Home Aviação de Ataque Coreia do Sul começa a construir protótipo do caça KF-X

Coreia do Sul começa a construir protótipo do caça KF-X

11917
101

A Korea Aerospace Industries, ou KAI, está iniciando a produção no primeiro protótipo de um caça de próxima geração.

Em 14 de fevereiro, a maior empresa aeroespacial da Coreia do Sul realizou uma cerimônia para comemorar o início da produção da primeira antepara (bulkhead), que é a parte principal da fuselagem dianteira da aeronave de próxima geração Korean Fighter Xperiment (KF-X).

“Uma antepara é uma estrutura projetada para evitar que uma aeronave seja deformada devido à pressão gerada pelos voos de alta velocidade”, anunciou a empresa aeroespacial na quinta-feira.

Um representante da KAI disse que o primeiro protótipo do caça avançado multirole KF-X, o chamado caça de 4,5 geração, será concluído em abril de 2021.

Atualmente, a KAI completou 15% do desenho total do projeto para o KF-X e completará mais de 80% depois de setembro, quando uma revisão detalhada do projeto for concluída.

O KF-X passou por uma revisão de requisitos do sistema e uma revisão da função do sistema em 2016. O desenvolvimento do sistema para a aeronave começou em dezembro de 2015.

O programa KF-X tem como objetivo a produção de cerca de 120 aviões de combate avançados para substituir as antigas aeronaves de combate F-4 e F-5 da Força Aérea da Coreia do Sul.

Espera-se que o projeto KF-X desempenhe um papel importante na aceleração da indústria de aviação coreana em termos de acumulação de tecnologia e criação de empregos.

Atualmente, o projeto KF-X envolve um total de 112 instituições – 16 universidades nacionais, 11 institutos de pesquisa e 85 empresas. Quando o desenvolvimento do protótipo estiver em pleno andamento, mais 35 instituições se juntarão ao projeto.

101
Deixe um comentário

avatar
32 Comment threads
69 Thread replies
1 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
55 Comment authors
AlmeidaFoxtrotAlfredo RCSMosczynskibit_lascado Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Artur Castro
Visitante
Artur Castro

Jajá chega alguém com uma: “seria uma boa para o Brasil?”

Tutu
Visitante

Não agora e nem essa versão, mas em um futuro não tão distante já como block 3 vai ser um concorrente de peso quando a fab for adquirir vetor stealth.

Skywalker
Visitante
Skywalker

Seria uma boa para o Brasil… não o vetor talvez, mas o modelo de ação, envolvendo instituições, empresas, universidades e centros de pesquisa. Ha veria reunião de conhecimento e tecnologias, alinhamento de pesquisas para um foco específico, excelência acadêmica aplicada à prática e desenvolvimento tecnológico permanente made in Brazil. Será que um dia chegaremos lá?

teropode
Visitante

Não.

Jorge F
Visitante
Jorge F

ITA, EMBRAER, NEIVA, MECTRON…. Já fizemos isso…..

Carlos Góes
Visitante
Carlos Góes

Bom dia.

Jorge, temos troca de informações, mas não uma parceria tão profundo como esta do modelo coreano.

Se tivessemos realmente este nível de parceria e integração, ja estariamos comecando a criar o projeto do futuro sucessor de Gripen, ou talvez nem o tivessemos adquirido, mas sim projetado um nacional.

Se o brasileiro realmente fosse um povo a ser levado a serio, parcerias como esta poderiam transformar o Brasil, deixando nosso pais de ser um mero comprador de prateira (produtos e projetos) e entrando realmente para o seleto grupo de planejadores e desenvolvedores de teconlogia.

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Quero ver se serão capazes de superar os Iranianos nessa empreitada…

Augusto L
Visitante
Augusto L

Compara a CS com o Irã é sacanagem.
Se voce falasse na Coreia do norte, eu poderia concordar.

Sidy
Visitante
Sidy

Verdade. Taí o KAI T-50 Golden Eagle, um belo projeto deles.
Por outro lado, fiquei surpreso pelo fato de ainda operarem o F-5, dado o fato de possuírem aeronaves mais capazes.

Segatto
Visitante
Segatto

Para usar como low contra os caças defasados da CN e para bombardeá-los, ainda funciona. Eles precisam de armamento em grandes números, manter o que se tem é uma maneira de fazê-lo.

Marcio Cosentino
Visitante
Marcio Cosentino

São aproximadamente 150 F-5 e 70 F-4 ainda em operação.

Mosczynski
Visitante
Mosczynski

Negocião para o Brasil esse montão de F-5.

Salim
Visitante
Salim

Marinha Americana esta retrofitando 44 F5 para manter os mesmos voando como agressores pra mais anos. F5 e raçudo no dogfight

MFB
Visitante
MFB

Eu entendi como sendo um comentário irônico. Espero estar certo ^^

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Claro! Parabéns pela interpretação do texto.

Peter nine-nine
Visitante
Peter nine-nine

Presumo que o Ricardo esteja a ser irónico.

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Claro! Parabéns pela interpretação do texto.

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Ricardo, eles não tem chance! Hahahahaha

Conan
Visitante
Conan

Jura que você falou isso?!!

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Caros Amigos, pelo jeito o mau humor impera no BLOG, claro que é apenas uma IRONIA de minha parte.

Digo mais, o projeto Coreano é de um avião de geração 4,5… enquanto o dos Iraianos está mais para geração 5,5+

Obs.: Vou legendar o comentário: “Estou sendo irônico novamente quando comento as gerações dos aviões”.

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Conan, nessas horas temos que apelar para o 11o. Mandamento: “Não devemos nos levar tão a sério assim o tempo todo”.

Claro que estava brincando, mas as “torcidas” sempre estão preparadas para a guerra.

O incrível como uma brincadeira dessa acabou por gerar até uma discussão envolvendo o T-50, F-5, F-4, Coreia do Norte, etc, etc, etc.

Segue o jogo…

Rodrigo M
Visitante
Rodrigo M

Ricardo, não é mau humor.
É incapacidade de interpretação de texto mesmo!
É o retrato da falência da educação no Brasil.
Vejo coisas aqui na internet que é de dar dó..

Conan
Visitante
Conan

Peço desculpas Ricardo,não tinha entendido a ironia. kkkk

Mauro
Visitante
Mauro

O mais correto seria dizer:
Lockheed Martin começa a construir protótipo do caça KF-X, na Coreia do Sul.
O Congresso Nacional dos EUA era resistente a esse projeto, mas o dinheiro falou mais alto.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

O mais correto seria dizer:
‘Está aí mais um País que não pretende mais comprar F-35’
É L.M.! Vai aprendendo.

Maurício.
Visitante
Maurício.

Mauro, exato,o próprio T-50 é coreano só no nome, ele é tão coreano quanto o AMX é brasileiro.

Mauro
Visitante
Mauro

O T-50 também é um avião da Lockheed, a Coreia do Sul é ao lado de Israel um dos países mais importantes em termos geopolíticos para os EUA, se comparam a Israel. Sobre o AMX. As asas do AMX foram projetadas pelos engenheiros da Embraer, isso deu a Embraer uma capability muito grande em projetos de asas, lembrando que as asas e em particular as do AMX são uma das partes mais sensíveis de um avião. Hoje a Embraer é referência mundial em projeto de asas, está em sua quinta geração de asas, e muito se deve ao programa AMX.… Read more »

Maurício.
Visitante
Maurício.

Mauro, eu tenho uma revista aqui em casa e tem uma imagem do primeiro conjunto de asas brasileira chegando na Itália, o que eu quis dizer é que o AMX é muito mais italiano que brasileiro, o projeto do avião já existia.

Alex Nogueira
Visitante
Alex Nogueira

É impressão minha ou não terá baias internas?

Peter nine nine
Visitante
Peter nine nine

Noup

Ricardo N. Barbosa
Visitante
Ricardo N. Barbosa

Inicialmente não, a intenção parece ser chegar-se a um stealth apenas no Block 3.

Ricardo N. Barbosa
Visitante
Ricardo N. Barbosa

Correção, o Block I terá RCS de 4.5G, o Block II de F-117 e o Block III de F-22/35.

Alex Nogueira
Visitante
Alex Nogueira

Obrigado, Peter e Ricardo.

Então, pelo que entendi é um conceito “hibrido”, interessante que existe um roadmap no sentido de desenvolver a aeronave padrão 4,5g para um 5g a partir do mesmo projeto, já concebido para ser assim.

Vai ser semelhante talvez, ao SU-57, que no inicio muitos diziam ser um SU-27 achatado (sem demérito algum para o SU-27 e SU-57, que aliás, acho incríveis).

Lucas Senna
Visitante
Lucas Senna

Mas qual seria a lógica, a vantagem em seguir essa rota? Eu até entendo que eles “economizem” em eletrônica no inicio para terem tempo de desenvolver a tecnologia junto com o projeto, ir amadurecendo, até pra evitar alguns dos problemas que tá rolando com o F-35. Mas num fator crucial de desenho, algo de ordem estrutural? Como eles pretendem acrescentar o espaço futuro para as baias? Porque se já estiverem disponíveis desde o projeto inicial então isso não faz muito sentido…

Daniel Ricardo Alves
Visitante
Daniel Ricardo Alves

Eu imagino que seria uma forma de desenvolver uma aeronave de 5g nacional e ao mesmo tempo, ir substituindo as aeronaves mais antigas em uso. Se você parar para pensar, é bem inteligente. Depois é só fazer um recall dos modelos mais antigos e moderniza-los para o Block 3.

Andromeda1016
Visitante
Andromeda1016

Possui espaço para baias internas sim. Se olhar fotos do bulkhead de frente tem dois espaços quadrados na parte de baixo. Mas na primeira etapa não estará disponível para uso.

teropode
Visitante

Poderão optar também por casulos conformais para AA e pods com baixa reflexão. O F15 da Boeing demonstrou isso , assim não precisariam mexer na estrutura interna , se é que ela já não foi projetada , já vimos exemplos nesta linha , o Izumo por exemplo , basta olhar i convoo pra perceber as ideias ocultas .

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Segundo o texto é um avião geração “4,5” e não “5”. Sendo assim é bem provável que as baias estejam fora do projeto. Não dá para ter uma real noção do tamanho do avião, mas acho que possíveis baias não levariam misseis em quantidade suficiente para as missões propostas.

Andromeda1016
Visitante
Andromeda1016

Tem espaço para baia sim. O tamanho será de 17 metros. Em tamanho e capacidade será comparável ao superhornet.

Andromeda1016
Visitante
Andromeda1016

Putz …. superhornet não, mas mesmo tamanho e capacidade do hornet C/D

Daglian
Visitante
Daglian

Me parece um F-22 com canopy de F-35.

filipe
Visitante
filipe

O Brasil taria ferrado se não tivesse apostado no Gripen NG, tanto Rafale , bem como F-18 E/F são projectos da decada de 70 e 80, o Gripen NG esta recheado de Novas Tecnologias, o que nos garante um lugar no selecto grupo de paises que domina os sistemas electronicos e avionicos embarcados no Gripen NG, ficamos limitados a Fabricação da Turbina, mas podiamos aproveitar as atuais boas relações com os EUA e fabricar sob licença a Turbina que equipa os Gripens, depois de dominada essa tecnologia, teriamos tudo para um caça nacional de 5ª Geração ou 4ª Geração ++,… Read more »

Peter nine-nine
Visitante
Peter nine-nine

Filipe, o conceito para o Gripen surgiu na mesma década, anos 70, que os outros que refere, mais precisamente o Rafale, tendo ambos feito o seu primeiro voo precisamente na mesma década de 80. Não estou a concordar nem a discordar de si, só estou a dizer que não vale a pena ir por ai.

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

O Brasil contando os trocados para comprar mais um lote de Gripen e você sonhando com a fabricação de turbinas, como se o Trump fosse mandar a GE repassar a.tecnologia de graça para o Brasil.
Para com essa viagem de caça 100% nacional. Só o projeto sai mais caro do.que encomendar dezenas de aeronaves. Isso.de projetar um caça é para quem encomenda centenas e, ainda assim, muitos optam por solução de prateleira ou consórcios para diminiur custos.

Daniel Ricardo Alves
Visitante
Daniel Ricardo Alves

Só complementando, a questão não é só o dinheiro, mas principalmente a necessidade. Todos os países que possuem uma indústria de defesa forte, tem inimigos nas proximidades. Esse não é o nosso caso. Quem poderia nos ameaçar na América Latina? O Brasil não tem nenhuma necessidade de ter um jato de última geração nacional. Mas seria sábio em participar de algumas parcerias e adquirir novas tecnologias que poderiam ser usadas em muitas áreas.

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

Filipe, ter tecnologia avançada é muito bom mas nao é tudo, o Gripen NG é como dizem os entendidos de fato muito bom mesmo em tudo, mas infelizmente não parece ser ótimo em nada Infelizmente essa sua ideia de um caça 5ª geraçao 100% nacional é inviável pelos custos de projetar, desenvolver e fabricar sozinho isso. Alias, para a cabeças pensantes da FAB e melhor ter apenas um vetor (multirole) bom em tudo e conseguir manter boa quantidades de unidades operacionais de custo suportável, do que ter 2 vetores (1 de superioridade aérea + 01 Multirole) e ter um gasto… Read more »

Cássio
Visitante
Cássio

O F/A-18 E/F Super Hornet é bem mais recente, voou pela primeira vez em 1995 e entrou em operação em 1999. Um caça ainda bastante atual e capaz, mesmo que derivado do F/A-18 Hornet introduzido nos anos 1980.

Almeida
Visitante
Almeida

Por que você tá falando de Gripen e Brasil neste post? Aff

Diogo de Araujo
Visitante

olhando os rebites já tá melhor que o pak-FA

Maurício.
Visitante
Maurício.

Acho que essa cruza de F-22 com F-35 não vai pra frente não, e segundo alguns comentaristas aqui do PA esses bimotores são muito gastadores…
Os países grandes já pensando na 6° geração, e me aparece essa aeronave com crise de identidade que não sabe o que quer da vida.
Dizem que no futuro só vão sobreviver os stealth, esse já vai nascer obsoleto.

MFB
Visitante
MFB

Sugiro que você de uma pesquisada sobre o caminho que eles esperam seguir.

Maurício.
Visitante
Maurício.

MFB, o caminho não importa muito, o que importa é o vetor, e se for verdade essa história de ir aumentando a furtividade de acordo com o block, isso só vai dar dor de cabeça, temos o F-35 que é um exemplo disso (possui 3 versões), se no futuro tentarem deixar ele stealth até lá já será outra aeronave, visto que terá que ter baias e pra isso terão que redesenhar sua estrutura, motor stealth e por aí vai, parte logo para uma aeronave já com baías, até às aeronaves chinesas já possuem.

Thiago
Visitante
Thiago

Maurício, ele já possuí as baias, e acredito que esse processo mais lento seja para acompanhar o desenvolvimento local das tecnologias necessárias para torná-lo de 5° geração, que provavelmente não foram repassadas pelos americanos.

CB Vicente
Visitante
CB Vicente

quantas semelhancas com o Raptor.

Peter nine nine
Visitante
Peter nine nine

Bonitinho

Bardini
Visitante
Bardini

Se a KAI conseguir penetrar no mercado Argentino, via FA-50, temo que essa venha a ser a próxima aeronave a ser oferecida.
.
“Ahahaha… Mas a Argentina está quebrada e blablabla…”
.
Está.
Agora.
E daqui 10/15 anos, qual será o cenário?

Jadson Cabral
Visitante
Jadson Cabral

Daqui a 10/15 anos estamos operando uns 100 Gripens

Maurício.
Visitante
Maurício.

Jadson, eu não quero estragar teu sonho, mas eu acho que você está sendo otimista demais.

Conan
Visitante
Conan

Se ele esta sendo otimista demais eu não sei mas recentemente o presidente da Saab admitiu já estar negociando o segundo lote de Gripens para a FAB.

Junior
Visitante
Junior

Pode ter certeza que eles vão oferecer primeiro para o Peru substituir os seus MIG 29

Gustavo Garcia
Visitante
Gustavo Garcia

E daqui 10/15 anos, qual será o cenário? Argentina continuará quebrada!

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Fala a inteligência suprema.
Está desperdiçado aqui está.
Noiva do Gripen e amante do Abrams rara.

Almeida
Visitante
Almeida

A olhar pro histórico de crises econômicas da Argentina, continuará quebrada. Estão quebrados desde a década de 1980.

dom.vitto
Visitante
dom.vitto

Tal qual o F-22, tem um belíssimo design.
Curioso que nessa altura do desenvolvimento de aviões de combate, a nível mundial, e com uma geometria quase idêntica a do F-22, esse avião não esteja sendo concebido como um caça stealth de imediato.
E sendo caro como acredito que ele há de ser, será que a Coréia do Sul vê potencial em vendê-lo para outros mercados ?

Andromeda1016
Visitante
Andromeda1016

A KAI garantiu na época do evento que o preço de venda do block 1 não ultrapassará US$ 70 milhões. Com o preço do F35 caindo cada vez mais não tem como vender o avião coreano a preço maior.

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

Vejamos sao muitas as Diferenças do programa FX-BR para programa KF-X …

Mas queria destacar que gostei do fato do envolvimento de 16 universidades publicas e 11 Institutos públicos de pesquisas.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Com o Japão e Coreia desenvolvendo seus próprios aviões, o mercado para projetos americanos ficará bastante reduzido.
Basicamente, Inglaterra e pequenas encomendas pontuais.
É importante lembrar que o projeto europeu já conta com a participação de Alemanha, França e Espanha.

Maurício.
Visitante
Maurício.

Antoniokings, você realmente acredita nessa aeronave coreana? Você acredita que o Japão vai mesmo fazer seu próprio caça? Eu não acredito muito, vai virar e vai mexer e no futuro eles vão de F-35 mesmo.

Andromeda1016
Visitante
Andromeda1016

As chances do Japão são muito maiores que a Coreia. Eles começam atrás da Coreia mas possuem tecnologia de sobra para conseguir o que querem.

Carlos
Visitante
Carlos

Eles já tem o Protótipo , é o Mitsubishi Shinshin X-2 .

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

A questão do Japão é que eles já estudam o design stealth, já dominam a tecnologia de materiais compósitos, desde a década de 80 já tinham a tecnologia de radar aesa, eu boto muita fé num fuuro projeto Japonês do que nesse Coreano, pela capacidade tecnológica superior do japão, a Coreia do Sul teve que chorar para a LM repassar tecnologia para eles, depois o congresso dos EUA queriam barrar o repasse pq era do Raptor e F35, mas no final o dinheiro falou mais alto e repassaram tudo que era necessário para ele sair.

Jacinto
Visitante
Jacinto

O Japão tinha um demonstrador de tecnologia – a versão gourmet do protótipo – de um acaça de 5ª geração mas decidiu no ano passado que precisaria de parceiros internacionais para terminar o projeto, o que significa, naturalmente, parceiros americanos. Provavelmente vai virar algo parecido com o Mistubishi F2 – que é baseado no F-16, mas tem algumas alterações relevantes que permitiram ao F2 ser o primeiro avião com radar AESA.

Peter nine-nine
Visitante
Peter nine-nine

Avião interessante, claramente emprega na sua estrutura um design furtivo faltando-lhe apenas as baias internas, conforme o seu potencial tecnológico poderemos estar a ver uma futura boa alternativa para substituir aviões de design mais clássico a um custo menor do que o astronómico esperado para os conceitos 6ª geração e 5ª geração existentes. Presumindo que o seu design lhe forneça baixo RCS e que os materiais aplicados na fuselagem sejam condizentes com os conceitos de furtividade, o KFX poderá rotular se como uma alternativa aos furtivos puros, uma espécie de downgraded F22. Ter desenhado uma aeronave um pouco maior e… Read more »

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

A Coreia do Sul queria ficar com 60% do projeto e colocou duas cotas de 20% a venda, a Indonésia pegou uma e a Turquia pegaria outra, no final a Turquia disse que só entraria se a distribuição fosse 40% para Turquia e Coreia do Sul e 20% para a Indonésia, pois queria poder de decisão igual sem se subordinar a Coreia do Sul, os Coranos preferiram assumir e ficou 80% Coreia do Sul e 20% Indonésia. A ideia é produzir 250 aviões, em respeito as cotas ficarão 200 com a Coreia do Sul e 50 com a Indonésia, 80… Read more »

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

A versão IF-X que será finalizada na Indonésia com algumas alterações e integração de armamento russo e americano para poder usar o armamento em estoque do Su-30 e Su-35 mais os F-16C-52id.
.comment image

Marcelo
Visitante
Marcelo

Nao acredito que a versao indonesia seja totalmente diferente da versao coreana, i.e., de uma configuracao convencional para um delta canard.

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

E não será tão diferente mesmo, é que houveram dois estudos e no final escolheram a versão mostrada no artigo do PA, o delta canard não foi escolhido. Usei o desenho para mostrar como os indonésios chamam de IF-X.
. https://4.bp.blogspot.com/-M4UcH9OA-rc/UX79uhs2_XI/AAAAAAAAEu8/iHxP_okIKcM/s1600/kfx1.jpg

Dekko
Visitante
Dekko

Choro é livre Brasil 🇧🇷🇧🇷🇧🇷… Pra vergonha nossa, fica o exemplo de legado e ativos para futuras gerações. Com o conhecimento existente e o material humano da engenharia que possuímos, teriamos algo próximo disso muito rápido. Não vende o que têm, se amplia.

André Luiz
Visitante
André Luiz

Próximo você quiz dizer uns 20 anos né

teropode
Visitante

Acumulação de conhecimento e geração de emprego , para isto estão envolvidas 16 faculdades , 11 institutos de pesquisas e 85 empresas , será um grande laboratório não tenha dúvidas, toda indústria civil Coreana será a maior beneficiada e desta forma o Estado, espero que a parceria com a SAAB seja aproveitada com esta mesma visão Sul coreana . Pra mim este caça coreano terá uma versão com baías internas , os aparelhos do segundo lote de série . A Indonésia pulou fora deste projeto , dizem que vão se associar aos Turcos .

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

A Indonésia já assinou o contrato de participação no projeto, se pular fora vai pagar pesadas multas, este ano se acertaram e voltaram a pagar sua participação conforme publiquei antes.
. https://encrypted-tbn2.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcRaR4WXdctCLVpSCk1LJ3ejunWj4r_mqG4jpU3SjE-WpJx5Tv1E906ABXJT0Q

Sérgio Luís
Visitante
Sérgio Luís

Aí sim! 4,5
Entenderam que furtividade é sinônimo de limitação em tudo!
Não compensa!

Coutinho
Visitante
Coutinho

Mas o objetivo deles no futuro é ter um caça stealth.

Sérgio Luís
Visitante
Sérgio Luís

Eles vão esperar pra ver e nós também!

Alex
Visitante
Alex

Os caras projetam um avião com formato invisível e o armamento fica exposto? Qual o sentido disso?

Sérgio Luís
Visitante
Sérgio Luís

Pois é! Eles devem estar pensando que o mimetismo ajuda pelo menos psicologicamente!

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

No F-35 é assim, o sidewinder que tem que ser lançado do trilho é só na asa.
. https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcQzz0cXxramr1qGxxgj-VACiF33fzskA7Ema7GCsdoICmc-jS7dnOC0t8j1

Andromeda1016
Visitante
Andromeda1016

O avião possui baia interna sim. Mas ele só será utilizado em versões posteriores, ou seja, estará presente no block 1 mas não será utilizado pois não foi realizado o projeto para esta parte do avião. Lembrar que a KAI já recebeu tecnologia para realizar projeto de baia interna da Boeing quando desenvolveram juntos a baia interna do F-15 SE

https://m.blog.naver.com/PostView.nhn?blogId=jhst3103&logNo=221466763526&navType=tl

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

E o prêmio de empresa fabricante de caça mais lucrativo vai para? Lockheed Martin, se a CS não comprar F35 eles já ganharam muito dinheiro e vão continuar ganhando dinheiro com esse avião, não é por acaso a aparência dele ser igual ao do F22, a LM continua fabricando mais F35 nos EUA, se Boeing não se mexer no futuro pode ser que deixe de fazer caças no Futuro.

Luiz Floriano Alves
Visitante

A Coréia, como pais evoluído, tecnológica mente está olhando para o futuro. Quando seu avião entrar em linha de produção terá clientes e se situará no mercado de forma relevante. Disseram que o K-50 não emp´lacaria e e´um sucesso. A Coréia está no cominho certo. Vivendo e aprendendo.

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

Carlos Campos, a Coreia do Sul já comprou o F-35, esta foi a apresentação do primeiro em março de 2018.
.comment image

teropode
Visitante

Se o projeto fosse meu , eu desenvolveria baías conformais e pods com características sthealt , dincluindo um pod de laser para defesa , vao economizar muita grana com a mesma eficiência.

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

Segundo blogs da Indonésia eles entraram no KF-X e em troca a Coreia do Sul deverá comprar alguns N245 indonésios para transporte regional que está na fase de construção do protótipo, é uma evolução do CN-235 que é um projeto Casa e Indonésia Aerospace 50%/50% e gerou o C-295 alongado com motor mais potente hoje fabricado pelos dois países.
.comment image

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

Já fizeram isso antes, a Indonésia comprou o KAI KT-1 e T-50 para instrução e os sul coreanos compraram NC-212 MPA e CN-235 MPA para a Guarda Costeira.
No dia da assinatura que foi o mesmo para todas as compras disseram que não houve acordo, foram concorrencias separadas e foi só uma feliz coincidencia.
.comment image

willhorv
Visitante
willhorv
Carlos Góes
Visitante
Carlos Góes

O modelo de projeto escolhido para esse produto coreano realmente é interessante. Eles não estao pensando em um top de linha de imediato, mas uma aeronave para medio e longo prazo que num futuro possa ser entre as melhores di mundo. E o mais interessante, ao qje tudo indica, permitindo padronizar nos upgrades as versões mais antigas de modo a terem o mesmo padrao das mais modernas. Ao que tudo indica, esse modelo ja tera desde sua primeira versão a aerodinamica e a estrutura para ser stealth, com suas baias internas nao utilizaveis mas presente pqra posterior upgrade e disponibilização.… Read more »

bit_lascado
Visitante
bit_lascado

O primeiro 4.9G

Mosczynski
Visitante
Mosczynski

Ótima oportunidade para nossos Brigadeiros reforçarem nossa FA com mais F-5.

Alfredo RCS
Visitante
Alfredo RCS

Belo design! Me parece que os designs mais bonitos são tambem os mais eficientes. Coincidência? Quem desenhou provavelmente foi um artista ou um poeta.

Almeida
Visitante
Almeida

Tá lindo demais nessa última foto!

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

Um vídeo mostrando mais detalhes do KF-X, inclusive o compartimento interno de armas.
. https://youtu.be/p9RhzQK1JyI