Home Noticiário Nacional O dia em que o ministro Jobim descartou o F-35

O dia em que o ministro Jobim descartou o F-35

2018
52

Reprodução da matéria sobre a visita do Ministro Jobim e do brigadeiro Saito aos EUA

F-35 protótipo - foto USAF

Eliane Cantanhêde

vinheta-clippingO ministro da Defesa, Nelson Jobim, descartou ontem a compra de equipamentos militares dos Estados Unidos, principalmente os aviões de caça F-35 Joint Strike Fighter, da fábrica Lockheed Martlin, alegando que o país veta a transferência de tecnologia e o custo/benefício não interessa ao Brasil. Cada exemplar custa de US$ 50 milhões a US$ 60 milhões.

Secretário de Defesa Robert M Gates recepciona o Ministro Jobim e o Brigadeiro Saito em um almoço de trabalho no Pentágono dia 20 de Março.
Foto US DoD

“Não estou interessado (no F-35), com esse preço, sem transferência de tecnologia e com alto grau de sofisticação, muito acima das nossas necessidades”, disse o ministro, que passou toda a quarta-feira na base aeronaval de Norfolk, onde assistiu a filmes sobre os caças e visitou um submarino nuclear de ataque USS Scranton.

O projeto de recomposição do esquadrão de caças da FAB (Forca Aérea Brasileira) concentra o foco nos Rafale, da França, e nos Sukhoi, da Rússia. O ministro já visitou os dois países neste ano, e um dos objetivos é adquirir em torno de 30 aviões para substituir o obsoleto esquadrão dos franceses Mirage, cuja primeira leva chegou ao Brasil na década de 1970.

Jobim reconheceu que o F-35 “é impressionante”, um jato de quinta geração mais arrojado que os concorrentes: “Não tem comparação com os Sukhoi e os Rafale”. Mas, segundo ele, o F-35, de ataque, é bom demais para a expectativa brasileira: “Um dos problemas é a incompatibilidade dos aviões com as nossas necessidades”. Dirigindo-se ao comandante da aeronáutica, Juniti Saito, que o acompanhava, Jobim perguntou: “Não é, Saito?” Desconfortável, o brigadeiro foi reticente e pareceu discordar: “Bem… O Brasil teria uma capacidade dissuasória maravilhosa…”

Além do F-35, que tem versões com um ou dois lugares, os americanos expuseram a Jobim e Saito o F-22, um projeto com apoio da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), com participação de nove países. Cada um custa por volta de US$ 180 milhões, mas já há 3.000 encomendas fechadas. Se o F-35 está acima do que o Brasil pode pagar, o F-22 é simplesmente impossível.

FONTE: Folha de São Paulo

NOTA 1: esta matéria foi publicada pelo jornal Folha de São Paulo em 21 de março de 2008. Nesta época o Poder Aéreo ainda não existia.

NOTA 2: eventuais deslizes no texto foram reproduzidos como no original.

52
Deixe um comentário

avatar
49 Comment threads
3 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
17 Comment authors
ThierryBascherarenatohmcasagLuan Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Felipe Cps
Visitante
Active Member
Felipe Cps

Aí eu pergunto: é ou não é de deixar p. da vida quando vem alguns cidadãos e ainda tem a cara de pau de dizer que temos que “pensar grande” e “deixar de lado o complexo de vira-lata”??? Ora, nos foi oferecida a melhor aeronave de combate do mundo, uma aeronave tão à frente de seu tempo que seriam nossos filhos e netos que voariam nela, e qual a desculpinha esfarrapada que o Ministro dá? Que “nós não temos necessidade”(!!!) Depois a FAB que tem “complexo de vira-lata”??? Depois os aficcionados por aviação é que tem “complexo de vira-lata”??? O… Read more »

Wilson "Giordani" de Souza
Visitante
Member
Wilson "Giordani" de Souza

Desculpem-me a pergunta idiota: o F35 custa menos que o F22?

[]s

flaviodepaula
Visitante
flaviodepaula

“Cada exemplar custa de US$ 50 milhões a US$ 60 milhões.”… que paida “Não estou interessado (no F-35), com esse preço, sem transferência de tecnologia e com alto grau de sofisticação,”…Vamos pagar mais caro pelos concorrentes que estao ai, mas com TT, O QUE COM F35 NÃO EXISTE. “Mas, segundo ele, o F-35, de ataque, é bom demais para a expectativa brasileira: “Um dos problemas é a incompatibilidade dos aviões com as nossas necessidades”. Dirigindo-se ao comandante da aeronáutica, Juniti Saito, que o acompanhava, Jobim perguntou: “Não é, Saito?” Desconfortável, o brigadeiro foi reticente e pareceu discordar: “Bem… O Brasil… Read more »

Dalton
Visitante
Member
Dalton

O ultimo paragrafo está estranho… “Além do F-35, que tem versões com um ou dois lugares, os americanos expuseram a Jobim e Saito o F-22, um projeto com apoio da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), com participação de nove países. Cada um custa por volta de US$ 180 milhões, mas já há 3.000 encomendas fechadas. Se o F-35 está acima do que o Brasil pode pagar, o F-22 é simplesmente impossível.” F22 com apoio da OTAN, com participaçao de 9 paises? O F22 é exclusivo dos EUA. Mais de 3000 encomendas fechadas? Este é o caso do F35… Read more »

flaviodepaula
Visitante
flaviodepaula

Lembrando que os “parceiros” americanos mais próximos no desenvolvimeto do F35 estão reclamando da falta de TT(código fonte principalmente). Até Israel teve este problema ao tentar colocar seus próprios códigos no avião.

Rodrigo Marques
Visitante
Rodrigo Marques

De fato, as justificativas do Jobim são constrangedoras para um ministro da defesa de um país que almeja ser uma potência. Ele poderia afirmar que necessitamos de transferência de tecnologia, de prazos de entrega mais rápidos, etc… Quando li esta matéria no Defesanet, eu fiquei com muita raiva, principalmente porque achava na época que 24 F-15 e 24 F-16 seriam mais que suficientes para podermos aguardar na fila a entrega dos F-35. Só que tudo isso de prateleira. Analisando melhor a END, vejo que se conseguirmos dentro de 10 anos construir aqui e sozinhos um RAFALE F3, daremos um salto… Read more »

motta_eiras
Visitante
motta_eiras

Ainda acho o fator preço crucial tal qual a TT. Se o Gripen custa metade do Rafale e 1/3 da operação, compraria 64 un do Gripen ,traria ainda na esteira varios seguidores aumentando a escala de produção já superando assim a do próprio Rafale. Se o F-35 era demais pra nós, 64 Gripen atende com sobra a função dos 36 Rafale. Quanto ao fato de ser projeto faria a Suécia nos fornecer de graça 36 Gripen de sua frota para uso imediato até o inicio de entrega do Gripen NG.

Sds

Ivan
Visitante
Member
Ivan

MOTTA para Ministro da Defesa JÁ!

Abç, amigo.
Ivan.

Francisco AMX
Visitante
Member
Francisco AMX

“Sim custa. O F-35 é uma solução mais em conta. A idéia era ter o F-22 como caça “Hi”, substituindo o F-15 e o F-35 como caça “Lo” substituindo o F-16.”

E o F-18! tanto o C/D como mais tarde o E/F, tavez ficando só o G para representar a vespa!

rijunqueira
Visitante
rijunqueira

Nossa como Jobim fala m@#$% ! Era só explicar sobre a TT.
Abço.

Francisco AMX
Visitante
Member
Francisco AMX

Matéria toda chea de erros! como confiar nisso?!! F-35 por 50milhões? “Além do F-35, que tem versões com um ou dois lugares, os americanos expuseram a Jobim e Saito o F-22, um projeto com apoio da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), com participação de nove países. Cada um custa por volta de US$ 180 milhões, mas já há 3.000 encomendas fechadas. Se o F-35 está acima do que o Brasil pode pagar, o F-22 é simplesmente impossível.” Tudo errado! eles dizem aqui que o F-22 é que teve apoio da OTAN e de 9 países… como assi? que… Read more »

Francisco AMX
Visitante
Member
Francisco AMX

Os parceiros do fabuloso F-35 estão reclamando de não transferência dos CF… imaginem o que não fariam com o preço para nós? e com as “capadas”… mas mesmo assim eu quero! rsrsrsrs

uma pena!

motta_eiras
Visitante
motta_eiras

Ivan,

Agradeço, mas me falta conhecimento técnico na área. Como Engenheiro civil q sou e tendo participado de licitações uma de 5 bi dls, dou minhas opniões leigas para a área. Estou nesse forum como aprendiz.

abç

Ivan
Visitante
Member
Ivan

Motta,

TODOS NÓS SOMOS ESTAMOS AQUI PARA APRENDER.

E não apenas neste fórum…

Grande abç,
deste amigo aprendiz.
Ivan.

Ivan
Visitante
Member
Ivan

Chicão,

Realmente ‘tá’ muito confuso.

A gente sabe o que o autor queria dizer, mas não sei se ele mesmo sabe…

Enfim, não dá nem para puxar uma ‘briguinha’ contigo. He he.

Fica para próxima…

Ivan.

kyosanin
Visitante
kyosanin

PELO AMOR DE DEUS, ALGUM JORNALISTA DE CORAGEM TIRE O SAPATO E JOGUE NO JOBIM!

kyosanin
Visitante
kyosanin

Me exaltei no último comentário, mas nunca ví alguém numa posição de comando com tão pouca intimidade com assuntos estratégicos e com tanta arrogância ao ponto de não ser capaz de perguntar a um especialista, no caso o comandante da FAB. É uma temeridade que este cidadão seja o nosso ministro da defesa.

Hornet
Visitante
Hornet

Da maneira como o Blog colocou a matéria, um tanto quanto matreiramente eu diria, dá a impressão que foi o Jobim que não quis o F-35. Não é bem isso, não. O Fx2 tem como prioridade a TT. E na época, a discussão sobre o F-35, assim como dos outros caças, girava em torno da possíbilidade ou não da TT. Quem descartou o F-35 foi a própria Lockheed Martin, com medo dos eternos boicotes dos EUA: “Programa F-X2 Lockheed não oferece o F-35 ao Brasil para não compartilhar tecnologia José Sergio Osse SÃO PAULO – A gigante da norte-americana de… Read more »

Hornet
Visitante
Hornet

PELO AMOR DE DEUS, ALGUM JORNALISTA DE CORAGEM TIRE O SAPATO E JOGUE NO JOBIM!

O correto seria: tire o sapato e jogue na política dos EUA que sempre restringe TT.

abraços

Francisco AMX
Visitante
Member
Francisco AMX

gostei Hornet! Sobre o NJ ter desdenhado do F-35 e ter perguntado ao Saito, se este fosse mais esperto teria confirmado! teria dito é o melhor, mas não estamos com planos neste sentido! mesmo que tivesse, pois se a LM pudesse vender, tendo o aval da casa branca e soubesse que o comandante da FAB e o MD estão loco para ter um F-35, as coisas não seriam tão fáceis na negociação… acho que o Saito não tem a expertise do NJ… nem de longe! rsrsrs – não seria este um prisma? já que é para especular, criar linhas de… Read more »

Luan
Visitante
Member
Luan

Se por um lado é bom entrarmos de vez na 5° geração por outro é dificil opera-lo,todos sabem dos custos,e eu bato muito nesta tecla!

Que engordem o porquinho da FAB,ai sim,compraremos Rafale,F-35,F-15,Typhoon.

Do contrario nada ja é muito.

Outra coisa é querer TT assim tão facil.Se participassemos do projeto com uma boa quantidade investida e com acordos de off-set e nossas empresas no meio sim.

Uma é dar de bonzinho,outra é dar de estupido.Uns se fazem de bonzinhos…e nós estupidos caimos 🙂

abraços.

Hornet
Visitante
Hornet

Chicão,

vai saber como o Saito falou de fato, ou em que contexto ele disse o que disse!

Já cansei de ver os jornais cortarem deliberadamente (editarem) a fala do entrevistado e só publicarem trechos, desconectados ou não do contexto,

É difícil sabermos.

De qualquer modo, não é bem como a manchete que o Blog criou diz. Essa manchete é deslocada e sem sentido.

abração

Hornet
Visitante
Hornet

Poggio,

não foi o Jobim que decidiu retirar o F-35. Foi a norma do FX2 que exige TT.

A Lockheed Martin poderia oferecê-lo se quisesse. Não o fez. Ficou com medo que os EUA boicotassem (ou criassem problema) para a TT.

E a norma de TT é de muiito antes de agosto, ela é do início do FX2. Em agosto já tínhamos os 6 concorrentes definidos, com o F-16 e não com o F-35 disputando pela LM.

abraços

casag
Visitante
casag

Num post de sábado 28/11 – ” Austrália vai receber primeiro lote de F-35″, ficamos sabendo que precisarão 3,2 Bilhões de dólares para 14 (catorze) aviões.

Bom é possivel que com os primeiros precisem vir equipamentos que terão de ser pagos e que, depois, servirão aos outros.

Mas, o fato, é que nesta primeira compra cada F-35 está saindo pela bagatela de 228 milhões de dólares.

Será que valem 4 SH ou 3 Rafales? Será que, no momento, é prá nós?

Hornet
Visitante
Hornet

Poggio, apenas para deixar clara minha posição: “02/07/2008 – Importante – Em nota oficial a Comissão Gerencial do Projeto FX-2 informa que pretende definir em breve o caça padrão para a FAB, que deverá iniciar sua operação no Brasil em 2015 e para tanto seis empresas foram pré-selecionadas e receberam solicitação para apresentarem informações (Request For Information – RFI): as norte-americanas Boeing (F/A-18 E/F Super Hornet) e Lockheed Martin (F-35 Lightning II); a francesa Dassault (Rafale); a russa Rosoboronexport (Sukhoi SU-35); a sueca Saab (Gripen); e o consórcio europeu Eurofighter (Typhoon). O processo de escolha da aeronave vencedora levará em… Read more »

Francisco AMX
Visitante
Member
Francisco AMX

Bom argumento Hornet!

Francisco AMX
Visitante
Member
Francisco AMX

“Minha opinião é de que, comercialmente, o F-16 estava mais próximo dos outros candidatos.”

Concordo Poggio!

casag
Visitante
casag

Poggio,

Êles não estão liberando as fontes do F-35 nem para o Canadá que é a mesma coisa que êles, nem para a Inglaterra que é a “mãe” deles…

Luan
Visitante
Member
Luan

Que fique claro que o Brasil não quer somente as “fontes” ou sistemas mais senciveis.

[]’s

Hornet
Visitante
Hornet

Poggio meu caro, é como eu disse acima: a LM não quis arriscar. Quem tomou a decisão prematura (se houve) foi a LM. Eu não tenho nada que ver com isso. Explica isso para a LM um dia. Diga para os diretores da LM: mas vc foram burros mesmos, hein?! Olha a Boeing transferindo tudo sem restrição para o Brasil, vcs poderiam ter feito o mesmo com o F-35 que o governo dos EUA não iriam se opor de forma alguma!…hehehe Se a LM quisesse poderia ter mantido o F-35 no FX2. Mas como o quesito TT é fundamental, e… Read more »

casag
Visitante
casag

Luan,

Digo as fontes pois são o mínimo para se poder cogitar o uso de outras armas que não as que os EUA liberarem.

Será que alguém na FAB acha bom negócio matar nossa indústria de mísseis, por exemplo? Ou será que viveríamos de exportações de nossos mísseis exaustivamente testados nos F-5’s?

Luan
Visitante
Member
Luan

Claro que não Casag,como disse um tecnico da FAB,o que importa é isso,avião agente sabe fazer rs. Mas “Codigo fonte é uma coisa muito complexa,mexer com ele não é só integrar misseis no inventario do avião.Por óbvio que um país grande como os EUA tenha um elevado nivel de protecionismo.O que poucos aqui entendem e dexam a intender que os americanos são “maus” nesse quesito.E ainda mais procionistas por parte de alguns governantes republicanos,o que dificulta ainda mais essa negociação.Mas como o Poggio disse,não demos tempo ao governo americano para provar isso com o F-35,e que esta acontencendo hj com… Read more »

casag
Visitante
casag

Luan,

Convenhamos que ToT limitada do SH é uma coisa, tá no fim de carreira.

Mas, do principal avião deles pelos próximos 30 ou 40 anos?

Será que abririam alguma coisa? Para nós? Até para os que investiram na máquima, como os ingleses imagine, êles estão com um pé atrás.

Não dá prá ser ingênuo quando se compra a mercadoria mais cara que existe, as armas.

Sds.

Hornet
Visitante
Hornet

E apenas para ratificar a minha posição – de que não foi o Jobim que excluiu o F-35, mas sim a própria LM diante da impossibilidade de realizar TT. Em abril deste ano, a LM apostava na crise mundial para que o FX2 virasse um compra de prateleira, e assim pudesse voltar a oferecer o F-35: “Ter, 14 de Abril de 2009 13:57 A atual conjuntura econômica mundial poderá obrigar a Força Aérea Brasileira a redefinir e postergar a decisão final do Projeto FX-2, afirmou Ron Covais, presidente da Lockheed Martin para o mercado do continente americano, durante uma entrevista… Read more »

renatohm
Visitante
renatohm

Fora o preço, que nunca foi em torno de 50-60 milhões de dólares. Mais realista é quase 200 milhões de dólares HOJE, sabe Deus quanto vai custar quando e se finalmente entrar em operação. Por esse preço, até eu que sou burro compraria o F-22, que já está em ação. Quanto a TT, eu receberia de bom grado 12-24 F-22 (mesmo sem nenhuma TT) que, junto com os R-99, tornariam a FAB simplesmente imbatível. Nem mesmo os Sukhois ou os F-16 teriam qualquer chance.

Hornet
Visitante
Hornet

ops! acho que o assunto se encerra aqui. Eu creio.

faltou o “eu creio”…senão fica absolutizante demais, e longe de mim querer ser assim…as coisas estão aí para serem discutidas mesmo.

Ivan
Visitante
Member
Ivan

“…então acho que o assunto se encerra aqui.” Uma forma autoritária de expressar uma opnião, ou seria encerrar uma exposição clara do que é óbvio e todos tem que aceitar. Contudo, tenho uma certa dificuldade de calar. Os fatos podem ter mais de uma interpretação. Pois bem, eu tenho a minha. Toda a argumentação lógica de que a Lockheed Martin errou a mão e apostou na fragilidade da economia está correta, corretíssima. Na verdade ela não tinha outra ficha para jogar, pois os EUA não iria transferir tecnologia sensível do F-35 Lightning II, isto é óbvio, então oferecer o excelente,… Read more »

Ivan
Visitante
Member
Ivan

Tarde demais, Hornet.
A resposta já foi…

Baschera
Visitante
Member
Baschera

Joga pedra na Geni
Joga pedra na Geni
Ela é feita pra apanhar
Ela é boa de cuspir
Ela dá pra qualquer um
Maldita Geni
(Chico Buarque- “Geni e o Zepelim”)

A “Geni” cada um que escolha quem poderia ser…..

Sds.

Ivan
Visitante
Member
Ivan

Baschera,

Foi só citar os poetas gaúchos que lhe despertou a veia poética, tchê?

Sds, Ivan.

Francisco AMX
Visitante
Member
Francisco AMX

Ivan, gostei da forma da sua escrita! 🙂

uma coisa, tem vídeo ou áudio do NJ falando e o Saito se “encolhendo?”

abraços!

Felipe Cps
Visitante
Active Member
Felipe Cps

Parabéns Ivan, disse tudo que eu gostaria de falar mas não tenho mais o menor saco ou paciência pra argumentar. A verdade é que o arrogante do NJ esnobou o F-35 e tem esnobado repetidamente a indústria norte-americana, dentro da linha PeTralho-Bolivariana determinada pela Mulla e seus comparsas.

Abraço e parabéns de novo.

Hornet
Visitante
Hornet

Ivan, concordo com vc. Não acho que o Jobim agiu certo. Mas o que eu estava discutindo era outra coisa. Uma coisa é achar a atitude do Jobim equivocada (eu tampém acho), outra coisa é insinuar que foi essa atitude que brecou (ou tirou) o F-35 do FX2. Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa, como diria o filósofo. Então, eu continuo aqui falando o seguinte: o blog levantou uma lebre que não se sustenta e até diria sem muita razão de ser neste momento. (Que sentido tem essa notícia no contexto atual do FX2? Não entendi?… Read more »

Hornet
Visitante
Hornet

Ivan, Continuando a resposta… Já no caso de dizer “não” aos americanos. Eu não vejo bem assim, do jeito como vc colocou. O que eu vejo é uma estratégia política, ou geopolítica, em andamento que vem de algum tempo. O Brasil não vai dizer “não” aos EUA só por dizer “não”. Não se trata de retaliação, pois isso seria uma bobagem. O que ocorre é que o Brasil já vem elaborando faz um tempo (não começou neste governo, é bom frisar) uma política estratégica de abertura para o mundo e não apenas para parte do mundo. No caso da compra… Read more »

Thierry
Visitante
Thierry

“Se os EUA perderem o FX2 não vai mudar absolutamente nada na relação entre Brasil e EUA.”

yes Hornet Hollywood (often great!)movies,music, entertainment industry,software(Google,etc),hardware, english language(lingua “mondiale”)etc etc will keep on expanding.
A couple of Rafale won’t change anything
Yet,multi-lateralism is the future…a long trend.
Abraçao friend
Thierry

Hornet
Visitante
Hornet

Thierry, perfect! That’s it! Ivan, só pra complementar meu raciocínio anterior. O Brasil vem se desenvolvendo como país cada vez mais e é natural que ao longo deste processo certas amarras sejam quebradas. Podem causar certo estranhamento em alguns, mas é o processo histórico se desenvolvendo (nem sempre temos consciência dele). Se a gente prestar bem a atenção no que ocorreu com a FAB nos últimos 40 e tantos anos, desde a criação da Embraer, foi um processo de nacionalização dos meios constante e cada vez maior. Isso é importante para entendermos o que exatamente a FAB pensa e como… Read more »

Ivan
Visitante
Member
Ivan

Hornet, Estamos chegando a melhor termo no entendimento da questão, o que para mim é ótimo. Sinal de que uma visão acadêmica e uma visão de negócio podem e devem se combinar pela exposição das divergências e convergências. Atrevimento meu colocar-me em condições de debater com o amigo, mas fazer o que, como dizia o filósofo das massas (BBB), “faz parte”. Contudo há pontos que merecem destaque, para não passar uma impressão errada. “o blog levantou uma lebre que não se sustenta e até diria sem muita razão de ser neste momento.” No meu entendimento a administração do Blog Aéreo… Read more »

flaviodepaula
Visitante
flaviodepaula

Ivan

Seus dois últimos comentários foram perfeitos. Parabéns.