Home Aviação de Caça VÍDEO: Primeiro brasileiro a voar o Gripen E da FAB

VÍDEO: Primeiro brasileiro a voar o Gripen E da FAB

3798
69

No dia 20 de agosto, o Major Aviador Cristiano de Oliveira da Força Aérea Brasileira, se tornou o primeiro brasileiro a pilotar o Gripen brasileiro.

A missão durou 49 minutos, sobrevoando o mar Báltico. Confira no vídeo abaixo o relato sobre esta emocionante experiência.

Subscribe
Notify of
guest
69 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Bueno
Bueno
2 meses atrás

Maravilha!!

Em 1:30min do vídeo, na ponta das asas é um míssil ou um sensor móvel ?

Bueno
Bueno
Reply to  Bueno
2 meses atrás

IRIS-T ?

FighterBR
FighterBR
Reply to  Bueno
2 meses atrás

Deve ser para aerodinâmica

Jorge Lee
Jorge Lee
Reply to  Bueno
2 meses atrás

Nos F-39 (JAS-39 E/F) a ponta das asas abrigam sensores de EW, bem como serve de trilho para mísseis. No final do vídeo, parece que o FAB 4100 está com um mock-up do IRIS-T.

Roberto
Roberto
2 meses atrás

Parece que a decolagem foi sem pós combustão , deu até a impressão que a cauda ia tocar o chão na decolagem .

André Bueno
André Bueno
Reply to  Roberto
2 meses atrás

Creio que foi uma ilusão por conta de um declive.

Sérgio Luís
Sérgio Luís
Reply to  André Bueno
2 meses atrás

Uma pista de pouso e decolagem com declive!??!

Thúlio
Thúlio
Reply to  Sérgio Luís
2 meses atrás

A terra não é plana. Além de que a câmera de gravação está relativamente longe, com isso, se utiliza uma lente de aproximação que distorce a imagem e dá essa impressão de um declive maior do que a realidade.

Teropode
2 meses atrás

Comprem o segundo lote rápido e façam uma proposta de associação Embraer Saab .

Augusto
Augusto
2 meses atrás

O primeiro Gripen e o primeiro Scorpene ao mesmo tempo sendo testados por brasileiros e em vias de se tornarem operacionais. Show!

OSEIAS
OSEIAS
Reply to  Augusto
2 meses atrás

Bem lembrado

Gabriel
Gabriel
2 meses atrás

Excelente!!

Nenhum país da América Latina tem programas, de aprimoramento da capacidade Militar, parecidos com o que está acontecendo no Brasil (por favor, sem politizar a questão): Gripen E, KC-390, Scopene, Tamandaré, Guarani, Astros 2020, etc

Com a manutenção de um fluxo contínuo de recursos (particularmente nos programas estratégicos) e com as medidas de melhoria/ajustes de gestão (já em curso nas 3 Forças), a tendência é a melhoria contínua.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Gabriel
2 meses atrás

Até q enfim alguém q não falou de folha de pagamento, pensão das filhas etc…. O MD pediu 2% do PIB como investimento na Defesa.

Zeca
Zeca
Reply to  Rinaldo Nery
2 meses atrás

Bom ter lembrado, Nery. Será que alguma delas recebeu auxílio emergencial também?

Gabriel
Gabriel
Reply to  Rinaldo Nery
2 meses atrás

Rinaldo, infelizmente algumas pessoas preferem “repetir o discurso” do que ler e entender um pouco mais sobre o assunto.

Como já foi explicado, algumas vezes, o “modelo atual” (relativo ao pagamento dos militares da ativa, inativa e pensionistas) é o menos oneroso/mais barato para o Governo Federal. Qualquer tipo de mudança (transformando, por exemplo, os militares em funcionários públicos comuns, com mesmos direitos e deveres) provocaria a necessidade de muito mais gastos, além de provocar uma natural desestruturação das Forças.

Nem vou falar da “aberração” que é o Governo Federal/Congresso não conseguirem destinar “meros 2%” do PIB para o MD.

JSilva
JSilva
Reply to  Gabriel
2 meses atrás

Já que foram vocês que saíram do assunto, vamos lá: A solução mais fácil é sempre por mais dinheiro e nunca discutir como são gastos os atuais recursos, que já são bastante relevantes. O que muitos questionam é por que uma relação tão alta de militares em relação ao orçamento total enquanto temos caças, fragatas e fuzis com 40 anos de uso, não temos, defesa anti-aérea, não temos uma força de UCAVs relevantes, etc. Quero ver se esse aumento proposto pelo MD, para 2% do PIB, que é bem vindo, vem acompanhado da obrigação de que 20% seja para investimento… Read more »

Last edited 2 meses atrás by JSilva
Gabriel
Gabriel
Reply to  JSilva
2 meses atrás

Como inteligente que você é e já deve ter estudado o tema e lido a respeito, já sabe que vários processos de ajustes já estão em curso, justamente para equilibrar os gastos com pessoal. É obvio que existe a necessidade de melhor equilibrar a questão. Mas as questões não são tão simples como parecem ser. Por exemplo, a “tal” pensão para a filha não existe mais há anos, mas por força de Lei (que só retroage para beneficiar) existem militares que ainda pagam e filhas que ainda recebem. O que algumas pessoas preferem não entender é que o ajuste e… Read more »

JSilva
JSilva
Reply to  Gabriel
2 meses atrás

Gabriel, desculpe pela demora na resposta… Sim, tenho ciência que algumas correções estão em curso, como pensões de filhas, aumento (tímido) dos militares temporários, e sobre as atividades realizadas por militares que eram pra ser realizadas por civis. Mas o que se discute aqui é a questão das PRIORIDADES, não dá para ver de forma serena e tranquila um caça tampão ser comprado e ser desativado sem um substituto, ver um esquadrão como o 1º GDA operando com 4 F-5, Manaus com 6 F-5, as fragatas da Marinha dando baixa nos próximos 3 anos, por estarem no limite, enquanto se… Read more »

Last edited 2 meses atrás by JSilva
ANDRE DE ALBUQUERQUE GARCIA
ANDRE DE ALBUQUERQUE GARCIA
Reply to  JSilva
2 meses atrás

É isso. Todos somos favoráveis a FFAA fortes, tecnologicamente avançadas e com capacidade dissuasória compatível com a importância e as aspirações do Brasil. E isso passa pela racionalização de custos, especialmente, com recursos humanos (que são inversamente proporcionais à capacidade dissuasória em comparação a outras forças mundo afora).

Gabriel
Gabriel
Reply to  JSilva
2 meses atrás

JSilva, apresentei alguns argumentos, para tentar te esclarecer algumas questões, mas acho que o moderador esta analisando antes de liberar (e olha que fui extremamente técnico e respeitoso).

Gabriel
Gabriel
Reply to  JSilva
2 meses atrás

JSilva, vou tentar novamente, apresentar alguns argumentos. Inicialmente é claro que é necessário ajustes e reestruturação para evitar que a maior parte do orçamento de Defesa seja destinada a pagar salários. Fato é que muitos ajustes já estão em andamento, porém existe um espaço temporal, que independe da vontade, para o equacionamento de algumas questões. Por exemplo, a questão da pensão para as filhas dos militares. Desde 2001 (se não me engano) ela não existe mais. Porem existe um passivo que deve ser pago, a quem adquiriu o direito de receber, quando a Lei estava em vigor (a Lei só… Read more »

Gabriel
Gabriel
Reply to  Gabriel
2 meses atrás

Apresentei apenas “fatos”.

Se alguém apresentar fatos “novos”, que contradigam tudo que escrevi, terei o maior prazer de ler e até mudar minhas colocações.

Porém, “opinião”, baseada apenas em achismos, sem argumentação sustentável, com causas e efeitos, não tem validade nenhuma.

JSilva
JSilva
Reply to  Gabriel
2 meses atrás

Comentei no seu primeiro post.

Astolfo
Astolfo
Reply to  Gabriel
2 meses atrás

É isso aí civis e contribuintes brasileiros, vocês ouviram diretamente da boca dos corporativistas: eles gastam tubos de dinheiro em pessoal de forma completamente irresponsável, e nós temos que não somente aceitar e gostar disso, como somos ainda proibidos de tocar no assunto. Não obstante, ainda se reclama que o valor é pequeno e o governo deve destinar MAIS dinheiro ao assunto. Pois os senhores irão se cansar comigo: eu vou continuar batendo nessa tecla até o meu discurso ser tão infernalmente cansativo e ensurdecedor que os militares, por vergonha ou pressão pública, mudem de postura. Quanto mais vocês reclamarem,… Read more »

Gabriel
Gabriel
Reply to  Astolfo
2 meses atrás

Conheço bem o discurso:

Nada de argumentação lógica e coerente, baseada em dados, mas sim palavras de efeito:

“nós contra eles”, “militares contra civis”, “contribuintes x corporativistas”.

Cuba, Venezuela e Argentina estão ai para servir de “modelo”.

Tomcat4,2
Tomcat4,2
Reply to  Gabriel
2 meses atrás

Infelizmente Gabriel, muitos, mas muitos mesmo, preferem manter se no cabresto de suas ideologias e se fecham pra realidade dos fatos.

Sagaz
Sagaz
Reply to  Rinaldo Nery
2 meses atrás

Gasto excessivo com pessoal é um mal que assola todos os níveis do estado brasileiro, o blog pode abordar então o tema justificando que não carece de reclamações do contribuinte no âmbito militar, a produtividade deve ser altíssima … Podiam procurar um ranking mundial de $/pessoal, $/operacionalidade… Se não só é corporativismo do velho discurso “Só reclama quem não passa em concurso.”, Como se todo o brasileiro preferisse sobreviver às custas de quem produz entregando muito pouco em troca.

Salim
Salim
Reply to  Sagaz
2 meses atrás

Se nem paises europeus gastam este percentual PIB, corporativismo brabo. FAB 75 mil, Israel 25 mil, os meios e operações de treinamento e guerra náo vou nem citar. Salario minimo Israel USS 1200, aqui USS 190,
Em resumo, mais do mesmo. Forças armadas precisam choque realidade.
Para tamanho Brasil 4 Subs e 36 caças e ruim. Tínhamos 5 Subs, 50 f5 e 50 AMX. Teremos menos meios e muito mais pessoal.Se engana quem quer. Patriota e zelar pelo Brasil náo se locupletar da pátria. PM se arrisca muito mais( e morre mais ) que estes pseudos patriotas. Eficiência e urgente.

Gabriel
Gabriel
Reply to  Sagaz
2 meses atrás

Sagaz, esse é um ponto bastante interessante.

Em geral o contribuinte brasileiro se mostra bastante satisfeito com a atuação das Forças Armadas, mesmo todos nós sabendo que existem muitas carências a serem sanadas.

Assim, a questão me parece ser mais “profunda”.

Quantos civis se dedicam hoje, no Brasil, a estudar as Forças Armadas, de modo que realmente conheçam a estrutura e emprego e possam ajudar e colaborar efetivamente com a Instituição que é de Estado e não de Governo?

Meu amigo, posso te afirmar que são muito poucos, infelizmente.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Rinaldo Nery
2 meses atrás

Caro Coronel, nossas forças armadas possuem muitos méritos, principalmente no que tange à programas de desenvolvimento industrial e tecnológico e participação da nossa BID. Sou muito favorável a tais iniciativas e parabenizo as forças por isso. Por outro lado, o Lula aumentou de forma substancial os salários do funcionalismo público federal. Obviamente com interesse eleitoreiro, mas criou problemas para o país com isso. Um oficial militar com 20 anos de carreira ganha igual ou menos que um Auditor Fiscal no 1o dia de trabalho. Para os militares, é um absurdo e exigem um aumento considerável de salário. Mas para o… Read more »

Zeca
Zeca
Reply to  Gabriel
2 meses atrás

Agora compara com os países que têm orçamento militar parecido com o nosso pra ver o tamanho do ralo onde se perde o dinheiro.

Gabriel
Gabriel
Reply to  Zeca
2 meses atrás

Você está “repetindo um discurso”, de quem desconhece e assim simplifica a questão, de maneira equivocada.

Se quer comparar, tenha uma referência mais correta, como a % do PIB destinado a Defesa.

Quer outra?

Calcule a relação efetivo x tamanho do país x orçamento de Defesa.

Não se alongue tanto, faça só na América do Sul.

Bardini
Bardini
Reply to  Gabriel
2 meses atrás

https://www.statista.com/statistics/794434/military-spending-latin-america-country/
.
Claro, a América Latina é esse amontoado de grandes potências militares, que demanda ao Brasil elevar os gastos com a pasta da Defesa em mais de 10 bilhões de dólares, para prover paridade a situação totalmente desbalanceada que existe…

Gabriel
Gabriel
Reply to  Bardini
2 meses atrás

É quase óbvio que os gastos militares no Brasil devem ser maiores que dos outros países da América do Sul.

Talvez deveria ser igual a soma de todos os outros, devido a extensão territorial, extensão de fronteira e tamanho de litoral.

Bardini
Bardini
Reply to  Gabriel
2 meses atrás

Claro que deveria ser a soma de todos os outros orçamentos, afinal nós temos disputas territoriais com todos no nosso entorno e teremos de lutar com todos ao mesmo tempo, um dia.
.
Tenha dó…
.
Sabe o que é que estrutura o nosso orçamento?
Quantidade de pessoal. Não querem cortar na carne e isso aí acaba tendo de ser pago na marra. Se vier 1 ou 2 bilhões para investir, tá tudo muito bom… se der problema, corta dos investimentos, pessoal não, não pode. Dá problema se tiver pouco índio pra muito chefe comandar.

Gabriel
Gabriel
Reply to  Bardini
2 meses atrás

Como você é um comentarista assíduo do blog, eu até achei que tinha uma melhor compreensão sobre Forças Armadas, fugindo da ideia simples do jogo de tabuleiro “war”. Mesmo assim você deve saber que, devido a extensão territorial, no Brasil existem diversos teatros de operações, que exigem emprego específico. Guardadas as devidas proporções, você não emprega uma Bda Bld no Norte, como não emprega uma Bda Sl no Sul. Claro que toda a questão é muito mais complexa. Só dei um exemplo para explicar que a não existência “hoje” de disputa territorial não é uma justificativa plausível para não ter… Read more »

Tomcat4,2
Tomcat4,2
Reply to  Gabriel
2 meses atrás

Comentário/resposta irretocável Gabriel, até que enfim alguém que pensa e vê fora da caixinha da maioria esmagadora por estas bandas.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Gabriel
2 meses atrás

Concordo que para um país continental como o nosso, o efetivo militar atual não é excessivo. O que é excessivo são os gastos previdenciários. E isso se deve à uma previdência militar muito ruim para o país e muito boa para os militares. Contribuem pouco, por poucos anos e aposentam com salários generosos. A reforma veio ai, mas junto com ela, veio um generoso aumento. O que poderia ser solucionado em poucos anos, foi adiado devido ao grande aumento nos salários e benefícios. Ou seja, o que vamos economizar com a previdência, vamos gastar com benefícios. A troca devia ser… Read more »

Gabriel
Gabriel
Reply to  Luís Henrique
2 meses atrás

Luís, vou copiar meu outro comentário. As ideias em sí estão “parcialmente” corretas. “Algumas pessoas defendem que o Agente Publico Militar deva ser “enquadrado” pelas mesmas regras dos demais Agentes Públicos, no que diz respeito a questões previdenciárias, para diminuir o orçamento com pagamento de pessoal. Perfeito, é uma linha de pensamento. Contudo essa mudança fariam com que os Militares tivesse os mesmos “deveres”, mas também “direitos” das demais categorias. Ou seja, direito a sindicalização, greve, hora extra, adicional noturno, etc (direitos citados que hoje o militar não tem). Estruturalmente não é compatível e financeiramente também não. Nesse contexto, em… Read more »

Bardini
Bardini
Reply to  Gabriel
2 meses atrás

Exatamente: existem diversos TO dentro do Brasil. Isso é o óbvio e também retrata o gigantesco problema estrutural das FFAA. . Em nenhum desses TO existe uma estrutura de força moderna e maleável, com capacidade de se adequar rapidamente para combater um inimigo. O que existe dentro desses vários TO possíveis, são estruturas totalmente arcaicas que não foram e não serão modernizadas ou desligadas, para que se faça uma adequação a realidade do fazer a Guerra com o que podemos pagar. . Pegue o exemplo mais trivial que existe, que é o caso da ameaça que a Argentina representava no… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Bardini
Gabriel
Gabriel
Reply to  Bardini
2 meses atrás

Interessante seu comentário. Para não me alongar, vou me ater apenas ao EB. É óbvio que existem estruturas que necessitam ser modernizadas. Também é óbvio que nem todas Bdas, por suas características, são aptas a serem empregadas em todos os TO (não faz sentido deslocar uma Bda Bld para operar no Norte, por exemplo). Contudo, talvez por desconhecimento, desconsidere as Bda que tem condições de serem deslocadas para atuar em todo território nacional (Operações Especiais, Paraquedista, Leve, etc). Desconsidera também “que nos últimos 40 anos” o EB se reestruturou, talvez, apenas, não na velocidade ideal. Uma rápida pesquisa, em como… Read more »

Sagaz
Sagaz
Reply to  Gabriel
2 meses atrás

Mas para que forças armadas terem “mão amiga”? Para o estado de São Paulo o EB tem que ir até a beira de um rio fazer assistencialismo? Por que a região norte precisa, não se sustenta? Realmente é problema de outro ministério, olha o custo de uma estrutura militar para esse tipo de serviço! Um médico das FA mais toda a hierarquia com plano de carreira, equipamentos, etc, paga uma ONG e FISCALIZA, transfere essa responsabilidade. Além da mão amiga tem o bolso amigo, infinidade de setores administrativos que podem ter suas funções cumpridas por empresas terceirizadas, mas tem ali… Read more »

Gabriel
Gabriel
Reply to  Sagaz
2 meses atrás

Sagaz, concordo com você. Pergunta para “qualquer” militar se ele prefere estar se adestrando na “atividade fim” ou trabalhando em Ações Cívico e Social. Em 99.9% dos casos a resposta será “atividade fim”. Claro, que mesmo em atividades de ACISO é possível realizar algum adestramento, de certos componentes, particularmente os ligados a Logística, guardadas as devidas proporções. Mas milico é cumpridor de ordem, se alguém mandar fazer, será feito e da melhor maneira possível, com a melhor estrutura possível. E sim, uma parte considerável de recursos e pessoal da Defesa é usada nesse tipo de ação, que já faz parte… Read more »

Renato
Renato
Reply to  Gabriel
2 meses atrás

Gabriel,
Esqueceu de mencionar algumas inovações e expertises em desenvolvimento de novas tecnologias e mísseis como o MANSUP, MTC 300, IFF – totalmente nacional e Brasil é um dos seis (agora) países que detém totalmente essa tecnologia.
Outros países utilizam o IFF de terceiros ou da OTAN como o Chile e Canadá.

Tomcat4,2
Tomcat4,2
Reply to  Renato
2 meses atrás

E agora entramos no mundo dos drones de maior porte com o Atobá !!!

Claudio Moreno
Claudio Moreno
Reply to  Gabriel
2 meses atrás

Gabriel inicialmente parabéns para sua lucidez!
Ademais de tudo o que você alistou, temos o primeiro vôo do maior drone estratégico de tecnologia e construção 100% nacional.
Eu me refiro ao drone Atobá da Stella Tecnologia, possui 11 metros de envergadura, capacidade de transportar 70 kg de carga, alcance de um raio de 250 km e autonomia de 28 horas de voo, que pode ter várias aplicações duais – segmento civil e militar.

CM

Frederick
Frederick
Reply to  Gabriel
2 meses atrás

“Nenhum país da América Latina tem programas de aprimoramento da capacidade Militar parecidos com o que está acontecendo no Brasil nos últimos quarenta anos”

Last edited 2 meses atrás by Frederick
marcus
marcus
2 meses atrás

Essa vai ser a pintura final dos Gripens?

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  marcus
2 meses atrás

Essa pintura do Gripen-E é bonita,apesar de que eu acho que se fosse como a da força aérea sueca ou até como a do globaleye dos emirados, ficaria mais bonito …

comment image
comment image
comment image

comment image

Last edited 2 meses atrás by ADRIANO MADUREIRA
Juvenal
Juvenal
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
2 meses atrás

Esquece esses esquemas de pinturas na fab. Eles não tem bom gosto.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Juvenal
2 meses atrás

Já falei: vai ser o rosa Marikay.

Rodrigo M
Rodrigo M
Reply to  marcus
2 meses atrás

Talvez até seja, mas obviamente sem o desenho estilizado da bandeira tomando todo estabilizador vertical.

Pablo Maroka
Pablo Maroka
2 meses atrás

VAI GRIPEN NG! O CAÇA MAIS AVANÇADO DO MUNDO!

V12 aero
V12 aero
Reply to  Pablo Maroka
2 meses atrás

Comercial da caoa! Kkkkk

Last edited 2 meses atrás by V12 aero
Paulo
Paulo
Reply to  Pablo Maroka
2 meses atrás

Acreditar nisto não paga imposto.

Por enquanto.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
2 meses atrás

É um belo caça e a pintura esta muito bonita!

Williams Jonas Barbosa
Williams Jonas Barbosa
2 meses atrás

Mano do céu, me apaixonei por essa pintura principalmente pela estrela em verde oliva nas extremidades das asas.
Espero que a FAB mantenha essa pintura, substituindo a pintura da cauda.

Zorann
Zorann
2 meses atrás

Não há desculpa que justifique comprarem menos do que 108 caças. Estamos falando de um país de dimensões continentais, cheio de riquezas minerais, com um vasto litoral. Não existe possibilidade de defesa, sem superioridade aérea. Qualquer coisa que a Marinha e o Exército possam fazer para nos defender, tornar-se-ia inútil sem uma capacidade mínima de mantermos a superioridade aérea. É um absurdo um país deste tamanho, com orçamento de defesa enorme, ter apenas 36 caças para se defender. Gastamos 100 bilhões anualmente em defesa para termos todo este vasto território defendido por apenas 36 caças. 108 caças é o suficiente… Read more »

Leonel Testa
Leonel Testa
Reply to  Zorann
2 meses atrás

Se chegarmos a 60 estou satisfeito

Zorann
Zorann
Reply to  Leonel Testa
2 meses atrás

Sou mais pessimista. Infelizmente acredito que não passa dos 36.

Não estou defendendo o Gripen em si. Mas 108 caças não é nada demais para um país do tamanho do nosso, com o orçamento enorme que dispomos.

É mais relevante para nossa defesa, do que qualquer Tamandaré, Scorpene, Guarani… qualquer coisa que a Marinha ou o Exercito possa ter.

Bardini
Bardini
Reply to  Zorann
2 meses atrás

“É mais relevante para nossa defesa, do que qualquer Tamandaré, Scorpene, Guarani… qualquer coisa que a Marinha ou o Exercito possa ter.”
.
Sem qualquer sombra de dúvida.

Gabriel
Gabriel
Reply to  Zorann
2 meses atrás

Mesmo considerando que o Gripen não vai substituir o F-5 + A1 na proporção 1/1, acho bastante improvável não ser encomendado, pelo menos, um segundo lote de 36.

Também existe a participação, em maior ou menor grau, de setores industriais brasileiros, o que é um facilitador para justificar o investimento/compra.

E, na minha opinião, junto com o projeto do submarino nuclear, é o programa que merece maior prioridade por parte do MD/GF.

Claudio Moreno
Claudio Moreno
2 meses atrás

Boa tarde Senhores amigos e camaradas do Aereo e da Trilogia!

Só boas notícias apesar das dificuldades que este ano de 2020 vem apresentando para todos nós Brasileiros e para nossas FFAA.

Recentemente também alçou voo o drone Atobá da brasileira Stella Tecnologia.

É o maior drone já construído no Brasil com tecnologia nacional. Vale a pena conferir as características dele e torcer para ser bem avaliado pelas FFAA e outras agências governamentais.

CM

Luiz Floriano Alves
Reply to  Claudio Moreno
2 meses atrás

Depois do lote de 36 teremos que avaliar a situação do caça no cenário da aviação. Será que vale a pena comprar mais um lote, ou vamos procurar caça nais avançado? A própria SAAB já foi instada pelo governo sueco a desenvolver versão mais atual.Esse projeto, com toda a eletrotônica acrescida é um vetor da década de 70.

Foxtrot
Foxtrot
2 meses atrás

Ele voa!
Nota-se a felicidade do piloto brasileiro em saber que realmente o Gripen existe, e não é uma fantasia ou quimera como na mitologia kkkk!
Bom, só resta dizer “Antes tarde do que nunca” ufaaa!

Frederick
Frederick
2 meses atrás

Esses “Prova” e seu fantástico hábito de fazer história. Maravilhoso.

carlos eduardo monteiro mendes
carlos eduardo monteiro mendes
2 meses atrás

À la chasse

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  carlos eduardo monteiro mendes
2 meses atrás

Bordel!