terça-feira, dezembro 6, 2022

Gripen para o Brasil

‘HAL assumirá total responsabilidade pelos Rafales’, segundo executivo da empresa

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Comandantes forças aéreas indiana e francesa e Rafale no Garuda V - foto via twitter Dassault

Declaração publicada por jornal indiano foi dada pelo ‘chairman’ da Hindustan Aeronautics Limited, estatal de aviação da Índia que deverá produzir a aeronave sob licença

Nesta sexta-feira, 20 de fevereiro, o jornal indiano “The Indian Express” trouxe importante declaração de T Suvarna Raju ,”chairman” da Hindustan Aeronautics Limited (HAL), estatal indiana de aviação. Segundo o jornal, o executivo afirmou que a HAL está disposta a assumir total responsabilidade pelos caças Rafale que deverá fabricar, caso o contrato com a empresa francesa de defesa Dassault (fabricante original do avião) seja assinado.

Ainda segundo o jornal, a afirmação do executivo é significativa face o contexto de desacordos entre a Índia e a Dassault sobre quem assumiria a garantia pelos caças Rafale. O programa MMRCA (avião de combate multitarefa de porte médio, para aquisição de 126 exemplares, no qual a Dassault foi selecionada para negociações exclusivas) envolve a compra de 18 aeronaves diretamente da Dassault, de “prateleira” ou “prontas para voar” (flyaway condition), sendo as restantes manufaturadas sob licença pela HAL.

Rafale em teste com seis AASM dois Meteor quatro Mica e três tanques de 2000l - foto 5 Dassault

FONTE: The Indian Express (tradução e edição do Poder Aéreo a partir de original em inglês)

FOTOS (em caráter meramente ilustrativo): Dassault

COLABOROU: Sandro

- Advertisement -

11 Comments

Subscribe
Notify of
guest

11 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Kojak

EDITORES:

Já que o assunto é Índia,

http://www.ynetnews.com/articles/0,7340,L-4628083,00.html

Drones, Hélis, Mísseis, etc ….

Sds

Iväny Junior

Bem

Acredito que esse era o principal entrave. A dassault exigia da HAL uma infraestrutura pra manter seu padrão de qualidade, a HAL não queria investir aquele montante todo na linha, e por sua vez queria que a dassault assumisse a garantia das aeronaves. Espero que feche, pois esse contrato salva os deltas franceses “bastardos”, uma escola de engenharia interessante.

Kojak

Muito vago, há contratos e contratos.

A HAL assumir essa tecnologia ?

Inclusive aqueles que não aparecem.

Contrato Caracu !

Iväny Junior

É. Acredito que enfim vão fazer o investimento na linha de montagem e contratar alguns engenheiros da dassault para a produção dos primeiros aviões. Vão ter que assumir o risco se finalmente assinarem o contrato, mas pelo visto, é isso ou compra de prateleira dos Su-30 (li em algum lugar que uma parte dos Su-30 tinha sido montada na india, mas se fosse o caso, não precisaria de uma compra na Sukhoi, e sim uma extensão da licença de construção). Enfim, precisam das aeronaves, os cronogramas estão atrasados e o Tejas não ganha certificação nunca. A propósito, o FC-1 parece… Read more »

Nick

Agora acredito que sai. 🙂

2015 pode ser o ano dos Rafales…

[]’s

Vader

A pergunta é: o governo indiano se dá por satisfeito com a garantia da HAL? Ou ele sabe que bela bomba é essa empresa e não quer correr o risco de ter a maioria da frota composta por Rafales downgraded?

Corsario137

Enfim alguém abriu as pernas e dessa vez foram os indianos.

Uma lástima.

Mauricio R.

É parte do RfP, ao qual os franceses concordaram em atender ao participarem da concorrência MRCA, então terão sim forçosamente que garantir a capacitação da HAL em a partir da ToT, fabricar as células de Le Jaca, nas Índia.
Senta e chora!!!

jairo boppre sobrinho

Vader

Aparentemente a compra do Rafale pelo Egito, mudou a postura da India, concorda?

Mauricio

Com certeza os franceses tem obrigação de capacitar a HAL, se existe TOT no contrato, não há duvidas, mas uma coisa é garantir a capacitação, e outra coisa é garantir o produto final, feito por outra empresa(ou montado em grande parte).

Abs a todos

rommelqe

Prezados, Desde que o almirante Rickover comandou certificação do programa polaris, garantir a qualidade de um produto significa realizar uma série de atividades objetivas. Muito simplificadamente, isto significa receber detalhes do projeto, qualidade de materias primas, e,tc, Com base nestas informações, pode-se preparar um extenso programa de inspeções e ensaios (entre outras atividades) a serem realizadas pelo cliente e confirmar se o produto está conforme. Enfim, no caso garantir que a Hal vá fabricar componentes/ montar Rafales significa que a Dassault deveria liberar aos inspetores indianos não só o seu projeto como também permitir inspeções na França e enviar supervisores… Read more »

Wellington Góes

Como a passionalidade ainda domina alguns debates. Amigos, virem a página, o F-X2 já acabou. O ódio ou o amor porque é o Rafale, ou por ser francês, ainda domina o coração e mente de alguns. Rsrsrs Na minha opinião, o Rafale é, senão o melhor, um dos cabeças como o melhor caça de 4a geração do planeta (essa coisa de 4++++, 4+/-, 4-1/2, etc….. é coisa de marketing), ponto. Um ótimo caça médio que se cumpre ao que se propõe. O resto são pendengas contratuais como aconteceria com qualquer outro projeto envolvendo bilhões de dólares, ainda mais envolvendo negociadores… Read more »

Últimas Notícias

Eve anuncia acordo com a Volatus Infrastructure para apoiar automação de vertiportos

Novo software da Eve Air Mobility ajudará a maximizar a capacidade e a eficiência dos vertiportos da empresa norte-americana MELBOURNE,...
Parceiro

LAAD 2023

- Advertisement -
- Advertisement -