terça-feira, maio 18, 2021

Gripen para o Brasil

Belgas enviam RFI para cinco concorrentes à substituição do F-16

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

F-16 belga - foto 2 via Forças de Defesa da Bélgica

Pedido de informações foi enviado para agências estatais responsáveis pelos programas de cinco caças: F-35, F/A-18 Super Hornet, Rafale, Gripen e Eurofighter Typhoon

 

Segundo reportagem de quarta-feira, 4 de junho, publicada pelo jornal belga Le Vif, o Ministério da Defesa da Bélgica enviou a cinco agências estatais de cinco nações pedidos de informação (RFI – Request for Information) referentes a aviões de combates que poderão substituir os atuais caças F-16 do componente aéreo da defesa do país.

Das cinco agências, duas são dos Estados Unidos, o Joint Program Office (JPO), responsável pelo programa do F-35 Lightning II fabricado pela Lockheed Martin, e o Navy Integrated Program Office (Nipo), do programa F/A-18F Super Hornet da Boeing.

Outras três agências são europeias: a Direction générale de l’Armement (DGA) do Ministério da Defesa Francês, responsável pelo caça Rafale da Dassault, a Swedish Defence and Security Export Agency (FXM), do JAS-39 Gripen da Saab, e o Ministério da Defesa Britânico para o Eurofighter, do consórcio europeu homônimo. As informações foram dadas por um porta-voz da Defesa da Bélgica à agência BELGA.

F-16 belgas - foto 2 via Forças de Defesa da Bélgica

A publicação do RFI é a primeira etapa de um longo processo de aquisição, que prevê o início de entregas de um novo caça a partir de 2023, quando estão programadas as primeiras baixas dos jatos F-16, conforme chegam ao final da vida útil.

FONTE: Le Vif (tradução e edição do Poder Aéreo a partir de original em francês)

FOTOS: Componente Aéreo da Defesa da Bélgica

VEJA TAMBÉM:

- Advertisement -

24 Comments

Subscribe
Notify of
guest
24 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Grievous

Por que o F-16E/F também não entrou no páreo? É o cliente ou o fabricante quem escolhe o modelo a entrar na concorrência?

Nick

Caro Grievous,

Talvez a LM já tenha entendido que não existirá mais F-16 em produção por volta de 2020. Só F-35.

Na minha opinião vai dar F-35 ou Gripen E.

[]’s

Guilherme Poggio

Nick escreveu:

Talvez a LM já tenha entendido que não existirá mais F-16 em produção por volta de 2020. Só F-35.

Bingo!

http://www.aereo.jor.br/2013/12/15/segundo-a-lockheed-producao-do-f-16-vai-ate-2020/

É isso mesmo. Só até 2020. A produção já anda baixa. Na casa de um avião por mês (para quem chegou a produzir 30 por mês)

Edgar

Na torcida para comprarem o “nosso” caça 😀

Grievous

Considerando o que o Nunão disse, se eles quiserem fabricar sob licença, creio que as chances do F-35 diminuem (puro chute).
Eles poderiam levar o SH. Daqui a pouco podem ficar com a linha de produção toda pra eles! Exclusiva. rs

Joker

Eu acho que na onda brochante de “Euro num sei o que” das europas(se der uma analisada na historia é umas das conclusões que se chega, capaz de sair um Eurofighter…

Alfredo Araujo

“Joker 5 de junho de 2014 at 19:44 #
capaz de sair um Eurofighter…”
.
.
Pensei q só eu tinha pensado assim… rs
Com a crise q o bloco enfrenta, o dinheiro não pode sair dali..

Lyw

… Com a crise q o bloco enfrenta, o dinheiro não pode sair dali..

Também acho que a coisa possa estar por aí… Talvez tenhamos uma briga entre os dois delta canards da zona do Euro, os mais caros por sinal!

Mauricio Silva

Olá.

“É isso mesmo. Só até 2020. A produção já anda baixa. Na casa de um avião por mês (para quem chegou a produzir 30 por mês)”.

Acho que estão “matando” o F-16 antes do tempo. O modelo, se “voltasse as origens” poderia ser uma excelente opção para um caça supersônico “pé de boi”. Como é um modelo amortizado, daqui para frente tudo poderia ser lucro. Em fim…
SDS.

Guilherme Poggio

Acho que estão “matando” o F-16 antes do tempo.

Caro Mauricio Silva

O dilema da LM é parecido com o problema da Dassault dez anos atrás. O F-16 pode sim concorrer no mesmo mercado do F-35 em um ambiente totalmente desfavorável à venda de caças.

R. Milk

É isso mesmo, acontece:

“O que pode acontecer é, na resposta ao RFI o fornecedor sugerir outra aeronave, ou algo do gênero.”

Já aconteceu por essas bandas, inclusive…

Iväny Junior

A escolha é bem simples.

Custo-beneficio= Gripen NG;
Melhor absoluto = Eurofighter;
Propaganda enganosa= orquinha.

Grievous

Também acho que o F-16 poderia assumir o nicho pé de boi que está ficando vago no ocidente. Fico imaginando se o F-16 já tivesse saído de linha (falta pouco) e os americanos só tivessem o F-35. Será que venderiam para um país como o Iraque? Dado a instabilidade de alguns países, eles teriam a opção de embargar a venda – deixando de ganhar $$$ – ou correr o risco de acabar tendo que enfrentar seu caça top de linha numa das muitas guerras que se metem. Sem o Mirage 2000 e um F-16 básico, quem não tiver grana pra… Read more »

Grievous

Eu sei Nunão, ainda tem o SH, mas este sairá de linha até antes do F-16, se ninguém mais comprar (o que lamento, pois sou fã avião).
O raciocínio que quis propor era sobre a aposta que está se fazendo no F-35, o velho e batido argumento da cesta única para todos os ovos.
Não seria interessante deixar um de seus atuais aviões para cobrir a lacuna do F-5 e MiG-21? O Um F-16 simplificado seria o ideal e poderia vender bem, até para países bagunçados

Ivan

Nunão,

Comparar Brasil e Iraque?

O F-35A Lightning II foi oferecido para o Brasil, mas o então Ministro da Defesa, Nelson Jobim, recusou:
““Não estou interessado (no F-35), com esse preço, sem transferência de tecnologia e com alto grau de sofisticação, muito acima das nossas necessidades”.

Já o Brigadeiro Saito:
“Bem… O Brasil teria uma capacidade dissuasória maravilhosa…”

Certamente vc lembra:
http://www.aereo.jor.br/2009/12/01/o-dia-em-que-o-ministro-jobim-descartou-o-f-35/

Abç.,
Ivan, o Terrível.

Ivan

Grievous, Vc está alertando para um problema que os fabricantes ocidentais de caça, com exceção talvez da SAAB, insistem em ignorar solenemente. Será que todos os aliados ocidentais terão orçamento suficiente para operar caças de 5ª geração? Será que todas as missões de combate e polícia aérea exigem uma aeronave sofisticada e de alto custo como os novíssimos caças stealth? Uma possibilidade concreta em um futuro não muito distante será os 2 (dois) dos grandes conglomerados de defesa americano apresentarem produtos novos, partindo de plataformas de terceiros, para o mercado de caças leves. Boeing já está mantendo entendimentos com a… Read more »

Ivan

Nem eu… 🙂

R. Milk

Prezado Ivan,

“Não estou interessado (no F-35), com esse preço, sem transferência de tecnologia e com alto grau de sofisticação, muito acima das nossas necessidades”.

Na verdade o F-35 não foi oferecido pela Locheed…

Não me pergunte a fonte, pq não direi…

Reportagens especiais

Embraer KC-390: um avião que carrega o desafio de conquistar muitas bandeiras

Fernando “Nunão” De Martini e Alexandre Galante (matéria publicada originalmente na revista Forças de Defesa nº 14) Na manhã de...
- Advertisement -
- Advertisement -