F-35A

F-35 continua a ser a escolha das forças aéreas em toda a Europa

O Ministério da Defesa alemão anunciou que está adquirindo 35 aeronaves Lockheed Martin F-35 Lightning II de 5ª geração.

“Parabéns à Alemanha pela aquisição do F-35A. A Alemanha é o nono país de vendas militares estrangeiras a aderir ao programa”, disse o tenente-general Michael Schmidt, Diretor Executivo do Programa F-35. “Estamos ansiosos para trabalhar com eles para entregar o F-35 Air System para atender aos requisitos de defesa nacional”.

O acordo inclui um pacote abrangente de motores, equipamento de missão específico, peças sobressalentes e de reposição, suporte técnico e logístico, treinamento e armamento.

“É uma honra receber formalmente a Alemanha no programa F-35 Lightning II. A participação da Alemanha garante que a aliança europeia do F-35 continue a se fortalecer e crescer por meio da interoperabilidade com a OTAN e nações aliadas”, disse Bridget Lauderdale, vice-presidente da Lockheed Martin e gerente geral do programa F-35. “O F-35 é o caça mais avançado, de melhor capacidade de sobrevivência e de melhor valor, dando aos pilotos a vantagem crítica contra qualquer adversário, permitindo-lhes executar sua missão e voltar para casa com segurança”.

A Lockheed Martin tem sido um parceiro comprometido com a Bundeswehr por mais de 50 anos, e o F-35 abre outro capítulo de apoio aos interesses da Alemanha para a segurança nacional e europeia. Até a década de 2030, espera-se que mais de 550 F-35s trabalhem juntos em mais de 10 países europeus, incluindo dois esquadrões completos de F-35 dos EUA na RAF Lakenheath.

Como pedra angular para a interoperabilidade com a OTAN, o F-35 é o único caça de 5ª geração disponível hoje para fortalecer a capacidade operacional da Alemanha com aliados. A conectividade tornou-se cada vez mais importante à medida que o espaço de batalha continua a evoluir, e o F-35 está posicionado para desempenhar um papel crítico nessa mudança e contribuir para as missões de segurança do século XXI.

Até o momento, o F-35 opera a partir de 26 bases em todo o mundo, com nove nações operando F-35s em seu território. Existem mais de 875 F-35 em serviço hoje, com mais de 1.845 pilotos e 13.350 mantenedores treinados na aeronave.

FONTE: Lockheed Martin

Subscribe
Notify of
guest

89 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Rui Chapéu

E a caravana F-35 passa enquanto os cães ladram….

Na real, isso só mostra o quanto o projeto do Eurofighter foi um fracasso colossal.

Se tivessem todos seguidos os franceses com o Rafale, teriam um avião que serviria embarcado e poderia carregar armas nucleares.

Mas ficaram com um avião que não pode nem um, nem outro e ainda tiveram que comprar o F-35 da concorrência.

E se tivessem aprendido ainda…. mas já tem uns 2 projetos europeus novamente…

vai dar ruim novamente.

Hcosta

Sim, se há algo que os países Europeus necessitam é de caças para PA e capazes de carregar armas nucleares… A Alemanha precisa de uma versão embarcada? O Thyphoon por não ter versão embarcada e a capacidade de transportar armas nucleares isso significa que é um fracasso? Com mais do dobro de aviões produzidos e com mais encomendados? A Alemanha tem um dos melhores caças interceptadores e agora terá um caça de 5ª geração, stealth e com capacidade de carregar armas nucleares. A França terá somente um caça de 4,5G e aparentemente vai ser assim por muitos anos. E não… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Hcosta
Rui Chapéu

A questão toda ai é que tudo o que o Typhoon faz, o Rafale faz tb só que tem essas 2 capacidades a mais.

Alemanha não precisaria de F-35 se tivessem em comum acordo com o Rafale.

Inglaterra poderia ter os seus PA utilizando Rafales com catapultas tb…

Essa é a questão.

Se a Europa queria ter um avião pra toda ela, o Rafale era a melhor opção.

No fim, fazem um avião capado e se obrigam a comprar dos americanos de qualquer jeito.

Hcosta

E o Rafale faz tudo o que o F-35 faz?

Repito, ter liberdade de escolha é positivo. A Alemanha terá um caça de 5g em poucos anos e a França vai demorar décadas para ter um…

E a história dos PA é muito mais complicada do que isso…

M4|4v1t4

Se comparar o Typhoon com o Rafale na missão de interceptação e PAC o Typhoon leva ampla vantagem, já que tem o mesmo RCS mas sobe mais rápido, tem um teto de serviço maior e é mas veloz no supercruseiro e em velocidade máxima. Além de possuir uma persistência de combate que só pode ser comparada com a família Flanker e os caças norte-americanos, sobretudo F-15 e F-14 No final dos anos 80 e início dos anos 90, era tido como certo que em uma guerra com a URSS, esta teria feito o primeiro ataque de surpresa e, contando com… Read more »

Sensato

É complexo conjugar enormes ondas de bombardeiros estratégicos e surpresa na mesma frase. Não tem como movimentar, abastecer, armar, decolar e voar tantos aviões tão grandes sem que se perceba.

M4|4v1t4

Até tem, desde que o seu inimigo não sobrevoe seu território com SR-71, U-2 e tenha satélites espiões geoestacionados sobre o seu território

Mas ainda que a surpresa acabe, há sempre o lapso entre inteligência, diplomacia e ações políticas e militares

Daí a importância dos blefes e “exercícios” de vez enquando. Eles quebram o estado de prontidão do seu inimigo que, quando for a hora H de verdade, ficará na dúvida

rui mendes

O Typhoon é o melhor caça para combate bvr, tirando os de 5geração, e é também um excelente avião para ataque a terra, com bombas guiadas e mísseis de cruzeiro.
Isto é dito por quem sabe, os pilotos.
A Alemanha compra o F35, por ser 5geração e ter sido integrado com bombas nucleares, mas no caso das bombas nucleares, qualquer caça o pode conseguir, basta ter dinheiro para o fazer, aliás bombas nucleares, o Tornado têm essa capacidade, não é nada do outro mundo.

Luís Henrique

Caro Rui, a Alemanha pode comprar o Rafale a hora que quiser, tenho certeza que a França venderia e ficaria muito feliz. Eles escolheram o F-35 talvez por ser a única opção disponível com capacidade furtiva, o que aumenta em muito a chance de sobrevivência para realizar suas missões, como a de ataque nuclear.
Outra coisa, a bomba nuclear cedida à Alemanha, é americana, portanto não deve estar validada para operações com os caças franceses Rafale.
Os EUA devem dizer mais ou menos assim: Nós te oferecemos nossas bombas nucleares, confiamos em vocês e vocês compram caças americanos para usá-las.

Inimigo do Estado

Typhoon é fracasso com quase 600 unidades produzidas? Fracasso é esse avião aí, que não pode voar se tiver esporos de fungos no ar. Aliás o bichinho é tão bom que seus operadores já estão pensando na troca, a exemplo do Japão e RU.

Marcelo

Essa venda se deu exclusivamente devido à missão de ataque nuclear usando bombas americanas. Seria muito caro fazer a implementação no Eurofighter e os EUA já estão integrando a bomba ao F-35A.

icaro

Por favor, alguém pode me dizer o que um avião de ataque precisa ter para possuir a capacidade de lançar bombas nucleares de queda livre ou misseis nucleares?

Camargoer.

Olá Ícaro. Boa pergunta. Imagino que a integração do armamento na aeronave seja similar ao dos armamentos convencionais, contudo o sistema deve ter redundâncias de segurança e uma criptografia diferente, contudo a sua pergunta é muito boa.

ICARO

Muito obrigado pelo esclarecimento

Mazzeo

O problema é a integração do PAL (Permissive Action Link) no sistema da aeronave, esse sistema é integralmente americano, e sua integração não é apenas software, tem uma parte robusta de hardware tambem. Alem disso há o reforço contra EMP em circuitos e no próprio cabeamento já que essas aeronaves estão muito mais sujeitas a EMP por conta da proximidade de uma detonação. A blindagem EMP mexe com muita coisa na parte eletrônica e de cabeamento da aeronave. Fora os testes normais de integração, como ejeção, aerodinâmica com cargas normais e dissimilares, testes de separação e mais um montão de… Read more »

M.@.K

Show!

737-800RJ

Não sabia de todos esses detalhes. Obrigado pela explicação!

Ivan

Mazzeo, Obrigado pelo esclarecimento. O que você descreveu exige um investimento significativo, que já foi feito no projeto do JSF F-35. Portanto, para se apresentar como caça-bombardeiro com capacidade nuclear, implantando uma dissuasão crível, é mais simples comprar um ou dois esquadrões de aeronaves americanas já configuradas para lançar bombas americanas. . Outrossim, deve ser considerado que o ÚNICO caça-bombardeiro ocidental capaz de penetrar uma IADS – Integrated Air Defense Systems, que estaria presente em uma guerra entre Rússia e OTAN, seria o F-35 “qualquerletra”. . Outro caça ou caça-bombardeiro ocidental precisaria usar armas stand-off nas fases iniciais, o que… Read more »

Mazzeo

Olá Ivan,

Exatamente, o que vem no projeto do F35 e do Tornado (apenas o IDS, não o ADV de superioridade aérea) o Typhoon não trouxe.

Lembrem-se que o Tornado teve seu IOC apenas na configuração de Superioridade Aérea e, só bem depois obteve capacidade de ataque, mesmo assim secundária.

Esse é um grande ponto no uso do Rafale e dos Mirage na triade de dissuasão nuclear da França, já que eles usam o ASMP, uma arma Stand Off.

Agradeço o complemento e os sempre cirúrgicos comentários.

Saudações de um velho infante naval.

Antropólogo

Muito bom! Parabéns pela ajuda!

ICARO

Muito obrigado pelo esclarecimento

rui mendes

Um fracasso é o teu conhecimento do caça Typhoon, ou a tua inveja, das duas uma.

Leonardo Cardeal

Bem forte a palavra fracasso! Acho que são aeronaves de épocas e com tempo de vida diferente e, no fim, propósitos diferentes.

Marcos Silva

“…quanto o projeto do Eurofighter foi um fracasso colossal.”
sério que vc escreveu isso? O Typhoon está bem longe de ser um fracasso.

Luiz Trindade

Historicamente a Europa briga entre si. A Comunidade Europeia é legal na tentativa de reunir interesses em comum mas sempre vão desconfiar um do outro. E ae chega um camarada com boas intenções (O inferno esta cheio) apresenta um uma caixinha dourada dizendo que tem coisas boas e bonitas e no final entra pelo cano! Quando aprenderem que apesar das diferenças todos são europeus e precisam pensar como um só, se é que isso irá acontecer um dia, terão material de primeira linha pois tem capacidade para faze-lo!

Hcosta

Não, não precisam de pensar como um só. Essa é a grande diferença e vantagem da UE. Assim cada país mantêm a sua independência em vários assuntos. Se quiser juntar-se a um projeto Europeu não há problema nenhum, assim como o seu inverso. Deus nos livre de sermos obrigados a comprar material da França. Muito mais caro do que os seus concorrentes. O “Pensar como um só” nunca trouxe grandes resultados. Normalmente isso leva as projetos políticos megalómanos em que a capacidade militar é relegada para segundo plano. Chegamos ao ponto onde já não há concorrências/concursos. As indústrias já estão… Read more »

Carlos Crispim

Exatamente. E pior foi um certo país da AL que pagou mais caro do que isso na mesma quantidade de gripados, da geração 3, com uma promessa de ToT para empresas que não tem capacidade de absorver, aliás, o país inteiro não tem capacidade industrial, fabril, nem intelectual de entender a tecnologia, mas a Alemanha compra de prateleira, nós não podemos, esse conhecimento entregue a peso de ouro vai se perder com o tempo, do mesmo jeito que foi com tantos outros…Imaginem 36 F-35 na FAB? Que massa!

Coutinho

Vocês sempre com essa ladainha. Esquecem que para os EUA, o Brasil não tem o status da Alemanha e os F-35 não custariam esse preço.

Mauro Oliveira

Na verdade é que o processo de certificação do Typhoon para carregar as armas nucleares americanas seria tão caro e demorado que preferiram comprar algo já certificado

https://www.cavok.com.br/super-hornet-ganha-vantagem-sobre-o-typhoon-em-competicao-na-alemanha

“Isso aconteceu depois que as autoridades de defesa alemãs receberam informações do Pentágono sobre o tempo necessário para certificar o Eurofighter para o transporte de armas nucleares, de acordo com um artigo do Süddeutsche Zeitung.”

Os americanos falaram de 3 a 5 anos para certificar o typhoon a mais que os caças americanos.

Bruno Vinícius

O f-35 é verdadeiramente o F-16 da 5ª geração

Rômulo

É o que tem no Ocidente, atualmente.
Não há outra opção.
Em que pese todos os seus problemas .
Além disso, o Governo alemão está totalmente alinhado ao americano.
Isso não vai alterar em nada os acontecimentos que estão por acontecer.

Willber Rodrigues

Não teve um alto oficial militar alemão que foi afastado ou despedido por ter falado que a Alemanha precisava do F-35?

Rômulo

16/11/22

‘Indústria Aeroespacial Alemã: a compra do F-35 foi um erro!’

Os representantes da indústria estão questionando os valores, a ausência de empresas locais na manutenção e reforma das aeronaves e o afastamento dessas empresas dos projetos de defesa alemães que, segundo eles, carece de estratégia.

Bruno Vinícius

Ninguém mais ninguém menos do que o comandante da Luftwaffe. O lobby da indústria europeia foi forte, porém, no fim, venceu a Luftwaffe.

https://www.aereo.jor.br/2018/03/17/comandante-da-luftwaffe-e-demitido-por-apoio-ao-caca-f-35/

Last edited 1 mês atrás by Bruno Vinícius
André Macedo

No fim, venceu a Lockheed*
Kkkkkkkk

Jacinto

Quem venceu, como sempre, foi a realidade. Os europeus precisam de uma capacidade que o F-35 tem e que os caças europeus não têm, ou mais correto: tinham (com o Tornado) e perderam. E perderam porque passaram os últimos 30 anos sendo irresponsáveis com a própria defesa.

Jagderv#44

A caravana do F35 passa e o da lu@ com seus 1000 apelidos chora.

Camargoer.

Rapaz…. em conta de padaria, cada avião custará US$ 228 milhões. Apenas para comparação, cada F39 da FAB está custando cerca de US$ 100 milhões, incluindo armas, tecnologia e participação da industrias nacional…. a Polônia pagou cerca de US$ 150 milhões por cada F35….

Rômulo

Prezada Camargoer.

A Europa e os EUA entraram em uma espécie de ‘ação entre amigos’.
‘A’ vende para ‘B’ que repassa para ‘C’ como se isso fosse mudar alguma coisa no cenário mundial.
Não vai adiantar nada.
Esses 35 caças poderiam estar nos EUA, Alemanha, Noruega ou qualquer outro.
Os problemas deles são comuns e, de solução muito difícil ou impossível.

Santamariense

Tu sabes o que está incluído no pacote? Desde manutenção, treinamento e armas? Qualquer afirmação, sem saber o que está incluído, não passa de conta de padaria, mesmo.

Teropode

Por isso a conta foi de padaria !

Bruno Vinícius

Pelo menos agora o valor está mais fácil de ser explicado (anteriormente se falava em 280+ milhões). Se houve um pacote de armamentos e suporte robusto, treinamento, etc., o valor estará em linha com o esperado.

Last edited 1 mês atrás by Bruno Vinícius
Fábio

Mania de enfiar o lixo do Gripen no meio.. um é um caça de papel não comprovado e o outro é um dos melhores caças.. sem falar que você nem sabe quais adicionais tão inclusos.

Camargoer.

Olá Fábio. Como escrevi, são valores de comparação. Coloquei o valor do FX2 e o valor do F35 da Polônia, se juízo de mérito.

Matheus

Quer comparar F35 com F39, tá de sacanagem…

Dod

Caraca poh, +200 milhões por caça. É muita ostentação.E aqui a gente luta pra comprar 98 blindados por 5 bilhões de reais, ñ é nem o dolar, é o real, hahahaha.

Marcos Silva

Putzzz… Agora senti o quanto somos pobres…

Emmanuel

O acordo inclui um pacote abrangente de motores, equipamento de missão específico, peças sobressalentes e de reposição, suporte técnico e logístico, treinamento e armamento.

motores+equipamentos+sobressalentes+suporte+treinamento+armamento…

Rafael

O que me chamou a atenção foi a aquisição do AGM-158. A Alemanha sempre aparentou orgulho de seu míssil de cruzeiro – KEPD 350.

Pelo jeito a Luftwaffe não quis se dar ao trabalho e custo de integrá-lo ao F-35.

Antunes 1980

Ao meu ver uma compra desnecessária.
A Alemanha está no projeto FCAS (Sistema Aéreo de Combate do Futuro).
Até lá o Eurofighter daria conta do recado.
E pensando em artefatos nucleares, o Rafale preencheria essa lacuna com um custo muito menor.

Last edited 1 mês atrás by Antunes 1980
Teropode

Pra vc que esta aqui no berço explendido sim , pode esperar até 2045, ja a Alemanha tem uma certa urgencia e nem é precisa citar motivo , apartir de 2030 ja estarão operacionais , poupando um acrescimo de 15 anos. Nem vou citar o fato das bombas serem americanas e certamente adaptar o FCA para integra-la ja será mais um empecilho .

Nemo

Os artefatos nucleares localizados na Alemanha são americanos, não podem ser adaptados nos Rafale.

Bardini

Pra quem tem interesse sobre o pacote: https://www.dsca.mil/sites/default/files/mas/Press%20Release%20-%20Germany%2022-53%20CN.pdf . Nisto, estão os F-35, os simuladores, pacotes de armamentos e um gigantesco aparato logístico, onde entram desdes de os treinamentos e estruturas de apoio para o caça bem como todos os sistemas e armementos envolvidos no pacote. . Enquanto isso, por estas bandas, temos instituição falando em enfiar R$ 3,3 bilhões por um punhado mixuruca de blindados, tentando dar um ar de que é “pouco”, mas a coragem e hombridade por parte de seus comandantes, de mostrar o que tem dentro do “pacotinho” negociado, é completamente inxistênte. Deve ser “informação estratégica”… Read more »

Frederick

Essas matérias são interessantes porque há sempre alguém fazendo comparações impraticáveis entre países com obrigação de investir mols de dinheiro em Defesa com os problemas paroquiais do Brasil.

Para registro, os alemães acham essa aquisição insuficiente, oculta e cara. Deve ter um Bardini deles lá se estrebuchando também.

Em tempo; O STJ acaba de liberar a aquisição dos Centauros.

Last edited 1 mês atrás by Frederick
Bardini

Lançou blábláblá bonitinho…
.
O contrato dos caras representa um grande volume de dinheiro e foi atacado e defendido por muita gente. Este, ao menos tem um mínimo transparência, proveniente da parte americana, pra ser justo. O nosso? Só lobista de IDV lançando notinha: “ui, ui, olha que lindo o espelho que ganhamos!”
.
Mas enfim… Não vou desenhar.

Last edited 1 mês atrás by Bardini
Frederick

O apelo de fazer pouco da idoneidade de um processo transparente, só porque não condiz com o que acha que um instituição deve fazer, é simples birra.

Aparentemente não leu uma linha sequer do RPF.
E se leu, pelo visto, o EB terá de desenhar.

Avante.

Bardini

Li por diversas vezes o conteúdo do RFP, com seu norte definido. Dos custos e informações financeiras, englobando contratos de logística e suporte integrado, não vi uma linha sequer. Até pq, não é coisa para estar em um RFP. Se tu quiser me educar, apresentando este tipo de informação, eu agradeço.

Frederick

Aí está pedindo outra coisa que nem o supracitado documento mixuruca sobre o F-35 expõe. As diretrizes estão lá e ambos sabemos disso. Empilhando problemas, enfim. Bem, sugiro o seguinte, Bardini, faça um compilado das suas brilhantes sugestões estratégicas que tem para o EB. Anexe todas elas a uma outra ação civil pública, direito seu garantido pela CF/88, provando quão inútil o referido processo de aquisição é. Quem sabe, no futuro, isso possa motivar a inclusão de Audiência Pública [risos] e outras ferramentas participativas para aquisição de Defesa? Hum? Assim, talvez, fará muito mais do que simplesmente escrever acusações ao… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Frederick
Bardini

Não estou pedindo outra coisa. Por lá, lançaram ao menos um montante genérico para o bolo todo, não uma parte dele…
.
Malandro, é malandro.
E o blábláblá, é muito bonito. Parabéns!

Frederick

Obrigado.

🙂

Rommelqe

Bardini:obrigado pelo link. Logicamente todo o armamento e de origem americana. Ate mesmo o Meteor nao e, pelo visto, integrado ao F35A. Lembrar que o F35 A nao sera exclusivamente destinado ao lancamento de artefatos nucleares mas sera muito importante tambem como escolta em ambientes hostis com forte intensidade de radiacao nuclear e interferencias eletromagneticas que podem afetar todos os sitema de navegacao, de armass, etc. Suas blindagens para contramedidas eletromagneticas certamente sao muito complexas e dificilmente podem ser adaptadas por um eurofighter ou rafale. Quando os alemaes deram o braco a torcer nao e por que se trata de… Read more »

Frederick

Aqui está o link da RPF do VBC Cav MSR – 8×8, caso não o possua.
http://portal-vbccav.eb.mil.br/index.php/en/editoria-d

Bardini

Legal. Dentro do que eu disse, reforço: http://portal-vbccav.eb.mil.br/index.php/en/editoria-d?download=6:07-anexo-vi-ao-rfp-colog-nr-01-2022-modelo-de-tabela-de-preos
.
Falaram do contrato de aquisição de blindados, por R$ 3,3 bilhões. Esse número só saiu, depois de apertarem muito. E os de SLI, quanto custam? Cri, cri, cri…
.
Malandro, é malandro.

Frederick

Bem, ao menos gastou sua última hora lendo, finalmente, o documento.
Vide minhas sugestões acima.

Ficam os votos.

Bardini

E fica a falta da informação…

Lewandowski

Incrível como nossas Forças Armadas são obscuras nesse quesito. Como se fossemos o suprassumo da tecnologia e ngm pudesse desconfiar de nada. Pra mim, rola mta $ por de baixo dos panos…

Frederick

Todos as informações básicas da aquisição são públicos. Há órgãos de controle monitorando a concorrência, pautados por normas rígidas. O processo é transparente por inteiro, basta pesquisar.

Fosse levantado um impacto financeiro do mesmo valor, nos mesmos moldes, em “adaptação de Guarani a baixo curso” – mesmo sem saber muito bem o que isso significa – só veríamos aplausos e o processo seria probo.

Pura, pura birrinha. Nada mais.

Filipe Prestes

Não foi o Scholz que tinha dita semanas atrás que a compra do F-35 foi um erro? O que mudou de lá para cá? O fator dos mísseis nucleares deve ter pesado para que ele reconsiderasse a compra então…

Teropode

Mande o link , não achei nada a respeito disso .

Nilton L Junior

A Alemanha é vassala do imperialismo atlanticista sua soberania é limitada, do contrário teria se juntado ao Franceses ou então com os Suecos, essa aquisição tem cara de imposição não de negociação.

alexandre

atlanticista, papo besta esse seu, daqui a pouco vai chamar o Aquaman pois ele é o rei de Atlântida

Ivan

Kkkkk…
Essa do Aquaman foi ótima.
.
Mas, provavelmente, nosso amigo acima
discípulo de Alexándr Gélievitch Dúgin
não gosta dos filmes da DC…
.
Forte abraço,
Ivan Ivanovich.

Felipe Morais

Ô Ivan, não seja inocente,

Essa turminha aí “anti atlanticista” adere só até a página em que termina o discurso. Na parte prática, eles abandonam os dogmas e se lambuzam com os costumes “atlanticistas”.

Não duvide que nosso colega ai vive de desfrutar de Hollywood com Coca Cola e Mc Lanche Feliz.

Ivan

Mestre Felipe,
.
Conservo com orgulho a pouca inocência que me resta.
.
Em tempo:
O barbudo Alexándr Dúgin também adora os confortos “atlanticistas”.
Na verdade, a maioria absoluta desses ‘pensadores’ gostam muitíssimo das comodidades “atlanticistas”, tanto na terra deles quanto em viagem pagas por alguma ONG para palestras em hotéis de luxo no ocidente…
…para surpresa para ‘zero’ pessoas, evidentimente.
.
Um detalhe:
Não é Dúgin o pensador por trás da construção ideológica russa da atualidade… Ele é apenas aquele que fala inglês.
Porém, esse é outro assunto.
.
Forte abraço,
Ivan Ivanovich.

Nilton L Junior

Como eu sei que vc não é bot então merece réplica, com certeza ler pensadores não empobrece o conhecimento, como também ler o que think thanks escrevem, diferente do amigo que tem gosto por quadrinho, e acha o mundo da lua mais legal.
Ah eu gosto da Marvel la pelo o capetão matava nazista.

Teropode

Ele só quer trazer descontração para a galera , leva sério náo !

Machado

Não podemos esquecer nunca que a Alemanha é um país ocupado após fim da segunda guerra mundial, então suas escolhas não são totalmente soberanas/independentes. Vão além dos aspectos técnicos/financeiros. Tem muita ingerência política externa aí no meio. É triste mas é a verdade. São poucos os países que são livres pra fazer as melhores escolhas para si mesmos.

Santamariense

É só pedir para os borte-americanos saírem, retirarem todas suas tropas, equipamentos e bases do território alemão. Tu acha que os norte-americanos não sairiam? Sairiam, sim. Afinal, não iriam “guerrear” com os alemães. Mas, a pergunta é: os alemães querem que os norte-americanos saiam? Duvido!!!

Leandro Costa

Foi exatamente o que aconteceu com a França.

Santamariense

*norte-americanos

Frederick

A ministra da Defesa daquele país lembrou bem; é uma compra tardia e ainda insuficiente. Os alemães negligenciaram por décadas algumas aquisições para o setor, em especial, aeronaves com as capacidades do velho Tornado.

Charlie-Alfa-Zebra

Ainda o F-35 problemático, caro e em breve com nova tecnologia de radares multibanda incorporada, passarão a ser grandes elefantes cinzas pois no caso de uma guerra aérea atual, aviões furtivos tem sua utilidade apenas ofensiva, não tendo vantagem alguma em dogfight vantagem dos 4.5++ como Gripen 39, F-16 e os mais sofisticados F-15 e Rafale.
Já o F-22 e um caso a parte

Fábio

Parabéns pela quantidade de asneira falada.

Billy

Só tem amador adquirindo esse avião cheio de falhas kkk

Andre

Isso prq foi um fracasso e está cheio de problemas.

Imagino se tivesse sido um sucesso, estaria vendendo até para Marte.

Se o Putin estiver recebendo 1% do valor da venda como comissão por mais esse negócio que ele ajudou a LM fechar, a guerra está justificada.

koppa

Muito possivelmente as primeiras unidades devem substituir os já defasados Tornados IDS do TaktLwG 33, baseados na Renânia, oeste da Alemanha, encarregados de ataque nuclear de acordo com o Nuclear Sharing da OTAN. Lembrando que o orçamento militar alemão corresponde a apenas 1,5% do PIB daquela que é a maior economia europeia. Os ventos parecem estar mudando e de fato a ajuda alemã a Ucrânia só perde para a americana e britânica. Scholz se mostra disposto a assumir um papel cada vez maior na OTAN – após o legado Merkel basicamente ruir em fevereiro – e essa compra é um… Read more »

Adriano Madureira

Os europeus estão comprando um cavalo de Tróia, enquanto forem amigos da América,tudo bem, mas se em um hipotetico futuro nebuloso se tornarem inimigos, serão belos enfeites de hangar em várias bases européias.

paulo lahr

E a corrupcao da Lockheed ninguém fala. Estão pagando mais de 90 aeronaves e levando 35.

Machado

Eles gostam de ser feitos de otários. Tem até prazer