Home Aviação Comercial VÍDEO: Show aéreo em Copacabana nos anos 1960

VÍDEO: Show aéreo em Copacabana nos anos 1960

6208
51

Os que frequentam shows aéreos no Brasil atualmente, não têm ideia de como eram os eventos de antigamente.

Assista no vídeo acima, um show aéreo na praia de Copacabana, Rio de Janeiro, nos anos 1960, em frente ao Copacabana Palace.

Incríveis rasantes de Cv440 Real, C-47 da FAB, DC-7 da Panair, C-82 da Cruzeiro, Caravelle da Varig, Viscount, e muitos outros.

No final, esquadrilhas de Morane Saunier MS760 Paris, AT-33/F-80 e de Gloster Meteor (F-8) atacam um alvo na praia, em frente ao público.

Tudo sob os cuidados de um Sikorsky S-55 SAR, pousado na areia!

Subscribe
Notify of
guest
51 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Danilo
Danilo
1 ano atrás

Que top

Tadeu Mendes
1 ano atrás

A FAB operando três tipos de jatos, oriundos de três países diferentes?
França = Fouga Magister.
Inglaterra = Glouster Meteor
EU = AT-33
Que luxo.

Será que a FAB era a mais bem equipada fôrça aérea do continente naquela época?

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
Reply to  Tadeu Mendes
1 ano atrás

Não há Fouga Magister no vídeo. Os sete Fouga Magister que a FAB usou na Esquadrilha da Fumaça operaram de 1969 1 1974. O que a FAB tinha na época eram os 30 jatinhos Morane Saunier MS760 Paris, que operaram de 1959 a 1974. Mas eram jatos executivos, de 4 lugares, usados para missões de ligação e de transporte de autoridades. Os jatos militares que aparecem no video são os Gloster Meteor F-8 e provavelmente uma mistura de F-80C e AT-33. Digo que há F-80C no video, pela quantidade de fumaça proveniente dos disparos das metralhadoras no nariz, pois enquanto… Read more »

zeca ferreira
zeca ferreira
Reply to  Alexandre Fontoura
1 ano atrás

Sr. Alexandre, bom dia.
O Sr. está correto nas suas observacões quanto ao material utilizado.
Acrescento que os jatinhos Paris (como eram designados na época os
Morane Saunier) tbm eram utilizados no transporte de apaniguados da FAB
mesmo aqueles que no eram “autoridades” ou seja, os caronas.

carcara_br
carcara_br
1 ano atrás

Que final foi esses?!!
E esses pilotos da aviação comercial!!!
Nasci na época errada!!!!
Isso ai faz até os shows russos parecerem meio leite com pêra!!!

Daniel
Daniel
1 ano atrás

Show aéreo, com rasantes quase que na cabeça do banhistas em plena copacabana e com tirou real.
Adorei.

Charles Dickens
Charles Dickens
1 ano atrás

Interessante como os conceitos mudam. Nível de segurança perto de zero para o público. Vejam nas imagens relativas aos ataques ao alvo no mar, como os disparos estão espalhados pela superfície, por uma área mais ampla do que, imagino, seria recomendável em termos de segurança para um evento do gênero. Um descuido, um errinho, um cálculo mal feito e … tragédia. De qualquer maneira, vídeo muito legal.

Rodrigo
1 ano atrás

interessante a vitrine que aparece quebrada no final !! provavelmente estilhaçou por causa dos rasantes !!! Pura loucura , mais interessante até que a demostração militar são os aviões de empresas aéreas , Tem um jato que faz rasante insano deve ser um Caravelle?? imagina deve ter sido um barulho infernal , já que não existia preocupação nenhuma com o som dos motores naquela época, Vídeo muito legal !!!

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

Ou em função do deslocamento de ar gerado pelas explosões das bombas lançadas.

fernandoEMB
fernandoEMB
1 ano atrás

Com certeza a preocupação com a segurança hoje é muito maior. Principalmente devido a uma série de acidentes com muitas mortes ocorridas em shows aéreos… Os protocolos e precauções mudaram. Os shows perderam em emoção, ganharam em segurança. Sinal dos tempos.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  fernandoEMB
1 ano atrás

De fato Fernando. Não esqueço nunca a primeira apresentação do EDA que pude assistir na minha cidade, numa praia. O começo foi com as aeronaves vindo por trás do público, voando rasante sobre uma avenida, pouco acima dos postes. Aquilo para um jovem era puro êxtase.

Já anos depois não se fazia mais aquilo. Ruim para a emoção, bom para a segurança.

Farroupilha
Farroupilha
1 ano atrás

Jesuis!…
Estão me obrigando a sair da minha casamata de novo.
Que ESPETÁCULO de show! De público! De panorama! Que honra! Que orgulho!
Imagino que marcante e emotivo na lembrança feliz de todos que lá compareceram.
Lindo! Lindo! Lindo!

Flanker
Flanker
1 ano atrás

No texto fala em Westland Wessex SAR, mas eu não lembro da FAB ou MB utilizarem esse helicóptero. O helicóptero que aparece em voo, e depois pousando na praia e decolando no final do vídeo, é um SH-19, variante do Sikorsky S-55. A MB também utilizou uma variante do S-55, fabricada pela Westland, o Whirlwind.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Flanker
1 ano atrás

Flanker, eu ia comentar justamente isso. Mas a FAB chegou à utilizar o S-58/H-34 também, que posteriormente foram transferidos à MB, salvo engano.

Flanker
Flanker
Reply to  Leandro Costa
1 ano atrás

Sim, operou o H-34, mas nem a FAB ou MB operaram o Wessex. Pelo menos, nunca vi nenhuma referência disso.

Leandro Costa
Leandro Costa
1 ano atrás

Só sei de uma coisa. Nunca antes senti tanta vontade de ter um DeLorean com capacitor de fluxo e um Mr. Fusion….

Carlos Miguez - BH
Carlos Miguez - BH
1 ano atrás

Filme maravilhoso, mas o Fairchild C-82 fazendo vôo monomotor beirou a irresponsabilidade, mesmo naquela época.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

A audácia não diminui. É inerente a cada piloto: uns mais, outros menos. O que mudou foi o padrão de segurança. Antigamente havia MUITA pelada! Com muitas mortes. Já fiz minhas peladas também, mas não morri.

Paulo
Paulo
Reply to  Carlos Miguez - BH
1 ano atrás

É por isso que acabou esse tipo de show hoje em dia. Geração mimizenta.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
1 ano atrás

Nos anos 90 houve uma demonstração semelhante, com emprego real de AT-26 e T-27, na Praia dos Artistas, em Natal. Deve existir um vídeo por aí…

ZAMZAM_PAMPA
ZAMZAM_PAMPA
Reply to  Rinaldo Nery
1 ano atrás

Cheguei a assistir algumas demonstrações de tiro/foguetes em Natal nos anos 80.
Meu pai, presente na ocasião, que testemunhou os P-47 , B-25 e B-26 realizarem ataques com bombas ainda deixada pelos americanos, me assegurava que aquilo não era nada!!
Segundo ele, não era incomum as vidraças das casas se quebrarem pelo efeito das bombas jogadas em alto mar tal a potência.Reportou também o caso de alguém ferido pela cápsula de um .50 oriunda de um P-47.
Folclore ou não, diziam que os pescadores faziam a festa depois de tais exercícios.

Madmax
Madmax
1 ano atrás

Tempo bom…que não volta nunca mais.

Walfrido Strobel
Walfrido Strobel
1 ano atrás

Trabalhei com um SubOficial em Recife que tinha uma grande cicatriz na cabeça, fizeram um ataque com bombas em um bombardeiro em alvos montados com barris e madeira e como a bomba foi lançada em um rasante o deslocameno de ar da explosão jogou o avião para cima e ele bateu violentamente a cabeça no teto desmaiando.

Rodrigo M
Rodrigo M
1 ano atrás

Apresentação RAIZ! rsrsr..

fernandoEMB
fernandoEMB
1 ano atrás

Já vi e até participei de algumas exibições raiz… Eram muito mais emocionantes com certeza.
Mas segurança fala mais alto… E não é mimimio não. Aviação deve ser movida por segurança… Sempre.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
1 ano atrás

Bem que poderiab ter sido quando fiquei hospedado nesse hotel

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
1 ano atrás

Eu gostaria de saber como estava a FAB nessa epoca, se comparada com as outras forcas aereas do continente.

Tadeu Mendes
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

Galante,
Que jatos a Argentina operava naquela épica?

ZamZam_Pampa
ZamZam_Pampa
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

A marinha argentina também estava na frente com o Fury! Diziam que em mergulho rompiam a barreira do som. Enquanto aqui quem rompia a barreira do som era a mesquinharia: metralhava-se os helicópteros da marinha como vingança por uns poucos aviões comprado para o porta-aviões.
Não sei se é piada, mas diziam que em Buenos Aires, nos anos 30/40 havia mais livrarias que em todo o Brasil. Com o relato acima dá para desconfiar que sim!É possível!
Por outro lado que adiantou tanto conhecimento e saber aos Argentinos? A argentina está quebradíssima.

Brandenburg
Brandenburg
1 ano atrás

Boa tarde, Como residente em Copacabana à epoca tive o privilegio de assistir o show junto a turma do gargarejo, como se dizia. Acontecia na chamada Semana da Asa e o a´ápice era o ataque dos caças ao alvo no mar. O gemido da turbina dos Gloster e o som dos canhoes disparando é inesquecivel. Hoje o Ibama não ia autorizar e a gritaria na imprensa seria geral.Na verdade seria um escandalo ambiental. Uma pena. Quem teve o privilegio tem historia pra contar.Não acho que havia irresponsabilidade.Os pilotos da FAB de ontem, assim como os de hoje, são bons mesmos.Apos… Read more »

Diogo Santos
Diogo Santos
1 ano atrás

Atenção para o R99, E99 e um C130 voando agora em NAtal no flightradar24

R-99
https://www.flightradar24.com/1e936230

E-99
https://www.flightradar24.com/1e93633c

C130
https://www.flightradar24.com/C130/1e9360ad

carcara_br
carcara_br
Reply to  Diogo Santos
1 ano atrás

Deve fazer parte de um exercício maior, temos mirages 2000 nos visitando não é mera coincidência

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
Reply to  carcara_br
1 ano atrás

O Exercício é Cruzex 2018, que ocorrerá nos próximos dias em Natal.

Klesson Nascimento
Klesson Nascimento
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

Hummmm, foi quando ……

Francisco Tang
1 ano atrás

Não duvido que tenha sido meu avô naquele helicóptero, já que foi ele mais dois amigos os primeiros a pilotar helicômetros na FAB.

Walfrido Strobel
Walfrido Strobel
Reply to  Francisco Tang
1 ano atrás

Estes helicopteros com motor radial dianteiro de 600 a 800 hp são impressionantes, a altura em que fica o piloto.
. https://m.youtube.com/watch?v=WAtg5g_uQHg

ZamZam_Pampa
ZamZam_Pampa
1 ano atrás

Se vocês vissem o que os pilotos de F-5E faziam em Natal entre 76-79, vocês não iriam acreditar! Muitas vezes para um público de 4 ou 5 pessoas no modestíssimo aeroporto Augusto Severo. Eram vinte minutos de manobras as mais incríveis possíveis. A “visita” dos F-5`s era anunciada previamente pelo jornais.Invariavelmente isso ocorria nos dias de expediente, à tarde .Como disse, a presença de paisanos se resumia a 1 jornalista indicado para cobrir o evento e mais 3 ou 5 curiosos.Não sei do lado do CATRE/BASE AÉREA como era a assistência por lá. Depois tudo parou.Nos anos 80 já não… Read more »

carlos mendes
1 ano atrás

Me desculpe mais duvido que algum piloto de qualquer companhia aérea do brasil saiba fazer um rasante desse hoje em dia !! DUVIDO

rdx
rdx
1 ano atrás

Meu pai sempre falou com entusiasmo desses shows em Copacabana. Rasantes, disparos de metralhadoras, janelas quebradas, embarcações pegando fogo faziam parte do show. Ele dizia que as janelas quebravam por causa do barulho das explosões (não vi lançamento de bombas ou foguetes) mas que a maioria dos moradores, na véspera, protegiam as janelas com fitas adesivas. Também contava que muita gente esperava ansiosa o fim do show para recolher os peixes mortos. Quem viveu essa época foi muito feliz.

Luiz Trindade
Luiz Trindade
1 ano atrás

Show de bola… Um país mais calmo, havia mais respeito as autoridades, um Rio de Janeiro livre de favelas que enfeiam hoje o respectivo estado. E um show aéreo maravilhoso. Tempos que não voltam mais.

kornet
kornet
1 ano atrás

Tem uma parte do vídeo 2min e 30 segue que há uma formação de 64 aeronaves da FAB.
Acho que na atualidade só com os deslocamentos monstros, pode ríamos algo um pouco parecido.

Gustavo Adolfo Franco Ferreira
Gustavo Adolfo Franco Ferreira
Reply to  kornet
1 ano atrás

De memória: Até 1966 os estagiários da caça voavam nos F-80. Depois que o audaz Giraldi e mais dois que ainda estão vivos, quebraram F-80 em “pupoising”, acabou esta farra. Foi só ai que chegaram os AT-33 antes, só tinha T-33 completamente desarmado.

André De Boni de Caldas
André De Boni de Caldas
1 ano atrás

Interessante observar a presença do brigadeiro Francisco de Assis Correia de Melo, o famoso” Melo Maluco”, entre os presentes, assim como uma autoridade da Força Aérea Argentina. Talvez ajude a localizar no tempo esta informação, pois aquele brigadeiro era o ministro da Aeronáutica por esta época.