Home Editorial Estamos felizes por mais um recorde …

Estamos felizes por mais um recorde …

169
3

… mas a razão dele é triste

 

grafico - recorde diario

vinheta-especialOntem (segunda-feira, dia 4 de fevereiro de 2013) o blog do Poder Aéreo bateu mais um recorde de acessos (ou “page views”) diários. E este recorde superou um outro estabelecido no começo de ano passado.

No dia 31 de janeiro de 2012 foi anunciada a vitória do caça francês Rafale da Dassault no programa indiano MMRCA e, por esse motivo, foi grande a procura, tanto de curiosos como de entusiastas da aviação, por mais informações. Mas também diversos órgãos da mídia nacional que vasculharam a internet em busca dos dados. E é com orgulho que podemos dizer que muitas dessas pessoas acessaram o site do Poder Aéreo para saber informações da vitória do Rafale na Índia. Por este motivo atingimos a marca de 36.867 ‘pageviews’ naquele dia.

A marca do início do ano passado superava outra atingida no início de 2010, quando divulgamos o primeiro voo de um caça de quinta geração  russo, o PAK FA (35.370 “page views”no dia 29 de janeiro de 2010). Parece que início de ano é um bom momento para quebra de recordes.

E com muita satisfação anunciamos a marca de 47.110 “page views” atingida ontem, que supera com larga vantagem a marca obtida no ano passado. Fomos pesquisar o porquê desta enorme procura. Infelizmente não se trata de nenhum grande evento da aviação mundial. Ao contrário, trata-se de um episódio muito corriqueiro e que se não fosse por alguns detalhes passaria despercebido do grande público.

recorde diario - top posts

Foi na noite do domingo, dia 3 de fevereiro que “postamos” o clipping sobre o desligamento de uma oficial aviadora da FAB após ela ter sido aprovada no concurso para auditora da Controladoria Geral da União. Já naquelas últimas horas do final de semana notamos um aumento incomum nos acessos ao blog. No dia seguinte veio a avalanche de acessos.

Não sabemos o motivo da mudança, e também não nos interessa entrar no íntimo desta decisão. Mas o que nos importa é este movimento de jovens militares com capacidade muito acima da média deixando a Força.

Anualmente centenas de militares deixam as Forças Armadas em busca de outras oportunidades. Os motivos são os mais diversos, mas deve-se atentar para a seguinte questão. Dentre todos os funcionários públicos federais, aqueles que recebem o menor salário médio são os militares.

As Forças Armadas gastam milhões de reais para treinar estes jovens brasileiros que operam e dão manutenção e apoio para equipamentos ainda mais caros. Mas o Estado remunera estes jovens de forma inadequada, principalmente se comparado com outras carreiras públicas. Será que teremos um “apagão” de material humano antes do “apagão” dos caças?

VEJA TAMBÉM:

 

Subscribe
Notify of
guest
3 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcos
Marcos
7 anos atrás

off topic

Não sei se cabe a questão abaixo aqui no site, mas enfim, segue:

Veja/Reinaldo Azevedo
05/02/2013 às 21:33
Diretoria da Infraero me envia um e-mail em tom meio ameaçador, parece, e me pôs uma pulga atrás da orelha. Estou com ainda mais medo de andar de avião!

cristiano.gr
cristiano.gr
7 anos atrás

Os militares são os primeiros a arriscar suas vidas pelo país e pela população (inclusive a parte que não merece ser salva), enquanto os outros funcionários públicos aproveitam as catástrofes e desastres para não irem trabalhar os militares estão lá apoiando e auxiliando. Enquanto muitos os funcionários públicos civísestariam fugindo em uma guerra os militares estariam indo de encontro a ela. Essa disparidade de atributos e remuneração que coloca os militares como os funcionários públicos federais como os mais mal pagos é injusta e piora a situação quando constatamos que boa parte da corrupção no país não é culpa dos… Read more »

cristiano.gr
cristiano.gr
7 anos atrás

Existem funiconários públicos civís que são um grande exemplo ao país, mas existem como na política grandes mentes voltadas a pensar em sempre se dar bem e ganhar algo por fora.

>> No texto a cima, onde lê-se “…enquanto os funcionários…” leia-se “… enquanto alguns funcionários…”