Home Aviação Militar Bell Boeing entrega o 400º V-22 Osprey

Bell Boeing entrega o 400º V-22 Osprey

1675
21
V-22 Osprey – Foto: Iruma Eishin

HURLBURT FIELD, Flórida — A Bell Textron Inc. e a Boeing entregaram o 400º V-22 Osprey ao Departamento de Defesa dos Estados Unidos. O comando de Operações Especiais da Força Aérea dos EUA recebeu o CV-22 em 2 de junho, atingindo um marco para a primeira aeronave tiltrotor de produção do mundo.

“A entrega do 400º V-22 representa a demanda pelos recursos exclusivos desta plataforma. É uma prova da diligência dos homens e mulheres da Bell, Boeing e de toda a nossa cadeia de suprimentos que constroem e entregam esta incrível aeronave para nossos clientes”, disse Kurt Fuller, vice-presidente da Bell V-22 e diretor de programa da Bell Boeing. “Por mais de 30 anos, as pessoas que apoiam o Bell Boeing V-22 têm sido a base para trazer recursos de tiltrotor ao mundo”.

O CV-22 é a variante das Forças de Operações Especiais (SOF) do V-22 Osprey. O CV-22 Osprey é um avião tiltrotor que combina as qualidades de decolagem vertical, voo pairado e pouso vertical de um helicóptero com as características de longo alcance, eficiência de combustível e velocidade de uma aeronave turboélice. Sua principal missão é realizar missões de infiltração, exfiltração e reabastecimento de longo alcance para os Comandos Aéreos em todo o mundo e a qualquer momento.

“Faz mais de 20 anos que a primeira aeronave de produção V-22 foi entregue e estamos orgulhosos de alcançar outro marco em nossa 400ª entrega. Os V-22 continuam em alta demanda, protegendo nosso país e nossos aliados em todo o mundo através de operações de combate, parcerias internacionais de treinamento e missões humanitárias”, disse o coronel do Corpo de Fuzileiros Navais Matthew Kelly, gerente de programa do Escritório Conjunto de Programas do V-22 (PMA-275). “O impacto desta plataforma não pode ser exagerado.”

A combinação de velocidade, alcance, carga útil e elevação vertical do V-22 Osprey é ideal para os diversos ambientes, geografias e tipos de missão executados por operadores em todo o mundo. A variante Marine Corps, o MV-22B, fornece o transporte seguro e confiável de pessoal, suprimentos e equipamentos para combate, suporte a assalto e logística da frota. Desde 2007, tem sido desdobrado continuamente em diversas operações de combate, humanitárias e especiais. A variante da Marinha, o CMV-22B, é o substituto do C-2A Greyhound para a missão de entrega da transportadora a bordo.

Os Ospreys continuam a transformar as capacidades de poder aéreo, permitindo a conclusão bem-sucedida de missões não possíveis com aeronaves convencionais. A linha de produção do V-22 está atualmente em seu terceiro contrato de aquisição plurianual.

FONTE: Bell Helicopter

Subscribe
Notify of
guest
21 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Camaergoer
Camaergoer
4 meses atrás

Olá Colegas. Noticias publicadas aqui no “Aéreo” informam que estas aeronaves custam cerca de US$ 70 milhões (“Bell Boeing recebe encomenda de 99 aeronaves V-22 Osprey por US$ 6,5 bi”) e a sua hora de voo custa US$ 63 mil (“Os 10 aviões da USAF com a hora de voo mais cara”). Para comparar, o custo do F22 é de US$ 67 mil. Achei que valia a pena relembrar esses valores para contextualizar o debate.

SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
Reply to  Camaergoer
4 meses atrás

Fake news total!!
 
O custo da hora de voo é de pouco mais de US$ 9 mil, talvez tenha até caído mais já que a fonte de onde vi é de 2015. Em 2010 o custo era US11,651 mil
 
https://vtol.org/files/dmfile/VertifliteMJ15-OspreyWhittle1.pdf

Allan Lemos
Allan Lemos
4 meses atrás

Seria uma boa opção para o EB para driblar a proibição de operar aeronaves de asa fixa,e ainda teria uma capacidade de transporte maior que a do C-23.Não acho que eles teriam problemas para operar na Amazônia.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Allan Lemos
4 meses atrás

Caro Allan. O custo é proibitivo. São praticamente R$ 300 mil pela hora de voo. Esta aeronave é para missões táticas durante combate. Para missões de abastecimento em tempos de paz usa-se o mais simples e barato. A hora de voo de um C105 custa US$ 3 mil, de um C95 custa US$ 900. Considerando o custo de operação de um V22, sai mais barato mandar as coisas por Sedex.

Augusto L
Augusto L
Reply to  Camaergoer
4 meses atrás

¨Esta aeronave é para missões táticas durante combate¨
A USN vai usa-lo pra ressuprimento dos seus PAs.

Pablo
Pablo
Reply to  Augusto L
4 meses atrás

Independente de utiliza-lo em tempo de paz ou guerra, essa aeronave não deixa de ter uma hora de voo caríssima!!

Rival Sensor
Rival Sensor
Reply to  Pablo
4 meses atrás

Pablo, se vc tem dinheiro compra uma Ferrari, se não tem vai de corcel 1, simples assim, a USAF pode pagar, é o custo pra se manter no topo.
 

Last edited 4 meses atrás by Rival Sensor
ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Rival Sensor
4 meses atrás

se você tem dinheiro compra uma Ferrari,se não vai de Maserati ou Lancia Thema( 300C )…
 
e se o negocio for brabo,vai de fiat…
 
 
 

Pablo
Pablo
Reply to  Rival Sensor
4 meses atrás

To me referindo em o EB usar ele, tem gente falando em usar ele aqui, sem condições!

sub urbano
sub urbano
Reply to  Allan Lemos
4 meses atrás

ce ta doiiiiiiido…

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  Allan Lemos
4 meses atrás

NO meu ver a solução do problema do EB passa não pela obtenção de novas aeronaves, mas na conversão das horas de voo dos jatinhos do GTE em missões de apoio à tropa nas fronteiras.
 
Mas parece que não o tipo de coisa que se costume dialogar no tal Ministério da Defesa…

Claudio Severino da Silva
Claudio Severino da Silva
Reply to  Clésio Luiz
4 meses atrás

Não se trata nem de falta de aeronaves mas, sim, de falta de dinheiro para mante-las no ar. Isso foi declarado por um ex-comandante da Força em uma carta recente.

Claudio Severino da Silva
Claudio Severino da Silva
Reply to  Claudio Severino da Silva
4 meses atrás
Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Allan Lemos
4 meses atrás

Aí todo o resto do EB teria que ser extinto, só pra sustentar a aquisição, manutenção e hora-voo dessa aeronave

Rival Sensor
Rival Sensor
Reply to  Willber Rodrigues
4 meses atrás

Se privatizar todas as forças armadas o Brasil vai ter o melhor exército da AL e ainda vai economizar dindin.

Doug385
Doug385
4 meses atrás

O bicho é um baita, mas é caro mesmo.

Rival Sensor
Rival Sensor
Reply to  Doug385
4 meses atrás

Doug385 . Só pra quem pode, não é pra quem quer. Aliás, se algum visionário do Brasil almejasse comprar o V-22 Osprey logo apareceriam os “especialistas” dizendo que o avião não presta pra gente, é limitado e cheio de defeitos, a gente teria que comprar um muuuuuito superior e melhor, só que não vamos comprar porque não temos dinheiro…E segue o baile à fantasia regado com lagosta e champagne dos generais…

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Rival Sensor
4 meses atrás

Para nós ele não presta amigo,não para nossa realidade mundana…   Apesar que pelo que andei lendo, sua hora de voo custa USD 11.000 dólares.isso lí em uma matéria de 30 de mai. de 2019.     Osprey vs Chinook :    O Osprey custa USD72 milhões (52 milhões de libras) por aeronave, comparado aos USD39 milhões de um Chinook.mas os custos operacionais são muito diferentes.   Um Osprey custa US $ 11.000 (£ 8500) por hora para voar, em comparação com apenas US $ 4.600 (R$ 3.500) para um Chinook, mas vale a pena notar por todo o dinheiro… Read more »

Claudio Severino da Silva
Claudio Severino da Silva
Reply to  Rival Sensor
4 meses atrás

Dos generais, não. Dos ministros do STF.

Jmgboston
Jmgboston
4 meses atrás

Ja vi 2 em vôo juntos. Eles parecem brinquedos nessa situação e acho que é por causa do tamanho desproporcional das hélices em relação ao corpo da aeronave. Alias ele so faz pouso vertical pois em pouso horizontal suas hélices tocariam a pista. Tambem ja entrei em um air show acho que em Portsmounth. O que mais se destaca nele é o tamanho dos motores. O interior, bem apertado para meio pelotão equipado.