Home Aviação de Ataque Família F-5/T-38 é alvo de vários programas internacionais de atualização

Família F-5/T-38 é alvo de vários programas internacionais de atualização

8299
33
Os F-5E da Tailândia comemoraram 40 anos de operação em 2018
Os F-5E/F da Tailândia comemoraram 40 anos de operação em 2018

As 1.275 aeronaves F-5/T-38 da frota mundial estão, em média, em serviço há mais de 41 anos. Embora essas aeronaves não pareçam logicamente ser as principais candidatas a upgrades devido a sua idade, nações como Brasil, Honduras, Irã, Tailândia e Tunísia avançaram para atualizá-las. Ao mesmo tempo, a frota inclui 575 aeronaves com uma média de 30 a 40 anos de serviço que podem exigir atualizações em breve.

Em 2018, a T-38 Talons havia treinado 72.000 pilotos da USAF. Muitas células realizaram até 20.000 horas de voo supersônico de alta velocidade.

Os 505 jatos T-38 da Força Aérea dos EUA têm, em média, mais de 51 anos de idade e estão em sua terceira vida útil, com cinco T-38Cs pendentes de remoção. Embora a USAF esteja planejando substituir os T-38 por 350 T-X, os upgrades continuarão por algum tempo.

A USAF planeja operar seus treinadores T-38 até pelo menos 2029, e continua a financiar a frota para que ela possa preencher a lacuna.

A USAF está no meio de um contrato de US$ 855 milhões com a Boeing para manter os aviônicos da frota, os painéis do cockpit e os painéis de comunicações e controle, além de atualizar 37 dispositivos de treinamento para a tripulação.

O Pacer Classic III Service Life Extension Program parece durar até 2026, o que provavelmente empurraria pelo menos uma parte da frota até a década de 2030. Combinado com o dinheiro já colocado no SLEP, e pelo tempo que os militares dos EUA desejam manter as plataformas em operação, uma vida operacional na década de 2030 começa a parecer mais realista.

T-38C

A frota da Marinha de 44 aeronaves adversárias F-5 deve aumentar em 21 aeronaves com capacidade de quarta geração. Os 44 originais devem se aposentar em 2025, embora a data de aposentadoria provavelmente seja prorrogada. Com novas capacidades de quarta geração e um inventário adicional, as despesas orçamentárias provavelmente aumentarão.

Tailândia, Indonésia, Bahrein, Taiwan e Botswana anunciaram recentemente planos de modernização de suas aeronaves em breve. A Malásia vai reformar sua frota ou lançar um programa de atualização de US$ 8 a US$ 12 milhões, que incluirá uma estrutura SLEP, novos eletrônicos e novos armamentos.

O Irã está atualizando sua frota de F-5. E embora a Tailândia tenha indicado que espera aposentar sua frota até 2020, os gastos em seu atual programa de atualização indicam o contrário.

A Suíça pretende suspender a aposentadoria completa de sua frota de F-5 e pode continuar a operar parte da frota após 2019. Ainda assim, a frota será reduzida para 26 aeronaves, de 35.

Apesar da idade da frota mundial, está diminuindo de forma relativamente lenta, em parte devido a atualizações que prolongaram a vida da aeronave. A frota mundial continuará a ver uma atividade modesta entre 2019-2028.

F-5E da Marinha dos EUA

FONTE: Forecast International

Subscribe
Notify of
guest
33 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Adriano RA
Adriano RA
1 ano atrás

Eu acredito que a FAB deveria manter ao menos um esquadrão de F-5M até conseguir um segundo lote de Gripens. Os chilenos continuam lá, firmes.

Doug385
Doug385
Reply to  Adriano RA
1 ano atrás

Acredito que ela procederá dessa forma.

Rafael
Rafael
Reply to  Doug385
1 ano atrás

A FAB vai usar o tiguer até 2030 porque o Gripen entrou na navalha no corte do orçamento.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Rafael
1 ano atrás

Rafael, o Gripen é financiado externamente! Só começaremos a pagar após a entrega dos primeiros exemplares, em 2021!

Flanker
Flanker
Reply to  Marcelo Andrade
1 ano atrás

As aeronaves, transferência de tecnologia e anexos, sim. Mas, treinamento de equipes, viagens, diárias, etc….obras de adequação em instalações e tudo o mais que não está incluído no contrato, mas que é necessário para colocar a aeronave em operação, é pago por dora, ou seja, não está incluído no financiamento que começará a ser pago só após a entrega da última célula. Há muitos e diversos gastos que não estão cobertos pelo financiamento.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
Reply to  Flanker
1 ano atrás

Verdade.

Felipe S
Felipe S
Reply to  Rafael
1 ano atrás

Fake. Quanta ignorância. Os 36 Gripen estão garantidos pois foram financiados a longo prazo.

Flanker
Flanker
Reply to  Felipe S
1 ano atrás

Felipe S, não é bem assim….tem muitos outros custos que não são cobertos pelo financiamento.

Glasquis 7
Reply to  Adriano RA
1 ano atrás

Sim mas, “Los Tigres” da FACh vem sendo atualizados constantemente e até trocaram a pele das asas pois o Chile tem programado chegar com eles até 2030.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Adriano RA
1 ano atrás

Os Chilenos são muito “burros” e nós muito “ispertos”. Pelo visto os Chilenos são tão “burros” quanto os americanos.

Segue a vida pelo visto a “caravana passa e os cachorros ladram” por terras brasilis.

teropode
Reply to  Adriano RA
1 ano atrás

Estes F5 são formidáveis, muitas células ainda estão com meia vida pois voam pouco nas FÃs do terceiro mundo , o Brasil poderia adquirir mais algumas para manter

Adriano RA
Adriano RA
1 ano atrás
Adriano RA
Adriano RA
Reply to  Adriano RA
1 ano atrás

Saiu a notícia no PA. Abraços.

Delfim
Delfim
1 ano atrás

Qual o custo da hora de voo do F-5E ? Chega a 5mil dólares ?
Eu não acredito que a hora de voo do F-39 fique em US$5.000,00. 7mil trumpas considero mais realista.

Antunes 1980
Antunes 1980
1 ano atrás

Aqui na minha cidade sempre tem restauração de Chevettes. Parecem zero km.
Dando uma volta neles, parece realmente que estamos em 1981.

Mig35
Mig35
Reply to  Antunes 1980
1 ano atrás

O chevette novo atualizado está chegando.

Paulo Costa
Paulo Costa
1 ano atrás

Ta ai a solução para a nossa FAB, ja que os gripens vao demorar ate 2025 para estarem totalmente entregues e operacionais, a FAB poderia fazer mais uma Modernização (desta vez completa) em pelo menos metade dos nossos melhores F-5M para estender sua vida útil ate 2035 e o restante seja canibalizados.

Ramon Grigio
Ramon Grigio
Reply to  Paulo Costa
1 ano atrás

As células já recebem overhaul (reconstrução – se necessário) a cada 1.200h. Internamente não dá para colocar mais nada nele, não há espaço/volume livre disponível. Só se retirarem mais um canhão e box de munição. O que poderia ser feito, caso se verificasse necessário, seria a troca do radar por uma versão mais atual do mesmo (caso houver). Algo que deveria ter acontecido é a implantação do datalink full, isso é multiplicador de força. E dar a ele I-Derby que tem as mesmas dimensões e peso. Acaba por aí. E com custo/benefício discutível. Vai continuar a ser o mesmo pássaro… Read more »

Felipe S
Felipe S
Reply to  Ramon Grigio
1 ano atrás

Acredito que o I-DERBY (100km) será o futuro missel bvr dos Gripen BR , dificilmente virá o Meteor.

PauloSollo
1 ano atrás

No que pesem suas limitações, o valente e longevo F-5 continua segurando a barra com louvor para países sem condições de adquirir e sustentar a operação de caças mais modernos. Por aqui o já tradicional ridículo de não conseguirem sequer modernizar 1/3 do programado.

Ivanmc
Ivanmc
1 ano atrás

Gripen é você?
Só para descontrair. O primeiro da foto sem o estabilizador horizontal.
https://imgur.com/a/GRxZHRg?desktop=1

Johnny
Johnny
1 ano atrás

Agora que eu tava empolgado com a negociação para aquisição do segundo lote… descobri que talvez nem haja um primeiro lote completo!!

TeoB
TeoB
1 ano atrás

O Gripen poderia ser o novo F-5 caso fosse americano… pois é barato, de baixa manutenção, pode receber atualizações e etc… mas falta o glamur americano para as vendas.
no caso acho que a nossa escolha foi acertada.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
1 ano atrás

Não seria um interessante mercado para a EDS já que ela foi a integradora do F-5M?

Rodrigo Maçolla
Rodrigo Maçolla
1 ano atrás

O F-5 é bom? é, mais a diferença que na Força Aérea e na Marinha americana, não são primeira linha a muito tempo, e nos países que são não se comparam com o Brasil, ou não deveriam ser comparados: Honduras, Irã, Tailândia e Tunísia … Chile e Suíça os tem mais tem outros vetores mais modernos, coisa que o Brasil não tem, então é como o Roberto comentou essa noticia é: “Canto de sereia, melhor tapar os ouvidos”.

Glasquis7
Reply to  Rodrigo Maçolla
1 ano atrás

Isso é verdade, o Tigres Chilenos estão na região austral do Chile, na base aérea de Chabunco A primeira Linha do Chile são os 36 F 16 MLU que já foram modernizados e já vão pra outra modernização com implementação de AESA. Além dessa “primeira Linha” a FACH tem uma “Ponta de lança” que é um grupamento exclusivo de ataque formado por 10 F 16 Block 50 também modernizados e atualizados.
A Suiza tem como primeira Linha os Hornets

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
1 ano atrás

2025… 2029… de vez em quando penso que esses aviões ainda servem para alguma coisa.

Segue o jogo…

sergio
sergio
1 ano atrás

Isto sim é um caso de sucesso…..
Enquanto isto…nos porões de projeto do F-35….

Fabio
Fabio
1 ano atrás

FAB poderia usar os F5 pós aposentadoria para demonstração aérea no lugar dos Super tucanos! Eu acho meio melancólico apresentação da esquadrilha da fumaça , demora de +. Minha opinião .

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
1 ano atrás

F 5 modernizado pela IAI já.

Com radar AESA.

Ricardo
Ricardo
1 ano atrás

Minha pergunta é: Se forem apenas 36 Gripens como a FAB vai fazer? Voar os F-5 até desmontarem? Modernizar o A-1 de novo? Ou ficar com 36 Gripens e 99 A-29? Não vejo a FAB voando dois tipos diferentes de novos caças tipo Gripens e TX ou Gripens e KAI T-50. Juro que estou hipercurioso como vai ser isto, mas também morrendo de medo que a aviação de caça fique restrita daqui a 20 anos a pouco mais do que 30 Gripens.

ANDERSON DA COSTA MUNIZ
ANDERSON DA COSTA MUNIZ
1 ano atrás

Ainda veremos treinamentos entre f5br x GRIPEN!

Fabio Araujo
Fabio Araujo
11 meses atrás

Apesar do tempo de vida é um excelente projeto tanto que ainda vale a pena modernizá-lo, mas uma hora as células já não vão aguentar e esse icônico caça vai sair de vez de uso e aí só vai restar vê-nos museus e em filmagens.