terça-feira, janeiro 18, 2022

Gripen para o Brasil

EUA iniciam produção de nova ogiva para a bomba nuclear B61

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

A nova B61-12, com componentes substituídos ou recondicionados, será utilizada pelos F-15, F-16 e B-1, entre outros

WASHINGTON: A mais nova ogiva de bomba nuclear dos EUA entrou em produção.

A Administração de Segurança Nuclear Nacional (NNSA) anunciou na quinta-feira (2/12) que concluiu a primeira unidade de produção da B61-12, uma versão atualizada da ogiva usada em armas lançadas de caças e bombardeiros.

A NNSA é uma agência semi-autônoma localizada dentro do Departamento de Energia. Enquanto o Departamento de Defesa supervisiona o desenvolvimento dos sistemas de entrega do arsenal nuclear dos EUA – aviões, navios e mísseis – a NNSA é responsável pela produção da carga nuclear real.

Atualmente, existem quatro variantes da B61 no estoque nuclear: 3, 4, 7 e 11. O projeto do B61-12 irá substituir todas as quatro. Embora não seja tecnicamente uma “nova” ogiva, o projeto substitui ou recondiciona todas as peças nucleares e não nucleares da bomba. A variante atualizada será transportada por aeronaves F-15, F-16 e B-2 dos EUA, bem como em aeronaves para países membros da OTAN.

A NNSA prevê a produção em grande escala começando em maio de 2022, com a produção concluída em algum momento fiscal de 2026. O custo total do programa é estimado em US$ 8,4 bilhões.

A agência está envolvida em uma revisão total do estoque de ogivas nucleares dos EUA. A B61-12 representa a segunda ogiva a ter sua primeira unidade de produção lançada nos últimos seis meses. Em julho, a W88 Alt 370, usada no míssil lançado por submarino Trident II D5, entrou em produção. Ambos os projetos foram atrasados ​​devido a um problema com os capacitores de eletrodo disponíveis em ambas as ogivas.

Outros cronogramas da primeira unidade de produção para o arsenal modernizado estão programados para o ano fiscal de 2025 para a ogiva de mísseis de cruzeiro W80-4 e FY30 para a ogiva W87-1 ICBM.

“Com este programa [B61-12], estamos entregando um sistema ao Departamento de Defesa que melhora a precisão e reduz o rendimento sem alterar as características militares, ao mesmo tempo que melhora a segurança, proteção e confiabilidade”, disse a administradora da NNSA Jill Hruby em uma declaração. “O trabalho na B61-12 também garantirá que a ogiva possa ser lançada do ar pelas plataformas atuais e futuras para atender aos requisitos do Departamento de Defesa.”

F-15E lançando bomba nuclear B61 de exercício

Bomba nuclear B61 e seus componentes
Bomba nuclear B61 e seus componentes

FONTE: Breaking Defense

- Advertisement -

71 Comments

Subscribe
Notify of
guest
71 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Red Pill - 红色药丸

Aplaudam

carcara_br

Depois vão reclamar muito da modernização do armamento atômico… dos outros….

Bosco

Você quer que os EUA assistam impassíveis a modernização e expansão dos arsenais nucleares dos “inimigos”.
Nossa! Como você é sábio!
Sem querer me estender já me estendendo além do necessário, a modernização do arsenal nuclear americano é essencial para o equilíbrio do poder nuclear.

Heitor

É uma bomba semi burra nuclear ,só serve para provocar botando em pais assinante do tratado de não ploliferacao nuclear, enquanto exige/proibe que outro os tenha como Brasil

Joli Le Chat

E, ao mesmo tempo em que vão modernizando, ficamos sabendo todas as dimensões, detalhes construtivos, foto dos componentes internos, quantas bombas vão ficar em cada país envolvido…

Allan Lemos

Quando o Império Alemão começou a construir dreadnoughts para rivalizar com a poderosíssima frota do Império Britânico, este também reclamou. Faz parte do jogo geopolítico. Os EUA defendem os seus interesses assim como todas as outras nações sérias também fazem. Não há heróis e nem vilões.

Antoniokings

Prezado carcara_br

Deixe assim que está ótimo.
Enquanto uns apresentam mísseis hipersônicos manobráveis que dão a volta no Globo, outros apresentam bombas de queda livre com componentes recondicionados.

carcara_br

Olá Antônio,
A questão não é a tecnologia, mas a disposição em utilizá-las. Empregar pequenas bombas nucleares é muito mais “simples” e fácil que empregar mísseis intercontinentais com múltiplas ogivas.

Antoniokings

Creio que o resultado ‘político’ será o mesmo.
Ninguém vai querer usar pequenas bombas nucleares táticas contra potências nucleares, porque a resposta serrá um ataque nuclear total.

Antoniokings

“Eu vejo um museu de grandes novidades.”

Bosco

Os mais importantes vetores da B61-12 serão o F-35 e o B-21.

Guacamole

Na verdade, acho que não.
Acho que esse retrofit é justamente para ser usado em praticamente qualquer avião no arsenal dos EUA.

Por importãncia, acho que seria mais fácil citar o B2-Spirit e o F-22 Raptor por poderem adentrar espaço aéreo inimigo com menos chances de ser detectado por radares.

mas isso é só especulação de minha parte.

Guacamole

País que leva defesa a sério é isso.
Já os que gastam mais com folha de pagamento do que material….
Bom, esses vivem de dar medalhas sem sentido uns aos outros em verdadeiros ragabofes, “atualização” material que não duraria 5 minutos em uma batalha moderna e dizem que o estado da força e condizente com o aspecto “geopolítico regional”.

Saldanha da Gama

Meu caro, se está falando sobre a bomba, verá que muitos no BRASIL a acham desnecessária, custo proibitivo ( deveríamos aplicar em educaçãoe etc…) não temos inimigos….. Duvido que algum país se aventurasse, se nós a tivésemos e principalmente, meios de lançá-la a grande distância, Abraços

Allan Lemos

Acho que nem precisaríamos de ICBMs para lançá-las a grandes distâncias. Um arsenal de armas táticas já está de bom tamanho, defendo que seja usado o MTC-300(que muitos afirmam poder alcançar os 1k km). Um estoque de 200-300 deles, com algumas dezenas de prontidão 24/7 e espalhados por pontos estratégicos do território nacional já seria o suficiente para garantir a nossa soberania. Lógico que algumas dezenas de bombas free-fall também viriam a calhar.

Thiago A.

Allan, me permito de discordar. Compartilho o fim e o objetivo, mas não os meios e essa tática . Sinceramente não desejo que o Brasil vire uma imensa Chernobyl.
Considero que a dissuasao só é possível quando existe a capacidade de levar a destruição e o terror no território mais sagrado para o oponente, ou seja o lar/pátria do eventual agressor. Só isso para fazer ele ponderar 1000 vezes um eventual ataque.

Rodrigo Martins Ferreira

O mar de dinheiro que o Brasil aplica em educação é proporcionalmente inverso ao que se tem resultado.

A educação no Brasil n precisa de mais dinheiro, precisa é mandar os funças de carreira adoradores do método Paulo Freire embora..

Antoniokings

Aí vem o Rodrigo Martins Ferreira criticar um dos maiores, se não o maior, Educador da História mundial.
Aclamado no Mundo inteiro.
Mas, brasileiro é ousado.
É perfeitamente normal, por exemplo, encontrar brasileiros que criticam Le Corbusier, Niemeyer e outros gênios em alguns sites de arquitetura.
Os exemplos são muitos.
Mas, como dizem, é melhor ler isso do que ser cego.

Camargoer.

Olá AntonioK. Gosto muito de Le Corbusier mas sou fâ de Lloyd Write. A casa da cascata é algo impressionante. Sobre Freire, é preciso lembrar que ele desenvolveu um método de alfabetização para jovens e adultos, em um contexto social no qual mais de 30% da população adulta brasileira era analfabeta (infelizmente, ainda estamos com 6%).

Rodrigo Martins Ferreira

Quantos países fora o Brasil usam o método do aclamado inter-galacticamente PF ?

Começa com Ne e termina com Nhum.

Last edited 1 mês atrás by Rodrigo Martins Ferreira
wilson

Quando o Brasil usou o método Paulo Freire? Para sua informação o método Paulo Freire (se é que pode ser considerado um método) nunca foi usado em larga escala no Brasil, nem mesmo na alfabetização de adultos onde teria mais lógica. Deixe de repetir besteiras/slogans partidários que servem apenas para encantar burros. Entre os vários métodos pedagógicos usados no Brasil temos como exemplo a “Matemática Moderna” importada dos EUA (que tem um ensino horrível) pelos governos militares para o ensino de matemática e que levou toda uma geração a odiar matemática e ficar refém de calculadoras. Outra burrada é a… Read more »

Camargoer.

Olá Rodrigo. Creio que você precisa estudar Paulo Freire. Recomendo “A pedagogia do oprimido”. O método de Freire foi desenvolvido para a alfabetização de adultos (ainda é usado). A proposta do método é envolver o conhecimento prévio do adulto (geralmente um camponês ou morador de periferia), de sua experiência de vida e da sua prática profissional como contexto para alfabetização. Neste aspecto, o adulto (ou jovem) em alfabetização “ensina” aos demais os seus conhecimentos profissionais e de vida, exercitando a sua alfabetização. Isso cria um diálogo entre todos na sala. A alfabetização de crianças é outra história. Talvez uma alternativa… Read more »

Antoniokings

Prezado Camargoer

O conhecimento que esse pessoal tem do Paulo Freire é o que é publicado no zap da família ou o que o néscio fala no cercadinho.
Não perca seu tempo.

Rodrigo Martins Ferreira

Ainda é acima do seu que lê a Carta Capital, Fórum e Diario do Centro do Mundo.

Joli Le Chat

E se fecharem a discussão nesses termos, é capaz que a situação continue assim eternamente.

Essa situação de guardar o conhecimento para os eleitos ainda tem lugar na atualidade?

Estimular a divisão com base em experiências pessoais divergentes seria realmente adequado?

Frente a esse quadro, diria que estamos praticamente desenhando uma relação de opressão.

É esse o caminho que queremos?

Marcio AD

Um Néscio escrevendo…..ou melhor digitando

Rodrigo Martins Ferreira

Eu não preciso estudar o que não funciona.

Eu vivi o método PF…

E estudei em um colégio que tinha mais de 90% de aprovação no vestibular da UFRN na década de 80 e na década de 90 cair para menos de 20%.

Você que adora mandar os outros lerem… faz a continha de 1985 quando acabou o governo militar para 1990 >

Porque se perdia tempo com este monte de proselitismo que você passa o dia todo fazendo aqui, ao invés de dar aula.

Last edited 1 mês atrás by Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira

Aliás… no meu caso a desgraça foi dupla…

Método PF e teologia da Libertação, já que estudei em colégio católico.

Antoniokings

Procure um psicólogo que talvez ainda dê tempo para vc se tratar de seus traumas.
A propósito.
Estudei no Colégio Padre Miguelinho e meus irmãos no Colégio Marista de Natal.
Nenhum de nós apresenta esses seus traumas.

Antoniokings

Na verdade é Instituto Padre Miguelinho, no Alecrim.

Camargoer

Caro Rodrigo. O fato de um colégio tradicional reduzir a taxa de aprovação no vestibular resulta do aumento da taxa de aprovação das outras escolas de ensino médio.

carcara_br

Cadê a crítica do pessoal que gosta de defender a liberdade e etc..
Essas armas trazem o mundo pra muito mais próximo da utilização de armamento nuclear, são extremamente tentadora na mãos dos generais e, diria que existe até uma certa “pressão” para que sejam utilizadas, com uma naturalização cada vez maior do discursos sempre exaltando o “teórico” pouco efeito colateral.

Bosco

O que tem a ver liberdade com armas nucleares? Os EUA é a favor da liberdade do seu povo e dos seus “agregados” e eles têm armas nucleares para garantir isso.
“O preço da liberdade é a eterna vigilância” . Thomas Jefferson.

WSilva

Os que vomitam liberdade são os mesmos que roubaram quase 50% do território mexicano, invadiram ilhas, expulsaram os nativos, usaram sabão em pó para matar e invadir o Iraque.

Grande liberdade essa, é livre se me obedecer e me tiver como líder absoluto. rs

Bosco

Concordo! Os governantes do mundo usam e abusam de seus discursos politicamente corretos mas querem mesmo é enganar a população e drenar as forças vitais da humanidade.
Veja só o PCC que prometeu o paraíso na Terra para o proletariado , um mundo sem classes sociais e sem opressão, mas olha no que se transformou a China. Um país com uma classe opressora intocável, semideuses, que mandam e desmandam com mão de ferro na população que se queda inerte sem poder fazer absolutamente nada.

Rodrigo Martins Ferreira

ISIS usou armas químicas na Síria e estas armas você acha que vieram de onde ?

Hcosta

Da Síria.

Heitor

Liberdade recheado de hipocrisia ,essa estratégia é velha deste desde o império romano Todos outros são bárbaros e eles são os civilizados quem não concorda com os patrícios e seu modo de vida de Roma são bárbaros que merecem ser punidos ate aceitar ser governado nem que seja pela força. O eua são uma versão fastfood e hipocrisia do iluminismo o que manda lá e uma plutocracia e sua imprensa hipocrita de olho nos recursos e riquezas dos outros. De resto não se incomodam. EUA e a nação que mais apoiou ditaduras reais e fez golpes contra a democracia dos… Read more »

Flanker

Hoje no mundo, lembro de cabeça 9 países com armas nucleares. Todos, em maior ou menor grau, tem a responsabilidade de manter essas armas sob rígido controle. Se um deles utilizar, poderá desencadear uma reação em cadeia. A responsabilidade é gigantesca…e de todos.

carcara_br

Se atacarem o Irã, usam ou não?

Flanker

Na sua hipótese, quem seria o atacante? O Irã tem armas nucleares prontas e funcionais?

carcara_br

Na minha hipótese o Irã está desenvolvendo armas nucleares em instalações subterrâneas altamente fortificadas. Israel faz uma pressão enorme pra um ataque militar fulminante ao programa atômico extremamente avançado. Opções americanas (em caso de ataque apenas): 1 – agua mole pedra dura tanto bate até que fura: Multi ataque com armas convencionais de eficácia duvidosa 2 – abre-se a caixa de pandora. Ataques nucleares utilizando b61 reduzindo a estrutura do programa nuclear iraniano a pó. Pode responder na matéria abaixo, se quiser… Irã diz que explosão acima de Natanz faz parte de treinamento militar – Poder Aéreo – Aviação, Forças… Read more »

Flanker

Eu não vejo motivo para atacar o Irã, desde que ele não ataque primeiro. Acredito que o ponto de parar o desenvolvimento nuclear iraniano já passou. Se Israel, como dizem, possui armas nucleares, penso que ninguém vai atacar ninguém naquela região. Com grandes conquistas, vem grandes responsabilidades.

Bosco

Na contramão dos torpedos tsunâmicos de 100 Mt a arma nuclear americana de maior rendimento é a ogiva W88 de 475 Kt lançada pelo Trident II. Lista de todas as armas nucleares americanas em operação ou estocadas: – Míssil ICBM Minuteman III W78: 335 Kt (até 3) W87-0: 300 Kt – Míssil ICBM GBSD (para 2029) W87: 300 Kt W87-1: 475 Kt – Mìssil SLBM Trident II W76-0: 100 Kt (até 14) W76-1: 90 Kt (até 14) W76-2: 5 Kt W88: 475 Kt (até 8) – ALCM AGM-86B W80: 5 a 150 Kt – LRSO AGM-181 (a partir de 2030)… Read more »

Vinicius Momesso

Qual o problema em ter de um torpedo subaquático armado com uma ogiva nuclear de 100 Mt?
Como você mesmo diz, o poder de destruição de um explosivo em baixo d’água é bem menor do que em terra.

Flanker

Pode ser. Portanto, nenhum país possuidor de armas nucleares pode reclamar de outro país também possuidor desse tipo de armas (apesar de eu duvidar desse tal torpedo sequer existir)

Bosco

Mas onde eu fiz referência a esse torpedo de 100 Mt ser algum problema? Eu comentei sobre as diferenças doutrinárias entre os arsenais nucleares russos e americanos e não emiti nenhum tipo de juízo de valor ou coisa que o valha.

Munhoz

Interessante é analisar a quantidade de resíduos de radiação que estes artefatos geram !

https://nationalinterest-org.translate.goog/blog/reboot/military-once-nuked-us-state-5-megaton-bomb-196749?_x_tr_sl=en&_x_tr_tl=pt&_x_tr_hl=pt-BR&_x_tr_pto=sc

Achei interessante este artigo

Na verdade é um assunto pouco comentado, imagine se estas armas forem “limpas” ?

carcara_br

Qual a quantidade de material físsil levava a ogiva?
É uma estão de física né, o que não virou energia, certamente é resíduo.

Last edited 1 mês atrás by carcara_br
Camargoer.

Olá Carcará. A quantidade de plutônio está relacionada com a potência da bomba. No livro do Dalton Barroso, tem uma tabela com alguns números. Um dispositivo de 15 kton demanda 12 kg de plutônio e um dispositivo de 50 kton demanda 17 kg. Uma ogiva W88 tem uma potência estimada de 475 kton, mas é um dispositivo temonuclear. Ele tem uma bomba de fissão que aciona o dispositivo de fusão. Neste caso, a ogiva leva cerca de 8 kg de plutônio.

carcara_br

Usando E=mc²
Para facilitar minha vida e pro bem do argumento, assumindo que toda energia de uma bomba termonuclear é proveniente da fissão (coisa que não é) a quantidade de massa convertida pra ogiva W88 seria de 22,1g, praticamente nada. No final você termina com quase a mesma massa de Plutônio + subprodutos da fissão espelhada pela área da detonação…

Last edited 1 mês atrás by carcara_br
Camargoer

Olá Carcará. A conta é mais complicada. A explosão nuclear depende da taxa de geração de nêutrons. Ao incluir defletores de nêutrons em torno da massa fóssil, há um aumento da eficiência da explosão. Sem os defletores uma grande quantidade de neutro seriam apenas espalhados, interrompendo a reação em cadeia. Por outro lado, um dispositivo termonuclear acopla um dispositivo de fissão que fornece energia para um segundo dispositivo de fusão acoplado, este sim capaz de liberar uma enorme quantidade de energia.

carcara_br

Possui “ibagens”? Digo, números? Qual a quantidade de material radioativo com tempo de meia vida maior alguns dias ou meses acabam se espalhando no ambiente?

Camargoer.

Olá Carcará. A reação mais conhecida da fissão do U-235 é a formação do bário e do criptônio, mas ocorrem muitas outras reações. Há a geração de inúmeros isótopos, alguns com tempos de meia-vida muito curtos e outros mais longos. É uma sopa de elementos. A figura abaixo mostra que durante a fissão do U-235 são gerados dois grupos de elementos, um em torno do criptônio (Z=92) e outro grupo em torno do bário (Z=141). Outro complicador está relacionado ao grau de pureza do urânio e o plutônio usado. Durante a explosão, eles também são bombardeados com neutros, formando espécies… Read more »

images.png
Munhoz

Esta é a grande questão, segundo o artigo que passeio o link já nos anos 60 eles estavam estudando o uso de ogivas nucleares até em construção civil (para explodir uma montanha por exemplo) porque nos testes o resíduos eram poucos, ou seja já naquela época as ogivas eram “limpas” supostamente, isso é um tema bem pouco comentado pois em tese se vc tiver uma arma limpa o seu uso pode ser bem mais viável

Last edited 1 mês atrás by Munhoz
carcara_br
Camargoer.

Olá Carcará. Ao longo das décadas de 50 e 60, tantos os EUA quando a URSS pensaram alternativas não-militares para as suas bombas. A URSS também avaliou detonar bombas atômicas no subsolo para criar galerias que seriam usadas para estocar gás natural. Pelo que lembro, nenhumas das alternativas pensadas prosperou em razão dos resíduos radioativos. Outro ponto interessante para discutir foi o desmantelamento dos reatores de produção de plutônio em Hanford.

Carlos santo

Bosco, a b-83 ainda consta como operacional, dentro do rol do endurcing stockpile americano.

Carlos santo

Para pronto uso.

Bosco

Blz Carlos.

Luiz Trindade

O fato é que os EUA começaram se movimentar de novo depois que a China mostrou a que veio. Pena que tardiamente os EUA estão começando a correr atrás do terreno perdido. Demoraram demais para entender que a China tomou o lugar da URSS no século XXI!

Eli

A China está longe de ser uma URSS no século XXI. No cenário global a única coisa que a China tem destaque é a economia e mesmo assim ela sofre de ataques políticos constantes. Também ela não se envolveu em guerras recentes de forma direta, o mais perto que chegou foi o apoio na guerra da Coréia. Por outro a Rússia ainda tem a maioria dos oleodutos, controlando todo sistema de gás e petróleo da Europa, ou seja, a própria união européia não interfere quando os russos causaram guerras na Georgia e dão uma passada de vez quando pela Ucrânia.… Read more »

Jose Dasilva

Muitos alegam que armas nucleares alem de problemas políticos são super caras para manter e não teríamos dinheiro para isso. So não entendo como a Russia com um pib menor que o nosso consegue manter um arsenal nuclear gigante. Sem contar suas forças armadas. Ou sou muito burro para entender ou alguem está mentindo. Vendendo nosso país.

Maurício.

Jose, o Brasil é um país soberano, mas ao mesmo tempo é um país com lideranças políticas e militares que não possuem culhões, e isso nunca vai mudar.
Quanto ao não ter dinheiro, isso é a maior lorota, basta olhar o orçamento da defesa, quanto é gasto com equipamento e quanto é gasto com pessoal, basta olhar o quanto os políticos já roubaram e o quanto eles continuam roubando, essa de não teríamos dinheiro não se sustenta.

Hcosta

Prioridades…
E não dá para comparar o Brasil com a Rússia. Até acho que não dá para comparar nenhum país com a Rússia tal é a dimensão das suas particularidades.

Maurício.

Hcosta, nesse caso não daria para comparar com Índia, Paquistão, Israel e possivelmente Coreia do Norte e quem sabe o Irã?

Hcosta

Esses países vivem sob a ameaça de guerra. E já são décadas nesta situação em que se criaram estruturas e políticas de forma a lidar com esta ameaça.

Acho que fica difícil vender a ideia da bomba atómica se não houver ameaças reais.

Thiago A.

Nenhum dos dois amigo. Só para esclarecer, o PIB PPP da RUSSIA supera de muito o nosso. Outro fato, eles gastam por volta de 4% do PIB com a defesa, nós não chegamos nem no 1,5%. Mas o que mais importa nem são as questões econômicas e sim as diferenças históricas e culturais. Aqui é encarado mais como uma questão de custo benefício, enquanto para os que decidiram percorrer esse caminho o fizeram por medo/necessidade. Aqui uma empreitada dessa seria abortada em troca de vantagens financeiras ou uma maior inserção no comércio global. Você imagina alguma liderança brasileira afirmar que… Read more »

Sérgio Luís

“Destruição mútua garantida” é só começar pra ver!
Ñ vai ficar ninguém pra contar a história!

Flanker

Exato! No momento que um lançar um artefato nuclear, contra quem quer que seja, é muito improvável que não aconteça uma reação em cadeia…..daí, tudo vira pó….e radioativo!

Renato Vilhena

Trata-se de uma arma da Quarta Guerra Mundial. Sempre escutei que a Terceira Guerra Mundial seria feita com armas nucleares e a Quarta Guerra com paus e pedras. Considero esta uma afirmação idiota. A Terceira Guerra será com armas nucleares e a Quarta Guerra com ainda mais armas nucleares, e assim sucessivamente. O fato no entanto é que realisticamente misseis intercontinentais são armas de uso para um cenário único,um cenário de uso inicial e depois não mais estarão disponíveis. Já que uma vez utilizados provocarão a destruição de todo o sistema industrial e de logística de grandes países. E após… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Renato Vilhena

Últimas Notícias

Chile quer comprar aeronaves britânicas E-3D Sentry ‘AWACS’ aposentadas

Uma fonte disse ao UK Defense Journal que o Chile está procurando comprar “mais de uma” aeronave E-3D aposentada...
- Advertisement -
- Advertisement -