Home Aviação de Ataque Princípio de incêndio atinge jato A-1M da FAB em Santa Maria

Princípio de incêndio atinge jato A-1M da FAB em Santa Maria

18647
134

Bombeiros trabalharam por quatro horas no combate às chamas e no resfriamento da aeronave

Uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB) teve um princípio de incêndio no final da tarde desta quarta-feira (17) em Santa Maria. O Corpo de Bombeiros levou quatro horas para combater as chamas.

Conforme a corporação, os bombeiros foram acionados pouco antes das 18h30min. O caça da Ala 4 (antiga Base Aérea) passava por testes quando o fogo atingiu a carenagem superior traseira – a lataria do avião – e também a entrada da turbina. Segundo a Ala 4, uma falha mecânica causou o início das chamas.

Uma equipe de bombeiros, com um caminhão, ficou até as 22h30min no local para conter as chamas e fazer o resfriamento do avião, para evitar novos focos de incêndio. A aeronave ficou parcialmente destruída e ninguém ficou ferido.

Conforme a Ala 4, “todos os procedimentos de precaução foram adotados para que o fogo não voltasse a ocorrer e a aeronave está agora sendo reparada para retornar a sua atividade de voo normal”.

“O problema ocorreu em área isolada, construída especificamente para esse tipo de teste. Os procedimentos de segurança se mostraram adequados e os danos materiais foram os menores possíveis”, diz nota enviada à reportagem.

FONTE: GAÚCHAZH

Subscribe
Notify of
guest
134 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Daniel
Daniel
1 ano atrás

Eita.
Mais um episódio com o A-1 em menos de um mês.
Deu PT na aeronave?

Camargoer
Camargoer
Reply to  Daniel
1 ano atrás

Caros Colegas. Nestes tempos de bruxa-solta, é comum tomar eventos independentes para tirar conclusões. Um evento não permite nenhuma conclusão estatística e eventos que parecem estar relacionados não podem ser comparados. Os dois acidentes teriam que ter a mesma causa para estarem correlacionados. Tenho a impressão que o fato de ocorrem dois acidentes com o A1M em um período curto é apenas coincidência. O correto é esperar os dois relatórios para ter certeza que estão correlacionados.

Rafael Coimbra
Rafael Coimbra
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Se fosse a mesma falha seria mais fácil de diagnosticar suas causas, o problema é quando acontece falhas em voo e no solo… o aumento no número de acidentes com o mesmo modelo de aeronave é preocupante… sera a equipe de solo? sera falha no projeto de modernização?… quanto maior a diversidade de falhas maior a dificuldade de solucioná-las… isso é preocupante!

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Não houve dois acidentes com A-1M. O avião perdido em Viamão-RS era um A-1B. Na verdade o último A-1B recebido pela FAB, em 1999.

Fabio Leo
Fabio Leo
Reply to  Daniel
1 ano atrás

zica no A1

Camargoer
Camargoer
Reply to  Fabio Leo
1 ano atrás

chikungunya

Fernando
Fernando
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Chico Cunha

Daniel
Daniel
Reply to  Fernando
1 ano atrás

Chico Punha

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Rumpelstiltskin!!!

Camargoer
Camargoer
Reply to  Joao Moita Jr
1 ano atrás

Pneumoultramicroscopicossilicovulcanoconiótico (Ganhei, o meu é maior)

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Tamanho não é documento…rs

Camargoer
Camargoer
Reply to  Joao Moita Jr
1 ano atrás

Beetlejuice beetlejuice beetlejuice (esse é um clássico)

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Isso é supercalifragilisticexpialidocious!

Camargoer
Camargoer
Reply to  Leandro Costa
1 ano atrás

Olá Leandro. Cada LIKE aqui vale dois. Muito bom.

Marcio Cosentino
Marcio Cosentino
Reply to  Joao Moita Jr
1 ano atrás

Mister Mxyzptlk

francisco
francisco
Reply to  Daniel
1 ano atrás

É isso o que dá investir em velharias. Jogando dinheiro fora.

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
Reply to  Daniel
1 ano atrás

Não. A aeronave não foi perda total. Deve voltar a voar. Quanto às condições do motor, difícil saber. Provavelmente será substituído.

Elton
Elton
1 ano atrás

Esperando o pessoal que fala que o motor Spey do AMX não esta obsoleto e dizer que ele vai aguentar até 2030 chegar.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Elton
1 ano atrás

Motor obsoleto? Se for assim, os TF-33 do B-52 começarão a cair dos seus pilones!! Nada a ver uma coisa com outra.

Elton
Elton
Reply to  Marcelo Andrade
1 ano atrás

Você está ciente que a atual frota de B52H usa motores que são sobressalentes de unidades desativadas e pouco voadas das versões G estocadas e devidamente catalogadas e manutenidas no depósito do AMARG.

Fernando EMB
Fernando EMB
Reply to  Elton
1 ano atrás

E você está ciente de quantas horas de vôo tem estás turbinas dos nossos AMX?

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Elton
1 ano atrás

Sem entrar no assunto de que o B-52G usava outro motor (J75) e que NÃO está sendo utilizado nos B-52H, que provavelmente devem receber motores modernos, você está me dizendo que aeronaves que entraram em serviço em 1959 no SAC, que voavam rotineiramente em alertas nucleares ou constantes exercícios ‘ORI’ em algumas das regiões mais inóspitas do Mundo, e que participaram de duas guerras antes de serem aposentados, são ‘pouco voados’?

Antonio Renato Arantes Cançado
Antonio Renato Arantes Cançado
Reply to  Elton
1 ano atrás

Se for assim, e as turbinas dos Tornado, F-5, -16, -18, B-1, Su-24, MiG-29, etc, tão ou mais antigas que as Spey dos AMX? Eu, hein?!

Elton
Elton
Reply to  Antonio Renato Arantes Cançado
1 ano atrás

As turbinas citadas ainda tem peças em produção ,coisa que a Spey faz tempo que não tem.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  Elton
1 ano atrás

De acordo com quem Elton? Que eu saiba a Rolls Royce, projetista e fabricante do Spey, ainda está por aí, sem falar de terceiros. Além do mais, das aeronaves que você citou, metade parou a produção antes dos AMX da FAB e da AMI. O Spey, que aliás foi um dos mais populares motores da RR, ainda é utilizado por muitas aeronaves voando mundo afora, incluindo aplicações marítimas.

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
Reply to  Elton
1 ano atrás

Existem milhares de Spey em serviço no mundo, com muitos sobressalentes. E esse motores são usados até mesmo em navios. Então, existe e existirá suporte por muitos anos ainda para eles.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Elton
1 ano atrás

Por mais que eu ache que a matéria foi contraditória (‘princípio’ de incêndio que demorou quatro horas para ser controlado?), a obsolescência nada tem a ver com o fato de algo ser inseguro ou não. Há muitas aeronaves bem antigas voando muito bem por aí tranquilamente. Quantos J79 ainda estão operacionais, por exemplo? Quantos Wright Cyclone estão voando por aí? Se não há peças, ou se as peças não estão passando em testes de resistência de materiais, a aeronave simplesmente não voa. Nem é testada. O tipo de teste que foi feito é proposital para o caso de uma eventualidade… Read more »

Pedro S.
Pedro S.
1 ano atrás

A bruxa tá solta.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Pedro S.
1 ano atrás

É…

A Dillma e a Maria do Rosário estão soltas

francisco
francisco
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
1 ano atrás

Esquece a Dilma e pensa no Bolsonaro,, no ministro Posto Ipiranga e no doido que diz que nazismo é coisa da esquerda.
Não tem nada dando certo nesse governo.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
1 ano atrás

Caro Rodrigo. Durante a idade média, foi comum a tortura e assassinato de mulheres por bruxaria, obviamente uma acusação inverídica usada para implementar uma ação misógina de terror que puniu inocentes por crimes inverídicos com o objetivo de afirmar o poder da contra-reforma. Sugiro o ensaio “Bruxas: figura de poder” da Paola Zordan para entender o significado do “Malleus Maleficarum”. Ao sugerir que Dilma e M.Rosário são bruxas soltas, fico com a impressão que você nos ajuda bastante a entender o contexto político atual.

Mario Antoneli Penteado
Mario Antoneli Penteado
1 ano atrás

Outro em menos de 01 mês!? É melhor aterrar a frota, antes que tenhamos um terceiro incidente ou acidente

Antonio Renato Arantes Cançado
Antonio Renato Arantes Cançado
1 ano atrás

É…

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
1 ano atrás

Duas aeronaves perdidas em um mês. As coisas já são ruins para nós, desse jeito complica!

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  DOUGLAS TARGINO
1 ano atrás

A aeronave em questão não está perdida. Segundo a T&D somente a calda sofreu com o fogo e poderá ser reparada. Todos os aviônicos e cabine não foram atingidos. Deixa de ser Urubu!!!

TeoB
TeoB
Reply to  Marcelo Andrade
1 ano atrás

Pode ter queimado só um pedaço kkkk mas eu não colocaria a minha poupança no acento desse avião para o mesmo sair do solo não, o f35 japonês tbm tinha dado defeito e arrumaram…. Nesse caso incêndio, bem é muito pior, eu considero como perdido

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  TeoB
1 ano atrás

Teo, você está comparando os mecãnicos especialistas da FAB com a oficina clandestina da esquina!

Elton
Elton
Reply to  Marcelo Andrade
1 ano atrás

Mecânico pode ser bom mas sem peças sobressalentes até o da esquina não consegue fazer muita coisa não

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
Reply to  Elton
1 ano atrás

Existem não apenas peças sobressalentes como motores inteiros, para substituir. A FAB tem vários A-1 estocados.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  TeoB
1 ano atrás

Não sabia que AMX ou A-1 tinha acento….

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
Reply to  Leandro Costa
1 ano atrás

Têm assento. 🙂

Ronaldo
Ronaldo
Reply to  DOUGLAS TARGINO
1 ano atrás

Douglas Targino,o procedimento em questão está descrito quase no final da matéria é um procedimento chamado de ranafe ou giro de motor,onde é feito em um local isolado e apropriado para este tipo de teste e segundo a matéria os danos foram mínimos ,que não chegaram na aviônica do avião em questão e já,já vai estar pronto para voar novamente após passar por testes

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
Reply to  Ronaldo
1 ano atrás

Ronaldo, o nome do procedimento é Run Up, ou giro de motor.

Alessandro
1 ano atrás

São só 3 A-1M e ainda pega foto em um…. Tão de brincadeira

Daniel
Daniel
Reply to  Alessandro
1 ano atrás

Este era um dos modernizados?

ALEX TIAGO
Reply to  Daniel
1 ano atrás

Pessoal por gentileza leem a matéria até o final. A aeronave não foi perdida e já esta recebendo as devidas manutenções e ou reparações necessárias. Quanto alguém disse que não sentaria nesse avião, eu tbm duvido que esse cidadão sentaria neste assento. BRASIL.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Alessandro
1 ano atrás

São cinco, Mais cinco serão entregues este ano e mais três no ano que vem.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Alessandro
1 ano atrás

Sim Alessandro, o pessoal da FAB não tem o que fazer, além de pintar meio-fio, como gostam de dizer por aí sobre as FFAA. Então, só para brincar, acendem isqueiros em querosene perto dos aviões!!!

Alessandro
Reply to  Marcelo Andrade
1 ano atrás

Primeiro, leia direito oq eu falo antes de mandar-me ler o texto, n falei em momento algum em aeronave perdida, mas sabendo da escassez de recursos nas forças armadas da pra saber que esse A-1 vai ficar um bom tempo sem voar, pois pra ficar 4 horas arrodiando um caça…. os bombeiros n estavam jogando xadresz, e realmente serão só 14 modernizados? Ou ja diminuiu? 😢

Felipe S
Felipe S
Reply to  Alessandro
1 ano atrás

A previsão são 14 modernizados, o que acho estranho para dois esquadrões, deveriam ser uns 10 em cada pelo menos.

Eu já penso que o esquadrão pampa deveria ir para Santa Maria, e estes dois de AMX desativados. Falo quando vier o segundo lote do Gripen. 18 Gripen em Santa Maria futuramente e transferência do pampa. Por razões de economia, não sei porque ter duas bases por aqui no RS e acho muito difícil a FAB substituir os caças 1 a 1, vamos ficar entre 72-84 unidades.

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
Reply to  Alessandro
1 ano atrás

Não são apenas 3 A-1M. São seis ou sete entregues.

Flanker
Flanker
Reply to  Alexandre Fontoura
1 ano atrás

Cinco entregues….incluindo esse aí.

Manfred
Manfred
1 ano atrás

Desse jeito ate o final do ano a FAB vai estar voando de asa delta!

Thiago Telles
Thiago Telles
Reply to  Manfred
1 ano atrás

Kkkkkkk boa

cristiano
cristiano
Reply to  Manfred
1 ano atrás

MT boa mesmo ! . Forças armadas sucateadas !. Lembram do porta aviões São Paulo ????. O Brasil adora sucata , não navegou nem 2 anos e hoje está sendo desativado na ilha das cobras (RJ) . Desperdicio de dinheiro público !!!!!

Ronaldo
Ronaldo
Reply to  cristiano
1 ano atrás

Bom Dia,Cristiano desculpa discordar de você mas para mim sucata é tudo aquilo que não presta mais pra nada; exemplo: ferro velho,ainda que não são supersônicos e sim subsônicos eles desempenham muito bem o papel deles em ataque ao solo com vôos a baixo altitudes são excelentes aviões os AMX-A1!

francisco
francisco
Reply to  Ronaldo
1 ano atrás

Quando foi que esses teco-teco foram testados? não venha falar dos modelos adquiridos pelos Italianos, pois sabe-se que aqueles são bem superiores aos brasileiros.

Flanker
Flanker
Reply to  francisco
1 ano atrás

O AMX original dos italianos era superior aos nossos originais. O AMX modernizado nacional ficou bem melhor que o modernizado deles. A FAB deve comprar peças das aeronaves desativadas deles (sairão totalmente de operação na Itália em 2021), principalmente motores!!

Samuca cobre
Samuca cobre
Reply to  Ronaldo
1 ano atrás

Bom dia Ronaldo, tudo bem?? Discordo de você, sou sucateiro, trabalho com vários tipos de sucata a muitos anos e posso te afirmar que tem muita coisa boa que vem no meio da sucata ou muita sucata reaproveitada!!! É o caso das nossas forças armadas…

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
Reply to  cristiano
1 ano atrás

O Porta-Aviões São Paulo operou de 2000 a 2006 direto, até a explosão da tubulação de vapor de alta pressão. Depois, fez vários reparos e modernizações e navegou em testes algumas vezes.

Flanker
Flanker
Reply to  Alexandre Fontoura
1 ano atrás

O acidente com a tubulação de vapor foi em 2005. E depois disso nunca mais operou….apenas algumas pouquíssimas saídas para alguns testes, mas sem operações aéreas. O A-12 foi um péssimo negócio…..não há como defender…ainda mais depois dos milhões gastos em manutenções desde 2005 até sua baixa. Ao invés de gastarem muitos milhões de dólares nesse período, por que não fizeram a avaliação (que foi feita quase quando o navio estava sendo baixado) logo que houve o acidente com o vapor? Teriam decidido lá naquela época pela modernização, ou não. Aí se evitava gastar com manutenção das catapultas, tubulações, etc,… Read more »

Jota Ká
Jota Ká
Reply to  Manfred
1 ano atrás

Gripen é asa delta.

Billy
Billy
1 ano atrás

Algo não bate.

Henrique de Freitas
Henrique de Freitas
1 ano atrás

4 horas combatendo as chamas? Tem coisa errada aí !

Daniel
Daniel
Reply to  Henrique de Freitas
1 ano atrás

Também achei estranho este tempo todo, já que falaram que os danos foram mínimos.
Informações desencontradas.

GEN Escobar
GEN Escobar
1 ano atrás

Tá zicado, heim?!

Seaman Real
Seaman Real
1 ano atrás

Incrível…está tudo escrito no texto…princípio de incêndio…danos materiais menores…aeronave sendo preparada para voltar a atividade.
Não se impressionem pela imagem…leem o texto com atenção antes de colocar bobagem.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Seaman Real
1 ano atrás

Não adianta Seaman, geração hipertexto, interpretação zero!!!

francisco
francisco
Reply to  Marcelo Andrade
1 ano atrás

Foram necessários 04 (quatro) horas para apagar o fog e ainda dizem que não foi nada?

Mosczynski
Mosczynski
Reply to  Seaman Real
1 ano atrás

Fui de brigada de incêndio e entendo que princípio de incêndio você combate com extintores e não com bombeiros trabalhando por 4 horas. Ou extintores que ficam disponibilizados nos hangares são só para decoração? Bombeiros com viatura se envolvem em incêndios. Se queriam minimizar o que aconteceu, FAB boys, a área de comunicação falhou fragorosamente.

crevao
crevao
1 ano atrás

A1-M Afterburn

Joker
Joker
Reply to  crevao
1 ano atrás

Melhor comentário 🤣

Antonio Lamento dos Santos
Antonio Lamento dos Santos
1 ano atrás

A coisa tá feia hein…

Overandout
Overandout
1 ano atrás

Tipo de coisa inerente a operação de qualquer equipamento, pode acontecer com um AMX ou com um F-35 da vida. No mais, ainda bem que ninguém se feriu e a aeronave irá ser reparada

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Overandout
1 ano atrás

E convenhamos, com o A-1 é muuuiiiiittooo mais barato!!!!

Sincero Brasileiro da Silva
Sincero Brasileiro da Silva
1 ano atrás

É só comprar 18 F-15 pra substituir!

Camargoer
Camargoer
Reply to  Sincero Brasileiro da Silva
1 ano atrás

Caro Sincero. Provavelmente, o F39 entrará em operação na FAB antes de qualquer aeronave de caça usada que fosse adquirida hoje. Também é provável que a manutenção de qualquer desses caças usados será mais cara do que a do F39 novo.

Humberto
Humberto
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Post ponderado MAS.. gostaria de somar. A FAB nem a Flygvapnet conhecem realmente o potencial do F-39 pois é um avião novo, sim, os Suecos tem uma grande experiencia no Gripen e isto é um ativo, mas ambas as forças vão demorar anos para descobrir todo o potencial. Já o uso de um avião usado, o caminho seria bem mais curto, sem contar que seria possível ter 36 em bem menos tempo que o tempo do programa do FX-2. Claro, não acredito que isto irá acontecer, pois para a FAB o F-39 é o plano A e B. Quanto aos… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  Humberto
1 ano atrás

Olá Humberto. O programa FX era para a aquisição de um esquadrão de caças novos enquanto que o FX2 é um programa mais ambicioso, focado na reestruturação da aviação de caça/ataque da FAB, no acesso ao código fonte e na participação do setor industrial brasileiro. Pensando daqui pra frente, é difícil imaginar que em um segundo (ou até terceiro) lote de caças seja de outro modelo. Tenho a impressão que se o F39E/F repetir o desempenho do F39C, o custo do programa terá sido bem pago.

kevinbuenuu
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Caro Camargoer, algumas pessoas aqui do blog não levam questões Técnicas a sério. Se dependesse de alguns, a FAB iria adquirir aeronaves dos anos 80 para suas próximas decadas, lamentável.

Mauricio R.
Reply to  kevinbuenuu
1 ano atrás

O principal vetor da FAB é lá do meio da década de 50, foi atualizado pelo fabricante no início dos anos 70, por aqui recebeu um upgrade aos trancos e barrancos nos anos 2000, da carlinga ao nariz, segundo vetor foi concebido justamente lá pelos anos de 1980, entrou em operação nos anos 90 e está um caco de dar dó.

José
José
1 ano atrás

Lamentável

William Munny
William Munny
1 ano atrás

De quem é a culpa?

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  William Munny
1 ano atrás

É do piloto que afogou o carburador de combustível…..

Filipe Prestes
Filipe Prestes
1 ano atrás

2 em mês…Isso é pra acelerar a compra do segundo lote de Gripen, só pode ser, bicho. Agora que vão chegar as Masserati bora tacar fogo no Uno

Victor Filipe
Victor Filipe
1 ano atrás

Sim esse era um dos AMX modernizados esse é o A-1 5525

Agora sobre motores e etc…

tem PBY catalina voando por ai. idade de avião nada quer dizer se a célula for bem mantida assim como os motores.

Aeronaves de caça tem um limite de horas de voo mais explicito por causa da pressão estrutural que elas sofrem em manobras de alto G reduzindo a vida da fuselagem.

Walfrido Strobel
Walfrido Strobel
1 ano atrás

Este FAB-5525 foi recebido modernizado em Agosto de 2014 no 1º/16º GAv Adelphi, hoje está em SM pois todos foram para lá.

Gustavo
Gustavo
1 ano atrás

Acredito que não seja uma unidade perdia, mas pode ter certeza que vai demorar para voltar a voar. Que faaaaase.

Almir
Almir
1 ano atrás

Já que o Brasil está com um bom relacionamento com os EUA, o governo não conseguiria negociar alguns aviões, helicópteros e demais equipamentos e armamentos que estamos com déficit?

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Almir
1 ano atrás

Sim Almir, eu tenho um Fiat Pálio 2011, mas gostaria de ter um Gran Siena, é só comprar e por na garagem……

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  Almir
1 ano atrás

Por que buscariamos aviões nos EUA se já temos gripens encomendados? Por que gastar dinheiro pra modernizar algo do deserto se, mesmo que a um custo maior, podemos encomendar aviões com um bom grau de geração de empregos aqui? Helicópteros idem, temos linha aqui na helibras. O que nos falta(além de dinheiro que vai pra pensão) é a continuidade. Precisamos aprender que linha de montagem de arma de frente não pode parar. Que entreguem 6 caças por ano, mas que entreguem SEMPRE. Que se façam 6 EC725 ao ano, mas que não pare! O mesmo vale para os navios, mas… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  Fernando Turatti
1 ano atrás

Caro Fernando. Você tem razão. A SAAB já iniciou a produção dos F39E da FAB. O primeiro SBR está quase pronto e os outros estão sendo fabricados. A IVECO já produz o Guarani em série. Em breve a FAB receberá os primeiros KC390 da Boeing (digo, Embraera), a MB já escolheu o estaleiro para construir as quatro FCT (entre outros programas, como o Mansup, o Caracal, SBN, etc). Qual a necessidade de caças, helicopteros, fragatas e veículos de transporte usados dos EUA, ou excedente de qualquer outro país? Eu ainda gostaria de perguntar quais fatos indicam que a relação Brasil… Read more »

Tomcat4.0
Tomcat4.0
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Vc sabe, eu sei que vc sabe. A posição política e alinhamento ideológico de hoje é absurdamente diferente da era PT . Isso nos possibilita muito mais acesso do que apenas comércio mas não que não pudéssemos faze lo antes, apenas os governantes procuravam caminhos mais “canhotos” para negócios (principalmente militares).

Camargoer
Camargoer
Reply to  Tomcat4.0
1 ano atrás

Caro TomCat. Concordo que o atual governo é ideologicamente diferente dos governos anteriores (incluindo FHC e Sarney). Contudo, o atual governo dos EUA também é muito diferente dos anteriores. Relações exteriores são estruturadas sobre política e comércio. O Itamaraty já deu vários motivos para ser criticado enquanto que o comércio não mostrou nenhum ganho ou perda. A balança comercial do primeiro trimestre mostrou um superávit menor que o de 2017 e 2018. A China continua sendo o maior comprador (US$ 13 bilhões), seguido dos EUA (US$ 6 bilhões) e Argentina (US$ 2,3 bilhões). Li também que a decisão de aumentar… Read more »

Renan
Renan
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Estou espantado com seu nível Camargoer, parabéns pelo embasamento. Gostaria muito que alguém assim chegassem a cargos de tomada de decisão. Uma nação não pode ter alinhamento ideológico, amizade ou qualquer coisa do tipo. Uma nação deve se posicionar para defender seus interesses estratégicos, e isso a matemática do comércio exterior deve estar clara, antes de qualquer tipo de posicionamento dos seus líderes. Necessidade de vender para gerar riqueza ao país, necessidade de comprar para desenvolver o país tecnologicamente. Nunca estudei como a China financia e apoia seus empresários no cenário internacional. Mas tenho certeza que temos algumas coisas a… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  Renan
1 ano atrás

Olá Renan. Também fiquei impressionado com a objetividade do comércio exterior chinês. Lembro de uma entrevista do Delfin Netto que dizia ser melhor ter um superávit de 1 bilhão exportando 100 bilhões do que ter um superávit de 2 bilhões exportando 10 bilhões. Também lembro de um professor dizendo que um administrador competente acerta mais do que erra (mas nunca é infalível), um incompetente não sabe o que está fazendo e acerta e erra por pura sorte. Para destruir algo é preciso um compromisso ideológico.

Samuca cobre
Samuca cobre
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Meu amigo Camargoer…o problema é que demora para sair das linhas de produção e ainda por cima são quantidade pequenas para um país do tamanho do nosso!!! Ficando um certo vácuo que poderia sim, ser preenchido por alguns equipamentos militares americanos!!! Minha opinião…

Camargoer
Camargoer
Reply to  Samuca cobre
1 ano atrás

Caro Samuca. Quanto ao tamanho da frota de F39, a solução é adquirir um segundo lote. Um Gripen novo é melhor que umas esquadrilha de caças usados. Agora, a cadência de produção é essa mesmo, mas tenho a impressão que os F5M e A1M vão ter que segurar o tranco pelos próximos anos.

Samuca cobre
Samuca cobre
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Caro amigo Camargoer, o problema é justamente esse… vai sair o segundo lote???

Camargoer
Camargoer
Reply to  Samuca cobre
1 ano atrás

Ola samuca, acho que existe 50% de chance.

Ronaldo
Ronaldo
Reply to  Almir
1 ano atrás

Almir Bom Dia,pode esquecer o caça da FAB se chama JAS 39 Gripen E NG,não vai rolar esse negócio de F-15,F-16 esqueça isso o caça se chama:Gripen

MFB
MFB
1 ano atrás

Espero que toda essa sucata queime antes de ter a chance de matar algum de nossos pilotos. Acidentes acontecem, mas voar em SUCATA não aumenta suas chances. Que venham logo novas aeronaves, que o país cresça (apesar da turma do quanto pior melhor), para que possamos aposentar todo esse lixo, proteger nossos homens e ter uma força militar mais condizente com o nosso tamanho.

Fernando EMB
Fernando EMB
Reply to  MFB
1 ano atrás

Comentário ridículo.

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  Fernando EMB
1 ano atrás

É a G1zação do mundo…

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
Reply to  Fernando EMB
1 ano atrás

Pois é Fernando.

A maior parte dos comentários é um besteirol só, raras exceções.

flavo masotti
flavo masotti
Reply to  MFB
1 ano atrás

Sucata! Baseado no que vc adjetiva assim? A força aerea italiana usava amx com mais horas de voo e sem overhaul ate ano passado no oriente medio onde os eurofigter não foram usados mas la é diferente não….

Flanker
Flanker
1 ano atrás

Esse foi o terceiro A-1M recebido pela FAB. As chamas consumiram a fuselagem traseira e parte da fuselagem do dorso, logo atrás das asas. O fogo não durou 4 horas, mas, como a fuselagem é feita de ligas de aluminio, queima em altísssimas temperaturas, o que demora muito para resfriar e evitar que reinicie o fogo. Perda eo motor, periféricos e as partes da fuselagem envolvidas. Motor e periféricos, tira de outra célula (daquelas que estão estocadas no PAMA-GL), assim como aspartes necessárias da fuselagem. As partes mais caras, cmo painel de instrumentos, radar, aviônicos, IR, etc…..não foram atingidos. Vai… Read more »

Joker
Joker
Reply to  Flanker
1 ano atrás

É isso aí!

Juarez
Juarez
Reply to  Flanker
1 ano atrás

Flanker, esquece foi um curto durante um HMS de motor no solo. Derreteu tudo. E PT

Flanker
Flanker
Reply to  Juarez
1 ano atrás

Então tira tudo que dá dessa célula (os itens da modernização) e coloca em outra….inclusive o nariz, que tem sua estrutura modificada para acomodar o radar. Mas, as longarinas são feitas de que? Qual metal? Qual liga? Se não der pra recuperar, mesmo e não utilizarem os sistemas em outra célula, a modernização ficará, após finalizada, em 13 células. E se é PT mesmo, eu pergunto porque a Ala 4 informou, na nota para a imprensa, que a aeronave vai ser recuperada. Quando falam que as FFAA não sabem se comunicar com o público e as informações se tornam confusas,… Read more »

Flanker
Flanker
Reply to  Juarez
1 ano atrás

Vi foto publicada em outro site, onde mostra a base do estabilizador vertical….o alumínio foi quase que todo derretido naquela região, entretanto, a estrutura (longarinas) permaneceu, aparentemente, inatingida.

Fernando EMB
Fernando EMB
Reply to  Juarez
1 ano atrás

Juarez,
Pelas fotos que vi acho que deu perde total. Mesmo que seja reparável, será que vale a pena??
Talvez seja melhor escolher outra célula, enviar para ser modernizada, e usar sensores e aviônicos removidos desta aeronave.
Mas os técnicos da FAB farão a avaliação e tomarão uma decisão. Aguardemos.

Juarez
Juarez
Reply to  Fernando EMB
1 ano atrás

Fernando, com o calor todos os componentes eletrônicos foram pata as cucuias, e com o calor, e provável que a estrutura da fuselagem te há sido severamente danificada.
Acho que pouco se aproveita.

rdx
rdx
Reply to  Flanker
1 ano atrás

Excelente comentário

luiz antonio
luiz antonio
1 ano atrás

Insinuar que essa aeronave é obsoleta e por esse motivo sofrer acidentes e demonstrar total falta de conhecimento em aspectos básicos que norteiam projetos e operações com aeronaves, muita inocência para não dizer infantilidade.
Como toda falha é o resultado de uma cadeia de eventos associados, é prematuro concluir qualquer coisa. Minha critica vai apenas para as 4 horas necessárias para controlar o incêndio e se for isso mesmo, provavelmente partes importantes certamente foram comprometidas e a aeronave estaria inutilizável. As informações nesses aspecto são muito contraditórias e nem deveriam ter sido citadas.

Fresney
Fresney
1 ano atrás

Uma pergunta : como são as guarnições de combate de incêndio nas bases ? Seria interessante um artigo sobre esse tema !!!

Walfrido Strobel
Walfrido Strobel
Reply to  Fresney
1 ano atrás

As que eu conhecia, de Salvador e Recife eram operadas pela pelos Bombeiros da PM por ser um aeroporto internacional.

Delson Diniz
Delson Diniz
1 ano atrás

Eu só tenho a lamentar. Menos mal que não feriu ninguém. Vida que segue, guerreiros.

Fernando Turatti
Fernando Turatti
1 ano atrás

Um avião caiu, outro teve problema em testes. O primeiro era modelo convencional enquanto o segundo era modernizado. Ambos não tem nada em comum a não ser o modelo.
Ao invés de ver isso como problemas nos A-1, eu fico feliz que nossa força aérea ainda voa seus aviões e ainda os testa da maneira adequada. Só dá problema aquilo que é usado e testado!
Vou me preocupar quando não tiver mais notícias de pequenos problemas.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Fernando Turatti
1 ano atrás

Fernando. Concordo com você que a única coisa em comum entre os dois acidentes é que em ambos os casos, os aviões eram da FAB. A teoria dos grandes números é a base estatística para os modelos metrológicos, por exemplo. Mas quando se trata de poucos eventos, como no caso dos dois acidentes da FAB, não é possível qualquer previsão. Gosto de alguns exemplos para nos lembrar de tomar cuidado com estatística. 1) o que significa uma previsão de chuva de 50%? 2) Em media, uma pessoa tem um testículo e uma mama. 3) Após 7 filhas mulheres, existe 50%… Read more »

ALEXANDRE
ALEXANDRE
1 ano atrás

Caramba…. rm relacao a esse caça o Brasil poderia construir um do zero? Ou fazer um modelo aprimorado a partir dele?

peter nine nine
peter nine nine
1 ano atrás

É ali que os A1 testam o motor?

Flanker
Flanker
Reply to  peter nine nine
1 ano atrás

Sim, peter. Observe a barreira de concreto lá atrás. Serve para defletir para cima os gases da exaustão do motor. É um hangarete, localizado em área à parte, relativamente distante das outras instalações, à leste da pista secundária (que tem orientação norte/sul). Para quem não conhece, no google earth é possível ter uma visão bem clara.

Veiga 104
Veiga 104
1 ano atrás

Boa noite a todos. Uma curiosidade sobre o fato de o corpo de bombeiros ter combatido o incêndio. Em uma base aérea não tem equipes da própria aeronáutica de combate a incêndio ? Se um depósito de munições ou uma aeronave como nesse caso pegar fogo tem que ligar 193 ?

Flanker
Flanker
Reply to  Veiga 104
1 ano atrás

Os bombeiros citados na reportagem são os da própria Ala 4….bombeiros militares da FAB. Inclusive, as instalações deles na Ala 4 ficam perto do local onde ocorreu o sinistro.

Delfim
Delfim
1 ano atrás

Eu sempre admirei o A-1, foi uma aeronave sub-produzida e sub-aproveitada. Sempre deveria ter radar multimodo, capacidade antinavio, e a produção inicial prevista de 72 aeronaves.
Valeria ou não comprar alguns AMX italianos a bom preço ?

rdx
rdx
Reply to  Delfim
1 ano atrás

A previsão era de 79. Eu acho que vale a pena…nem que seja para canibalizar. Lembrando que os nossos A-1 devem operar até 2032, salvo engano. Sendo uma aeronave pouco produzida, qualquer peça de reposição é valiosa. A IAF está fazendo o mesmo para manter o Jaguar voando.

Jorge.
Jorge.
1 ano atrás

Repotencializar, potencializar com tecnologia atual uma estrutura saturada desatualizada às vezes até em desuso. Como se colocasse um motor turbo chipado 3.0, numa Fiat 147. Com a estrutura projetada para uma potência de 1.3 calibrada para um modo de resposta é aceleração adequado para a estrutura ORIGINAL. Está se repotencializando estruturas com 30/40 anos. Um perigo iminente.

Walfrido Strobel
Walfrido Strobel
Reply to  Jorge.
1 ano atrás

Para isso tem engenheiros que estudam e projetam a renotorização.

flavio masotti
flavio masotti
Reply to  Jorge.
1 ano atrás

Meu caro, vc tem razão se ficar retido a zona de seu conhecimento automotivo. Mas o modelo matemático empregado para o envelope de voo de missão a que se destina o AMX é modelo matemático aeronáutico.Potencia maior não é necessariamente maior velocidade, torque sobre estrutura mas sobra de potencia para ser imune a altitude, umidade …..tendo em vista a
altitude de voo e desgaste de estrutura que sofre já é estrutura superdimensionada. Ver exemplo dos harriers versão inglesa 7 para os anteriores…sempre tendo em vista a missão que se destina.

Ricardo José Miguel
Ricardo José Miguel
1 ano atrás

Pelo comentário: “O problema ocorreu em área isolada, construída especificamente para esse tipo de teste. “, penso que em razão do risco de incêndio ser bastante significativo, será que foi subestimado o grau de proteção da área isolada, onde ocorreu o sinistro? Será que deveriam haver nebulizadores instalados no locar de forma definitiva para agilizar o combate a incêndio? Será que é possível haver sistema automático de combate a incêndio nesta área? Quanto mais rápido for o combate a incêndio, menor é o dano. Será que os danos verificados neste sinistro podem justificar o investimento em sistemas de combate a… Read more »

Wagner
Wagner
1 ano atrás

Caramba! Princípio de incêndio que levou quatro horas de combate e deixou a aeronave parcialmente destruída? Se fosse incêndio então estaria em chamas o Rio Grande todo, tchê.

Luiz Floriano Alves
Reply to  Wagner
1 ano atrás

Quatro horas de ação significa que a aeronave não voa mais. servirá para retirada de peças e algum armamento. O fogo até que não destrói, mas deixa o alumínio fragilizado reduzindo suas propriedades. Ou tem os componentes para troca ou é perda.

santana
santana
1 ano atrás

Nossa..mas os bombeiros eram militar??sera que nao existe uma equipe de plantao (bombeiros da propria BASE) pra dar um primeiro combate?