Home Manutenção Um a um, caças Mirage 2000 da Índia voltam a voar

Um a um, caças Mirage 2000 da Índia voltam a voar

229
0

Segundo o jornal indiano Hindustan Times, a frota de caças de linha de frente Mirage 2000 da Força Aérea Indiana (IAF), que foi temporariamente proibida de voar após a queda de duas aeronaves em fevereiro e março, começou a realizar surtidas operacionais após uma investigação detalhada de seus sistemas e componentes.

O porta-voz da IAF, comandante de ala Gerard Galway, disse na última sexta-feira que “as aeronaves Mirage 2000 estão sendo progressivamente checadas e liberadas para voo uma a uma”. Segundo fontes do jornal, as aeronaves foram liberadas para surtidas há poucos dias, após uma inspeção abrangente em seus sistemas. A proibição de voos durou aproximadamente um mês, segundo essas fontes.

As duas quedas de aeronaves da frota, que é baseada em Gwalior, tiveram um intervalo de apenas 11 dias entre uma e outra, e ocorreram após alguns minutos das decolagens para surtidas rotineiras de treinamento. Os tripulantes dos dois Mirage 2000, ambos das versões bipostas de treinamento, ejetaram com segurança e com ferimentos mínimos.

Na ocasião, foi instaurada uma investigação para analisar as causas das quedas, uma equipe de engenheiros e técnicos franceses foram à Índia para ajudar a IAF (veja mais nos links da lista abaixo). Os Mirage 2000, recebidos pela Índia a partir de meados da década de 1980, vinham mantendo um bom índice de segurança em voos, e recentemente a IAF assinou dois contratos (estimados em 3,2 bilhões de dólares) para modernizar a frota, junto às companhias francesas Dassault e Thales, além da europeia MBDA.

Na sexta-feira passada, o site Flight Global também abordou o assunto, com uma matéria dizendo que a Índia atribuiu as duas quedas a falhas técnicas. O ministro da Defesa da Índia, A. K. Antony, disse em resposta a uma pergunta do Parlamento: “(Durante o atual ano fiscal) dois aviões Mirage 2000 caíram. Defeitos técnicos foram a causa dos dois acidentes.” Ele não entrou em detalhes sobre a exata natureza dos defeitos, segundo o site.

FONTES: Hindustan Times e Flight Global (tradução, adaptação e edição: Poder Aéreo)

VEJA TAMBÉM:

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of