Home Alerta Aéreo Antecipado Esquadrão Guardião recebe a primeira aeronave E-99 modernizada

Esquadrão Guardião recebe a primeira aeronave E-99 modernizada

3696
57

A aeronave decolou de Gavião Peixoto nesta quinta-feira (03) e pousou na Ala 2, em Anápolis (GO)

A primeira aeronave E-99M modernizada entregue à Força Aérea Brasileira (FAB) pousou nesta quinta-feira (3), na Ala 2, em Anápolis (GO). O vetor, que será operado pelo Segundo Esquadrão do Sexto Grupo de Aviação (2°/6° GAV) – Esquadrão Guardião, decolou de Gavião Peixoto (SP).

A modernização integra o projeto desenvolvido sob a responsabilidade da Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (COPAC), em conjunto com a Embraer e fornecedores internacionais, como a Saab, a Aeroelectronica International e a Rohde & Schwarz.

O E-99M pousou na cidade goiana às 16h55 com oito tripulantes a bordo. O Comandante do 2°/6° GAV, Tenente-Coronel Aviador Felipe Francisco Espinha pilotou a aeronave no voo de chegada ao Esquadrão.

Segundo ele, o vetor recebeu um moderno pacote de atualizações e inovações, com amplas melhorias em hardwares e softwares de gerenciamento do radar, do sistema de NCOM e dos rádios de missão. “Para mim, como Comandante do 2º/6º GAV, trazer o E-99M de volta para o Centro-Oeste do nosso país foi uma honra e motivo de muito orgulho. Como tripulante operacional, na função de Chefe Controlador Aeroembarcado, ver a plataforma modernizada no pátio da Ala 2 revigora o sentimento de confiança no Esquadrão Guardião”, completou.

Outro tripulante, o Capitão Especialista em Controle de Tráfego Aéreo Fábio José Marques de Oliveira, disse que sua expectativa é que o E-99M seja um divisor de águas em apoio às missões da FAB, no que tange à capacidade do sistema de missão aeroembarcado.

“Melhor performance e alcance do radar, incremento na quantidade de tráfegos que podem ser monitorados continuamente, aumento do número de posições de controle e sistemas de rádios de missão. Clique aqui para baixar a imagem originalTudo isso proporcionará uma melhor eficiência e melhor qualidade no cumprimento da missão e no produto final entregue ao Comando da Aeronáutica”, acrescentou.

A aeronave

O E-99M é capaz de fornecer dados de inteligência precisos, em tempo real, sobre aeronaves voando à baixa altura. Quando os pilotos de Caça recebem as suas ordens e decolam para as missões de interceptação, as aeronaves E-99M monitoram o espaço aéreo da região, visualizando toda a área de operação.

Isso permitirá a continuidade da participação, com excelência, da FAB em missões aéreas de combate aos tráfegos irregulares, atuando com protagonismo nas ações interagências, como as operações Ágata e Ostium. Além disso, as aeronaves E-99M têm a capacidade de complementar os sinais dos radares de solo, servindo também como uma reserva de visualização-radar ou de comunicações para o tráfego aéreo da aviação geral.

Alcance da cobertura do radar Erieye original. O alcance do E-99M foi aumentado para 723 km

FONTE: Força Aérea Brasileira

Subscribe
Notify of
guest
57 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Dod
Dod
1 mês atrás

Amigos já vi site falando que o alcance desse radar é de 700 km, alguém confirmar essa informação

Ferreras
Ferreras
Reply to  Dod
1 mês atrás

Na imagem informa 723KM.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Ferreras
1 mês atrás

Qual é o alcance do radar anterior?

rodrigo
rodrigo
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

antes da atualização era 498 km

Carlos Crispim
Carlos Crispim
Reply to  Dod
1 mês atrás

Sim, 730 km, mas, e daí? Esse tipo de radar não tem cobertura 360º per si, precisa manobrar o avião para alterar a faixa de cobertura, o que é uma limitação, será?

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Carlos Crispim
1 mês atrás

Não é limitação alguma. O inimigo vem de todas as direções? Então você está no lugar errado! Muito errado!

GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  Rinaldo Nery
1 mês atrás

Pois é…
Se tiver inimigos em todas as direções, significa supremacia aérea local do inimigo e, portanto, nem adianta caças, AEW nem nada. O que voar vai ser abatido.
Pro AEW voar e cumprir missão, necessariamente ele tem de se manter afastado da arena, monitorando-a a uma certa distância.

ALTAIR IGNEZ DE SOUZA
ALTAIR IGNEZ DE SOUZA
Reply to  Carlos Crispim
1 mês atrás

Pelo que li no site da própria SAAB, a cobertura e de 360 graus sim.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  ALTAIR IGNEZ DE SOUZA
1 mês atrás

Não é.

ALTAIR IGNEZ DE SOUZA
ALTAIR IGNEZ DE SOUZA
Reply to  Rinaldo Nery
1 mês atrás

então a propria materia aqui do site esta errada? ou passaram as informações erradas?

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  ALTAIR IGNEZ DE SOUZA
1 mês atrás

Não sei. Eu fui cmt do 2°/6°. 1.530:00h de E/R-99. Acho que conheço a cobertura do ERIEYE.

MCruel
MCruel
Reply to  Rinaldo Nery
1 mês atrás

Contra fatos, não há argumentos! Voa cmt!

Marcelo M
Marcelo M
Reply to  Rinaldo Nery
1 mês atrás

Bom comentário, que mostra que, para nós, a maioria, o melhor que temos a fazer é perguntar e esperar a resposta de quem entende.

Equilibrium
Equilibrium
Reply to  ALTAIR IGNEZ DE SOUZA
1 mês atrás

A matéria aqui do site mesmo que você citou diz que são 300 graus

ALTAIR IGNEZ DE SOUZA
ALTAIR IGNEZ DE SOUZA
Reply to  Carlos Crispim
1 mês atrás

Só para complementar, ja teve uma analise completa sobre o mesmo, aqui no canal em janeiro de 2019 .ESPECIAL: Decifrando o Saab GlobalEye.

Toni Cavalcante
Toni Cavalcante
Reply to  ALTAIR IGNEZ DE SOUZA
1 mês atrás

Comandante, trata-se do mesmo radar?

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Toni Cavalcante
1 mês atrás

Sim, com atualização de software.

Helio Silva
Helio Silva
Reply to  Dod
1 mês atrás
nonato
nonato
Reply to  Helio Silva
1 mês atrás

O mesmo alcance que consta da última imagem desta matéria que estamos comentando.
A questão é: esse alcance para qual RCS?

OSEIAS
OSEIAS
1 mês atrás

Sem sombra de duvida é um enorme ganho operacional à FAB e um excelente ganho a indústria nacional que cada vez mais absorve tecnologia e emprega em produtos no estado da arte.

Satyricon
Satyricon
1 mês atrás

Excelente
Estranho não terem adotado a sonda de reabastecimento nessa modernização, visto que até o C-295 de busca adotou-a.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Satyricon
1 mês atrás

Um engenheiro da EMBRAER postou aqui, noutra matéria, os motivos da não instalação.

Marcelo Mendonça
Marcelo Mendonça
Reply to  Satyricon
1 mês atrás

A estrutura não permite, semrpe é bom lembrar que o REVO não é apenas a sonda na frente do avião, mas toda a tubulação necessária para fazer o combustível chegar aos tanques, isso trás peso, altera balanceamento, entre outras mudanças de engenharia. Nas nossas aeronaves, essa capacidade é inviável. Os da Índia possuem, mas quebraram a cabeça e sacrificaram capacidade de carga para ter. Também não sei se operacionalmente isso é tão importante, as missões já não são curtas, quando estiver indo reabastecer, quem fica em seu lugar, não se teria uma lacuna na cobertura radar? as aeronaves REVO ficam… Read more »

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Marcelo Mendonça
1 mês atrás

O engenheiro postou que o problema seria no sistema anemométrico. Escoamento de ar para os pitot e tomadas estáticas. Iria requerer mais ensaios em vôo. Mais que nas tubulações.
Como já falei, o REVO, no caso dos E-99, só é interessante para operação em pistas mais curtas. Reabasteceria antes de chegar na área Watch (on station).

Satyricon
Satyricon
Reply to  Rinaldo Nery
1 mês atrás

Prezado Cmte, me desculpe, mas imagino que toda a engenharia e ensaios para tal alteração já tenha sido desenvolvida para os exemplares indianos.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Satyricon
1 mês atrás

Depois da entrega dos nossos aviões.

Marcelo Mendonça
Marcelo Mendonça
Reply to  Satyricon
1 mês atrás

Extamente o que eu e o Cel Nery já dissemos, quando os indianos compraram os deles, os nossos já estavam prontos, então no deles foi possivel fazer, mas sacrificaram em outros pontos, nos nossos fica economicamente inviável, seria fazer um avião novo.

Paulo Sollo
1 mês atrás

Excelente contar com uma aeronave com esta capacidade de cobertura, em breve cinco. A maioria das FAs do mundo não tem algo neste nível. Neste quesito estamos muito bem servidos.

Adriano RA
Adriano RA
1 mês atrás

Ficou lindo com essa pintura brilhante.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Adriano RA
1 mês atrás

Mais fácil de limpar. A fosca deixava ¨n¨ marcas de gordura, óleo…

Palpiteiro
Palpiteiro
Reply to  Adriano RA
1 mês atrás

Bonita mesmo. parece pintura de avião executivo. Será que é mais pesada?

Toni Cavalcante
Toni Cavalcante
1 mês atrás

Na minha opinião foi desperdiçado um item básico nessa modernização, um pod de reabastecimento, já que essa aeronave precisa passar muito tempo em voo durante missões de combate, e a Embraer já faz uso dessa tecnologia no KC390. Uma pergunta: alguém sabe porque não optaram por uma pintura fosca?

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Toni Cavalcante
1 mês atrás

Lê meus comentários acima acerca dos dois questionamentos. A pintura ERA fosca.

Pablo
Pablo
Reply to  Rinaldo Nery
1 mês atrás

Qual é a autonomia do avião? já que não pode ser instalado o sistema de REVO, poderia ser instalado tanques externos nas asas?

Bruno
Bruno
1 mês atrás

Mais uma excelente opção adotada pela FAB e agora com suas capacidades aumentadas e modernizadas.
Parabéns aos envolvidos !

Obs : Essa pintura brilhante lembra muito a adotada pelos Hawkeye da Marinha Americana. A facilidade de limpeza é boa demais e acredito que também influencie bem em algumas características de voo. Será que falei besteira Cel Rinaldo Nery ?

Ersn
Ersn
1 mês atrás

Nessa modernização também foram atualizados os motores e avionicos ao exemplo do que os americanos fizeram nos E-3 Sentry ?ja que é uma aeronave que vai voar por um bom tempo ainda na FAB com essas melhorias no radar.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Ersn
1 mês atrás

Não há a necessidade de mexer nos motores.

Xerem
Xerem
Reply to  Rinaldo Nery
1 mês atrás

Rinaldo Nery coronel tem como colocar tanques externos nas asas dessa baita aeronave e missil idem ? Desde ja agradeço pela informaçao !

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Xerem
1 mês atrás

Não. E pra que um míssil?

Alex Tiago Do Prado
Reply to  Rinaldo Nery
1 mês atrás

Boa noite coronel. Pensei que tinha visto algo em que a aeronave co seguiria mirar o missil de um caça contra um alvo de interesse da missao então diversas vezes imaginei que poderia ter misseis proprios para auto defesa ou mesmo atacar a grandes distâncias imagina se for possivel abater inimigos rwalmente a grandes distancias. Apenas duvidas agradeço a oportunidade de pider perguntar para uma autoridade no assunto. Obrigado

Alex Tiago

GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  Alex Tiago Do Prado
1 mês atrás

“Pensei que tinha visto algo em que a aeronave co seguiria mirar o missil de um caça contra um alvo de interesse da missao”. Tendo comunalidade de datalinks, o AEW consegue “lockar” um alvo e o caça lá na ponta atira sem ligar seus próprios radares e se expôr. “poderia ter misseis proprios para auto defesa ou mesmo atacar a grandes distâncias imagina se for possivel abater inimigos rwalmente a grandes distancias”. Isso não faz o menor sentido. AEW NÃO são aeronaves de choque. São de comando e controle. Portanto, elas ficam posicionadas em uma área estratégica afastada da arena… Read more »

Marcelo M
Marcelo M
Reply to  GFC_RJ
1 mês atrás

Talvez quando surgirem os mísseis BVR de 1000 km de alcance.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Alex Tiago Do Prado
1 mês atrás

Alex, só para complementar o que o GFC falou, é que um míssil, para que possa desenvolver todo o seu alcance, por exemplo, precisa ser lançado em determinadas condições, seja de velocidade e/ou altitude. É ainda mais importante no caso de mísseis ar-ar, que seria o caso aqui. Uma aeronave como o E-99 não teria a aceleração, velocidade e performance acrobática de um caça para poder fazer esse tipo de coisa, até porque o ideal seria que ele estivesse fora do alcance de qualquer míssil ar-ar e terra-ar do inimigo. Fora que quanto mais peso você carrega, e no caso… Read more »

Palpiteiro
Palpiteiro
Reply to  Rinaldo Nery
1 mês atrás

A potência do radar vem da APU ou dos motores? Com maior potência elétrica o alcance do radar poderia ser maior? A verão indiana possui 2 APU. Em que isso influencia?

santana
santana
1 mês atrás

Poxa vida,que orgulho ve esses avioes numa”reforma”,participei da fabricação deles em 1998/2002,uma pena porque ao que me parece essa pintura sera so nos dois primeiros,mas de qq forma vao ficar top esse entregue e de NS263 da familia 145,muito bom…

Flanker
Flanker
Reply to  santana
1 mês atrás

Só no 2 primeiros por que? Vai faltar verniz?

Last edited 1 mês atrás by Flanker
Pedro Moraes
Pedro Moraes
1 mês atrás

Sensacional, pra mim, essa aeronave dota a FAB de uma capacidade impar frente aos nossos vizinhos sul americanos…

JS666
JS666
1 mês atrás

Orgulho da FAB!! Enquanto isso o EB e a MB continuam fazendo estudos.

sj1
sj1
Reply to  JS666
1 mês atrás

O GT da defesa AA que o diga…

Pecatoribus
Pecatoribus
Reply to  JS666
1 mês atrás

Desculpe. Mas você considera “fazer estudos” os submarinos Riachuelo, as fragatas Tamandaré, no caso da Marinha, o míssil tático de cruzeiro, os blindados Guarani, no caso do Exército? Para ficar nesse exemplos.

Maximus
Maximus
1 mês atrás

Ele possui sonda para REVO? Possui alguma medida de autoproteção como Flares? Se não, por que não colocar, para melhorar a sua atuação? No mais, projeto fantástico!

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Maximus
1 mês atrás

Sobre o REVO já foi falado em vários comentários acima. Sim, possui sistema de autodefesa.

Tutu
Reply to  Rinaldo Nery
1 mês atrás

Coronel, como os E-99 estavam de autodefesa antes da modernização?

Maximus
Maximus
Reply to  Rinaldo Nery
1 mês atrás

Obrigado, Coronel!

Palpiteiro
Palpiteiro
1 mês atrás

Será que existe a intenção de México e Grécia modernizarem também?

ANDRE DE ALBUQUERQUE GARCIA
ANDRE DE ALBUQUERQUE GARCIA
1 mês atrás

Sensacional!
A FAB, para mim, é a Força que melhor trabalha a necessidade de atualização tecnológica e o manejo do orçamento. Aos poucos modernizou os vetores à disposição (F5M, A1M, E99, R99, P 3M), incorporou outros vetores com relevância para o cenário regional (A 29) e avançou com uma primeira linha de respeito (F 39). Sem contar com KC 390 no estado da arte.

nonato
nonato
1 mês atrás

Esses aviões costumam ficar a que distância do teatro de operações?
200, 300 km?
Se ficar muito longe reduz a efetividade do alcance.
723 km deve ser para caças grandes e em condições ótimas.
Numa guerra contra a Venezuela, ficaria a que distância da fronteira?