Home Aviação de Ataque USAF reconstrói estoques de munição de precisão

USAF reconstrói estoques de munição de precisão

2662
11

Produção diminui à medida que a Força Aérea dos EUA se aproxima do número necessário de armas

Após um intenso período de reabastecimento, os inventários de armas de precisão da USAF estão quase de volta a níveis aceitáveis, dizem os líderes do serviço. Agora eles estão reprimindo as compras planejadas para o ano fiscal de 2021.

“Conseguimos fazer a diferença” na escassez de munições, disse o general Arnold Bunch Jr., chefe do Comando de Materiais da Força Aérea durante o Simpósio de Guerra Aérea da Associação da Força Aérea em fevereiro. A redução acentuada dos ataques aéreos dos EUA contra o grupo do Estado Islâmico “nos permitiu chegar a um lugar melhor e a uma melhor trajetória” em termos de reservas de guerra.

Durante a Operação Inherent Resolve, a USAF estava usando JDAMs (Joint Direct Attack Munitions) tão rapidamente que estavam sendo carregadas em aeronaves de combate no Oriente Médio em apenas 24 horas após serem embaladas e enviadas da fábrica da Boeing em St. Louis. Esse rápido uso foi exacerbado pelas forças aéreas aliadas “emprestando” munições dos EUA porque seus estoques limitados foram esgotados da ação no Afeganistão e na Líbia.

As munições de precisão foram a arma de escolha na luta contra o ISIS devido às regras de engajamento. Como os civis estavam misturados com os combatentes do ISIS, foram necessários ataques extremamente precisos para evitar baixas civis.

A escassez levou a Força Aérea a aumentar a produção de armas como a JDAM, a Small Diameter Bomb 1 e o Hellfire AGM-114.

Ao planejar o orçamento fiscal para 2021, disse Bunch, a Força Aérea tinha que “se concentrar na luta de ponta”, reduzindo seu apetite por JDAMs. A Força Aérea comprou 30.872 JDAMs no ano fiscal de 2019, que foi a sua maior marca. Ela solicitou 37.000 no ano fiscal de 2020, mas o Congresso aprovou apenas 25.000. A solicitação para 2021 fiscal é apenas para 10.000 JDAMs, incluindo contas de “orçamento base” e Operações de Contingência no Exterior.

A produção da SDB 1 aumentou de 5.743 unidades no ano fiscal de 2019 para 7.078 no ano fiscal de 2020. A USAF está buscando apenas 2.462 no ano fiscal de 2021.

A arma convencional de maior alcance que a USAF está comprando é a Joint Air-to-Surface Standoff Munition (JASSM), que está em sua quarta variante. O JASSM-ER (Extended Range) manteve uma cadência de produção estável, com compras de 360 unidades ​​em 2019, 390 em 20 e uma solicitação de 400 em 21. A partir de 2021, a Força Aérea também adquirirá cinco mísseis antinavios de longo alcance, ou LRASMs, a versão antinavio da arma.

Vários estudos têm defendido o aumento da compra de armas de longo alcance nos últimos anos. Alguns sugeriram a adição de propulsão às bombas convencionais de gravidade. A USAF precisa de novas munições que combinem maior alcance e um grau de furtividade em um pacote que seja barato o suficiente para comprar em grandes quantidades.

Bomba SDB em teste contra alvo protegido

A Força Aérea desenvolveu a Small Diameter Bomb GBU-39, guiada com precisão, porque descobriu que as armas do tamanho da JDAM eram muito grandes para os pequenos e precisos ataques necessários em guerras como as contra-insurgências no Afeganistão e no Iraque. Sua ogiva de 250 libras tinha um tamanho melhor para muitos alvos, e seu peso mais leve significava que as aeronaves da USAF podiam carregar mais armas. A SDB I usa GPS/INS, laser e até orientação por radar para algumas variantes, e tem um alcance de cerca de 45 milhas, para uso contra alvos fixos.

SDB II no F-15E
GBU-53 SDB-II

A GBU-53 SDB II, construído pela Raytheon e denominado “StormBreaker”, aumenta esse alcance para cerca de 70 milhas. Ela adiciona a conectividade do Link 16 e pode atacar alvos em movimento em blecaute ou condições climáticas adversas. Um F-15E pode transportar até 28 SDB IIs.

A Boeing, fabricante das JDAMs, exibiu uma nova variante dessa bomba no Simpósio de Guerra Aérea AFA 2020. Chamado de “JDAM propulsada”, ele adiciona um conjunto de asas e um módulo de propulsão para aumentar o alcance das JDAMs em 20 vezes. A empresa está lançando a munição como uma alternativa de menor custo para um míssil de cruzeiro.

As munições teriam o alcance para “ficar fora da zona de combate”, disse Wade Kirkbride, representante de desenvolvimento de negócios da Boeing, chamando a arma de “peça central” do plano da empresa de “evoluir o JDAM para o futuro”. As munições, que poderiam usar vários sensores para mirar, também poderiam ser usadas como isca para mísseis mais caros como o JASSM, que custam mais de US$ 1 milhão por unidade.

Powered JDAM, com módulo de propulsão

FONTE: Air Force Magazine

11
Deixe um comentário

avatar
5 Comment threads
6 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
8 Comment authors
CRSOVMauricio R.nonatoROBERVAL PEREIRA ROSAEduardoSP Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Tomcat4,2
Visitante
Tomcat4,2

A indústria bélica não para. Esta SDB II é top hein. O bombardeiro tático F-15 (principalmente o Strike Eagle ) pode levar 28 , dá pra fazer uma festa e tanto.

nonato
Visitante
nonato

Já falei isso diversas vezes.
Na minha opinião, navios e aviões devem transportar muitas armas.
Só como exemplo, na guerra do Pacífico, os navios americanos eram atacados por muitos aviões.
Então não faria sentido um navio transportar apenas 4 mísseis antinavio ou apenas 16 mísseis antiaéreos depois de navegar 10 mil km.

nonato
Visitante
nonato

Cada sortida de um caça envolve valores elevados, trabalho e riscos.
Não faz sentido levar apenas duas bombas ou dois mísseis.
Lógico que essas sdbs são bem pequenas, mas estão com um bom alcance o que se aproxima do ideal.
Quantidade e alcance.

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

A segunda e terceira fotos mostram porque abrigos reforçados para caças saiu de moda.

Antunes 1980
Visitante
Antunes 1980

Enquanto isso a Rússia continua fazendo o “carpet bomb”, arrasando a população civil na Síria.

ROBERVAL PEREIRA ROSA
Visitante
ROBERVAL PEREIRA ROSA

Seja honesto e mostre o vídeo de um carpet bomb russo na Síria,

ROBERVAL PEREIRA ROSA
Visitante
ROBERVAL PEREIRA ROSA

Vc pode se divertir um pouco com este video mostrando um carpet bomb americano no Iraque

https://www.independent.co.uk/news/world/middle-east/isis-iraq-us-air-force-bombing-qanus-island-video-a9100526.html

Mauricio R.
Visitante

Havia comprovação independente e verificável, da presença de civis no alvo????
Se não, passa a régua que nada e ninguém do EI/ISIS/DAESH, faz falta.

EduardoSP
Visitante
EduardoSP

Essa powered SDB é um.míssil.

nonato
Visitante
nonato

A convencional com 50 km alcance já tem mais alcance do que muitos mísseis.
Leveza e aerodinâmica.
É leve porque não tem motor.
Plana porque tem asa.
Então, talvez um motor pequeno seja suficiente para dar um empurrão…

CRSOV
Visitante
CRSOV

Seria interessante se for possível o site ou algum dos participantes daqui colocar o valor unitário de cada um desses equipamentos listados !!