Home Aviação de Ataque Força Aérea Chinesa treina patrulha sobre ilhas

Força Aérea Chinesa treina patrulha sobre ilhas

3318
26
Força aérea Chinesa
Caças e bombardeiro da Força Aérea Chinesa treinam sobre o mar

FUZHOU  — Uma formação da Força Aérea do Exército de Libertação Popular da China (PLAAF) conduziu patrulhas sobre ilhas durante o treinamento na manhã do dia 26 de abril.

A formação foi composta de caças, aeronaves de alerta e vigilância, e bombardeiros H-6K, que decolaram de vários aeródromos militares.

A formação sobrevoou o Estreito de Miyako e o Canal Bashi, completando uma patrulha de ilhas, o alvo do treinamento.

A Força Aérea realizou uma série de patrulhas sobre ilhas desde 18 de abril, a fim de exercitar e melhorar suas capacidades para salvaguardar a soberania nacional e a integridade territorial.

Através do treinamento de combate real no mar, a preparação para combate da Força Aérea sofreu mudanças históricas, disse o porta-voz da Força Aérea, Shen Jinke, em uma base militar na província de Fujian.

“A PLAAF tem a determinação, a fé e a capacidade de salvaguardar a soberania nacional e a integridade territorial”, disse ele.

Miyako strait map

FONTE: Xinhua

Subscribe
Notify of
guest
26 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
2 anos atrás

Interessante comentar que a foto é de comunicação social. Ninguém “patrulha” em formatura básica, bem os chineses!

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
2 anos atrás

* nem os chineses.

Alex Nogueira
Alex Nogueira
2 anos atrás

Ensaio para a possível tomada das ilhas Senkaku? Ultimamente os chineses estão usando bastante os H-6.

Luciano
Luciano
Reply to  Alex Nogueira
2 anos atrás

Interessante é que ele tem uma boa gama de armamentos antinavio!

Sérgio Luís
Sérgio Luís
2 anos atrás

Off Topic
Israel está atacando a Síria!!

Defensor da Liberdade
Defensor da Liberdade
Reply to  Sérgio Luís
2 anos atrás

Não é novidade… Pobre Síria, deve ser horrível ser atacado por todos os lados e não poder fazer nada.

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
Reply to  Sérgio Luís
2 anos atrás

Parece que foram utilizadas nesse ataque as GBU-39 SDB, que são levadas pelo F-35. Não era você que cobrava a presença do F-35 na Síria Serjão? talvez tenhamos tido a estreia dele em combate.

Sérgio Luis
Sérgio Luis
Reply to  HMS TIRELESS
2 anos atrás

Hms Tireless
Precisamos de provas que o natimorto foi lá!
Outra coisa não foram bombas mas sim misseis!
Continuo aguardando!

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
Reply to  Sérgio Luis
2 anos atrás

Serjão, a mídia não sabe diferenciar mísseis de um SDB. E os destroços fotografados são justamente das GBU-39 SDB, que possuem um alcance de 100km quando lançadas a grande altitude. E como as aeronaves lançadoras não foram detectadas tudo leva a crer que pode ter sido o F-35 o vetor utilizado.

Sérgio Luís
Sérgio Luís
Reply to  HMS TIRELESS
2 anos atrás

Israel tem certeza que o Irã já tem pelo menos 5 dispositivos de 10 kilotons e infelizmente é uma questão de tempo o Hezbollah ter uma dessas!
Preservar o F-35 a essas alturas não faz mais sentido!
Agora o Natimorto chamuscado vai ou racha!
Rsrsrsr

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
Reply to  Sérgio Luís
2 anos atrás

Serjão, Israel teria algo em torno de 100-200 ogivas nucleares, instaladas em MRBMs Jericho, nos Popeye Turbo levados pelos submarinos da Classe Dolphin e compatíveis com os F-15I do esquadrão 69. Nesse cenário se os Aiatolás fizerem algo os israelenses podem transformar Teerã em um aterro radioativo

Alisson Mariano
Alisson Mariano
Reply to  HMS TIRELESS
2 anos atrás

Pq não usaram a Spice 250? Será que não estão integradas ao F-35?

Russian Bear
Russian Bear
2 anos atrás

A construção e ampliação das bases no pacífico não é contra a presença militar americana. As missões de reconhecimento são feitas considerando uma futura invasão. O cerco a Taiwan está sendo feito de forma pontual e muito bem organizada. A China tem no seu planejamento a invasão de Taiwan. E é uma questão de tempo e momento certo para o desfecho.

Alex Nogueira
Alex Nogueira
Reply to  Russian Bear
2 anos atrás

Invadir Taiwan é comprar briga com os EUA, a China só fará isso o dia que tiver força o suficiente para vencer, o que acho, vai demorar uns 10-20 anos se continuar nesse ritmo.

Sérgio Luís
Sérgio Luís
Reply to  Alex Nogueira
2 anos atrás

Alex,
Com todo respeito a sua colocação, mas se houver um conflito militar entre super potenciais nucleares o armamento convencional será apenas simbólico! A média de tempo será de 25 minutos ou até menos! (ICBM) isso sem contar os submarinos nucleares dos EUA que já estão no mar amarelo!

Bosco
Bosco
Reply to  Sérgio Luís
2 anos atrás

Sergio,
Os mísseis SLBM hoje têm alcance intercontinental. Para se protegerem, eles se mantém afastados de zonas quentes. Geralmente ficam em águas de seus próprios países.
Antes, na primeira geração de SLBMs, tanto os submarinos soviéticos quanto os americanos patrulhavam próximos aos países que seriam atacados. Hoje, não mais.

Nonato
Nonato
2 anos atrás

O problema é se os EUA vai realmente entrar numa terceira guerra mundial por causa de uma ilha.
Tem valor simbólico enorme, é um país, mas não deixa de ser uma ilha.
Os EUA deveriam ter passado o rodo na União soviética e na China já em 1945.
Agora a situação está se complicando.
Até a Coreia do Norte se mostra uma ameaça. Queira ou não, existe a possibilidade de lançarem mísseis com ogivas nucleares contra os EUA, coisa que até a Rússia evita…

Ronaldo de souza gonçalves
Ronaldo de souza gonçalves
2 anos atrás

Se houvesse uma guerra nuclear entre china e EUA,a Rússia iria para qual lado,eu acho pouco provável que china invandirá Taiwan,até porque não se tem certeza de uma vitória rápida,taiwan e bem armada,é o povo reagirá em linhas de defesa em profundidade,talvez custe caro essa vitória chinesa.Mas claro que o treinamento em atacar ilhas serviria hipoteticamente para invandir aquela ilha em litigio com o japão,ou o próprio japão,que diga de passagem,ficaria carrissima uma luta contra o japão é esta seguramente o EUA participará ativamente.A China vai continuar a mostrar força ,forçando os países da região podendo ou não a gastar… Read more »

Sérgio Luis
Sérgio Luis
Reply to  Ronaldo de souza gonçalves
2 anos atrás

Acho que a pergunta não seria essa! Em quanto tempo estaremos mortos!

Luiz Trindade
Luiz Trindade
2 anos atrás

Eles estão dando o seguinte recado: As ilhas são nossas e não tomamos ainda porque simplesmente ainda não é do nosso interesse. Aquele jogo de gato e rato que todo mundo conhece que a URSS e EUA fizeram e hoje a Russia e EUA fazem constantemente!

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
2 anos atrás

Nem a China invadirá Taiwan, nem os EUA invadirão a Coréia do Norte. Os jogos de bastidores das grandes potências são desconhecidos por todos nós. Nem um nem outro farão nada sem um acordo prévio. Ninguém vai destruir o planeta. Isso é coisa de filme de Stanley Kubrik. Como chamava mesmo?

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
2 anos atrás

Esse mesmo! Gostava da cena fina, com o caboclo cavalgando o míssil com o chapéu de cowboy.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
2 anos atrás

Final

Sérgio Luís
Sérgio Luís
2 anos atrás

Bosco,
Não sou especialista em submarinos nucleares de ataque mas seria estupidez manter armas como estas próximas de seus países de origem! Não faz sentido isso!! Qual a vantagem de se ter uma arma formidável como esta ancorada em algum Porto!?!?

Wagner
Wagner
Reply to  Sérgio Luís
2 anos atrás

De acordo, Sérgio. Mesmo porque, independente do alcance dos mísseis lançados por submarinos, em caso de primeiro ataque se misseis forem lançados próximos ao litoral inimigo atingiriam alvos importantes (centros de C&C, bases aéreas, navais e centros de comunicação) antes de sequer haver a possibilidade de se esboçar uma reação.