sábado, maio 15, 2021

Gripen para o Brasil

USAF reativa esquadrão histórico para voar o F-35 em Luke

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

F-35A sendo reabastecido em voo por sistema de lança - flying boom - foto USAF

O 61º Esquadrão de Caça ‘Top Dogs’ foi o primeiro da então Força Aérea do Exército dos EUA a atingir 100 vitórias na Segunda Guerra Mundial

O famoso 61º Esquadrão de Caça (61st Fighter Squadron), conhecido como “Top Dogs”, foi reativado pela Força Aérea dos EUA (USAF) na Base Aérea de Luke, no Arizona. O esquadrão foi reativado em cerimônia realizada na última sexta-feira (25 de outubro) como a primeira de seis unidades planejadas para treinar pilotos dos caças furtivos F-35 Lightning II em Luke, segundo o portal AZ Central.

Os primeiros caças F-35 do 61º esquadrão deverão ser recebidos em janeiro de 2014 e o número total de 24 jatos destinados à unidade deverá ser atingido em dois anos, com um piloto para cada jato e 200 a 300 pessoas em terra dedicadas a mantê-los. O segundo esquadrão de F-35 da Base Aérea de Luke deverá receber aeronaves no início de 2015 e, no total, a base deverá contar com 144 caças F-35 em seus esquadrões.

A cerimônia marcou a volta dos “Top Dogs” a Luke, onde esteve estacionado entre 1994 e 2010 como unidade de treinamento para pilotos de F-16. Com seus novos jatos F-35, o 61º esquadrão deverá inicialmente dedicar-se ao treinamento de instrutores e de pilotos de teste. A USAF vem transferindo aviadores experientes de esquadrões operacionais, equipados com F-15, F-16 e até A-10, para formar as primeira levas de pilotos de F-35.

F-35 e F-16 em Eglin - foto 2 USAF

O critério mínimo para iniciar o treinamento no novo jato é ter 750 horas acumuladas em outros caças. Com isso, os aviadores deverão ser certificados no Lightning II após apenas seis voos, o que é ajudado pelo fato de que esses jatos, que podem atingir a velocidade de Mach 1.6, são bastante fáceis de pilotar. “A aeronave é, de longe, a mais fácil de pousar que eu já voei”, disse o coronel Michael “Jeb” Ebner, o comandante do esquadrão. Ebner já voou o F-35 em aproximadamente 70 missões nos últimos 14 meses.

Por volta de 2015, os instrutores já treinados e certificados no F-35 deverão iniciar a instrução de pilotos que voarão o caça em unidades de combate, tão rápido quanto o fabricante Lockheed Martin produzir os jatos.

História do 61st Fighter Squadron

O esquadrão foi ativado em 1941 e, inicialmente, estava estacionado na Costa Leste dos EUA. Em 1943, a unidade reuniu-se às forças aliadas na Inglaterra e, no ano seguinte, foi reconhecido como o primeiro esquadrão de caça da então USAAF (Força Aérea do Exército dos Estados Unidos) no Teatro do Operações Europeu da Segunda Guerra Mundial a atingir 100 vitórias aéreas, de acordo com os documentos históricos da Base Aérea de Luke.

Entre 1943 e 1945, o esquadrão produziu 19 ases  (mínimo de cinco vitórias cada um). Os pilotos do “Top Dogs” acumularam 248 aviões inimigos abatidos e mais de 60 destruídos no solo, de acordo com os registros. Desde o final da Segunda Guerra Mundial, a Força Aérea desativou o 61º quatro vezes. Porém, a cada vez, a unidade foi logo desativada para voar a geração seguinte de aeronaves.

FONTE: AZ Central (tradução e edição do Poder Aéreo a partir de original em inglês)

FOTOS: USAF

VEJA TAMBÉM:

- Advertisement -
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Reportagens especiais

Poder Aéreo visita o ‘The National WWII Museum’ em New Orleans

Nova Orleans, cidade no estado americano de Lousiana, foi o lar do historiador e autor Stephen Ambrose, que escreveu...
- Advertisement -
- Advertisement -