Segundo resolução publicada hoje no Diário da República de Portugal, foi autorizada a compra de seis aeronaves de patrulha marítima P-3C Orion da Alemanha para a Força Aérea Portuguesa.

Conforme o texto da resolução, “a aquisição de todo o inventário da frota proveniente da Alemanha surge como uma oportunidade de garantir a operação do sistema de armas P-3C CUP+ nos próximos anos sem constrangimentos significativos, assegurando a sustentação com níveis elevados de disponibilidade, pois, sem tais recursos, o incremento das atuais taxas de aprontamento de aeronaves, que progressivamente vão tendo crescentes períodos de indisponibilidade por necessitarem de ações de manutenção para as quais não existe material disponível no mercado, ficará comprometido.”

Ainda segundo o documento, “a Força Aérea Portuguesa está autorizada a realizar a despesa com a aquisição de todo o inventário da frota P-3C disponibilizado pela República Federal da Alemanha, constituído por seis aeronaves, conjuntos Mid-Life Upgrade (MLU), sobressalentes, equipamentos de apoio e bancadas de teste, bem como os simuladores de voo e de procedimentos táticos o montante máximo de 45 000 000,00 EUR, isento de IVA, cujos encargos orçamentais não podem exceder, em cada ano económico, os seguintes montantes:

a) 2023 – 9 000 000,00 EUR;

b) 2024 – 9 000 000,00 EUR;

c) 2025 – 9 000 000,00 EUR;

d) 2026 – 9 000 000,00 EUR;

e) 2027 – 9 000 000,00 EUR.”

Para ler a resolução na íntegra, clique aqui.

Subscribe
Notify of
guest

83 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Matheus

Agora que estão expandindo a ADIZ, é bom investir em aeronaves de patrulha.

A6MZero

Não sei se não ficou claro ou eu interpretei de modo diferente, para mim deu a entender que essas aeronaves vão ser usadas como fonte de peças para os 5 P3C CUP que já estão em uso em Portugal e não para ampliar a frota.

José Marinho

Pelo menos 3 que fizeram ou estao a fazer o MLU devem ser para voar, dado que deve haver 1 ou 2 dos de Portugal canabilizados para reparaçao dos que estao a voar. Como devem estar a voar apenas 3 com essa compra devem ficar a voar pelo menos 6 e o resto deve ser peças, mas tambem depende dos kits que existem para o MLU dos outros se vai vir tambem, Acho muito material por tao pouco dinheiro (peças, simulador, kits que eram para instalar nos outros 3), mas pode ser que venha tudo

kelson

Como os Alemães vão deixar de operar os P-3, não lhes faz sentido manter os equipamentos associados a ele, mais vale “vender” (leia-se doar) a Portugal, também como gesto de boa vontade entre os dois países.

José Manuel

Bom dia veio tudo mesmo o armazém e oficina na Alemanha veio completo para Portugal só não vem o pessoal como é óbvio

Cheret

^Não, estes aviões são para aumentar a frota, porque junto com eles vem kits de modernização (cada kit tem um custo de 20milhões de euros) e vão juntar-se à frota existente

José Manuel

Não vão ser usados como fonte de peças como não a muito material tem que ser feito de propósito para substituir as manutenções vão levar mais tempo então nunca a o problema de falta de aeronaves para fazer as patrulhas e com a compra das aeronaves Alemanha veio todo material , peças suplente que tinham em stock que era muito vai dar para muitos anos para todas aeronaves

Rinaldo Nery

Não entendi a relação entre Zona de Identificação de Defesa Aérea e aeronave de patrulha marítima.

Pedro

Deve ser porque você não se pronunciou durante ____________.

AVISO DOS EDITORES: A DISCUSSÃO ESTÁ PARTINDO PARA A PROVOCAÇÃO PESSOAL E NÃO TEM NADA A VER COM O TEMA DA MATÉRIA E A SEQUÊNCIA DE OPINIÕES DOS COMENTÁRIOS. LEIA AS REGRAS DO BLOG:

https://www.aereo.jor.br/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

Rinaldo Nery

De novo isso? Acho q já é a quarta vez. Algum tipo de transtorno?

Marcelo Andrade

Deixa Cmte, melhor eu nem comentar…..

Rinaldo Nery

Esses imbecis não merecem atenção.

Nonato

O que tem a ver pandemia???
Maduro e kim jong um disseram que lá não teve isso…

MestreD'Avis

Expandir a ZEE certo?

Zorann

Se existem unidades em bom estado por ai, por que não compramos?

Resposta: Empurra-empurra da Marinha com a FAB pra ver quem vai ficar com a patrulha.

Somos um pais de b**** mesmo

Fernando "Nunão" De Martini

Zorann,
Se já existem aeronaves dessa categoria em serviço (os P-3AM), com sistemas modernos e um programa de revitalização das asas em andamento, acho que o foco de aquisições deve ser outras aeronaves, e não de patrulha, ao menos por mais alguns anos.

Não sei se dá para colocar o “empurra-empurra” como vilão da história, afinal houve também modernização recente de outras aeronaves de patrulha, os Bandeirulhas. Se o “empurra-empurra” fosse fator relevante de estagnação, não teria havido nem modernização nem programa de revitalização.

Luís Henrique

Nunão, você tem muita paciência.

Zorann

Então pra vc a frota é suficiente. Quantos são mesmo?

Rinaldo Nery

Oito voando.

Silvano

sei não…realmente foram comprados 8 para estarem operacionais, mas a disponibilidade desses aviões parece ser baixíssima….arriscaria não mais do que 2 em condições voo a qualquer momento.

Rinaldo Nery

Não sei responder. Tem que perguntar p MB Rodrigo, Diretor da DIRMAB.

Fernando "Nunão" De Martini

Certamente não há 8 disponíveis, pois até onde sei ainda está em curso o programa de revitalização das asas. No ritmo divulgado de mais ou menos dois conjuntos de asas por ano, e como a entrega dos dois primeiros conjuntos foi em 2021, isso vai se entender até 2024. E se levarmos em conta a retirada das asas no PAMA-GL, transporte delas à Akaer em SJC, revitalização, entrega de volta, instalação e eventual IRAN nas aeronaves durante esse tempo de aguardo, acredito que tem havido sempre dois a quatro P-3AM indisponíveis no Galeão, conforme o processo vai andando e os… Read more »

Marcelo
Fernando "Nunão" De Martini

Marcelo, já estamos falando sobre isso mais abaixo, nesta mesma sequência de conversa, e o Santamariense já postou esse link.

Provavelmente essas três não tinham condições de revitalização das asas ou algo do gênero, após cerca de 10 anos de serviço desde a modernização.
As demais estão tendo as asas trocadas pela Akaer.

Dá uma olhada mais abaixo.

Pecatoribus

Boa tarde Coronel. Quando decolo ou pouso do Galeão (última vez neste fim de semana) e passo em frente à Base Aérea, dá para ver rapidamente alguns P-3. Uns dois ou três deles me parecem bem “depenados”, como se estivessem sendo canibalizados. O senhor tem como confirmar que todos os P-3AM adquiridos estão em condições de vôo? Obrigado. Abs.

Rinaldo Nery

12 células adquiridas, pra 8 serem modernizadas. Esses que vc vê no PAMAGL são os 4 para suprimento.

Santamariense

Rinaldo, foram adquiridas 12 células. Modernizadas 9 e 3 para fonte de peças. Das modernizadas, pelo menos 3 já foram desativadas e vendidas como sucata.

Pecatoribus

Obrigado pela informação. Abs.

Fernando "Nunão" De Martini

Está sendo feito um programa de revitalização das asas pela Akaer. As aeronaves são desmontadas no Parque de Material Aeronáutico do Galeão (especializado nas aeronaves de grande porte da FAB) e as asas são revitalizadas nas instalações da empresa em São José dos Campos, com substituição de revestimentos superiores, longarinas dianteiras e traseiras, painéis superiores e inferiores dos caixões centrais asa/fuselagem entre outros componentes. Segundo a empresa, isso corresponde a mais de 80% da estrutura primária da asa e do caixão central, o que inclui a troca dos quatro “Main Ring Fittings” da fuselagem. O programa começou em 2018, passou… Read more »

Pecatoribus

Obrigado

carlos alberto soares

Tem que sair da FAB e ir para a MB.

Marcelo Andrade

A MB não quer. Alias, a RAF, RAAF, RANZF, Canada, etc, fazem a Patrulha Marítima nos seus países.

Rinaldo Nery

Nossa, quatro entre centenas. Interessante…

Marcelo Andrade

kkk o Cmte, tiro amigo, fraticídio, kkkkk, quis informar que nestes países é a Força Aérea que faz a Patrulha, por tradição tb, assim como aqui, não que eu não desejaria que fosse a Marinha!

Sensato

Pois é. Infelizmente, ao invés de operar os P3 que teriam algum grau de capacidade bélica efetiva, a MB continua insistindo em operar os obsoletos e inúteis A4, fora os Grumman Trader dos quais ninguém mais ouviu falar.

Marcelo Andrade

os Trader foram cancelados, graças a Deus!!

Fernando "Nunão" De Martini

Preferia que fossem mais, quem sabe uma dúzia de P-3AM, além dos P-95M Bandeirulha.

Porém isso não muda meu argumento: há outras áreas com mais prioridade agora, no caso a Aviação de Caça, que teve esquadrões desativados, outros reduzidos, e cujas aeronaves há muito pedem pra dar baixa. Há um programa (F-X2, do F-39 Gripen) em andamento, mas por enquanto está num primeiro lote que cobre pouco mais do que a metade do que considero o mínimo necessário.

A Aviação de Patrulha, por outro lado, tem três esquadrões equipados com aeronaves de modernização recente e pode esperar um pouco mais.

Santamariense

Nunão, Rinaldo e outros colegas que debatem sobre o quantitativo de P-3AM. A FAB modernizou 9 exemplares dessa aeronave, matriculados de 7200 a 7208. Dessas, pelo menos 3 já foram leiloadas como sucata (exemplares 7200, 7201 e 7208). Assim, há em carga hoje na FAB, no máximo 6 exemplares dessa aeronave.

https://www.joaoemilio.com.br/leilao/2951/lotes

https://forcaaerea.com.br/sucata-de-p-3am-orion-da-fab-oferecida-em-leilao/

Fernando "Nunão" De Martini

Obrigado pela informação. Sobrou um tempinho aqui e fui checar matéria feita pelo Poggio em 2011 sobre o programa e, de fato, foram 12 aeronaves adquiridas, matriculadas de 7200 a 7211, sendo as 3 últimas (7209, 7210 e 7211) para servir de fontes de sobressalentes. Encontrei o contrato e aditivos, assinados com a Akaer, no Diário Oficial da União. Esse é o extrato do contrato original, que se refere às asas de apenas 3 aeronaves por cerca de 34 milhões de reais: EXTRATO DE CONTRATO Nº 69/2018 – UASG 120195 Nº Processo: 67101001333201826. INEXIGIBILIDADE Nº 15/2018. Contratante: COMANDO DA AERONAUTICA… Read more »

Santamariense

Nunão, acredito que seja bem nessa linha que vc colocou. Os aditivos ao contrato inicial, com seus aumentos dos valores, indica que pode ser mesmo que todas as 6 aeronaves restantes terão suas asas trocadas. Seria ótimo frente à necessidade dessas aeronaves estarem operacionais e para dar um fôlego temporal para que ocorra a esc0lha de seus substituto, seja para operação na FAB ou na MB.

Marcos R

Saindo um. Pouco do tema, alguma informação sobre IL76 destruídos?

Fernando "Nunão" De Martini

Está no blog das Forças Terrestres. A agência russa TASS confirmou que dois deles foram incendiados. Não sei sobre o estado de outros dois que disseram ter sido atingidos.

Marcos R

Obrigado, vou olhar lá.

Matheus

Deu toda essa birra pra ser taxado kkkk

Gabriel BR

O mar territorial Português somado a zona exclusiva de exploração é uma área enorme.
Grandes poderes = Grandes responsabilidades

Samuca cobre

O Brasil tem um território marítimo enorme, ñ éra necessário ter mais aeronaves??

Rinaldo Nery

Sim.

Andrey

Acho cel. que a preocupação maior da FAB é achar um avião de Sheik para o desmandatário mor da nação.

AVISO DOS EDITORES:

5 – Não use o espaço de comentários como palanque para proselitismo político, ideológico, religioso, para praticar ou difundir posturas racistas, xenófobas, propagar ódio ou atacar seus desafetos. O espaço dos comentários é para debate civilizado, não para propaganda ou interesses pessoais;

6 – Mantenha-se o máximo possível no tema da matéria, para o assunto não se desviar para temas totalmente desconectados do foco da discussão;

https://www.aereo.jor.br/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

Rinaldo Nery

Agora é. “20 dias de glória e 20 anos de incômodo”. Gen Freire Gomes, Dez 2023.

Rinaldo Nery

Ops! Dez 2022

Willber Rodrigues

Eu vejo notícias sobre os Orions e sobre aviação de patrulha naval, e só consigo pensar em quem vai ficar com a responsa quando chegar a hora de aposentar os Orions e escolher um substituto…
Capaz da FAB continuar com a bucha´´ nas mãos e ter que ir atrás disso, porque a MB continua fingindo que não é com ela..

Rinaldo Nery

É por aí. Mas o futuro das missões de Esclarecimento Marítimo (diferente de Patrulha Marítima) são os drones.

Willber Rodrigues

Mas a questão continua:
Esses drones vão ser pedidos e financiados por quem? A FAB, que vai ter que tirar o escorpião do bolso pra isso, ou a MB, que finalmente vai trazer a responsabilidade pra sí?
Particularmente, aposto na 1º opção…

Rinaldo Nery

A MB, coitada, nem navios tem…

Alex Tiago

Coronel. O senhor não concorda que os kc390 seria uma opção para patrulha de longo alcance? Ou o senhor acha que Stones estarão operacionais aqui com a FAB já nos anos 30 antes da maioria das forças no mundo. Os americanos tem mais de 100 aeronaves de patrulha operacionais. Não seria cedo demais o Brasil a frente demais?? Voltando a aeronave talvez o Erj190 naval???

Alex Tiago

Stones não Drones esse corretor do celular

Fernando "Nunão" De Martini

Alex, se está falando de drones, o comentário do Rinaldo sobre drones refere-se a esclarecimento marítimo, substituindo P-95, e não P-3, que realiza missões bem mais complexas de patrulha marítima. Suba alguns comentários.

Last edited 10 meses atrás by Fernando "Nunão" De Martini
Rinaldo Nery

A diferença entre Esclarecimento e Patrulha é o emprego de armamento. Pra você fiscalizar a ZEE e verificar se há pesqueiros chineses ou navios lançando óleo estão em nossas águas, basta um drone com um bom OIS (Optical Ibfrared System). Se você quer combater um submarino, vai precisar de uma aeronave. Se você quer lançar um míssil num navio, um drone também resolve.

Alex Tiago

Coronel. Referente a substituição das aeronaves mais antigas por aeronavez P390 ou kc390???

Santamariense

Substituto dos P-3, se for uma aeronave da Embraer, tem que ser o E-190/195. KC-390 é para outras missões.

Otto Lima

Concordo plenamente com você. Se quiserem um substituto da Embraer para os P-3BR e P-95M, que desenvolvam um derivado dos jatos regionais da Família E-Jets E2. Se quiserem um substituto estrangeiro, pode ser o C-295 MPA Persuader, que tem comunalidade com os C-105 e SC-105 Amazonas já em uso pela FAB.

Em amos os casos, as aeronaves tripuladas poderiam ser complementadas com drones.

Sensato

E uma providência que poderia abreviar e baratear o processo seria procurar conversar com a marinha do Paquistão e a Leonardo (se não me engano) para usar o que já desenvolveram.

Rinaldo Nery

A plataforma KC-390 tem custo operacional maior que um E-195. Mas os foristas custam a entender.

Sensato

E mesmo assim não encosta os A4 sob a furadissima desculpa de “manter a doutrina”.

André Sávio Craveiro Bueno

Creio que há uma lei que regulamenta essa responsabilidade. Leis podem ser alteradas. De uma forma ou de outra e mais importante do que quem vai operar é o Governo Federal oferecer condições, ou melhor, verba, para que as operações de esclarecimento marítimo sejam realizadas da forma adequada.

EduardoSP

Parece que a prioridade das forças, agora, é um aumento de 9% para os praças, uma vez que os benefícios aprovados em 2019 foram para os oficiais.
Mas não duvido que a demanda dos 9% acabe atingindo a todos, praças e oficiais.

Artur Teixeira

E conhecereis a verdade.

Lei no Brasil atual não serve para nada. Penso que esse fato já é indiscutível.

As Forças Armadas não cumprem a Lei e nem suas Obrigações Institucionais.

Marcelo Andrade

kkkkkkk, cara, tu tá no Canal certo?

DanielJr

No futuro, será que eles não poderão ser revitalizados ou sofrer alguma manutenção profunda com a OGMA/Embraer/Akaer? É um bom contratinho, vai pingando uma moeda e dá trabalho para as nossas empresas.

glasquis7

É, ai aproveita e muda o nome de P3 Orion pra P3 Highlander

A6MZero

Os atuais P3 portugueses vão ser modernizados pela General Dynamics, o contrato foi fechado ano passado.

Essas novas unidades provavelmente serão fontes de peças, mas se por ventura forem postas em voo o mais provável é a modernização feita pela mesma empresa dos atuais para padronização da frota.

Rafael

Sou um admirador dos P-3, é eficiente e clássico ao mesmo tempo.
Bom para quem opera e bom para quem admira o design aeronáutico. Impõe respeito!
O mesmo vale para o Tucano, F-16, C-130…

Miguel

E as aeronaves vêem preparadas p combater incêndios certo?acredito que as mentes brilhantes do nosso país tenham pensado nisso!!!é q s n for assim n servem p nada.. é q em Portugal perde-se mais vidas a combater incêndios do que em alguma guerra no país..partindo do princípio q o interesse d quem governa é a VIDA!!!dá a entender q é mais um processo de lavagem de dinheiro..mais uma vez.. Portugal no seu melhor..

glasquis7

P3 não combate incêndios diretamente mas, pode ser utilizado para guiar os aviões tanque (cisterna) otimizando o combate ao fogo.

José Marinho

Essas aeronaves não são nem nunca foram de combate a incêndios. Quanto muito e se estiverem equipadas com os respectivos sensores podem ser usadas em vigilância. Mas os drones já fazem isso e são muito mais baratos de operar.

Santamariense

Essas da matéria, não. Mas, existem P-3 de combate à incêndio, de empresa privada que opera nos EUA.

glasquis7

Tenho entendido que esses eram P3 Electra, não Orion mas, posso estar enganado.

Santamariense

Não, são P-3 Orion mesmo. Não coloco imagem aqui por que não tem mais o botão para isso e não sei outro modo.

Santamariense

Valeu, Roberto! Obrigado.

Santamariense

As aeronaves em questão, tanto as que Portugal já opera como as que estão sendo adquiridas da Alemanha, não possuem capacidade de combate à incêndio. Mas, existem P-3 modificados para combate à incêndio nos EUA, de propriedade de uma empresa privada.

António Rodrigues

Já foram utilizados para patrulhamento durante a noite de zonas sensíveis do território nacional mas sai caro.
Têm sensores que detectam calor.

https://observador.pt/2020/07/20/incendios-42-militares-e-aviao-p-3-destacados-para-fazer-vigilancia/

António Rodrigues

Quanto ao resto é melhor ler a notícia sem segunda intenção temos unidades que estão paradas por falta de peças de reposição visto o fabricante já ter encerrado o fabrico do aparelho, vão servir para reposição de peças e se tiver alguma em melhor situação que as nossas maravilha.
Tem negócios piores que esse…..

Wellington Góes

Esses aviões não durarão pra sempre, como estamos dando uma extensão na vida dos nossos P-3AM também. Como, enfim, mudamos a atuação para expandir em novos mercados, com os produtos Embraer, uma oportunidade para, além do Brasil, trazer Portugal ao projetos EMB-190MP (P-190). Quando estiver pronto, ambos os P-3 deverão estar dando baixa.