sábado, julho 2, 2022

Gripen para o Brasil

Chipre vai substituir helicópteros Mi-35 por H145M

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Chipre comprará seis helicópteros armados H145M para substituir os 11 helicópteros de ataque Mi-35 que estão atualmente em serviço com o Comando Aéreo do Chipre.

Os legisladores aprovaram o adiantamento de US$ 55 milhões para o acordo em uma sessão a portas fechadas em 20 de junho.

Relatos da mídia dizem que o acordo vale US$ 147 milhões e inclui armas para os helicópteros. O Chipre tem a opção de comprar mais seis H145Ms.

Os onze Mi-35 serão vendidos para a Sérvia, de acordo com reportagens.

Mi-35 do Chipre

- Advertisement -

80 Comments

Subscribe
Notify of
guest
80 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Joe

Estão se livrando de belas bombas.

Diego Tarses Cardoso

Interessante, o Chipre vai substituir um helicóptero de ataque puro por uma adaptação. Isso com certeza conta como ponto positivo para uma aquisição do H145M pelo EB.

Demolidor

O H145M é muito pouco para o Brasil, pelo tamanho do orçamento temos condição de adquirir coisa bem melhor

RPiletti

Concordo.

Jadson S. Cabral

Temos, mas aí entrar no hall das infinitas desculpas que temos para não termos o que precisamos. Não temos necessidade, pq um helicóptero de ataque puro sangue só serve pra essa missão, pq não existem ameaça reais na AL que justifique o investimento… pipipi popopo

Nelson Junior

Se já era difícil a manutenção e fornecimento de peças de reposição desses Mi-35 pela Russia, imagina agora…
Pobres Sérvios, vão segurar uma bucha

Wellington Kramer

Os sérvios já devem tê-los comprado para servir como fonte de peças de reposição.

Âncora

Não deve estar fácil manter equipamento russo (nem para os russos), se é que algum dia foi. Devem estar vendendo quase nada agora.

Luiz

A Rússia está pronta para entregar adicionais helicópteros de ataque Mi-28NE Night Hunter para Uganda. Três primeiras unidades foram vistas em base aérea de Uganda.

“O contrato está sendo implementado. O primeiro lote do Mi-28NE já foi entregue”, disse uma fonte diplomática militar à agência de notícias TASS. “As entregas de todas as aeronaves sob o contrato devem ocorrer no início de 2023”, acrescentou a fonte.

Rodrigo

Fonte diplomática : vozes da minha cabeça

Luiz

Isso é de conhecimento público vendas de equipamentos militares e civis. Pois se trata de dinheiro público.

Wagner

Nada suspeito aquela tradução mal feita…

Nemo

Cada H145M armado saindo por U$ 18 milhões? Barato, qual será a configuração?

Nemo

Corrigindo, U$ 14 milhões (somei e não precisaca).

Jadson S. Cabral

Estranho isso aí. 14 milha é mais ou menos o preço de um bom helicóptero executivo ou um jatinho da categoria.

Tallguiese

Pergunta: pra quem a Fab vai vender seus MI-35? Pergunta número 2: Esquilo novos de fábrica armados com sistema H-FORCE e mísseis Spike, sairiam mais em conta ou tá na hora de H145 entrar em sena?

Nemo

Os Esquilo são o H-125. O H-145 é maior, mais pesado e suporta mais carga. Além disso também pode ter o H-FORCE e lançar o spike. Eu escolheria o H-145M.

Cicero

Tá aí.. já que iríamos desativar os Sabres, o melhor para eles é na Ucrânia. Mas qual seria o melhor substituto para eles, visto que os H-125 e o H-145 são de uma classe totalmente diferente dos Sabres.
Será que já existe um plano de substituição dos mesmos, ou vamos ver algo semelhante ao programa F-X?

Tutu

Na fab nunca terão um substituto.

Adriano Madureira

Tá aí.. já que iríamos desativar os Sabres, o melhor para eles é na Ucrânia”.

Não seria assim tão simples…Duvido muito que os russos iriam aceitar o Brasil vender os MI-35 para os Ucranianos.

O Brasil apesar de tudo, respeita seus acordos, e como todo material bélico, há sempre requisitos, caso você queira se desfazer de armamentos.

Flanker

Se isso estiver no contrato da compra, teoricamente não venderia. Mas, se não estiver, os russos não tem nada a ver com uma possível venda para quem quer que seja.

RPiletti

Essa compra foi tão confusa que capaz dos russos nem saberem que venderam p/ o Brasil… Exagerei, mas até marciano estava envolvido na negociação..

Flanker

Pior é que foi bem assim, mesmo.

Nelson Junior

Concordo o H-145 é uma boa opção, mas os Fuzileiros Navais dos EUA estão vendendo alguns AH-1Z Viper para países “parceiros”… Acho que valeria uma analise

Cristiano Salles (Taubaté-SP)

Torço para que o Exército Brasileiro vá de Apaches mesmo em pequenas quantidades, via financiamento USA…, ou os Vipers em mais quantidades…

Abraço a todos…

Fiquem com DEUS…>>>

Nelson Junior

Uma correção no que postei…

Na verdade a USMC desativou a pouco tempo, alguns AH-1W Super Cobra, com pouco tempo de uso…
Um Heli de ataque “dedicado” extremamente capaz e era utilizado “embarcado” pelos Marines, o que poderia ser uma excelente opção para integrar ao PHN Atlântico… Na minha opinião é muito mas capaz que o H145 e como são de segunda mão, deve ser mais barato e ainda financiado via FMS…

Rafael Oliveira

Acho difícil a FAB vender, até porque precisa de autorização da Rússia.
E também acho difícil ela comprar um helicóptero para a função de ataque, pois nunca quis esse tipo de helicóptero, a prioridade é o Gripen e recentemente trocou um H225M por Esquilos.
Talvez o EB compre, num futuro distante, um helicóptero dotado de mísseis, pois a prioridade são as urnas eletrônicas, a modernização do Cascavel e a compra do avião Sherpa.

Flanker

A autorização da rússia pode ser necessária, ou não. Depende do que está no contrato.

Nascimento

Sim, sairia mais em conta.

Mas o que me surpreende é exatamente essa pergunta. A FAB então desistiu de um helicóptero de ataque puro sangue pra operar um helicóptero de ataque improvisado e sem blindagem de um helicóptero de ataque?

E pra fazer qual função? Isso não teria lógica nem no EB, quem dirá na FAB.

Sobre o H145: Esse lobby e preço altíssimo da Helibras tem que acabar, que se mantenha o esquilo pois é mais barato e lógico.

Last edited 10 dias atrás by Nascimento
Welington S.

É preciso entender o seguinte: A FAB nunca quis esses helicópteros! E agora com a nova prioridade estipulada pelo comandante atual da FAB que é transformar a força aérea em uma Força Aérea de fato, é aí não vai operar mesmo. O consumo de recursos só para a manutenção desses helicópteros é gigantesco.

Nascimento

O próprio coronel Schwertz já disse que fez parte dos requisitos da FAB um helicóptero de ataque… Logo esta refutada essa narrativa ai.

Me dê um ranking de comparação sobre o “consumo de recursos só para manutenção” dos Hinds em comparação com os demais helicópteros de força, se tiver é claro.

Pelo que eu sei, o único caro de operar mesmo é o Caracal, cujo próprio EB já disse que a hora de voo é o dobro do Blackhawk num ESTUDO SÉRIO e não em ACHISMO, e esse a força até hoje não deixou de operar…

Flanker

“ O próprio coronel Schwertz já disse que fez parte dos requisitos da FAB um helicóptero de ataque… Logo esta refutada essa narrativa ai.”

Se FEZ parte dos requisitos da FAB (o que duvido, pois ter ocorrido o tal AH-X me parece claramente uma “concorrência” para justificar e encaixar a compra do Mi-35), atualmente NÃO FAZ mais! Tu és fã do helicóptero russo, eu entendo, mas te conforma. A história dele na FAB acabou.Ponto.

Fernando "Nunão" De Martini

Flanker, não use palavras em maiúsculas nos comentários.

Leia as regras do blog:

https://www.aereo.jor.br/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

Flanker

Eu usei as maiúsculas para enfatizar o que disse. Não tem como colocar negrito.

Fernando "Nunão" De Martini

Dá na mesma, Flanker. Evite.

Nascimento

Mas eu nunca disse que eu queria o Hind na FAB. Disse que foi requisito dela, com verbo no tempo do passado…

Logo a narrativa de que “nunca quis” é falsa. Entendeu ou o senhor não consegue interpretar um texto? Eu não afirmei que era um requisito atual, non sequitur e falácia do espantalho.

Last edited 8 dias atrás by Nascimento
Flanker

E eu disse que a FAB nunca quis de fato. Foi só um mise en scene para encaixar o Mi-35 que ninguém pediu ou queria.

Flanker

“ Mas o que me surpreende é exatamente essa pergunta. A FAB então desistiu de um helicóptero de ataque puro sangue pra operar um helicóptero de ataque improvisado e sem blindagem de um helicóptero de ataque?” Onde está escrito que a FAB, que acabou de desativar os Mi-35, quer comprar um helicóptero de ataque? A FAB não quer um helicóptero assim. A FAB quer helicópteros para função de Força Aérea – SAR/C-SAR, infiltração e exfiltração de frações de tropa, transporte, ligação e treinamento. Helicóptero de ataque é aeronave de Exército. A FAB negocia a troca de um H225M por 12… Read more »

Nascimento

Quem falou em operar um H145 pra ataque foi o rapaz acima, por isso a resposta. Você não leu os comentários acima e ta respondendo de forma incoerente e com falácia do espantalho exatamente por isso.

Flanker

Que falácia do espantalho? Eu li o comentário do outro colega. E justamente por isso, eu digo que não se refere à FAB. Ele disse que a FAB se desfez de seus Mi-35. Ponto. E perguntou se o H145 poderia substituir o Esquilo armado. Onde? Isso não está claro. Até porque a FAB não usa Esquilos armados.

Rafael Gustavo de Oliveira

Pensando em custo benefício e também logística, acho que a Avex está buscando uma aeronave utilitária, mas que tenha capacidade de instalar pacote de reconhecimento e ataque…. Melhor adquirir H-145 armado do que o Armed Black Hawk, padronizaria uma logística com Israel para o ATGM Spike (terrestre e aéreo) e resolveria o problema de encomendas da Helibras, talvez a modernização da linha de montagem possa trazer o novíssimo H-160 também.

Gabriel BR

uma boa alternativa para nós

Demolidor

Muito pouco para o Brasil

Tutu

Um helicóptero com essas características ao meu ver casa bem com as necessidades do EB de um heli armário, porém fica a dúvida, os Pantera K2 podem receber esse kit H-FORCE?

Afinal, existe a necessidade de mais um modelo de helicóptero nas nossas FFAA?

Já temos: H125, H135, H155, H215, H225, uh-60, Sh-60, lynx e jet ranger.

Podemos esperar o H160m, ao meu ver ele armado faz mais sentido, no futuro é o substituto natural dos Pantera.

Robsonmkt

Sim, os Pantera poderiam receber os o kit H-FORCE. Na minha opinião de leigo, seria uma ótima opção para os nossos Pantera que sobreram uma extensa modernização. Acho inclusive que o Pantera daria uma boa base para um heli de ataque puro mais barato que o Tiger

Adriano Madureira

Os sul-coreanos tem um produto recém-desenvolvido pela KAI e pela Airbus, que poderia ser um bom produto em nossas forças, basta apenas que nossa defesa volte seus olhos mais para a Ásia ,que também tem muito a nos oferecer, basta abrirmos o horizonte e deixar de ficarmos resumidos ao circuito Brasil – eua – Europa. Poderia muito bem servir a nossa força terrestre assim como também poderia servir no atlântico em missões conjuntas e em outras funções além de ataque. ?fit=1280%2C720&ssl=1 O LAH carrega uma metralhadora de 20 mm e quatro mísseis antitanque ou foguetes de 70 mm tem um… Read more »

Jose Ricardo

Se for para ser dedicado para ataque seria melhor o Agusta A129 Mangusta e se for para transporte e armado seria melhor a versão do black hawk armada.

Bruno Vinícius

O problema é dinheiro pra isso (no caso do Chipre)

Adriano Madureira

Amigo,dinheiro não é problema para o Chipre…Agora basta saber negociar…

Eu acho que o potencial de UM TRILHÃO de metros cúbicos de gás já é algo que poderia fazer partes interessadas se sentarem e bater um proveitoso papo.

O Chipre em sua área offshore, concedeu concessões de pesquisa à francesa Total, à norte-americana Noble Energy e à sul-coreana Kogas.

comment image

comment image

https://lebanongasnews.com/wp/wp-content/uploads/2017/03/ext.jpeg

Last edited 8 dias atrás by Adriano Madureira
Demolidor

Que downgrade 😳

Pavan

Pq o EB não absorve os MI 35 pra continuar com eles na Amazônia, sendo que a força não tem um helis de transporte e ataque ainda ? Não entendo pq preferem mantê-los num estoque parados !

Erick Barros

Ta louco? Estamos lutando contra o comunismo, segundo nossos militares. Rs.

Rodrigo Martins Ferreira

Eles não gostam do Comunismo, mas gostam do Positivismo..

O irmão fracassado do Comunismo…

Os militares do Brasil tem mais em comum com a esquerda do que eles gostam de admitir.

Hank Voight

Na verdade eles não querem um helicóptero com altíssimos custos de operação e um pós venda péssimo como é o Mi-35

Erick Barros

Então prove isso meu caro. Pelo visto a Etiópia, Egito e Casaquistão tem de aprender gestão com a FAB, né? Pois oe helicópteros deles estão sempre voando.

E os mais de 900 Hinds, um sucesso estrondoso de vendas igual ao Apache, foram vendidos também com um “alto custo de operação”. Um alto custo que nunca foi provado de forma séria mas apenas, como disse o Nascimento acima, com achismos e torcidas.

Eles não querem mais pois não faz parte dos seus requisitos ATUAIS. Simples assim. O resto é torcida de autista da trilogia.

Agressor's

E não tem “Ratanabá” que mude essa realidade dos fatos…

Flanker

Tu tens algum problema ou preconceito contra pessoas autistas, antoniokings???

Flanker

Esse helicóptero foi empurrado goela abaixo das FFAA brasileiras pelo governo do inominável. Criaram até um suposto requisito para um helicóptero de ataque pela FAB para justificar essa excrescência. Se Etiópia, Egito, Cazaquistão, marte, júpiter ou quem quer que seja fazem uso deles, bom pra eles….sejam felizes.

Nascimento

E de novo sem argumento algum. Misericórdia…

Agora, fomos de “nunca quis” pra “criaram um requisito”. Então a FAB prevaricou e foi corrupta?

Daqui a pouco existirá outra conspiração.

Flanker

Cara, acredita no que tu quiseres. Não precisa concordar comigo. Até agradeço. E leva uns Mi-35 pra ti…de brinde…

Ramon

Já estavam tendo problema com a manutenção, imagina com a Rússia toda cheia de sanções.

Demolidor

Na realidade a Rússia não recebeu sanções da ONU , foram apenas sanções unilaterais de alguns países isso pode ser contornado com negociação.
Na guerra da Ucrânia não existe lado certo,os dois lados estão errados, existiam acordos informais que a Otan não iria se expandir para as fronteiras Russas e a Rússia atacou um país pequeno e fraco e que não tinha condições de se defender sozinho sem apoio internacional, é uma guerra sem sentido.

Welington S.

A Rússia ter recebido ou não sanções da ONU não anula o fato de que a dificuldade maior em relação a manutenção dos helicópteros aumentou consideravelmente. Se já era difícil antes, imagine agora.

Demolidor

Discordo, os Su-30 Indianos não tem problemas com manutenção e tem aviônicos Israelenses, componentes sensíveis que dão muita manutenção podem ser substituídos por de outra origem, tudo depende da negociação.

Sensato

Atacou um país com o qual tinha um acordo para não atacar…

Demolidor

Também tinha um acordo que a Ucrânia e vizinhos dela nunca fariam parte da Otan(tinham acordado que a Otan não ia se expandir para as fronteiras Russas), os dois lados descumpriram acordos.

Agressor's

Interceptar aviões ilícitos é muito melhor com um helicóptero como esse…Ainda mais se o mesmo já levar a equipe de abordagem junto…Estão tirando aos poucos as defesas da Amazônia…Primeiro foi um esquadrão do F-5 e agora, o esquadrão de helicópteros de ataque…É muito sério esta lacuna na Amazônia! Cada dia mais defasada a nossa defesa na Amazônia!…O resultado a gente vê ai na televisão…Com as duas recentes mortes dos indigenistas já começaram de imediato lá fora com os discursos de que nós não temos competência ou condições para tomar conta da Amazônia….Enquanto criam cortina de fumaça com polêmicas sobre urnas… Read more »

Last edited 9 dias atrás by Agressor's
Flanker

Interceptação de aeronaves do tráfico foi uma das missões que precisaram ser criadas para justificar essa compra desnecessária e não pedida pelas FFAA. Os A-29 fazem perfeitamente esta missão. Quanto aos F-5M do Pacau, que operavam de Manaus, tinham limitações operacionais, como a pista da BAMN que é curta para operação plena destes vetores e também o raio de ação inadequado deste vetor, à partir daquele aeródromo, tendo em vista as grandes extensões envolvidas naquela região. Futuramente, deverá ter um esquadrão de F-39 baseado naquela região. E, se não tiver, sua operação lá também poderá ser feita tranquilamente, com deslocamento… Read more »

Flanker

Nem fala isso! A FAB conseguiu se livrar de algo que nunca precisou de fato e de que o EB abriu mão após ter sido oferecido à ele.

RDX

Defendo a aquisição de UCAV para preencher a lacuna deixada pela desativação do Mi-35.

O EB não precisa de um H145 de ataque. Na minha opinião, a solução com melhor custo x benefício é pegar 12 Panteras e instalar Spike, pod Giat 20mm ou HMP .50, lança foguetes 70mm e sensores de última geração.

Robsonmkt

Na prática, é instalar o kit H-FORCE que foi instalado no H-145-M. Ficaria muito bom, sem dúvida.

Demolidor

Tomará que o Brasil não siga esse caminho e adquira equipamentos de melhor nível, o Brasil tem um grande orçamento mas mal gerenciado, temos dinheiro para equipamentos de ponta só falta aplicarem corretamente as verbas.

SGT MAX WOLF FILHO

Legal vão largar um tanque de guerra que voa, pra usar um Fusca adotado com .50 no teto… Engraçado que algumas coisas aqui são tendenciosas né… Achei que o lobby só tinha nas FAs

Rodrigo Martins Ferreira

Não conheço a necessidade do Chipre, vai que eles também não precisam de uma nave 100% de combate..

Mas não deixa de duro sair de uma nave militar para um civil camuflado..

Andre

Cada vez menos clientes para os equipamentos russos.

Com a entrada dos chineses nos mercados árabes e africanos, vai sobrar para a russia vender para a bielorussia e olhe la´….

Jadson S. Cabral

Helicóptero de ataque para o Brasil tem que ser puro sangue. Qualquer coisa menor que isso é armengo, vergonha e ninguém me convence do contrário

leandro

ninguem quer mais esses lixos russos…

Demolidor

A China quer muito 👍

Rodrigo

Mais sucata que vai para Ucrânia para fazer russo sangrar

Larri Gonçalves

Boa Tarde, em termos pragmáticos, o MI – 35 ainda tem muitas horas de utilização e a despeito de custo para manutenção, quase todos o Heli de ataque são muito caros para adquirir e manter e são aeronaves com fim específico, portanto, muito caro para as FFAA do Brasil (FAB, EB ou MB), mas já que possuímos o MI-35 não seria de bom senso mantê-lo, já que o EB necessita de uma aeronave, digo heli de ataque?

Últimas Notícias

Marinha e Força Aérea dos EUA testam novo míssil de microondas de alta potência

ALBUQUERQUE, N.M. - Os laboratórios de pesquisa da Marinha e da Força Aérea dos EUA estão encerrando um esforço...
- Advertisement -
- Advertisement -