Home Aviação de Ataque Caças F-35 dos EUA, Reino Unido e Israel operam juntos

Caças F-35 dos EUA, Reino Unido e Israel operam juntos

4750
79
Caças F-35 dos EUA, Reino Unido e Israel voando sobre o Mar Mediterrâneo Oriental

LESTE DO MAR MEDITERRÂNEO — Caças F-35 Lightning II dos EUA, Reino Unido e Israel participaram do Exercício Tri-Lightning sobre o Mar Mediterrâneo Oriental, em 25 de junho.

O exercício Tri-Lightning foi um exercício contra-aéreo defensivo de um dia envolvendo aeronaves amigas e adversárias dos três países participantes e consistiu em operações de defesa aérea ativa e passiva.

Este exercício é uma demonstração da interoperabilidade entre os EUA, o Reino Unido e Israel usando o F-35A, F-35B e F-35I, respectivamente.

“Construímos capacidade com nossos parceiros estratégicos para aproveitar as capacidades e habilidades de nossos componentes aéreos”, disse o tenente-general Joseph Guastella, comandante do Comando Central das Forças Aéreas dos EUA. “O relacionamento estratégico transatlântico entre os EUA e nossos aliados e parceiros foi forjado nas últimas sete décadas e é construído sobre uma base de valores compartilhados, experiência e visão.”

Os F-35A da Força Aérea dos EUA voaram da Base Aérea de Al Dhafra, Emirados Árabes Unidos, os F-35B da Força Aérea Real partiram da base RAF Akrotiri, Chipre, e os F-35Is da Força Aérea Israelense voaram da Base Aérea de Nevatim, Israel.

“Tri-Lightning era um exercício planejado há meses e proporciona uma excelente oportunidade para o esquadrão operar e aprender com a comunidade F-35”, disse John Butcher, Comandante da Ala do Reino Unido, comandante do Esquadrão 617. “Além disso, nos permitiu compartilhar e ganhar uma valiosa experiência que poderemos explorar durante o treinamento futuro e implementações potencialmente operacionais, sejam incorporadas no porta-aviões HMS Queen Elizabeth ou em bases aéreas no exterior.”

Os F-35s das três nações treinaram como players primários amigos, ou azuis, neste exercício, enquanto uma variedade de outras aeronaves desempenhavam os papéis de agressores, simulando situações realistas de combate entre os avançados F-35 e os caças da geração anterior.

“O exercício hoje reflete a estreita cooperação entre as nações participantes”, disse o brigadeiro-general Amnon Ein-Dar, Chefe do Estado-Maior de Israel. “Esta oportunidade de treinamento entre Israel, os EUA e a Grã-Bretanha fortalece as capacidades compartilhadas e a cooperação geral entre os aliados”.

FONTE: US Air Forces Central Command

79 COMMENTS

  1. Independente dos defeitos do F35 é uma formação que impõem respeito. A soma das inteligências da aeronave, dos pilotos, dos satélites, radares, armamentos e dos países como um todo formam uma equação que requer muito esforço para ser superada.

  2. Ui….que medo! kkkkk

    A verdadeira formação tríplice, que vai impor medo e abalar o mundo, é a reunião tripartite Xi-Putin-Modi no G-20. Se a India embarcar no projeto RIC definitivamente em Osaka, o mundo nunca mais será como o conhecemos.

    Lembrando que a India está, ainda, vacilante sobre qual lado escolher, mas o encontro bilateral Xi-Modi durante a reunião da SCO foi tão auspicioso que o ministro das Relações Exteriores indiano, Vijay Gokhale, foi levado a descrevê-lo como “o início de um processo, após a formação do governo na Índia, para lidar agora com as relações Índia-China”.

    • Perfeito 100nick
      Mas, não podemos exigir muitas inferências do pessoal sob pena de curto-circuito.
      Em tempo.
      Li no prestigioso site de Economia ‘Market Watch’ que nesse encontro do G20, já poderemos presenciar o início da curva de inflexão do poder americano, com a ascensão da China como novo personagem principal no cenário mundial.
      Alvíssaras!!!!!!!

  3. A cada nova notícia mostrando a evolução do F-35, muitos aqui, inclusive o Toinho Kings tem mini-infartes, imagine então quando o Lightning derrubar um avião inimigo, com extrema facilidade…

  4. Não há nada de mal em exercitar a musculatura. Foi mais ao menos um exercício “Nóis contra a renca toda”

    Segue o jogo, deve ser interessante analisar a massa de dados que essas aeronaves conseguem captar e compartilhar.

    O melhor de tudo é que os caras treinaram contra a melhor “renca toda” que existe.

  5. Jamais iríamos ler uma noticia destas se não fosse através de uma nota OFICIAL do próprio comando norte-americano.
    A mídia sputnice, russia beyond, zveda news e portais progressistas ocidentais jamais iriam admitir o avanço e real sucesso do programa F-35.

    • Ter que combater uma ou duas centenas de F-22 já é um grande problema para o resto, ter que combater alguns milhares de F-35 é uma baita dor de cabeça.

      Concordo contigo Antunes 1980, por mais problemas que possam existir o programa do F-35 já é um sucesso.

  6. Isso é bom para o F-35 de modo a mostrar que ele realmente é um caça operacional e veio para ficar. Falta ver o mesmo num palco operacional de combate verdadeiro, pois ele pode ser muito bom como stealth mas ainda pairam dúvidas sobre a capacidade de um dogfight caso venha ocorrer. O F-22 já provou seu valor!

  7. Este pessoal é teimoso, voam com uma máquina que perde a tinta quando voa acima dos 70kmh , mata piloto por hipoxia, sinceramente esta teimosia vai acabar gerando uma máquina ímpar , consequência desta teimosia e queima de dinheiro.

  8. De repente pela quantidade eles consigam fazer algo na Síria!
    Tipo um enchame kamikaze!
    Falando sério agora
    Estampa dos jornais:
    “F-35 faz rasantes sobre Latakia!”
    Utopia lógico!

    • Sem entrar no mérito de que o F-35 funciona, ou não, se ele tem problemas, ou não……o que não é real, hoje em dia, é um atacante realizar rasantes sobre seu alvo. .em tempos de armas inteligentes/stand-off,, é totalmente contra-producente…

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here