Home Conflitos em andamento Dez caças Rafale e Mirage da Força Aérea Francesa destroem alvos do...

Dez caças Rafale e Mirage da Força Aérea Francesa destroem alvos do EI na Síria

5913
38

Rafale taxiando em missao contra o Estado Islamico - foto Min Def Franca

Segundo nota do Ministério da Defesa da França, alvos destruídos representam os principais pilares da estrutura de atentados terroristas do Estado Islâmico. Operação ocorreu dois dias após os ataques a Paris, reivindicados pelo EI, que ocasionaram mais de uma centena de mortos

– 
Em nota divulgada nesta segunda-feira, 16 de novembro, o Ministério da Defesa da França informou os resultados de um ataque realizado por 10 caças da Força Aérea Francesa a alvos do Estado Islâmico (EI) na região de Raqqah, na Síria.

Os ataques foram realizados na noite de 15 de novembro, às 19h50 e às 20h25, destruindo dois alvos de infraestrutura do EI, e envolveram 12 aeronaves, sendo 10 delas caças (6 do tipo Rafale, 2 Mirage 2000D e 2 Mirage 2000N).

Os aviões decolaram a partir de bases na região do Golfo Pérsico (segundo informes anteriores da imprensa francesa, os caças Rafale operam a partir dos Emirados Árabes Unidos) e da Jordânia (onde operam os jatos Mirage 2000) e se reuniram sobre a Síria para atacar dois objetivos identificados em missões de reconhecimentos anteriores.

Mirage empregado em missoes contra o Estado Islamico - foto Min Def Franca

Alvos são considerados pilares do Estado Islâmico – O primeiro alvo, a 6km ao sul de Raqqah, era um posto de comando, centro de recrutamento e depósito de armas, e foi atacado e destruído por uma patrulha de 2 jatos Mirage 2000D. Segundo a nota do ministério, esse objetivo era importante para o Estado Islâmico na organização de ataques à França. O alvo seguinte, a oeste de Raqqah, foi atacado e destruído por uma patrulha de 4 caças Rafale e 2 Mirage 2000D. Ainda segundo a nota, tratava-se de uma infraestrutura industrial utilizada como campo de treinamento de terrorista e de células de recrutamento.

Um aspecto enfatizado pela nota do ministério é que os dois alvos representam os dois principais pilares em que se apoiam os atentados do grupo que também é denominado como Daech: as capacidades de comando e de recrutamento.

Mirage empregado em missoes contra o Estado Islamico - foto 2 Min Def Franca

Participação total do Rafale – Levando em conta que a Força Aérea Francesa divulga um número total de 12 caças (seis Rafale, três Mirage 2000D e três Mirage 2000N) desdobrados para a chamada Operação Chammal, que é a contribuição francesa à luta contra o EI, percebe-se que quase todos os caças disponíveis foram engajados no ataque da noite passada, com destaque para o Rafale, que participou com todos os seis exemplares desdobrados.

Rafale em missao contra o Estado Islamico - foto 2 Min Def Franca

Ataques a campos de petróleo – Em nota divulgada em 12 de novembro, um dia antes dos atentados em Paris, o ministério informou o balanço dos ataques feitos ao longo da semana anterior, em especial onze ataques realizados na região de Sinjar e Ramadi, no Iraque, em apoio a unidades iraquianas no solo. A estes, se somaram 3 ataques a alvos na Síria, que tiveram como alvo campos de petróleo e instalações de distribuição e bombeamento, visando minar a capacidade financeira do Estado Islâmico. Até então, a Operação Chammal somava 285 ataques desde o início das missões, em 19 de setembro de 2014.

Mirage empregado em missoes contra o Estado Islamico - foto 3 Min Def Franca

Atualmente, a Operação Chammal mobiliza cerca de 700 militares franceses na região, e além dos doze caças já mencionados incluem um avião de patrulha marítima Atlantique 2, empregado em missões de reconhecimento. No mar, a fragata antiaérea Cassard, da Marinha Francesa, faz parte da Força Tarefa aliada e, em terra, militares franceses atuam em Bagdá e Erbil na formação e aconselhamento de militares iraquianos.

Rafale taxiando em missao contra o Estado Islamico - foto 2 Min Def Franca

FOTOS (divulgadas em vários boletins sobre a Operação Chammal, estando as mais recentes no alto): Ministério da Defesa da França

38
Deixe um comentário

avatar
35 Comment threads
3 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
17 Comment authors
Rinaldo NeryDelmo AlmeidaMarcelievskyWellington Góeshamadjr Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Marcelo Moraes
Visitante
Marcelo Moraes

Dúvida… A França tem caixa para manter essa pressão?

Delmo Almeida
Visitante
Delmo Almeida

Marcelo, depois desses ataques não vai faltar dinheiro, o próprio Hollande já disse que a austeridade fica pra segundo plano. A MBDA deve estar muito alegre com isso…

O Hollande já tava conduzindo a política externa francesa sem muitas contenções na hora de intervir no exterior, uma péssima política externa, mas ele gosta de soltar bombas…

PS: Esse segundo parágrafo reflete a minha percepção, tenho 7 anos de estudos em Relações Internacionais e tenho me interessado muito pela política externa francesa, por isso tenho essa percepção, mas não sou especialista na área.

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Pergunta, Raqqah não é uma das cidades que os EUA e a coalizão ocidental dizia não possuir integrantes do ISIS?

Jefferson Ferreira da Silva
Visitante

Manter consegue manter mas para ser mais efetivo vai precisar da ajuda dos EUA e da Russia…

Zago
Visitante
Zago

Falem o que for, mas os caças franceses são belíssimos.

Kolchak
Visitante
Kolchak

Dormindo com o inimigo, nao adianta bombardiar a Siria, a França tem 5 milhoes de muçulmanos e a europa esta com a porteira aberta.

Kolchak
Visitante
Kolchak

Dormindo com o inimigo, de nada adianta bombardiar a Siria, a França tem 5 milhoes de muçulmanos e a europa com a porteira aberta virou terra de ninguem.

Rafael
Visitante
Rafael

Delmo pior que a política externa do sarkozi não é kkkkk o hollande faz a coisa certa q é se alinhar ao EUA assim como a Grã Bretanha faz

Ricardo Lima
Visitante
Ricardo Lima

Hollande já cancelou qualquer corte de verbas pane suas forças , parece um país que conheço !!!!

Vader
Visitante
Member

Na segunda foto (MIrage-2000) o míssil é um Matra?

Alexandre Samir Maziz
Visitante

Uma pergunta que não quer calar a França ainda usa os Mirage 2000 , e os nossos foram desativados , será que com manutenção e modernização eles não estariam ainda operacionais na FAB ????

Alexandre Samir Maziz
Visitante

Obrigado pela resposta caro “Nunão” ou seja a FAB fazendo “M” então a compra do Mirage 2000 foi tipo aquela de um carro usado que já não serve para nada nem compensava arrumar , melhor era vender para o ferro velho para virar sucata rsrsr ,

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Formidável esse 2000D. Via-os operando nas Cruzex. Não cansava de admira-los. Na Cruzex 2008 foi a primeira vez que os 2000N operaram em um exercício fora da França.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

A desativação do F-2000 foi uma jogada pra forçar a compra do F-X. Se continuássemos com ele a compra do Gripen não saía.

Alexandre Samir Maziz
Visitante

Concordo contigo “Nunao” , esses “FXS” foram piores que novela mexicana para terminar , dai será que vão cumprir o cronograma e entregar o Gripen em 2019?? nossos F-5 apesar de serem modernizados uma hora vão ter que se aposentar , se o Brasil fosse um país sério em matéria de defesa(ou melhor não e serio quase nada) o velho Mike não seria ainda nosso principal caça da FAB .

Eziquiel Martins
Visitante
Eziquiel Martins

A política externa da França é no mínimo interessante. Agem como superpotência, embora não a sejam. Depois de perderem suas suas colônias na África e oriente médio, passaram a periodicamente lançar operações limitadas na região, cujo resultado prático é atrair a ira jihadista para si. Isso ao mesmo tempo em que 15% (se não engano) da sua população declaram sua fé nos versos recitados por Maomé.

Mauricio R.
Visitante

É isso mesmo o que eu vejo na 3ª foto: Um Mirage 2000 “D” ou “N” tanto faz, carregando uma única LGB e seu designador??? Descontando-se é claro os tradicionais tanques extras “cabeçudos” e os mísseis de auto defesa(???). Caraca o que não fazem a distância do alvo, as rotas de ingresso e evasão e o clima geral da região, c/ a capacidade de carga de um ac de interdição. PS: Avião feio, horrível, horroroso, capenga, pato manco, perto dele o Mirage F-1 parece pelo menos p/ mim, assim c/ o devido respeito; a atual 1ª dama da Síria!!! PS1:… Read more »

Vader
Visitante
Member

Eziquiel Martins 17 de novembro de 2015 at 12:10 Pô meu caro, se a França não é uma superpotência, tendo assento permanente e poder de veto no CS da ONU, armas nucleares aos montes capazes de riscar qualquer país do mundo do mapa, submarinos nucleares e um porta-aviões nuclear, tudo com capacidade de levar a guerra a qualquer parte do globo terrestre, caraca, fico me perguntando quem seria superpotência (além dos EUA, evidentemente)… A França, e sou o último a gostar de ter de admitir isso, é uma superpotência SIM! Aliás, se pararmos para pensar em termos de capacidade de… Read more »

Vader
Visitante
Member

Alexandre e Nunão, só pra pontuar algumas coisas: 1. Quem fez caca foi o Lula, que ao assumir em 2001 extinguiu o FX “pra ter dinheiro para o Fome Zero”. 2. Até ali o processo havia acabado de ser concluído pela FAB, e o governo FHC fez o correto e o ético em ter deixado a decisão para o próximo presidente, que seria no final quem pagaria a conta. 3. Pra completar a caca, ao invés de se adquirir tampões mais ou menos modernizados, o governo do PT adquiriu via “leasing” as velharias M-2000-C, bem piores do que os M-2000-5… Read more »

Vader
Visitante
Member

É isso Nunão, 2003 e não 2001. Obrigado. Discordo quanto ao FHC, porque tão certo quanto 2+2=4 a escolha por ele seria utilizada pelo PT na eleição. Infelizmente a coisa ficou em cima demais para o FHC. Talvez a FAB de fato devesse ter dado início às gestões antes. Infelizmente num caso como esses “timing” é tudo. Ainda, conforme vc apontou, há uma grande diferença entre um atraso de 6 meses e um de 11 anos. Mas enfim… De resto estamos de acordo, inclusive quanto ao F-16 e, na sequência, Gripen C/D. Mas ainda assim seria menor pior o Mirage-2000-5… Read more »

Alexandre Samir Maziz
Visitante

Meus caros “Vader” e “Nunão” o negócio agora e gente esperar para ver vai ser cumprido o prazo de entrega de caças em 2019 , e rezar para não ter nosso espaço aéreo invadido ate lá rsrsrrs ….

Eziquiel Martins
Visitante
Eziquiel Martins

Caro Vader. Certamente a França é uma potência nuclear, mas não uma superpotência. Mesmo que tenha passado a guerra fria tentando vender a ideia de que era uma terceira via à polarização USAxURSS, nunca conseguiu. E sim, hoje a única superpotência é os Estados Unidos. Embora exista a possibilidade de ameaça chinesa (espero que não), mas para o futuro.

Joaquim
Visitante
Joaquim

Senhores,irei adquirir os 36 gripens NG, logo também irei junto ao U.S solicitar a venda de 24 S.Hornets ….com todo arsenal incluído OK.Votem em mim para presidente. 🙂

hamadjr
Visitante
hamadjr

O THC e Luiz 51 não decidiram pela compra porque para por abordagem diferente sobre o tema, o primeiro porque entende que forças armadas ao melhor estilo liberal é cara e ineficiente e obsoleta podendo ser substituída por F.A. menor, uma Policia Nacional o segundo por que não sabe o que é Defesa Nacional e por isso não tem a menor ideia do que é investir em uma F.A moderna, e atual então mandataria só decidiu pela compra para jogar na vidraça dos bicudos e do narizudo que ela foi quem resolveu a enrolação do programa F-X, mas também não… Read more »

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Isso é a bosta de subordinação ao poder civil… Paciência. Vocês não imaginam o que é ter que ir à Secretaria do Tesouro Nacional apresentar um projeto qualquer da COPAC prum bando de garotos do terceiro escalão, a fim de aprovarem a liberação dos recursos. E tome sabatina.

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Nunão e Vader, a mim, quem realmente acabou (meio sem querer) por iniciar todo este imbróglio foi o então presidente da Embraer Maurício Botelho, quando na surdina resolveu vender parte das suas ações (cerca de 20%) a um consórcio euro-francês (Airbus, Thales, Safran e Dassault) e assim ofertar a opção do Mirage 2000-5BR. Tivesse ele mantido a empresa ausente disso, o escolhido teria sido o Gripen C/D como estão planejado. Daí, depois disso é que começou o estica-encolhe entre o Lula/Embraer durante o processo eleitoral de 2002, quando então o FHC, se abstendo da decisão, deixou ao Lula a escolha.… Read more »

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Rinaldo, entendo quão complicado é o trânsito no MPlan., em especial pela STN e suas comissões (trabalhei por alguns anos com captação de recursos e operação de crédito internacional), mas o caminho é este mesmo, apesar de achar que há uma concentração exagerada (uma espécie de concentração de super poderes aos ministérios da fazenda e planejamento), que burocratiza demais a administração pública. Das duas uma, ou começamos a dar, através de uma reforma administrativa (que infelizmente não foi tema levantado por nenhuma das principais campanhas de 2014), com mais autonomia aos ministérios (administração direta), podendo assim trabalhar como fazem hoje… Read more »

Marcelievsky
Visitante
Marcelievsky

Tardou em concluir, mas a escolha pelo FX-2 no meu ponto de vista não só tem um viés essencial de projetar poder e soberania da FAB como estratégico para o país em futuras negociações e projetos (acho que os Srs sabem). Fora que não há somente a FAB carente de investimentos, temos o EB com viaturas e armamenro pessoal da época da guerra do Golfo e a Marinha com numa NaE (unica) atracada por um casco rachado

Delmo Almeida
Visitante
Delmo Almeida

Concordo plenamente que a França é a que melhor tem capacidade de projetar poder longe de suas bases depois dos EUA, a maior deficiência ficando com a frota de reabastecimento, mas eles estão longe de ser uma Super Potencia. Gosto muito dos conceitos apresentados por Martin Wight em “A Política do Poder”. Esse livro é delicioso e, embora o mundo não copie e cole os seus conceitos, veja que muitos são totalmente atuais. Rafael, eu discordo em parte. O Sarkozy não foi mestre de nada, mas o Hollande acha que se faz Política Externa e guerra no contexto estudado por… Read more »

Rafael
Visitante
Rafael

Delmo valeu por colocar sua parte não sabia que o hollande tinha feito essas lambanças especialmente no Mali sempre achei que fosse uma questão estratégica de defesa de um governo aliado, também achei abil ele ter conseguido vender os rafales a 3 países e ter escolhido um lado nessa guerra que ta no oriente medio aumentando sua influência nos países sunitas na questão da europa sempre achei que ele era único que aceitava dividir o poder com a Alemanha e não que relaxou na liderança

Delmo Almeida
Visitante
Delmo Almeida

Rafael, sem dúvida o cara tem seus méritos, mas uma parte do sucesso com o Rafale (eu gosto desse avião, principalmente a gestão do projeto considerando a solidão francesa nele) se deu além dos seus méritos. Quanto ao fato de assumir uma posição de liderança contra o ISIS, a minha opinião é de que se deu mais por um cálculo leviano da questão que um cálculo preciso, aproveitou o momento, mas não dou o mérito (falou um bosta que não tem moral nem de jogar pedra no telhado do vizinho). Roberto Santana, não lembro bem de que fato você está… Read more »

Delmo Almeida
Visitante
Delmo Almeida

Ah ta, entendi…

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Wellington, não deixa de ser uma bosta…