sexta-feira, setembro 24, 2021

Gripen para o Brasil

Ministros fecham plano para construção de satélite brasileiro

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Decretos serão encaminhados para a Casa Civil. Projeto receberá investimentos R$ 716 milhões e satélite deverá ser colocado em órbita em 2014.

 

O Ministro das Comunicações (MiniCom), Paulo Bernardo, anunciou que serão encaminhadas para a Casa Civil, nas próximas semanas, as minutas dos decretos que vão permitir a criação do primeiro satélite geoestacionário construído no Brasil. O conteúdo dos decretos foi aprovado na última sexta-feira (24/02) em reunião entre Paulo Bernardo e os ministros da Defesa, Celso Amorim; e da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp.

O primeiro decreto prevê a dispensa de licitação para a Telebras contratar a empresa que construirá o satélite. A ideia é que a autarquia seja sócia, juntamente com a Embraer, de uma empresa integradora criada especialmente para fazer essa construção.

O segundo decreto trata justamente do acordo entre a Telebras e a Embraer, definindo o modelo de gestão da nova empresa, incluindo sua composição. De acordo com Paulo Bernardo, a autarquia terá 49% do capital e a Embraer, 51%. Depois da construção do satélite, a Telebras é quem vai operá-lo.

O satélite geoestacionário brasileiro é considerado um projeto estratégico para o governo, já que vai atender tanto a demandas de comunicações quanto de defesa nacional. Por cobrir extensas áreas geográficas, o satélite permitirá que os serviços de telecomunicações cheguem mesmo a regiões mais isoladas. Por isso, o Ministério das Comunicações vai utilizá-lo no atendimento das metas do Programa Nacional de Banda Larga e no atendimento à zona rural.

Paulo Bernardo ressaltou que o critério utilizado para a dispensa de licitação foi o de segurança nacional, já que o satélite também será usado pelas Forças Armadas. O custo estimado para a construção do satélite geoestacionário é de 716 milhões de reais e a previsão é que ele seja colocado em órbita em 2014.

FONTE: Computerworld/*Com informações da Agência MiniCom

- Advertisement -

13 Comments

Subscribe
Notify of
guest
13 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Daglian

Ótima notícia.

Halisson Murilo do Facebook,

Antes tarde do que nunca. Não vamos reclamar de mais isso. Isso é algo positivo, deve ser comemorado.

Giordani RS

O soda é que fazem pompa, cerimônia, assinam papéis e pimpa, o governo corta os investimentos…lembrem o que foram e aonde foram os cortes de investimento…ainda sabendo-se que a construção de um equipamento made in tupiniquim, custará trocentas vezes mais do que se fosse comprar no guichê da boeing…infelizmente, e antes que algum braZileiro venha escrever todo aquele blá…blá…blá…, a verdade é que “nefte paíf”, se não for de prateleira, nada vai pra frente.

São Thomé: Só acredito vendo!

Marcelo

oras Giordani, vamos dar um voto de confiança! Querendo ou não, é a 1a vez que vejo se falr em um satélite nacional geostacionário e com canais militares ainda por cima…

Daglian

Exatamente! Concordo com o Marcelo, o que resta a nós senão ter esperança?

Marcelo

daqui a 5 anos, se não sair vamos reclamar todos juntos!

Giordani RS

É que esse filme perdeu a graça…agora de tarde, aqui em Porto Alegre, inauguraram com pomaps e mais pompas, 2,5km de estrada…tinha político se empurrando para aparecer na foto…

São Thomé: Só acredito…

Ivan

“O primeiro decreto prevê a dispensa de licitação para a Telebras contratar a empresa que construirá o satélite.”

Sem precisar cumprir a Lei 8.666, sem acompanhamento do TCU, como se fôsse uma empresa privada… mas com 49% do capital estatal, ou seja, nosso.

Rezo para dê tudo certo, pois tenho certeza que será caríssimo…

Vader

Autarquia???

Hummmm, lá vem carguinho pros “amigos dos amigos” da cumpanheirada…

Ivan

MiLord,
O jogo é mais pesado.
Coisa do Senador Palpatine…

Mauricio R.

Já escolheram a empresa francesa c/ tecnologia decrépita e custos estelares, que fornecerá o satélite???

Marcelo

não, mas já escolheram a Embraer, para a sua tristeza né?

Mauricio R.

Ah, mas é típico do governo federal, arrumar serviço p/ a Embraer.
O problema é que a Embraer manja de satélite o mesmo que manja de ac supersônico de combate.
Absolutamente nada!!!
A FAB passando o chapéu por uma aeronave de combate, o que a Embraer fez???
Empurrou essa jeringoça do KC-390, ao módico custo de 4.200 empregados demitidos.
Assim vc que trabalha hoje na Embraer, prepare-se pois o facão será proporcional ao serviço que o governo federal arrumou…
Absolutamente estelar!!!

Mauricio R.

Ooooppppssss…

Errei!!!

jeringoça = jeringonça

Últimas Notícias

FOTOS: J-16D com novos pods de guerra/interferência eletrônica

Foram divulgadas mais fotos do Shenyang J-16D, versão de guerra eletrônica do caça multimissão J-16 da Força Aérea de...
- Advertisement -
- Advertisement -