Home Aviação de Ataque Brasil vai modernizar apenas 14 jatos AMX

Brasil vai modernizar apenas 14 jatos AMX

15607
255
A-1M

O Jane’s noticiou que a Força Aérea Brasileira (FAB) terá 14 jatos de ataque  modernizados Alenia-Embraer AMX em vez das 43 unidades disponíveis, como planejado originalmente, disse a organização de compras da Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate, (COPAC).

A Embraer Defesa & Segurança foi encarregada anteriormente de modernizar 33 A-1A monopostos e 10 A-1B bipostos.

O Brasil recebeu originalmente 56 aeronaves (45 A-1A e 11 A-1B). No entanto, os números a serem atualizados foram reduzidos devido a restrições orçamentárias, e a FAB atualmente tem cerca de 20 aeronaves não modernizadas em seu inventário.

O último plano supervisiona a modernização de 11 A-1A e três A-1B. O primeiro A-1M modernizado foi recebido em setembro de 2013.

255
Deixe um comentário

avatar
68 Comment threads
187 Thread replies
8 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
108 Comment authors
José Marco FernandezEduardo lagunaRoberto DiasGustavojose luiz esposito Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Rui Chapéu
Visitante
Rui Chapéu

Isso sim que é dissuasão!

Agora vai!

ednardo curisco
Visitante
ednardo curisco

O lema do país é ‘agora vai’.

Se olharmos todos os grandes planos de governo desde o início da República pelo menos tinha por nome uma dessas frases ‘prafrentex’.

Começa pela nossa bandeira: Ordem e PROGRESSO.

Eliakim
Visitante
Eliakim

Exatamente!

Curioso notar que, depois de 1889, nosso País vem patinando e andando de lado.

Não que na época do Império fosse muito diferente, mas possuíamos uma organização de Estado bem diferente.

A separação das chefias de Estado e Governo é algo salutar para o desenvolvimento de uma nação.

Denis
Visitante
Denis

Bem, sou republicano, amo a república com todas as minhas forças, mas a História mostra que, para as FFAA, o segundo império foi fortuitamente melhor do que qualquer das repúblicas brasileiras. No tempo de D. Pedro II, a Marinha do Brasil era a quarta força naval do mundo.

jose luiz esposito
Visitante
jose luiz esposito

O Império do Brasil tinha futuro, o Golpe da Republiqueta nos tirou o Futuro , são 130 anos , onde nações que nem existiam nos passaram , nações que eram dominadas por outras , também , e uma certa nação que havia saído da idade média em 1854 , desde o inicio do século XX, chegou a Potência , foi derrotado e arrasado em uma guerra, e em menos de vinte anos voltou a ser Potência, a segunda do mundo . Já a Republiqueta de Castas Corporativista do Brasil .passou a ter o melhor padrão de vida do mundo apenas… Read more »

Leonardo
Visitante
Leonardo

Lote 20 Su34 seria melhor !

pangloss
Visitante
pangloss

Sim, muito melhor… para a Rússia, mas não para o Brasil.

Ivanmc
Visitante
Ivanmc

Eu também concordo, Leonardo. 20 Fullback estaríamos bem servidos. Mas, não há intenção para que ocorra a compra de algum caçador de longo alcance.

Vovozao
Visitante
Vovozao

29/04/19 – segunda-feira, bnoite, com a ida do presidente a Israel eles estão pensando em comprar F16 Kfir que eles têm estocados lá, ótimos aviões com uma super aviônica, porém USA só deixa vender para nações “”amigas””.

marcus
Visitante
marcus

Cuma? F16 Kfir ????? Já sei F16 dos KFIR, Os KFIR,Famosa familia de Bilhardários Israelenses que tem como Hobby colecionar F16.
“Captei! Captei vossa mensagem, amado mestre!”.

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Vovozão e Colegas. A FAB irá receber em breve caças novos suficientes para 3 esquadrões. Ano passado, a Croácia negociou a compra de 12 caças F16D de Israel por US$ 500 milhões (em conta de padaria, seria US$ 40 milhões). Pela conta de padaria, cada F39 novo da FAB custará US 100 milhões (incluindo treinamento, desenvolvimento, simulador, etc). Uma aquisição seca talvez reduzisse o preço para US$ 70 ou US$ 60 milhões. No final, uns 12 caças usados custaria para a FAB a mesma coisa que comprar mais 5 ou 6 caças F36 novos. Posso estar enganado, mas acho… Read more »

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Não sonha amigo. Com que dinheiro irão comprar tantos Gripens? Sinceramente em minha modesta opinião, o programa Gripen falecerá do mesmo mal de seu antecessor (AMX). Receberemos 36 unidades na melhor das hipóteses e fim. Depois mais uma vez iremos recorrer a um novo projeto e jogar o pouco que aprendemos no lixo. O Brasil parece um rato de testes. Aquele teste que deixa o camundongo com fome e eletriza o alimento, ai o rato vai até o alimento e toma um choque, só que em certo ponto o camundongo aprende e consegue burlar o sistema. Só que o Brasil… Read more »

Camargoer
Visitante
Camargoer

Ola Fox. Eu sempre tento imaginar um cenário otimista e outro pessimista. Geralmente, acaba ocorrendo alguma coisa intermediária. Os 36 caças F39E/F que foram contratos poderão equipar 3 esquadrões (12 cada). Tentei mostrar para os colegas que a aquisição de caças usados para FAB seria muito caro. Portanto seria mais adequado defender a aquisição de mais caças F39, mesmo que fosse apenas para equipar um quarto esquadrão. Eu imagino que a FAB irá primeiro avaliar o novo caça antes de definir a aquisição de um segundo lote, talvez 24 ou 36 dependendo do seu desempenho.

Helio Eduardo
Visitante
Helio Eduardo

Prezado Camargoer, Concordo com seu ponto de vista, mas tenho que admitir que, infelizmente, e bota infelizmente nisso, os fatos dão razão ao Foxtrot, e isso ocorre com frequência histórica: AMX, Xavante, IKL 209, Fragatas Niterói…. A dura realidade é a mesma que nós dois discutimos no post sobre o segundo SBR: se o programa morrer nos 4 subs ou nos 36 Gripens, é dinheiro jogado fora! Lá na Marinha e aqui, na FAB, minha lógica é a mesma: encomendar outros lotes, mantendo a linha de produção ativa por 20 anos ou mais, de forma a incrementar o ToT e… Read more »

Camargoer
Visitante
Camargoer

Olá Helio. Discordo da necessidade de manter uma produção de SBR. A construção dos Scorpenes faz parte do programa principal que é construção dos submarinos nucleares. Considerando que a vida útil dos IKL está chegando ao fim e que o programa do SNB é de longo prazo, os quatro SBR permitiram construir a base e o estaleiro, treinar o pessoal de chão de fábrica e capacitar algumas empresas brasileiras para fornecer equipamentos para o SNB.

Helio Eduardo
Visitante
Helio Eduardo

Ah, sim! Postei aqui a dúvida que suscitou o post, mas não lhe fiz justiça, postando sua posição: você defende mais SBN! Embora off-topic, registro que eu estou lendo o trabalhos acadêmicos indicados por você! Me perdoe a falha!

Voltando ao tópico, no caso da FAB eu defendo um segundo e um terceiro lotes de F-39.

Humberto
Visitante
Humberto

Concordo que a FAB vai primeiro avaliar o F-39, a pressão da SAAB junto a FAB para um novo lote, deve estar forte mas não deve rolar nada tão cedo. Existe um segundo fator, o programa KC 390, que também vai drenar os recursos da FAB nos próximos anos.
Creio que o FAB só vá para um usado, caso a demanda das forças armadas cresçam substancialmente.

jose luiz esposito
Visitante
jose luiz esposito

Ficam aqui discutindo se vamos compara isto ou aquilo , entendam , vamos gastar o mínimo para mantermos os militares empregados , com seus comandos , e depois mantermos com suas aposentadorias e pensões , nada mais que isso , nem civis e nem militares das Castas brasileiras , se preocupam com a Nação , tudo é apenas Bla Bla Bla , acordem ; mas antes anotem a data de hoje , escrevam aí , aos que viverem mais 30 , 40, 50 anos , lá estarão em sites como este , discutindo se teremos mais uma ou meia dúzia… Read more »

Luiz Trindade
Visitante
Luiz Trindade

Como eu digo… Eu sempre ouvi dizer que o Brasil é o país do futuro. Hoje eu me pergunto: Que futuro? Só se for o futuro de quem bota dinheiro lá fora em outra moeda. Acordemos Camargoer. Desde que eu nasci até agora só vi as pessoas comuns do Brasil sobrevivendo. Se você não nasce com b… para lua, você sobrevive nesse país. E não vai ser esse presidente ou outro qualquer que vai mudar isso. O povo do Brasil é o mesmo que viveu em Roma quando ela se desfez. Quer vinho, circo e pão. O resto o povo… Read more »

jose luiz esposito
Visitante
jose luiz esposito

Viramos o País Sem Futuro , é como aquele cartaz de botequim ,Fiado só Amanhã! Amanhã, lá esta o cartaz adiando para mais um amanhã e assim sucessivamente, Acordem !

Ivanmc
Visitante
Ivanmc

Caro, Camargoer, cada Gripen E da FAB custará 150 milhões de dólares. A empresa sueca e o governo brasileiro assinaram um contrato para o desenvolvimento e a produção de 36 caças Gripen NG, além dos sistemas e equipamentos relacionados, afirma a empresa em um comunicado, que informa o valor do contrato: 39,3 bilhões de coroas suecas (US$ 5,4 bilhões).
O contrato inclui 28 aviões de apenas um assento e oito aeronaves biplace, para treinamento.

Camargoer
Visitante
Camargoer

Olá Ivan. Na cotação de hoje, SEK$ 39 bilhões seriam US$ 113 milhões por aeronave (dividindo o valor total do contrato por 36 aeronaves) ou SEK 1,1 bilhão por aeronave. Eu não conheço os detalhes, mas imagino que ele inclua treinamento, simuladores, etc, o que encarece bastante o custo total. Imagino que o custo por aeronave de um segundo lote seria mais baixo por dispensar todo o custo de logística e apoio necessários para iniciar a operação de uma nova aeronave.

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Custo de implantação é sempre maior que o custo para aquisição posterior. Caso contrário escala de produção não faria qualquer sentido. Isso é normal, e por sinal é algo bem evidente no caso do F-35. Com certeza, uma nova aquisição de aeronaves pela FAB teria um custo bem menor.

Camargoer
Visitante
Camargoer

Olá Leandro. Também acho que é por ai mesmo.

Humberto
Visitante
Humberto

Leandro, custo de implantação é maior, perfeito. Um possível (improvável neste momento) segundo lote, não será mais barato por causa da escala e sim porque os custos necessários para receber o novo vetor, já estará diluído (não será necessário enviar pilotos, técnicos para a Suécia, uma boa parte da bancada de testes/manutenção, simulador já estará montada, parte do valor investido nos requisitos (principalmente a versão biplace) da FAB não serão necessárias etc etc). Sim, a escala diminui o valor do vetor, desde que as encomendas sejam grandes e diluídas em um horizonte relativamente longo, por exemplo, um lote de 70… Read more »

Doug385
Visitante
Doug385

Esquece isso. A FAB não vai rasgar dinheiro com coisa velha e muito menos com coisa russa.

Manoel Jorge Marques Neto
Visitante
Manoel Jorge Marques Neto

Será que algum filho do nosso presidente já foi visitar o deserto do Arizona para trazer alguma sucata de f16???? Só a casca para modernizar a custo de gasolina aqui no Brasil…lá?

Grozelha Vitaminada Milani
Visitante
Grozelha Vitaminada Milani

Vai lá na Disney e conversa com George Lucas e aproveita que a série Star Wars acaba esse ano e vê se não tem alguns X-Wings, Tie-Flight, Cruzadores e Transportes Multipropósitos Espaciais.

Trump já disse que não vende a Estrela da Morte e Lando e Schubaka a Millenium Falcon.

teropode
Visitante

Na marinha ele teria ótima utilidade , o problema eque a FAB que mal tem condições de promover um mínimo de segurança continental quer dar pitaco na segurança marítima.

jose luiz esposito
Visitante
jose luiz esposito

A FAB não tem condições de nada , porém mantém um efetivo de 80 mil homens , quase o dobro Força Aérea italiana , que tem quatro vezes mais aviões de combate que a nossa. tem mais Brigadeiros que aeronaves , mas para o que interessa , nunca há dinheiro !

Antonio Renato Arantes Cançado
Visitante
Antonio Renato Arantes Cançado

Oi?

Tomcat
Visitante
Tomcat

Ah, fala sério…

Doug385
Visitante
Doug385

Quando os porcos voarem.

teropode
Visitante

Para a Marinha seria melhor , o motivo já foi amplamente discutido .

Doug385
Visitante
Doug385

Decisão acertada. Mais vale economizar recursos para um segundo lote de Gripen. Boa parte dos A1 também está irrecuperável.

Tomcat4.0
Visitante
Tomcat4.0

Exatamente o que pensei muchacho. Economiza esse dindin pra usar no segundo, e muito mais lógico, lote de Gripen E .

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

segundo lote que nao vira com certeza … pura ilusão pensar nisso

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Paulo. Os ciclos econômicos são mais curtos do que os programas militares ou científicos. A incerteza sobre como estará a economia daqui 10 anos não permite qualquer previsão. Isso seria um exemplo de chutocracia.

Felipe S
Visitante
Felipe S

Com que propriedade você afirma isso? Pegou uma máquina do tempo e foi pro futuro? Aquele tipo de comentário que nada acrescenta. Infantil. Certeza que teremos mais Gripen, os 36 vão pra Anápolis e os F-5 de Canoas, Manaus, Santa Cruz serão desativados, e precisarão de um substituto.

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

Com que propriedade você afirma isso? Pegou uma máquina do tempo e foi pro futuro?

Ninguem entao também pode afirmar que outros serão comprados como voce diz meninão kkkk

Pau que da em chico da em francisco garoto !!!

Helio Eduardo
Visitante
Helio Eduardo

E de onde vem tanta certeza?

Sandro
Visitante
Sandro

Se realmente a intenção for essa, tudo bem. Mas duvido que se compre algum caça a mais nos próximos 10 anos. No meu modo de ver a FAB deveria dar prioridade a modernização dos bipostos. Estes serviriam tanto para a função de ataque como de treinamento avançado. Modernizar monoposto e jogar dinheiro fora num caça tão limitado.

Antonio Renato Arantes Cançado
Visitante
Antonio Renato Arantes Cançado

Oi? Caça? Desde quando o AMX/A-1 é um caça? E dentro de seu envelope de emprego ele pode ser muita coisa, mas ‘limitado’ não é mesmo…

Sandro
Visitante
Sandro

Antonio a Designação dele e Caça bombardeiro se vc não sabe se informa. Ele não e um caça de interciptação e muito menos de superioridade aérea como são os novos NG, mas é um caça! Quanto as limitações ele e sim bem limitado. Tanto a nivel de potência do motor sem pós cobustor, bem como na aviônica. Concordo que é foi um bom caça bombardeiro para o perido dos anos 80 mesmo sem radar, principalmente para um pais como o nosso, mas hj é extremamente limitado mesmo com as atualizações em curso. Motor spey 807 e bem inferior aos análogos… Read more »

Manoel Jorge Marques Neto
Visitante
Manoel Jorge Marques Neto

Uma pergunta: O Super Tucano é mais caça que um AMX desatualizado?

Adriano RA
Visitante
Adriano RA

Desculpem-me, mas isso não existe. É contingenciamento. O que será economizado fica no tesouro nacional e será devidamente usado para pagamento de juros da dívida e previdência. Seria ótimo se ficasse nas mãos da FA, mas não fica. Não haverá recompensa.

GripenBR
Visitante
GripenBR

Tem juros da dívida! Juros da previdência só aposentado que faz consignado.

Nilton L Junior
Visitante
Nilton L Junior

Juros da divida pública consome 40% do orçamento federal não sobra muito pra fazer investimento.

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Adriano. Talvez você tenha razão, dependendo das decisões que serão tomadas daqui para frente. Caso os recursos (estimei em US$ 300 milhões, mas seria ótimo se algum colega do PA soubesse dos valores corretos) sejam remanejados para o FX2, seria uma reavaliação de prioridades, algo comum. Por outro lado, pode ser mesmo um corte de verbas. Ai já foi.

FABIO MAX MARSCHNER MAYER
Visitante
FABIO MAX MARSCHNER MAYER

Sinceramente, esse suposto segundo lote de Gripen é muito mais uma quimera que um programa militar!

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Fabio. O plano da FAB de substituir os F5M e A!M por F39E/F demandaria algo como 72 caças novos. Contudo, seria importante a FAB conhecer o desempenho do caça antes de contratar um segundo lote.

jose luiz esposito
Visitante
jose luiz esposito

72 aeronaves para um país com nossas dimensões , por mim não teria nenhuma , com 72 aeronaves e nada é quase a mesma coisa , por isso nossos militares sempre dão a entender que os nossos vizinhos , irmãos e amigos , seriam nossos eventuais inimigos, assim conseguem uma Força Militar de Papelão , e o Povo acredita que ela nos protege, e que temos segurança externa , frente a um inimigo mentiroso ,mas um verdadeiro e possível ,não nos é informado , para que então não fiquemos sabendo que as nossas FFAA não têm condições alguma de defesa,… Read more »

Rui Chapéu
Visitante
Rui Chapéu

Se é isso a decisão acertada seria não fazer nada em AMX nenhum.

Deixar 14 ou 0 é a mesma coisa.

Guarda a grana e gasta em Gripen.

Troca os 54 AMX por 1 Gripen que tá no lucro.

douglas
Visitante
douglas

No Gripen o dinheiro economizado seria irrelevante.

Ronaldo
Visitante
Ronaldo

Doug385 Boa Tarde,olha discordo de você porque os jatos AMX A1 ainda tem muita lenha pra queimar ainda só que foram usados de maneira incorreta,mas são aeronaves robustas de ataque ao solo muito eficazes por isso não devemos as desmerece-las, isso seria o mesmo que dizer há é um monte de sucata que no meu humilde modo de pensar que seria sucata algum ferro velho que não presta mais pra nada isso seria sucata,agora se as nossas autoridades cessem o quanto que as nossas defesas aérea estão defasadas deixaria a EMBRAER modernizar todas as 43 aeronaves que o país necessita… Read more »

Doug385
Visitante
Doug385

Não tem muito pra queimar não. Sabe os A1 do Esquadrão Adelphi? Já eram. Corrosão. Tanto é que o esquadrão foi temporariamente desativado e só será reativado em Anápolis com a chegada dos novos Gripen. Se a FAB tiver 30 AMX em condições de vôo é muito. O timing para modernizá-los já passou há uns 15 anos. Agora, beirando 2020 e com a chegada dos Gripen, tentar modernizar a frota toda seria gastar vela boa com defunto ruim. A FAB nunca teve recursos suficientes para operar e equipar de maneira adequada essa aeronave, destinar recursos escassos agora para o A1… Read more »

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

Iludido kkk

Ate parece que qualquer recurso economizado fica com a Defesa

Doug385
Visitante
Doug385

Se o recurso for parte do orçamento da força, a resposta é sim.

PauloSollo
Visitante

Amigo, não se trata de economia e sim de corte de verbas. Não ajuda em nada o programa do Gripen. E se esta perrenga se prolongar, não haverá segundo lote de F-39 também.

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Doug. Também acho que agora é hora de focar no F39. Acho que a FAB deixará de investir no A1M cerca de US$ 300 milhões, ou algo em torno de 8% do programa F39. Considerando o desempenho das duas aeronaves, a prioridade seria manter os pagamentos do primeiro lote de F39. Daqui uns 5 anos, talvez a FAB possa aprofundar os estudos de um segundo lote. Agora é focar no que está dando certo.

Satyricon
Visitante
Satyricon

14?

Daqui à pouco faz igual à MB e reduz pra 6.

Isso me parece o canto do cisne pra esse ai

Grozelha Vitaminada Milani
Visitante
Grozelha Vitaminada Milani

Faltei na aula, mas gostaria de entender essa MATEMÁGICA. Tínhamos 56 … e hoje temos? De A e B? Pelo que eu entendi, a Embraer iria modernizar 43? Correto? E agora vai modernizar 14, correto? Se for isso, sobraram 29 sem modernização, 29 dos modelos iniciais. E a matéria fala que …”FAB atualmente tem cerca de 20 aeronaves não modernizadas em seu inventário.” Cade então as outras 9 células para somar as 43? E as outras células de 56 iniciais para 43? 9+13= 22 aviões que foram perdidos, acidentados ou sem condições de voo? É isso mesmo. 14 revisados +… Read more »

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

esqueceu dos 03 AMX modernizados nessa salada da FAB, alias nem eles devem saber

Grozelha Vitaminada Milani
Visitante
Grozelha Vitaminada Milani

Mas um dos modernizados já chamuscou a parte traseira …

Ronaldo
Visitante
Ronaldo

Boa Tarde Paulo Costa,só te corrigindo agora são somente dois AMX-A1M modernizados que o outro caiu em lugar descampado,só pra te lembrar!

Flanker
Visitante
Flanker

Essa sua info está errada. Escrevi um post bem longo explicando os números e quantidades….tomara que a moderação libere.
A celula que caiu esses dias foi o 5660, um biposto que ainda não havia sido modernizado.

Ronaldo
Visitante
Ronaldo

Bom Dia Flanker, obrigado por me lembrar,mas minha conta está correta,tu tá certo em dizer que o que caiu não era modernizado ,mas o que teve um princípio de incêndio na base em Goiânia era modernizado !
Porém só 2 AMX-A1M

Ednardo Sombra
Visitante
Ednardo Sombra

Algumas unidades, não lembro quantas, foram perdidas por estocagem incorreta e se deterioraram. Dizem que foi culpa dos desumidificadores Israelense comprados.

Grozelha Vitaminada Milani
Visitante
Grozelha Vitaminada Milani

Perdeu-se então 22 células? Entre quedas e falta de manutenção e estocagem? Sério isso?

E querem um segundo lote de Gripen?

Depois eu comparo com a compra dos A-4, que foram comprados 23 para ter 6 … Do lote inicial de 36 F-39, qtas unidades serão deixadas para canibalização???

Não adianta dar deslike nem ficar prostiputinho … Brazil PuTencia!

Felipe S
Visitante
Felipe S

Mais um comentário infantil. 36 caças novos de fábrica e o cara pergunta quantos vão ficar para canibalizar? Pior, sempre os mesmos.

Nilton L Junior
Visitante
Nilton L Junior

Provável viuva dos perdedores.

Grozelha Vitaminada Milani
Visitante
Grozelha Vitaminada Milani

Felipe e Nilton, a verdade doí ou vcs tem preguiça de se informar?
Então adultos do saber respondam qtas unidades foram compradas, qtas tem condições de voo e qtas viraram doadoras de peças de:
P-3?
C130?
A-4?
F-5?
AMX?
Bandeirantes?
Bandeirulhas?
SC-105?
Fragatas Type 22?
Fragatas Niterói?
Corvetas?
Navios Varredores e Minagem?
Lynx?
Leopardos?
M113?
Urutus?
Cascavéis?

Respondam ai essa pequena lista gênios da razão

Felipe S
Visitante
Felipe S

Todos equipamentos que você cita são velhos meu caro. Não tem comparação com um caça que vai vir novo de fabrica! E dos F-5 da FAB só os 8 monopostos jordanianos viraram fonte de peças, outros 49 estão no serviço ativo com disponibilidade de 50% . O mesmo vale para os 220 Leopard 1A5 do EB, dentre outros. Houve canibalizaçào de AMX, A-4, Leopard 1A1,dentre outros, mas não tudo. No caso do M113 foi contratado revitalização de todas 583 unidades, onde está a canibalizaçào deles?

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

A disponibilidade dos F-5 é superior a 50%.

Elton
Visitante
Elton

Viraram spare parts para manter parte da frota e o que sobrou virou latinha de refrigerante.

Ronaldo
Visitante
Ronaldo

Groselha Vitaminada Milani,eu também gostaria de saber porque eu gostaria muito que todos os AMX-A1 fossem todos modernizados dai teríamos uma frota atualizada com um poderio de fogo incrível,as aeronaves poderiam lançar outros tipo de mísseis,bombas teriam um radar novo também iria ser um grande benfeitorias e quem sairia ganhando com isso tudo seria o nosso País!

Flanker
Visitante
Flanker

Então, vamos lá! Toda vez que se fala em números de A-1 na FAB eu escrevo algo parecido, mas não me importo em repetir: A FAB adquiriu 56 A-1A/B – 45 mono e 11 bipostos – em três lotes distintos, sendo o 3°, e último, composto por 22 células (15 mono – 5530 ao 5544 – e 7 bipostos – 5654 ao 5660)….sendo que todos esses foram destinados ao Centauro e ao Poker. As 34 células do 1° e 2° lotes foram destinadas ao Adelphi. Entretanto, essas 34 nunca operaram ao mesmo tempo no Adelphi, sendo que 10 delas foram… Read more »

Vitor
Visitante
Vitor

Muito bom Flanker! Obrigado por esclarecer e faz todo o sentido!

Em 1998 quando criança lembro de ter visitado a base de SC e ter visto já os aviões estocados. A FAB sofreu uma grande redução no orçamento na Epoca e nao conseguia voar com toda a frota, portanto a decisão foi a de estocar células.

Você possui esta mesma conta dos aviões da AMI ?

Flanker
Visitante
Flanker

De nada! A gente colabora com o que sabe….falando nisso, não tenho as infos relativas aos AMX italianos, infelizmente. Mas, aqui no PA saiu uma matéria, uns 3 anos atrás, em que há bastante informação sobre as aeronaves italianas.

RENAN
Visitante
RENAN

Qual militar foi prezo e fuzilado por não verificar mensalmente a condição das 10 células estocadas, pois isso foi um crime contra a nação quase 20% perdido por falta de inspeção periódica.

Muito obrigado pelo seu resumo e seu conhecimento.

Elton
Visitante
Elton

Voçê realmente acredita que essas aeronaves estragaram por estocagem incorreta?acho mas provável que se decidiu em algum momento canibalizar as aeronaves mais antigas para fazer a tal “prateleira ” a manter as mais novas voando.

Flanker
Visitante
Flanker

De nada, Renan…aqui, somos todos aprendizes…

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

Me parece bem correta e elucidativa essa sua contagem, mas com certeza so 14 é muito pouco para um ótimo jato de ataque que ainda pode ter 15 anos pela frente

Flanker
Visitante
Flanker

Paulo, pode ser que sim…pode ser que não. O problema é que, talvez, a redução de células modernizada se deva, em parte, à escassez de peças….principalmente o motor….

Bueno
Visitante
Bueno

Legal! Pelas suas contas, Sobrarão 23 sem modernização. É provável que uma parte destas serão fonte de peça para reposição.
Se compararmos a idade das células de AMX com as do F5, estão jovens ainda!
6 Anos para entregar 8 células modernizadas e 3 protótipos, Grana curta e Tempo longo de entregas.
Se comprarem um segundo lote de F39 neste meio tempo , esta ótimo!

Esta informação tão refinada do estoque e situação da frota de AMX não é uma questão de segurança ?

Abraço.

Flanker
Visitante
Flanker

Se é questão de segurança, eu não sei, mas são infos que se pesca aqui, ali e, uma conversa aqui, outra ali, com boa observação, se obtém dados bem fidedignos…

RENAN
Visitante
RENAN

Comentários retido

Grozelha Vitaminada Milani
Visitante
Grozelha Vitaminada Milani

Flanker obrigado. Resumindo: de 56 unidades iniciais temos hoje 40. Dessas 40, 14 serão ou estão modernizadas e 26 não serão. Não sou TÃO otimista e minha bola de cristal não previu ainda um segundo lote de F-39 Gripen E/F ainda. E nem se os 36 que virão vão cumprir tudo que a FAB espera e nem a lacuna dos F-5 e AMX. Pois os protótipos ainda estão em teste na Suécia e não nas mãos da FAB e/ou Embraer. Tudo ainda é uma promessa cheia de expectativas. Ao meu ver, no meu ponto de vista (e de alguns), os… Read more »

Joker
Visitante
Joker

Tem as células do GEIV na conta também.

Flanker
Visitante
Flanker

Não é do GEIV. O GEIV é o esquadrão responsável pela calibração de instrumentos de pouso e auxílio à navegação. Usa os I-50 e I-93. Você deve estar se referindo ao IPEV, que sim, operou um A-1B, orgânico da instituição, por bastante tempo e alguns A-1A emprestados por pouco tempo, para testes de armas e equipamentos. Hoje, o IPEV não opera nenhuma célula de A-1.

Elton
Visitante
Elton

Sem spare parts para o motor que dizem aqui que é “atual” e aeronave morta NO FLY .

GripenBR
Visitante
GripenBR

Difícil essa conta ai! Hahaha

EdcarlosPrudente
Visitante
EdcarlosPrudente

Olha, eu esperava uma quantidade para dois esquadrões, ou seja, umas 28 unidades modernizadas. Pelo visto será apenas um esquadrão pra segurar as pontas até um possível segundo lote do Gripen.

Saudações!

Grozelha Vitaminada Milani
Visitante
Grozelha Vitaminada Milani

E o contrato de suporte da Leonardo vai abranger qtas células de quais modelos?

Sérgio Luís
Visitante
Sérgio Luís

Tá certíssimo!

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

O programa previu a modernização meia-boca de 43 aeronaves que nem isso a FAB conseguiu fazer e so 03 foram modernizadas e entregues e posso estar enganado mas incluía :

A Substituição do radar pelo SCP-01,
Um Novo sistema de geração de oxigênio (OBOGS).
Atualização dos equipamentos de comunicação e navegação
03 Novos MFDs
Iluminação compatível com o uso de óculos de visão noturna.
Visor montado no capacete.
Novo RWR.
Lançadores automáticos de chaff/flare.

E ja que 03 AMX modernizados ja haviam sido entregues, a postagem da a entender que a FAB vai modernizar so mais 11 aeronaves.

muito confuso esses números

Flanker
Visitante
Flanker

Já foram entregues 5 modernizados. E tem mais 3 protótipos na Embraer, que tb já foram modernizados .

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

Obrigado pela informação correta

douglas
Visitante
douglas

Com o histórico da FAB ,Vocês ainda tem a ilusão de que já será assinado um segundo lote assim que chegar os primeiros Gripens?

Antonio Renato Arantes Cançado
Visitante
Antonio Renato Arantes Cançado

Vergonha…

Thulio manhaes
Visitante
Thulio manhaes

É impressionante o descaso com o dinheiro público!!!…gostaria de saber que fim terão as demais células!

EdcarlosPrudente
Visitante
EdcarlosPrudente

As aeronaves não modernizadas certamente seguirão para canibalização para peças ou espetados como monumentos em praças ou bases aéreas.

Saudações!

Ramon Grigio
Visitante
Ramon Grigio

Edcarlos, na verdade, primeiro para canibalização, depois para fins de monumentos. As células espetadas por aí a fora são “ocas” em sua maioria, com tudo o que é aproveitável sendo retirado. Parece que essa aeronave já está sofrendo na FAB de falta de spare parts. Nunca houve dinheiro sobrando para operar todas e contratar os pacotes de manutenção adequados. Possivelmente não havia um estoque generoso de peças nos galpões da FAB e agora que a maioria das peças não são mais fabricadas a única saída restante é ir canibalizando…

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Serão estocadas no PAMAGL, Galeão, que é a OM responsável pela manutenção aqui no RJ. Serão desmontadas para manter a frota modernizada, inclusive os motores. Fonte: COPAC

Peter nine nine
Visitante
Peter nine nine

Hum? Mas isto já se sabia não?

Peter nine nine
Visitante
Peter nine nine

Os caças de ataque AMX são, como plataforma em si, aeronaves bem interessantes, a sua modernização é sem dúvida viável e positiva.
Esta notícia até é boa, até onde se sabia, tirando os 3 já modernizados (um caiu?) todos ficariam sem esta elevação.
Sendo assim, é boa notícia.

Tenho uma questão, tenho reparado que as bases aéreas no Brasil são muito a “céu aberto”… Vejo muita aeronave guardada ao relento, cobertas apenas do sol e chuva mas expostas aos restantes elementos, é mesmo assim?
Por norma, não seria suposto haver hangares fechados e isolados…. Do tipo das que existem aqui na Europa?

Flanker
Visitante
Flanker

Existem hangares tradicionais, sim. Os hangaretes, pequenos, um por aeronave, servem para proteger as aeronaves que estão na linha de voo. Sua sigla, inclusive, é HLV, ou Hangar de Linha de Voo.

Peter nine nine
Visitante
Peter nine nine

Portanto não é ali que elas ficam guardadas muito menos “estocadas”… Assim faz mais sentido, perguntei porque vi gente a comentar que alguns AMX foram abatidos por corrosão estrutural, resultado de terem sido mal aprovisionadas, algo que seria facilmente explicado se o procedimento fosse colocar os aviões nos HLV’s sem que se previsse que os mesmos fossem voar/operar. Sou mais da teoria que as que foram abatidas ao serviço assim foram porque operacionalmente era o mais viável para manter a restante frota operacional, não é incomum e todas as forças aéreas o fazem, aqui em Portugal havia 50 Alpha Jets,… Read more »

GripenBR
Visitante
GripenBR

Eu não sei se a notícia é boa ou ruim, mas Se chegar aos 14 AMX já me surpreende!

FernandoEMB
Visitante
FernandoEMB

A FAB chegou a ter 45 A-1A (5500 a 5544) e 11 A-1B (5650 a 5660).

Destes a FAB perdeu 7 aeronaves (considerando um já modernizado, que sofreu incêndio no solo).

4 A-1M foram entregues (5506, 5520, 5525 o que pegou fogo e 5652);
9 encontram-se em processo de modernização.

Os demais 37 encontram-se operacionais ou estocados (alguns parcialmente canibalizados).

Provavelmente parte destes 37 já deu baixa do inventário, já que não iriam ser modernizados e não se encontravam em condição de operação (e não vai se gastar para por de volta em operação).

Camargoer
Visitante
Camargoer

Olá Fernando. Você saberia qual foi o valor contratado para modernizar cada célula de AMX?

BILL27
Visitante
BILL27

Nem vou dormir esta noite com esta noticia

Rafael M. F.
Visitante
Rafael M. F.

Nada de novo sob o sol…

ANDERSON AnderDias
Visitante
ANDERSON AnderDias

Isso mesmo economizar para pagar as pensões, um dia irei ver um Brasil que cada trabalhador paga sua própria aposentadoria e não a maioria sustenta uma minoria folgada.

Adriano Luchiari
Visitante
Adriano Luchiari

Sucessão de erros…começou na década de 80, com a associação com os italianos para fabricar o AMX. Cada um custou à FAB o dobro de um F-16 à época. Daria para ter comprado mais de 100 desses! Ah, dirão, mas teve transferência de tecnologia para a Embraer, etc. Mesmo erro agora com os Gripen. Tivesse a FAB optado por comprar as versões C/D, daria para comprar provavelmente o dobro de unidades e já estaríamos com um lote em operação. Essa conversinha de ToT para justificar os preços exorbitantes de meia dúzia de submarinos, 3 dúzias de aviões e meia centena… Read more »

Gabriel Ferraz
Visitante
Gabriel Ferraz

Pois é amigo ,acho interessante é que se é comprada uma tal de transferência de tecnologia por uma fortuna e no final das contas não é utilizada pra nada! Acho interessante é que nesse país se compra coverta a preço de fragata ,caça subsonico a preço de supersônico por uma tal de transferência de tecnologia totalmente ridícula ,tá aí, comprada essa maravilhosa tecnologia pra os amx pra no final não ser feitos novos caças e quando se tem uma esperança de modernização vão ser apenas 14 células de mais de 50 células além da compra dessa transferência de tecnologia, parabéns… Read more »

Fligth_Falcon
Visitante
Fligth_Falcon

Adriano,
Por outro lado capacitou a EMBRAER com expertise para fabricar a família de jatos regionais que é sucesso em todo mundo.
Perde aqui, ganha ali e assim vamos.
Poderia ser melhor, mas as decisões no momento é em meio a situação que temos para analisar. Lembre-se que naquela época não tínhamos a opção de comprar F-16 ou acesso a aeronaves melhores.
Isso dentre outras coisas levou a essa opção.

Adriano Luchiari
Visitante
Adriano Luchiari

Se a FAB optasse por não desenvolver o AMX poderia ter adquirido ao menos mais e novos Mirage e/ou F-5, modelos que já operava, caso os EUA não autorizassem a venda de F-16. Quanto ao acesso a novas tecnologias, existe um meio mais barato que se chama engenharia reversa, como fazem os chineses. Já aqui, por exemplo, quando a Marinha decidiu no passado fabricar os submarinos da classe Tupi, recorreu à TKMS para obter a tecnologia necessária, que gerou inclusive um modelo modificado (o Tikuna) projetado localmente. E o que aconteceu com essa tecnologia? Ficou restrita a cinco unidades e… Read more »

jose luiz esposito
Visitante
jose luiz esposito

Piorou ainda mais a tua correção , fazer engenharia reversa , no mundo atual , somente brincando , sofreríamos sanções , e outras pressões, boicotes , etc. acorde , deixe de simplismo.

Pampapoker
Visitante
Pampapoker

Como cada um tem a sua opinião, vamos a minha a partir do seu texto.. 1) muintos falam que custou o dobro do f16, concordo com vc. 2)o primeiro avião pressurizado da Embraer se não me engano foi o xingu, digamos que já dominavam isso, com o AMX houve o desenvolvimento de componentes aos quais não tínhamos conhecimento, em termo de sistemas, TEMOS QUE DESENVOLVER para aprender a fazer. A EDE desenvolveu o trem de pouso.A Embraer forneceria tanto para as aeronaves brasileiras quanto para as italianas, os conjuntos dos trens de pouso principais, válvulas e atuadores de acionamento, conjuntos… Read more »

Edson Parro
Visitante
Edson Parro

Pampapoker
Meu, e o lance de fabricar estruturas com capacidade de vôo supersônico, além do WAD, não está na conta dos Gripen também?

Pampapoker
Visitante
Pampapoker

Claro amigo, a Akaer está na jogada também, escrevi o que tinha na minha cabeça na hora, por isso pedi ajuda aos colegas para colocar mais dados.

Fernando Turatti
Visitante
Fernando Turatti

É um erro comum esquecer o contexto histórico das coisas, mas lembre-se: ele foi concebido durante a guerra fria para ser um ~tornado de bolso. Pra sair mais barato e para ser exportado.
A guerra fria acabou, as aquisições militares no mundo se reduziram, o mercado de usados foi abarrotado. Deu errado.

jose luiz esposito
Visitante
jose luiz esposito

Meu amigo , até quando acertamos , aparece alguém como tu , para criticar , este tal SE que colocas , é como Se não tivesse Poste Cachorro não fazia XIXI , quero dizer Tecnologias pra ti não importa , como no caso Gripen , com 6 Bilhões compararíamos um 500 F16 do deserto , vamos pensar , experimente não dói !

João Bosco
Visitante
João Bosco

Vocês acreditam piamente que a grana economizada com a não modernização dos AMX será utilizada para um novo lote de Gripen NG? Será que alguém pode me explicar como uma Força Aérea que entrou em combate na segunda guerra mundial deixa uma aeronave de bombardeio tão importante deteriorar sem uma modernização decente ?
Os italianos utilizam ma mesma aeronave que a nossa, em cenários como a Bósnia e o Afeganistão, alguns modernizados outros não, e por quê deixaram a nossa se deteriorar?
Há muita coisa estranha nisso….

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

Porque nao é dinheiro deles e sim do povo que os comprou …
Porque nao serão responsabilizados por isso …

Mas voce tem razão, o AMX é um ótimo avião de ataque

Ricardo
Visitante
Ricardo

Quem achou que era só mudar de esquerda para direita devia é ficar mais ligados com a situação econômica do país, não importa o montante que se arrecada se não há planejamento estratégico.
Nossos políticos não tem agenda ou planejamento para o país, os planos são pessoais e de poder.
Não importa a ideologia política se houver senso de moralidade, união ou nação.
Enquanto o cada um por si prevalecer vai ser isso aí, pouco investimento em todas áreas, muitos impostos e sofrimento para todos.

André Castro
Visitante
André Castro

So uma dúvida, na modernização está sendo usado o radar SCP-01, fabricado pela Mectron, mas essa última que Deus a tenha, virou pó, quem vai fornecer o radar?

Flanker
Visitante
Flanker

Pelo que já li, em mais de um local, os radares já foram fabricados e entregues à FAB. Mais unidades do que as necessárias para equipar as 14 células previstas.

LucianoSR71
Visitante
LucianoSR71

O AMX ainda é uma aeronave bem interessante no teatro da América do Sul, modernizado, melhor ainda, mas sua modernização não elimina seu Calcanhar de Aquiles: o motor RR Spey. Até quando teremos condições de mantê-lo c/ segurança de operação e custos não absurdos? Esse é o X da questão.

Flanker
Visitante
Flanker

Exatamente! O gargalo é o Spey Mk 907. Muitos falam que existem milhares de Spey fabricados. Sim, existem. Mas, da versão 907 não são tantos assim, não. A saída para a FAB manter o A-1 voando é comprar todos os motores que conseguir, dos AMX italianos, assim que eles forem desativados, a partir de 2021. Com a modernização e um CLS com a AEL para os itens modernizados e com o contrato de suporte já assinado com a Leonardo para manter o restante dos itens, o motor pode ser solucionado c9m a compra de vários deles da AMI.

Edson Parro
Visitante
Edson Parro

Flanker
Parece que existe um tipo similar e, talvez, até adequado para substituir os Spey Mk 907 e que ainda estão em produção. Você sabe se é isso mesmo?

Flanker
Visitante
Flanker

Edson, não tenho conhecimento, mas em qualquer projeto militar, a remotorização é algo bastante complexo e, via de regra, bastante caro. Portanto, se analisarmos a situação específica dos nossos A-1, as quantidades a serem modernizadas, etc..tudo leva a crer que, remotorização do A-1 é algo totalmente descartado.

LucianoSR71
Visitante
LucianoSR71

Em aviação qualquer modificação exige certificação, imagine mudar simplesmente o coração de uma aeronave ( motor ), que exigiria mudanças desde fixação, instrumentação, dutos, etc. sem falar de que haveria uma alteração no CG ( centro de gravidade ), pois seria quase impossível ter um altíssimo grau de similaridade entre motores de gerações diferentes.
Há tantos outros aspectos que muitas vezes não são lembrados como elaboração de nova documentação p/ operação e manutenção, por exemplo.
Não há como justificar nesse caso tal modificação, não é impossível, mas é inviável.

Fabio
Visitante
Fabio

FAB torrou quantos bilhões pra ter 50 aviões ? O AMX saio + caro que Americano F35. Não esperem segundo lote de Gripem Ng ,não tem $$ pra modernizar nem 30 A1.

Felipe S
Visitante
Felipe S

O segundo lote virá a partir de 2025 e muitos aqui pagarão com a língua. Se já temos 36 para receber entre 2021-2024 pra que todo esse desespero? Já estão negociando o segundo lote pensando em assinar a compra em 2022, até lá estaremos bem melhor economicamente, então é possível.

Filipe Prestes
Visitante
Filipe Prestes

Penso o mesmo, xará. A falta de fé deles é perturbadora.

Fernando Turatti
Visitante
Fernando Turatti

podemos ter o TRIPLO do PIB até 2022 que não muda nada. Nós temos uma gigantesca dívida que só não está crescendo ainda mais em juros graças a nossa legislação, em específico a PEC do teto de gastos. Ela limita o gasto total do governo a aumentos apenas compensatórios da inflação.
Resumo: não terá UM CENTAVO real a mais pra defesa. Nada muda.

Felipe S
Visitante
Felipe S

Fake… O teto dos gastos é para não gastar mais do que se tem, algo tão óbvio… Com um crescimento de 3% do PIB a 4%, ao ano, pelos próximos 10 anos, que é o previsto com a reforma da previdência, todos programas militares voltarão a andar. A quantidade de investimentos que vamos receber será grande, o desemprego vai cair. Tudo isso porque o país voltará a passar confiança . Ignorar os fatos só demonstra um total desconhecimento com a economia, tema que reflete em todos demais aliás. Por isso afirmo sem medo de errar que a FAB vai ter… Read more »

Fernando Turatti
Visitante
Fernando Turatti

Não, não é esse o objetivo é nem o texto do teto de gastos. Foi um projeto concebido na esteira do déficit crescente, naquela altura sem contar juros já tínhamos 170 BILHÕES gastos além da arrecadação. A ideia, ao meu ver, genial, foi de não cortar os gastos, ao mesmo tempo em que se sinaliza para os investidores que não quebraremos: iríamos congelar, de acordo com a inflação, o gasto do ano de 2016. O teto de aplicação da emenda constitucional foi de 20 anos, mas 10 anos são o tempo após o qual ela pode ser revista. Sendo assim,… Read more »

Marcello Magnelli
Visitante
Marcello Magnelli

Correto. Assim qualquer aumento real na receita (acima da inflação) só serve para reduzir o deficit visto que os gastos estão “congelados”.

Fernando Turatti
Visitante
Fernando Turatti

exatamente. Nós, se todas as reformas previstas derem certo, terminaremos 2030 com um país com dívida decrescente. É “só” passar a previdência e não rasgar a emenda do teto.
Aliás, veremos, se os deuses quiserem, nosso gasto militar despencar percentualmente ao PIB nesses anos, isso porque, se tudo der certo, com gasto congelado e PIB crescente, o percentual irá cair.

jose luiz esposito
Visitante
jose luiz esposito

Vamos lá Divida , conseguindo depender menos de Bancos , os Juros despencam , e a tal Divida fica facílima de rolar , mas com endividamento crescente , pelos altos custos da maquina estatal , mantendo nossas castas como Nababos e suas Previdência , cada ano vamos piorar até explodirmos ,então cortarão as aposentadorias do povo pela metade , mas das castas nunca !

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Cara, de onde você tirou isso???

Marcos Merlin
Visitante
Marcos Merlin

“O AMX saio + caro que Americano F35.”

Já lí de tudo por aqui Fabio. Mas essa aí foi mais pesada que (quase) todos os comentários do Kings juntos.

Fernando Turatti
Visitante
Fernando Turatti

Sempre tem que se repetir: não temos forças armadas, temos um departamento previdenciário que COM O QUE SOBRA compra armas.
Lastimável.

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Sei que perdemos o bonde da história, mas não posso deixar de comentar. Recentemente foi noticiado que o Japão irá desenvolver a evolução de seu jato J2e com os códigos fontes do F-35. Nos deveríamos ter feito isso há anos, sendo a cronologia correta a seguinte. Xavantes, A1 evolução do Xavante e hoje uma versão moderna do A1 tudo feito localmente. O Japão como exemplo, precisou ir visitar apenas uma vez as indústrias de micro condutores no vale do silício nos estados unidos, e após isso dominaram o mercado, passando até mesmo o mestre. O Brasil vive comprando projetos de… Read more »

sub urbano
Visitante
sub urbano

Não vale a pena. São obsoletos e seriam predados pelos poderosos Flankers venezuelanos em um eventual conflito rs.

Meireles
Visitante
Meireles

Acho que essa modernização só irá acontecer porque vai levar alguns anos pros Gripens estarem totalmente operacionais, mas se levarmos em consideração que o Brasil fazia a sua defesa aérea com apenas 12 caças Mirage supersônicos, daqui alguns anos vamos ter 36, é uma quantidade insuficiente pro tamanho do Brasil, tudo no Brasil parece piada, é melhor rir do que ficar falando, todos esses gastos com muito pessoal e poucos equipamentos de qualidade faz sentido? Não, então continuaremos uma piada!

Pampapoker
Visitante
Pampapoker

Não vamos esquecer dos f5 alguns anos depois, para o padrão da época… No cenário latino americano.

Cavalo-do-Cão
Visitante
Cavalo-do-Cão

“Viva o Brasil
Onde o ano inteiro
É primeiro de abril”

Millôr Fernandes

Arariboia
Visitante
Arariboia

Quem dera a FAB com 20 SU-34* ou F-15E. Quando algo assim aparecer no inventário da FAB o país estará em outro patamar.
Os dois melhores atacantes do mundo.
* Os russos vão apresentar esse ano a nova versão do SU-34.

rdx
Visitante
rdx

O único benefício do programa AMX foi a transferência de tecnologia para a Embraer. A aeronave já nasceu conceitualmente obsoleta (na era do caça multirole) e de valor militar duvidoso. Não é nenhuma surpresa que tenha sido um fracasso comercial. Basta dizer que A-1M promete fazer o que a versão italiana ou qualquer caça de 4ª geração já faz há mais de 20 anos (a nossa versão nunca teve radar e capacidade de lançar mísseis). Enfim, o custo x benefício foi o pior possível. Analisando militarmente, a FAB teria ganho muito mais fazendo uma simples compra de prateleira na década… Read more »

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Cara, leia aqui no blog toda a história do AMX, achio que você nem nascido era. Antes de comentar bobagem. Leia, por favor!

rdx
Visitante
rdx

Senhor presunçoso e mal educado, acompanho o desenvolvimento do AMX desde a década de 80. Não estou aqui para agradar o seu grupo para não dizer outra coisa. Quem defende esse troço ou é ignorante ou tem interesses financeiros.

RENAN
Visitante
RENAN

Um diálogo em algum lugar do Brasil. Justiça seja feita! Vamos moderniza 43 aeronaves ou iremos promover mais oficial? Realmente senhor está errado precisamos de mais oficial no solo e este dinheiro será bem usado para pagar seus vencimentos. Para que termos grandes quantidades de aeronave para ter que gastar com manutenção, treinamento, armazenamento, armamento, logística? Vixi muito trabalho, vamos pegar os 300 milhões de dólares e dar uma festa pomposa e promoções, podemos dizer ao presidente que será nosso convidado de honra, pelos excelentes aumentos que nosso fiel ministro da defesa( sindicalista) está lutando pelos nossos interesses. Será uma… Read more »

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Adivinha de onde saiu os 120 milhões de dólares para o WAD (Lembrando do que eu coloquei lá na outra notícia)?! Ou ainda, dos 245 milhões de dólares para adquirir Bombas Spice 2000 e mísseis IRIS-T, em 2014, para um avião que em 2019 sequer está montado?! De onde vocês acham que saiu este dinheiro?! Vai no bojo o cancelamento do MAR-1, afinal o caça que iria operá-lo era, justamente, o A-1M. Ora gente, nada é mais estratégica para uma força aérea, do que um hiper-mega-super-painel MFD de grande aérea, isto sim tornará a FAB numa força aérea respeitável. Não… Read more »

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Wellington, o que tem a ver uma coisa com a outra? Comentário sem o menor sentido de quem “entende” muito!!!!

Bardini
Visitante
Bardini

Só tens birra pq a FAB não selecionou Rafale. É o caso da viúva apaixonada que perdeu o marido na lua de mel. Ponto final.

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Putz Bardini só fala besteiras.
Vai pesquisar no Wikipedia criança kkkk.

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Ah claro, é isto, não sabia não?! Não, espera, aonde foi que citei Rafale ou, sequer, o Gripen?! Ah tá, quando não consegue argumentação, aí vem com esse mimimi.

Ahhhhh, com essa bagunça na Venezuela, caso tenhamos que fazer alguma coisa, pergunta lá na FAB o que eles irão fazer. Aliás, pergunta se eles podem fazer alguma coisa do que ficar só olhando?!

A resposta deverá ser: “Vamos pedir para o Maduro aguentar até 2023. Até lá nossos novos aviões, equipado com o melhor painel MFD de todos os tempos, resolverão as coisas. Vamos impor respeito!!!”

Segue a vida no aeroclube…..

rdx
Visitante
rdx

Pois é.

Flanker
Visitante
Flanker

Pergunta também pra MB e para o EB o que eles podem fazer…..continuas com tua cantilena infantil de playboy mimado….a única Força que teve coragem para mexer em sua estrutura gigantesca foi a FAB…resolveu tudo? Claro que não! A FAB tem problemas? Muitos….inclusive de má gestâo, ainda…..mas, MB e EB ainda devem dar sua contribuição…..ah, esqueci ….a MB está desenvolvendo um super hiper mega míssil antinavio…com desempenho igual ao Exocet…..que já existia há 40 anos atrás…..você fala com a empafia de quem pressupõe entender de tudo, mas sua arrogância não permite ver que não sabes nada…

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Como se vê, mentalidade medíocre!!! Rsrsrsrs
Não consegue sequer entender o que seja capacidade estratégica.

Ah, avisa lá na FAB para corrigirem o presidente, afinal a FAB está em plenas condições de furar as DAAe da Venezuela e assim estabelecer superioridade aérea com os poderosos F-5M. Ah não, espera. Kkkkkk

Flanker
Visitante
Flanker

E tu não tens a mínima capacidade de interpretação de texto!! Onde eu falei que a FAB está bem? Onde falei que F-5 é páreo para uma guerra moderna? Onde? É obvio, qualquer analfabeto compreende a importância de uma indústria nacional de defesa forte…..mas, com qual dinheiro para manter escala? O A-1 é um exemplo….olha o parto para manter essa aeronave….por conta de: pequena escala!! Mas, você já deu demonstrações de que, se for dinheiro público, a justificativa “estratégica” é suficiente para se pagar o dobro ou mais… Enfim, poderia escrever muito aqui. …mas, não estou com saco e muito… Read more »

jose luiz esposito
Visitante
jose luiz esposito

Piada , dificilmente passaríamos pelas defesas do S300 , além como sempre e por informação errada proposital de nossos militares , fazendo crer que os nossos vizinhos seriam nossos inimigos , além de estar enganado a Venezuela nunca seria nossa inimiga.

jose luiz esposito
Visitante
jose luiz esposito

A poucos anos a FAB tinha um efetivo de 50 mil homens , agora 80 mil , porque ?

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Caro Wellington Góes vai aí para você a tradução de FAB.
Força Aérea de Brinquedo.
Ou Fomos Abandonados por Brazileiros kkk.
Não dá amigo, temos FAA,s que estão super alinhadas com interesse internacionais, forças armadas estrangeirizadas.
Vide EB com o LMV, MB com as CCT,s etc.
Isso aqui não tem jeito mais não.
Por mim, privatizem essas organizações e façam como a França.
Criem uma Legião Estrangeira Brasileira.
Triste !

Flanker
Visitante
Flanker

Ao tentar agradar o citado, tu destes uma furada, porque ele defende a MB como a melhor das FFAA do Brasil….

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Não tentei agradar, só disse a verdade.
Não temos nenhuma força militar hoje bem administrada.
Vão de mal a pior.
E temos pontos de vista semelhantes.
Mas não agrado ou passo a mão na cabeça de ninguém, dia a quem doer.
“Conheça a verdade e a verdade vos libertará” !

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Agora estou defendendo a MB como “a melhor das FFAA do Brasil”?! Gisus!!! Na falta de argumentos….. Não, não defendendo a MB “como a melhor das FFAA do Brasil”, isto porque entendo que o EB tem se posicionado como a força mais equilibrada. Entretanto, não defendendo uma força ante outra, isto é coisa de corporativista mesquinho e pequeno, mas sim defendendo projetos autóctones que resultam em menor dependência estrangeira. Isto não me impede de ser crítico quando acho que devo e não banco o puxa saco chapa branca, algo que passa longe de ti e outros da mesma turma. Como… Read more »

Flanker
Visitante
Flanker

Entendo sim….e entendo suas intenções…por isso bato de frente! Projetos autóctones? Quanto vai custar pra fazer o brinquedinho da MB, um míssil com desempenho igual à um que já existe há mais de 40 anos? Vão comprar quantos? 20..30? Tu achas que vai ser algo mais que isso? E o MAR-1, que vc tanto critica o abandono? Quantos poderíamos comprar? Vocês adoram falar como se o Brasil tivesse condições de desenvolver, fabricar e operar centenas e centenas de unidades de qualquer armamento ou sistema…..desenvolver isso custa muuuuito caro…dinheiro que não há! Tem-se que optar por qual programa ou projeto será… Read more »

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Com o mesmos bilhões que pagamos nos programas “estratégicos” CCT, FX-2, PRODUB, HXBR e por aí vai. Programas bilhonarios ganhos por empresas estrangeiras (muita das vezes poderiam ser executados por empresas nacionais, mesmo que houvesse participação estrangeira) e pagamos caro para copiar e pagaremos mais caro para manter e usa, vide os royalties que teremos que pagar. Pois como você mesmo disse caro Flanker, se gasta bilhões para se desenvolver algo, você realmente acredita que não pagaremos royalties para copiar umas 6 unidades? Isso para não falar nos danos estratégicos e tecnológicos ao país. Esses aí incomensuráveis! Quanto ao MAR-01,… Read more »

jose luiz esposito
Visitante
jose luiz esposito

Países atrasados e de mentalidade idem , mantém seu Exército com preponderância sobre as demais forças . Entenda, Exércitos são Mobilizáveis , Forças Aéreas e mais ainda Marinha não são , ou se tem ou não , mas a burrice e o atraso brasileiros nesta republiqueta são notáveis , um espanto!

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Quando disse que temos pontos de vista semelhantes, estava me referindo ao ponto de vista do Wellington e o meu.
Ambos sempre defendemos um desenvolvimento verdadeiro e autóctone sem essa conversa fiada de T.O.T ou qualquer outra sigla que usem para justificar a compra de tecnologias que já possuímos ou mesmo abandono do produto nacional por algo importado.
Agora mesmo a FAB foi ao senado buscar verbas para comprar armamento para seu “avião de papel”.
Ao passo que abandona projetos nacionais em fase final de término.
Absurdo!

FERNANDO
Visitante
FERNANDO

Putz,
joga no LIXO logo!!
Só 14, Deus, para que tanto, melhor só 1!!

CESAR ANTONIO FERREIRA
Visitante
CESAR ANTONIO FERREIRA

Entre incorporar 36 Gripens novos e modernizar mais de 40 AMX, entende-se a decisão. Antes pensar em um segundo lote de Gripens do que ficar a revitalizar células de AMX…

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Amigo, a conta não bate. O valor de modernização dos 40 AMX não dá, sequer, meia dúzia de novos Gripens, o que dirá um segundo lote de 36. A questão é outra, de definição do que seja prioridade.

CESAR ANTONIO FERREIRA
Visitante
CESAR ANTONIO FERREIRA

Grande amigo Wellington…
Não é a questão de valores, mas de manutenção de uma aeronave sem um horizonte largo de utilização defronte a outra, multifuncional e muito mais eficiente.
Vamos manter o AMX para quê?

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Se o projeto de modernização não tivesse sido sabotado lá atrás, a mais ou menos 5 a 6 anos, estes aviões já estariam, em boa parte, em operação. Vale lembrar que este projeto já tem mais de 15 anos. Não estou defendendo que se refaça tudo e sim criticando a estúpida decisão. Mesmo assim, 40 AMX modernizados são muito úteis e não atrasariam os F-39, afinal além de substituir os já aposentados 12 F-2000C, existem mais 46 F-5M/FM que estão no osso e precisam de substituição, só aqui existe a necessidade de substituição de 58 aeronaves, pelo menos. Na melhor… Read more »

Felipe S
Visitante
Felipe S

Correção: 49 F-5M a FAB tem. A necessidade mínima seriam 72 caças Gripen NG, para todos esquadrões atuais, e uns 20 A-1M , até vir um terceiro lote.

Flanker
Visitante
Flanker

48 F-5M….43 EM e 5 FM (dentre esses 5, 1 é o 4806, que “pousou” sozinho em um campo próximo a Ala 12, após os dois tripulantes ejetarem. Os danos foram pequenos, aparentemente, e talvez volte a voar. Agora, não me pergunta quantos desses 48 estão disponíveis….

Flanker
Visitante
Flanker

Olha aí, dessa vez concordo contigo…..mais alguns F-39 é muito melhor do que algumas dezenas de A-1M. O problema todo, e que quase ninguém fala, é que o F-39 pode seguir, no futuro, os mesmos passos que o A-1 está dando hoje….

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Como coloquei, típico pensamento chapa branca, para validar decisões medíocres e duvidosas.

Flanker
Visitante
Flanker

E de onde você tiraria as peças para operar 40 A-1 modernizados por 15 anos?? Uma aeronave que teve apenas 192 unidades produzidas no mundo todo…das quais uma grande quantidade não mais opera….cujos motores, em sua versão Mk 907, é um problema logístico enorme….você apenas posa de grande entendido, mas apenas critica sem saber nada…..mediocridade? Kkkkk…olhe-se no espelho e verás isso…..

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes
Flanker
Visitante
Flanker

Não diga!!! Só tu sabia disso!! E as peças vão vir de onde? A Alenia vai fabricá-las ou vai recondicionar peças retiradas de outras células? O contrato prevê quantas células a serem mantidas?
Pra tua informação, não existem sequer as 40 células, aludidas por ti, aptas a serem modernizadas…

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Hoje não, mas lá em 2014, a cinco anos atrás, quando a FAB resolveu desembolsar 245 milhões em armamentos e 120 milhões num painel modernozos…. O que acontece hoje, é replexo de decisões erradas tomadas lá atrás. Consegue fazer essa correlação?! São 365 milhões de dólares, de decisões tomadas em 2014, que hoje estão fazendo falta. A FAB tem que rezar muito para coisa não engrossar na Venezuela, porque senão terá que vir a público dizer que não poderá fazer nada e ficar no chão só olhando. Ou então pedir pro Guaidó segurar a onda e só fazer algo lá… Read more »

Flanker
Visitante
Flanker

Você quer que a FAB arme os Gripen com o que? Me diz um armamento nacional que ao menos se iguale àqueles comprados, E o dinheiro gasto nessa compra de armas, somado com o dos WAD, daria para modernizar, manter e operar mais quantos AMX? Nem perto dos quarenta….. Ah, e você acha que a FAB teria condições de enfrentar a venezuelana lá atrás? Dez anos atrás? Cinco anos atrás? Já disse e repito….a FAB tem muitos problemas e culpas, inclusive no mal armazenamento das 10 células de A-1….e é por conta de decisões recentes que não se tem condições… Read more »

Ronaldo
Visitante
Ronaldo

Bom Dia Wellington Góes,a questão não é esta hoje não possuímos uma força aérea capaz de combate,e também somos muito deficiênciente em Defesa Antiaérea que não temos, nossos F-5M e os nossos AMX-A1 não seriam páreos para os SU-30 da Venezuela e para os mísseis S-300

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Quer peça para os Spey?! Falem com os chinas.

Flanker
Visitante
Flanker

Do Spey Mk 907? E os chineses fabricando? ….Misericórdia. …

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes
Flanker
Visitante
Flanker

Repito: do Mk 907?? O 202 é igual ao 907?? E fabricado na China?? Menos, Wellington, bem menos….

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Coloca o MK202 no lugar do MK907, é menos problemático do que aquela ideia de colocar o F404 sem pós combustão. Será que o A-1 não teria, ainda, uns 15 a 20 anos de vida útil?! As células foram subutilizadas, se não tem condições, só demonstra a ineficiência da FAB e das péssimas decisões que tomou nestes últimos 12 anos.

Flanker
Visitante
Flanker

Coloca o 202 no lugar do 907? E os ensaios e a certificação, com o risco de não dar certo? E as modificações da esteutura da aeronave? E as correções de CG? Sairia bem mais caro do que os 300 e poucos milhões que tu citou, da compra de armas do Gripen e WAD…ou tu acha que é como colocar um motor AP num Fusca?
E a proposta do F404 sem PC foi pensada numa época em que a aeronave ainda possuía algum potencial de venda e sua linha de produção não estava fechada ainda.

Larri Gonçalves
Visitante
Larri Gonçalves

É lamentável a redução na modernização dos A-1, tendo em vista, que em poucos anos a FAB terá um caça moderno para proteção dos A-1 e um reabastecedor moderno o KC 390, infelizmente os recursos do ministério da defesa estão contingenciados, portanto havendo atraso nos programas militares. Há uma declaração de um Brigadeiro sobre a modernização dos A-1 e da importância desses caças para a FAB nos próximos anos.

Tamandaré
Visitante
Tamandaré

Amigos, seria interessante para a Marinha a incorporação de alguns A1-M? Questiono porque a FAB ficará com várias unidades estocadas e trata-se de uma aeronave com boas capacidades de ataque, principalmente em sua versão modernizada.

Sabemos que os orçamentos são apertados, em virtude dos grandes gastos com pessoal. Mas tendo consciência de que provavelmente a MB não terá NAe tão cedo, seria interessante pensar numa aviação naval baseada em terra, objetivando o apoio aos Fuzileiros Navais…. caberia então o uso de aeronaves como o A1-M e o Super Tucano?

O que pensam? Bom dia a todos

Romão
Visitante
Romão

Juntar a fome com a miséria ?

Flanker
Visitante
Flanker

As células de A-1 que não forem modernizadas servirão de fonte de peças sobressalentes para as que serão modernizadas.

Marcos Cooper
Visitante
Marcos Cooper

Super Tucanos seriam bem interessantes!

Fernandes
Visitante
Fernandes

Eu tenho mais de 60 anos. Meu avô, de parcos estudos mas grande sabedoria, já dizia na minha infância: “sem dinheiro, não há programa”. Assim como quase todos aqui, desejo o melhor para o País e que sejamos respeitados como uma potência mundial, com equipamentos e materiais de ponta. Mas pelo que vejo, ainda teremos que ver passar gerações com o Brasil dependendo de aviões de treinamento, de segunda linha, ou de segunda mão e/ou obsoletos.

Rodrigo Maçolla
Visitante
Rodrigo Maçolla

Embora as varias criticas aqui ao “pequeno” numero de A-1 modernizados acho correto não faz muito sentido mesmo investir mais no AMX, com um 2º lote do Gripen em vias de ser fechado num futuro não muito distante seria gastar dinheiro atoa num vetor que já sofre de apoio para a manutenção do seu motor por exemplo…. e não é nada contra o AMX que eu acho um caça de ataque muito efetivo para a função que foi projetado, cumpre a missão com louvor. Esta modernização já deveria ter acontecido a alguns anos agora não faz sentido… Pelo menos este… Read more »

Luiz Monteiro
Visitante
Luiz Monteiro

Prezados, Na maioria das vezes, o recurso contingenciado é que obriga o corte no programa. Não sei opinar sobre qual razão levou a FAB a cortar a modernização do A-1. Ela melhor do que ninguém sabe eleger suas prioridades. No caso da MB, por exemplo, cortou na modernização dos AF-1 em favor do PROSUB. Porém, em outros casos, se “elimina” um programa pois simplesmente não há recursos, nem previsão de recursos devido a restrição orçamentária previstas para os próximos anos. Não sei qual desses fatores fez com que a equação custo/benefício fosse desfavorável para a modernização de todas as aeronaves… Read more »

RENAN
Visitante
RENAN

Por favor pode me dizer se o A1 teria alguma utilidade para MB se for realizado modernização para ataque naval baseado em terra?

Luiz Monteiro
Visitante
Luiz Monteiro

Prezado Renan, Introduzir uma nova aeronave não é tão simples como, por exemplo, comprarnos um carro novo para nossa família. A FAB chegou a propor a MB a transferência dos P-3. Contudo, a MB não teria como, naquele momento arcar com os custos de adaptação da Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia; custos de treinamento de aviadores, equipe de solo, mecânicos ; custos de operação e manutenção da aeronave, custo de modernização, dentre outros. Trazer uma nova aeronave demanda grande investimento que vai muito além da aquisição. Por isso, mesmo que a FAB doasse as aeronaves, a MB… Read more »

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

Mestre Luiz Monteiro,

Mas são em coisas assim que desanima……

P-3 na MB seria uma coisa de foco certo no lugar certo…certo?

O que enseja transferir o “pacore”…da casa ao telhado….porteira fechada….

Uma coisa é transferir o recurso….

Outra é transferir o mico….

Transferir a obrigação sem a equipe, pessoal, maquinario e orçamento é apenas sabotar o foco do que era necessário….

RENAN
Visitante
RENAN

Obrigado pela atenção e resposta.

jose luiz esposito
Visitante
jose luiz esposito

Criaram a FAB de forma errada , ela monopolizou todas as nossa necessidades de aeronaves , mas ela nunca se preocupou com a necessidades da Marinha , Exército , etc , ela nunca teve aviões nem para a Superioridade Aérea , começou a pensar em 1972 , e ainda não temos superioridade aérea , aeronaves para Guerra Naval , para apoiar o Exército, o que sobra na FAB , são aviões VIPs para transporte de Vagabundos da Pátria , e ainda entregaram a ela a responsabilidade de Defesa Antiaèrea de Média e Grandes Alturas ,esta então é muito boa ,… Read more »

FRITZ PILSEN
Visitante
FRITZ PILSEN

Dizem que a modernização será feita pela Chery Motors e incluirá instalação de câmera de ré; midia nav; entrada usb; sensor de estacionamento; air bag de cortina e bancos de couro.

Nilson
Visitante
Nilson

Entendo que é correto ir modernizando essas 14 células, pelo que vi em orçamentos anteriores o ritmo será de 3 ou 4 por ano. Garante-se assim por um preço acessível um mínimo de capacidade de ataque para a FAB, ainda mais porque o tão falado 2º lote de Gripen é uma incógnita, pelo que tenho visto não cabe no orçamento antes de 2030. Melhor fazer o simples e viável do que abandoná-lo em troca de algo melhor mas apenas imaginário.

Lyw
Visitante
Lyw

Se chegar a 14 unidades ficarei surpreso…

Aproveitando, com quem ficou o projeto do SCP-01 depois do esfacelamento da Mectron?

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Sim, cinco foram entregues, cinco serão esntregues este ano , e cinco ano que vem para repor a perda daquele que caiu. Fonte: COPAC

Flanker
Visitante
Flanker

Como assim para repor a perda daquele que caiu? Nenhum A-1M caiu! O que caiu foi o 5660, biposto não-modernizado. Se vão modernizar uma célula extra, talvez seja para repor o A-1M 5525, que teve o motor e fuselagem traseira atingidos pelo fogo e que, talvez, sua recuperação não seja possível.

Lyw
Visitante
Lyw

Grato pela informação Marcelo mas, quem irá fabricá-lo, você sabe?

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Vão modernizar outro Biposto no lugar do que foi perdido. Fonte: COPAC

Flanker
Visitante
Flanker

Como assim? Biposto igual ao que foi perdido, que não era modernizado, existem mais uns 6 ou 7….volto a dizer, p que caiu esses dias, o 5660, não era modernizado.

Romão
Visitante
Romão

“Entretanto, essas 34 nunca operaram ao mesmo tempo no Adelphi, sendo que 10 delas foram estocadas na então BASC. Essa estocagem foi feita utilizando equipamentos (espécie de capas e desumidificadores). A manutenção desse sistema sofreu problemas de várias ordens (que pode ser discutido em outro tópico), o que provocou corrosão nas estruturas dessas células”.
……….
Traduzindo: mesmo que a FAB tenha equipamentos bons e novos ela simplesmente não sabe usa-los e/ou estoca-los. Quase 20% da frota perdida porque o oficial responsável não verificou as condições do armazenamento mensalmente.

Luiz Trindade
Visitante
Luiz Trindade

Eu me pergunto: Será que vale a pena termos 14 AMX modernizados? Ele estariam alocados aonde? EM Santa Cruz ou Santa Maria? Para fazer o que? Na época de seu lançamento se perdeu uma ótima oportunidade de evoluir com o AMX para um caça naval. Do mesmo jeito que intencionam fazer com o F-39 Gripen. Acho que estamos vendo o suspiro final de um paciente terminal.

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Luiz, todos estão em SM. O A-1M vai voar muito junto ao F-39.

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Notícia velha!!! todo mundo já sabia diiso. Até a chegada do F-39. Pena não serem pelo menos 24 unidades, dois esquadrões, mas, é o que temos para hoje. Os outros serão estocados no Parque de Material Aeronáutico do Galeão, que é a OM responsável pela manutenção deste Projeto. Quem leu a última edição da Revista Asas, onde o diretor do COPAC deu entrevista, ele comentou isto.

Antes que destratem esta aeronave, o A-1 é um vetor de ataque espetacular ainda. Sou suspeito pra falar pois é o meu avião preferido da FAB!

SAULO MARTINS
Visitante
SAULO MARTINS

Se essa reforma não passar a força aérea vai ter que voar de asa delta se quiser voar.

rdx
Visitante
rdx

Pelo que entendi, a FAB pretende modernizar 14 aeronaves das 20 A-1 que estão operacionais. O autor da matéria ignorou ou desconhece que já existem A-1M operacionais. Mas pouco importa! O mais sensato seria melhor comprar um lote com 12 Gripen E e enterrar definitivamente esse programa esdrúxulo. Parece que não existe sensatez na FAB. Aliás, depois que ela comprou um pacote caríssimo de armas para um avião que ainda não existe nada me surpreende mais!

Roberto Dias
Visitante
Roberto Dias

rdx, comprar armas para um avião que ainda não está pronto se chama planejamento, se forem esperar o avião chegar, ele iria ficar sem armas estando operacional.

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

FAB fechou base, diminuiu um pouco o efetivo, tentou economizar, escolheu o gripen, deixar os A1 serem sacrificados pelo F39 é a melhor opção.

Leonardo de Araújo
Visitante
Leonardo de Araújo

Investir em um produto ultrapassado tendo um infinitamente superior a disposição, não é razoável.
Por isso só serão 14 para preencher o espaço de tempo até a chegada dos Gripens.

Juarez
Visitante
Juarez

Exatamente, o grande problema deste contrato e que não contempla apoio logístico para o Spey, que hoje e o calcanhar de Aquiles da Anv.
Ver ‘exxxpecialisssstas” advogando a mais de 40 células e uma piada, coisa de gente que não não que não sabe. Toda a linha italiana de spares foi fechada quando cessou a operação de na FAI, agora e só com Soares de outras células ou fazendo artesanalmente.
E isso aí, até se reunir recursos para um novo lote de NGs.

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Os chineses nacionalizaram, sabia disso?!

Juarez
Visitante
Juarez

Sim, só um debiloide compraria Spey chinesa recheada de problemas de durabilidade e qualidade de componentes
E de resto na há mais peças dos fornecedores italianos.

Humberto
Visitante
Humberto

A China HOJE, não fabrica motores de aviões confiáveis, não tenho dúvida alguma que dentro de alguns anos assumirá o lugar dos Russos e Ingleses mas hoje, comprar motores deles é assinar sentença de burrice.

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Ela não produz seus próprios motores confiáveis, ou seja, de seus próprios desenhos. Já motores nacionalizados é diferente, não a toa exporta aviões com motores de projetos estrangeiros, montados/produzidos localmente. O J/F-7 é exemplo disso.

Flanker
Visitante
Flanker

Motor Spey Mk202….é igual ao 907? É o mesmo que querer colocar os Spey dos Phantom ingleses nos A-1…..

Leonardo de Araújo
Visitante
Leonardo de Araújo

O projeto AMX deveria ser calçado no motor do Tornado RB199-34R Mk 104, por ter uma maior quantidade de unidades e relevância operacional em sua continuidade que o Spey. Além de ter um pós conbustor que poderia ser parametrizado na concepção aviônica do programa AMX.
Com isso, o calcanhar de Aquiles não seria o motor.

Flanker
Visitante
Flanker

Avião subsônico com motor com PC?