segunda-feira, dezembro 6, 2021

Gripen para o Brasil

Vídeo: Vmu tail strike test do E190-E2

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

No início deste mês, a Embraer realizou um teste para determinar a Vmu da aeronave – velocidade de decolagem mínima. Vmu é a velocidade mínima na qual o E2 pode decolar com segurança.

Este teste sujeita o E2 ao seu máximo ângulo de ataque seguro antes de alcançar o ar. A cauda do E2 entra em contato com a pista e a velocidade do ar é medida exatamente enquanto ele decola.

A Vmu ajuda a determinar as velocidades críticas de decolagem (V1, Vr, V2) e a distância de decolagem. A aeronave de teste demonstrou características de maneabilidade excepcionais em AOAs altos e é extremamente controlável, mesmo em baixas velocidades.

DIVULGAÇÃO: Embraer

- Advertisement -

92 Comments

Subscribe
Notify of
guest
92 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Everton Matheus

Meu SENHOR! Que coisa linda.

MATHEUS

No more comments…orgulho define 🇧🇷🇧🇷 Parabéns Embraer! Todo sucesso do mundo a vocês.

luiz antonio

É muito bom e gratificante ver e saber que a cada projeto a EMBRAER evolui e realiza trabalho sério e profissional. Esse é o lado do Brasil sério que muitos picaretas teimam em destruir através de atitudes senão ilegais, mas no mínimo imorais. Seria muito melhor que resultados assim fosses regras em todas as atividades da nossa sociedade, desde a fabricação de aeronaves até uma prestações de serviço mais simples como um lava-rápido (estão querendo fechar o lava-rapido aliás) Sonho meu!

Clésio Luiz

Interessante esses motores. O fan é tão maior que o compressor que dá para ver do outro lado.
.
A Boing usa “volantes”, a Airbus “joysticks”, a Embraer usa o manche em W invertido do Concorde. Chique todo.

Rinaldo Nery

Esse ensaio é um dos mais perigosos que há,. A aeronave decola quase no pré stall.

MATHEUS

O KC-390 vai fazer este teste também?

Rinaldo Nery

Todo avião faz.

Nonato

Eles já sabem de antemão a velocidade de Stall?
Não entendi esse teste.
Consiste de apenas levantar o nariz o mais rápido e alto possível para determinar a velocidade mínima para decolagem?
Ou eles já estabelecem a velocidade previamente?
Por falar nisso, na sala de análise de dados não vi a engenheira gata.
Esse “controle” em “M” acho estranho.
Parece um velocípede ou brinquedo de criança.
Dou valor a controles mais modernos e robustos.
Acho estranhíssimo o controle dos caças russos.
Parece aquelas alavancas de câmbio de ônibus urbanos da década de 1960…

RicardoFerreomodelismo

“Clésio Luiz 12 de dezembro de 2017 at 16:37 Interessante esses motores. O fan é tão maior que o compressor que dá para ver do outro lado.” . Clésio, esse é o “pulo do gato” desse motor, também chamado de “high-bypass turbofan” (ou motor de alta taxa de derivação em português). Aqui você pode entender melhor o funcionamento dele e as razões dessa configuração: https://en.wikipedia.org/wiki/Turbofan#High-bypass_turbofan . . Outra vantagem dos GTF (geared turbofan) da PW e usados pela Embraer nos E190-E2, E195-E2 e (futuramente) no E175-E2: – ao contrário dos turbofans convencionais onde todos os estágios do motor estão fixados… Read more »

Rui chapéu

E essa velocidade muda conforme o peso de decolagem ou é a mesma velocidade independente do peso?

Rinaldo Nery

Qto mais pesado mais velocidade pra sair do chão.

Rinaldo Nery

Alguém lembra daquele livro sobre princípios de engenharia aeronáutica para iniciantes que aquela engenheira arrogante sugeriu? Gostaria de comprá-lo. Lembro que ela mandou um link.

Rui chapéu

Mas esse teste eles fazem com o avião carregado? Ou fazem vários testes pra ver qual velocidade seria cheio, vazio e médio peso?
Ou somente com uma dessas se consegue os parâmetros de todos pesos?

RicardoFerreomodelismo

“Rinaldo Nery 12 de dezembro de 2017 at 20:09
Alguém lembra daquele livro sobre princípios de engenharia aeronáutica para iniciantes que aquela engenheira arrogante sugeriu? Gostaria de comprá-lo. Lembro que ela mandou um link.”
.
Comandante, aí vai …
https://www.saraiva.com.br/fundamentos-de-engenharia-aeronautica-7-ed-2015-8711586.html

camargoer

Olá Cel. Nery. Encontrei duas referencias
1.Fundamentos de Engenharia Aeronautica de Luiz Eduardo Rodrigues
2.Fundamentos de Engenharia Aeronautica do John Anderson.
Peço desculpas por nao lembrar qual foi a sugestão da engenheira.

camargoer
Rinaldo Nery

Rui, vou chutar: fazem com ele vazio e depois fazem uma extrapolação matemática.
Obrigado, Camargoer. Acho que era o segundo.

Aerococus

Rinaldo Nery 12 de dezembro de 2017 at 16:46
De fato,
É um ensaio muito importante para definir o desempenho de decolagem. Porém bastante arriscado.
Abaixo, o link para o relatório do NTSB sobre o acidente do Gulfstream G650 que, apesar de não ter sido num ensaio de VMU, foi também num ensaio de decolagem nos limites aerodinâmicos da aeronave.

https://www.ntsb.gov/investigations/AccidentReports/Reports/AAR1202.pdf

Rinaldo Nery

Comprei pela Amazon: R$ 128,89. Vou estudar pra engenheira ¨não rir das besteiras dos nossos posts¨. rsrsrsr

Aerococus

Caros,
Para uma detalhada explicação de como fazer a demonstração de VMU, segue o link para a AC25-7C do FAA:

https://www.faa.gov/documentLibrary/media/Advisory_Circular/AC%2025-7C%20.pdf#page35

Não é uma demostração trivial e depende de diversas características da aeronave como, por exemplo, se a aeronave possui ou não limitações geométricas que limitam o ângulo de arfagem na decolagem, se aeronave tem alguma limitação de controle longitudinal (se o máximo ângulo de arfagem é limitado pelo profundor), e por aí vai…

camargoer

Olá Cel.Nery. Legal.
Posso sugerir um livro sensacional (relacionado à evolução)?
“A história de quando éramos peixes” de Neil Shubin. Realmente é muito legal.

Rinaldo Nery

Obrigado pela dica. Vou checar.

Reginaldo

A partir minuto 1:01 do vídeo dá pra ver o que parece ser um KC-390 “pelado” sem motores (seria uma aeronave de produção?), outro KC-390 dentro do hangar, um A-4 skyhawk, um Super Tucano com camuflagem tipo areia e também tem um E-99 no fundo… Surpreende também a grande quantidade de protótipos dos E-Jets, inclusive aparece protótipo de E1 também.

Aerococus

Quanto aos livros, eu particularmente gosto bastante dos livros do Jan Roskam:
1. Airplane Design (Part 1 até 8)
2. Airplane Aerodynamics and Performance
3. Airplane Flight Dynamics and Automatic Flight Controls (vol 1 e 2)

Caerthal

Reginaldo,

Bem notado. Só pode ser o KC-390 PT-ZNF. Note que o estabilizador horizontal foi retirado, assim como os motores e o fairing do trem de pouso. Bota um bom par de meses no estaleiro.

Anderson Graça

No minuto 1:30 ao fundo dois KC390. Um no Hangar, provavelmente o do incidente e um outro na parte externa que me parece não finalizado. Abraços

MATHEUS

Reginaldo, também vi o KC-390 “Pelado” rs creio eu que seja o primeiro destinado a FAB. Talvez, estivessem levando ele pro Hangar de montagem final. Só não vi o A-29 com camuflagem de areia. Não é por nada não, mas as instalações da Embraer são coisa de primeiro mundo. Nem parece ser no Brasil.

Rinaldo Nery

Estive na Cessna, em Wichita, e achei fundo de quintal. Estive em Toulouse, na linha do ATR, e achei fundo de quintal. Não conheci a linha dos AIRBUS.

Aldos

Uma coisa que me deixou curioso porque usam um “esqui” na cauda dele ao invés de uma “rodinha”.

Que da uma impressão que aquilo da uma freada na aeronave na decolagem, fora que deve da uma danificada boa na pista

Reginaldo

MATHEUS, o A-29 aparece por volta do 1:05, dá pra diminuir a velocidade do vídeo pra ficar mais fácil de ver.

Engenheiro Não Muito Gato

Aldos, o “esqui” , conhecido como tail bumper serve justamente pra simular o contato com a fuselagem. Por isso que tem que ser um esqui e não pode ser uma rodinha. Não existe dano significativo na pista e depois de cada passada a pista e a aeronave sofrem inspeção. É bem mais comum haver dano estrutural na aeronave do que na pista. Triste ver aqui comentários no mínimo grosseiros a respeito da colega forista. As informações que ela agregou nos seus posts foram sempre muito valiosos e pertinentes. Para ser detratada dessa forma, só pode ser muita inveja ou despeito… Read more »

Marcos

Aerococus:
Bastante interessante o relatório do acidente do G-650, o qual eu desconhecia. Dá para comentar pelo menos duas coisas:
1) Se fosse aqui, a gritaria seria geral: o avião não presta; os engenheiros da Embraer são incompetentes; a Embraer é incompetente; etc.
2) A pressa em certificar o G-650 levou a empresa a ignorar vários indicativos de que a V2 teria valores maiores do que o calculado. Lamentavelmente perderam-se quatro vidas.

Antonio de Sampaio

Cadê a que mais entende desse assunto aqui no PA?? onde anda a E.G.??? faz uma falta danada na área de comentários, é a única que realmente entende do assunto.

Marcos

Engenheiro Não Muito Gato
Em algum momento talvez tenha faltado um pouco de humildade por parte dela. E talvez ela tenha agido assim por conta dos ataques que sofreu.

Chesterton

Já estive nessas salas de GPX. Lugar muito bom e agradável.

Rinaldo Nery

Antonio, há mais engenheiros aqui: o ¨não muito gato¨, o aerococus, o luiz fernando. Esses que me vêm à mente neste momento. A Débora (se é que é Débora mesmo) era especializada em ensaios, mas não é melhor que os três citados. Todos cursaram engenharia. E podem contribuir nos ensinando muito.

theogatos
Aerococus

Chesterton 12 de dezembro de 2017 at 22:23

Principalmente a de telemetria (que aparece algumas vezes no vídeo)! 😁

Neste vídeo em particular (na telemetria) aparece um engenheiro de ensaios em vôo acompanhado por engenheiros de desenvolvimento das áreas de dinâmica de vôo, leis de controle (FBW) e de desempenho (principal cliente desse ensaio). Todos, sem exceção, excelentes profissionais e agradáveis colegas. Parabéns para a equipe!

theogatos

Depois vi que o Camargoer já tinha recomendado. Foi mal… 😉
.
Sds

Rinaldo Nery

Theo, é esse mesmo. Adquiri pela Amazon. Obrigado.

Nonato

Rinaldo, eu comprei esses dois livros com nomes quase iguais citados por camargoer. O estrangeiro e o de um autor brasileiro. O brasileiro é mais simples. Tem umas partes iniciais legais, depois entra em muita parte técnica mas bem limitada. O estrangeiro é pesado mas tem algumas partes legais, inclusive o primeiro capítulo com a história da aviação numas 50 páginas ou mais mas sem citar Santos Dumont… Acabei não conseguindo algo que unisse de forma objetiva a teoria e a “prática”, isto é, muita informação para leigos inclusive entrando na parte técnica. Mas não me arrependo da compra. Há… Read more »

Nonato

A engenheira gata passou muito mais informações no curto espaço de tempo que esteve entre nós do que qualquer outro engenheiro.
Não desmerecendo ninguém.
Não sei se ela é engenheira nem gata nem muito menos se trabalha na Embraer.
Mas no mínimo deu uma de Ciro Gomes: fala como se entendesse muito (no caso dele, muito gogo e nada que se aproveite).

Aldos

Duvida sanada

Obrigado Engenheiro

MATHEUS

Reginaldo, conseguir ver o A-29 😀 muito bonito por sinal. Nesse vídeo eu também consegui ver aquele ERJ da Polícia Federal. Aparece por volta de 00:52.

JT8D

A engenharia é uma área de conhecimento muito vasta, de modo que o profissional vai se tornar bom mesmo naquilo em que trabalha no seu dia a dia. Daí a importância da participação no blog de pessoas que trabalham na Embraer. Engenheiro eu também sou, mas aprendo muito com os colegas e fiquei muito grato pelas informações compartilhadas pela engenheira de ensaios

Luiz Fernando

Em muitos anos de carreira na área aeroespacial tive e tenho o prazer de conviver com verdadeiras feras em termos de conhecimento de engenharia aeronáutica, mecânica, de automação, e de todas as demais envolvidas na concepção e projeto de aeronaves. Aprendi algumas lições neste tempo de convivência… 1) ninguém sabe tudo, 2) os que sabem mais são aqueles que tem a humildade de estar sempre ouvindo e aprendendo, 3) os que dizem abertamente saber tudo… Sabem bem menos do que imaginam saber… 4) o campo das engenharias envolvidas na concepção e desenvolvimento de aeronaves é tão amplo que ninguém sabe… Read more »

Guizmo

Pô, só eu nao sou engenheiro?

Vou mudar meu nick pra: “nem engenheiro, nem gato”

Zarabatana

Que belo vídeo, parabéns a EMBRAER, desejo todo o sucesso do mundo.

Um adendo, observei que vários dos “tradicionais” “foristas” que aqui brandam sobre tal ou qual caça não tem conhecimento minimo sobre o mundo da aeronáutica, e pra vocês deixo esse comentário.

Antes de dar descarga sobre equipamentos aeronáuticos, estudem mais, e quando acharem que sabem algo pra comentar, respirem fundo contem ate deixe, e evitem falacias.

Col. Nery, zero-quatro na frequência !
Aquele abraço grande Guerreiro!

Maurício Siqueira

Sobre os KCs 390 do vídeo, acredito que o pelado estava na montagem, e deu lugar ao PT-ZNF para seus reparos. Se for o caso, é sinal que o PT-ZNF voará novamente.

Tiago Carvalho

Bom dia pessoal,

No minuto 1.03 aparece ao fundo uma fuselagem que aparenta ser do KC-390, mas sem pintura e motores. Alguém sabe dizer se é a fuselagem de um KC-390???
Um abraço a todos.

Últimas Notícias

Finlândia deve escolher jatos F-35 na concorrência de US$ 11 bilhões

A Finlândia deve escolher os caças F-35 da Lockheed Martin Corp. em sua licitação de 10 bilhões de euros...
- Advertisement -
- Advertisement -