quarta-feira, maio 12, 2021

Gripen para o Brasil

Irã testa novo sistema de defesa aérea

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Por Behnam Ben Taleblu e o major Shane “Axl” Praiswater

A República Islâmica concluiu um maciço exercício de defesa aérea exibindo mísseis superfície-ar (SAMs), lançadores, radares e equipamentos de comando e controle selecionados. Embora analistas e legisladores americanos tenham se concentrado nas capacidades ofensivas de Teerã, o que realmente permite ao regime atacar no exterior com confiança é a percepção da segurança em casa, uma percepção estimulada em parte pela evolução das aptidões de defesa antimísseis.

O exercício recente – com o codinome “Defenders of the Velayat’s Skies-99”, com “Velayat” sendo uma referência ao Líder Supremo do Irã e “99” sendo o ano do calendário iraniano abreviado – faz parte de uma série regular de exercícios conjuntos pelos ramos da defesa aérea do duplo exército do Irã: o Artesh e o Corpo da Guarda Revolucionária Islâmica (IRGC).

Nos últimos anos, Teerã priorizou a prontidão e integração de seus meios de defesa aérea por meio desses exercícios. A letalidade dessas forças estava em plena exibição quando Teerã abateu um drone americano sobre águas internacionais em junho de 2019 e acidentalmente abateu um avião ucraniano em janeiro de 2020.

A decisão de Teerã de continuar com esses exercícios em grande escala enquanto é afetado por duras sanções e o coronavírus não deve ser nenhuma surpresa. Os exercícios militares altamente públicos são um pilar da dissuasão iraniana, pois mostram capacidades que podem sinalizar um alto custo para qualquer agressor.

Embora os mísseis balísticos sejam frequentemente vistos como a principal ferramenta de dissuasão de Teerã, eles são mais especificamente ferramentas de dissuasão por punição, ou seja, armas que podem ser usadas para retaliar ou punir um atacante.

Por outro lado, são os sistemas de defesa aérea do Irã e SAMs que constituem as ferramentas do regime de dissuasão por negação – ou seja, ferramentas que podem (idealmente, para planejadores de segurança iranianos) evitar que um ataque adversário seja realizado com sucesso em primeiro lugar. Como tal, os SAMs do Irã são a primeira linha de defesa interna.

O Irã possui uma ampla gama de sistemas de defesa aérea produzidos internamente e adquiridos no exterior, a maioria dos quais móveis rodoviários, permitindo que o regime circule na proteção de alvos de alto valor em todo o país.

Sistema de defesa aérea Bavar-373

Enquanto todos os olhos estão voltados para Teerã para ver se ele adquirirá o SAM S-400 da Rússia – uma plataforma que as autoridades russas enfatizaram a disposição de vender – os exercícios recentes destacaram um sistema iraniano doméstico que não deve ser esquecido quando se trata de “detecção, rastreamento e destruição de alvos ”, de acordo com um oficial do IRGC. O sistema SAM Bavar-373 é a resposta do Irã para a plataforma S-300 (que também recebeu da Rússia). De acordo com relatos da imprensa iraniana, embora o Bavar tenha sido supostamente testado em 2018, este é o primeiro (e bem-sucedido teste) do sistema SAM como parte de um exercício conjunto Artesh-IRGC de defesa aérea.

Revelado formalmente no ano passado, o nível de interoperabilidade do Bavar, se houver, com seu progenitor russo, permanece desconhecido. No entanto, se puder realmente engajar alvos a até 300 quilômetros, as aeronaves dos EUA operando em bases americanas no Qatar ou no Kuwait estariam imediatamente ao alcance dos mísseis interceptores Sayyad-4 do Irã. Não é de se admirar, então, que a mídia linha-dura do Irã aclama o Bavar como a “Jóia no anel de defesa do Irã.”

Infelizmente, para o Irã, esses sistemas de defesa aérea dificilmente são um problema para a Força Aérea dos Estados Unidos, caso seja necessária a derrubada dos sistemas iranianos. Os sistemas iranianos, mesmo em seus melhores dias, empalidecem em comparação com os ativos russos e chineses que Washington se prepara para derrotar em treinamento e por meio de seus programas de aquisição.

Usando uma barragem de mísseis de cruzeiro, um punhado de bombardeiros de longo alcance acabaria rapidamente com as defesas do Irã. A Síria aprendeu essa lição em 2018, quando dois bombardeiros B-1B lançaram 19 mísseis de cruzeiro JASSM como parte de um ataque de 105 desses mísseis contra a infraestrutura de Assad.

Derrubar as defesas aéreas do Irã, seja por meio de uma operação de supressão ou destruição das defesas aéreas inimigas, exigiria mais armas e surtidas para realizar, mas ainda seria possível. A questão mais urgente em tal cenário seria defender as bases americanas da retaliação de mísseis balísticos iranianos, embora se o Irã fosse capaz de salvar ou reconstituir até mesmo um único sistema Bavar-373, qualquer aeronave na região (incluindo companhias aéreas operadas pelo Ocidente) estaria em risco.

Este último ponto ressalta o perigo de um conflito com o Irã. Embora tecnicamente excluído pelo agora extinto embargo de armas da ONU ao Irã – mas proibido por uma ordem executiva extensa dos EUA a partir de setembro deste ano – o S-400 russo permitiria ao Irã alvejar aeronaves a 400 quilômetros com os mísseis apropriados. Nesse cenário, há pouco o que os Estados Unidos ou seus aliados possam fazer para impedir o Irã de usá-los sem recorrer a uma guerra aérea quase total, semelhante a quando estabeleceu zonas de exclusão aérea sobre o Iraque.

Interromper esses ataques exigiria rastreamento e direcionamento constantes dos sistemas de defesa aérea iranianos e radares conforme eles reaparecem, uma tarefa nada fácil em um país tão grande. Da forma como está, o fato de o Irã ter produzido sua própria versão do S-300 no Bavar-373 implica que eles são capazes, talvez com alguns componentes chineses ou russos, de eventualmente estender o alcance do sistema ou modificar outros sistemas. Aeronaves não tripuladas que tentam realizar vigilância no Irã – que já estão expostas – enfrentarão mais obstáculos à medida que o Irã aumenta sua capacidade de SAM.

Quanto mais confiante o Irã se torna em suas ferramentas de dissuasão por negação, mais perigoso o regime provavelmente se tornará na região. Além disso, Teerã sabe que quanto melhores ficarem suas defesas aéreas, mais improvável que os Estados Unidos ou seus aliados estarão dispostos a arriscar o tráfego aéreo no Golfo Pérsico. Os sistemas S-300 e S-400 são essencialmente um impedimento mais eficaz do que impedir o tráfego marítimo próximo ao Estreito de Ormuz por meio da minagem, como o Irã já havia ameaçado fazer.

Para impedir a modernização e aquisições militares iranianas, será importante aplicar as sanções existentes, especialmente a nova ordem executiva ampla contra as transferências de armas iranianas. Também será imperativo continuar os exercícios conjuntos e a construção da capacidade dos parceiros.

Embora os Estados Unidos e Israel tenham conduzido um treinamento limitado com o F-35, exercícios futuros poderiam funcionar em bombardeiros de longo alcance executando ataques contestados contra alvos iranianos imaginários. Isso enviaria a mensagem de que, se quisessem, os Estados Unidos facilmente encontrariam, travariam, rastreariam e destruiriam as defesas iranianas.

Os bombardeiros podem ser facilmente posicionados em tal exercício para mostrar que estão executando o ataque a distâncias bem fora do alcance do Bavar-373. Aumentar o treinamento com outros parceiros, como os Emirados Árabes Unidos, enviaria uma mensagem ainda mais forte, especialmente se Israel estiver envolvido.

O exercício massivo do Irã, mesmo em meio a uma pandemia devastadora e sanções paralisantes, prova que a República Islâmica leva a sério o desenvolvimento de suas capacidades de dissuasão por negação, com ou sem ajuda estrangeira. Os Estados Unidos e seus aliados devem estar prontos para evitar que o Irã solidifique sua capacidade de desestabilizar ainda mais a região.

*Behnam Ben Taleblu é membro sênior da Fundação para a Defesa das Democracias (FDD), onde contribui para o Programa do Irã e Centro de Poder Político e Militar (CMPP). O major Shane “Axl” Praiswater é um analista militar visitante do CMPP no FDD. As opiniões expressas ou implícitas neste comentário são exclusivamente dos autores e não representam necessariamente as opiniões da Força Aérea dos Estados Unidos, do Departamento de Defesa ou de qualquer outra agência governamental. O FDD é um instituto de pesquisa apartidário com sede em Washington com foco em segurança nacional e política externa.

FONTE: militarytimes.com

Míssil Sayyad-4

Sistema Bavar-373

NOTA DO EDITOR: O projeto do sistema SAM Bavar-373 começou em 2010 depois que a Rússia inicialmente se recusou a entregar o sistema S-300 e a Força de Defesa Aérea do Exército Iraniano decidiu fazer um sistema semelhante usando 10 universidades iranianas e 100 empresas.

O Bavar-373 lança o míssil Sayyad, que é uma evolução de uma cópia do míssil Standard SM-1 dos EUA e está em contínua modernização:

  • SAM Talash 3 – Míssil Sayyad 3 – Alcance 120 km
  • SAM Khordad 15th – Míssil Sayyad 3 – Alcance 120 km
  • SAM Bavar 373 – Míssil Sayyad 4 – Alcance 200 km
- Advertisement -

85 Comments

Subscribe
Notify of
guest
85 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Foxtrot

Para todo mundo (literalmente falando) é fácil fazer, só para o Brasil que ainda é coisa de outro mundo.
Impressionante!
O pior é que tecnologia temos (foguetes Astro, Sondas V,IV, III, VSB-30 etc), bastando apenas alguém com cérebro para coordenar tudo e integrar os meios (Radar Saber-M200, cabeça de direção do MAR-01 ou A-darter melhorada e foguete de longo alcance).
Parabéns ao Irã!

Francisco

Orçamento é um impedimento, o programa do Submarino nuclear, o Gripen e o HMS Brasileiro tomou tudo.

Teropode

Besteira , isto é um engodo , gastam muito mais com festinhas , promoções programadas , assistencialismo social , super faturamento em obras públicas , inclusive obras militares . Não fale em falta de grana , falta é caráter e vontade de acabar com a farra do boi .

sj1

Foi aprovado um TRILHÃO pro Covid em questão de dias !

Last edited 6 meses atrás by sj1
Canarinho

O motivo e que grande maioria dos recursos vao para pagar a folha de pessoal. Nao sobra dinheiro para nada.

M.@.K

Muda o disco…

Slow

Vc acredita em papai noel ?

Alessandro

Falta $$$, pois 80% é para pagar despesas com pessoal, lá para 2050 quem sabe o nosso fica pronto se as FA der uma folga na folha salarial e benefícios.

Joao Moita Jr

“ Falta $$$, pois 80% é para pagar despesas com pessoal”
Agora, adiciona aí 19% de roubo para estelionatários, e sobra 1% para tudo.

nonato

Roubos de quê?
Na sua opinião, tirando gastos com pessoal o resto é desviado?
Fala sério…

M.@.K

da um F5…

Pedro

Parabéns pelo comentário, todos os dias isso deveria ser paute de manchetes diárias…. na defesa da soberania nacional é o kct, é farinha pouca meu pirão primeiro. Aprovaram o disparate de aumento de soldos em plena pandemia, ficaram de fora da reforma da previdência.

Canarinho

Nem me fale, essa questão da previdência militar me fez ficar com um sentimento enorme de tristeza e decepção. Jamais imaginava antes disso que os militares pudessem ser tao corporativistas e egoistas assim. O Brasil inteiro se sacrificando e eles nao estavam nem ai. Sei que tem militares aqui na trilgoia, aos quais respeito muito. Contudo alguém pode ate falar que o trabalho do militar tem suas particularidades, disponibilidade a todo tempo, etc,etc…. Mas ca entre nos, se nao ta bom pede para sair, porque tem gente ganhando a vida cavando esgoto de madrugada dentro de galeria de saneamento, e… Read more »

Cristiano de Aquino Campos

Amigo, somos seres humanos. Uma especie, maldita em sua essência.
Somos, egoistas, ambiciosos, individualistas e por tanto, pouco preocupado com o próximo, a natureza ou a sociêdade.
E quanto menos educados e esperitualizados somos, mais a nosso pior aflora.
Obs. Quando falo de educação, não falo de formação acadêmica e sim de civilidade.

nonato

Corporativistas?
Os professores não se queixaram do aumento da idade mínima?
Os trabalhadores rurais não se queixaram?
Essa foi a primeira reforma da previdência a atingir os militares…
Aumentar de 30 para 35 anos de contribuição já é muita coisa, não é?

João Rodrigues Dos Santos

Mas essa pessoa que cava esgoto na galeria do saneamento, tem FGTS, PIS, Seguro Desemprego, periculosidade, insalubridade, seguro de vida razoável, plano de saúde, 44 hs semanais, Hora Extra, e uma infinidade de outras benesses quando é demitido, que o militar não tem!! Tá tão bom assim ser militar, passe a ser um!! Se está tão bom assim ser militar, porque querem sempre ser um concursado da Receita Federal, Petrobrás, Eletrobras, Policia Federal e até os Correios, mas não querem as Forças Armadas? Porque? Só vão para prestar serviço concursado ou não nas Forças Armadas os patriotas e VOCACIONADOS! Mas… Read more »

nonato

Ficaram de fora da reforma?
É sério isso?
Não aumentaram o tempo de contribuição?
Professores e agricultores também não têm um regime diferenciado?

nonato

O BPC não é para pessoas muito carentes que podem nunca ter contribuído? Ou seja, há várias categorias diferenciadas o que não significa ter ficado de fora da reforma da previdência. Por mim, todo militar pagaria a contribuição (parece que começaram e muitos militares melancia chamam o presidente de traidor, por isso). Para mim, em vez de colocar 35 anos de contribuição colocaria um aumento de idade gradativo. Tipo idade mínima para soldado (não sei se há soldados permanentes até a “aposentadoria”) 53 anos, cabo 54, sargento 55. Ia subindo até chegar 62 anos para general. Auxiliaria um pouco a… Read more »

sj1

81% em 2019.

Teropode

Ficamos presos a alinhamentos políticos imaginários , temos vocação para deslumbrar a Casa grande .

Foxtrot

Isso mesmo. Hoje estamos com nosso Saber,-M200 e gaivota-X parados (ambos podem direcionar mísseis). Aí a MB vai e gasta bilhões na CCT/Meko com aquisição total de novos sistemas importados. A FAB cancela o MAR-01 e gasta milhões em armamento importado para o Gripen voar e desfilar bonitinho no 7 de setembro. O EB compra aquele trombolho do Estrvi ,(acho que é essa sigla mesmo) para testar o MT-300 que está há anos em término de fabricação sendo que poderia testar o míssil sobre o mar com ajuda da MB com seu Artisan. Falta integração e seriedade para fazer as… Read more »

Agressor's

Quando vemos um país como o Irã, alvo de todos os tipos de embargos e de duras sanções ter um parque industrial mais desenvolvido que o do Brasil é porque existe algo de muito errado com o nosso país, não acham?

Cristiano de Aquino Campos

O nome disso e comodismo que é um reflexo do colônialismo. E dificil, quem tem uma fazenda, tentar a sorte virando indústrial, e dificil um indústrial que sempre fabricou parafuso, projetado lá de fora, investir um centavo em pesquisa e desenvolvimento. Assim e o Brasil, esperamos que outros nós ajudem, outros nos diga o que fazer, que outros desenvolvam e nos repasse técnologia o suficiênte para fabricarmos aqui o que os de fora, precisem.

Foxtrot

Já cansei de dizer isso aqui, mas vivo pregando para rochas.
Estão vendendo todas as nossas empresas de defesa e sepultando os programas nacionais com essa balela de T.O.T.
Mas o “gado” vive aplaudindo essas ações extremamente danosas a nossa soberania.
Vide exemplo Alcântara, L-75, Gripen, Guaraní, LMV etc etc etc.

Conan

Beleza, agora vamos aos exemplos que você mencionou….

Agressor's

Tudo isso começou com um Golpe Militar de Estado, sem apoio popular, seguido de uma ditadura, censura, perseguições, fuzilamentos, exílios, coisa nunca vista na História do Brasil até a chegada da República. Não vou falar nem das carnificinas promovidas por Deodoro e Floriano Peixoto. Esse último de tão sádico rebatizou uma cidade com seu nome para comemorar as degolas de seus opositores. Era tudo que os antigos senhores de escravos queriam após a terrível Lei Áurea. Já que a coroa se negava a indenizar os ex-escravocratas, ao contrário, queria indenizar os ex-escravos, trataram imediatamente de apoiar a República. Os plenos… Read more »

Foxtrot

Disse tudo, e a coisa só segue piorando.

Agressor's

A Verdade Sobre o Brasil Ter “Dado Errado.” Culpa de Portugal?

https://www.youtube.com/watch?v=l4-gKtaR9WA

Foxtrot

A culpa e de nossa burguesia racista e escravocrata (filha de Portugal), que não pode ver uns “olhinhos azuis” que se derretem toda.
Enquanto que o cabelo, mestiço, indígena e negro da terra Brasílis, por mais genial que seja, nunca terá o mesmo “valor” do branco Europeu ou norte americano

Eduardo

Esse assunto de defesa deveria fazer parte de um pool de empresas e faculdades. E nisso o ministério da ciência deveria estar a frente, afinal, é desenvolvimento de tecnologia; é conhecimento sendo adquirido.
Mas….

Canarinho

Isso e algo que tambem me pertuba. Dos tres opcoes que ja relfeti algumas delas devem ocorrer. 1) Ou sofremos uma pressão absurda nos bastidores, que nos nem temos ideia, a partir de outros paises para nao desenvolvermos o sistema em solo brasileiro 2) Ou existe algo sendo feito em segredo absoluto que tambem nao sabemos (torco por isso, mas acho dificil) 3) Ou o pessoal que ta a frente do negocio so olha o proprio umbigo e ja tocou o dane-se a muito tempo, so faturando no final do mes o soldo e deu. (o que eu suspeito que… Read more »

Foxtrot

Aposto 80% na primeira opção, somado a 20% na segunda opção!

Foxtrot

Desculpa caro Canarinho.
Seria 80 na primeira e 20 na última .
Errei, a segunda completamente fora de cogitação

Fabio Araujo

Como anda o grupo de estudo que foi criado com membros das três forças para estudar qual seriam as melhores opções de defesa AA para o Brasil?

RENAN

Ganhando dinheiro

sj1

fazendo o que foram programados para fazer : embromação !

Foxtrot

Enchendo o bico de espumante importada, caviar , sorvete .
Chegaram ao consentimento que não há consentimento algum e cada um irá comprar com T.O.T o $$$istema que melhor lhes atender kkkkkkk.
Já tinha dito isso quando surgiu essa balela!

RENAN

Capacidade de produção e evolução de defesa anti aérea é o mínimo que uma nação independente tem que ter
Parabéns a este país que zela pela sua soberania

Andre

isso mostra que o Irã depende cada vez menos da Russia e que a influência russa no OM está praticamente reduzida aos escombros sírios.

A China agradece.

Antoniokings

Voou mais alto que o míssil iraniano.
Rússia, China e Irã atuam conjuntamente na Região.
O inimigo comum são os EUA.

Andre

Quem sabe quando o invasor russo retornar Haishenwai para os chineses, a China pode aceitar a Rússia sob sua proteção. Até lá, a China avança rapidamente sob a antiga área de influencia soviética.

Slow

Vc acha que não tem dedo russos nos misses do irã ? Ou sistema de defesa anti aérea?

Rodrigo M

Apenas um país fazendo seu dever de casa para garantir sua soberania.
O próximo passo para consolidação da dissuasão seria a bomba atômica.
Espero que um dia (brevemente) o Brasil siga esse caminho..

Alessandro

Essa é a PROVA que sanções não resolvem nada quando um país quer de fato construir algum tipo de sistema bélico complexo como esse, sanções só serve para dar mais trabalho, mas com EMPENHO e $$ tudo se consegue.

E tem brasileiro que tem medo do Brasil construir algumas ogivas nucleares para sua defesa por causa de sanções, mas tenho certeza que está batendo palmas para o Irã nesse exato momento.

Leandro Costa

Não prova muita coisa não. De fato, o Irã já vem desenvolvendo sistemas similares, e com muito afinco desde a revolução em 1979. O país aloca recursos para isso a quarenta e um anos, e estando na situação deles, os resultados são mais do que necessários. Claro que houveram altos e baixos e diversas interrupções no meio do caminho justamente devido ao tipo de autoritarismo local (com técnicos, cientistas e militares que foram treinados e educados no exterior inclusive sofrendo perseguição e até execução em alguns casos). Mesmo assim eles sempre tiveram necessidade premente e exposição à equipamentos de alto… Read more »

sj1

Começou bem… acabou se perdendo no final…!

Last edited 6 meses atrás by sj1
Leandro Costa

Explique o por que, então 🙂

Allan Lemos

Outra mania louca é achar que armamento nuclear resolve a questão da Defesa nacional. E NÃO resolve.

Tá bom, agora cite um único país detentor de armamento nuclear que tenha sido alvo de uma ação militar de grande escala.

O Brasil simplesmente não tem necessidade

Se as ameaças veladas de tipinhos como Al Gore e Macron não são motivos o suficiente, então nada é.

Agressor's

“Ao contrário do que os brasileiros pensam, a Amazônia não é deles, mas de todos nós. Oferecemos o perdão da dívida externa em troca da floresta”. Al Gore (Vice-Presidente dos EUA, 1989)   “O Brasil precisa aceitar uma soberania relativa sobre a Amazônia”. François Mitterrand (Presidente da França, 1989)   “Caso o Brasil resolva fazer uso da Amazônia, pondo em risco o meio ambiente nos Estados Unidos, temos que estar prontos para interromper este processo imediatamente”. General Patrick Hugles (Diretor da Agência de Inteligência de Defesa dos EUA, 1998)   “A floresta amazônica e as demais florestas tropicais do planeta deveriam… Read more »

Leandro Costa

Qual o país detentor de armamento nuclear não esteve anteriormente em um conflito em larga escala? Qual desses países tem sua Defesa convencional já estabelecida e amadurecida? Qual desses é instável politicamente? E por instável eu digo ‘ter uma política externa já consolidada a décadas, concordando com ela, ou não.’ Qual desses países não tem perigo iminente de conflito e principalmente, qual desses países não tem um alvo gigantesco pintado na testa? Então, não, meu caro. Não resolvemos através de armamento nuclear. Não chegamos nesse ponto ainda. Podemos até chegar, mas estamos longe de conseguirmos. Armamento nuclear inclusive não fez… Read more »

sj1

EUA foram lá pegar o Osama no Paquistão, porém não feriram um único cidadão paquistanês. Mas concordo em partes com seus argumentos, principalmente o de não termos um plano de Estado(e a tendencia é piorar com a polarização). Mas o Debate aqui não é começar o projeto amanhã, acho que seria mais na questão de ter o direito de fazer num momento oportuno, algo que os governantes anteriores não permitiram.

Last edited 6 meses atrás by sj1
Leandro Costa

Acredite, no momento em que houver necessidade, isso se muda rapidinho. Se o fizermos agora, acho bastante contraproducente.

bjj

Armamento nuclear inclusive não fez com que os Americanos deixassem de ir buscar o Bin Laden lá dentro do Paquistão e ficou por isso mesmo”.

Pior que isso, as armas nucleares britânicas não impediram os argentinos de invadirem as Malvinas, de afundar navios britânicos e de tirar vidas britânicas.

Slow

Armamento nuclear seria para impedir algum pais de invadir o outro não ? ( tirando o caso do japao ) um exemplo é se taiwan tivesse arma nuclear e a China tentasse invadir a ilha , no caso taiwan poderia usar elas contra a China ..

Saldanha da Gama

Boa tarde, então a coréia do norte que abra os olhos… Abraços

Leandro Costa

Sobre?

Teropode

É disse que sempre falo , os caras colocaram seus centros de pesquisas para trabalhar, expõem os problemas e cobram soluções , independente se vão exportar ou não , priorizam o domínio tecnológico e o abastecimento de suas FAs , esta atitude mantém as mentes ocupadas , trabalhando , alcançando e o estado ganha respeito , conhecimento é empírico , isso fica pra sempre , já aqui os caras cancelam projetos porque não há no horizonte um deslumbre de vedas . Os Persas não estão prá brincadeira .

Last edited 6 meses atrás by Teropode
Paulo Sollo

Realmente tem que ser reconhecidos os méritos do Irã por conseguir levar a cabo o desenvolvimento desta respeitável capacidade.
E sobre aquele ataque com 105 mísseis contra a Síria, me pareceu uma tremenda balela. Parece que foi combinado com os russos, que por sua vez combinaram com Assad deixá-los atingir alguns alvos para descarregar a raivinha do tramp e aliados por não conseguirem lograr êxito com a farsa dos ataques químicos.
Assad tirou tudo de mais valioso e deixou uns velhos SU-22 e Mig-21 que talvez nem estivessem operacionais para serem destruídos.

Tomcat4,2

Interessante o caminhão da Iveco(modelo civil e não militar) como lançador em uma das fotos.

sj1

Muitos destes caminhões são lançadores disfarçados dentro de containers, pois em caso de guerra ficaria bem mais difícil de serem detectados. Os caras pensam em uso na guerra, não estão interessados em meios glamurosos e de uso questionável.

Agressor's

Outra coisa que chama atenção é a alegação no artigo do “militarytimes” de que o sistema de defesa antiaéreo de longo alcance desenvolvido pelo o Irã não é capaz de repelir um ataque estadunidense com misseis de cruzeiro, o que não passa de mais uma bravata para plantar desinformação nas mentes e corações dos desavisados, já que este sistema não foi desenvolvido para funções como essa. Para essa função são os sistemas de defesa de ponto e de médio alcance é que são projetados. E depois alguns incautos daqui ainda tentam nos incutir de que estes veículos de informação são… Read more »

Last edited 6 meses atrás by Agressor's
Conan

Imparcial ou não o fato que uma chuva de misseis de cruzeiro disparados pelos B-52 e B-1a longa distancia acabariam com a maioria das defesas antiaéreas do Ira. Não precisa de historinha de ser democrata ou não, isso é poder, tecnologia, dinheiro, força e isso tudo os EUA, goste ou não, ainda tem demais, esbanjam, sobram!!

Agressor's

Tanto dinheiro e poder que não conseguiram tomar a Síria! E não conseguirão tomar mais a Venezuela e o Irã.

Last edited 6 meses atrás by Agressor's
João Rodrigues Dos Santos

Venezuela e Síria são problemas diferentes, em continentes diferentes, com vizinhos diferentes e regimes diferentes!!
Ai vem vc, colocando tudo dentro de um pacote, como se soubesse mais que a administração dos EUA…
É serio que vc sabe o que está falando?

Agressor's

Sim

Tomcat4,2

Olha, é incrível o que o Irã faz e desenvolve a anos sob sanções e que nós continuamos sem fazer, tendo tudo liberado e muito dindin(mal gasto é claro, fora o q nos roubam em tudo q é esfera de poder).

sj1

Sanções fazem os países adquirirem tecnologia autóctone, veja p. ex. Israel, Africa do Sul e Irã. Na zona de conforto dificilmente se chega a algum lugar.

João Rodrigues Dos Santos

Comentário perfeito!! Perfeito!!!

ADRIANO MADUREIRA

Parabéns aos iraniano,muitas vezes embargos/sanções econômicas e tecnológicas podem ser terríveis para alguns países,para outros podem ser uma oportunidade para diminuir a dependência e tentar se desenvolver com esforços próprios,seguindo o caminho da autossuficiência. Os russos por exemplo,receberam sanções do ocidente , a resposta russa às sanções impulsionou as empresas agrícolas nacionais, aumentando assim o interesse pelos equipamentos russos. A fábrica de tratores Kirovets reestabeleceu ligações com dez universidades e 8 institutos técnicos, devido ao que mais de 250 estudantes passaram por estágios profissionais. Na fábrica também foi preparado um programa de formação de cursos especiais para estudar a estrutura e… Read more »

Alexandre

Os EUA devem parar o Irã.

Gabriel BR

Não é mágica , Não é talento sobrenatural…é pesquisa e investimento.

Cássio Silva

Em compensação o Brasil produz os fogos de artifício mais lindos do planeta. 😏

Caio

Certo país se não desenvolve que pelo menos compre! Não tem um love rolando? Então utilize para o bem do país.

Last edited 6 meses atrás by Caio
Carlos Pietro

Isso ai sim,é escudo antiaéreo.

Yluss

Sério, alguem mais reparou no video, aos 5 segundos, quando teoricamente o sistema lançador móvel dispara um missil, na verdade o missil nao sai do sistema lançador e sim está posicionado, talvez no solo, atrás do lançador e eles tentaram enganar a todos? 😀

Chega a ser ridículo, vejam que afumaça não sai do lançador, o vento dissipa uma fumaça que está por trás do caminhão 😛

João Rodrigues Dos Santos

Eu reparei isso, achei estranho, mas não quis fazer comentários!!
Agora tive a certeza de que, ha certas coisas fakes atrás ou no meio das cenas dissuasórias geradas pelos Aiatolás!
Chega a ser cômico a enganação, para não dizer triste…
Como aquele avião Stealth Qaher 313…Quem se lembra dele? rsrsrs kkkk
O avião que irá destruir o grande satã do norte… rsrs kkkk
Avião de “prashco”… rsrsr kkkkkk
comment image

Last edited 6 meses atrás by João Rodrigues Dos Santos
Kemen

O Irã é especialista em comprar armamento de fora e dar-lhes uma “mascara local”, divulgando que é projeto seu.__ Isso acontece até com equipamentos antigos.__ fazem propaganda local do feito e também internacional, mas ai os reais conhecedores reconhecem os engodos.__ Algumas coisas realmente foram desenvolvidas lá, mas geralmente são muito aquém em capacidade, qualidade e precisão, necessarias para obterem sucesso no seu objetivo.__ Bem cada pais tem sua forma de atuar em prol da sua defesa…

Rinaldo Nery

Também pensei isso. Mas os marretas de plantão dizem que eles são fantásticos e nós bostas… Lá tem um tal de ¨teto de gastos¨, ¨congresso¨, ¨lei de diretrizes orçamentárias¨, ¨lei de responsabilidade fiscal¨ etc. ?

Kemen

Não, lá tem um conjunto de militares que manda a industria dar uma maquiada nos equipamentos e apresentam-nos ao Aiatolá como tendo cumprido suas ordens, para não perderem suas cabeças, como se tivessem desenvolvido grandes sistemas bélicos, isso vale para meios navais, meios aéreos e meios militares.__ Os seus melhores especialistas, técnicos e cientistas se refugiaram no ocidente a muitos anos antes da “limpeza” da intelectualidade no pais.

Emmanuel

Também conhecido como sistema Al Kabun. O Irã faz, Israel destrói. Igual acontece com os sistemas de defesas russos daquela região.
Essa IAF…sempre fazendo travessuras com os iranianos e seus amiguinhos.
Abraços de luz.
#pas

Nilton L Junior

O que eu destaco é a nota do editor, a prova cabal que o estado define a prioridade, a academia busca o conhecimento e as empresas aplicam na prática.

CRSOV

Não entrando no mérito da qualidade ou não dos produtos militares do Iran eu quero aqui parabenizar os militares de lá pelas árduas iniciativas e trabalho para tornar seu país seguro !!

Bruno

 Força de Defesa Aérea do Exército Iraniano decidiu fazer um sistema semelhante usando 10 universidades iranianas e 100 empresas.”
Quem quer, faz!

Tiago Gimenes

“O projeto do sistema SAM Bavar-373 começou em 2010 depois que a Rússia inicialmente se recusou a entregar o sistema S-300 e a Força de Defesa Aérea do Exército Iraniano decidiu fazer um sistema semelhante usando 10 universidades iranianas e 100 empresas”.

Sensacional, arregaçar as mangas e fazer as coisas acontecerem

Mgtow

Sanções se bem “aproveitadas” serão as portas para autonomia. Parabens ao Irã

Reportagens especiais

O Poder Aéreo se despede de Reginaldo Bacchi

Faleceu o engenheiro Reginaldo Bacchi, nosso amigo, colaborador e comentarista da Trilogia Forças de Defesa. Reginaldo Bacchi era santista de...
- Advertisement -
- Advertisement -