Home Noticiário Internacional Após o F-35, US Navy fará seu próximo caça sem a USAF

Após o F-35, US Navy fará seu próximo caça sem a USAF

10907
104
Concepção artística do F/A-XX em duas versões, tripulado e sem piloto

Marinha decidiu que seus requisitos de caça são diferentes dos da Força Aérea

O próximo caça da Marinha dos EUA será projetado exclusivamente para serviço naval e sem cooperação que resultaria em variantes para outros serviços. O caça anônimo, provisoriamente chamado de F/A-XX, substituirá o caça de ataque F/A-18E/F Super Hornet no convés de voo dos porta-aviões da Marinha em algum momento da década de 2030.

O Flightglobal, relatando da conferência Sea-Air-Space da Liga da Marinha em National Harbor, Maryland, afirmou que a Marinha decidiu que tem prioridades diferentes da Força Aérea dos EUA. Angie Knappenberger, vice-diretora de guerra aérea da US Navy, disse a repórteres que a Marinha não planeja usar o caça para penetrar no espaço aéreo inimigo, um requisito fundamental para o jato Next Generation Air Dominance (NGAD) da Força Aérea dos EUA.

O NGAD substituirá o F-22 Raptor, o primeiro caça de quinta geração no serviço militar dos EUA. Além de furtividade, sensores e letalidade, o design da aeronave será enfatizado em longo alcance, potencialmente acompanhando bombardeiros como o próximo B-21 Raider em missões de penetração profunda em território inimigo.

A Marinha, ao contrário, planeja usar mísseis para missões de penetração profunda, ou entregar as missões inteiramente para a Força Aérea. A Marinha não quer recursos que não pretende usar, o que deve reduzir os custos. A aeronave provavelmente compartilhará alguma coisa em comum com o F-35C, a versão baseada em porta-aviões do Joint Strike Fighter.

As alas aéreas embarcadas atuais da Marinha possuem quatro esquadrões de caça equipados com o F/A-18E/F Super Hornet. O objetivo a curto prazo é substituir metade da frota do Super Hornet, a metade mais velha, pelo F-35C Joint Strike Fighter. A variante embarcada apresenta uma asa ligeiramente maior, maior alcance e um trem de pouso mais robusto que a versão padrão F-35A.

O objetivo a longo prazo é que o F/A-XX substitua os Super Hornets restantes, deixando cada ala aérea com dois esquadrões de F-35C e dois esquadrões F/A-XX.

F-35C

FONTE: FlightGlobal

Subscribe
Notify of
guest
104 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
1 ano atrás

Um projeto de caça específico para o uso de uma FA, sem componentes em comum com outro caça do inventário americano.
Isso vai custar uma nota…

Tutu
Reply to  Willber Rodrigues
1 ano atrás

Se custar menos que o programa F-35 já vai estar bom.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Tutu
1 ano atrás

Se o F-35, criado em 3 versões pra usos em FA’s diferentes, que está sendo exportado e que, supostamente, tem uma grande cadeia logística de peças custou trilhões, imagine um caça de uso exclusivo pra uma FA.

André Macedo
André Macedo
Reply to  Willber Rodrigues
1 ano atrás

Willber, está sendo importado bem mais por questões políticas do que técnicas, a OTAN precisa dar dinheiro pro papai EUA, afinal de que serviria esse quintal americano chamado Europa?

Vitor Silva
Vitor Silva
Reply to  André Macedo
1 ano atrás

Agora me lembro, Donald Trump afirmou que a Russia, não deveria meter o nariz no seu, agora não sei se disse hemisfério ou quintal?

mazzeo
mazzeo
Reply to  André Macedo
1 ano atrás

Caro André.
Os americanos já foram duas vezes cuidar do quintal pq o caseiro fez besteira, vulgo I WW e II WW.
Se não estivessem de olho no quintal no fim do Sec XX o urso tinha parado no só no Reno, e se eles quisessem.
Não concordo com a Politica Americana em muitas coisas, mas desconsiderar que os americanos salvaram a Europa mais de uma vez é trapaça intelectual.

André Macedo
André Macedo
Reply to  mazzeo
1 ano atrás

Mazzeo, os americanos foram “cuidar do quintal”? Essa frase demonstra não só um desconhecimento da história, como um desrespeito aos britânicos e soviéticos que seguraram a Alemanha sozinhos após a queda da França, os americanos só entraram na guerra por que Hitler declarou guerra a eles, pois os EUA só haviam declarado guerra ao Japão, e pelo fato dos últimos serem agressores, os alemães não tinham obrigação de ajudá-los nesse quesito, os americanos foram sim heróis, mas afirmar que eles salvaram os europeus é besteira, se URSS e Inglaterra caíssem os EUA não iriam segurar uma guerra de dois frontes… Read more »

André
André
Reply to  André Macedo
1 ano atrás

André Macedo, não se esqueça da quantidade enorme de material que os americanos enviaram para soviéticos e britânicos, e que no dia D os alemães ainda estava dentro da Rússia

Wilson
Wilson
Reply to  André
1 ano atrás

O dia D só foi definido depois que a URSS começou a levar vantagem no Front oriental. Os aliados entraram pela frança pelo medo dos soviéticos não pararem em Berlin e avançarem pela França adentro.

Jorge F
Jorge F
Reply to  André Macedo
1 ano atrás

A História nos indica que as potências Europeias tentaram colocar a Alemanha em rota de colisão com Stálin. Estratégia tão absurda que quase culminou com a Europa falando e ou alemão. Devem muito ao tio Sam.

Jorge F
Jorge F
Reply to  André Macedo
1 ano atrás

Russo ou alemão (postagem anterior)

Wellington Rossi Kramer
Wellington Rossi Kramer
Reply to  André Macedo
1 ano atrás

A URSS queria que a Europa fosse destruída e tomada pela Alemanha para entrar como libertadora e bem feitora. Conseguiu isso na parte oriental da Europa. Sem a ajuda soviética a Alemanha não teria formado a força que formou.

leandro
leandro
Reply to  Willber Rodrigues
1 ano atrás

mas também se precisa levar em consideração que muitas tecnologias hoje no F35 tiveram que ser desenvolvidas do zero… enquanto a próxima geração irá usar grande parte dessas tecnologias sendo apenas aprimoradas. diminuindo o custo significativamente em relação a essa etapa.

Gustavo
Gustavo
Reply to  Willber Rodrigues
1 ano atrás

“imagine um caça de uso exclusivo pra uma FA.” isso é tudo que aconteceu até hoje… e o caça que era para ser o padrão, trazendo benefícios e economia, na verdade, é uma bomba para o contribuinte e para o custo em si da hora de voo.

Delfim
Delfim
Reply to  Willber Rodrigues
1 ano atrás

Sempre foi assim. A exceção é justamente o F-35 que a USNavy vai aceitar a contragosto.

pangloss
pangloss
Reply to  Delfim
1 ano atrás

Há precedentes em sentidos diversos: o F-4 nasceu para a USN e foi implantado na USAF. O F-111 deveria atender a ambas as forças, mas acabou sendo rejeitado pela USN. O F-35 repetiu o caso do F-111, abrangendo também o USMC.

Rafael
Rafael
Reply to  Delfim
1 ano atrás

O F4 também foi bem parecido com o F35,foi eventualmente um sucesso mas antes disso deu muita dor de cabeça nas versões iniciais.

Thiago Telles
Thiago Telles
Reply to  Willber Rodrigues
1 ano atrás

Nota está custando o f35. Essa notícia mostra q o projeto jsf foi um fiasco e nao vao errar novamente.

Washington Menezes
Washington Menezes
Reply to  Thiago Telles
1 ano atrás

Prova cabal Thiago.

Chevalier
Chevalier
Reply to  Willber Rodrigues
1 ano atrás

Ué, mas é exatamente o contrário do que foi feito no F-35, que custou uma nota…

Denis
Denis
Reply to  Willber Rodrigues
1 ano atrás

Eles já têm expertise no assunto. Lembre-se do F-14.

Alfredo Araujo
Alfredo Araujo
Reply to  Willber Rodrigues
1 ano atrás

Essa de “sem componentes comuns” não precisa ser seguida ao pé da letra… e acredito q não será !
Vc pode ter projetos separados, mas com alguns componentes (críticos) em comum… como motor, aniônicos, radar, e etc…

LEONARDO ANDRE RASTELLI
Reply to  Willber Rodrigues
11 meses atrás

É conhecido e notório dos americanos sempre inflarem os orçamentos de seus aviões militares.
Senão, de onde eles sangrariam o contribuinte para os “orçamentos negros” como o que deu origem ao F-117 ?

Maus
Maus
1 ano atrás

Tomcat 2.

J-20
J-20
Reply to  Maus
1 ano atrás

Se tiver a mesma visão de aeronave inovadora e metade da fama do Tomcat, já vai ser um sucesso. Só não venderem para um Irã da vida

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  J-20
1 ano atrás

“Só não vender pro Irã”
Kkkkkkkkk

Tomcat4.0
Tomcat4.0
Reply to  J-20
1 ano atrás

Falou tudo meu caro. Tomcat foi um ícone entre os caças e seu legado durará for ever. Se este futuro brinquedinho fizer metade do que o Tomcat fez, dando o devido retorno e cumprindo a missão, já será um ganho e tanto e não custando a gaita que custa o projeto do F-35 será um tapa de luva da USNavy na USAF e ou no governo que teve a idéia da padronização , que dê certo deveria reduzir custos e não o absurdo contrário.

Antoniokings
Antoniokings
1 ano atrás

Tá tudo muito louco!!!!!
Ah! Esse F-35……

Fábio
Fábio
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Melhor que qualquer coisa russa feita na ultima década!

Rui chapéu
Rui chapéu
1 ano atrás

Os cara nem receberam direito os f-35 e já tão em outra.
Na real nem começaram a fabricar os Super Hornets que ainda vão receber…..
E já tão lá na frente….

Podiam puxar um desing do A-5 vigilante…..era tão bonito aquele avião que ia ficar show numa foto com os outros!

Diego
Diego
Reply to  Rui chapéu
1 ano atrás

A necessidade faz o gato pular.

Denis
Denis
Reply to  Diego
1 ano atrás

Boa, amigo.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Rui chapéu
1 ano atrás

Para vc ver a bomba que é esse F-35.

Paulo Costa
Paulo Costa
Reply to  Rui chapéu
1 ano atrás

Os americanos são assim, sempre pensando adiante mesmo …

Alem disso, é bem logico a Marinha ter 02 vetores diferentes, foi assim com o Tomcat e com o F-18 também e aposto que a USAF vai no mesmo caminho na substituição do F-22 ja que é so lembrar que o F-22 tinha sido construído para substituir o F-15 e o F-35 vai acabar substituindo o F-16 apenas

André Sávio Craveiro Bueno
André Sávio Craveiro Bueno
1 ano atrás

A versão que destoa é a dos fuzileiros, por conta de ser VTOL. Mas deve haver algo mais…

Sérgio Luís
Sérgio Luís
1 ano atrás

Uai eles não gostaram do Deus Vivo?!?
Porque será?!?!

Washington Menezes
Washington Menezes
Reply to  Sérgio Luís
1 ano atrás

Porque o Deus vivo é fake.

Ricardo da Silva
Ricardo da Silva
Reply to  Sérgio Luís
1 ano atrás

F-35 Aardvark II

Nicolas_RS
Nicolas_RS
1 ano atrás

É cômico para mim e um tapa da cara de quem defendia o F-35, por ser o melhor e o futuro da aviação, principalmente aos que defendiam que o Brasil comprasse alguns.

Assim como a Marinha dos EUA, o que o Brasil precisa é diferente do que o F-35 entrega.

Paulo Costa
Paulo Costa
Reply to  Nicolas_RS
1 ano atrás

Ter um so vetor é um erro clássico que os USA quase cometeu com o F-35 mas que esta voltando atras e veja por exemplo a china, a Russia, Reino Unido, frança e outros, tem 02 ou mais vetores sendo utilizados hoje e isso nao vai mudar, espero que esse erro que a FAB nao cometa tendo só o Gripen para “economizar”. Alias, o que o Brasil precisa é ter dinheiro e a vontade politica da FAB para desenvolver uma versão tipo “Super AMX” com um jato com motor melhor, tanques conformais, radar e aviônica de ultima geração com a… Read more »

Nicolas_RS
Nicolas_RS
Reply to  Paulo Costa
1 ano atrás

Tambem apoio o desenvolvimento de um AMX-2,com maior capacidade do atual e que realmente tenha, já que o nosso não tem.

Johnny
Johnny
Reply to  Nicolas_RS
1 ano atrás

Mas se para pagar o primeiro lote de gripen, com a transferência de tecnologia, já tá dando um suador danado, nem sabemos se haverá segundo e terceiro lotes, de onde tirar recursos para um projeto solo desses?

Nicolas_RS
Nicolas_RS
Reply to  Johnny
1 ano atrás

Disse que apoio, não que é possível. Mas também apoio cortar gastos desnecessários, uma coisa que eu acho que deveria ser feito é cortar todas as dezenas de partidos políticos, junto com trocentas vagas de políticos que tem no país. Mas isso é quase que ficção.

Delfim
Delfim
1 ano atrás

Qual a novidade ? Tirando o F-4 Phantom e em breve o F-35, USAF e USNavy sempre operaram modelos diferentes para doutrinas diferentes.

Paulo Costa
Paulo Costa
Reply to  Delfim
1 ano atrás

Pois é, os especialistas críticos de sempre nao entendem nem isso …

É normal ter 02 vetores n USNavy e na USAF, e essa ideia de ter um so caça para tudo pelo jeito é coisa era ideia do comando mas nao vingou

Antunes 1980
Antunes 1980
1 ano atrás

Lá se vai mais uns 3 trilhões de dólares e uns 5 países invadidos, para custear este “projeto”.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Antunes 1980
1 ano atrás

Custear e justificar

Clésio Luiz
Clésio Luiz
1 ano atrás

A rixa entre a USAF e a USN vem de longe. A USAF viu McNamara empurrar o F-4 goela abaixo da USAF, cancelando compras do F-105 e F-106 em favor do F-4, que a grosso modo era inferior aos outros dois em suas respectivas funções. A USN teve que comprar o F-18, rejeitado pela USAF, a mando do congresso americano, no lugar de uma frota maior de F-14 aperfeiçoados. Quando o F-22 foi escolhido, comentou-se na época que ele seria mais adaptável para o programa NATF, mas a USN acabou não comprando nada. Essa mesma USN é, para mim, a… Read more »

Delfim
Delfim
Reply to  Clésio Luiz
1 ano atrás

Volte mais para trás. Houve caça comum entre a USAAC e a USNavy durante a 2WW ? Que me lembre não.
E o “F-111 naval” que a USN fincou o pé, com razão, desenvolvendo o F-14 ?

Augusto L
Augusto L
Reply to  Clésio Luiz
1 ano atrás

O F-4 é e era superio a qualquer century, até pq o mesmo era um caça de 3° geração enquanto os outros eram de 2°.
Sem contar que na administração Kennedy, as forcas armadas americanas estavam mudando da estratégia de ataque nuclear maciço para a resposa flexivel, onfe era necessario um caça tático paraguerra convencional e que tivesse capacidade de lancar cargas nucleares e não o contrário, pra isso o F-4 era perfeito.

Denis
Denis
Reply to  Clésio Luiz
1 ano atrás

Chamar de sabotadora é um pouco exagerado. Você mesmo lembrou que o congresso enfiou o Hornet neles goela abaixo. Acho que o quadro se resume mesmo naquilo que a Marinha alegou: objetivos diferentes, projetos diferentes; nada mais justo.

Johan
Johan
Reply to  Clésio Luiz
1 ano atrás

Remonto também aos testes do siderwider em que os militares da USAF o desmereceram a favor do AIM-4 Falcon gerando o “causo” do projetista solicitar um equipamento “especial” a aquele grupo que ao perguntarem ele teria respondido: uma escada!

Dr. Telêmaco
Dr. Telêmaco
Reply to  Johan
1 ano atrás

Não conheço essa história, vc poderia contar mais sobre ela?

Control
Control
Reply to  Clésio Luiz
1 ano atrás

Jovem Clésio O erro foi dos planejadores do Pentagono que enfiaram na cachola que um único tipo de avião deveria atender todas as funções das três forças. O aumento de requisitos foi consequência e não causa. Os marines queriam um Harrier melhorado, a US Navy um substituto para o F/A 18 e a USAF um avião furtivo de ataque. Os planejadores acharam que dava para ter tudo isto em um único avião acrescentado-se ainda a capacidade de um caça. Deu o angu de caroço atual. Isto já havia acontecido em menor grau com o F111. Sds

Sérgio Luís
Sérgio Luís
1 ano atrás

Minha nossa!
Como ficarão essa quantidade de viúvas?!?!
Basta “bater o olho” para um leigo como eu ver que é um embuste esse f-35 !
A pseudo zona de conforto e o efeito manada cegaram alguns poucos e deu nisso!

Sérgio Luís
Sérgio Luís
Reply to  Sérgio Luís
1 ano atrás

Curtidas negativas só podem ser das viúvas desconsoladas!

Washington Menezes
Washington Menezes
Reply to  Sérgio Luís
1 ano atrás

Sergio acho que o efeito manada foi pior que a zona de conforto.

Augusto L
Augusto L
Reply to  Sérgio Luís
1 ano atrás

Nada anormal, ainda terão mais F-35 do que esse F-XX no inventário e será um caça provável de 5,5° geração ou mesmo de 6°, ou seja, terá os 2 conceitos maiores conceitos do F-35, furtividade e fusão de dados.

DENYS
DENYS
Reply to  Sérgio Luís
1 ano atrás

E viúvas do fracassado programa russo? estão bem??

Evgeniy (RF).
Evgeniy (RF).
Reply to  DENYS
1 ano atrás

Qual é o programa russo falhou?

Rafael
Rafael
Reply to  Evgeniy (RF).
1 ano atrás

MIG23 foi um fracasso pois deveria ser superior ao F4 e não era páreo nem pro F5.

Evgeniy (RF).
Evgeniy (RF).
Reply to  Rafael
1 ano atrás

O MiG-23 era bastante adequado para lidar com aeronaves como a RF-4 e a F-5.
Muito provavelmente, o comentarista anterior, claramente significava SU-57.
Toda a mesma propaganda e fanatismo ideológico, coisas assustadoras.

paddy mayne
paddy mayne
Reply to  Evgeniy (RF).
1 ano atrás

Se voce considerar que o SU-57 deveria ser uma avião de quinta geração no mesmo patamar de um F-22, então foi sim uma bela falha. Um avião desenvolvido mais de uma década depois que não se compara com seu congênere veterano. Não é uma discussão ideológica, é técnica.

Evgeniy (RF).
Evgeniy (RF).
Reply to  paddy mayne
1 ano atrás

O SU-57 atende aos requisitos geralmente atribuídos à aeronave de 5ª geração.
O SU-57 com tudo isso, uma aeronave muito mais versátil com recursos avançados do que o F-22.
A maioria dos comentários disponíveis aqui tem uma coloração ideológica bastante forte.

paddy mayne
paddy mayne
Reply to  Evgeniy (RF).
1 ano atrás

Uma aeronave que só é furtiva “de frente” não tem como “atender aos requisitos” de 5a geração. Aquele motorzão escancarado na parte inferior diz tudo. e quem diz isso não sou eu, mas o projetista russo.

Rafael
Rafael
Reply to  Evgeniy (RF).
1 ano atrás

Até o MIG21 teve um histórico de combate melhor que o MIG23 que era caro de operar ,difícil manutenção e só era vantajoso para interceptação, tanto que na aviação russa pos-urss foram todos descomissionados após 1991.

Evgeniy (RF).
Evgeniy (RF).
Reply to  Rafael
1 ano atrás

MiG-23 e foi criado como o principal interceptador de combate de linha de frente.
O que começou depois de 1991 não tem nada a ver com o MiG-23. Esse período atingiu em geral todos os modelos de aeronaves que estavam na Rússia. Então eu digo sobre ideologia.

André Macedo
André Macedo
1 ano atrás

Cadê os fanboys pra bater o pé dizendo “ah mas ele é revolucionário” como se justigicasse os problemas BÁSICOS e rios de dinheiro gastos nele?? Kkkkkkkk eu avisei, parabéns à US Navy por ter peito pra ir contra o lobby imenso que a LM conduziu pra manter essa máquina de gastar dinheiro cumprindo sua função, apesar de tudo foi um (caríssimo) aprendizado

Washington Menezes
Washington Menezes
Reply to  André Macedo
1 ano atrás

André este aprendizado vai ficar pra história

Augusto L
Augusto L
Reply to  André Macedo
1 ano atrás

A US Navy não esta tendo peito pra nada, ate pq não irá diminuir as encomendas de F-35.
Serão os 350 encomendados + os SH, que depois serão substituídos pelo F-XX.

Rafael
Rafael
Reply to  André Macedo
1 ano atrás

A favorita da USN era a Nortrop Grumman que criou o F14,A6 aeronaves que ela nunca consegui substituir com aviões a altura.

paddy mayne
paddy mayne
Reply to  André Macedo
1 ano atrás

André, controle sua ansiedade em lacrar e dê uma lida na matéria antes de postar.

Johnny Cantarelli
1 ano atrás

Calma, a Boeing está precisando de um respiro nesse momento difícil. Além disso, é normal que mais de uma empresa apresente propostas a cada nova geração de caças. Agora, que a década de 2030 é muito cedo isso eu tenho que admitir.

Augusto L
Augusto L
1 ano atrás

“Angie Knappenberger, vice-diretora de guerra aérea da US Navy, disse a repórteres que a Marinha não planeja usar o caça para penetrar no espaço aéreo inimigo, um requisito fundamental para o jato Next Generation Air Dominance (NGAD) da Força Aérea dos EUA” Esse trecho deixa bem claro pq a marinha americana não da tanta enfase no stealth como a USAF, e de uma certa maneira explica pq a USAF é obsecada por aeronaves stealth. O cenario de guerra ofensiva naval é muito menos complexa do que uma penetração em profundidade em território inimigo.

Joao Vasco
Joao Vasco
1 ano atrás

Pergunta de leigo alguem sabe me dizer em quais requisitos (além de adaptaçao a porta avioes é claro) os caças navais se diferem dos caças da força aerea ?

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
1 ano atrás

Depois acham ruim quando eu chamo o contribuinte americano de trouxa, pagar dois gatos deve ser mesmo coisa de gente inteligente…

Carlos Gallani
Carlos Gallani
1 ano atrás

Eu acho que isso é bom, eu vejo algumas projeções de como seriam os caças de sexta geração e me pergunto como estes pousariam em um porta aviões, o erro foi dizer que o F-35 é apenas um caça, são três, as peças destes coincidem apenas 30%! Este caminho abre espaço para uma maior especialização mas sem demérito ao F-35 quanto equipamento e sim a forma como este foi encaminhado pela política, se não houvesse tanto compromisso com fazer tudo em um pacote só não ficaria esse susto do valor total do projeto, politicagens!

Luís Henrique
Luís Henrique
1 ano atrás

Que exagero.
A US Navy está diminuindo sua encomenda de F-35 C ??? Não. O que mudou então? Nada.
Como previsto o F-35 C está substituindo os F-18 e está complementando o F/A-18 E/F.
No futuro daqui uns 15 anos, um novo caça substituirá os SH e complementará os F-35C.

Não dá para entender as críticas ao F-35C. A matéria não diz nada de cortes nas encomendas, nem que será substituído por uma nova aeronave. É o SH que será substituído e não será agora, vai demorar…

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Luís Henrique
1 ano atrás

Mestre, isto eu entendi O que não entendi ou melhor, a expectativa dos menos entendedores, era que o F35C fosse desde sua concepção, o substituto do SH em toda sua completude de esquadrões aero embarcados. Eis a questão que a galera esteja achando estranho e a questão. Porque o F35C não será o substituto integral do SH? Existe algo técnico? Foi o atraso que encaçapou com a próxima geração? É isto ok? Tenho admiração pelo avião, mas a pergunta é qual será a provável quantidade de produção final desta versão observando o contexto apresentado? Antes que ele possa substituir todos… Read more »

Bosco
Bosco
Reply to  Carvalho2008
1 ano atrás

Carvalho, O F-35 nunca foi pensado para substituir os F-18 E/F Super Hornets e sim os F-18 Hornets. Nunca a USN pensou em ter só o F-35C em seus navios, e sim em operá-los conjuntamente com os Super Hornets, incluindo o EA-18G e drones. A única força que irá substituir todos os seus caças (F-18 e AV-8B) pelo F-35 é o USMC, com o F-35B e F-35C. Nem a USAF pensa em ter só o F-35 já que conta com o F-22 e não irá substituir os os F-15 por F-35. Os que estão na lista para substituição são os… Read more »

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Perfeito mestre, entendi.

Mas uma dúvida, porque o FA18 e não o SH?? Eles teriam funções diferentes nas missões?

Bosco
Bosco
Reply to  Carvalho2008
1 ano atrás

Carvalho, A USN não acha seguro ter apenas um tipo de caça em seus porta-aviões no caso de um apresentar algum problema e ter que “aterrar” todos os modelos. Basicamente o SH é outro caça. Quando da introdução do Hornet, foi para substituir os A-7 (e outros) , que eram aviões de ataque enquanto os F-14 eram os caças de defesa de frota. No caso, houve um ganho significativo de flexibilidade já que o Hornet era um caça bombardeiro supersônico que podia fazer o trabalho do A-7 e ainda podia ajudar na defesa de frota feita pelo F-14. O convés… Read more »

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Ok valeu mestre!

Augusto L
Augusto L
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Acredito que o futuro da frota embarcada da USN, seja F-35 + esse F-XX + algum drone stealth para ataque e reconhecimento em profundidade para cumprir a missão dos finados A-6 intruder.

Augusto L
Augusto L
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Bosco só uma correção desde o fim da linha de produção dos F-22, a USAF pretende substituir os F-15c/d pelos Lightnings, o Patrick Shanaham que esta tentando entubar aquele F-15X neles.

Bosco
Bosco
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

Augusto,
Com certeza.

Bosco
Bosco
1 ano atrás

Meu Deus! Essa discussão é para a substituição do F-35 C daqui a ….. 30 anos.
Menos pessoal! Menos!

Rui Chapéu
Rui Chapéu
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Nem perca tempo explicando pra esses doido ai.

Eles sequer sabem ler!

Imagina ler e entender algo.

Merlin
Merlin
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Exato! O pessoal discute e como se o novo caça já estivesse projetado e iniciando o processo de homologação…

Carvalho2008
Carvalho2008
1 ano atrás

De fato, é uma tijolada….

As encomendas atuais do F35C serão cumpridas

Mas ficarão por aí e encerradas

Porque o F35C não substituirá “todos” F18 SH????

Simples, porque a US Navy já decidiu que o F35C não terá a mesma carreira que o F18 SH teve e ainda terá (sim porque ainda vira e mexe encomendam outros SH para tapar buracos) na marinha

Bastará comparará o número de unidades que serão produzidas ao seu final de um e de outro

Bosco
Bosco
1 ano atrás

Juntando a desonestidade intelectual com o analfabetismo funcional e tome comentários esquisitos.

Leonel Testa
Leonel Testa
Reply to  Bosco
1 ano atrás

kkkk boa Bosco disse tudo em poucas palavras

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Mestre Bosco, na boa….pode até não ser, mas o SH deve ter umas 600 unidades produzidas, algo nesta casa, se já encomendaram 350 F35C e dizem que a outra metade provavelmente será coberta pelo novo modelo, de fato não parece que a versão C venha a ter muitas encomendas a mais…não seria isto não?…

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Carvalho2008
1 ano atrás

Em tempo, acho um baita avião..,

Bosco
Bosco
Reply to  Carvalho2008
1 ano atrás

Carvalho,
Respondi acima.

Sergio Cozini
Sergio Cozini
1 ano atrás

Excelente estrategia! Renovar metade por metade, sempre visando a próxima geração de caças e aproveitando ao máximo vendendo tecnologia já ultrapassada para todo mundo. Por isso são predominantes em nossa era. Faço igual ao mito e presto continência a esta nação.

Denis
Denis
1 ano atrás

Bom, parece que a US Navy recuperou o bom senso antes da USAF.

Daniel Silva
Daniel Silva
1 ano atrás

Só lembrando: “As alas aéreas embarcadas atuais da Marinha possuem quatro esquadrões de caça equipados com o F/A-18E/F Super Hornet”. Ou seja, cada porta aviões carrega poder de fogo equivalente à uma força aérea de médio porte. Imaginaram a FAB com 60 F/A – 18 E/F ou, ideologias à parte, 60 Su-30/33/35, isso sem contar os aviões de alerta aéreo antecipado e antissubmarino. Nem vou considerar o armamento nuclear. Em tempo, nada contra o Gripen, do jeito que as coisas vão, se recebermos, armarmos e operarmos os 36 no prazo previsto já vai ser um avanço e tanto.

DENYS
DENYS
1 ano atrás

Para um pais que tem Califórnia com PIB maior, que Rússia não é problema.

Carlos Campos
Carlos Campos
1 ano atrás

Fiasco, viúva kkkkkkk esse povo é hilário, tem um estudo de um programa para um caça que vai começar a operar no final da década de 30 ou inicio da década de 40 e o povo acha que vai entrar amanhã esse novo avião, o F/A XX já pensado desde o FX2 da FAB tanto é que na época a Boeing ofereceu a Embraer e o Brasil participação no projeto, e a USAF já tem estudos para um novo caça para substituir o F22, o caça que vai superar o que ainda não foi superado, pois nem Rússia e China… Read more »

FABIANO BARBOSA
FABIANO BARBOSA
1 ano atrás

Quantos caças tem um esquadrão embarcado da USN hoje em dia?

Lembro que antigamente eram 12, mas eram 2 de F-14, 2 de Intruders, 2 de Corsairs, 1 de Prowlers + E-2/C-2 etc…

Thiago Mibach
Thiago Mibach
Reply to  FABIANO BARBOSA
1 ano atrás

Fabiano, achei essa composição na Wikipédia… No dias atuais… “Today’s air wing composition is designed to allow for broad striking power hundreds of miles from the carrier’s position, while providing defense in depth of the battle group through early warning and detection of airborne, surface and subsurface targets. The current U.S. Navy carrier air wing consists of: Four Strike Fighter (VFA) Squadrons, with twelve F/A-18E/F Super Hornets each, or ten F/A-18C Hornets each (over forty strike fighters total). The typical mix is one F/A-18F (two-seat) Super Hornet squadron, and three single-seat F/A-18E Super Hornet squadrons or a mix of F/A-18E… Read more »

Guizmo
Guizmo
1 ano atrás

Esse é justamente o motivo dos EUA estarem na vanguarda de tecnologia. Pensam com 30 anos de vantagem. Sem desmerecer o esforço chinês, que é absolutamente notável, é por isso que os EUA investem em P&D e os chineses copiam o projeto.

Não é o F-35 que está indo mal, é que desde antes de todos aqui nascerem, eles já faziam isso.

rodrigo
rodrigo
1 ano atrás

Este é o preço de estar na vanguarda. Daí vai surgir algo superior ao F-22, fazendo os EUA manterem, pelo menos, 20 anos à frente dos rivais. Basta ver quanto tempo os russos levaram para apresentar algo equivalente ao F-15 e estamos no aguardo (os entusiastas) de surgir algo equivalente ao F-22.