quarta-feira, outubro 27, 2021

Gripen para o Brasil

Emirados Árabes Unidos interessados na compra de caças Rafale

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Diz-se que Abu Dhabi está interessada na compra dos caças franceses como parte de uma visão mais ampla dos Emirados para diversificar as fontes de armamento

PARIS – Os analistas veem a visita do príncipe herdeiro de Abu Dhabi, xeque Mohammed bin Zayed Al Nahyan à França, como estando ligada às tentativas dos Emirados e da França de construir uma nova aliança que poderia preencher o vazio deixado pelo desligamento de Washington da região do Golfo Árabe.

Desde a inauguração do governo americano do presidente Joe Biden, tem havido uma impressão de declínio do compromisso americano com a segurança do Golfo. Isso foi desencadeado pela decisão de Washington de reduzir sua presença militar, incluindo a retirada do sistema de mísseis de defesa aérea Patriot da região e limitar as vendas de armas para a Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos.

Na quarta-feira, o xeque Mohammedbin Zayed se encontrou com o presidente francês Emmanuel Macron durante um almoço no Palácio de Fontainebleau, a leste de Paris.

Macron e o príncipe herdeiro de Abu Dhabi prometeram trabalhar juntos para combater o extremismo islâmico depois que conversas que assessores disseram enfatizar a força de sua parceria.

Abu Dhabi serviu no mês passado como um centro para a evacuação por Paris de cidadãos franceses e afegãos do Afeganistão controlado pelo Talibã.

“Ambos os lados enfatizaram … eles estão determinados a combater o extremismo e o terrorismo e a fortalecer sua cooperação em segurança e defesa”, disse a presidência francesa em um comunicado após as negociações.

No Afeganistão, ambos também insistiram na necessidade de “respeitar os direitos das mulheres e meninas, bem como das minorias” após a tomada pelo Talibã.

Caças Dassault Rafale do Qatar

De acordo com a Emirati News Agency WAM, os dois lados discutiram “oportunidades para desenvolver relações e trocaram opiniões sobre os desenvolvimentos regionais, especialmente os atuais desenvolvimentos no Afeganistão”. Ressaltaram a importância de promover esforços para aumentar a segurança, a paz e a estabilidade na região por meio de esforços diplomáticos e um diálogo eficaz.

O Embaixador dos Emirados Árabes Unidos na França, Hend Al Otaiba, disse que a visita do Sheikh Mohammedbin Zayed a Paris foi uma oportunidade para destacar a excelente parceria estratégica entre os dois países, enfatizando a visão comum de Paris e Abu Dhabi e seu desejo de promover mais cooperação.

Analistas dizem que o xeque Mohammed pode contar com o relacionamento especial que ele tem com a Macron e com a extensão dos investimentos dos Emirados Árabes Unidos na França para fechar um acordo para a compra do caça Rafale. Isso será parte de uma diversificação mais ampla dos Emirados de suas fontes de armamento.

O presidente francês já havia defendido a venda de armas a países do Golfo, descrevendo Riade e Abu Dhabi como aliados na guerra contra o terrorismo e enfatizando que Paris havia recebido garantias de que não seriam usadas contra civis.

Os Emirados Árabes Unidos conversaram com a França sobre a compra de 60 aeronaves de combate Rafale há alguns anos. A aquisição do avião de combate pelo Egito encorajará Abu Dhabi e Paris a seguir em frente com seu próprio negócio.

O Egito assinou um contrato em maio para comprar 30 caças Rafale, em um negócio no valor de € 3,75 bilhões (US$ 4,5 bilhões).

Especialistas militares dizem que o desempenho da aeronave em combate, em 2007 no Afeganistão, na Líbia em 2011 e na região do Sahel em 2013, construiu uma reputação global, levando muitos países a fazerem encomendas.

Os Emirados Árabes Unidos já são clientes dos fabricantes de armas franceses. Seu exército opera 436 tanques de batalha Leclerc. Também se tornou um parceiro estratégico chave para a França no Oriente Médio e só perde para a Arábia Saudita no comércio Franco-Golfo. Os dois também mantêm uma aliança sólida na guerra ao terror.

Os Emirados Árabes Unidos respondem por 45% dos investimentos árabes diretos na França e há cerca de cinquenta empresas total ou parcialmente detidas por empresários dos Emirados.

No plano cultural, a França e os Emirados Árabes Unidos criaram o Museu do Louvre em Abu Dhabi e em Fontainebleau Abu Dhabi financiou a restauração do Teatro Imperial, cuja construção remonta à época de Napoleão III. Isso agora é conhecido como o “Teatro do Sheikh Khalifa bin Zayed Al Nahyan, Presidente dos Emirados Árabes Unidos”.

FONTE: The Arab Weekly

- Advertisement -

49 Comments

Subscribe
Notify of
guest
49 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fabio Araujo

Os franceses ultimamente conseguiram emplacar várias vendas do Rafale!

Gabriel BR

Não vão se arrepender

Antoniokings

Creio que a visão corrente é de diversificar as fontes de aquisição de armamentos.
Ninguém está querendo ficar restrito a apenas uma, ainda mais quando essa fontes tem interesses, digamos, dúbios e erráticos..

Up The Irons

Chineses e russos também estão inseridos nesses “interesses dúbios e erráticos”, né?

Antoniokings

Não.
Principalmente os americanos.
Basta ver suas recentes decisões no Afeganistão e agora a pernada na França.
Nunca confie em americanos (já dizia Gerônimo).

Bosco

Aham! Chineses e russos são movidos por nobres sentimentos humanitários nas suas relações internas e externas. Só usamericanomalvados é que são movidos por lucro, vantagem, negócios…

Antoniokings

Baseie-se em fatos e no que os experts no assunto falam.

Com a palavra, o chanceler francês Jean-Yves Le Drian.

“A pedido do presidente da República, a OTAN iniciou uma discussão sobre o seu conceito. A próxima cúpula da OTAN em Madri trabalhará em um novo conceito estratégico. Obviamente, o que aconteceu será relevante para sua definição”, declarou Le Drian ao canal France 2.

Flanker

Ué, mas tu escreve todos os dias que o Macron declarou que a OTAN teve morte cerebral……então, agora a opinião da França acerca da organização passou a ser totalmente decisiva?
Se os integrantes querem que a OTAN continue existindo, eles devem entrar em um acordo com os EUA, que bancam mais dá metade dos meios e custos da aliança. Se não querem, que seja extinta, então. Querem manter, com mudanças? Então, que invistam em sua própria defesa e não dependam de um país do outro lado do atlântico.

Antoniokings

‘A natureza abomina o vácuo’ – Spinoza.

Tanto pode ser em questões de física, geopolíticas ou na caixa craniana de alguns incultos.

Fica mais um ensinamento para vc.

Flanker

” O ignorante afirma, o sábio duvida é o sensato reflete” – Aristóteles
Se tu pensar só dentro da tua caixinha craniana, talvez não compreenda, mas a maioria esmagadora do universo é feita de……..vácuo……e espaços vazios.

Antoniokings

‘Os idiotas vão tomar conta do mundo; não pela capacidade, mas pela quantidade. Eles são muitos.’ – Nélson Rodrigues.

O vácuo é estéril.
Fica mais um ensinamento.

Flanker

“Nunca discuta com um idiota. Ele vai te arrastar até o nível dele e aí, te vencer em experiência.” – Mark Twain

É auto-explicativo. Por isso, paro aqui…..hehehehehe

Bosco

“Basta ver suas recentes decisões no Afeganistão “ O Afeganistão era um país dominado e não era um país aliado. Essa tentativa de emplacar uma leitura diferente disso (de que os EUA eram aliados defendendo e protegendo o Afeganistão) não funciona mais na época da internet e muito graças a blogs como esse. Os EUA invadiram o país e colocaram lá um governo fantoche. Aí, cansados da peleja inacabável muito por conta dos próprios afegãos eles decidiram se retirar e o país voltou a ser o que era, nem melhor, nem pior. Fosse a Rússia ou a China teria atacado o… Read more »

Antoniokings

Não é essa a questão.
A questão é que mais uma vez deixou os aliados na mão.
Não sustentaram nem a defesa dos remanescentes do Vale do Panjshir, aliados históricos.
Até mesmo os paquistaneses, aliados da China, se intrometeram na disputa e deram apoio ao talibã para conquistar aquele último reduto.
Ficou muito feio para os EUA e isso já está refletindo na mudança de posição dos países árabes.

Antoniokings

Interessante artigo sobre a retirada americana e o aumento exponencial da influência sino-russa no O.M.

oilprice.com/Energy/Energy-General/The-US-Desperately-Needs-To-Rethink-Its-Middle-East-Strategy.html

Andre

Claro que não, eles só pensam no bem dos povos, são os paladinos da liberdade e da bondade contra os malvadões americanos.

Talvez por isso os emirados árabes olham para a França como alternativa aos americanos. Devem ter aprendido vendo o resultado da “outra opção” nos campos de batalha de Israel.

Flanker

Você viu a resposta dele? Esperava outra coisa? Russos e chineses são impolutos……são tão angelicais que a merd@ deles cheira a rosas…..

Teropode

Vc leu a matéria ?

Jagdverband#44

Está “crendo” errado novamente.

Antoniokings

Desenvolva o ‘raciocínio’, prezado Jagderband.

Zeus

Prezado Kings! O abandono do O.M. por parte dos EUA depois de décadas promovendo ações militares que só proporcionaram destruição e morte aos povos da região e lucros às suas empresas, abrirá grandes oportunidades a outros países. E a esta diversificação de fontes fornecedoras estará atrelada a uma muito bem vinda mudança na configuração de alianças geopolíticas na região. A UE, Rússia e China devem se beneficiar bem disto. Os estadunidenses, que sempre foram forasteiros estranhos e invasores na região do O.M. estão agora ocupados tentando cooptar países no leste asiático, mas lá a situação é bem diferente, o buraco… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Zeus
Antoniokings

Caro Zeus

A nova configuração geopolítica que está se formando na Ásia está abrindo enorme oportunidade à Rússia e China.
A China, por exemplo, está criando um arco de alianças que unirá terras do Extremo Oriente até o Oriente Médio.
Com ramificações pelo Sudeste Asiático.
Até o Talibã declarou que a cooperação deles será com a China
O próximo passo será a retirada americana do Iraque que está sendo preparada.

Antoniokings

Com a palavra Hiwa Osman, ex-conselheiro de Jalal Talabani, um político curdo que foi presidente do Iraque de 2006 a 2014:

“Eles (os EUA) sempre disseram que não deixariam os curdos, mas a história nos ensinou que sempre o fizeram.”

” Na opinião dele, a saída dos EUA não transformará o Iraque em outro Afeganistão, mas o Iraque ficará “fragmentado e dividido”.

E certamente cairá (ou já está) na esfera de influência iraniana.
Eu considerava que essas coisas iam acabar acontecendo, mas não imaginava que fosse em tamanha velocidade.

SDS

Marcelo Mendonça

Os Emirados Arabes Unidos possuem a versão mais avançada do M2000, o -9, o Rafale é uma sequência lógica. Isso não está no texto.

Teropode

Brinquedinho novo , quer o Rei … Boa escolha .

Joelson

Toda vez que olho o Rafale… é tipo olhar a Gisele Bündchen!
O caça bonito da po$$a!

Pedro Bó

Há alguns anos eu cheguei a ler em comentários sobre o FX-2 que o Rafale seria “invendível” e o Gripen E/F tinha tudo para ser um sucesso de exportações.

Olha que coisa.

Pedro Fullback

Ninguém dúvida que o GRIPEN é um excelente caça. Mas, a diplomacia tem um enorme peso. Qual é a diplomacia da Suécia? O que ela pode oferecer? Vai oferecer neutralidade para países que vivem em tensões?! França tem uma economia mais influente, é membro pleno no conselho de segurança da ONU e fora que possui um poder militar global. Poder global limitado? sim, mas nem isso a Suécia possui.

Antunes 1980

Direto ao ponto!

Carlos Campos

Ele é caro de manter, não tem nada que um Rafale faça faça que um FA18E/F não faça, e mais barato até, a situação é o peso diplomático da França, Pedro Fullback comentou aí.

Antunes 1980

O Rafale hoje é comercialmente uma melhor escolha que o Eurofighter ou mesmo o Gripen.
A cada ano a lista de operadores do Rafale aumenta.
França está dando uma bela rasteira nos equipamentos russos, chineses e suecos.

Jadson Cabral

Do que o Gripen eu não teria certeza, já que ainda é uma aeronave em desenvolvimento e que precisa entrar em serviço e em combate para mostrar a que veio. Com os compradores atuais vai ser muito difícil, pra não dizer impossível, que a aeronave venha a enfrentar combate real no curto prazo. Mas quem sabe depois de sua entrada em operação e depois de sua participação em exercícios a SAAB não consegue algum cliente do Oriente médio, onde acontecem os conflitos de verdade, ou pelo menos costumava acontecer (o mundo já não é mais o mesmo). De qualquer forma,… Read more »

Zeus

Creio que a rasteira maior está sendo dada nos EUA, pois eles operam o F-16, e se os EUA não estivessem virando as costas para a região, apesar deles também operarem o Mirage 2000, com seu fortíssimo lobby, os estadunidenses poderiam lhes empurrar F-16 Viper, F-15X, F-18 Advanced SH, F-35.

Antoniokings

Não entendi.
Historicamente, as monarquias do Golfo sempre compraram muito mais material americano.
Agora, compram bastante material europeu e começaram a comprar material russo e chinês.

Jadson Cabral

Lembrando sobre a facada nas costas que a França levou dos EUA e do UK no caso da Austrália, eu se fosse o Macron, vendia 12 Rafales dos mais antigos, mas modernizados da Armeé de l’air e mais um pacote de armas, incluindo versões mais antigas do Exocet para os argentinos por um valor simbólico só para os ingleses sentirem o que é traição

Hellen

O Rafale usa componente inglês na sua fabricacao !!!! Embargo certo !!!

Jadson Cabral

Eu sei que sim. Esse é o ponto. Vendia e acabou. E aí, os ingleses ficariam de mal com a França também por causa disso? Eu duvido. Imagina os ingleses impondo sanções a França. Algo impensável

Carlos Campos

acho que o Rafale usa equipamentos UK, mas se tirar esses e colocar tudo francês, aí seria uma vingança linda, ou quem sabe usar o Brasil para colocar um Scorpene na Argentina, kkkkkk adoraria ver a reação dos britãnicos.

Jadson Cabral

Alguém sabe o que é aquele sensor facetado a esquerda do IRST? Pra mim parece uma espécie de complemento a visão termal

DSC

Dentro dessa janela facetada é onde se encontra o sensor TV e o telêmetro laser do OSF-IT.
comment image
comment image

Jadson Cabral

Obrigado!

Flanker

O Rafale conta com um conjunto de sensores IR, TV, etc, denominado FSO.

images (56).jpeg
Flanker

Aqui um esquema simplificado. O sensor que vc referiu é parte só FSO e faz imagens tipo TV

images (57).jpeg
Jadson Cabral

Muito interessante. Obrigado! O Gripen não possui essa capacidade de fazer imagens de TV, né? Imagino que essa capacidade possa ser adicionada com pods caso seja necessário. Tem alguma outra aeronave que venha com essa capacidade nativa?

Flanker

O Gripen, e toda aeronave que porte um pod como o Litening, possui capacidade de imageamento por TV.
Sensor desse tipo, orgânico da aeronave, lembro assim de cabeça do F-35 e do Su-35.

Baschera

Blá…blá…blá…
Rei morto…Rei posto !

Samuca Cobre

Bem vindo!!!

Pedro Bó

Um dos melhores comentaristas da trilogia está de volta!!!!!

Andromeda1016

Com a próxima geração de caças (sexta geração) batendo à porta de todas as forças aéreas, os franceses precisam vender logo os Rafales e aproveitar para juntar capital para desenvolver seu próximo caça. Devem ter baixado os preços e oferecido condições melhores para desovar tudo de uma vez, mas sendo franceses desconfio das ofertas deles. Deve ter surpresas como sempre … rsrsrs. Enquanto isso no Brasil estamos recebendo nossos novos Gripens e com a tecnologia que adquirimos com eles, teremos de ir atrás da sexta geração …. seremos capazes? temos condição? Gzuz …. não consigo escrever mais nada …. tenho… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Andromeda1016

Últimas Notícias

Saab iniciará a fase de entrega do Gripen E

Em novembro, a Saab dará início a fase de entrega de aeronaves operacionais, com quatro aeronaves Gripen E para...
- Advertisement -
- Advertisement -