Home Aviação de Ataque Lockheed Martin, em ‘dogfight’ com a Boeing, baixa preço do F-35

Lockheed Martin, em ‘dogfight’ com a Boeing, baixa preço do F-35

6497
17
Lockheed Martin F-35
Lockheed Martin F-35

A Lockheed Martin, que tenta dar uma vantagem ao seu F-35 contra um caça rival oferecido pela Boeing, está reduzindo drasticamente o preço do F-35 para o próximo lote de jatos que serão vendidos ao Pentágono.

A empresa aeroespacial está oferecendo o modelo básico da quinta geração do F-35 por US$ 80 milhões cada em negociações com o Pentágono, de acordo com uma reportagem do site DefenseOne. Isso é uma redução de 11% em relação ao preço de US$ 90 milhões em setembro passado, quando o último lote dos caças foi encomendado.

O F-35 foi prejudicado por longos atrasos de desenvolvimento e excesso de custos, mas o avião agora está operacional e está se tornando uma parte fundamental do arsenal dos EUA. Espera-se que o Pentágono finalize seu próximo pedido para o caça neste verão. Os analistas esperavam que cada lote fosse mais barato do que o anterior, mas o montante dessa redução mais recente provavelmente pegará alguns de surpresa.

Boeing F-15EX

A Lockheed Martin tem estado sob pressão constante para reduzir o custo do F-35, mas a urgência aumentou desde que o Pentágono inverteu o curso e decidiu comprar novos Boeing F-15 pela primeira vez em duas décadas. O F-15EX modernizado é significativamente melhorado em comparação com o avião original dos anos 70, com um sofisticado conjunto de eletrônicos, mas ainda é uma tecnologia de última geração que, até recentemente, era de pouco interesse para os oficiais de compras militares.

A decisão de comprar os F-15, de acordo com o resumo de aquisições do Pentágono, “reflete a estratégia do Departamento de obter a capacidade de lidar com diferentes situações de ameaça”. O governo está comprando os F-35 “para enfrentar aeronaves de tecnologia avançada que estão sendo implantadas pela Rússia e pela China”, diz o relatório. Mas para derrotar as plataformas de baixa tecnologia, ele quer usar projetos mais antigos “que nominalmente têm custos operacionais mais baixos quando comparados aos jatos de combate de quinta geração”, como o F-35.

Infográfico comparativo entre o F-35A e o F-15EX. Clique na imagem para ampliar

FONTE: The Motley Fool

17 COMMENTS

  1. O fator de manter dois fornecedores tbm pesa muito, o F-15 é uma lenda, uma baita aeronave mas o peso da idade uma hora chega, já são 40 anos, não tem milagre!

  2. F-15 e F-35 cada um tem suas vantagens e desvantagem em diversos cenários. todos sabem que um F-15 nunca conseguiria penetrar as defesas AAs de Alta intensidade de um pais como a Russia por si só e mesmo com apoio dedicado de aeronaves para guerra eletrônica ele tem uma chance se ser abatido. em contrapartida, todos sabem que o F-35 já teria uma facilidade natural nessa tarefa devido a sua furtividade, somado a sistemas eletrônicos ele é o mais capacitado para isso depois que as Defesas forem derrubadas o F-15 pode auxiliar outras aeronaves a manter supremacia e escolta em partes menos exigentes do Teatro de Operações afinal ele estaria perfeitamente capacitado para engajar qualquer aeronave de quarta geração ou quarta geração ++ (Su-35, MiG-29 e etc…) ficando para F-22 e F-35 encarar os pesos pesados Su-57 e J-20. é uma questão de custo beneficio. nem sempre um caça de quinta geração será necessário no Ar, assim como nem sempre é preciso um Super Porta Aviões no Oceano.

    • Com o número de F-35 subindo acredito que o trabalho de encarar as aeronaves de quarta (plus) geração seja dele até pq ele está com uma projeção de 20 abates para uma queda, já os de (semi) quinta para o F-22 mesmo, por isso insisto no argumento de manter um segundo fornecedor ativo como algo estratégico!
      Tem tbm o fator de o custo de hora voo do F-35 ser muito nebuloso, uma hora sobe, uma hora desce, eu particularmente acredito na queda do mesmo e assim tirando um pouco da parte boa do INCRÍVEL F-15!

    • Olha Vitor eu não vejo muita vantagem do F-15. Vantagem no que? Só para manter empregos na Boeing. Pelo divulgado terá um custo inicial de mais de U$ 90 mi e depois será de U$ 80 mi. Isso é o mesmo preço do F-35.
      A hora vôo em 27 mil contra 35 do F-35 Não é uma economia tão grande, principalmente se considerarmos que a hora voo do F-35 Está baixando e a meta é chegar em 25 mil em 2025.
      Mesmo que não consigam é bem provável que fique muito próxima dos 27 mil do F-15…Então que economia é essa???

      Por causa de mais armas ou mais alcance? É só usar o F-35 com armamentos em pilones externos e utilizar tanques externos de combustível que a diferença para o F-15 será ridiculamente pequena.

      Se a USAF quer economizar, deveria pensar no Super Hornet.

      • É isso, empregos garantidos inclusive de grandes mentes… isso pode até impactar no futuro desenvolvimento do caça de sexta geração através da saúde desta divisão da Boing! Eu chuto que eles vão comprar o mínimo necessário para manter a linha aberta!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here