quinta-feira, setembro 23, 2021

Gripen para o Brasil

Nigéria recebe primeiro lote de aeronaves A-29 Super Tucano

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

A Força Aérea da Nigéria recebeu na quinta-feira, 22 de julho, o primeiro lote de seis aeronaves A-29 Super Tucano dos Estados Unidos.

O porta-voz da NAF, Comodoro do Ar Edward Gabkwet, disse que a aeronave chegou ao estado de Kano na tarde de quinta-feira.

O Ministro da Defesa, Major General Bashir Magashi (Rtd), Chefe do Estado-Maior do Exército, Tenente General Faruk Yahaya e Chefe do Estado-Maior da Aeronáutica, Marechal da Aeronáutica Oladayo Amao estiveram presentes para receber a aeronave.

Gabkwet afirmou que o segundo lote do A-29 Super Tucano deve chegar ao país ainda este ano.

O governador do Banco Central da Nigéria (CBN), Godwin Emefiele, alguns meses atrás, deu a entender que a nação da África Ocidental esperava os caças dos Estados Unidos à medida que o país intensificava os esforços para combater a insegurança.

O chefe do banco do ápice afirmou: “Há cerca de três anos, o governo federal e os Estados Unidos assinaram um contrato que resultou na aquisição de governo a governo de equipamentos militares, dos quais esperamos doze aeronaves ou aviões de combate Tucano que ajudarão no combate à insegurança. Estou ciente de que seis deles virão ao país nos meses de julho e agosto.”

Ele explicou isso durante uma reunião de dois dias do Comitê de Política Monetária em Abuja, onde também expressou otimismo de que a Nigéria superará seus desafios de segurança.

A-29 Super Tucano da Nigéria nos EUA

O ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, havia confirmado as vendas dos caças para a Nigéria durante uma reunião de 2018 com seu homólogo nigeriano, Muhammadu Buhari.

“Também estamos ajudando nossos parceiros nigerianos, facilitando a inteligência, cooperação e fornecendo treinamento e equipamento militar para as forças nigerianas”, disse Trump após conversas bilaterais na Casa Branca.

Trump acrescentou: Por exemplo, recentemente vendemos à Nigéria 12 aeronaves A-29 Super Tucano, uma grande aeronave, na primeira venda de equipamento militar americano para a Nigéria. Esta nova aeronave melhorará a capacidade da Nigéria de alvejar terroristas e proteger civis.

As autoridades da força aérea já começaram a treinar pessoal para lidar com a nova aeronave Tucano, que diz ser o componente mais crítico do poder aéreo que deve ser aprimorado e sustentado para um desempenho eficaz e eficiente.

“Na aeronave A-29 Super Tucano, o CAS afirmou que cerca de 60 membros da NAF, entre pilotos, engenheiros, técnicos e outros especialistas, concluíram o treinamento na aeronave nos EUA”, disse Gabkwet após a cerimônia de lançamento de seis novos pilotos de helicóptero que recentemente concluíram seu treinamento básico de voo na Draken Helicopter Academy, no Reino Unido.

A chegada da aeronave é um grande impulso para o país onde o sequestro em massa de estudantes, o banditismo e o terrorismo se tornaram comuns no norte da Nigéria e os movimentos separatistas ganharam força no sul.

FONTE: papertalk.ng

- Advertisement -

82 Comments

Subscribe
Notify of
guest
82 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Willber Rodrigues

“Trump acrescentou: Por exemplo, recentemente vendemos à Nigéria 12 aeronaves A-29 Super Tucano, uma grande aeronave, na primeira venda de equipamento militar americano para a Nigéria. ”

What?????

Camargoer

Caro WIlber. Acho que a presença das duas bandeiras no hangar do aeroporto reflete melhor que qualquer coisa o significado da venda dos A29 feitos nos EUA. Efetivamente, os aviões foram fabricados nos EUA, assim como o Xavante foi fabricado no Brasil e os T27 Short foram feitos na Inglaterra. Do mesmo modo, os H225 e Scorpenes são fabricados no Brasil. Espero que os EUA vendam muitos A29 e também comprem umas 200 aeronaves para a USAF. Espero também que eles comprem o KC390 para substituir os C130, mesmo que eles sejam fabricados nas instalações da Sierra Nevada.

Willber Rodrigues

Enfim…
Como disseram abaixo, contanto que a Embraer e a FAB estejam recebendo o delas em dia ( e em dólar ) com essa venda, e contanto que a Embraer continue tendo trabalho e mantendo empregos aqui, por mim, pode até mudar o nome pra A-29 Zé Carioca ( ou Mrs. Joseph Carioca ).

Camargoer

Olá Wilber. Pode até chamar de Donald Duck.

André Macedo

Não é nem questão de orgulho, mas esses aviões poderiam estar sendo montados aqui e gerando empregos diretos e indiretos, isso me importa mais que a Embraer (agora privada) recebendo basicamente por direito intelectual. Mas como é uma venda pelo FMS, então não há muito o que fazer, só espero que esse dinheiro seja investido em empregos e movimente a economia daqui de alguma forma.

Camargoer

Olá André. São quatro níveis. No primeiro, o produto é 100% nacional, com todos os componentes feitos no Brasil. No segundo nível, o produto tem um grau de nacionalização, utilizando componentes brasileiros e importados, mas com a finalização no Brasil. No terceiro nível, o produto é produzido no exterior sob licença com uma parte de componentes fabricados no Brasil. No quarto nível, o produto é feito sob licença no exterior apenas com componentes estrangeiros. O quinto nível é um produto estrangeiro feito com componentes estrangeiros, mas este nem deveria ser considerado. O ideal é o primeiro nível, mas os outros… Read more »

GFC_RJ

Gostando de ver, hein, Carmargo! Tá um Capitalista Liberal de primeira! kkkkkkkkk
Foi mal! A gente perde a amizade, mas não perde a piada! rsrs

Camargoer

Olá GFC. Pois é… Riso. O detalhe é que o lucro é uma questão muito anterior ao capitalismo, assim como o interesse nacional. É bíblico. Quando José foi vendido por seus irmãos como escravo e levado ao Egito, ele acaba ascendendo na burocracia do Faraó quando recomenda a intervenção do Estado nos estoques reguladores de grãos. Os judeus em Veneza financiaram o comércio em troca de lucro. Tudo isso muito antes de Adan Smith. O problema nunca foi o lucro, mas a concentração da riqueza nas mãos de poucos a partir da exploração do trabalho de muitos.

Renato

Sabe quando o Brasil vai fabricar algum avião da BOEING sob licença no Brasil e gerar empregos para brasileiros???
Nem Deus aguenta esse (b)rasil minúsculo.

Camargoer

Caro Renato. Nunca soube de um produto da Boeing licenciado para ser fabricando no Brasil, mas teve o Xavante italiano e o Xingo dos EUA. A Boeing nunca licenciou nem aviões nem helicópteros. O Japão, por outro lado, já produziu UH60 licenciados.

Maximiliano

Amigo, como 100% nacional se aviônicas e motores sao americanos, e com patentes…infelizmente mesmo os Tucanos fabricados no Brasil só sao vendidos para outros países sob o crivo dos EUA.

Camargoer

Caro Max. Onde você leu que eu escrevi que o A29 é fabricado com 100% de componentes brasileiros? Os aviões feitos na Embraer usam peças importadas, como aviônicos e motores, e os A29 feitos nos EUA são feitos com componentes estruturais feitos no Brasil.

Durval Princiotto

A fábrica é Brasileira só que a planta/unidade fica nos EUA…
Será que os Gol, Fox, Tiguan etc são brasileiros ou Alemães?
E os Ka e fiestas, norte-americanos ou Brasileiros?
O que faz de uma grande empresa ser gigante, é a capacidade dela se situar e oferecer soluções dentre as quais logísticas q atendam um mercado cada vez maior.
Pergunta, será que a Embraer venderia sua aeronave a Nigéria se ela não estivésse nós EUA?

V12 aero

Avião fabricado na América, então é um avião americano.

Willber Rodrigues

“Avião fabricado na América”
Bom…o Brasil fica na América, certo?
Tú quer dizer que ele foi fabricado nos EUA, correto?

Camargoer

Olá Wilber. Concordo com você. Eu acho um erro usar “America” como sinônimo de “EUA”. Inclusive, acho um erro usar as palavras “americano” ou “norte americano” para indicar quem nasce nos EUA. Eu sempre uso “população dos EUA” ou “cidadão dos EUA”.

Fernando C. Vidoto

Isso ai é neura.

Quando converso com pessoas da Europa, Estados Unidos e etc …quando na conversa se fala ‘America’, sabemos que estamos nos referindo aos States e não outro pais.

Att.

Camargoer

Olá Fernando. Talvez seja neura de latino-americano. Particularmente, fico incomodado em usar “America” sinônimo de “EUA”. Podíamos mudar o nome da América do Sul para “Cabrália”.

Thomaz PR de Andrade

América ,para o Brasil tanbem quebraria isso , normal

Last edited 1 mês atrás by Thomaz PR de Andrade
Camargoer

Olá Thomaz. Prefiro ser chamado de latino-americano, sem dinheiro no banco, e vindo do interior….

Willber Rodrigues

Talvez seja preciosismo meu, mas eu tambem me refiro a quem nasceu nos EUA como “norte-americano”.
Americanos, todos nós que nascemo em um dos 3 continentes americanos tambem somos.

Camargoer

Olá Wilber. Canadenses e mexicanos também são norte-americanos.

Allan Lemos

No sentido estritamente geográfico, sim. Mas no sentido étnico e cultural, apenas os canadenses podem ser considerados norte-americanos, além do povo dos EUA.

Pelo mesmo motivo, brasileiros não podem ser considerados latinos, apesar de estarmos situados na América Latina. As diferenças culturais são muitas quando somos comparados com os países de língua espanhola.

Camargoer

Caro Allan. Creio que a origem portuguesa é tão latina quanto a espanhola ou italiana. Acho que o Brasil é tão latino-americano quanto qualquer outro país colonizado por espanhóis. Aliás, franceses também tem a mesma origem latina. Neste contexto, a parte francesa do Canadá também seria latina.

ADAIR HAMES

Sem tirar nem pôr!! Falou tudo!

Augusto

“Estadunidense “.

Allan Lemos

Camargoer. Não acho que seja errado dado o fato de que eles têm literalmente o “America” no nome oficial do país. Eles foram os únicos que não abandonaram a denominação “Estados Unidos”, ao contrário do México, do Brasil, da Venezuela e da Colômbia. Sendo assim, eles realmente não teriam como chamar a si mesmo de outra coisa além de “americans”. Então, não é uma questão deles se acharem os donos do pedaço(apesar deles realmente acharem que são os donos do pedaço), mas sim uma questão de praticidade. O termo “estadunidense” é coisa da língua espanhola e portuguesa, eles não têm… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Allan Lemos
Camargoer

Olá Allan. Você tem razão sobre o histórico do termo. Aliás, foram os demais países que adotaram a expressão “Estados Unidos” em seus nomes oficiais inspirados pelos EUA. Lembro do candidato Serra em uma entrevista dizendo que o nome do Brasil era “Estados Unidos do Brasil” (vexame). De fato, eles têm a liberdade de adotarem o melhor termo que acharem. Por exemplo, os japoneses se autodeterminam “nipponjin” e seu país é “Nippon”. Os chineses mudaram a pronúncia de sua capital de “Pequim” para “Beijing”. Em português, prefiro chama-los de “cidadãos dos EUA” ou “população dos EUA” e reservar o termo… Read more »

DENIS MARTINS

So retificando, o México continua sendo estados Unidos Mexicanos

DENIS JOSE DA SILVA

O termo certo é estadunidense, nasceu na América do norte, central ou na América do Sul é americano, como quem nasce na Europa é europeu.

Felipe Maia

Picuinha sem importância. O nome completo do país é Estados Unidos da América, portanto faz sentido chamar de americanos. Quando o nome do Brasil era Estados Unidos do Brasil (1889 – 1968), éramos chamados brasileiros, não “estadonidenses”.

Camargoer

Caro Felipe. As pessoas que nasceram no “Império do Brasil” já eram chamados de brasileiros. Não faria sentido mudar isso após a proclamação da República. Quando os EUA eram colônia, as pessoas que nasciam e moravam lá eram chamados de americanos devido ao continente, mas todos tinham cidadania inglesa. Então, quando os EUA declaram a sua independência eles mantiveram a expressão “americanos”, que considero inadequada por americanos somos todos, assim como europeus ou asiáticos são muitos.

DENIS MARTINS

Mantiveram o nome. E não há problema nisso. Veja que existe cidade de São Paulo e estado de São Paulo, ou cidade de Buenos Aires e província de Buenos Aires…vários topônimos são iguais e não causam nenhum stress. Voce chama os paulistanos de povo do municipio de São Paulo?

Fernando "Nunão" De Martini

Eu penso que essa cisma de chamar americanos de estadunidenses é o mesmo que, sem mais nem menos, chamar britânicos de “reinunidianos”. Eles colocaram “America” no nome do país, a maioria dos países os chamam de americanos, nunca se chamariam de “unitedstadians” então isso pra mim é sem sentido. A maioria aliás nem desconfia de que foi um intelectual francês que inventou o termo “latino americano”, na época em que a França se achava o centro do mundo (não só intelectualmente) e no direito de cunhar o que bem entendesse. Termos são historicamente construidos, entendo que usar estadunidense ou coisa… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Fernando "Nunão" De Martini
Jad Bal Ja

Então os carros da JAC são brasileiros?

Rodrigo LD

Equipamento militar americano “made in Brazil”. Embraer Super Tucano agora é equipamento militar americano. Só falta dizer que a ave que deu nome ao aparelho, o tucano, também é típico da fauna americana.

Camargoer

Olá Rodrigo. O ZéCarioca é brasileiro ou dos EUA?

Joao Moita Jr

Bom, na verdade ele é similar ao Super Tucano. Ele foi desenhado por um brasileiro, mas levado ao mundo pelo Walt Disney…

Matheus

Isso aqui já foi repetido tantas vezes que eu não sei se vocês fazem apenas pra zoar ou se você são BURROS mesmo. Se for burrice tem que sair da internet e ir estudar, ta f*da já.

Grozelha Vitaminada Milani

Made in Brazil, assembled in America.

That’s it all folks!

Jadson Cabral

Embaixo do me Macbook tá escrito: “designed by Apple in California, assembled in China”.
Acho que a Embraer podia adotar essa.

Fernando EMB

Vai começar tudo de novo…. Qual o problema? Os aviões foram montados na fábrica da Embraer nos EUA, mas receberam tudo sua estrutura vinha do Brasil. Foram vendidos para a USAF e tiveram equipamentos de missão instalados pela Sierra Nevada. Foram entregues para a USAF já fazem alguns meses e ficaram operando pela USAF em missões de treinamento das tripulações da Nigéria. Agora o governo americano está entregando este material militar americano (da USAF) para a Nigéria… Está aí uma interpretação… Mas como o amigo disse, o que importa é vender e contar a grana depois. Muito melhor do que… Read more »

Camargoer

Olá Fernando. Concordo com você. Achei muito legal colocarem as duas bandeiras no hangar durante o recebimento da aeronave. Aproveitando, deixa eu fazer uma pergunta para você (eu já fiz, mas acho que perdi a resposta). Quando a Embraer projetou o mercado de aeronaves de transporte tático em 700 aviões, este era número de vendas projetadas para o KC390 ou era o número total de aeronaves que seria disputado entre o KC390 e o C130? Isso nunca ficou claro para mim.

Fernando EMB

Vou explicar… O mercado de transportes táticos para os próximos xx anos (acho que 20 anos) era de cerca de 2mil e tantas aeronaves. Deste mercado total, cerca de 700 aeronaves seriam a parcela do mercado que poderia ser disputado pelo KC390 (isso porque estariam excluído do mercado total os EUA, China e Rússia e países muito próximos a estes). Deste mercado de 700 aeronaves, a previsão era que KC390 poderia conquistar uma porcentagem, que dava algo em torno de 120 a 140 aeronaves. A imprensa divulgou muita besteira na época, dizendo que 700 era a previsão de vendas do… Read more »

Camargoer

Olá Fernando. Obrigado pela resposta. Pois é. Eu sempre tive essa dúvida. Valeu.

Bardini

Deste mercado de 700 aeronaves, a previsão era que KC390 poderia conquistar uma porcentagem, que dava algo em torno de 120 a 140 aeronaves. . A imprensa divulgou muita besteira na época, dizendo que 700 era a previsão de vendas do KC390, nunca foi … 700 era o chamado mercado endereçável, do qual uma porcentagem seria o market share do KC. . Tá bom. Agora abre essa apresentação aqui: https://www.camara.leg.br/internet/comissao/index/mista/orca/apresentacao/2017/Apres-FAB-19-10-2017.pdf . Abre também essa apresentação a Câmara, aos 9:00 minutos: https://www.youtube.com/watch?v=9qrxUyjydj4&ab_channel=C%C3%A2maradosDeputados . Mercado endereçável de 700 aeronaves e market share estimado de 300 aeronaves… E agora tu vem falar em… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Bardini
Fernando EMB

Previsão de mercado depende de cenários e minha com o tempo ela própria evolução do mercado.
Os números que passei são de bem início do programa… As previsões podem ter mudado, e depende do cenário de análise e do tempo.
Mas com certeza foi um negócio muito melhor para o Brasil do que ter comprado o C-130J, mil vezes melhor. Disso não tenho a menor dúvida.

FernandoEMB

Bardini, A apresentação é muito boa, e explica bem porque a opção pelo desenvolvimento foi acertada. Esses contratos de desenvolvimento próprio trazem crescimento ao país, que desenvolve novas competências tecnológicas, de engenharia e de produção, cria demanda para a cadeia de fornecedores locais, gera empregos de alto valor, movimenta a economia, gera ganhos sociais e e permite a indústria nacional se desenvolver e usar este desenvolvimento em novos projetos, fechando o ciclo. Acho este tipo de compra com desenvolvimento de novo produto por aqui, muito melhor do que os tais contratos de produção por aqui de vetores estrangeiros com a… Read more »

Bardini

Bom, tu tens que puxar a brasa pra tua sardinha. Na tua posição, eu estaria argumentando da mesma forma…

Fernando EMB

Penso isso independente da minha posição. Pensaria do mesmo jeito. É questão de opinião.

Marcelo Baptista

Bardini, não trabalho na Embraer, mas trabalho em indústria, concordo com o FernandoEMB.

Fernando EMB

Off Topic…..

https://mobile.twitter.com/embraer/status/1418673112673972225/photo/4

Merece um tópico sobre isso …

Last edited 2 meses atrás by Fernando EMB
Gabriel BR

O Boko Haram vai ter sérios problemas.

Antunes 1980

A pintura clara ficou incrível. O melhor vetor do seu segmento.

Até hoje não vi nenhuma aeronave de exportação com mísseis ar ar. É algo a se considerar.

Last edited 1 mês atrás by Antunes 1980
Matheus

O sistema do ST já aceita misseis(sidewinder e python), se o cliete já tiver ele no estoque, acredito que já podem ser usados.

Joao Moita Jr

Muito legal para a Embraer. Mas tratando-se do teatro de operações, espero que não sejam empregados conta populações civis, pois isso teria um efeito negativo para a imagem do Brasil.

Gabriel BR

quem vendeu foi os EUA

Fernando EMB

O Brasil não tem nada a ver com o emprego desta aeronave na força aérea da Nigéria, e nem foi uma venda via Embraer. Quem comprou foi a USAF, que repassou para a NAF através de um pacote que inclui treinamento, armamento e etc.

Jadson Cabral

Pode até ser, mas eu duvido que a imprensa se importe muito com isso.

eb75

Sequestro de estudantes se combate com polícia e não com caças, mas tudo bem, entendi o contexto…

Willber Rodrigues

Considerando-se que o Boko Haram domina grandes áreas da Nigéria, faz atentados terroristas com frequência na região, utilizam armamentos pesados e de uso militar e até já derrubaram um avião da força aérea nigeriana, apenas a polícia não consegue dar conta deles…

Leandro Costa

Aparentemente derrubaram dois, Willber. Um segundo Alpha Jet Nigeriano foi abatido alguns dias atrás, mas felizmente o piloto conseguiu escapar dessa vez.

Daniel

como assim um lote de super tucano dos Estados Unidos esse avião não é brasileiro?

Samuca cobre

Meu amigo ele também é montado pela Sierra Nevada , uma empresa americana, montado em parceria com a Embraer, entra no Google e pesquisa!!!!

Last edited 1 mês atrás by Samuca cobre
Flanker

Quem monta o ST nos EUA é a Embraer de lá e depois a Sierra Nevada coloca os sistemas que são responsabilidade dela.

Fernando EMB

Não. Ele não é montado pela Sierra Nevada… É montado pela unidade da Embraer em Jacksonville, Flórida, com toda a estrutura e outras partes vindo do Brasil. De lá vai em voo para a unidade da Sierra Nevada para a instalação dos equipamentos de missão.

Samuca cobre

Melhor ainda , ficou bem mais explicado, para mim e para o nosso amigo Daniel, obrigado Fernando EMB, eu falei errado , deveria ter falado parceria com a Sierra Nevada , valeu…

Joao Moita Jr

Isso se chama plausible deniability . Digamos que esse negócio traga paz e estabilidade a Nigeria; então será anunciado no mundo todo como um grande produto americano.
Se der errado, e sair um vídeo por aí de alguma atrocidade com esse aparelho bombardeado uma vila cheia de civis por exemplo… Produto brasileiro!!!
😉

Alvaro

O importante q cada ano vendida rende royalties p FAB, pelo fato do projeto do A 29 pertencer a FAB.

Adriano Madureira

E esse tais royalties corresponde a quantos % sobre o valor de cada aeronave?

Camargoer

Olá Adriano. Acho que li uma vez que a FAB recebe 5% mas ela costuma abrir mao do valor para viabilizar a exportação do avião produzido no Brasil.

Rinaldo Nery

Acho que 1%. Não tenho certeza.

Phenix

Parabéns aos EUA pela venda.

Fernando EMB

E parabéns para a Embraer por ter um produto tão bom.

Gayoso Neto

Meus caros, a tal aeronave é um projeto brasileiro, concepção e tudo mais, porém montada nos E.U.A, América,States,Yankelândia…seja nome q for…ainda q diga que o nosso eterno Fusquinha fosse fabricado por nossa Wolkswagen do Brasil…mas o projeto é as concepções eram todas da Alemanha…mas nunca ninguém chamava aquele carro de alemão…era sempre considerado brasileiro…o mesmo ocorre com esse Tucano(produzido lá..é gringo mesmo)…pior ainda pois como se sabe gde parte dos aviônicos s. mesmo todos ou dos States ou europeus…assim como o motor/ turbina…armamento e etc…

Matheus

Então vamos vender o Tucano, a Embraer vamos vender tudo pros Americanos e Europeus.
Afinal Brasileiro não produz nada a não ser commodities mesmo, não precisamos de industria, não nunca seremos competitivos.

Fabiano

Eu não entendo, talvez um mais entendido possa explicar, o super tucano, foi elaborado no Brasil, e foi fabricado e vendido pelo EUA, então o que o Brasil ganha com isso? E mais, se for assim, poderíamos fabricar os F 35, e vendê-lo diretamente para outros países?

Camargoer

Caro Fabiano. Pelo que sabemos, os A29 fabricados nos EUA usam peças estruturais fabricadas no Brasil. Isso já é um ganho porque tudo isso entra como exportação e também geral lucro para a empresa no Brasil. Além disso, a produção destas peças no Brasil geram empregos, impostos, etc. Portanto há um ganho considerável. Sobre o F35, lembro do Xavante que foi fabricado no Brasil sob licença. A Embraer também exportou alguns. Portanto, SE a Embraer tivesse a licença de produzir o F35 no Brasil e SE esta licença permitisse exportações, seria sim possível. Este será o caso do F39 que… Read more »

Jad Bal Ja

Acho muito estranho quando vejo alguém chamar o Tucano de caça, independente das qualidades da aeronave, não é um caça né?

Camargoer

Caro Jad. Ele não é um caça. Ele é um aviso de ataque ao solo. Por isso tem o indicativo A29. Se fosse um caça, seria um F29.

DENIS MARTINS

Essa venda deve ter sido feita pelo FMS dos Estados Unidos, em condições que não teríamos para oferecer. Então o negócio foi feito mesmo com os americanos que produzem a aeronave nos EUA. Conquanto que recebamos os royalties está tudo bem.

Denis

1) Por que os nigerianos não compraram diretamente da Embraer?

2) Por que o Ministério das Relações Exteriores nunca se manifesta sobre o desrespeito à nossa bandeira? Os EUA e alguns outros nunca a representam nas proporções e/ou cores corretas! É revoltante.

Last edited 1 mês atrás by Denis

Últimas Notícias

Eve, da Embraer, e Bristow firmam parceria para desenvolver operações de UAM com pedido de até 100 eVTOLs

Melbourne, Flórida, 23 de setembro de 2021 – A Eve Urban Air Mobility, uma empresa da Embraer, e a...
- Advertisement -
- Advertisement -