Uma China 3-4 porta aviões baseados somente no Pacífico terá uma força superior a 7° frota.

  13. Muitos perguntam como a China vai derrotar os EUA …. “Ora não será numa guerra aberta isso eu garanto , a China é como um pescador que espera ali horas o peixe fisgar em seu anzol”.. Ela ira manipular o maximo a economia e a sociedade americana, tentar dividir, quebrar para conquistar , na primeira crise que os EUA passar , bilhões de gastos com defesa serão congelados , milhares de equipamentos ficarão sem condições de operar etc ..ai o governo americano terá que escolher ou investe tudo em defesa para frear a China ou investe na economia do pais para tentar salva lo….
    “As vezes não precisa VC subir para alcançar algo , ele desce até VC” , vós julgam que a China não ira passar os EUA pois hoje eles são muito grandes e fortes, mas amanha? Quando surgir uma grande Crise econômica quantos Porta aviões os EUA terão na ativa ,quantos aviões ,quantas bases ??

    Quando o abstrato determina que um Império tem que cair , não sabemos explicar como vai acontecer antes que aconteça, mas depois poderemos ler nos livros de historias como foi….

  14. Um economista Italiano chamado Giovanni Arrighi criou um conceito de ciclos sistêmico de acumulação onde inicia-se com Uma expansão comercial e depois ocorre Uma expansão financeira. Entretanto essa expansão financeira ocorre concomitante a expansão comercial de outro país que irá assumir a hegemonia. Primeiro Genova, depois holanda, depois inglaterra, depois EUA e parece que agora será a China. Pra mim faz bastante sentido. EUA em expansão financeira e China em expansão comercial. Parece que a passagem de bastão ja está ocorrendo.

  15. Vejo os EUA cada vez menos interessados em manter a OTAN e deixando a EUROPA, para se preparar para a China. O mundo está mudando muito e bem rápido.

    • E, se as taxas de crescimento atuais forem mantidas, em cerca de quinze anos, a China será maior que os EUA, Alemanha, Inglaterra, França, Itália e Japão juntos. Um assombro

      • Os dois PIBs estão aumentando.
        Mas como a moeda chinesa é desvalorizada em relação ao dólar, eles passarão os EUA por volta de 2027.

        Porém, como fabricam suas próprias armas em moeda LOCAL, o PIB PPC faz muito mais sentido na comparação. Afinal o ponto central é que em 5 anos a capacidade de produção da China será 1,5x à americana. Convertendo em dólares, o orçamento militar chinês provavelmente ainda estará menor que o americano, mas em moeda local poderá ser diferente.

        Como competir com um gigante desse?

        • A China tem cerca de 25% da produção industrial mundial e subindo.
          Os EUA têm cerca de 15% e caindo.
          Sem contar, é claro, o inesgotável potencial humano da China.
          Devemos concordar.
          Como competir com um gigante desse?

        • Não Luís, você não entendeu, a economia chinesa é uma economia de baixo salário, isso causa a distorção no PIB PPC em comparação com o dólar.
          O bom seria que essa distorção diminuí-se, o que significaria uma qualidade de vida melhor, por consequência uma economia melhor. Muita gente usa esses dados sem saber interpretar.

  16. “Quando a boca do dragão chinês fechar, o mundo sentirá saudades da águia americana”!
    A China é tão democrática e boazinha que começou a usar a tecnologia para verificar qual o cidadão representa uma ameaça ao estado. É o livro 1984 acontecendo.

  17. Ambos tem dissuasão Nuclear,
    o ping pong fora desse campo é desnecessário.

    O crescimento vertiginoso das FA’s do dragão tem um motivo:

    Alimentos:
    Proteínas animal e vegetal.

    Matéria prima no geral.

    A geopolítica deles se baseia nisso, nada mais.

    Pergunto:

    “Combinaram com os Russos”.

    Kkkkk

    Shalom

    • Os chineses querem buscar pelo comércio o que não têm (‘Proteínas animal e vegetal; Matéria prima no geral’)
      Se os EUA os impedirem de conseguir no mundo o que precisam, vai ter guerra.
      Não vejo motivo pra duvidar da capacidade chinesa em superar o bloqueio americano seja através da diplomacia, seja com guerras regionais aqui e ali.
      Acho muito difícil um confronto bélico direto.

      • Como os EUA vai impedir dos outros venderem alimentos para China ?
        Vai dar dinheiro a todo por aí ? Vai ameaçar com a força todo mundo ?
        Que pensamento mais descabido.

        • É realmente muito interessante. Com a guerra comercial de Trump, a China praticamente parou de importar soja americana. Atualmente, os agricultores americanos estão estocando soja até em latão de lixo. Milhões de toneladas estão prestes a apodrecer sem compradores. Com isso os brasileiros estão triando alguma vantagem. Só que a China já está investindo na futura produção e escoamento de soja em terras asiáticas, principalmente na Rússia.
          É tudo muito dinâmico e não se pode dormir sobre os louros.
          ‘America first’.

    • Como adendo, acabei de ler notícia de que os chineses acabaram de comprar mais uma mina de urânio na África. Umas das maiores e mais importantes do mundo. Eles estão dominando completamente o mercado de cobalto, urânio e lítio.
      Por que será?
      Será que eles estão dominando o mercado de energia da próxima geração?

    • Pior que sim, combinaram. A Rússia pertence à China. Agradeça aos EUA e sua política inútil de cercar a Rússia com inclusão dos países do ex-bloco soviético à OTAN.

      Obrigado, EUA.

  18. Realmente será um assombrado:

    Cadê energia para tudo isso ?

    Vão tomar ?

    E o mundo vai ficar assistindo e batendo palmas ?

    Água doce, energia, proteínas animal e vegetal, etc etc

  19. Simples observação.
    A China viveu inúmeras guerras internas e ou contra externos inimigos e ainda tem um dos mestres, se não for o maior deles, da estratégia militar que foi Sun Tzu o qual deixou uma obra de valor incalculável que se estiver sendo bem acolhida como literatura obrigatória por suas forças armadas ,assim como o pode ser em qualquer força armada mundo afora, vai fazer muita diferença no pender da balança.
    Na guerra não basta ter tudo do melhor se não souber a melhor forma de utilizar e manter e principalmente logística e suprimentos são o coração da coisa toda .

  20. Europa, Eurásia, Ásia, Japão, USA, Austrália, Canadá, todos somados irão assistir batendo palmas ?

    Os minerais mencionados não há domínio absoluto do dragão.

    Conte uma mentira muitas vezes,

    Conte várias mentiras 1000 vezes e

    Estas se tornarão verdades.

    Antônio Gramsci explica muito bem.

    Temos discípulos do Gramscismo desfilando na Trilogia.

    Shalom

    • O pensamento de Gramsci está muito acima da capacidade cognitiva desse pessoal amigo! Essa turma está mais para para os discípulos do sujeito encarcerado em CWB….

  21. Em um eventual conflito não nuclear a China não aguenta 6 meses e pede arrego.
    O interior é uma vastidão seca e fria, e, se as reservas de alimentos e combustível esgotarem, já era.
    Já o oponente tem praticamente a américa, europa, Japão e oceania inteira a seu lado, oferecendo insumos.
    Não haverá guerra alguma china fan.

  22. Já comentei várias vezes por aqui que a indústria de defesa norte americana é a maior interessada em espalhar notícias sobre possíveis ameaças ao seu país. Quando a Coréia do Norte sai do radar, entra o Irã. Depois é a vez da Rússia e agora a China. E por aí vai.
    O último país a querer destruir os EUA é a China. Ela possui mais de um trilhão de dólares aplicados em títulos do tesouro norte americano. Fora os investimentos diretos, que vão desde fábricas até prédios comerciais.
    No caso de um conflito, mesmo que os chineses resgatem antes os títulos, os dólares que eles terão em mãos perderão valor, uma vez que o dólar sofrerá desvalorização até que o mercado vislumbre o final da guerra. Além disso, todas as fábricas ocidentais, principalmente dos EUA, deixarão a China.
    E como dizia o saudoso Joelmir Beting, o órgão mais sensível do homem é o bolso. Será que eles vão matar a galinha dos ovos de ouro? O que eles querem é poder alimentar sua enorme população e dar emprego. E para isto eles dependem de outros países.
    Esta corrida armamentista da parte deles é uma forma de impor mais respeito às suas opiniões.
    Além disso, onde está escrito no Testamento de Adão que os Estados Unidos são os únicos a poderem possuir forças armadas poderosas?
    Burros, mas burros mesmo, somos nós que ficamos deitados eternamente em berço esplêndido.

    • Importante esclarecer que a China vem se desfazendo de seus títulos, assim como o Japão.
      O estoque de títulos em mãos dos chineses, cerca de US$ US$ 1,17 trilhão, está em seu nível mais baixo desde março e os do Japão estão para cair da casa de US$ 1 trilhão.
      Como se vê, teremos novidades muito interessantes em pouco tempo.

      • A China está deixando de aplicar em retaliação à guerra de tarifas comerciais que o Trump começou. Quando eles chegarem num acordo, nem que seja no próximo governo, os chineses voltarão avidamente a comprar os títulos norte americanos.
        Eles não aplicaram lá porque são bonzinhos para com os norte americanos, mas porque são os títulos mais seguros do mundo. Se quisessem rentabilidade teriam aplicado no Brasil ou na Turquia.

        • Concordo com vc. É uma possibilidade. Exceto se, a longo prazo, a economia americana se deteriorar excessivamente, com aumentos incontroláveis dos déficits comercial e fiscal. Insta afirmar que os déficits atualmente já estão em níveis estratosféricos.

  23. Sem dúvida que é um relatório ameaçador e não se pode negar a capacidade amarela de gerar soluções, entretanto os yankees são capazes de aprender com os próprios erros e corrigir rumo. Como exemplo cito a guerra assimétrica ,hoje a forma de agir e pensar dos gringos é muito diferente do que a 20 anos. Então para cada míssíl matador de porta-aviões amarelo, os yankees já devem ter na manga uma contramedida. O arquivo é uma leitura instigante.

  24. A verdade é que a China há 10 ou arrisco dizer 20 anos atrás bateu o martelo que não repetiria o erro da URSS e começou a partir para cima.
    Dae a China ficou com o modelo comunista na política e nas finanças virou um predador desenfreado no capitalismo. Ou seja, use as armas de seu inimigo contra ele.
    Eu já venho dizendo há muito tempo que o mundo estava repetindo o erro da Segunda Guerra Mundial. Na época a Alemanha humilhada pelo tratado de Versalhes começou a rugir com Hitler e o mundo dizia que era mais um maluco no mundo. Deu no que deu!
    Agora é a China que esta vindo engolir o mundo. Anda pelo mundo invadindo inclusive áreas exclusivas de economia de outros países, citando o acidente com basco pesqueiro de Atum do Brasil.
    Agora tentar parar um pitbull no portão de sua casa é que é difícil. Não é impossível, mas difícil!

  25. Ninguém quer essa guerra, seria catastrófico para o mundo no médio prazo, isso é igual acreditar que a URSS vai atacar os EUA amanhã.

  26. Os EUA devem fornecer meios de combate aos países no entorno da China o mais breve possível, em condições mais fáceis possíveis, como o Land-Lease da 2WW.
    Muitas aeronaves ainda em uso na Guarda Nacional devem ser vendidas, cedendo espaço para mais novas. Todos os estoques em condições de voo parados no deserto de F-16, F-18, etc., devem estar disponíveis o mais rápido possível.
    Assim como navios, carros de combate, enfim tudo que está parado. Tudo em condições de pai para filho, na base do “pode pagar quanto e como” ?
    A China deve ser vencida ali mesmo na Ásia. Se deixar chegar no Pacífico já era.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here