H-36 Caracal

O site jornalístico O Antagonista obteve com exclusividade uma diretriz de aeronavegabilidade que recomendou a parada total de toda a frota mundial de helicópteros H225/EC-725 até segunda ordem, incluindo as aeronaves militares.

Segundo O Antagonista, “os dois helicópteros VH-36 (EC-725) Caracal, usados pela Presidência da República, estão proibidos de voar após um grave acidente com modelo similar ocorrido na Noruega.

Famoso no Brasil pelo episódio de chamas que saíam da turbina, o modelo era o preferido pela presidente Dilma para deslocamentos internos. Afastada do cargo, ela perdeu o direito de usá-lo.”

labareda-helicoptero-dilma

diretriz H36

87 COMMENTS

    • O texto do Antagonista ia bem até misturar o caso das chamas no escape de uma aeronave presidencial (fato que de qualquer forma não tem nada a ver com os acidentes da família H225, ex EC225 / EC765).
      .
      O caso do fogo, que é mais espetacular do que grave, foi em aeronave da geração anterior, hoje chamada de H215 pelo fabricante (ex-AS332) que ao contrário da nova geração é considerada confiável e não teve os problemas da caixa de transmissão e perda do conjunto dos rotores dos atuais H225.
      .
      Para quem não conhece, a forma mais fácil de diferenciar na foto mostrada é a caixa do ar-condicionado proeminente do lado esquerdo da fuselagem dos velhos AS332/H215 (no novo H225 o sistema fica “embutido” na carenagem / sponson do trem de pouso)

  1. Na Noruega, não só o modelo H-225, mas os As-332L também foram proibidos de voar, mesmo que sejam aeronaves SAR.

    As empresas de transporte para plataformas offshore, Bristow e CHC e suas subsidiárias suspenderam os voos destes modelos no mundo todo.

    Sds.

  2. Agora fechou o tempo de vez. O lado bom é que nossas FAAs pagaram só uma fração do contrato das 51 unidades. Pode-se iniciar um processo distrato baseado nos problemas apresentados pelo projeto vendido.

  3. Uma situação complicada para a Airbus, pois ter uma frota toda no chão é um baque e tanto para a imagem da empresa e que será muito bem aproveitada pelos seus concorrentes.

  4. Já havia acontecido um acidente antes, há alguns anos. Salvo engano a suspeita foi a mesma. Na época me lembro de pessoas aqui no site criticarem a escolha dessa aeronave pelo Brasil.

  5. Marcos, a simples presença, nesse contrato, de três personagens, um certo presidente da República Federativa do Brasil,um certo ministro da Defesa, e um certo presidente da République Française, já valeria uma investigação aprofundada.
    Talvez o juiz Sergio Moro se interesse…rsrsrsrss

  6. Kkk. Pensei que era alguma referência à presidentA.
    É muito complicado groundear toda uma frota. Inclusive já ocorreu com o 787 também. Não tem como reprojetar tudo?
    Não deve ser nada do outro mundo. Mas precisam corrigir urgente. Se for o caso façam outro rotor ou seja lá o que for.
    Ficar nessa dúvida. Podiam logo fazer de titânio usinado da Embraer.
    Algo indestrutível.
    Sem solução o prejuízo será maior. Vai queimar a imagem, ninguém vai querer comprar mais e os usuários podem cobrar indenização.

  7. Mais um comentário: antes, eu postei esse mesmo texto, citando os nomes dos personagens, e ele não foi publicado.
    É exatamente por esse tipo de ‘filtro’, que certas figuras fazem o que fazem e ficam impunes, por contar com um certo tipo de ‘proteção’ que simplesmente não merecem ter.

  8. Antônio Cançado

    Quatro personagens. Inclua ai um certo ex governador que virou diretor da Helibras. Ficou lá até a conclusão da negociata, desculpem, do negócio. Não sei como a Helibras/Eurocopter/Airbus deixaram tão competente diretor sair da empresa. Nunca antes na história mundial houve um diretor tão brilhante e competente.

  9. Não sei quem é o ex-governador, Marcos…Mas ele participou do contrato e era competente? Não entendi, desculpe…Era de qual estado? Assim fica mais fácil…

  10. Agora vi uma luz no fim do túnel..

    Parabéns aos militares!

    ————–

    Todo o “projeto” do HXBR é estranho…

    Compraram uma nave sem fazer um vôo de teste que fosse..Ninguém questiona isto?

    Com relação a alternativa a mais lógica é o S92, que tem o mesmo porte, maior parque já fabricado, rampa traseira e partes importantes dele já são fabricadas no Brasil.

    O problema na minha visão é que ele não tem o DNA militar, um dos maiores problemas do 225 na minha opinião.

  11. E que criterio se usa para definir um concorrente? Número de passageiros e alcance? Ou há outros? Esse groundeamento não é obrigatório?

  12. Por que há tantas críticas à compra?
    Esse helicóptero não é usado em vários países?
    O problema seria o preço?
    Esses defeitos só apareceram agora.
    É igual ao f35. Quem compra corre riscos mas confia no fabricante. KC 390 idem.

  13. Por que há tantas críticas à compra? Como eu disse, a simples presença, nesse contrato, de três personagens, um certo presidente da República Federativa do Brasil,um certo ministro da Defesa, e um certo presidente da République Française, já valeria uma investigação aprofundada.

    Esse helicóptero não é usado em vários países? Não.

    O problema seria o preço? Também.

  14. Cada helo saiu por mais de 100 milhões na conta de quem paga imposto. Se fosse estado da arte se justificariam o preço e os problemas, como é o caso do desenvolvimento do F 35.. Mas não, nasceu ultrapassado, como meio de forças de segunda linha, uso restrito pelas forças de primeiro mundo, e mais focado em mercado civil… em paralelo transformaram a estatal Helibras em mera subsidiária da Eurocopter, que empurrou o projeto caro e ultrapassado para os brasileiros. Repito, pensei que tinham resolvido o problema de confiabilidade da MGB … parece que não. Vamos aguardar. De qualquer forma reitero minha opinião de anos atrás, péssima compra.

  15. Esses defeitos só apareceram agora.

    Não, não foi só agora não. VÁRIOS desses já caíram, não é o primeiro caso.

    TODO MUNDO sabia que ia dar nisso, mas com os personagens que citei envolvidos, isso não é surpresa…

  16. Meus cumprimentos a um tal de Juarez, que tem morada lá pelas bandas do Rio Grande do Sul… Que nós aprendemos a ler e respeitar. Ele compartilhou essa informação conosco. Cantou a bola lá atrás.
    E que, apesar de as vezes parecer rabugento, é um dos motivos que me fazem acompanhar o Poder Aéreo. Além, é claro, da qualidade inerente ao site.

  17. Será que não da para cancelar os helicópteros que as forças ainda não receberam? Mesmo que não tivesse esse problema 50 helicópteros é muito, acho que esse problema pode ser usado para cancelar o contrato ou no mínimo trocar de modelo. A MB não estava procurando 15 novos helicópteros de instrução? Com o dinheiro que ela pagaria para receber o resto dos H225 dava para pagar essas 15 aeronaves que é muito mais necessária agora do que o resto desses helis bichados

  18. É como diz o ditado:Um dia a “merd@” flutua.O verdadeiro motivo das forças armadas francesas terem optado pelo NH-90.

  19. Quem escolheu o Gripen foi a FAB, com seu relatório técnico. O Lula optou pelo Rafalle e quase foi deposto por isso. A Dilma para não gerar polêmicas com os militares simplesmente acatou a decisão da FAB. Do mesmo modo aconteceu com os helicópteros. Portanto, não cabe acusá-los quanto a isso.
    Há vários sites onde o caracal é defendido por militares de alto posto. Nesta oportunidade cito o https://pbrasil.wordpress.com/2010/05/28/os-caracal-e-a-polemica/ e https://pbrasil.wordpress.com/2010/05/28/voo-teste-de-helicopteros-que-equiparao-fab-e-realizado-na-franca/

  20. Embora seja sempre possível a existência de corrupção em negócios envolvendo os governos e grades empresas, acho que pode haver sim um problema, puramente técnico no projeto do rotor, não será nem a primeira nem a ultima vez que uma aeronave apresenta um problema serio, não detectado durante seu desenvolvimento e evolutivo. A família de helicópteros da Eurocopter o Puma, Super Puma (Caracal), Cougar e derivados, é adotada atualmente por dezenas de forças (mais de 35) por todo mundo e mais de 1.000 operadores civis. Com todo respeito, acho prematuro algumas conclusões que estão sendo apresentadas aqui. Vivemos uma era conturbada politicamente onde tudo é levado para esse lado da corrupção. Os contratos de compras de equipamentos militares sempre estão sujeitos a questionamentos. Acho que devemos ter cuidado em sair jogando lama pra todo lado, sem ter o cuidado de apurar a verdade dos fatos. A compra de equipamentos, como os helicópteros EC-725 não envolveu o só o presidente X e o ministro Y, envolveu também muitos profissionais, civis e militares, que prestam serviços a nação, dando o melhor de si e, na maioria das vezes sem receber em contrapartida o reconhecimento devido. Um mínimo de respeito deve ser mantido com essas pessoas.

  21. Me permita uma pequena correção, por favor Cançado: nem TODOS cantaram essa bola, a maioria, à época da divulgação da compra desses helis para as FFAA achou a aquisição fantástica. Estava embevecida com END, pro-isso, pro-aquilo, agora vai, nunca antes neste país se investiu tanto em defesa, etc. Poucos discordaram e questionaram as quantidades e necessidades para cada Força, o preço e o fato de ser uma aeronave derivada de um projeto antigo.
    Abraço

  22. Outra vez peço permissão para pequena correção, por favor Guilherme: a compra dos H225M foi imposta aos comandantes das FFAA e as aeronaves divididas igualmente entre elas (fora os VH-36 da FAB, aliás, do primeiro lote), sem que os comandantes pudessem questionar quantidades e necessidades.
    Quanto ao presidente X ou ministro Y que determinaram essa aquisição e aos civis e militares envolvidos com a mesma, se deram o melhor de si a serviço da nação não fizeram mais do que sua obrigação, por outro lado, se prevaricaram, devem ser punidos pelo prejuízo a que deram causa, não só financeiro à nação (nem menciono se houve corrupção neste), como às FFAA no cumprimento de suas missões.

  23. Inacreditável como tudo foi uma tragédia anunciada, todo mundo comentou aqui, os defensores (os mesmos) defenderam como sempre, mas eu repito: Tudo que o “Nine” colocou sua mão podre acabou em desgraça, com prejuízos incomensuráveis ao Brasil, TUDO, não tem nada que esse bandido não tenha se metido que foi bom para nós brasileiros. Lembro da besta no estaleiro que constrtuiu o João Cândido, navio todo torto que custou 3X mais, bancado pelo Brasil Putênfia, ele disse que a industria naval ia despontar como nunca na história desse país, blá blá blá…Todos sabemos como acabou, e esse Caracal aleijado, todo mundo sabia do problema, foi um contrato lesa-patria, os mesmos de sempre ganharam rios de dinheiro e as FAs fingiram que não viram nada…Merecem estar na pindaíba.

  24. Com relação a essa “bola cantada” anos atrás, as críticas eram em relalçao ao preço e a utilidade, mais notadamente ao fato dele não ter rampa traseira, e não profecias de que haveriam acidentes.

    De qquer maneira um mau negócio: caro, semi-obsoleto, numero excessivo de encomendas.

  25. Concordo com o Adriano. Quando falam “militares”, esse militares tem um nome, que era o Comandante da Aeronáutica, juntamente com os outros dois, que aceitaram a ordem dada.
    Não questiono o valor do contrato, mas, salvo melhor juízo, com relação às MGB, acho que não tinha como prever.

  26. Adriano Luchiari, posso estar enganado, mas acho que o Cançado disse que todos os três que ele listou cantaram essa bola. E não todos os comentaristas do blog.

  27. Eu questiono o preço pago!
    Quando fecharam o negócio das kombosas, na conversão do câmbio da época, era próximo a US$ 60 milhões a unidade. O Legacy 600 custava US$ 23 milhões, Tem mais, o preço do painel fodástico – é, a kombosa também recebeu um painel fodástico AEL – foi cobrado a parte.

  28. Me digam uma coisa, há alguma possibilidade, interesse ou intenção de rescindir esse contrato com base nesse problema? Seria o melhor ato do MD nessa última década.

  29. space jockey, Rinaldo Nery,
    Eu postei (alguns anos atrás) o relatório da DGA rejeitando o modelo e listando as deficiências aki no PA e depois o próprio report das “soluções” propostas da Eurocopter tb… uma gambi só… Teve até um piloto aki no PA que comentou, após ler os reports que era mesmo que dirigir um carro com a barra de direção soldada… Tragédia anunciada… e vai ter mais.
    Ps.: – Os tais reports sumiram da DGA (www.defense.gouv.fr/dga). Mas PerQ né?
    Grande Abraço.

  30. Só para acrescentar, a compra desse aparelho também foi regada ao anti americanismo tacanho dos que saíram e acabaram com o país, esse Caracal parece ter sido mais uma herança maldita dessa gente.
    O A319 também foi 100% anti americanismo, esse foi descarado também, a FAB nunca trabalhou com Airbus, sempre foi com a Boeing, tanto é que quem faz a manutenção no A319 é o pessoal da TAM, algo arriscado inclusive.
    Lula quando entrou pela primeira vez no A319 se assustou com o tamanho, o achou muito pequeno, mas já era tarde.

  31. O contrato para os 50 helicópteros foi de cerca de 1,8 bilhão de Euros.

    O ex – governador do Acre, Jorge Viana, PT, assumiu a presidência do conselho de administracao da Helibras entre 2007 e 2013, quando foram feitas as negociações do contrato dos 50 Caracal.

    Em 2014 foi eleito senador por aquele Estado.

  32. Concordo com o Felipe, talvez não uma rescisão, mas uma revisão do contrato, seus valores e redução de quantidade prevista, mais as ações necessários (por conta do fabricante) para que as unidades ora groundeadas operem sem restrições é imperativo. Entretanto, o melhor ato do MD na década, na minha opinião, seria auditoria e rescisão do contrato com a DCNS/Odebrecht para o PROSUB (assunto para outro tópico no espaço adequado).

  33. Obrigado, Oganza. A decisão de compra ocorreu em 2008, e a abertura do projeto na COPAC foi em 2009, quando cheguei lá. Já havia esse relatório da DGA?

  34. Na época do governo LULA a proposta era 50 helicopteros MI17 e 12 MI24. Depois do exercito e marinha rejeitarem . ficaram os MI 24 para a FAB que hoje se orgulha em tê-los. Os EUA compraram os MI para o afeganistão alegando melhor custo beneficio. Nossos vizinhos os usam e querem mais. o próprio exercito ja se interessa pelos MI24. (para os fuzileiros navais seriam um grande avanço) .Mais ficamos com os franceses. só espero que os sub não afundem também (deixaram a experiencia alemã, com que ja trabalhavamos). Precisamos de deixar que os politicos tomem decisões de compra de equipamento militar, e também abrir a cabeça para novas visões a respeito desses equipamentos.

  35. Ô Farias Cardoso, TUDO que aconteceu de ruim e errado neste país, nos últimos treze anos, é conseqüência direta da incompetência e/ou da corrupção dos governos do PT, tendo Lula e Dilma à frente de tudo.
    Lula não passou nem perto de ser deposto, depois da tentativa desastrada e frustrada de fechar com a França sobre os Rafale (é com um ‘l’ só), apenas levou um chega-pra-lá do brigadeiro Saito, através do ministro Jobim.
    Mas a dupla, aliada ao hoje presidiário, mas então presidente da França, Nicolas Sarkozy, ainda conseguiu _____________os Caracal e os Scorpène pelo ____________do Ministério da Defesa adentro, e os resultados são esses a que temos assistido: desastre atrás de desastre. E que custam muito caro ao país e ao povo.
    _______________________________.

    COMENTÁRIO EDITADO. MODERE O LINGUAJAR, ESTE É UM ESPAÇO PARA DISCUSSÕES DE ALTO NÍVEL, NÃO É MESA DE BOTECO.

  36. rocha 5 de junho de 2016 at 10:45

    (…) só espero que os sub não afundem também…

    Eu espero é que afundem. Foram feitos para isso. Se não afundarem teremos os únicos submarinos de superfície do Mundo.

  37. Caro Rinaldo Nery,
    os reports (5 no total que eu li) tem datas entre 1999 (rejeição do AS532) e 2003. Depois do ano 2000 a Eurocopter se referia, junto com a DGA, ao que seria o EC-725 como Cougar Mk II. É nessa época que a coisa muda de figura, ele foi rejeitado de novo entre 2001 e 2003, sendo que já havia uma encomenda de 20 unidades. Em 2003 é que tem os dois reports mais “cabulosos”… o da DGA listando as “falhas” e o da Eurocopter e Turbomeca listando as “soluções” e passando a chamar o produto resultante por Cougar Mk II+. – Quando eu voltar para casa vou procurar no meu arquivo morto esses reports.

    Ps.: tive acesso a eles em 2010 (do 1º ao 3º) no site da DGA. Os cabulosos (4º e 5º) me foi enviado por uma fonte (não nacional). Mas pelos 3 primeiros já dava para se ter uma ideia do tamanho da lambança.

    O processo todo foi de má fé, tanto lá como cá. A Eurocopter não conseguia vender pra ninguém, as encomendas da DGA não justificavam a linha aberta e o lado brasileiro enfim… o lado brasileiro. Quanto as nossas FFAA eu não tenho competência para julgar a não ser que rolou muuuita pressão. Isso com certeza.

    Grande Abraço.

  38. Vamos esperar, tudo está ainda muito novo.

    Contudo, pelo histórico de problemas do Caracal e o absurdo do preço cobrado (49 milhões de dólares a unidade) tem tudo para ter sido uma imensa roubada.

    Se o MPF e a PF forem atrás deste negocio vão ver que tem pixuleco aos montes nesta compra.

  39. Graças a Deus as FFAA não tem dinheiro para voar muitas horas, senão o Caracal teria apresentado fadiga e se estatelado aqui mesmo.

  40. Resultados da herança maldita do câncer da corrução no Brasil que respingam nas FFAA. –

    1 -Cancelamento do Projeto com a Ucrânia para lançamento de foguetes
    2 – Sem meios de transporte estratégico MD freta aviação para levar soldados ao Haiti, (acidentado na Antártida , KC-137 quebrado no Haiti, KC137 desativados)
    3 – FAB faz licitação de leasing de Boeing 767-300ER
    4 – Redução no números de A-1 para modernização
    5 – Redução no números de A-4 para modernização
    6 – EMBRAR coloca recursos próprios no projeto KC390 devido atraso do governo
    7 – Sucateamento da esquadra MB baixa disponibilidade dos meios alguns veículos da imprensa informam 56% disponível, atraso da construção dos submarinos… O sucatão da marinha o NAe São Paulo parado a muitos anos, baixa disponibilidade dês de que chegada na MB.
    8 – Redução nas entregas dos Guaranis – Falta Grana
    9 – Odebrecht,a ninja da corrupção com contratos bilionários da pasta MD
    10 – Eletronuclearr – propinas e subornos …
    11 – Superfaturamento do FX2 para favorecer bandidos..
    (…)
    Triste

  41. Nossa, salvo uma intervenção ou outra, quanta desinformação escrita (putz e ainda tem iluminado que me chama assim, rsrs), quando não tantas bobagens (a começar pelo conteúdo da própria matéria). Depois vou fazer um apanhado de coisas e postar aqui assim, talvez, a racionalidade volte a reinar.

    Até mais!!! 😉

  42. Esses problemas de engenharia vem de longe nesse modelo.. É óbvio que empurraram para o Brasil, em um pacote que extinguiu a Helibrás e fundou uma filial da Eurocopter para maximizar os ganhos, tudo sob o manto dos “campeões da indústria nacional” da era Lula.
    Lembro que no lançamento havia um vídeo anunciando o helicóptero para os latino americanos, quase que como empurrando para os amigos bolivarianos da época… Deixava claro que não era um projeto com aspiração de concorrer em marcados maduros como o europeu, parte da Ásia e américa do norte. Provavelmente os relatórios acima, que logo depois se confirmaram com o feedback da manutenção dentro das nossas F. A., já eram conhecidos pelo “metier” militar europeu. Essa máquina nunca vai compor espinha dorsal de esquadrões de emprego geral em nenhuma FA de primeira linha… Houve várias vendas no mercado civil, mas parece que até para as petroleiras ele agora será uma tremenda interrogação. Nada que não possa ser resolvido, esse MGB pode ser reprojetado, mas a que custo? pagar mais de 100 milhões a unidade, pelo cambio daquela época (hoje beira os 200) não tem justificativa. E não é um projeto revolucionário, é uma evolução da linha Puma.

  43. Marcos 5 de junho de 2016 at 12:36

    rocha 5 de junho de 2016 at 10:45

    (…) só espero que os sub não afundem também…

    Eu espero é que afundem. Foram feitos para isso. Se não afundarem teremos os únicos submarinos de superfície do Mundo.

    Marcos, submarinos são feitos para mergulhar (ou imergir), e não afundar. Isso parece uma frase de uma peça antiga do Miguel Falabella, que não é exatamente especialista em submarinos.

  44. Coloquei o 12° ponto…
    Bueno 6 de junho de 2016 at 9:43

    Resultados da herança maldita do câncer da corrução no Brasil que respingam nas FFAA. –

    1 -Cancelamento do Projeto com a Ucrânia para lançamento de foguetes
    2 – Sem meios de transporte estratégico MD freta aviação para levar soldados ao Haiti, (acidentado na Antártida , KC-137 quebrado no Haiti, KC137 desativados)
    3 – FAB faz licitação de leasing de Boeing 767-300ER
    4 – Redução no números de A-1 para modernização
    5 – Redução no números de A-4 para modernização
    6 – EMBRAR coloca recursos próprios no projeto KC390 devido atraso do governo
    7 – Sucateamento da esquadra MB baixa disponibilidade dos meios alguns veículos da imprensa informam 56% disponível, atraso da construção dos submarinos… O sucatão da marinha o NAe São Paulo parado a muitos anos, baixa disponibilidade dês de que chegada na MB.
    8 – Redução nas entregas dos Guaranis – Falta Grana
    9 – Odebrecht,a ninja da corrupção com contratos bilionários da pasta MD
    10 – Eletronuclearr – propinas e subornos …
    11 – Superfaturamento do FX2 para favorecer bandidos..
    12 – AEL propõe a adoção de tela única no F-X depois de ter quase inutilizado o F-5BR fazendo o mesmo serviço.
    (…)
    Triste

  45. Pela primeira vez admito, que exista na FAB, um projeto com desafios logísticos que superam os da aquisição dos MI-35. É mais fácil adquirir suprimento e apoio técnico num contrato onde parte do contrato foi fechado com a Russia e a outra parte com a Ucrânia, do que tocar para frente o projeto do Caracal com a Eurocopter. Espero que dessa vez, as FA junto com o Itamarati consigam rescindir o contrato, sem penalizar futuras exportações de produtos nacionais. Por fim, é uma pena o impacto negativo gerado pela primeira grande compra conjunta do MD.

  46. Jorge F. Bom dia. A Lista é grande. Se fizerem uma lista independente de partido da situação, veremos como o sistema politico brasileiro é um agente contra a soberania nacional. Nada de nacionalismo barato e bravatas, mas a realidade nua e crua.

    • lynx

      Que coisa! Muito triste mesmo para companhia. Pior ainda para as famílias que perderam seus entes queridos nos acidentes. Quando estive em Aberdeen o que mais vi foi a família Super Puma decolando (e um Tornado que saiu para Leuchars fazendo muito barulho).

      Conheci um colombiano que caiu com aquele Super Puma no Mar do Norte e todos se salvaram (belo flair do piloto). Ele disse que nunca mais quer passar por uma dessas, mas não abandonou a carreira off-shore.

      Será que a BHS vai parar de voá-los aqui também?

  47. Poggio, essa é uma boa pergunta! A BHS teve vários contratos de H-225 e S-92 suspensos pela Petrobrás. Isso é que está permitindo que ela continue a atender os poucos contratos do H-225 com os S-92 que estavam encostados. Ou seja, na prática, os H-225 não lhe fazem falta. Mas, os S-92 e H-225 sem contrato seriam devolvidos à CHC, que os utilizariam em outros lugares do mundo. Então há duas hipóteses: mantém os S-92, que já estão atendendo, e devolve os H-225 ou, perde seus S-92 para o Mar do Norte, colocando só H-225 nos contratos, inclusive dos S-92, quando aqueles forem liberados novamente para voo.
    Mas isso tudo vai depender, também, do sindicato dos petroleiros, que já proibe o AS-332 de voar na Bacia…

  48. O termo afundar se refere a algo(Nesse caso uma belonave) que flutuava e foi para debaixo água permanecendo por lá sem condições de retorno por si próprio. Os submarinos submergem e emergem graças ao sistema de enchimento e expulsão de ar comprimido em locais apropriados para isso. Quando os submarinos eram atingidos mortalmente na 2ª guerra eles afundavam (muitos com suas tripulações dentro) os que conseguiam submergir a tempo se salvavam.

  49. Pangloss

    Se liga no caso dos scorpenes malaios (que eu já falei muito no naval). Existe uma grande possibilidade dos lixospenes não afundarem.
    Ficarem boiando, com a mesma graça e finalidade de excremento no mar.
    https://www.naval.com.br/blog/2010/02/11/scorpene-da-malasia-e-incapaz-de-mergulhar/

    Em uma grande jogada de marketing e logística da dcns, o problema foi resolvido rapidamente em 5 anos. Eles mergulharam em 2014, e um dos parece estar no maior endurance AIP de todos os tempos…

  50. Transferência irrestrita de tecnologia(sempre foi piada para mim)país algum transfere e sim negocia o que já está ultrapassado(principalmente os franceses{não confiáveis ao extremo]). Só algumas palavras para dizer o que penso: ganância, corrupção,incompetência no fundo crime de traição à pátria. Abraços e que Deus abençoe a todos.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here