Home UCAV Voa o nEUROn

Voa o nEUROn

260
30

No dia de hoje o nEUROn, demonstrador europeu de tecnologia  furtiva não tripulado (UCAV) completou com sucesso seu primeiro voo a partir das instalações da Dassault em Istres, em colaboração com a equipe de ensaios em voo da DGA.

O nEUROn foi lançado em 2005 e participam do programa, além da França, Itália, Suécia Espanha, Grécia e Suíça. Ele reúne o que há de mais moderno em termos de tecnologia aeronáutica na Europa.

Com a Dassault Aviation atuando como contratante principal. o programa foi desenvolvido com o propósito de reunir o conhecimento das empresas Alenia Aermacchi, Saab, EADS-CASA, HAI, RUAG e Thales.

Com um comprimento de 10 metros, uma envergadura de 12,5 metros e peso de 5 toneladas (vazio), a aeronave é movida por um motor Rolls-Royce Turbomeca “Adour”.

O nEUROn continuará com os seus ensaios na França até 2014, quando será enviado para Vidsel, na Suécia, para uma série testes operacionais. E depois seguirá para o campo de provas de Perdadesfogu, na Itália, para novos testes, incluindo disparo de armas e análise da furtividade.

FONTE/FOTO: Dassault (tradução e adaptação Poder Aéreo)

VEJA TAMBÉM:

Subscribe
Notify of
guest
30 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Groo
Groo
7 anos atrás

Estranho a Turquia não fazer parte deste projeto. A Turquia, que já operou apenas os restos de outros membros da OTAN, atualmente possui forças armadas modernas e desenvolve localmente vários projetos de defesa que não ficam a dever a nenhum outro país desenvolvido.

Groo
Groo
7 anos atrás

Já havia me esquecido: finalmente essa aeronave decolou!

Ivan
Ivan
7 anos atrás

Groo,

Talvez por causa da Grécia.
A empresa Hellenic Aerospace Industry S.A. (HAI) faz parte do consórcio, apesar de ter dúvidas quanto a saúde de qualquer empreendimento grego no atual momento.

Abç,
Ivan.

Groo
Groo
7 anos atrás

Pode ser, mas a participação da Grécia costuma tão pequena para ela botar esta banca toda. A Turquia é odiada por todos os países que sofreram ocupação mas sempre foi uma grande parceira da Alemanha, o peixe grande da UE. Por outro lado a Grécia participa do programa do míssil IRIS-T e a Turquia não. Já a Grécia não faz parte do programa F-35… Na época da formação do consórcio nEUROn a Turquia era “amiga” de Israel que possui uma grande tradição em UAVs. Hoje Israel treina com a Grécia (que opera S-300 ex-Chipre) e é criticado duramente pela Turquia,… Read more »

Control
Control
7 anos atrás

Senhores

Ao buscar uma posição de liderança no mundo muçulmano, a Turquia, hoje governada por um partido islâmico, esta se afastando da Europa e gerando um fator a mais de instabilidade no mediterrâneo. Não é improvável que ela acabe saindo da OTAN (por mais que os EUA não desejem isto) e a Grécia acabe voltando ao que era no fim do século XIX: a fronteira da Europa com o islã.

Sds

Marcelo
Marcelo
7 anos atrás

e como sempre, a dona Inglaterra ficou de fora, pois a liderança deste projeto é francesa. Realmente difícil juntar “todo mundo” na Europa! Outra ausência importante é da Alemanha.

Ivan
Ivan
7 anos atrás

Marcelo,
(1 de dezembro de 2012 às 22:25 )

Como sempre?

A Inglaterra participou de vários programas aeronáuticos europeus em conjunto com outros países, como por exemplo:
Panavia Tornado, Eurofighter Typhoon, Sepecat Jaguar, Airbus A400M, Lynx, Puma, Gazelle, sem falar dos mísseis.

A Alemanha por sua vez está em alguns destes:
Panavia Tornado, Eurofighter Typhoon e Airbus A400M.

Porque estão fora do nEUROn?
Uma boa questão.

Sds,
Ivan.

Nick
Nick
7 anos atrás

A Inglaterra tem seu próprio projeto, o Taranis. A Alemanha também tem o seu. Mas é claro, se forem espertos, unirão seus esforços em torno de um único projeto.

O nEUROn poderia ser ele, por exemplo, esse demonstrador que parece ser algo como 2/3 de um drone em tamanho real.

O que deveriam fazer seria uma concorrência entre os diversos projetos, e o mais promissor ir adiante, com participação de todos os países europeus. Seria o mais sensato. 🙂

[]’s

joseboscojr
joseboscojr
7 anos atrás

O alemão é o Barracuda.

joseboscojr
joseboscojr
7 anos atrás

Logico que o Barracuda está mais para um Reaper a jato que para um X-47B, mas….

Groo
Groo
7 anos atrás

E eu achando que o Barracuda e o Alenia Sky-X eram a mesma aeronave.

Estou integrando a Europa antes dos próprios europeus 🙂

Ivan
Ivan
7 anos atrás

Poggio, O turbofan Adour é para o demonstrador de tecnologia nEUROn. Acredito que para uma versão de produção busquem um turbofan maior e mais moderno, provavelmente uma versão da SNECMA M88 sem pós combustão. O Rolls-Royce Turbomeca Adour tem as seguintes especificações: Comprimento – 2,90 metros Diametro – 0,57 metros Peso vazio – 1,784 lb ou 809 kg Potência sem pós combustor – 6,000 lb ou 27.0 KN. O SNECMA M88-2 tem as seguintes especificações: Comprimento – 3,50 metros (seria mais curto sem o pós) Diametro – 0,90 metros (se manteria) Peso vazio – 1,977 lb ou 897 kg (seria… Read more »

Ivan
Ivan
7 anos atrás

Groo,

Integrar a Europa é o mais racional.
Porém alguns europeus relutam…

Sds,

Gilberto Rezende
Gilberto Rezende
7 anos atrás

Projeto Eurofighter Inglaterra e Alemanha se recusaram a dar a liderança para a França e ela caiu fora…

Projeto nEUron a França EXIGIU a liderança do projeto… E Reino Unido e Alemanha cairam fora….

O problema EUROPEU é a distribuição da vaidade e da rivalidade entre:
França x Reino Unido
França x Alemanha
Alemanha x Reino Unido

Estes três NUNCA se ENTENDEM…

O máximo que se consegue é juntar dois para sacanear o terceiro como no caso do Eurofighter…

joseboscojr
joseboscojr
7 anos atrás

Outro UCAV que está de vento em popa nos States é o Predator C.
Apesar de mais leve que o segmento do X-47B, também será dotado de baias internas e alto nível de furtividade, podendo ser operado em guerra de alta intensidade junto com o Global Hawk, o Sentinel e com o que irá surgir dos programas da USAF e USN.

Soyuz
Soyuz
7 anos atrás

Na minha visão o nEUROn tem um objetivo claro. Manter o departamento de engenharia da Dassault ocupado. O que seria o passo natural após o Rafale que seria um caça de quinta geração, não vai acontecer tão cedo, sobrou para o fabricante Frances o projeto de um UCAV, daí a condição inegociável de liderança francesa no programa. A Inglaterra sabe que se realmente precisar de um UCAV dentro de sua doutrina militar, podem recorrer aos EUA e ter acesso ao que de melhor existe no mundo nesta aérea. Alguns chamam isto de “dependência” dos EUA, eu chamo de pragmatismo. O… Read more »

Vader
7 anos atrás

Soyuz disse: 2 de dezembro de 2012 às 23:58 Ótimo comentário, caro Soyuz. Na verdade, os ingleses sabem que e empáfia francesa é o que atravanca a verdadeira união militar européia. Assim, não tendo condições de, sozinhos, manterem uma máquina de guerra do patamar da americana, melhor fazem se unindo aos EUA, do que ficar tolerando a arrogância franca. “Lacaios dos ianques” na Europa, como costuma dizer a corja antiamericana? Muito ao revés: pragmáticos. Aliás, o tal Taranis não deve passar mesmo de demonstrador pra pesquisa de tecnologia. Quando o bicho pegar será mais fácil adquirir dos EUA. A realidade… Read more »

Marcelo
Marcelo
7 anos atrás

Vader disse:
3 de dezembro de 2012 às 6:53

e o que é visto como “arrogância francesa” pelo pessoal a favor dos EUA (vejam bem, eu sou a favor do Brasil), pode ser entendido como uma opção por independência tecnológica e garantia de mão de obra qualificada na Europa, portanto meu caro, menos, um pouco menos…
Como eu gostaria que o Brasil seguisse o caminho que a França escolheu! Infelizmente nos falta muito (educação, nacionalismo, patriotismo etc…) para isso.
Abraços.

Vader
7 anos atrás

Marcelo disse:
3 de dezembro de 2012 às 8:43

A arrogância francesa não consiste em querer fazer tudo nacionalmente, o que de fato é louvável.

A empáfia consiste em ficar exigindo de seus parceiros europeus, tão capazes quanto si mesma, posição de dominância nos projetos multinacionais.

Como se vê, a arrogância francesa pode até dobrar países menores como Suécia, Espanha, Itália, etc. (ainda assim, nem sempre).

Mas não funciona com seus “iguais” como Inglaterra e Alemanha.

Mauricio R.
Mauricio R.
7 anos atrás

Algo que Marcel Dassault abominava, detestava, odiava, fabricar somente partes de uma aeronave; finalmente aconteceu:
A Dassault teve que engolir o orgulho e aceitar que partes do Neuron fossem fabricadas por terceiros.

Marcelo
Marcelo
7 anos atrás

Vader disse: 3 de dezembro de 2012 às 9:27 o que eu aho uma pena. A Europa poderá cometer com os UCAVs o mesmo erro cometido na 4a geração de caças e ficar com uns 2 ou 3 UCAVs semelhantes, mas sem escala de produção. Quanto à Inglaterra, já faz um tempo que realmente se voltou aos EUA, dando as costas à Europa. A exceção, é claro, é o Eurofighter, mas esse programa já tem mais de 2 décadas. De agora em diante, realmente vejo a Inglaterra mais e mais alinhada aos EUA, em detrimento da Europa. Está certo? Está… Read more »

Vader
7 anos atrás

Concordo prezado. Mas acho que os ingleses se cansaram dos projetos militares europeus depois do Eurofighter. Muito blábláblá, muito agradar a gregos e troianos, muita arrogância e empáfia, muito dodói e muita pouca praticidade, o que fez com que o EF-2000 tivesse trocentas linhas de produção redundantes em diversos países diferentes, elevando estratosfericamente custos apenas por orgulho nacional e pra fazer média com sindicalistas que querem garantir sua massa de manobra. Nos EUA não tem nada disso. E os ingleses são pragmáticos: sabem, até porque estiveram metidos em todas as guerras de maior porte nos últimos 500 anos, que com… Read more »

Ivan
Ivan
7 anos atrás

Só para lembrar:
Ingleses e norte americanos falam inglês.

Vader
7 anos atrás

Ivan disse: 4 de dezembro de 2012 às 7:19 Ivan, brasileiros e portugueses também falam a mesma língua e nem por isso o Brasil tem F-16 ou faz parte da OTAN. Ou Portugal tem AMX e ALX. Não é por aí. O caminho é que a Inglaterra realmente “se encheu” da empáfia e arrogância francesa e da eterna desunião e desconfiança continental, em matéria militar. E foi apertar a mão de sua ex-colônia, que lhe oferecia todas as vantagens tecnológicas e financeiras sem nenhum dos incômodos de ter de ficar deblaterando sobre quem manda mais. Sds.

Baschera
Baschera
7 anos atrás

Mudando de saco (UCAV) para mala (UAV)…..

Os iranianos dizem ter abatido e capturado outro VANT norte-americano que teria invadido seu espaço aéreo marítimo…. desta vesta vez foi um Boeing ScanEagle.

Sds.

Ivan
Ivan
7 anos atrás

MiLord Vader,

A língua comum foi apenas um lembrete.
Eles tem muito mais, inclusive sangraram juntos em diversos conflitos.
Certa vez, no sul dos EUA, fiquei surpreso quando o apresentador de um show (em um daqueles parques) pediu uma salva de palmas para os combatentes e ex-combatentes americanos e ingleses que estavam presentes.

Baschera,

Qualquer dia destes os pilotos iranianos vão encontrar um par de Eagles ou SuperHornets por trás de um UAV desarmado… rs rs rs.

Sds,
Ivan.

Justin Case
6 anos atrás

Amigos, bom dia.

Vídeo recente sobre o assunto nEUROn:

Abraços,

Justin