Home Espaço Operação Falcão II. Mais um foguete lançado em Alcântara

Operação Falcão II. Mais um foguete lançado em Alcântara

266
21

Foguete foi lançado às 14h51 e atingiu 32 mil metros de altitude.
CLA deve lançar, ainda em 2013, o foguete de sondagem VS-30.

 

lançamento ontem de um Foguete de Treinamento Básico FTB

O foguete foi lançado às 14h51 e atingiu 32 metros (sic) de altitude. Com três metros de comprimento e 68 quilos, um dos menores já lançados em Alcântara, ficou visível por apenas alguns segundos e caiu no Atlântico a 16 quilômetros da plataforma.

Durante o tempo que permaneceu no espaço, 167 segundos, os técnicos aproveitaram para verificar sistemas e equipamentos empregados nas operações de lançamento. Radares, antenas e sistemas de computadores, já pensando no VLS (Veículo de Lançamento de Satélites), o veículo com a missão de colocar em órbita o satélite fabricado com tecnologia nacional, na base brasileira, no ano que vem.

O Centro de Alcântara deve lançar, ainda neste ano, o VS-30, um foguete de médio porte, de sondagem, capaz de fazer experimentos científicos no espaço.

FONTE:
G1

NOTA DO EDITOR: o foguete atingiu 32 mil metros de altitude.

21 COMMENTS

  1. “atingiu 32 metros (sic) de altitude.” E, pouco depois, “Durante o tempo que permaneceu no espaço, 167 segundos”. Alguem pode esplicar? Como assim? Talvez quizeram dizer 32000 metros???

  2. Como é bom ver um projeto “dando certo”, trate-se de uma tecnlogia essencial, e que deveria-mos deter a decadas.
    Mas mesmo assim, parabéns aos envolvidos.

  3. Enquanto isso, na Índia:

    “A Índia começou a montagem do Polar Satellite Launch Vehicle (PSLV) que vai lançar o primeiro país orbitador de Marte no final deste ano, de acordo com um cientista sênior responsável da missão.” (Aviation Week)

    Pois é, caros cumpanheros, me parece que aqui alguma coisa vai mal.

  4. joão.filho

    não efetuei a correção. foi o tradutor.

    Seria: A Índia vai lançar o seu primeiro satélite para orbitar Marte no final deste ano …

  5. Em 1965, portanto há quase meio século, o Sonda-I, um foguete brasileiro com apogeu duas vezes maior que este da noticia (70km), era lançado pela primeira vez.

    Este tipo de foguete pouco ou nada trás de aprendizado tecnológico e mesmo seus resultados científicos são mínimos. Vez por outra acontece este tipo de lançamento em Alcântara para manter o pessoal com o minimo de adestramento.

    Lembrando também que daqui a menos de duas semanas, fazem exatos 10 anos que aconteceu o acidente com o VLS. Há uma década não temos um mísero foguete lançador na plataforma em contagem regressiva.

    Entre 1993 e 2003 foram 3 foguetes e 6 satélites prontos para lançamento é só comparar com os resultados desta ultima década e formar as suas conclusões sobre a quantas anda o programa espacial.

  6. Nego comemorando o lançamento de um foguetinho sem importância nenhuma….. e de apogeu de “32.000 metros”….

    KKKKKKKKK…..

    Só em Puthânfia mesmo…..

    Sds.

  7. Eu preciso parar de ler os comentários, em todos os posts sempre tem comentários destruindo nossos projetos, falando de “Puthânfia” e mandar dinheiro pro espaço, eu sei que em nosso país nada é levado a sério e o dinheiro vai pelo ralo mesmo, mas como engenheiro mecatrônico eu sei como estes projetos são difíceis ainda mais que o dinheiro gasto NÃO chega onde deveria, os americanos chegaram na lua em uma década? Sim, mas veja quanto custou e olha que lá o dinheiro não é tão desviado como aqui, o mesmo para o primeiro sub nuclear deles, eu acho que vocês precisam ter um pouco de consideração com nossos cientistas e engenheiros e não ficar zoando tanto falando em Foguetobrás pois eu acho que eles fazem é muito com as condições de trabalho que eles recebem.

  8. Foguetinho??? Primeiro dizem que não sabemos fazer, e ai quando começamos, caem de pau em cima das pessoas que tem competências para ao menos tentar!
    Não da para começar por cima.
    TOT dizem que é besteira, mas quando as tentativas de tecnologias próprias começam, dizem que é besteira também?
    Povo difícil!

  9. Amigos, informem-se melhor sobre este dito Projeto Espacial Brasileiro…. pesquisem, como foi dito acima, sobre os foguetes Sonda I, Sonda II e Sonda III….

    Informem-se sobre o quanto $$$$ já foi “torrado” neste projeto…. quantos foguetes já lançamos…. pesquisem sobre a “mega-base de Alcântara”….

    Por favor comparem com projetos que iniciaram décadas depois, como o da Índia, do Irã, entre outros e comparem com o estágio do projeto chinês…. e se acharem muito…comparem com o projeto argentino também….. e seu foguete Condor II, infelizmente também solapado.

    Leiam sobre a “evolução” do projeto brasileiro…. e sobre as interferências politicas nestes últimos 20 anos…. sobre o palavrório havido que cada ano promete mundos e fundos e sempre fica nisto que vc leram na matéria acima !

    Depois me venham criticar !!

    Sds.

  10. Senhores:

    Não se trata de descrédito em relação aos engenheiros e as restrições orçamentárias, muitas delas verdadeiras. Trata-se de traçar metas, ter prioridades, ser eficiente.

    Querem um trem bala unindo Rio e SP. Dai temos um projeto mal feito, com custos claramente sub orçados, interferência política, falta de prioridades. Se lançado, no ano seguinte, vão restringir orçamento e assim vai. Ou não vai.

    Querem lançar um foguete! Sabemos que perdemos pessoal altamente capacitado naquele lamentável acidente. Mas há outros. Sempre surgem outros. Dai entram “interesses” na coisa toda. Aparecem as empreiteiras querendo fazer obras e por ai vai. E fica a culpa nos gringos que querem impedir o Brasil Potência. Se assim fosse, teriam feito o mesmo com os indianos.

    Peguem o caso do FX: tínhamos o FX-1 que alguém achou que aquilo não estava bom (talvez não estivesse) e fez outro, maior, grande, do tipos Brasil Potência, mas em dez anos não decidiram nada. Vejam bem, não tiveram capacidade de de-ci-dir.

    É por isso que somos apenas uma Putanphia.

  11. Queremos um programa espacial?

    Ótimo!

    Iniciemos em determinar o custo real disso e o prazo para execução, levando em consideração imprevistos.

    Poderá haver contingenciamento de recursos? Poderá! Mas deverá ter compensações disso no prazo seguinte. Cortar recursos hoje, significa que você terá de colocar no orçamento futuro o que você cortou hoje e mais um pouco para compensar os atrasos do corte de hoje.

    Mais importante de tudo: retire do programa fatores ideológicos e influência política. Mantenha pessoas honestas e competentes.

    Pronto! Essa é a receita do sucesso.

    —–

    Um retrato da realidade: qual a primeira coisa que foi paga no Pró-Sub? Uma multa para os franceses por atraso no pagamento da primeira parcela do submarino francês. Ou seja, a coisa começou mal.

  12. Ou seja, vou continuar chamando isso aqui de :

    Putânphia! Putanphia! Putânphia! Putanphia! Putânphia! Putanphia! Putânphia! Putanphia! Putânphia! Putanphia! Putânphia! Putanphia!

  13. Esse lançamento, para o atual estágio do conhecimento técnico de nossos engenheiros, equivale à um engenheiros em genética ficar colocando semente de feijão em copinho com água. Que foi o que fizemos quando mandamos nosso primeiro astronauta ao espaço.

  14. Marcos, vc esta corretíssimo em todos os seus comentários, o pessoal é iludido com sonhos de grandeza e reclama de quem não o é.

  15. Dentro de 3 minutos vou assistir uma matéria sobre o Programa Espacial Brasileiro no Fantástico da rede Plim-Plim….. vamos ver o que vão dizer e mostrar…..

    Sds.

  16. De concreto mesmo… só a ação judicial que o Ministério da Fazenda deste desgoverno está movendo contra as famílias dos que pereceram no acidente do VLS, dez anos atrás.

    Estão questionando na justiça querendo diminuir os valores mensais pagos as famílias dos que pereceram…..

    Coisa de gente sem respeito…. de canalha !

    Sds.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here