Home Aviação de Ataque Canadá aceitará ofertas de novos caças em maio de 2019

Canadá aceitará ofertas de novos caças em maio de 2019

7769
50
Caças CF-18 Hornet do Canadá
Caças CF-18 Hornet do Canadá

O site Defense News noticiou que o Canadá espera aceitar ofertas formais para um novo caça a jato em maio, com a primeira aeronave entregue em 2025, de acordo com autoridades do Canadá.

Um esboço do pacote de propostas para 88 caças foi emitido para as empresas para feedback até o final deste ano, disse Pat Finn, vice-ministro adjunto de material do Departamento de Defesa Nacional. A partir daí, as instruções finais de licitação para a aquisição de CA$ 16 bilhões (US$ 12 bilhões) serão emitidas e as licitações serão solicitadas até maio de 2019, acrescentou.

A aeronave substituirá a frota atual de jatos de caça CF-18 do Canadá. As aeronaves que se espera que sejam consideradas incluem o F-35 da Lockheed Martin, o Eurofighter Typhoon, o Dassault Rafale, o Gripen da Saab e o Boeing Super Hornet.

O governo canadense exigirá um pacote robusto de benefícios industriais garantidos ou compensações do vencedor, disseram autoridades do governo. Mas isso pode ser um problema para o F-35, já que o Canadá ainda é um parceiro nesse programa, o que não garante contratos entre nações participantes. O trabalho no programa F-35 é baseado no melhor valor e preço.

A participação industrial canadense no programa F-35 alcançou US$ 1 bilhão, com mais de 110 empresas canadenses tendo firmado contratos relacionados ao programa de aeronaves.

Jeff Waring, diretor-geral da política de benefícios industriais do Departamento de Inovação, Ciência e Desenvolvimento Econômico do Canadá, disse que o país vê o programa de jatos de caça como uma “oportunidade única de geração para a economia canadense”.

Mas ele observou que a política de benefícios industriais é flexível. “É uma abordagem orientada para o mercado”, disse ele. “Isso incentiva os fornecedores a fazer investimentos que façam sentido para eles”.

A questão dos benefícios industriais já foi discutida com empresas interessadas em fazer lances no projeto, e essas conversações continuarão à medida que o feedback for recebido sobre o pacote preliminar de propostas, disseram autoridades do governo.

50
Deixe um comentário

avatar
16 Comment threads
34 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
29 Comment authors
Roberto F. SantanaEleazar Moura Jr.Renato de Mello MachadoMaurício Benício de CarvalhoCarlos Alberto Soares Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
ednardo curisco
Visitante
ednardo curisco

super hornet ou F35.

Nos próximos 3 anos o F35 vai msotrar a que veio. Se for bom mesmo como talvez seja, ganha.

Tiago
Visitante
Tiago

Duvido muito que escolham o Super Hornet. Depois do causo Boeing-Bombardier, que fez o governo recuar da decisão já tomada em favor do F/A-18, seria muito estranho eles “desistirem de desistir” dele…

RODRIGO
Visitante

Sou da OTAN, integro o NORAD, participo do programa F-35. Fumei muita maconha e escolhi o Gripen 🙂

Partindo para a seriedade:
“‘ A participação industrial canadense no programa F-35 alcançou US$ 1 bilhão, com mais de 110 empresas canadenses tendo firmado contratos relacionados ao programa de aeronaves.””

Na boa se eu fosse CEO da Dassault, Grupo Eurofighter ou SAAB, nem mandava proposta… Este certame foi criado para aumentar alguma compensação do Canadá no negócio.

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

De fato Rodrigo. Mas talvez essas empresas estejam de olho também em futuros programas. Virar as costas agora pode causar má vontade depois, na hora de vender outros tipos de aeronave. Quem não responder ao pedido de ofertas agora pode não receber um numa futura concorrência em outra categoria.

Rodrigo
Visitante
Rodrigo

Só retórica de fórum minha… com certeza todos têm que participar. Abs!

Agnelo
Visitante
Agnelo

Já ouviu falar em “compor o quadro para dar licitude ao processo” ?

Rodrigo
Visitante
Rodrigo

Acho que você não leu minha resposta ao Clesio. Melhor isto, do que não entender a palavra retórica…

Kemen
Visitante
Kemen

Ha, ha, ha, aposto no F-35 quem quer apostar ?

Victor Filipe
Visitante
Victor Filipe

Justin Trudeau nadou e nadou pra longe do F-35, mas parece que ele não vai ter escolha…

Nilton L Junior
Visitante
Nilton L Junior

Por isso os Europeus estão discutindo uma estrategia de não ficar tão dependente de tecnologia dos EUA.

Rui Chapéu
Visitante
Rui Chapéu

Sempre discutem, quebram o pau, não entram em acordo e voltam pros EUA.

Roberto F. Santana
Membro
Famed Member
Roberto F. Santana

F-35 inevitável.
F-86 nos anos cinquenta, F-104 nos anos sessenta e setenta, F-16 dos anos oitenta até sua despedida que se inicia.Mesmo que antes seja preciso passar por incertezas, dúvidas, suspeitas, desconfianças, nada disso ao final, interessa. O F-35 é mesmo o novo caça da OTAN.
Esse mercado de caças segue um regra geral:
Quem tem dinheiro e pode: F-35.
Quem tem dinheiro e não pode: Rafale, Typhoon e Sukhoi.
Quem pode, tem dinheiro mas não sabe usar esse dinheiro: Gripen.
Quem não pode e não tem dinheiro: JF-17 Thunder e FTC-2000.

Victor Filipe
Visitante
Victor Filipe

Eu ri com uma lagrima nos olhos kkkkk

Rui Chapéu
Visitante
Rui Chapéu

O Gripen custa o mesmo que o F-35 ?

Se for estamos fazendo uma grande CACA.

Mas já falaram aqui que o custo do F-35 é bem maior que o Gripen.

Nunca tive dados e nem sei se algum dia vai aparecer esses dados.

Tiago
Visitante
Tiago

Pra quem tem dinheiro, o Gripen compensa num esquema hi-lo. Coloca eles pra fazer vôos de patrulha, usa pra manter todo mundo afiado e deixa o F-35 pra fazer menos horas de vôo, talvez cumprir missões pra OTAN, mostrar serviço em missões conjuntas, patrulhar alguma região mais preocupante.

É a lógica do Super Tucano no Afeganistão: não tem pq mandar o caça mais caro (ou avião de ataque/CAS no caso do Afeganistão) se um mais barato pode fazer aquele serviço com a mesma eficácia.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

O que é hi-lo?

Tomcat
Visitante
Tomcat

Hahaha! Esse pessoal não aprende! 🙂

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Sério. Gostaria de aprender. É que isso não existe na doutrina básica.

Mr. White
Visitante
Mr. White

High- Low?
Seria isso?
Chama o Mr.M

Gustavo
Visitante
Gustavo

hahahah boa! a gente tem que ouvir cada uma.

Augusto L
Visitante
Augusto L

Amigos mas respeito, o Tiago, não é militar, mas provavelmente sabe que Hi-low, é a estratégia de aquisição de uma aeronave mais capaz e outra mais barata.
Ele só quis exemplificar isso, vcs poderia muito bem explica-lo que Hi-low não é uma doutrina operacional, e falar se o que ele falou de usar uma aeronave mas barata e preservar a mais cara é uma abordagem correta e viável, ao invés de vocês debocharem, se não tem saco pra isso, fica quieto, é melhor do que vir aqui poluir o espaço com deboche.

Nilton L Junior
Visitante
Nilton L Junior

Quem pode, tem dinheiro mas não sabe usar esse dinheiro: Gripen Indiano

Eleazar Moura Jr.
Visitante
Eleazar Moura Jr.

Roberto F. Santana, o amigo quis dizer F-18 ao invés de F-16, certo?

Roberto F. Santana
Visitante
Roberto F. Santana

O F-16 foi o escolhido no ‘Multinational Fighter Programme Group’ que era formado por, Bégilca, Holanda, Dinamarca e Noruega, após isso vieram Grécia, Turquia, Portugal e até mesmo Itália, de maneira provisória. O F-18, na Europa, ganhou na Espanha, e na Suíça e Finlândia considerados neutros. O caça da McDonnell Douglas viria ainda a ser adquirido pelo Canadá e Austrália, entre outros.
Porém o fator importante era a predominância da aeronave no arsenal da USAF, esta, a principal força da OTAN.
Entretanto, seria muito justo a inclusão do F-18, mas para efeito de simplificação do comentário, citei somente o F-16.

Adriano RA
Visitante
Adriano RA

O que o governo canadense quer são noivinhas para acompanhar o casamento com a Lockhead. Não vale a pena gastar tempo com isso…

Ronaldo de souza gonçalves
Visitante
Ronaldo de souza gonçalves

O custo do grispen pode ser maior pois não é só avião que estamos comprando mas a transferência de tecnologia é claro fabricando depois aqui,o f-35 jamais EUA vai vender para o Brasil por mais alinhado a ele que possamos ser.O canada está envolvido com o f-35,os franceses suecos, é UE podem fazer proposta mas já estar definido.Quanto o grispen a hora de võo e das mais em conta e para fab isto conta pois se for outro vão ficar spo no simulador.

Tiago
Visitante
Tiago

Além disso, tem também o fato de que ao contrário do F-35, o Gripen ainda não tem vendas a outros países além de Suécia e Brasil. Essas vendas ajudam a dividir o custo de desenvolvimento e baixa o preço pra todo mundo.

Filipe Prestes
Visitante
Filipe Prestes

De novo esse “Grispen”? Kkkk Já começo a pensar que é proposital. Ronaldo de Souza, não é nada pessoal é apenas zoeira mesmo.

sergio ribamar ferreira
Visitante

Ainda não entendi o porquê “do grispen”? Pela septuagésima quinquagésima sétima vez é Gripen. Com o devido respeito e admiração pelo comentarista.

Flanker
Visitante
Flanker

Cara, não adianta você falar isso. Muitos já falaram o mesmo e ele continua escrevendo errado. Deve ser um abobado que continua escrevendo errado só pra chamar atenção….viu que chama a atenção e acha legal….coitado. Sem falar na falta de vírgulas, acentos, pontos e maiúsculas com que ele escreve. Deve ser mais um analfabeto funcional, como milhares existentes nesse país.

Tomcat
Visitante
Tomcat

A palavra “Grispen” deveria constar na lista do doberman 😉

Sérgio Luís
Visitante
Sérgio Luís

Se os canadenses investiram no “Limitado” F-35 e o SH é de quarta geração então o lógico é o F-35 “Limitado”!
Este F-35 só é satisfatório se levar “penduricalhos ofensivos” sob as asas e aí a furtivamente vai pro ralo! !
Conclusão: Limitado por demais e e eficaz por de menos!
Sugiro um de quarta geração “top” e aguardar um de quinta mais eficaz!

Kemen
Visitante
Kemen

Não acho o F-35 tão superior ao Gripen E/D (nossos Gripen), fora o RCS ele é até inferior em algumas coisas, além do preço exorbitante, do custo operacional. Valeu o convencimento de aliados politicos e da geoestratégia de alguns paises que na realidade optam ou optaram por ele e, alguns paises que participaram no seu desenvolvimento. É um caça inovador, sem dúvida, acho que é a porta para o desenvolvimento de caças com baixisimo RCS e desempenho, para o futuro próximo, com menor preço e custo (custo/beneficio), esse ainda esta devendo.

Filipe Prestes
Visitante
Filipe Prestes

Fiqueu curioso. No que exatamente o F-35 é inferior ao Gripen? De antemão digo que não sou nenhum fan boy. Perguntei mesmo por curiosidade.

Augusto L
Visitante
Augusto L

Em nada!
Só o radar do F-35, conta com capacidade SAR, GTMI, ATR , ISAR contra alvos aéreos, salto de frequência, LPI, capacidade de implantar Malwares em sistemas inimigos, capacidade de Guerra eletrônica através de geração de ruído e capacidades de ESM/MAGE.
Além é claro de ter o alcance de 350 km enquanto o do Gripen é de cerca de 180 km e nem se sabe, pelo menos eu não sei, se falasse seria só suposição, quais são as capacidades desse radar, se tem abertura sintética (SAR), se tem alguma capacidade LPI e etc.

Augusto L
Visitante
Augusto L

Sem contar que o F-35 é VLO, ou seja stealth, tem o DAS, tem 10 sensores de detecção de ondas de radar e outras emissões, o caça que chega mais próximo disso é o Rafale com 4 ou 5 sensores, não me lembro bem, com o SPECTRA. O mesmo, ainda conta com o mais poderoso computador de fusão de sensores em um aparelho militar, e não estou me referindo somente à caças. Kemen, um F-35 é extremamente capaz, mesmo tendo levando menos armamento internamente por causa de todo o seu conjunto. Muita gente fala do Lightening mas só sabe que… Read more »

Marcos Cooper
Visitante
Marcos Cooper

Na boa pessoal,o Gripen,GRIPEN,não é Grispen,Gripes ou algo parecido. Vou com o Rinaldo Nery,o que é hi-lo?
Mais,entendam o projeto é o conceito dos caça aqui mencionados,todos têm sua particularidade,JAS-39 não se compara ao F-35,e sim,este vai levar cargas sob as asas,mas somente quando a força aérea à que serve obtiver o domínio aéreo sobre o campo de batalha. Por último,tem certeza que os EUA não venderiam o Ligthning para o Brasil? Não esqueçam que em 2000/01 foi oferecida a possibilidade ao Brasil de participar do Programa JSF. E nós recusamos…

Marcos Cooper
Visitante
Marcos Cooper

“…e o projeto”. Maldito corretor…

Rocha
Visitante
Rocha

Hi-lo, caça com alto desempenho (high) e custo menor (low). Mas que não se equipara a um caça de altissimo desempenho como é tido o F-35.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

É isso mesmo? Quem inventou esse termo?

Filipe Prestes
Visitante
Filipe Prestes

Qual é a fonte dessa afirmação, abençoado?

Roberto F. Santama
Visitante
Roberto F. Santama

Hi-Low vem da tese desenvolvida pelo Coronel da USAF, John Boyd, Thomas Christie, Franklin Spinney e Pierre Sprey e trata do uso de aeronaves caras e de alta capacidade, porém em número reduzido, operando em associação com um número maior de aeronaves menos sofisticadas e não tão caras.

Roberto F. Santana
Membro
Famed Member
Roberto F. Santana

Existem várias matérias sobre John Boyd aqui no Poder Aéreo, talvez exista algo sobre o “high-low mix” nessas postagens.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Obrigado pelo esclarecimento, Roberto. Vou procurar.

Luiz Trindade
Visitante
Luiz Trindade

“O governo canadense exigirá um pacote robusto de benefícios industriais garantidos ou compensações do vencedor, disseram autoridades do governo.” Então pode esquecer a Lockheed Martin… Nem sei se o Typhoon também aceitaria isso…

Mr. White
Visitante
Mr. White

Ainda não acredito que, Canada pela sua cultura, não ira comprar apenas um tipo de avião caça. Com toda a sua historia, em relação a segurança e doutrinação, acredito que eles irão adquirir um mix, continuando com os novos S.H (ja que são mestres neles e tbm pela confiança em um avião que contenha 2 motores, ja que o clima aqui chegam a -55C em algumas cidades), e algumas unidades do F-35 para elevar a doutrinação dos seus pilotos a um próximo nível, acompanhando seus irmãos da OTAN. O ministro Trudeau não esta fazendo um bom governo aqui, mas mesmo… Read more »

Antunes 1980
Visitante
Antunes 1980

O Canadá já está sob o guarda-chuva dos Estados Unidos, não vejo a necessidade de um caça caro e complexo de se operar.
O Gripen NG é a melhor opção, um caça extremamente capaz de realizar todas as missões e com um custo de operação muito mais baixo que o F-35.

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

SH.

Maurício Benício de Carvalho
Visitante

Não entendo o motivo de falarem tão mal do Gripen NG, um caça moderno e com uma hora de vôo que cabe no nosso bolso. Sem contar que o ponto chave é termos acesso ao código fonte. Dúvido e muito se outros países liberariam. Atrevo a dizer que foi a única decisão acertada de nossa “PresidANTA”

Renato de Mello Machado
Visitante
Renato de Mello Machado

Tudo verdade. A única coisa que acho ruim, não tem nada haver com as qualidades do caça e sim a quantidade comprada.