terça-feira, maio 18, 2021

Gripen para o Brasil

Saab inicia testes de radar AESA de banda X para caças

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

A Saab anunciou que completou os primeiros testes aéreos de seu novo radar AESA (Active Electronically Scanned Array) de banda X para caças.

A empresa disse que oferecerá o radar como uma nova adição à sua família de radares PS-05/A.

O radar é projetado para aeronaves de combate e pode ser adaptado a uma variedade de plataformas. A empresa revelou anteriormente que uma versão da nova antena AESA havia sido vendida a um cliente do governo dos EUA.

A aeronave hospedeira durante o teste aéreo foi um caça Gripen D, atualmente oferecida com o mais recente radar Mk4 da Saab. A nova versão do radar pode ser oferecida aos operadores Gripen C/D, como uma atualização.

O novo radar AESA emprega nitreto de gálio (GaN), um material que proporciona menor consumo de energia e maior resistência ao calor. A Saab diz que isso permite maior largura de banda e maior confiabilidade, disponibilidade e eficiência. O novo radar AESA promete melhor desempenho contra pequenos alvos, capacidade aprimorada de contra-contramedidas eletrônicas (ECCM), bem como capacidade aprimorada de suportar armas mais avançadas.

“Este é um passo importante no desenvolvimento do nosso novo radar AESA de caça. Vemos grandes possibilidades para o radar, e seu design modular, adaptável e escalonável significa que ele também pode ser usado para várias outras aplicações”, diz Anders Carp, vice-presidente sênior e chefe de vigilância da área de negócios da Saab.

- Advertisement -

19 Comments

Subscribe
Notify of
guest
19 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
PACRF

Projetos de pesquisa e desenvolvimento, que exigem conhecimento científico, persistência, disciplina e recursos.

Fabio Araujo

É baseado no radar do Gripen E/F?

Lucianno

Não porque o radar do Gripen E/F é de uma empresa italiana. Esse radar descrito acima é um desenvolvimento sueco.

Pedro Calmon

Sim, o radar e’ da Leonardo, que e’ italiana. Mas parece que foi projetado na Inglaterra pela Marconi, antes da mesma ser absorvida pelo conglomerado que hoje e’ a Leonardo.

Alessandro

A pergunta que não quer calar, esse radar será equivalente, melhor ou pior que o radar Raven es-05 que virá nos gripens brasileiros?

Sincero Brasileiro da Silva

Ótima pergunta!!!

groosp

Radares de Nitreto de gálio (GaN) tem um alcance maior que um radar de Arseneto de Gálio (GaAs) como o Raven. Coisa de de 70% a 100% (ou detecta um alvo com metade do RCS na mesma distância).

Luís Henrique

Inferior. A SAAB já informou que o radar terá mais de 500 módulos transmissores / receptores enquanto o Raven, apesar de não utilizar módulos de galio, possui cerca de 1.000 módulos. O radar da SAAB é menor e cabe no Gripen C/D sem nenhuma mudança estrutural. Já o Gripen E ficou maior para poder acomodar o Raven. Também foi divulgado que agora o Gripen C/D poderá usar os mísseis Meteor no alcance máximo. Algo que o Gripen E com o Raven ja conseguia. E também foi informado que este radar não competirá com o Raven do Gripen E. Ou seja,… Read more »

Fabio Araujo

Então é uma boa atualização dentro do que é possível estruturalmente para manter os Gripens C/D em operação por um bom tempo. Na matéria fala de clientes americanos, creio que além dos Gripens da Suécia que não precisam se enquadrar nessa categoria tem os Gripens da República Checa e da Hungria que são membros da OTAN!

Adriano RA

O uso do GaN permite colocar nos Gripens C/D, que possuem menor capacidade de gerar potência, um radar AESA de boa capacidade. Não é apenas espaço. Ainda que tivessem espaço, os Gripens C/D não teriam como gerar a potência necessária ao Raven. O uso do GaN permite maior eficiência energética e melhoria de 50 a 70% de alcance se comparado ao GaA, dependendo da frequência usada. Tendo isso em mente, se o Raven possui o dobro de módulos do novo radar AESA da SAAB, então ele continua sendo melhor.

Alessandro

Obg pelas informações Adriano RA

Alessandro

Obg, por essas informações Luís Henrique

Lucianno

Ninguém além da FAB está disposto a pagar o preço do F-35 e levar para o hangar o Gripen.
SAAB já percebeu que as vendas do “E” ficarão limitadas ao Brasil e resolveu fazer a coisa certa investir na versão “C” que tem um bom custo benefício e pode ser vendida para países periféricos com poucos recursos para adquirir um caça realmente de primeira linha.

JSilva

O custo do contrato brasileiro se deve à ToT e produção local, de prateleira ele é mais barato.
A Saab está certa em manter as duas versões, países periféricos e pequenos podem ter a versão C/D mas para países maiores (Brasil, India, Canadá) a versão E/F, que iguala a autonomia de seus concorrentes bimotores, é fundamental. De perna curta já basta o F-5.

Juliano Lisboa

Além da própria Suécia, foram 60 unidades compradas.

Fabio Araujo

Os custos de fabricação vão cair, os primeiros são mais caros por conta do custo de desenvolvimento, mas eu creio que o Gripen E/F vá conseguir novos clientes é só uma questão de tempo!

Tico

Pelo que o Luiz Henrique falou, este novo radar para os gripen C/D, deverá ser superior ao raven do gripen E/F pois se realmente ele terá 500 módulos transmissores/receptores contra os 1000 do gripen E/F, e ainda assim o gripen C/D poderá utilizar o meteor no seu alcance máximo, imagina se ele tivesse 1000 módulos como o raven? Se este novo radar consegue extrair o máximo do meteor com metade dos módulos, então ele será muito superior ao radar do NG.

Adriano RA

Tico, esse novo radar não é melhor que o Raven. Se possível, dá uma olhada no que escrevi logo acima, em resposta ao Luís Henrique.

ERIVELTON

Eu creio que estrategicamente foi ruim para o Brasil, mas péssimo para os EUA. A China vai comprar a Embraer com seus – Papeis Higiênicos – Dólares, assumindo para ela um grande ativo. Quanto ao Brasil vai simplesmente aumentar suas reservar internacionais de PH Dólares. Os EUA ao invés de Investir na reindustrialização do Ocidente Cristão, a começar pelo Brasil, vão continuar com o mesmo erro de manter os investimentos industriais principalmente na CHINA, ou fazer com que eles caminhem cada vez mais na direção da Ásia, e na próxima Pandemia quando for comprar respiradores da China com seus PH… Read more »

Reportagens especiais

As chances do Gripen ao redor do planeta

E como isso poderá ser benéfico para o Brasil Por Guilherme Poggio (colaborou: Fernando "Nunão" De Martini) Em matéria anterior eu mencionei...
- Advertisement -
- Advertisement -