segunda-feira, dezembro 6, 2021

Gripen para o Brasil

Embraer KC-390 chega aos Estados Unidos para uma série de testes em voo

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Embraer KC-390

Jacksonville, Flórida, 20 de novembro de 2017 – O novo jato de transporte militar e reabastecimento Embraer KC-390 iniciará uma série de testes em voo nos Estados Unidos como parte de sua campanha de ensaios para certificação. A aeronave deixou o Brasil no último sábado e hoje chegou às instalações da Embraer em Jacksonville, Flórida.

Durante as próximas duas a três semanas, a aeronave realizará testes nos sistemas de aviônicos, de medição de ruído externo e operações com vento cruzado.
“O KC-390 estabelece novos padrões no mercado e a campanha de testes em voo está progredindo extremamente bem, comprovando o desempenho e as capacidades da aeronave”, disse Jackson Schneider, presidente e CEO da Embraer Defense & Security. “Estamos muito satisfeitos com a maturidade que este produto já alcançou e totalmente confiantes de que sua certificação será alcançada conforme previsto”.

O KC-390 é capaz de executar diversas missões, como transporte de carga, lançamento de tropas ou de paraquedistas, reabastecimento aéreo, busca e salvamento, evacuação aeromédica e combate a incêndios, além de apoio a missões humanitárias. A aeronave pode transportar até 26 toneladas de carga a uma velocidade máxima de 470 nós (870 km/h), além de operar em ambientes hostis, inclusive a partir de pistas não preparadas ou danificadas.

Desde o início da campanha de testes em voo, em outubro de 2015, os dois protótipos do KC-390 demonstraram altas taxas de disponibilidade, acumulando mais de 1.450 horas de voo. A Capacidade Operacional Inicial (IOC) deve ser atingida até o final deste ano e a primeira entrega está programada para acontecer em 2018.

Sobre a Embraer Defesa e Segurança
Líder na indústria aeroespacial e de defesa da América Latina, a Embraer Defesa & Segurança oferece uma linha completa de soluções integradas como C4I (Centro de Comando, Controle, Comunicação, Computação e Inteligência), tecnologias de ponta na produção de radares, sistemas avançados de informação e comunicação, sistemas integrados de monitoramento e vigilância de fronteiras, bem como aeronaves militares e de transporte de autoridades. Com crescente presença no mercado global, os produtos da Embraer Defesa & Segurança estão presentes em mais de 60 países.

Sobre a Embraer
Empresa global com sede no Brasil, a Embraer atua nos segmentos de Aviação Comercial, Aviação Executiva, Defesa & Segurança e Aviação Agrícola. A empresa projeta, desenvolve, fabrica e comercializa aeronaves e sistemas, além de fornecer suporte e serviços de pós-venda.

Desde que foi fundada, em 1969, a Embraer já entregou mais de 8 mil aeronaves. Em média, a cada 10 segundos uma aeronave fabricada pela Embraer decola de algum lugar do mundo, transportando anualmente mais de 145 milhões de passageiros.

A Embraer é líder na fabricação de jatos comerciais de até 130 assentos e a principal exportadora de bens de alto valor agregado do Brasil. A empresa mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

DIVULGAÇÃO: Embraer

- Advertisement -

78 Comments

Subscribe
Notify of
guest
78 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Flick

Qual protótipo está lá, o PT-ZNF?
O do incidente que torceu a estrutura ou o Nº 2?

Nonato

Três semanas de teste lá?
Será que querem um pouco de destaque na mídia local?
Talvez algumas vendas?
Vai que os americanos compram alguns…

Flávio Cardia

Flick, ZNJ obviamente

Luiz Fernando

Flick… Torceu a estrutura? De onde tirou isso? Você viu a aeronave? Mediu a aeronave?
Não… Então como pode afirmar?

Everton Matheus

Vale constar que a aeronave que circulou o mundo por mais de 1 mês foi o segundo protótipo(ZNJ), o mesmo que esta nos EUA.

Antonio de Sampaio

Acompanhei esse voo, é possível ver pelas imagens do próprio flight como esse aeroporto é enorme, e tem outros bem próximos, é bom que esteja nas instalações da Embraer de Jacksonville, deve estar sendo admirado pelos funcionários da empresa nos Estados Unidos.
Me parece que o primeiro de série da FAB vai voar ainda este ano.
Duas a três semanas é um bom período de tempo para testes.

camargoer

Olá Colegas. Estava vendo velhas imagens dos Vulcan e Victor da RAF e me dei conta que essa camuflagem da FAB é bem parecida com aquela que os ingleses usavam, inclusive em alguns spitfires da II Guerra. Engraçado como nunca vi ninguém fazer este paralelo.

Rommelqe

No link abaixo, postado pelo prezado Aerococus, pode ser depreendida a quantidade enorme de ensaios aos quais um prototipo deve ser submetido para que possa obter certificação. Muito esclarecedor, contribuindo principalmente para que se tenha ideia de quanto é demorada essa fase. Naturalmente, a maioria fica numa grande ansiedade para ver logo a aeronave ser fabricada e entrando em operação mas é indispensavel que a mesma seja submetida a esse tipo de protocolo de ensaios, seja de um ponto de vista formal seja, principalmente, para ajustar o que for necessario.
https://www.ecfr.gov/cgi-bin/text-idx?tpl=/ecfrbrowse/Title14/14cfr25_main_02.tpl

MATHEUS

Queria ver a cara dos militares da US Air Force quando o KC pousar em Eglin haha.

Rommelqe

So complementando, para um caça como o Gripen imagino que bateria de ensaios seja muito maior. Abs

Aerococus

Rommelqe 20 de novembro de 2017 at 22:27 Olá Rommelqe, De fato, os regulamentos civis garantem a aeronavegabilidade continuada, ou seja, o mínimo para que a aeronave seja segura. Cabe ao fabricante definir os requisitos de desenvolvimento que tornam a aeronave competitiva. Por um outro lado, as especificações militares buscam que a aeronave cumpra as missões para as quais ela é projetada. Nesse aspecto, o regulamento militar vai além do que apenas a aeronavegabilidade. Normalmente, o regulamento militar é mais exigente! Segue o exemplo do regulamento do DoD dos EUA para a especificação de qualidades de vôo de aeronaves militares:… Read more »

Claudio PQDT

Não duvido que o KC-390 será o substituto do C-130 na FAB até pq ele tem todas as capacidades e com louvor para isso mas uma das coisas que até o momento estive me perguntando e não consegui responder a mim mesmo. Como ele será o substituto do “GORDO” na FAB se ainda não fez testes de pouso, permanecia e decolagem na Antártida? Afinal temos que suprir Ferraz e a unica aeronave da FAB até o momento que exerceu esta função foi o C-130!!! E aí como ficamos? Há testes e viagens programadas para o continente gelado? como ele se… Read more »

camargoer

Claudio. Uma coisa de cada vez, né? Os C130 serão desativamos paulatinamente ao chegarem aos seus limites de vôo e a Embraer for entregando os novos KC390. Teremos por algum tempo os dois voando juntos na FAB. Assim como você identificou este problema, provavelmente a FAB também já percebeu isso e eles já devem ter um programa de testes prontos para avaliar o KC390. Primeiro as primeiras coisas, né? Um grande abraço.

camargoer
Jmgboston

Matheus, não creio que os militares americanos ficariam tão admirados assim, mas curiosos. Sei que são aeronaves diferentes mas voce ja viu de perto um C5B Galaxy?

Carlos Alberto Soares

Vento cruzado ?
Este teste ia ser no Chile ou estou enganado ?

Boa campanha de testes nos USA é o que desejo.

Leonardo Andrade

Já que o Camargoer lançou a inédita comparação de camuflagem com o Vulcan… Farei uma observação lúdica para os que queiram desenvolver as potenciais aplicações futuras desse sistema militar multi-emprego. Exercício mental; Se a FAB desenvolveu tem homologado a nossa bomba termobarica acredito que obviamente na ocasião pensando em seu uso eventual nos C-130HM em caso de necessidade… E considerando a superioridade das capacidades do KC-390 tanto em aviónica, capacidade de sobrevivência superior, maior capacidade de carga e o principal velocidade de 850km/h… Temos então nossa força de bombardeios (6 ou 8 unidades com a “bombas mãe” tupiniquins) mais a… Read more »

José Carlos Rodrigues

Interessa qual o avião está nos EUA ? O que importa é que o produto seja bom, confiável, competitivo, boas vendas, alta tecnologia e não seja chamado de adjetivos pela Boeing

Renato B.

Oi Camargoer, excelente questão. Eu me lembrava da camuflagem da RAF usando marrom (dark earth) e verde (dark green). Fiquei até surpreso em encontrar esse cinza e verde. Pelo que entendi, esse segundo esquema foi empregado pelo britânicos no final do conflito quando a situação já estava bem melhor para eles. Inclusive foi um Spitfire que fez o primeiro abate do Dia D. Mas como a maioria dos filmes sobre a RAF fala da batalha da Inglaterra dá para entender porque o marrom e verde ficou na memória. Também fiquei curioso em saber se existe alguma influência do esquema britânico… Read more »

Renato B.

Antes que eu me esqueça, a minha fonte foi o link http://www.fritzthefox.com/british_camo_guide.html

Walfrido Strobel

Camargoer, para quem gosta como eu da camuflagem verde e cinza e quer ver como ficariam um F-16 ou T-50 no Brasil, veja estes da Indonésia que também é um país com muitas florestas.
.comment image
.
. http://www.batamtimes.co/wp-content/uploads/2016/10/Ilustrasi-Pesawat-Tempur-Golden-Eagle-Indonesia.jpg

marlon maia

será que um dia poderemos ter um kc390 armado com misseis e fuzil e outros armamento para sua auto defesa .. vai ter algo assim?????????

Sérgio Luis

Seria realmente ótimo ver a cara dos gringos como foi dito acima, durante o pouso e taxiamento !

Ederson Joner

Ai… Ai…! Tem cada pergunta que é de chorar… KC-390 na Antártica? Deixando a USAF de boa aberta, com “misseis e fuzil”, respiremos fundo por alguns instantes senhores… O KC-390 é o maior programa de engenharia aeronáutica brasileiro, e como não podia ser diferente, vem sendo debatido por anos, assim, para os “novos por aqui”, tem um campo de busca no topo direito da tela, dificilmente não haverá resposta para suas perguntas na matérias já publicadas e amplamente debatidas… Digo isso, pois tem varias perguntas que já foram feitas e respondias dezenas de vezes ok. 😉 No mais, Vamos lá… Read more »

Rinaldo Nery

Marlon, armado com “fuzil”? Defender de quem? Do PCC?

Delfim Sobreira

Desde o Lancaster que não se usa calibre de fuzil para autodefesa.

Mauro Cambuquira

Caraca, eu sou leigo. OK! Mas fuzil? Minha nossa…

carvalho2008

Para você Mestre Leonardo,
.
https://www.youtube.com/watch?v=379X5ovW-dg

Rinaldo Nery

Qual a origem dessa apresentação?

carvalho2008

Montagem minha que as vezes faço para melhor exemplificar algumas ideias.
.
Não se apeguem aos cabides externos pois era apenas um 3d que eu tinha e aproveitei. Não pretendo sugerir que se torne um MPA.
.
Apenas uma forma de kit plug and play de lançamento que consiga aproveitar a real capacidade de carga paga do avião.
.
Não serviria para tudo, mas certamente poderia ser aproveitado em varias missões que a despeito de soluções mais estilosas e puro sangue, voce acaba lançando mão de qualquer forma…então…porque não desenvolver algo neste sentido?
.

carvalho2008

E obviamente a velha licença de composição artistica do conceito não explica ou demonstra toda a adequação de engenharia para o feito.

tomcat3.7

Carvalho2008;
Parabens pela apresentação muito bem feita dentro do propósito de exemplificar uma idéia, a qual achei bem interessante e possível.

MATHEUS

Sobre a camuflagem, acho a camuflagem da FAB a mais feia do mundo. Nossos aviões seriam legais sendo cinza.

carvalho2008

Fiz o conceito do KC-390 + container em 2013/2014. Não liguem e façam de conta que os misseis em cabides não existem, apenas aproveitei um desenho já existente para ilustrar o Drone Container. Para MPA que saiba, a Embraer teria estudado uma versão P-190. . Esta ai é para aproveitar a excelente capacidade de carga total e como poderia operada pela porta traseira…..poderia ser desde algo simples como uma gaveta que se abre expondo a carga total de bombas ( mas teria de ter um modulo para CCIP), ou um Drone Glider Container que siga curso pre programado para lançamento… Read more »

André Bueno

carvalho2008 21 de novembro de 2017 at 15:36

Muito bom. Já havia elogiado sua ideia anteriormente.

MATHEUS 21 de novembro de 2017 at 17:25

Aqui é lugar de “aviões legais”.
https://www.airtattoo.com/airshow

Imagino que a FAB tenha feito considerações técnicas a respeito, não?

José Lemos filho

Cavalho 2008, parabéns pela arte, ficou legal, bacana mesmo, deu pra dar uma sonhada com essa maravilha.

Marcos

PTZNJ fez voo de 2 horas Fort Lauderdale – Fort Lauderdale.

André Bueno

carvalho2008 21 de novembro de 2017 at 17:43

A ideia parece boa por exigir pouca ou nenhuma modificação da aeronave. Exigirá, sim, certificação. Mas, penso eu, possuiria grande poder multiplicador para um ataque, caso as bombas e ou mísseis tivessem alcance suficiente para alcançar os alvos e manter a aeronave lançadora longe de caças e AA.

Rommelqe

Prezado Carvalho2008, mais uma vez parabéns, também me lembro de ter visto trabalho seu anteriormente.
Uma curiosidade: qual CAD voce usou para elaborar os desenhos? AutoCAD, Inventor, Solid Edge, solid Works, Catiá? Abs

MATHEUS

André Bueno.

Não sei, fez? 🤔🤔😱

André Bueno

MATHEUS 21 de novembro de 2017 at 19:44

Considerando que é uma instituição militar altamente profissional, penso que sim. E não creio que ela esteja preocupada com a beleza dessa ou daquela pintura, não é? 😀

Space Jockey

Cara, faça qualquer vídeo, e esse ficou bom, mas tire esse tipo de música, alem de ruim não combina com o tipo de vídeo, isso acontece muito no yt.

MATHEUS

André Bueno.
Se a FAB se interessa ou não pela beleza dessa ou daquela camuflagem não me interessa. Só disse que não acho legal o verde e cinza e isso não muda nada também. Até porque cada um tem seu gosto. Hehe 😀

Jorge Augusto

Pessoal gosta de se esconder atrás do “cada um tem seu gosto/opnião” depois que fala alguma besteira…

Nunão

“camargoer 20 de novembro de 2017 at 22:25 Olá Colegas. Estava vendo velhas imagens dos Vulcan e Victor da RAF e me dei conta que essa camuflagem da FAB é bem parecida com aquela que os ingleses usavam, inclusive em alguns spitfires da II Guerra. Engraçado como nunca vi ninguém fazer este paralelo.” . Boa noite, Camargoer, eu me lembro de já ter feito comparações entre a camuflagem tática da FAB em verde e cinza, várias vezes anos atrás, com um dos padrões da RAF no final da IIGM, que a Luftwaffe também uspu no fim do conflito, e mais… Read more »

Rommelqe

Se imaginarmos uma missao emergencial em que a FAB tivesse que transportar um sistema similar aquele mobilizado pela USAF para tentar resgatar a tripulaçao do sub SJ, seriam necessarios quantos voos de KC-390? Alias, o maior componente caberia no compartimento de carga? Seu peso seria qual?

Rinaldo Nery

Voltando ao tema REVO de helicópteros, a missão está a cargo de um Major, piloto de provas de asas rotativas, e de um Tenente engenheiro de ensaios, ambos do IPEV. Não será o Ten Cel Scarpari, como disse a pseudo ¨gata¨. A missão está sendo preparada desde o início do ano ,mas só deve ser concluída ano que vem. Ambos participaram da primeira fase com os caçadores fazendo REVO, readaptaram no vôo em formação e estão afinando o planejamento.
Será um evento histórico.

Nunão

Ótima informação, Rinaldo.

Rommelqe

Girando novamente ao tema REVO, nos testes ja efetuados, sem e com os caças, o comportamento dinamico das mangueiras foi similar aos resultados obtidos no modelo reduzido? Arrasto produzido na Anv e ondulaçao da(s) mangueira (s)? Durante a fase de extensão e de recolhimento houve alguma posição mais critica, com tendencia, por exemplo, de entrar em ressonancia? Alguem poderia comentar???

Satyricon

Não acho a camuflagem de nossas aeronaves feia, mas acredito que a montagem do F-39 em azul e cinza ficou (BEM) melhor.
Feia (de doer) e a camuflagem dos novos Clanfs da MB, que reluzem como abacates maduros ao sol. E pensar que o esquema de pintura das versões anteriores da MB (verde, marrom e cinza) impunha respeito.
Idéia de algum iluminado…

Últimas Notícias

Finlândia deve escolher jatos F-35 na concorrência de US$ 11 bilhões

A Finlândia deve escolher os caças F-35 da Lockheed Martin Corp. em sua licitação de 10 bilhões de euros...
- Advertisement -
- Advertisement -