Home Aviação de Ataque Senta a Pua! – documentário completo

Senta a Pua! – documentário completo

7508
42

‘Lançar-se sobre o inimigo com decisão, golpe de vista e vontade de aniquilá-lo’

Senta a Pua! é um documentário brasileiro de 1999 dirigido por Erik de Castro. O diretor produziria ainda A Cobra Fumou em 2003 e dirigiria novo documentário em 2012, O Brasil na Batalha do Atlântico, encerrando uma trilogia sobre a participação brasileira na Segunda Guerra Mundial.

O documentário versa sobre a atuação do 1º Grupo de Aviação de Caça da Força Aérea Brasileira na Segunda Guerra Mundial.

Baseado no livro homônimo do brigadeiro Rui Moreira Lima, conta com depoimentos do próprio Lima e outros integrantes do grupo como os brigadeiros Corrêa Netto, Meira, Neiva e Joel Miranda.

A Força Aérea Brasileira comemora todos os anos no dia 22 de abril o aniversário da Aviação de Caça, por ter sido o dia de sua maiores realizações no Teatro da Itália na Segunda Guerra Mundial. No dia 22 de abril de 1945, o 1º Grupo de Aviação de Caça realizou 11 missões de 44 surtidas, com somente 22 pilotos.

Subscribe
Notify of
guest
42 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Antoniokings
Antoniokings
1 ano atrás

Certa vez, tive o prazer de cumprimentar, em um restaurante do Centro do Rio, o Brigadeiro Rui Moreira Lima.
Verdadeiro herói brasileiro.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
1 ano atrás

O documentário, embora excelente, perdeu a oportunidade de mostrar ao público a encenação da Ópera do Danilo, no cinema da Ala 12 (?), antiga BASC, executada pelos caçadores de Santa Cruz (1° GAVCa e 1°/16°) e pela banda da Base, toda cantada em italiano, com os atores com fantasias da época. Conta e história do retorno do Ten Danilo Marques Moura (irmão do Ten Cel Nero Moura) às linhas amigas, após ser abatido, numa epopéia de 24 dias. O Oliveira, da minha turma, quando comandou o Grupo (2006/2007), encenou a ópera no Teatro Nacional, no Rio, com a apoio da… Read more »

Eduardo
Eduardo
Reply to  Rinaldo Nery
1 ano atrás

Já vi muitas vezes, e nunca perco a chance de ver outra vez!

cwb
cwb
Reply to  Rinaldo Nery
1 ano atrás

a aventura do Danilo daria um excelente filme,eu li na revista força aérea as peripécias do gauchão para chegar às linhas aliadas.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  cwb
1 ano atrás

De fato cwb, a aventura do Danilo é coisa de filme mesmo. Uma pena que nem um documentário tenha rendido.

Carlos
Carlos
Reply to  Clésio Luiz
1 ano atrás

Um dia veremos um longa-metragem contando a história do tenente

jorge Alberto
jorge Alberto
Reply to  Carlos
1 ano atrás

duvido muito…

num Pais onde se quer filmar a vida do terrorista Carlos Marighella…. aff

Eduardo
Eduardo
Reply to  Clésio Luiz
1 ano atrás

O Ex Ministério da cultura usou tanta verba publica para fazer documentários e filmes podres…….Né?
Acho que poderia ter usado essa verba para coisas melhores, como essa participação do Brasil na Europa.

Carlos
Carlos
1 ano atrás

Tenho o DVD com esse documentário até hoje, tinha 14 anos quando comprei, lembro que passou no Canal Brasil tbm. As cenas reais dos bombardeios, mergulhos, caramba, sensacional!!!

LucianoSR71
LucianoSR71
1 ano atrás

O Erik de Castro deve ter passado por muitas dificuldades p/ fazer esse belo documentário, já os caras que fizeram aquela porcaria do Estrada 47 deve ter tido muito mais facilidades p/ captar recursos.

Luciano
Luciano
Reply to  LucianoSR71
1 ano atrás

Xará, o que vc nao gostou no “Estrada 47”? Por que chama de porcaria?

LucianoSR71
LucianoSR71
Reply to  Luciano
1 ano atrás

Vc assistiu o filme? Qual a impressão que passa dos soldados brasileiros? Com tantas histórias reais de competência e bravura dos nossos pracinhas, fizeram um filme ridículo, uma ofensa a memória dos já tão pouco valorizados combatentes.

Luciano
Luciano
Reply to  LucianoSR71
1 ano atrás

Vi o filme e conheço relativamente bem a história da FEB. Achei a produção de maneira geral boa, com fardamento e armamento das unidades da DIE, assim como veículos e sets de filmagem. Se vc se refere ao fato de que a unidade abandonou a posição por “paura” isso ocorreu e nao só com a DIE. Além disso, era comum ter soldados perdidos na “terra de ninguém. A FEB foi feita por homens comuns e não super soldados. Era gente simples, muitas vezes comandada por oficiais R2. O filme mostra isso bem e mostra como esses homens poderiam ser corajosos… Read more »

LucianoSR71
LucianoSR71
Reply to  Luciano
1 ano atrás

Amigo, não temos filmes que contem os feitos de nossos soldados aí vc pega uma oportunidade de ouro e destaca as fraquezas e não as virtudes destes tão menosprezados brasileiros? Me desculpe, mas p/ mim isso é encomendado p/ desvalorizar nossas forças armadas e sua História.
A diferença entre o foco desse post e esse filme é gritante nos seus objetivos.
Mal comparando é como se destacasse os atos de violência e ódio do Apóstolo Paulo antes de sua conversão e se esquecesse de tudo de bom que ele fez após isto, qual o propósito?

Luciano
Luciano
Reply to  LucianoSR71
1 ano atrás

Bom, é seu ponto de vista. Nas dezenas de depoimentos de veteranos que eu estudei e naqueles que eu pessoalmente entrevistei eu vi de tudo. Há feitos heroicos e feitos vergonhosos vindos dos mesmos soldados. E a guerra é assim, feita na maior parte por homens comuns, com qualidades e defeitos. O que vc chama de “encomendado” é a nova interpretação que a nova historiografia militar faz. Não fazemos mais descrições factuais onde só os “grandes feitos” aparecem. Por exe, hoje se fosse filmado a tomada de Castelo apareceriam todas as investidas anteriores mal planejadas, os erros do comando americano,… Read more »

LucianoSR71
LucianoSR71
Reply to  Luciano
1 ano atrás

Sinceramente, creio que não está interpretando o que eu escrevi, não dissociei o lado das coisas boas das ruins, todos temos os 2 lados, o que disse e repito é que não temos filmes que mostrem o que esses homens fizeram a ponto de serem muito respeitados na Itália ( mas infelizmente totalmente esquecidos ou até mesmo ridicularizados aqui – basta ver que muitos dizem que a FAB não fez nada, não tinha nem avião alemão, quando as missões de ataque ao solo foram as que mais tiveram baixas na 2ªGM, de tão perigosas que eram ) deveríamos fazer jus… Read more »

Eduardo
Eduardo
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

Você tem rasão, mas as vezes agente se revolta com a produção do cinema nacional. Desculta o deslise !

Sérgio Luís
Sérgio Luís
1 ano atrás

8 x .30 browning se não me engano tinha o maior poder de fogo WW 2 !

Mauro
Mauro
Reply to  Sérgio Luís
1 ano atrás

Foi oferecido aos pilotos da FAB o P-51, mas como suas missões de combate eram mais de apoio de fogo e destruição de alvos no solo, preferiram o P-47, além de maior poder de fogo, é muito mais resistente.
O A-10 Thunderbolt II recebeu este nome em homenagem ao P-47 Thunderbolt.

Rui chapéu
Rui chapéu
Reply to  Mauro
1 ano atrás

Sério que ofereceram os P-51 ?

Não lembro aonde eu li que os p-51 eram praticamente somente pra escolta dos bombardeiros por causa da autonomia…

Independente, estavam certos em terem recusado. O P-47 tinha mais jeito para ataque de solo.

jorge Alberto
jorge Alberto
Reply to  Rui chapéu
1 ano atrás

Tb ja li isso: Foi oferecido sim o P-51, mas a FAB preferiu a rusticidade d P-47…

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
Reply to  Mauro
1 ano atrás

Nome que os pilotos de A-10 detestaram e, por isso, batizaram o avião de Warthog. Do mesmo modo, os pilotos de F-16 detestaram o nome Fighting Falcon e batizaram o caça de Viper (em homenagem aos caças coloniais da série de TV Battlestar Gallactica, dos anos 80). 🙂

Thiago Mibach
Thiago Mibach
Reply to  Mauro
1 ano atrás

Não lembro bem onde li, mas foi oferecido a FAB o P47, o P51 e o P38… Para terem ideia de cada avião foram ministradas aulas com pilotos americanos de cada tipo com experiência em combate… O piloto de P47 contou sobre uma missão em que foi atingido e só conseguia voar praticamente reto e nivelado, no retorno para base foi interceptado por um Fw190 que descarregou a munição nele… Ao final do “tiro ao alvo” o P47 seguia firme voando reto e nivelado… O piloto alemão alinhou do lado, cumprimentou o piloto americano e foi embora… Os brasileiros decidiram… Read more »

Alexandre Esteves
Alexandre Esteves
Reply to  Thiago Mibach
1 ano atrás

T. Mibach, boa tarde.

Confirmo a veracidade dessa informação, pois a ouvi diversas vezes pelos Brig. Teobaldo Coc Brig. Meira (palestra na EPCAR, ano 1985, senão me engano) e pelo próprio Brig Rui. Acho que ele deve ter inserido na revisão de seu livro ‘Senta a Pua’, em sua versão mais recente.

José Luiz
José Luiz
Reply to  Sérgio Luís
1 ano atrás

O calibre correto é .50, ou seja 0,5 de 1 polegada o que equivale a 12,7 mm, sendo bem maior que a .30. Realmente o poder de fogo era imenso, uma saraiva de projéteis disparados por 4 armas para cada asa, totalizando oito metralhadoras que tinham um alinhamento de modo que os projéteis convergiam para um ponto a frente da linha de visada. Esta concentração de fogo causava danos sérios nos alvos em terra.

Sérgio Luís
Sérgio Luís
Reply to  José Luiz
1 ano atrás

Tem razão é a .50 !

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
Reply to  Sérgio Luís
1 ano atrás

Não eram 8 x .30 Browning! Eram 8 x .50! Muito poder de fogo!

LucianoSR71
LucianoSR71
Reply to  Alexandre Fontoura
1 ano atrás

Lembrando que quem tinha 8 x 0.303 Browning eram os Spitfire e o Hurricane.

F - 5
F - 5
1 ano atrás

Esse é o documentário mais incrível que assisti.
Me emociono toda vez que assisto.

Mauro Oliveira
Mauro Oliveira
1 ano atrás

A fala do Miranda no final é uma lição de vida nesses soldadinhos de call of duty que brotam nos cantos úmidos dos fóruns militares.

Flanker
Flanker
1 ano atrás

Assisti esse documentário várias vezes. Muito bom. O Brasil nunca soube, e continua não sabendo, valorizar as pessoas e instituições que merecem esse valor e respeito. Um exemplo são esses valorosos oficiais e graduados que foram para a Itália e escreveram com bravura um dos capítulos mais significantes das Forças Armadas do Brasil. O mesmo deve ser dito sobre a FEB na Itália. A ação dos militares do nosso Exército são lembradas, exaltadas e homenageadas até hoje pelo povo italiano. Pena que tal reconhecimento seja ínfimo por parte do povo brasileiro. Na realidade, 99% da nossa população sequer sabe o… Read more »

cwb
cwb
Reply to  Flanker
1 ano atrás

olha flanker….fui saber dos feitos desses caras quando passei a comprar a revista força aérea,nos idos dos anos 90,coisa que me encheu de orgulho.
acho que não deixaram o povo curtir esses heróis ou por ignorância da mídia ou por medo político….era vargas.
uma pena,pois foram heróis e tinham muita humildade em não enaltecer seus feitos.
abraço!
para o pessoal da trilogia:
nunca pensaram em ter um canal dedicado a debater defesa?
levar isso para o público?

luiz antonio
luiz antonio
Reply to  Flanker
1 ano atrás

É amigo, se o Danilo fosse norte-americano já teriam feito uns 30 filmes sobre o episódio, além de umas duas séries no Netflix. Aqui reverenciam cantores sertanejos, presidentes da república condenados e presos, por aí vai. Não valorizamos nossas coisas. Não temos complexo de vira-latas não. Somos os próprios.

Fred
Fred
1 ano atrás

Lembrar aqui, para alguns que negam a história:
Brigadeiro Rui Moreira Lima se posicionou publicamente contra o golpe militar de 1964.

Foi mandado pra reserva compulsoriamente.
Foi preso e torturado em duas ocasiões diferentes.
Seu filho também foi preso.

Como militar, legalista e defensor da democracia (pela qual lutou contra o nazifascismo), seu depoimento à comissão da verdade sobre os tempos da ditadura. Está no site para quem quiser ler.

luiz antonio
luiz antonio
Reply to  Fred
1 ano atrás

A URSS também lutou contra o nazifascismo e matou mais de 20 milhões de cidadãos das próprias repúblicas socialistas. Cada um tem suas opções e deve arcar com suas escolhas.

Fred
Fred
Reply to  luiz antonio
1 ano atrás

Tudo a ver com a discussão do tópico: Rui Moreira Lima. Incoerência mandou um abraço apertado e um beijo. Fazer aquele mea culpa sério ninguém vai fazer? Militares torturando militares, herói de guerra que deu sangue pelo país sendo torturado por defender o que havia defendido 20 anos antes nos campos de batalha… (antes de um espertinho dizer que não tinhamos democracia, vejam os jornais feitos nos campos de batalha italianos como o Cruzeiro do Sul, E a cobra fumou, ETc… qual era o motivo da luta de quem estava lá?) Ah pera, cadê o argumento preferido de que só… Read more »

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
Reply to  Fred
1 ano atrás

Não adianta meu caro Fred, o fatoé que durante a II Guerra o Brasil vivia a funesta ditadura do Estado Novo, que não apenas impôs a pior constituição que tivemos como ainda por cima suprimiu a federação e matou mais que o dobro da ditadura militar.

Incoerência manda um beijo e um abraço apertado….

Flanker
Flanker
Reply to  Fred
1 ano atrás

Tava indo bem, até envolverem política no tópico…..será que nem em um tópico sobre o Grupo de Caça na Itália os comentaristas são capazes de deixar a dicotomia de lado? E eu falo isso porque também discuto política e bato boca com outros sobre a situação política recente e atual do país….mas em outros tópicos. Como o Galante falou, vamos deixar a política de lado, nesse tópico pelo menos…

Mauro
Mauro
Reply to  Fred
1 ano atrás

Ele recebeu uma boa bolada da comissão da verdade.

Antony
Antony
Reply to  Fred
1 ano atrás

militar “torturando” militar? Heroi de Guerra? kkkkk

ok… vamos conversar agora sobre “justiçamentos” dos “guerrilheiros”?

se oriente rapaz!

luiz antonio
luiz antonio
1 ano atrás

Em outubro/novembro de 2018 estive em Pisa, base do 1º Grupo de Caça na Itália. Impressionante como o povo de lá reverencia os pilotos brasileiros na II GM. Os mais jovens que nem tinham nascido falam deles por conta das histórias de seus pais.
Sem mais comentários.