terça-feira, setembro 28, 2021

Gripen para o Brasil

Sem contratados dos EUA, militares afegãos perderão sua principal vantagem sobre o Taleban – o poder aéreo

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

A perda de empreiteiros dos EUA pode desencadear uma mudança revolucionária no equilíbrio militar entre o Taleban e o governo afegão

WASHINGTON – As forças do governo afegão podem perder a vantagem militar mais importante que têm sobre o Taleban – o poder aéreo – quando empreiteiros privados e tropas dos EUA deixarem o país nas próximas semanas.

As forças de segurança afegãs dependem fortemente de empreiteiros financiados pelos EUA para consertar e manter sua frota de aeronaves e veículos blindados e toda uma série de outros equipamentos. Mas os cerca de 18.000 contratados devem partir dentro de semanas, junto com a maior parte do contingente militar dos EUA, como parte do acordo de Washington com o Taleban para retirar todas as tropas “estrangeiras”.

Sem a ajuda dos contratados, as forças afegãs não serão mais capazes de manter dezenas de caças, aviões de carga, helicópteros e drones feitos nos EUA voando por mais alguns meses, de acordo com especialistas militares e um recente relatório do inspetor-geral do Departamento de Defesa.

O governo Biden prometeu manter o apoio financeiro dos EUA ao exército e à polícia do Afeganistão depois que as tropas norte-americanas partirem no prazo final de 11 de setembro, e as autoridades afegãs dizem que podem enfrentar o Taleban sem a necessidade de botas americanas no solo. Mas a saída dos empreiteiros é um golpe potencialmente devastador para o governo afegão em sua luta contra o Taleban.

“Estamos falando sobre mais ou menos o aterramento da Força Aérea Afegã”, disse Bradley Bowman, diretor sênior do Centro de Poder Político e Militar da Fundação para a Defesa das Democracias, um centro de estudos.

O poder aéreo é indiscutivelmente a principal vantagem do governo afegão em sua luta contra o Taleban, disse Bowman, um ex-oficial do Exército e piloto de helicóptero Black Hawk que serviu no Afeganistão. “Se não os ajudarmos a manter essas aeronaves, as forças de segurança afegãs serão privadas dessa vantagem, e isso poderia ter um impacto decisivo no campo de batalha e, em última instância, no estado do governo afegão.”

Sob o acordo que os EUA e o Taleban assinaram no ano passado durante a administração Trump, os EUA prometeram retirar todas as tropas americanas e aliadas, bem como todo o pessoal não diplomático, incluindo “instrutores, conselheiros e pessoal de serviços de apoio”.

Quando o governo Obama retirou as tropas americanas do Iraque em 2011, os contratados de defesa permaneceram no país.

Oficiais do Pentágono e oficiais militares seniores disseram em audiências no Congresso que o governo está procurando “opções” para apoiar as forças de segurança afegãs à distância, possivelmente consertando equipamentos fora do país ou fornecendo assistência remota. Mas o tempo está passando na saída dos EUA, com a retirada quase na metade, conforme as tropas dos EUA entregam bases em todo o país e as autoridades afegãs estão lutando para encontrar uma solução alternativa.

FONTE: NBC News

- Advertisement -

91 Comments

Subscribe
Notify of
guest
91 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Wagner

Estadunidenses fazendo o que sabem fazer de melhor: destruir uma nação por razões obscuras, dar falsas esperanças para seus aliados e depois lançá-los aos tubarões.

Evgeniy (RF).

Para ser honesto, os americanos, como a URSS, não têm grande culpa pelos problemas do Afaganistão.
O principal problema com o bantustão é que ele é apenas bantustão.

Andre

Isso é o que menos importa. Para alguns, os fatos são sempre menos importantes que as opiniões. Isso fica muito claro em que culpa os EUA, ou a Russia/URSS, ou a China, ou…. por todos os problemas do mundo.

Wagner

Andre, e Evgeniy, como vão? Falando em fatos, gostaria que expusessem aqueles que excluam os EUA ou a Russia ou a China ou potencias europeias de participação em todos os grandes entraves, problemas e conflitos geopoliticos que aflingiram o globo nos ultimos 150 anos. Não quero opiniões por favor, apenas fatos.

José Carlos David

Alguns países (as grandes potências) fazem a história…os outros (colonizados/dominados) sofrem a história. Foi assim, é assim e sempre será assim, infelizmente!

Andre

Essa está fácil: há 110 anos a Rússia era um país arcaico, quase feudal que pouco tempo depois levou um cacete da Alemanha e viveu uma terrível guerra cívil, os EUA estavam começando a se industrializar, e apesar de ter vencido guerras contra México e Espanha, não dava pitaco além de sua vizinhança, e a China, não conseguia nem mandar em suas próprias fronteiras. Nem EUA nem Rússia seriam super potências até o final da ww2, e a China, agora que começa a ser. O maior barril de pólvora mundial, o OM era comandado pela potência oriental do império turco… Read more »

Mgtow

Meu caro terraplanista reversor da realidade, oque o Wagner falou é a pura realidade sobre o papel dos EUA em desestabilizar nações. Que ridiculo essa tentativa de vcs da terra plana querer igualar e fazer uma falsa simetria de todas as maldade que esse pais faz com a China ou Russia. Deixa de ser ridiculo cara

Camargoer

Caro Andre. Após 30 anos de colapso, creio difícil creditar os atuais problemas do Afeganistão ao papel desempenhado pela ex-URSS naquela ocupação.

Andre

Seu comentário foi para mim mesmo? Eu escrevi, de maneira muito clara, que não acredito ser.

Aquela região vem sendo invadida e disputada por diversos impérios, inclusive por Alexandre o grande. Culpar Rússia, EUA ou China pelos problemas que enfrentam é mostrar que desconhecimento da história.

camargoer

Olá Andre. Você tem razão. Entendi o contrário daquilo que escreveu. Desculpa pela confusão e obrigado pelo puxão de orelha.

Carlos

Para ser mais honesto Evgeniy: nenhuma potência está preocupada com países pobres a não ser que este tenha algo de valor para ser explorado.

Allan Lemos

E nem deveriam estar. Cada um que se preocupe com si mesmo.

Carlos

Allan, pode ser. O problema é quando prega certos princípios (morais, religiosos, políticos…) que na prática a gente sabe que não ocorre…

Last edited 3 meses atrás by Carlos
Andre

É mais fácil terceirizar a culpa pelos próprios problemas.

Michel

Está esquecendo do Brasitustão. Não se engane, na primeira oportunidade farão o mesmo por aqui ou pior.

Doug385

No caso do Iraque concordo com o colega, mas o caso do Afeganistão é diferente. Aquele lugar nunca viu paz. Quem entra lá está fadado ao fracasso.O conflito é e sempre foi a realidade do Afeganistão.

Wagner

O caso do Iraque é escandaloso, concordo! No caso do afeganistão, a presença russa seguida pela americana sempre foi muito mal explicada. A questão do ópio (e heroína) para levantar dinheiro sem rastro me parece um motivo escusamente obvio. Ali historicamente é uma regiao tribal, sem duvida. O que questiono é: a presença dessas grandes potencias nao melhorou nada (e, conversando com uns conhecidos que vieram de lá, tenho a impressao que piorou muito). Abraço!

Carlos

Wagner, acho que a defesa da democracia não dá mais lucro no país…

Michel

Sem contar a quantidade de entulhos – lixões -, que deixam nos locais onde estavam localizadas as bases.
Maldade mesmo para com os locais. Um país o qual seus líderes vivem por aí discursando sobre o meio ambiente, mas por trás dos holofotes arruínam o dos países pobres como o Afeganistão.

Wagner

Quando são estadunidenses a mídia ocidental chama de “empreiteiros privados”. Todos os outros são “mercenários”. Acredito que, exceto que se tenha uma deficiência cognitiva irreparável, não há como acreditar que os EUA sejam (ou até mesmo que tenham um dia sido) os “good guys” defensores da democracia e da liberdade…

Heinz Guderian

Não existe países “bonzinhos” no mundo geopolítico e sim interesses.

Wagner

Caro Guderian! O problema é que tem muita gente que nao se da conta disso.

Piassarollo

Exato!

Fernando C. Vidoto

Os EUA durante a segunda guerra mundial foram claramente os salvadores da Europa e Ásia.

É difícil analisar esses guerras recentes dos EUA. A invasão ao Afeganistão foi devido aos grupos terroristas.

Thiago Roberto Nascimento Santana

“Claramente os salvadores da Ásia e Europa? ” Da Ásia até pode ser, mas dá Europa os soviéticos tem mais méritos que os americanos

Pedro Bó

Justamente. Com os desdobramentos da Operação Barbarossa, os maiores e melhores efetivos dos alemães foram deslocados para o Leste. Quando os americanos desembarcaram na Sicília (Operação Husky) e na França (Overlord), os nazistas já estavam bastante enfraquecidos na Europa Ocidental.

Marcos Cooper

e que apoiou os russos quando eles estavam sendo esmagados pelos alemães? Quem enviou comida e todo tipo de equipamento militar para seus amados soldados vermelhos?
Quantos marinheiros aliados morreram nas águas geladas do Ártico indo em socorro dos soviéticos?
O povo esquece certos “detalhes”…

Camargoer

Caro Marcos. Exato. Nos primeiros anos da guerra, os EUA apoiaram tanto a Inglaterra quanto a URSS fornecendo material. É preciso lembrar que os EUA começaram combatendo o Japão no Pacífico e a Alemanha no norte da África. Também é importante lembrar do papel da base em Natal para sustentar as tropas dos EUA na África. Tanto a URSS pressionou os EUA/Inglaterra para abrir uma frente ocidental quando os EUA pediram ajuda para a URSS contra o Japão. Na Europa, foram abertas duas frentes, uma pela Itália e outra posterior pela França. Além do fornecimento de armas e alimentos pelos… Read more »

Marcos Cooper

Excelente Camargoer! Nada como ouvir alguém lúcido.
Todos os Aliados pagaram sua cota de sacrifícios. Exaltar um,diminuindo o outro é de um mal-carátismo que chega a dsr nojo.

sveyda

Os EUA se colocaram como o baluarte da “democracia”; é verdade! No início, prestaram muito apoio material. Estavam e assim ficaram à salvo do conflito e da destruição propriamente dita que assolava o continente europeu pois estavam à salvos do outro lado do oceano. Historiadores e estudiosos da II GG apontam que mesmo em 1943…1944 e até mesmo início de 1945 (com os “aliados” já desembarcados no continente europeu), 70 à 80% do esforço de guerra dos nazistas continuava voltado para a frente leste (enfrentamento dos exércitos soviéticos que os varriam na frente oriental, num confronto titânico entre os exércitos… Read more »

Andre

Um pequeno detalhe. No começo da ww2 os EUA não ajudaram a URSS. Entre 1939 e 1941 o principal parceiro comercial e aliado formal dos soviéticos foram os alemães nazistas

Marcos Cooper

E quando mesmo que a União Soviética entrou na guerr????
Áh, sim. 1941…. Incrível!

Andre

Se você ler com um pouco mais de atenção o comentário do camargoer, ao qual eu respondo, verá que está escrito “no início da guerra” e não algo como “no início da participação soviética na guerra”.

Incrível!!

André Macedo

Sim, você por exemplo esqueceu que nada disso foi de graça, Reino Unido e URSS pagaram a dívida até recentemente.

Marcos Cooper

Mas isso é outro aspecto. Falamos de operações militares. Sem a aju da dos odiados yankees,nem Inglaterra ou URSS resistiriam tanto tempo.
Longe de defender um ou outro,mas a indústria americana sustentou os aliados por um bom tempo. Justamente no momento mais crítico.
Para quem defende os soviéticos,deveria saber que eles nem conhecem a SGM como guerra mundial! Pra eles é a sagrada Grande Guerra Patriótica.
EUA e Inglaterra lutaram ao redor do mundo.

ALISON

Se os EUA não intervissem ali, lutariam sozinhos depois contra os alemães…

Leandro Costa

Pedro, ninguém está negando o valor da participação soviética, mas seus argumentos não condizem com a realidade. Por mais ‘enfraquecida’ que a Wehrmacht estivesse nos locais dessas operações, a geografia em si já tornava a defesa desses lugares bem mais fácil de fazer. Os soviéticos tinham uma frente imensa, aonde os alemães não conseguiriam simplesmente reforçar toda a sua linha, fazendo com que os soviéticos pudessem fazer uso de uma guerra de movimento com muito mais eficiência, sempre deixando os alemães constantemente se movendo para fechar brechas nas linhas. Sicília é uma ilha, a Itália e seu formato de bota… Read more »

Fernando C. Vidoto

A participacao do EUA foi decisiva, esse foi o meu ponto.

Camargoer

Caro Fernando. Concordo. A participação dos EUA, da Inglaterra e da URSS foram decisivas. Eu até diria que o Brasil teve papel decisivo também servindo de linha de abastecimento para as tropas aliadas no norte da África. Teria sido muito difícil para os EUA abastecerem esta frente, que depois avançou pela Itália sem a base de Natal.

Marcelo M

Os soviéticos são verdadeiros salvadores da Europa. Depois de fatiarem a Polônia com Hitler, deixaram a resistência morrer no cerco da Varsóvia, assassinaram oficiais e depois perseguiram todos que lutaram contra o Nazismo. O Leste Europeu inteiro viveu décadas de opressão e até a Alemanha oriental viu a beleza do legado soviético pós segunda guerra para Europa. Realmente, um comunismo iluminado.

Leandro Costa

Os EUA retiraram suas tropas e voltaram para casa. A URSS não.

Marcelo M

Vamos então aos fatos. Sem EUA, como teria sido a Russia lutar a guerra em dois fronts, com o ataque inevitável do Japão? Como a Rússia teria construído seus t34 (cuja suspensão foi um projeto americano), katiuskas e seus aviões sem os comboios de suprimentos que recebeu? Como teria sido o ataque Alemão em 1943 em Kursk ( e depois) se os Americanos não tivessem invadido a Sicília (soft underbelly)? E até mesmo em 44/45, como teria sido a invasão da Alemanha se defendendo em um front só? Ter mais baixas diz mais sobre o desespero, tenacidade e também do… Read more »

Leandro Costa

Eu concordo, Marcelo. Fora todo o esforço de bombardeio e paralisação (tentativa, pelo menos) industrial alemã, da paralisação da indústria petroquímica que alimentava o esforço de guerra alemão, etc.

Os Russos poderiam não perder a guerra sem o apoio dos outros aliados, mas certamente não a venceriam.

Camargoer

Olá Leandro. Quando a Alemanha invadiu a URSS, o exército vermelho estava desestruturado (ainda devido aos expurgos de Stalin) e foi preciso transferir a indústria de armas para longe dos exércitos alemães. Os soviéticos conseguiram resistir aos Alemães graças ao apoio dos EUA e da Inglaterra, que escoltaram os comboios pelo mar do norte para abastecer a URSS. Os EUA também abasteceram a URSS pelo Pacífico (o Japão não interferiu nos comboios dos EUA para a URSS para evitar uma guerra com a URSS). Contudo, em 44, a produção de armas pela industria soviética já era maior que a produção… Read more »

Camargoer

Caro Marcelo. A suspensão do T34 foi feita por um engenheiro nos EUA e copiada pelo engenheiro soviético que projetou o T34. Ela não foi fornecida á URSS como apoio de guerra. Aliás, os EUA não aproveitaram o projeto quando foi apresentado para o seu exército porque eles não esperavam entrar na guerra. Eu acho que fazer análises histórias em termos de “SE” são quase uma perda de tempo. No Netflix tem ou tinha uma série sobre como teria sido a atuação da SS dentro da Inglaterra caso a Alemanha tivesse vencido a guerra. Bem legal.

Leandro Costa

Camargoer, essa série é ‘SS-GB’ baseada em um livro de Len Deighton, que inclusive foi lançado no Brasil (salvo engano na década de 1970, preciso checar). É um ‘e se…’ interessante, mas não passa disso, claro. Infelizmente acho que a série só durou uma temporada. Outra interessante é ‘The Man in The High Castle’ na Amazon, também baseada em um livro de ficção científica (Philip K. Dick, o mesmo que criou ‘Blade Runner’ com ‘I Dream of Electric Sheep’ e ‘I Robot’).

Camargoer

Olá Leandro. Concordo com você. Atém mesmo “Bastardos Inglórios” do Tarantino é um história de “E SE…”. São filmes e séries para diversão, tanto quanto StarTrek e “Os contos da Aia” (adoro essa série).

Andre

Eu li esse livro há muitos anos e nunca mais consegui acha-lo. Nem sabia que tinham feito uma série. Obrigado!

Marcelo M

Eu sei disso. Não disse que foi apoio de guerra.

silvom

Provavelmente os EUA hoje seriam uma colônia Alemã também

ALISON

Retiraram suas tropas? kkkkkkkk Estão lá ate hj “apoiando” os parceiros e empurrando… digo, vendendo seus armamentos… kkkkkkkkkkkkk

Camargoer

Caro Marcelo. Qualquer um que tenha lido “Mein Kampf” sabia que o objetivo da Alemanha nazista era conquistar a Ucrânia de destruir o “bolcheviquismo judeu”. Em 1917, quando o Czar caiu, os comunista fundaram a URSS e fizeram a paz em separado com a Alemanha do Kaiser. É importante lembrar que foram os alemães que levaram Lenin para São Petersburgo para liderar a revolução e financiaram os bolcheviques. Então, o Kaiser foi fundamental para o surgimento da URSS. Após o armistício, a Inglaterra, França e EUA enviaram tropas para combater a revolução soviética e restaurar um governo pró-liberal. Fracassaram. Após… Read more »

Marcelo M

Assim como Churchill tinha apoiado os brancos contra os vermelhos russos na revolução. Depois apoiou os vermelhos a contra gosto, pois não tinha como revidar contra a Alemanha depois da derrota na França. Agora, está errada sua afirmação de que a URSS lutou sozinha durante o avanço da Alemanha. Os Britânicos estavam lutando no norte da África contra os alemães (e aliados de Vichy). E os americanos desembarcaram lá em maio de 42. Lutavam também no Mediterrâneo no apoio aos comboios de Malta.

Camargoer

Caro Thiago. Eu reconheço que a URSS (que engloba Russia, Ucrania, Geórgia e muitas outras repúblicas) na II Guerra foi imenso. Praticamente um terço das mortes na II Guerra foram de soviéticos (cerca de 20 milhões). Contudo, é preciso lembrar que os EUA forneceram muito material militar e alimentos para a URSS sustentar a sua luta contra a Alemanha. Além disso, Stalin sempre pressionou o ocidente para abrir uma segunda frente. Na verdade, foram abertas duas frentes ocidentais na Europa, uma na Itália (inclusive com a participação brasileira) e outra na França. Acho impossível separar o esforço de guerra da… Read more »

Claudino

grupos terroristas que o próprios EUA financiavam e apoiavam nos 80

Camargoer

Caro Fernando. Na II Guerra, os EUA sofreram uma agressão óbvia das forças armadas regulares do Japão, que os levaram á guerra no Pacífico. Na Europa, foi a Alemanha que declarou guerra aos EUA. A invasão do Afeganistão foi consequência do ataque ás torres gêmeas por terroristas (cujo líder por fim estava escondido no Paquistão). A invasão do Iraque foi um ataque ilegítimo que vai marcar a história dos EUA até mais que a guerra do Vietnan.

Fernando C. Vidoto

O caso do Iraque esta relacionado sobre a fabricação de armas de destruição em massa.

———–
-Sobre os EUA hoje:

Atualmente eles atuam como uma ‘policia’ no mundo. Como eles tem grande poder militar, financeiro no mundo, acabam por se ‘meter’ em outros affairs politicos por ai ..

Att.

Camargoer

Caro Fernando. Não existiam armas de destruição em massa no Iraque. Isso está amplamente documentado. O teatrinho do Collin Powel na ONU, como o vidrinho de talco, tentando encenar uma “crisa de mísseis” foi vergonhoso.

Fernando C. Vidoto

Essa foi a desculpa da guerra.

Eu pessoalmente nao sei de fato o motivo (Petroleo?)

Camargoer

Olá Fernando. Petróleo é apenas uma parte da explicação. A guerra contra o Iraque movimentou bilhões de dólares para as empresas privadas que foram contratas pelo Pentágono e para as indústrias de armas dos EUA. Também serviu como cortina de fumaça para o governo dos EUA imporem uma série de leis de restrição aos direitos civis e privacidade dos próprios cidadãos dos EUA. Serviu como laboratório para os EUA aplicarem suas táticas de implantação da democracia no Oriente Médio (se tivesse funcionado, seria uma séria de intervenções em dominó). As primaveras árabes estão neste contexto. Também serviu como demonstração de… Read more »

Michel

Colega, qual exército da época (Segunda Guerra) suportou a pressão esmagadora do exército alemão em Stalingrado? Qual foi o primeiro exército aliado a investir contra Berlim?

André Macedo

Só pode ser brincadeira, Reino Unido e URSS seguraram a Alemanha sozinhos após a queda da França, e os EUA só entraram na guerra pq Hitler que declarou, até então os americanos só haviam declarado guerra ao Japão. foram de grande ajuda obviamente, mas chamar de “salvadores” é muito desconhecimento e/ou babação.

sveyda

Lhe sugiro dar uma estudada melhor na VERDADEIRA história da II GG. Pela sua opinião, posso imaginar que ao saber quem foi o verdadeiro vencedor (da IIGG), o senhor ficará decepcionado ou….. continuará negando a verdade.

Camargoer

Caro Wagner. Creio que mercenários seriam os combatentes privados. O pessoal técnico usado na manutenção de aeronaves e outros equipamentos são melhor caracterizados como empreiteiros ou terceirizados.

EduardoSP

Os afegãos poderiam chamar o pessoal da intendência do EB para gerenciar a situação.

Pedro Bó

Arrisca eles acabarem no Tajiquistão ou Uzbequistão, por causa da proximidade de nomes.

Svezdyan

Ahahahahah! Vamos lá!….milhões de dólares serão investidos pra manterem umas 2 ou 3 aeronaves voando (formação de doutrina…ahahahah). O restante ficará abandonado. Quando os “chefes” (com altíssimos estudos) forem questionados sobre o abandono, ineficácia e etc, dirão que a razão é a eterna falta de verbas….! Ahahaha! Ah….essa falta de verba! Ahahahah! E o restante já sabemos…ahahah….mansões, jantares, milhões de reuniões, diárias, passagens aéreas, carros com “bandeirinhas” nas laterais, centenas de subalternos à disposição, vinhos… wiskey 12 anos……! Pensando bem, deixemos isso de lado…seria uma péssima idéia para os afegãos que já estão bem “enrolados” com a saída dos americanos… Read more »

Antoniokings

Certamente que essa derrota americana marcará o fim da presença dos EUA na Ásia Central.
Paquistão e China já estão se reunindo para estabilizar a região.
Certeza absoluta que o conturbado País ficará na órbita de influência chinesa e se beneficiará dos avanços econômicos da Iniciativa Belt & road.

Pedro Bó

Arrisca a China tornar-se a quarta vítima do “Cemitério de Impérios” nos últimos 200 anos…

Antoniokings

Chineses têm muita experiência com grupos extremistas islâmicos.
Os terroristas de Xinjiang foram esmagados sem muitas dificuldades.
Além do mais, o Paquistão, aliado da China e com grande influência no Afeganistão, está cooperando com os chineses no caso.
Fique tranquilo.

Matheus S

Não tem coisa melhor do que aprender com os erros dos outros.

Matheus S

Não. Por mais que você pense numa hegemonia chinesa na região, a Índia está fazendo vultosos movimentos no Afeganistão, está sendo bem mais assertiva que a China nesse sentido. Mas concordo, a China certamente se reunirá para estabilizar a sua região fronteiriça, mas a Índia está nada recuada nesse suposto vácuo que os americanos irão deixar na Ásia Central.

Henrique

George W. Bush foi o pior presidente dos EUA da história. As invasões ao Iraque e Afeganistão foram erros estratégicos colossais, é dificil medir o quão devastador foram essas aventuras, não é por nada que o neoconservatism praticamente morreu como movimento político.

Pedro

Na realidade o terrorismo so se propagou pela Asia e Africa devido a açao daquele que é o pior presidente para qualquer pessoa honesta desse mundo: Bill Clinton! No fim dos anos 80 o terrorismo e o fanatismo islamico estavam mortos ou terrivelmente fracos e contidos, mas nos 8 anos desse M… de globalista, intencionalmente o cara deixou isso ressuscitar e ficar cada vez mais forte. Note que somente com o Trump a frente que o terrorismo internacional e o fanatismo islamico deixou de se alastrar e chegou a ser contido, mas agora com a K Harris a frente dos… Read more »

Matheus S

O terrorismo islâmico se propagou com a queda da URSS, se você imaginar que a administração Reagan estava armando grupos islâmicos contra os soviéticos, o precursor do aumento descomunal do terrorismo foi em essência o governo Reagan, por mais que muita gente odeie a URSS, a sua queda deu margem ao aumento do terrorismo tanto na Africa quanto na Asia, só não foi no Oriente Médio, porque os EUA cometeram o erro de invadir o Iraque e derrubar o Saddam, o único homem que manteve o terrorismo contido e ainda era um adversário geopolítico do Irã e de Israel, não… Read more »

Leandro Costa

Matheus, concordo. Só não começou com Reagan. Foi com Carter. Ideia de Brzezinski, salvo engano.

Matheus S

Correto, mas com uma ressalva. Zbig tinha inimizades com Cyrus Vance e também com Kissinger, na qual esses últimos tinham outras abordagens para o confronto com a URSS, essa estratégia dele realmente começou com Carter, mas só teve a relevância de suas ideias no governo de Reagan, mesmo criticando o unilateralismo do republicano, ele achava melhor do que o pacifismo democrata. A falta de uma estratégia coerente perante a opinião pública já havia abalado definitivamente a imagem do governo Carter, mesmo o lado de Zbig prevalecendo com a renúncia de Vance em 1980, último ano do governo Carter. O descompasso… Read more »

Leandro Costa

Sim, exatamente. Ainda assim, todos os movimentos foram iniciados na era Carter, porém continuaram e foram ampliados com Reagan. Muito do material enviado sob Carter para os mujahedeens foram de origem chinesa e até soviética. Já com Reagan havia equipamento americano sendo enviado em quantidade.

Rinaldo Nery

Me parece que você e Matheus estão corretos no raciocínio.

Tutu

Acho que em breve esses A-29 vão cair nas mãos do Talibã.

Resta saber se vão continuar operacionais depois disso.

Pedro

Enquanto os EUA e ocidente lidar com esses conflitos apenas com interesses militares e economicos, sempre serao derrotados. Guerra é motivaçao! E no caso do Afeganistao, nao tem como derrotar a motivaçao deles pois esses caras querem viver na idade da pedra. Ali a melhor estrategia seria seus vizinhos construir um muro e isolar esse lugar do mundo, mas ha por traz disso interesses estrategicos do Paquistao e tambem do Ira e Arabia Saudita que movimentam e fomentam essa motivaçao desse lugar estar a quase 50 anos nisso para com isso desviar os olhos internos de seus problemas para um… Read more »

Rinaldo Nery

Concordo.

Wagner

Triste, mas verdadeiro.

Claudino

grupos terroristas que o próprios EUA financiavam e apoiavam nos 80

Antunes 1980

Placar dos Estados Unidos:

3 Vitórias, 1 Empate e 2 Derrotas

Guerra da Coréia: Empate
Guerra da Vietnã: Derrota
Invasão da Nicarágua: Vitória
Guerra da Golfo: Vitória
Invasão da Iraque: Vitória
Guerra da Afeganistão: Derrota

Last edited 3 meses atrás by Antunes 1980
eslima70

Faltou, Fiasco no Irã e na Somália.

carcara_br

Os estados unidos perderam, culpa do socialismo malvado. Ah, mas eles usaram, estimularam, financiaram e armaram esses mesmos grupos radicais pra enfraquecer a URSS, não importa é culpa do socialismo. Eles estão a 20 anos tentando a base do tiro porrada e bomba ocidentalizar, é o socialismo que cega a população para a superioridade do estilo de vida americano. Os caras usam mercenários pagos, praticamente suco de capitalismo, pra massacrar populações que ocupam aquele solo a séculos e a culpa é do socialismo, tá certo. Eu só lamento pelo afegão que acreditou e, em boa medida, vai estar entregue a… Read more »

eslima70

Ocorrerá o mesmo o que aconteceu, quando os Russos saíram. Um massacre geral, e as velhas disputas regionais de poder. Se não for pior.

Marcelo Baptista

Ué, não houve treinamento das equipes de manutenção Afegãs?

eslima70

A questão é dinheiro! Para manter tudo isso, e fora que não se tem material humano também.

Salim

Grande oportunidade de vender A29. Com 50 ST no ar, não vai ter pra ninguem. Vou comprar ações Embraer. Com cobertura aerea e muito difícil fazer algo substancial. Vc não pode deslocar veículos, tropa tem que ser bem fracionada. Da para atacar com grande contingente e blindados. Além do mais la e Campo aberto ficando fácil para cobertura aerea e sem pessoal nutela vai ser ‘fire in the role’. Pobre do povo Afeganistão, paz está longe ainda.

Últimas Notícias

Zhuhai Airshow 2021: Apresentação do caça stealth Chengdu J-20

Pela primeira vez, o caça J-20 da Força Aérea do Exército de Libertação Popular da China (PLAAF) equipado com...
- Advertisement -
- Advertisement -