H-36 Caracal

O site jornalístico O Antagonista obteve com exclusividade uma diretriz de aeronavegabilidade que recomendou a parada total de toda a frota mundial de helicópteros H225/EC-725 até segunda ordem, incluindo as aeronaves militares.

Segundo O Antagonista, “os dois helicópteros VH-36 (EC-725) Caracal, usados pela Presidência da República, estão proibidos de voar após um grave acidente com modelo similar ocorrido na Noruega.

Famoso no Brasil pelo episódio de chamas que saíam da turbina, o modelo era o preferido pela presidente Dilma para deslocamentos internos. Afastada do cargo, ela perdeu o direito de usá-lo.”

labareda-helicoptero-dilma

diretriz H36

86
Deixe um comentário

avatar
84 Comment threads
2 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
46 Comment authors
sergio ribamar ferreiraGuilherme Poggiolynxdonitz123madisue Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Baschera
Visitante
Member
Baschera

A MB também suspendeu. Não tenho certeza absoluta sobre o EB…. ainda.

Sds.

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
Famed Member

O texto do Antagonista ia bem até misturar o caso das chamas no escape de uma aeronave presidencial (fato que de qualquer forma não tem nada a ver com os acidentes da família H225, ex EC225 / EC765). . O caso do fogo, que é mais espetacular do que grave, foi em aeronave da geração anterior, hoje chamada de H215 pelo fabricante (ex-AS332) que ao contrário da nova geração é considerada confiável e não teve os problemas da caixa de transmissão e perda do conjunto dos rotores dos atuais H225. . Para quem não conhece, a forma mais fácil de… Read more »

Baschera
Visitante
Member
Baschera

Na Noruega, não só o modelo H-225, mas os As-332L também foram proibidos de voar, mesmo que sejam aeronaves SAR.

As empresas de transporte para plataformas offshore, Bristow e CHC e suas subsidiárias suspenderam os voos destes modelos no mundo todo.

Sds.

Marcos
Visitante
Marcos

off topic:
KC 390001 em voo neste momento
https://www.flightradar24.com/KC390001/9ebbaa5

Marcos
Visitante
Marcos

Gostaria de saber se algum dia vão investigar a compra dessas aeronaves!!

Corsario137
Visitante
Corsario137

Agora fechou o tempo de vez. O lado bom é que nossas FAAs pagaram só uma fração do contrato das 51 unidades. Pode-se iniciar um processo distrato baseado nos problemas apresentados pelo projeto vendido.

Sergio Micheletti
Visitante
Sergio Micheletti
Tiago Silva
Visitante
Tiago Silva

Uma situação complicada para a Airbus, pois ter uma frota toda no chão é um baque e tanto para a imagem da empresa e que será muito bem aproveitada pelos seus concorrentes.

Marcos
Visitante
Marcos

Só curiosidade!
O que é Dirma-B que está lá no topo do documento???

Sergio Micheletti
Visitante
Sergio Micheletti

Diretoria de Material Aeronáutico e Bélico – DIRMAB

Hugo
Visitante
Hugo

Já havia acontecido um acidente antes, há alguns anos. Salvo engano a suspeita foi a mesma. Na época me lembro de pessoas aqui no site criticarem a escolha dessa aeronave pelo Brasil.

douglasfalcao
Visitante

è a famigerada MGB… Não tinham resolvido isso? Por essas e outras essa maquina não foi adotada em larga escala por nenhuma grande força armada no mundo.

Antonio Cançado
Visitante
Antonio Cançado

Marcos, a simples presença, nesse contrato, de três personagens, um certo presidente da República Federativa do Brasil,um certo ministro da Defesa, e um certo presidente da République Française, já valeria uma investigação aprofundada.
Talvez o juiz Sergio Moro se interesse…rsrsrsrss

Nonato
Visitante
Nonato

Kkk. Pensei que era alguma referência à presidentA.
É muito complicado groundear toda uma frota. Inclusive já ocorreu com o 787 também. Não tem como reprojetar tudo?
Não deve ser nada do outro mundo. Mas precisam corrigir urgente. Se for o caso façam outro rotor ou seja lá o que for.
Ficar nessa dúvida. Podiam logo fazer de titânio usinado da Embraer.
Algo indestrutível.
Sem solução o prejuízo será maior. Vai queimar a imagem, ninguém vai querer comprar mais e os usuários podem cobrar indenização.

Antonio Cançado
Visitante
Antonio Cançado

Mais um comentário: antes, eu postei esse mesmo texto, citando os nomes dos personagens, e ele não foi publicado.
É exatamente por esse tipo de ‘filtro’, que certas figuras fazem o que fazem e ficam impunes, por contar com um certo tipo de ‘proteção’ que simplesmente não merecem ter.

Nonato
Visitante
Nonato

Que helicóptero da concorrência seria possível substituto? A Robinson acho que não tem…
Agusta Westland? Bell? Sikorsky?

Hugo
Visitante
Marcos
Visitante
Marcos

Antônio Cançado

Quatro personagens. Inclua ai um certo ex governador que virou diretor da Helibras. Ficou lá até a conclusão da negociata, desculpem, do negócio. Não sei como a Helibras/Eurocopter/Airbus deixaram tão competente diretor sair da empresa. Nunca antes na história mundial houve um diretor tão brilhante e competente.

Antonio Cançado
Visitante
Antonio Cançado

Não sei quem é o ex-governador, Marcos…Mas ele participou do contrato e era competente? Não entendi, desculpe…Era de qual estado? Assim fica mais fácil…

Trollbuster
Visitante
Trollbuster

Agora vi uma luz no fim do túnel..

Parabéns aos militares!

————–

Todo o “projeto” do HXBR é estranho…

Compraram uma nave sem fazer um vôo de teste que fosse..Ninguém questiona isto?

Com relação a alternativa a mais lógica é o S92, que tem o mesmo porte, maior parque já fabricado, rampa traseira e partes importantes dele já são fabricadas no Brasil.

O problema na minha visão é que ele não tem o DNA militar, um dos maiores problemas do 225 na minha opinião.

Nonato
Visitante
Nonato

E que criterio se usa para definir um concorrente? Número de passageiros e alcance? Ou há outros? Esse groundeamento não é obrigatório?

Antonio Cançado
Visitante
Antonio Cançado

O AW 101 é INSUPERÁVEL, nos quesitos que acabaram decidindo a escolha do Caracal…

Nonato
Visitante
Nonato

Por que há tantas críticas à compra?
Esse helicóptero não é usado em vários países?
O problema seria o preço?
Esses defeitos só apareceram agora.
É igual ao f35. Quem compra corre riscos mas confia no fabricante. KC 390 idem.

Antonio Cançado
Visitante
Antonio Cançado

Por que há tantas críticas à compra? Como eu disse, a simples presença, nesse contrato, de três personagens, um certo presidente da República Federativa do Brasil,um certo ministro da Defesa, e um certo presidente da République Française, já valeria uma investigação aprofundada.

Esse helicóptero não é usado em vários países? Não.

O problema seria o preço? Também.

douglasfalcao
Visitante

Cada helo saiu por mais de 100 milhões na conta de quem paga imposto. Se fosse estado da arte se justificariam o preço e os problemas, como é o caso do desenvolvimento do F 35.. Mas não, nasceu ultrapassado, como meio de forças de segunda linha, uso restrito pelas forças de primeiro mundo, e mais focado em mercado civil… em paralelo transformaram a estatal Helibras em mera subsidiária da Eurocopter, que empurrou o projeto caro e ultrapassado para os brasileiros. Repito, pensei que tinham resolvido o problema de confiabilidade da MGB … parece que não. Vamos aguardar. De qualquer forma… Read more »

Antonio Cançado
Visitante
Antonio Cançado

Esses defeitos só apareceram agora.

Não, não foi só agora não. VÁRIOS desses já caíram, não é o primeiro caso.

TODO MUNDO sabia que ia dar nisso, mas com os personagens que citei envolvidos, isso não é surpresa…

Galli
Visitante
Galli

Meus cumprimentos a um tal de Juarez, que tem morada lá pelas bandas do Rio Grande do Sul… Que nós aprendemos a ler e respeitar. Ele compartilhou essa informação conosco. Cantou a bola lá atrás.
E que, apesar de as vezes parecer rabugento, é um dos motivos que me fazem acompanhar o Poder Aéreo. Além, é claro, da qualidade inerente ao site.

Antonio Cançado
Visitante
Antonio Cançado

Juarez, Bosco, Vader, TODOS cantaram essa pedra…

SHTF and Preparation
Visitante

Ue, a Dinamarca não comprou F35 pelo mesmo preço dos gripen recentemente? Ora, é claro que aí tem coisa. Mas agora o contrato está assinado.

Trollbuster
Visitante
Trollbuster

Não querendo fazer off topic, mas a Isto É colocou uma matéria interessante hoje sobre a compra dos Gripens…

Jr
Visitante
Jr

Será que não da para cancelar os helicópteros que as forças ainda não receberam? Mesmo que não tivesse esse problema 50 helicópteros é muito, acho que esse problema pode ser usado para cancelar o contrato ou no mínimo trocar de modelo. A MB não estava procurando 15 novos helicópteros de instrução? Com o dinheiro que ela pagaria para receber o resto dos H225 dava para pagar essas 15 aeronaves que é muito mais necessária agora do que o resto desses helis bichados

Jakson de Almeida
Visitante
Jakson de Almeida

É como diz o ditado:Um dia a “merd@” flutua.O verdadeiro motivo das forças armadas francesas terem optado pelo NH-90.

TEREU
Visitante
TEREU

cancela esse contrato…esse helicoptero NÃO está operacional….e adquire o MI-38 da russia…

TEREU
Visitante
TEREU

o MI-17 que está há décadas funcionando…mesmo antigo é cem vezes melhor do que esse helicoptero bichado e caro….

Farias Cardoso
Visitante

Quem escolheu o Gripen foi a FAB, com seu relatório técnico. O Lula optou pelo Rafalle e quase foi deposto por isso. A Dilma para não gerar polêmicas com os militares simplesmente acatou a decisão da FAB. Do mesmo modo aconteceu com os helicópteros. Portanto, não cabe acusá-los quanto a isso.
Há vários sites onde o caracal é defendido por militares de alto posto. Nesta oportunidade cito o https://pbrasil.wordpress.com/2010/05/28/os-caracal-e-a-polemica/ e https://pbrasil.wordpress.com/2010/05/28/voo-teste-de-helicopteros-que-equiparao-fab-e-realizado-na-franca/

Guilherme
Visitante
Guilherme

Embora seja sempre possível a existência de corrupção em negócios envolvendo os governos e grades empresas, acho que pode haver sim um problema, puramente técnico no projeto do rotor, não será nem a primeira nem a ultima vez que uma aeronave apresenta um problema serio, não detectado durante seu desenvolvimento e evolutivo. A família de helicópteros da Eurocopter o Puma, Super Puma (Caracal), Cougar e derivados, é adotada atualmente por dezenas de forças (mais de 35) por todo mundo e mais de 1.000 operadores civis. Com todo respeito, acho prematuro algumas conclusões que estão sendo apresentadas aqui. Vivemos uma era… Read more »

Adriano Luchiari
Visitante
Adriano Luchiari

Me permita uma pequena correção, por favor Cançado: nem TODOS cantaram essa bola, a maioria, à época da divulgação da compra desses helis para as FFAA achou a aquisição fantástica. Estava embevecida com END, pro-isso, pro-aquilo, agora vai, nunca antes neste país se investiu tanto em defesa, etc. Poucos discordaram e questionaram as quantidades e necessidades para cada Força, o preço e o fato de ser uma aeronave derivada de um projeto antigo.
Abraço

Bardini
Visitante

A Polônia pulou fora a tempo… Barnânia… continua sendo Barnânia…

Adriano Luchiari
Visitante
Adriano Luchiari

Outra vez peço permissão para pequena correção, por favor Guilherme: a compra dos H225M foi imposta aos comandantes das FFAA e as aeronaves divididas igualmente entre elas (fora os VH-36 da FAB, aliás, do primeiro lote), sem que os comandantes pudessem questionar quantidades e necessidades. Quanto ao presidente X ou ministro Y que determinaram essa aquisição e aos civis e militares envolvidos com a mesma, se deram o melhor de si a serviço da nação não fizeram mais do que sua obrigação, por outro lado, se prevaricaram, devem ser punidos pelo prejuízo a que deram causa, não só financeiro à… Read more »

Carlos Crispim
Visitante
Carlos Crispim

Inacreditável como tudo foi uma tragédia anunciada, todo mundo comentou aqui, os defensores (os mesmos) defenderam como sempre, mas eu repito: Tudo que o “Nine” colocou sua mão podre acabou em desgraça, com prejuízos incomensuráveis ao Brasil, TUDO, não tem nada que esse bandido não tenha se metido que foi bom para nós brasileiros. Lembro da besta no estaleiro que constrtuiu o João Cândido, navio todo torto que custou 3X mais, bancado pelo Brasil Putênfia, ele disse que a industria naval ia despontar como nunca na história desse país, blá blá blá…Todos sabemos como acabou, e esse Caracal aleijado, todo… Read more »

space jockey
Visitante
space jockey

Com relação a essa “bola cantada” anos atrás, as críticas eram em relalçao ao preço e a utilidade, mais notadamente ao fato dele não ter rampa traseira, e não profecias de que haveriam acidentes.

De qquer maneira um mau negócio: caro, semi-obsoleto, numero excessivo de encomendas.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Concordo com o Adriano. Quando falam “militares”, esse militares tem um nome, que era o Comandante da Aeronáutica, juntamente com os outros dois, que aceitaram a ordem dada.
Não questiono o valor do contrato, mas, salvo melhor juízo, com relação às MGB, acho que não tinha como prever.

gbento
Visitante

Adriano Luchiari, posso estar enganado, mas acho que o Cançado disse que todos os três que ele listou cantaram essa bola. E não todos os comentaristas do blog.

Marcos
Visitante
Marcos

E as horas paradas dos operadores, tem indenização???

Marcos
Visitante
Marcos

Eu questiono o preço pago!
Quando fecharam o negócio das kombosas, na conversão do câmbio da época, era próximo a US$ 60 milhões a unidade. O Legacy 600 custava US$ 23 milhões, Tem mais, o preço do painel fodástico – é, a kombosa também recebeu um painel fodástico AEL – foi cobrado a parte.

Felipe Morais
Visitante
Felipe Morais

Me digam uma coisa, há alguma possibilidade, interesse ou intenção de rescindir esse contrato com base nesse problema? Seria o melhor ato do MD nessa última década.

Oganza
Visitante
Oganza

space jockey, Rinaldo Nery,
Eu postei (alguns anos atrás) o relatório da DGA rejeitando o modelo e listando as deficiências aki no PA e depois o próprio report das “soluções” propostas da Eurocopter tb… uma gambi só… Teve até um piloto aki no PA que comentou, após ler os reports que era mesmo que dirigir um carro com a barra de direção soldada… Tragédia anunciada… e vai ter mais.
Ps.: – Os tais reports sumiram da DGA (www.defense.gouv.fr/dga). Mas PerQ né?
Grande Abraço.

Maria do Carmo Lacoste
Visitante
Maria do Carmo Lacoste

Só para acrescentar, a compra desse aparelho também foi regada ao anti americanismo tacanho dos que saíram e acabaram com o país, esse Caracal parece ter sido mais uma herança maldita dessa gente.
O A319 também foi 100% anti americanismo, esse foi descarado também, a FAB nunca trabalhou com Airbus, sempre foi com a Boeing, tanto é que quem faz a manutenção no A319 é o pessoal da TAM, algo arriscado inclusive.
Lula quando entrou pela primeira vez no A319 se assustou com o tamanho, o achou muito pequeno, mas já era tarde.

EduardoSP
Visitante
EduardoSP

O contrato para os 50 helicópteros foi de cerca de 1,8 bilhão de Euros.

O ex – governador do Acre, Jorge Viana, PT, assumiu a presidência do conselho de administracao da Helibras entre 2007 e 2013, quando foram feitas as negociações do contrato dos 50 Caracal.

Em 2014 foi eleito senador por aquele Estado.

douglasfalcao
Visitante

Não vamos confundir o Caracal com os Puma e Superpuma,

Luiz Campos
Visitante
Luiz Campos

Mais uma entubada no pobre contribuinte. Brasil, eu me rendo…